Programação Estruturada 2 - Revisão C

523 visualizações

Publicada em

Material de revisão para aula de programação estruturada 2 da faculdade anhanguera BH

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
523
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Programação Estruturada 2 - Revisão C

  1. 1. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Revisão - C
  2. 2. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Charles Fortes
  3. 3. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Charles Fortes Líder Técnico na Empresa Prime Systems. Agilista, apaixonado por desenvolvimento (Web, Desktop, Mobile, o que for), pai, amante do Paintball e do Kenjutsu. MTAC - Microsoft Technical Audience Contributor 100Loop - DotNetRaptors
  4. 4. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Charles Fortes Líder Técnico na Empresa Prime Systems. Agilista, apaixonado por desenvolvimento (Web, Desktop, Mobile, o que for), pai, amante do Paintball e do Kenjutsu. MTAC - Microsoft Technical Audience Contributor 100Loop - DotNetRaptors SlideShare: http://pt.slideshare.net/charleswellingtonfortes Linkedin: http://br.linkedin.com/in/charlesfortes/ Twitter: @CharlesFortes
  5. 5. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Charles Fortes Líder Técnico na Empresa Prime Systems. Agilista, apaixonado por desenvolvimento (Web, Desktop, Mobile, o que for), pai, amante do Paintball e do Kenjutsu. MTAC - Microsoft Technical Audience Contributor 100Loop - DotNetRaptors Desenvolvimento Web – MVC – Angular.JS – JQuery – SQLServer – MySQL – HTML5 – NoSQL
  6. 6. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Conceitos Básicos de Computação PLT– Capitulo 1
  7. 7. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes O Computador e o Software É o software (i.e., as instruções que você escreve para ordenar ao computador a realização de ações e a tomada de decisões) que controla os computadores (chamados freqüentemente de hardware) Os computadores processam dados sob o controle de programas computacionais Qualquer computador pode entender diretamente sua própria linguagem de máquina Geralmente, as linguagens de máquina consistem em strings de números (reduzidos em última análise a 1s e 0s) que mandam o computador realizar suas operações mais elementares, uma por vez
  8. 8. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Linguagem e Compilação Os compiladores traduzem os programas em linguagem de alto nível para linguagem de máquina As linguagens de alto nível contêm palavras em inglês e notações matemáticas convencionais É possível escrever programas em C que sejam portáveis para a maioria dos Computadores
  9. 9. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Programação Estruturada Programação estruturada é um método disciplinado de escrever programas que sejam claros, visivelmente corretos e fáceis de serem modificados
  10. 10. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Entradas e Saídas Determinadas funções do C (como scanf) recebem dados de stdin (o dispositivo padrão de entrada) que normalmente é atribuído ao teclado. Os dados são enviados a stdout (o dispositivo padrão de saída) que normalmente é a tela do computador. Há ainda um dispositivo padrão de erro chamado stderr. O dispositivo stderr (normalmente a tela) é usado para exibir mensagens de erro.
  11. 11. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Dicas PLT– Capitulo 1
  12. 12. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Práticas KISS – Keep it simple, stupid "Keep It Sweet & Simple", "Keep it Short & Simple" Use as funções da biblioteca padrão do C em vez de escrever suas próprias versões
  13. 13. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Revisão da Programação em C PLT– Capitulo 2
  14. 14. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Imprimir uma linha de texto
  15. 15. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Escapes n t r a ” ¯_(ツ)_/¯
  16. 16. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Uma linha com dois printf
  17. 17. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Varias linhas com um printf ¯_(ツ)_/¯
  18. 18. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Somando dois números
  19. 19. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Operações
  20. 20. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Execução de operadores
  21. 21. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Operadores de Igualdade E Relacionais
  22. 22. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Erros comuns de Programação PLT– Capitulo 2
  23. 23. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Esquecer de encerrar um comentário com */ Começar um comentário com os caracteres */ ou terminar com /* Em um programa, digitar como print o nome da função de saída printf Usar uma letra maiúscula onde devia ser usada uma letra minúscula (por exemplo, digitar Main em vez de main) Colocar declarações de variáveis entre instruções executáveis O cálculo de uma instrução de atribuição deve estar no lado direito do operador =. É um erro de sintaxe colocar o cálculo no lado esquerdo de um operador de atribuição Esquecer-se de uma ou ambas as aspas duplas em torno de uma string de controle de formato de print f ou scanf
  24. 24. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Em uma especificação de conversão, esquecer-se do % na string de controle de formato de printf ou scanf Colocar uma seqüência de escape como n fora da string de controle de formato de printf ou Scanf Esquecer-se de incluir em uma instrução printf que contém especificadores de conversão as expressões cujos valores devem ser impressos Não fornecer um especificador de conversão para uma instrução printf, quando tal é exigido para imprimir uma expressão Colocar, dentro de uma string de controle de formato, a vírgula que deve separar a string de controle de formato das expressões a serem impressas Esquecer-se de preceder uma variável, em uma instrução scanf, de um e-comercial quando essa variável deve obrigatoriamente ser precedida por ele
  25. 25. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Prece der uma variável, incluída em uma instrução printf, de um e-comercial quando obrigatoriamente essa variável não deveria ser precedida por ele. Normalmente, uma tentativa de dividir por zero não é definida em sistemas computacionais e em geral resulta em um erro fatal, i.e., um erro que faz com que o programa seja encerrado imediatamente sem ter sucesso na realização de sua tarefa. Erros não-fatais permitem que os programas sejam executados até o final, produzindo freqüentemente resultados incorretos Acontecerá um erro de sintaxe se os dois símbolos de qualquer um dos operadores ==, ! =, >= e <= forem separados por espaços Acontecerá um erro de sintaxe se os dois símbolos em qualquer um dos operadores ! =, >= e <= forem invertidos, como em =!, => e =<, respectivamente Confundir o operador de igualdade == com o operador de atribuição = Colocar um ponto-e-vírgula imediatamente à direita do parêntese direito depois de uma condição em uma estrutura if Colocar vírgulas (quando não são necessárias) entre os especificadores de conversão na string de controle de formato de uma instrução scanf
  26. 26. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Exercícios de Revisão Seguir pelo livro
  27. 27. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Apresentar na próxima aula Entregas por e-mail: chalkmaster@gmail.com Enviar uma cópia para meu e-mail até 09/03/2015 18h (horário de Brasília) com o assunto [TADS-PE2] Exercícios Cap2 2.7 ao 2.31
  28. 28. Programação Estruturada 2 Prof. Charles Fortes Dúvidas?

×