Epi 2013 2

257 visualizações

Publicada em

EPI

Publicada em: Serviços
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Epi 2013 2

  1. 1. INSTITUTD NACIONAL DE ESTATÍSTICA STATIETIDB PnRTuaAL F e' 4. F. : i:*'í: =.r'ífc: *í-›rr= .r= N . ra r rw~íluug_rãuv~ ruvíltmtízfivaal 2013 l
  2. 2. » [FICHA TÉCNICA] Título | Estatísticas da Produção Industrial 2013 Editor | Instituto Nacional de Estatística, I. P. Av. António José de Almeida 1000-043 Lisboa Portugal Telefone: 21 842 61 00 | Fax: 21 845 40 84 Presidente do Conselho Diretivo | Alda de Caetano Carvalho Design e Composição | Instituto Nacional de Estatística, I. P. ISSN | 0872-9298 ISBN | 978-989-25-0282-3 Periodicidade | Anual I 'Apoio : clientes 808 20| 808 (rede lixa nacional) + 35| 2 | 8 440 695 (outras redes) 150 O INE, I. P. na Internet I i n e. CENSOS EM PORTUGAL lB64-EDl4 « anüs © INE, I. P., Lisboa- Portugal, 2014 A reprodução de quaisquer páginas desta obra é autorizada, exceto para fins comerciais, desde que mencionando o INE, I. P., como autor, o título da obra, o ano de edição, e a referência Lisboa-Portugal. í Estatísticas da Produção Industrial |2013
  3. 3. í_ NOTA INTRODUTÓRIA Com a publicação "Estatísticas da Produção Industrial 2013", o Instituto Nacional de Estatística divulga os principais resultados caraterizadores da produção industrial portuguesa em 2013, obtidos a partir do Inquérito Anual à Produção Industrial (IAPI). Nesta publicação a produção industrial é caraterizada tendo por base metodologias e listas de produtos harmonizadas, no âmbito da União Europeia, de acordo com o Regulamento (CEE) n9 3924/91, de 1991.12.19 e o Regulamento (CE) n9 912/2004, de 2004.04.29. Para além da informação contida nesta publicação, é disponibilizado no portal das estatísticas oficiais - www. ine. pt - um conjunto de quadros com dados adicionais sobre a produção industrial de 2013. O INE expressa os seus agradecimentos a todos os que contribuíram para esta publicação, salientando-se, pela sua colaboração especial, as empresas inquiridas. Agradecem-se, igualmente, críticas e sugestões que os utilizadores entendam dever fazer, por forma a melhorar edições futuras. Novembro de 2014 INTRODUCTION " In "Industrial Production Statistics 2013", Statistics Portugal disseminates the main statistical findings regarding the Portuguese industrial production in 2013, obtained from the Annual Survey on Industrial Production (Prodcom Survey). In this publication, the characterization of the industrial production is based on harmonized methodologies and lists of products, compliant the Council Regulation (EEC) 3924/91 of 1991.12.19 and Regulation (CE) 912/2004 of 2004.04.29. Along with the information disseminated in this publication, additional tables with data on the industrial production of 2013 are available on the portal of official statistics - www. ine. pt. Statistics Portugal would like to acknowledge all those who have contributed to this publication, especiallythe surveyed enterprises. All comments and suggestions, in order to improve future editions, are welcome. November, 2014 «
  4. 4. [ ÍNDICE 1 SUMÁRIO EXECUTIVO SINAIS CONVENCIONAIS, UNIDADES DE MEDIDA, SIGLAS E ABREVIATURAS ANÁLISE DE RESULTADOS 1.1 PRINCIPAIS DADOS 1.2 ANÁLISE DOS PRINCIPAIS SETORES DE ATIVIDADE 1.2.1 Divisão 10 -Indústrias alimentares 1.2.2 Divisão 19 - Fabricação de coque, produtos petrolíferos refinados e de aglomerados de combustíveis 1.2.3 Divisão 29 - Fabricação de veículos automóveis, reboques, semirreboques e componentes para veículos automóveis 1.2.4 Divisão 25 - Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos 1.2.5 Divisão 20 - Fabricação de produtos químicos e de fibras sintéticas Ou artificiais exceto produtos farmacêuticos 1.3 COMPARAÇÃO INTERNACIONAL INFORMAÇÃO DISPONÍVEL NOTA METODOLÓGICA E CONCEITOS INSTRU MENTO DE NOTAÇÃO pás- >7 >9 >13 >13 >17 >18 >19 >21 >22 >24 >25 >29 >33 >39 «
  5. 5. [SUMÁRIO EXECUTIVO O total das vendas de produtos e prestação de serviços na indústria (divisões 10 a 33, 35 e 38 da CAE Rev.3) atingiu, em 2013, 75,8 mil milhões de euros, mais 0,3% que em 2012. A venda de produtos constituiu a quase totalidade deste valor (96,6%), enquanto o restante (3,4%), se referiu à prestação de serviços industriais. As cinco principais atividades (num total de 26) representaram quase metade das vendas de produtos e prestação de serviços totais (46,3%), destaca ndo-se as indústrias alimenta res (divisão 10) e a fabricação de coque, de produtos petrolíferos refinados e de aglomerados de combustíveis (divisão 19), responsáveis por 27,1% do valor total da produção vendida. A fabricação de produtos petrolíferos deu, pela sua dimensão e pela magnitude do seu crescimento entre 2012 e 2013 (7,4%), o principal contributo positivo para o ténue crescimento nominal verificado no total das vendas de produtos e prestação de serviços na indústria, enquanto o setor da eletricidade, água e gás (divisão 35), com um decréscimo de 6,8%, contribuiu negativamente para esta variação. Entre o grupo de produtos com maiorimportância na venda de produtos industriais, o conjunto gasóleos e ma rine diesel destacou-se larga mente, atingindo quase 5 mil milhões de euros de vendas em 2013, mais do dobro do segundo j: r -vr"tl'; ' “f ' l s', r R” › ~ y x/ ° . I _ 7' . T _ ' (y -wifi. f¡ Í) . .I. ,›, l%< - -3-' *cr 4 r EXECUTIVE SUMMARY The total production and industrial services sold in 2013, reached 75.8 billion Euro, 0.3% more than in 2012. The production sold accounted for almost the full amount (96.6%), while the remainder (3.4%) related to industrial services sold. The five main activities (among a total of 26) accounted for almost half of the total product and industrial services sales (46.3%), with the manufacture of food products (division 10) and the manufacture of coke and refined petroleum products (division 19) being responsible for 27.1% of the total production sold. The manufacture of coke and refined petroleum products provided, due to its size and the magnitude of its growth between 2012 and 2013 (7.4%), the most important contribute to the slight increase in the total sales of production, while the electricity, gas, steam and air conditioning supply (division 35), with a 6.8% decrease, contributed negatively to this growth. Among the most important products in terms of the total sales of industrial production, the Gas oils stood out, reaching almost 5 billion Euro of sales in 2013, more than twice the second main product (motor spirit (gasoline), including aviation spirit). This product also showed the most significant growth among the main productions, with a 17.7% increase from previous «
  6. 6. produto mais importa nte (a gasolina para year. On the contrary, the sales of motor vehicles motores, incluindo gasolina de aviação). Aquele with a diesel or semi-diesel engine between 1500 produto apresentou, igualmente, o crescimento cm3 and 2500 cm3 decreased the most among mais significativo entre as produções com maior the main products, 23.2% less than in 2012. importância em 2013, com um acréscimo de 17,7% . inversamente, a venda de veículos automóveis ligeiros de passageiros, com motor diesel ou semidiesel, entre 1500 cm3 e 2500 cm3 de cilindrada (69 principal produto), apresentou o maior decréscimo do valor das vendas entre os principais produtos, menos 23,2% que em 2012. » T Estatisticas da ¡Produçãtr Industria| |2013
  7. 7. Estatísticas da Produção | ndustria| |2013 2 I: SINAIS CONVENCIONAIS, UNIDADES DE MEDIDA, SIGLAS E ABREVIATURAS 1 Sinal Designação Valor confidencial / / Valor não disponível Unidade Designação A Ampere CGT Arqueação bruta compensada cm3 Centímetros cúbicos ê Euros g/ mz Gramas por metro quadrado I Litro | alc 100% Litro de álcool puro (100%) MW Megawatt m3 Metro cúbico m2 Metro quadrado 103 kWh Milhares de quilowatt 103Euros Milhares de euros 10° Euros Milhões de euros mm Milímetros N.9 Número ce/ el Número de elementos c/ k Número de quilates (1 quilate métrico = 2.10 - 4 Kg) n9 Número de unidades pa Par % Percentagem kg Quilograma kg 90% sdt Quilograma de matéria seca a 90% kVA Quilovolt-ampere unid. Unidade de medida V t Tonelada a TJ Terajoule = 1 012 joules V Volt
  8. 8. E' l Sigla/ Abreviatura a. v.r. CAE - Rev.3 DOP HHI IAPI INE n. e. n. a.v. r. NACE - Rev.2 NC p. p. PT PRODCOM Tx. Var. UE Unid. VQPRD » Designação Acondicionado para venda a retalho Classificação Portuguesa das Atividades Económicas - Revisão 3 Denominação de origem protegida Indice de Herfindahl-Hirschmann Inquérito Anual à Produção Industrial Instituto Nacional de Estatística, I. P. Não especificado Não acondicionado para venda a retalho Nomenclatura Estatística das Atividades Económicas na União Europeia - Revisão 2 Nomenclatura Combinada Pontos percentuais Portugal Classificação Comunitária dos Produtos Taxa de variação União Europeia Unidade de medida Vinho de Qualidade Produzido em Região Determinada . Estatísticas da Produção Industrial |2013
  9. 9. r T ANÁLISE DE RESULTADOS VV
  10. 10. « . 1.1. PRINCIPAIS DADOS TÉNUE CRESCIMENTO NOMINAL DO VALOR DAS VENDAS E PRESTAÇÔES DE SERVIÇOS DO SETOR INDUSTRIAL O total da venda de produtos e prestação de serviços industriais atingiu 75,8 mil milhões de euros em 2013 (aumento nominal de 0,3% face ao ano anterior). As cinco principais divisões de atividade representaram 46,3% deste total, evoluindo positivamente (2,2%) face a 2012. A prestação de serviços industriais cresceu a um ritmo superior ao da venda de produção industrial (2,4% face a 0,3%), no entanto, a sua importância no total foi bastante reduzida (3,4%), pelo que o seu contributo para a variação total foi residual. Quadro 1.1.1 » Venda de produtos e prestação de serviços industriais por divisão de atividade (2012-2013)1 ( I u. :: aim . uminimeuie Venda de produtos Prestação de serviços - ~ Vp a T v T v _ _ _ _ A . i : ,y x. ar x. ar h "'15 , Ix= i.~i1g. .¡e¡. _e1.. gun: r-l-lelo : ME (ml. 2013 124 3 2013 1243 : uma . - . *a n n l 'AJ- 103 Euros % 103 Euros % Total da indústria 75 774 163 / / 0,3 / / 73 180 675 0,3 2 593 488 2,4 TOÍHI das 5 Principais divisões 35 103 679 46,3 2,2 / / 34 290 617 2,1 813 063 4,3 10 Indústrias alimentares 10 525 415 13,9 1,5 1" 10 402 346 1,9 123 068 -23,7 19 Fabricação de coque, de produtos petroliferos 9 992 387 13,2 7,4 2,, 9 992 314 7,4 73 H refinados e de aglomerados de combustiveis Fabricação de veiculos automoveis, reboques, a 29 semirreboques e componentes para veiculos 5 343 635 7'1 '4'O 3 5 288 869 '39 54 766 44's 25 Fabricação de produtos metálicos, exceto mãquinas e 4 674 799 6,2 1,8 4,, 4 130 586 0,0 544 213 18,0 equipamentos 2o F. ab, r'çaça° de Êmçqms “mms e de "bras . . 4 567 443 6,0 1,0 5" 4 476 502 1,0 9o 941 -2,7 sinteticas ou artificiais, exceto produtos farmaceuticos 35 Eletricidade, gas, vapor, agua quente e fria e ar frio 4 125 157 5,4 -6,8 6" 4 071 150 -7,0 54 007 8,4 17 Fabricação de pasta, de papel, cartão e seus artigos 3 358 460 4,4 0,3 7" 3 329 056 0,4 29 403 -13,4 22 Fabricação de artigos de borracha e de materias 3 288 077 4,3 2,6 8,, 3 267 069 2,6 21 008 0,7 plasticas 23 Fabricação de outros produtos minerais não metálicos 3 013 845 4,0 -4,8 9" 2 911 773 -4,8 102 072 -3,5 13 Fabricação de têxteis 2 637 684 3,5 6,4 10" 2 418 037 5,9 219 648 12,4 11 Indústria das bebidas 2 512 593 3,3 -O,9 11" 2 469 418 -1,1 43174 11,0 14 Indústria do vestuário 2 464 676 3,3 5,1 12° 2 287 372 5,7 177 304 -2,1 24 Indústrias metalúrgicas de base 2 412 684 3,2 -6,6 13" 2 404 858 -6,6 7 826 -28,3 Indústrias da madeira e da cortiça e suas obras, 16 exceto mobiliãrio; fabricação de obras de cestaria e 2 343 706 3,1 1,4 14" 2 290 941 0,7 52 764 43,7 de espartaria 15 Indústria do couro e dos produtos de couro 2 186 297 2,9 8,1 15" 2 149 297 8,1 37 000 8,8 27 Fabricação de equipamento eletrico 2 137 396 2,8 2,2 16" 2 057 100 2,1 80 296 4,8 28 Fabricação de máquinas e de equipamentos, n. e. 2 069 656 2,7 4,2 17" 1 916 177 2,7 153 479 27,9 Fabricação de equipamentos informáticos, o 26 equmamento para Comunmações e pmdums 1 556 942 2,1 -4,4 18 1416 738 -5,3 14o 204 6,7 33 Reparação, manutenção e instalação de máquinas e 1 463 674 1,9 _1318 19,, 1 208 356 _1414 255 318 _,018 equipamentos 31 Fabricação de mobiliãrio e de colchões 1 384 331 1,8 1,8 20° 1 353 195 2,4 31 136 -20,4 21 Fabricação de produtos farmacêuticos de base e de 852 812 1,1 _4,2 21,, 725 445 _415 127 367 _2,8 preparações farmacêuticas 18 Impressão e reprodução de suportes gravados 763 478 1,0 -6,9 22" 701 344 -7,7 62 135 3,0 Recolha, tratamento e eliminação de residuos; 38 . - . . 644 816 0,9 -20,9 23" 581 354 -20,4 63 462 -25,2 valorizaçao de matenais V 12 Indústria do tabaco 570 923 0,8 8,2 24" 505 342 10,3 65 580 -5,4 V 32 Outras indústrias transformadoras 549 512 0,7 -6,8 25" 532 952 -7,8 16 560 38,3 30 Fabricação de outro equipamento de transporte 333 766 0,4 1,3 26" 293 085 -O,4 40 681 14,9 t¡ Fonte: IAPI 1 A divisão 35 - Eletricidade, gás, vapor, água quente efria e arfrio - não inclui as atividades CAE-Rev.3: 35120, 35130, 35140, 35210, 35220 e 35230. A divisão 38 - Reco- lha, tratamento e eliminação de residuos; valorização de materiais - não inclui as atividades: 38111, 38112, 38120, 38211, 38212 e 38220.
  11. 11. Em 2013, a venda de produtos e a prestação de serviços industriais aumentou em 15 das 26 divisões de atividade (incluindo 4 das 5 maiores), decrescendo nas restantes 11. Analisando o contributo destas atividades para o crescimento observado (0,3%), destacou-se a produção de produtos petroliferos - D¡v.19 - com o contributo positivo mais significativo para esta variação (0,9 p. p.). Evidenciou-se ainda afabricação de têxteis - DiI/ .13 - e a indústria do couro - Div. 15, com contributos positivos para a variação de 0,2 p. p. cada. Com impacto negativo na evolução do total da indústria, destacaram-se os setores da eletricidade, gás e água - Div.35 - (-0,4 p. p. ), da reparação, manutenção e instalação de máquinas e equipamentos - Div.33 - e da indústria automóvel- Div.29 (-0,3 p. p. cada). Gráfico 1.1.1. » Contributo das principais divisões de atividade para a taxa de crescimento do total da venda de produtos e prestação de serviços (2012-2013) Pontos percentuais -2,0 -1,5 -1,0 -0,5 0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 contributos negativos para a taxa de contributos positivos para a taxa de crescimento: crescimento: I Eleíflcldñde, gás, VEPOT» água qU9"| Í9 9 fila 9 a' m9 (DlV-35) I Fabricação de coque, de produtos petrolíferos reñnados e I Reparação, manutenção e instalação de máquinas e de aglcmeradcis de ccmbustíveis (Divjg) equipamentos (Divaa) Indústria do couro e dos produtos de couro (Div.15) Fabricação de veiculos automóveis, reboques, semirreboques _ ~ A _ _ e componentes para veiculos automóveis (Div.29) Fñbllcaçw 99 Í9XÍ9'5 (DIV-153) Restantes contributos negativos (8 divisões) Restantes contributos positivos (12 divisões) Fonte: IAPI » í Estatísticas da Produção Industrial |2013
  12. 12. « . CRESCIMENTO DOS MERCADOS EXTERNOS COMPENSOU DECRÉSCIMO DA VENDA DE PRODUTOS NO MERCADO NACIONAL O valor da produção industrial vendida no mercado nacional decresceu 4,1% em 2013 face a 2012, redução observada em 17 das 26 divisões. Compensando esta tendência, os mercados externos evoluíram positivamente (5,8%) em 2013, de forma mais acentuada nos mercados Extra-UE que Intra-UE (12,4% face a 4,1%). Desta forma, o peso do mercado nacional, que em 2012 representou 56,1% da venda de produtos, reduziu-se para 53,7%. Quadro 1.1.2 » Venda de produtos por mercado de destino (2012-2013) Hát-1~i[: -r. ¡írmk¡it= Fzvk' ! Restaura-arm Total dos setores de atividade Fabricação de veículos automóveis, reboques, 29 semirreboques e componentes para veiculos automóveis Fabricação de coque, de produtos petrolíferos refinados e de aglomerados de combustíveis Fabricação de produtos químicos e de libras 20 sinteticas ou artificiais, exceto produtos fannacêuticos Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de artigos de borracha e de materias plásticas i4 Indústria do vestuário i0 Indústrias alimentares i5 Indústria do couro e dos produtos de couro 27 Fabricação de equipamento eletrico i3 Fabricação de têxteis Fabricação de outros produtos minerais não metálicos 23 Fabricação de máquinas e de equipamentos, 24 Indústrias metalúrgicas de base Indústrias da madeira e da cortiça e suas i6 obras, exceto mobiliário; fabricação de obras de cestaria e de espartaria Fabricação de pasta, de papel, cartão e seus artigos 3i Fabricação de mobiliário e de colchões ii Indústria das bebidas Fabricação de equipamentos informáticos, 26 equipamento para comunicações e produtos eletronicos e óticos i2 Indústria do tabaco Reparação, manutenção e instalação de máquinas e equipamentos Fabricação de produtos farmacêuticos de base e de preparações fannaceuticas 32 Outras indústrias transformadoras Fabricação de outro equipamento de transporte Recolha, tratamento e eliminação de resíduos; valorização de materiais i8 Impressão e reprodução de suportes 35 Eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e i9 25 22 23 i7 33 2i 30 38 Intra-UE Tx. Var 2013 1243 103 Euros % 26 318 835 4,i 4 O91 498 -7,0 2 064 862 69,0 1 944 763 8,6 1 655 182 1,7 1 810 817 0,5 1 778 217 4,2 1 340 698 6,2 1 425 791 5,0 1 025 927 3,0 1 119 877 6,4 929 904 0,7 1 129 275 15,3 1 303 259 -8,4 872 577 3,5 796 756 6,9 704 812 3,0 402 302 -6,7 545 842 -3,2 355 697 8,3 200 268 -24,4 213 527 16,7 212 305 -15,8 202 012 -2,0 139 998 -23,5 52 585 -9,7 83 18,1 anda? ! «FME mlsmnrilunnr-II-Jnnll Extra-UE _ Tx. VarA A Wu¡ _ › A ' : « “sm 2013 1243 21m¡ Plug Pau» 31m: :na lkqgun_ 1o” Euros % ' É 'anus l 'ñ É 'mm- -~ l 'ã 7 555 597 12,4 33 874 433 5,8 l/ 39 306 243 -4,1 l/ 198 666 19,4 4 290 164 -6,0 1° 998 704 6,2 12° 1 620 717 34,7 3 685 579 52,0 2° 6 306 735 -8,3 2° 478 499 2,4 2 423 262 7,3 3° 2 053 240 -5,5 5° 630 142 15,0 2 285 323 5,1 4° 1 845 262 -5,7 6° 253 440 26,1 2 O64 257 3,0 5° 1 202 812 1,8 9° 157 800 18,4 1 936 017 5,2 6° 351 355 8,3 23° 496 705 12,2 1 837 403 7,7 7° 8 564 943 0,7 1° 190 633 27,8 1 616 425 7,2 8° 532 872 10,7 17° 554114 16,7 1 580 041 7,4 9° 477 059 -12,2 19° 378 558 5,4 1498 435 6,2 10° 919 601 5,3 13° 491227 21,6 1421 131 7,0 11° 1490 642 -13,9 8° 279 983 -0,3 1409 258 11,8 12° 506 919 -16,3 18° 70 363 8,4 1 373 622 -7,7 13° 1 031 236 -5,0 10° 406 439 2,8 1279 016 3,3 14° 1 011 926 -2,4 11° 109170 7,5 905 926 7,0 15° 2 423130 -1,8 4° 193 594 12,8 898 406 5,0 16° 454 789 -2,2 20° 391 433 -0,9 793 735 -3,9 17° 1 675 683 0,3 7° 183 950 -27,2 729 791 -10,6 18° 686 947 1,0 15° 70 965 42,8 426 662 12,8 19° 78 680 -1,7 25° 180 240 -13,8 380 508 -19,7 20° 827 848 -11,7 14° 129 726 -18,4 343 252 0,4 21° 382 193 -8,5 22° 40 002 15,7 252 307 -12,0 22° 280 644 -3,6 24° 28161 -23,6 230173 -5,3 23° 62 912 23,1 26° 7 206 -27,4 147 204 -23,7 24° 434 150 -19,1 21° 13 866 20,9 66 452 -4,7 25° 634 892 -8,0 16° O / / 83 18,1 26° 4 071 066 -7,0 3° Fonte: IAPI « 'L'
  13. 13. No mercado nacional, a principal atividade foi a indústria alimentar (D¡v.10), com 21,8% da venda total de produtos, seguida dos produtos petrolíferos (D¡v.19), com 16,0%, e da produção de eletricidade, gás eágua (Dil/35), com 10,4%, esta última com produção vendida quase exclusivamente no mercado nacional. No que respeita às vendas para países da União Europeia, destacou-se a produção de veiculos automóveis (Div.29), que concentrou 15,5% do total da venda de produtos para a UE, enquanto a maior parte das vendas para países Extra-U E, proveio da produção de produtos petroliferos - 21,5%. Gráfico 1.1.2 » Principais divisões de atividade por mercado de destino (2013) ÍÂHWA Mercado 51.3% Nacional 16,0% 10,4% l Í Indústrias alimentares (Div. 10) Coque, prod. petrolíferos relinados e agl. de combustiveis (Div. 19) Eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio (Div. 35) í *l-'X-Yãl. ' 7,8% Intra-UE 7,4% 69,2% É Veiculos automóveis, reboques, semi-reboques e componentes (Div. 29) Coque, prod. petrolíferos reñnados e agl. de combustiveis (Div. 19) Prod. quimicos e ñbras sintéticas ou ? MN/ u Extra-UE 3,3% 62,9% 7,3% Ç Í Coque, prod. petrolíferos reñnados e agl. de combustiveis (Div. 19) Fabricação de produtos metálicos, exc. Fabricação de eq. elétrico (Div. 27) artiñciais, exc. prod. farmacêuticos (Div. 20) Outras divisões Outras divisões Outras divisões Fonte: IAPI VENDAS DE GASÓLEOS E MARINE DIESEL ATINGIRAM CERCA DE 5 MIL MILHÕES DE EUROS O setor industrial foi, em 2013, constituído por 2292 produtos, no entanto, mais de um quarto (26,4%) do valor das vendas concentrou-se nos quinze principais. Apresentando o maior crescimento (17,7%) entre os produtos industriais com o valor da venda de produtos mais elevado, os gasóleos e marine diesel reforçaram a sua importância na produção industrial portuguesa, atingindo um valor total das vendas de 4 997 milhões de euros. Destaca-se, igualmente, o aumento do valor da venda de eletricidade de origem hidráulica (15,8%) e eólica (10,8%) e do calçado de exterior feminino (8,5%) e masculino (15,1%), por oposição a um decréscimo na de origem térmica convencional (-20,2%) e a uma diminuição significativa nos automóveis ligeiros, de motor diesel e semidiesel, com cilindrada entre 1500 cm3 e 2500 cm3 (-23,2%). » . 2013
  14. 14. « Quadro 1.1.3 » Principais produções industriais (2012-2013) - T? rYíanrikh-dtaprloritlilore ! turziulltilzrdta ! lurzinlil 'kr-ts 2 A “Imp-In , Huanglllegâío-¡IO-tpllolilllloi Ulnnikrit: _onoritlmíki 'rarnrillíizi a' 'IA gsm. , P"" 'm' cnftgrrrorgul _ um . . . l EE l EE " r l "ã . Total da indústria (2292 produtos) / / / / 73 180 675 / / / / / / Total dos 15 principais produtos / / / / l/ 19 351 732 26,4 / / / / 192002600 Gasóleos e Marine Diesel kg 5 726 825 880 5 636 204 911 4 997186 6,8 17,7 1° 192002100 Gasolina para motores, incluindo gasolina de kg 2 074 168 143 2 171 064 794 1 969 871 2,7 7,4 2° 351101030 Eletricidade térmica convencional iO3kWh 21 827 640 19 999 036 1 818 222 2,5 -20,2 3° 192002800 Fuelóleos, n. e. kg 3 299 459 607 2 511 538 691 1 186 752 1,6 -9,1 4° 351101073 Eletricidade eólica (gerada por turbinas a vento) iO3kWh 12 441 506 12 269 883 1 167 005 1,6 10,8 5° Veículos automóveis ligeiros de passageiros, com motor diesel ou semidiesel, 1500 cm3 < cilindrada S 291002330 2500 cm3 (exceto para transporte 2 10 pessoas_ n° 71 251 71 073 1 133 696 1,5 -23,2 6° autocaravanas, veículos para neve, golfe e usos especiais) Outras partes e acessórios para veículos 293203090 automóveis, tratores e veículos para usos especiais H N H 1 067 617 1 5 7 2 7D (incêndios, betoneiras e semelhantes), inclui ' ' depósitos de combustível Carboreatores (jet fuel) do tipo gasolina (destilado 192002200 de p°"ó'°°' de 1°°°C a 550.70' °btld° p” “M” kg 1 078 971 060 1 111 535 669 642 653 1,2 12,4 3° de querosene e de gasolina, especialmente para turbomotores) 351101072 ? '°*"'°“ãa$*° h¡d'á“"°a (gerada “das 'wmrais 103kWh 13 732 286 13 624 875 816 041 1,1 15,8 9° hidroeletncas) Outros papéis e cartões com uma percentagem de 171201439 fibras obtidas por processo mecãnico S 10% e de kg 1 217 449 077 1 209 580 754 808 009 1,1 -6,8 10° peso 2 40 g/ m* mas S 150 g/ mz, em folhas 221101355 Pneus novos, de ligeiros com índice de carga S121 n° 16 632 925 16 408 975 791 496 1,1 0,0 11° 152011352 CaIÇad° de extem") . °°'" pa” Super"" de °°“'° pa 27 166 537 27 138 267 775 695 1,1 8,5 12° natural, de uso feminino 152011351 Caça” de extem" °°. '" 'me “pai” de °°“'° pa 24 932 941 25 157 25o 669 867 0,9 15,1 13° natural, de uso masculino 171101200 Pastas qwlmwas de m? d°¡'a'_à 5°” °“ 5° “fa” kg 90% sdt 1 865 220 857 1 628 627 231 664 019 0,9 0,3 14° excepto pastas para dissoluçao 110501020 Cerveja com álcool (a) l 731 739 528 737 613 486 643 202 0,9 / / 15° WA classificação do produto sofreu alterações em 2013, não sendo diretamente comparável com os valores de 2012 Fonte: IAPI 1.2. ANÁLISE DOS PRINCIPAIS SETORES DE ATIVIDADE As cinco divisões de atividade mais relevantes foram responsáveis por 46,3% do total das vendas de produtos em 2013. Desta forma, justifica-se uma observação mais detalhada destes setores de atividade, em particular sobre os seus principais mercados de destino e produtos. «
  15. 15. VENDA DE PRODUTOS NA INDÚSTRIA ALIMENTAR AUMENTOU EM TODOS OS MERCADOS DE DESTINO O valor da venda de produtos em 2013 superou, em 1,9%, os valores de 2012. Este crescimento foi transversal aos principais mercados de destino, ainda que mais acentuado nos mercados externos que no mercado nacional, traduzindo-se no incremento do peso dos mercados externos em 1,0 p. p. Gráfico 1.2.1.1 » Venda de produtos: Peso e variação por mercado de destino (2012-2013) Divisão 10 - Industrias alimentares Peso dos mercados de destino nas vendas totais de Vendas de produtos produtos (2012-2013) 12,2 % 2013 82,3% 12,9% 4,8% 6,2% 2012 83,3% 12,4% 4,3% 1,9% r 0,7% l I Total Mercado nacional Intra-UE I Extra-UE Fonte: IAPI A indústria alimentar incluiu um total de 292 produtos produzidos em Portugal. Os cinco maiores representaram 22,4% do total das vendas de produtos. Entre estes, o pão constituiu o principal produto vendido, gerando cerca de 600 milhões de euros (5,8% do total da divisão). Os principais produtos evoluíram de forma díspar, observando-se um decréscimo no valor das vendas, de pão e leite (-4,6% e -1,9% respetivamente), por oposição a um crescimento significativo da produção de alimento para animais de capoeira (9,8%), paralelo a um aumento no valor da produção vendida de frangos, galos e galinhas (5,5%). Quadro 1.2.1.1 » Principais produtos (2012-2013) : aum Trap-Ab! !R$119IllHÉÍo-íÍh-! JIOIÍLIÍÍM 'loiizll : :Sgtizl/ :jfãâl ZOÊÉÉÊ: 3 . . , . n¡ - o ~ % Indústrias alimentares (div. 10) / / / / 10 402 346 / / / / 1° 107101100 Pão sem adição de mel, ovos, queijo ou frutos kg 420 091 346 604 694 5,8% -4,6% 2° 109101037 Allmem” pa. ” °. 'laçã° de aÚlmals lex°et° má' kg 1 549 55s 051 552 032 5,3% 9,8% misturas): animals de capoeira 3° 107101200 Pastelaria kg 104 185 769 410 837 3,9% 3,7% 4° 101201010 F'a_”9°5' 95'” e galmhas mleims' “m” °“ kg 25o 03s 175 403 724 3,9% 5,5% refrigerados Leite Pasteurizado e UItrapasteurizado, não concentrados, n/adicionados de 5° 105101142 açúoar/ outeduloorantes, teor de matérias gordas >1%e kg 705 054 314 362 862 3,5% -1,9°/ o s 6%, em embalagens imediatas de conteúdo liquido s 2 L Total dos principais produtos (5 de 292) ll ll 2 334 148 22,4% ll Fonte: IAPI » . 2013
  16. 16. Análise de resultados í 3 Os cinco principais produtos apresentaram graus de concentração da produção heterogéneos. As produções de pão e de pastelaria mostraram-se bastante concorrenciais, enquanto a produção de leite (entre 1% e 6% de matérias gordas) registou um grau de concentração elevado, pertencendo 94,1% do total das vendas de produtos às cinco maiores empresas. Gráfico 1.2.1.2 »Indicador discreto de concentração e índice de Herfindahl-Hirschmann (2013) 7 ooo 100% 6 ooo 5 ooo 5 77o 75% 4 ooo 3 ooo O 50% 24,4% , , 2 ooo 25,/ O O ° 1 ooo 167 1 093 132 983 (1°)1o71o11oo (2°)1o91o1o37 (3°)1o71o12oo (4°)1o12o1o1o (5°)1o51o1142 I Índice de HerñndahI-Hirschman Olndicador discreto de concentração (Peso das 5 maiores empresas) Fonte: IAPI 1.2.2. Divisão 19 - Fabricação de coque, produtos petrolíferos refinados e de aglomerados de com- bustíveis CRESCIMENTO ACENTUADO DA VENDA DE PRODUTOS NOS MERCADOS EXTERNOS COMPENSOU DECRÉSCIMO DO MERCADO NACIONAL A produção de produtos petrolíferos (D¡v.19) teve uma importância decisiva no crescimento do total da indústria, com um aumento de 7,4% em 2013. Este acréscimo resultou do comportamento dos mercados externos, cujo crescimento muito acentuado (69,0% do mercado Intra-UE e 34,7% do Extra-UE) compensou o decréscimo de 8,3% observado no mercado nacional. Como consequência, a estrutura dos mercados de destino da venda de produtos alterou-se de forma muito significativa, com os mercados externos a representarem mais 10,8 p. p. que em 2012. Gráfico 1.2.2.1 »Venda de produtos: Peso e variação por mercado de destino (2012-2013) Divisão 19 - Fabricação de coque, produtos petrolíferos reñnados e aglomerados de Peso dos mercados de destino nas vendas totais de Vendas de produtos produtos (2012-2013) (Tx. Var. 2012-2013) 69,0 % 2013 33,1% 16,2% 347 v; 7,4% 2012 73,9% 12,9% K -8,3% I Total Mercado nacional I Intra-UE I Extra-UE - 19 « Fonte: IAPI
  17. 17. Os cinco principais produtos (de um total de treze) agregaram 94,8% de todo o valor da produção vendida, com o principal produto - gasóleos e marine diesel- a representar metade do total. Este produto reforçou ainda mais a sua importância na divisão, apresentando um crescimento do valor da produção vendida (17,7%), superior ao observado nos restantes principais produtos. O decréscimo mais significativo registou-se nos óleos médios de petróleo (-22,2%). Quadro 1.2.2.1 » Principais produtos (2012-2013) Peso no total Tx. Var m"" 'mn"pmanílwnullllbl 'hmgulql . 'ml _ da atividade 2012-2013 . n¡ Bain-e. °/ ° Fabricação de coque, de produtos petrolíferos relinados e de aglomerados de combustiveis (div. 19) ll ll 9 992 314 ll ll 1° 192002600 Gasóleos e Marine Diesel kg 5 726 825 880 4 997 186 50,0% 17,7% 2° 192002100 Gasolina para motores, incluindo gasolina de aviação kg 2 074 168 143 1 969 871 19,7% 7,4% 3° 192002800 Fuelóleos, n. e. kg 3 299 459 607 1 186 752 11,9% -9,1% Carboreatores (jet fuel) do tipo gasolina (destilado de 4° 192002200 “em” de 100.70 a 2507C' °btld° 9°' “Em” de kg 1 07s 971 050 342 553 s 4% 12 4% querosene e de gasolina, especialmente para ' ' turbomotores) 5o 192002700 Sã: : médios de petróleo; frações médias, n. e. (inclui kg 739 652 254 480 934 4,8% 22,2% Total dos principais produtos (5 de 13) Il ll 9 477 397 94,8% ll Fonte: IAPI Ao nível da distribuição da produção, verificou-se uma situação de monopólio, em que apenas uma empresa foi responsável pelo total da produção nacional, em qualquer um dos cinco principais produtos da divisão. Gráfico 1.2.2.2 » Indicador discreto de concentração e indice de Herfindahl-Hirschmann (2013) «, .._ «1.1 «. .._ och" , 12 000 O O O O O 100% 10 000 Iiriimirl Imiririrl IrlIIIlItII iriiririrl Iiriiriml 75% 8 000 6 000 50% 4 000 25% 2 000 . . . . . 0% (1°) 192002600 (2°) 192002100 (3°) 192002800 (4°) 192002200 (5°) 192002700 IÍndice de HerñndahI-Hirschman Olndicador discreto de concentração (Peso das 5 maiores empresas) Fonte: IAPI » FFFFE |2013
  18. 18. « Análise de resultados 1.2.3. Divisão 29 - Fabricação de veículos automóveis, reboques, semirreboques e componentes para veículos automóveis CONTRAÇÃO DO MERCADO INTRA-UE CON DUZIU A DECRÉSCIMO DO VALOR TOTAL DA PRODUÇÂO VENDIDA A União Europeia constituiu o principal mercado de destino da produção automóvel nacional, absorvendo 77,4% do valor total da produção vendida. A contração das vendas Intra-UE (-7,0%) refletiu-se, consequentemente, num decréscimo em todo o setor e num aumento do peso, quer do mercado nacional quer do mercado Extra-UE. Gráfico 1.2.3.1 » Venda de produtos: Peso e variação por mercado de destino (2012-2013) Divisão 29 - Fabricação de veículos automoveis, reboques, semirreboques e componentes (. ..) Peso dos mercados de destino nas vendas totais de Vendas de produtos produtos (2012-2013) (Tx. Var. 2012-2013) 19,4 % I Total Mercado nacional I Intra-UE I Extra-UE 6,2% -3,9% -7,0% Fonte: IAPI No que respeita à evolução dos cinco principais produtos, destacou-se de forma clara o crescimento expressivo da produção vendida de vei'culos para transporte de mercadorias, com motor diesel ou semidiesel com menos de cinco toneladas (1263,8%). Observou-se, ainda, um decréscimo significativo do valor da produção vendida (-23,2%) de vei'culos automóveis a diesel ou semidiesel, com cilindrada entre 1500 cm3e 2500 cm3, que se manteve, apesar disso, como a maior produção do setor. Quadro 1.2.3.1 » Principais produtos (2012-2013) Quantidade produzida Códlgo do Designação do produto produto Fabricação de veículos automóveis, reboques, semirreboques e componentes para veículos automóveis (div. 29) ll ll 5 288 869 / / / / Veículos automóveis ligeiros de passageiros, com motor 1., 291002330 diesel ou semidiesel, 1500 cm3 < cilindrada s 2500 cm3 n, 71 251 (exceto para transporte 2 10 pessoas, autocaravanas, veículos para neve, golfe e usos especiais) Outras partes e acessórios para veículos automóveis, tratores e veículos para usos especiais (incêndios, betoneiras e semelhantes), inclui depósitos de combustível 3° 293203063 Silenciosos e tubos de escape; suas partes kg Veículos para transporte de mercadorias, com motor diesel ou semidiesel, de peso bruto s 5 toneladas (exceto dumpers concebidos para serem usados fora de rodovias) Veículos automóveis ligeiros de passageiros, com motor de ignição por faísca, cilindrada s 1500 cm3 1 133 898 25,3% -23,2°/ o 2° 293203090 / / / / 1 067 617 23,8% 7,2% 27 943 279 348 677 7,8% -0,6% 4° 291004110 n° 39 333 346 417 7,7% 1263,8% 5° 291002100 n° 21 503 317 553 7,1% -8,2% Total dos principais produtos (5 de 38) ll ll 3 214 163 71,8% ll Fonte: IAPI V V
  19. 19. Existe um número reduzido de empresas produtoras de veículos automóveis em Portugal, o que se traduziu num elevado grau de concentração da produção neste tipo de produto. Pelo contrário, a produção de outras partes e acessórios para veículos automóveis constituiu uma atividade basta nte mais concorrencial, com um Índice HHI de 605. Gráfico 1.2.3.2 »Indicador discreto de concentração e índice de Herfindahl-Hirschmann (2013) 12 000 o O O O 100% 'IO 000 1o ooo 75% 8 000 a 355 7 569 44,2% 6 000 § 50% 4 000 5 447 25% 2 000 605 l í l | l 0% (1°) 291002330 (2°) 293203090 (3°) 293203063 (4°) 291004110 (5°) 291002100 I Índice de HerñndahI-Hirschman Olndicador discreto de concentração (Peso das 5 maiores empresas) Fonte: IAPI 1.2.4. Divisão 25 - Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos ESTABILIZAÇÃO DAS VENDAS DE PRODUTOS DA FABRICAÇÃO DE PRODUTOS METÁLICOS À semelhança da maior parte dos principais setores, a fabricação de produtos metálicos teve um decréscimo da venda de produção no mercado nacional (-5,7%) compensado, no entanto, pelo aumento dos mercados externos. Neste caso, assumiram particular importância os mercados Extra-UE, cujo crescimento de 15,0%, em conjunto com o aumento do valor da venda de produtos na UE (1,7%), atenuou a quebra do mercado interno. Gráfico 1.2.4.1 » Venda de produtos: Peso e variação por mercado de destino (2012-2013) Divisão 25 - Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos Peso dos mercados de destino nas vendas totais de Vendas de produtos produtos (2012-2013) (Tx. Var. 2012-2013) 15,0 % 1,7% 2 2012 47,4% 13,3% 0,0% -5,7% I Total Mercado nacional I Intra-UE I Extra-UE E Fonte: IAPI » í Estatísticas da Produção Industrial |2013
  20. 20. « Análise de resultados A divisão dafabricação de produtos metálicos era constituída por 231 produtos, com os cinco principais a representarem 35,8% das vendas no setor. O valor da produção vendida de moldes para borracha ou plástico, decresceu de forma ligeira (-O,4%), enquanto a produção de portas, janelas e seus caixilhos teve uma contração bem mais significativa (-8,2%). Pelo contrário, o valor da produção vendida de outras obras de ferro aumentou quase 60% entre 2012 e 2013. Rank Código do produto Fabricação de produtos metálicos, exceto maquinas e equipamentos (div. 25) 1° 257345070 . . e injeçao 2° 251201050 Quadro 1.2.4.1 » Principais produtos (2012-2013) Designação do produto Moldes para borracha ou plastico, para moldagem por ou por compressão Portas, janelas e seus caixilhos, alizares e soleiras, de alumínio 3° 251101030 Construções pré-fabricadas de ferro ou aço l/ / / Diques, va| vu| as, comportas, desemb. ,docas fixas e out. const. marit. /f| uviais e out. estrut. e s/ partes, de ferro 4° 251102355 °“ 59°' n. e.(exc. pontes e s/ e|em. ;torres e póit. ,poitas, janelas e s/ caixiI. e sem. ,mat. p/andaimes, cofr. /escor. ,estrut. e s/ partes princ. em chapa) Obras de ferro ou aço, n. e. (inc. tabaqueiras, cigarreiras, cx. de pó-de-arroz, estojos 5° 259902945 p/ pintura de rosto e semelh. ,de aIgibeira; "cestos" kg / / p/ filtrar a água a entrada dos esgotos), exc. carretéis p/ cabos, tubos, portinhoIas de ventnão mec. ,goteiras e gancho S Total dos principais produtos (5 de 231) Fonte: IAPI ll Unidade Quantidade produzida l/ 12 678 1 895 863 / / 131 861 541 / / / I 4 130 586 514166 374 407 260 325 227 294 224 229 1 600 421 Venda de produtos _z _ / / / / 1 1,5% -0,4% 8,4% -8,2°/ o 5,8% 2,5% 5,1% -1 ,3% 5,0% 59,8% 35,8% ll A concentração da produção dos principais produtos foi reduzida, com índices de HHI relativamente baixos. A produção de portas, janelas e seus caixilhos apresentou-se altamente concorrencial, com um índice de HHI inferior a 100. Gráfico 1.2.4.2 » Indicador discreto de concentração e índice de Herfindaht-Hirschmann (2013) 1 200 O 50% 1 000 1050 329% 8°° O O 600 12 4a/ O 25 A¡ 400 O 1 ° 200 131 327 I 58 '92 . í . . . 0% (1°) 257345070 (2°) 251201050 (3°) 251101030 (4°) 251102355 (5°) 259902945 : Índice de HerñndahI-Hirschman Olndicador discreto de concentração (Peso das 5 maiores empresas) Fonte: IAPI «
  21. 21. 1.2.5. Divisão 20 - Fabricação de produtos quimicos e de fibras sintéticas ou artificiais exceto pro- dutos farmacêuticos VALOR DA PRODUÇÃO VENDIDA DE PRODUTOS QUÍMICOS E FIBRAS CRESCEU 1,0% APESAR DO DECRÉSCIMO DE 17,7% DO SEU PRINCIPAL PRODUTO O valor da venda de produtos da divisão registou uma variação positiva de 1,0%, o que se deveu, na íntegra, aos mercados externos, cujo crescimento compensou o decréscimo de 5,5% observado no mercado nacional. Consequentemente, o seu peso no valor total da venda de produtos aumentou 3,1 p. p., consolidando a sua maior importância face ao mercado nacional. Gráfico 1.2.5.1 » Venda de produtos: Peso e variação por mercado de destino (2012-2013) Divisão 20 - Fabricação de produtos químicos e de fibras sintéticas ou artificiais (. ..) Peso dos mercados de destino nas vendas totais de Vendas de produtos produtos (2012-2013) (Tx. Var. 2012-2013) 8,6% V 2,4% 1,0 o _ _ -5,5% I Total Mercado nacional I Intra-UE I Extra-UE Fonte: IAPI Afabricação deprodutos químicos abrangeu um leque alargado de produtos (236), dos quais o principal foi a produção de biocombustíveis (7,6% do total). A variação mais significativa entre os principais produtos observou-se para este produto, cujo valor da venda de produtos decresceu 17,0% entre 2012 e 2013. A produção de naftaleno e misturas de hidrocarbonetos, com um crescimento de 9,5% do valor da produção vendida, registou a evolução positiva mais acentuada entre os principais produtos. Quadro 1.2.5.1 » Principais produtos (2012-2013) Venda de produtos Código do . _ . Quantidade Rank produto Designaçao do produto Unidade produzida Total - _ Fabricação de produtos químicos e de libras sintéticas ou artiliciais, exceto produtos farmacêuticos (div. 20) H H 4 476 502 ll ll 1° 205905997 Biocombustível (diesel substituto, etanol usado nos kg 330 913 063 338 607 7,6% _17,0% transportes) 2,, 201443430 Anidrido ftálico (sólido ou líquido); ácido terettálico e kg seus sais 3° 201444151 Anilina e seus sais kg 165 346 303 226 593 5,1% 3,0% 4° 201605630 Outras resinas amínicas, n. e., em fomias primárias kg 145 530 283 222 496 5,0% 21% (inclui pos para moldagem) 5° 201447340 Naftaleno e misturas de hidrocarbonetos aromaticos, kg 481 922 562 166 033 3,7% 95% inclui gasolina de pirólise e fração C9+ Total dos principais produtos (5 de 236) ll ll ll E Fonte: IAPI » í Estatísticas da Produção Industrial |2013
  22. 22. « . A produção dos principais produtos apresentou-se bastante concentrada em poucas empresas, com dois casos, o aníclrido ftálico e anilina e seus sais, a representarem mesmo situações de monopólio da produção (Índice HHI igual a 10 000). Gráfico 1.2.5.2 »Indicador discreto de concentração e indice de Herfíndahl-Hirschmann (2013) .1"'A~. *ma .1"'A~. *ma 12 ooo O O O O 100% 1o ooo O Ilmlllll 1 75% e ooo "W e ooo 50% 4 ooo 25% 2 ooo d' ' À 0% (1°)2o59o5997 (2°)2o144343o (3°) 201444151 (4°) 201605630 (5°)2o144734o Fíndice de HerñndahI-Hirschman olndicador discreto de concentração (Peso das 5 maiores empresas) Fonte: IAPI 1.3. COMPARAÇÃO INTERNACIONAL¡ PORTUGAL COM PESO RESIDUAL NAS PRINCIPAIS PRODUÇÕES DA UNIÃO EUROPEIA A venda total de produtos industriais na União Europeia aumentou 1,9% em 2013 face a 2012, mais 1,6 p. p. que em Portugal no mesmo período. Os cinco principais produtos fabricados foram, no seu conjunto, responsáveis por 8,3% do total das vendas de produtos, dos quais quatro pertenciam à indústria automóvel. A única exceção foi a produção de medicamentos que, com um valor da venda de produtos de 70,9 mil milhões de euros, constituiu a terceira principal produção da UE. Os dois principais produtos: automóveis com motor de ignição por faísca e cilindrada superior a 1500cm3 e automóveis com motor a diesel ou semidiesel, com cilindrada entre 1500 cm3 e 2500cm3, tiveram como principal produtor o Reino Unido (10,8% e 12,1%), enquanto a produção europeia de automóveis com motor de ignição por faísca e cilindrada inferior a 1500cm3 teve como principal produtor a Alemanha (30,1%). A República Checa (12,4%) assumiu-se como o maior produtor europeu de outras partes e acessórios automóveis, produtos onde Portugal conseguiu a sua maior quota (2,5% do total) entre os cinco principais. A França foi o principal país produtor de medicamentos, com 18,5% do total. Z No âmbito da comparação internacional, foram considerados os dados disponibilizados pelo Eurostat a 7 de Agosto de 2014 (valores de 2012) e a 1 de Outubro de 2014 (valores de 2013), corrigidos de acordo com os valores definitivos para Portugal, divulgados no âmbito desta publicação. Não foram, ainda, consideradas as divisões 15 - Fabricação de coque, produtos petrolíferos refinados e de aglomerados combustiveis e 35 - Eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio, da NACE Rev.2 por não se dispor de informação relativamente a UE. Como o principal produtor, foi considerado o país com o valor da produção mais elevado entre os países da União, com dados disponíveis (sem confidencialidade). «
  23. 23. Gráfico 1.3.1 » Produções industriais mais importantes da União Europeia (2013) IÊ P°““9“' vendas de produtos: É Remo unmo 15o ooo Milhoes de Euros 1° 29102230 - veiculos automoveis de passageiros, corn rnotor de igniçao por I 0,2% 10,5% 59,0% faísca, de cilindrada > 150o cm3 Ia P°I1u9=| vendas de produtos: Ê Remo unmo 99 211 Milhoes de Euros 2° 29102330 - veiculos automoveis de passageiros. com motor a diesel ou | 1,1% 12,1 % 56,7% semi-diesel > 150o cm3 rnas 5 250o cm3 Ii P°“"9=' vendas de produtos: ü França 7o 571 Milhoes de Euros 3° 21201380 - Medicamentos contendo produtos misturados ou nao misturados. 0,4% 15,5% 51 ,124 n. e.. em doses ou a. v.r. IÍ P°““9“' vendas de produtos: I - 42 031 Milhoes de Euros 4° 29323090 - outras partes e É R°p“°"°“ che” acessorios para veiculos automoveis. tractores e veiculos para usos especiais 2'57" 12m” 554m (incendios, oetoneiras e semelhantes), 'É Pam_ a¡ inclui depositos de combustível 9 Vendas de PWÚMOS? 39 495 M'Irl" d E 5° 29102100 - veiculos automoveis i Nemamha ' 09s e ums ligeiros de passageiros. com rnotor de igniçao por faísca. cilindrada 5 150o 03% “m” 595% cm3 0% 20% 40% 60% 80% 1 00% l Portugal Principal produtor (excepto PT) Restantes Estados-Membros Fonte: Eurostat PORTUGAL FOI O MAIOR PRODUTOR DA UNIÃO EUROPEIA DE PNEUS NOVOS, DE LIGEIROS, COM ÍNDICE DE CARGA INFERIOR A 121 EM 2013 Analisando as principais produções portuguesas no contexto Europeu, observamos que as duas principais produções nacionais (entre as divisões consideradas para a comparabilidade internacional) - automóveis com motor a diesel ou semidiesel, com cilindrada entre 1500 e 2500cm3 e outras partes e acessórios automóveis- se enquadram nas principais produções Europeias apresentadas no ponto anterior. Estas representaram, assim, um valor bastante elevado mesmo para a pequena quota de mercado do país no total da UE (1,1% e 2,5% respetivamente). Portugal assumiu maior importância na produção dos restantes produtos, concentrando grande parte (48,0%) do valor da produção vendida de pneus novos, de ligeiros, com l'ndice de carga inferior a 121, e partilhando a liderança com a Alemanha na produção de papéis e cartões (entre 40g/ m2 e 150g/ m2), com 18,7% do total. A produção de calçado feminino foi dominada de forma clara pela indústria italiana (51,8% do total), com Portugal a conseguir ainda assim uma quota significativa da produção da UE (12,7%). » í Estatísticas da Produção Industrial 2013
  24. 24. V V Análise de resultados Gráfico 1.3.2 » Produções mais importantes de Portugal (2013) Ia Portugal Vendas de produtos: É Reino Unido 1° 29102330- Veículos automóveis de 99 211 Milhões de Euros passageiros, com motor a diesel ou a a semi-diesel > 1500 cm3 mas S 2500 1211 A' 8517/" 3 cm Portugal 2° 29323090- Outras partes e li Repúbnca checa acessórios para veículos automóveis, Vendas de produtos 42 031 Milhões de Euros tractores e veículos para usos especiais - 12,4% 55,0% (incêndios, betoneiras e semelhantes), inclui depósitos de combustível Portuga¡ Vendas de produtos¡ 3o 17121439_ 0111,05 papéis e Ganges i¡ Alemanha 4 32o Milhões de Euros com uma percentagem de ñbras obtidas a a por processo mecânico S 10% e de 1911 A' 5211 A' peso 2 40 glm¡ mas S 150 g/ mz, em folhas Ptmuga' Vendas de produtos: i Alemanha 1 650 Milhões de Euros 4° 22111355- Pneus novos, de ligeiros com índice de carga S121 6,9% 45,1% Ia PWWQPI Vendas de produtos: 5° 15201352- Calçado de exterior, de j] “alla 6117 MIM-loss de Euros uso feminino, parte superior de couro natural 51,8% 35,5% r r r r | r 0% 20% 40% 60% 80% 100% Restantes Estados-Membros I Portugal I Principal produtor(excepto PT) Fonte: Eurostat Entre as cinco produções portuguesas com maior quota de produção na União Europeia, quatro foram de produtos relacionados com cortiça, nos quais Portugal detinha entre 71,6% e 84,8% do total do valor da venda de produtos na UE. Estes cinco produtos representaram, ainda assim, mercados relativamente pequenos, atingindo no máximo 195 milhões de euros (caso das outras obras de cortiça aglomerado) em 2013. Gráfico 1.3.3 » Produções portuguesas com maior quota de mercado na União Europeia (2013)3 Vendas de rodutos: 5 Milhões d: Euros IÉ P°"“9°' 1° 28492170 - Fieiras de abertura n n automatica para maquinas-ferramentas 953 / ' 417 Á' Vendas de produtos: 2° 16292380 - Outras obras de cortiça 195 Milhões de Euros ? Oftugil aglomerada: cilindros maciços, discos, wbos, blocos e Iadrilhos de qualquer 818% 153% fem-ato Vendas de produtos: 60 Milhões de Euros Portugal 3° 16292290 - Obras de cortiça natural, 791%, 20,9% discos e outras Vendas de produtos: 139 Milhões de Euros [É Portugal 4° 16292150 - Cortiça natural, sem a 72.2% 21,8% gosta ou simplesmente esquadriada Vendas de produtos: 77 Milhões de Euros Portugal 5° 16292400 - Cortiça aglomerada; 71.6% 28,4% outras obras de cortiça aglomerada, n. e. 0% 20% 40% 60% 80% 100% I Portugal Restantes Estados-Membros Fonte: Eurostat 3 Apenas foram, neste âmbito, consideradas atividades cujo valortotal da produção vendida na UE-28 fosse superior a um milhão de euros em 2013 «
  25. 25. 11:1
  26. 26. [INFORMAÇÃO DISPONÍVEL “ Para além da informação contida nesta publicação, é disponibilizado no portal das estatísticas oficiais - www. ine. pt - um conjunto de quadros com dados adicionais sobre a produção industrial de 2013. Adicionalmente, informação sobre as quantidades produzidas, vendidas e valor da produção vendida, encontra-se disponível no portal, através da seguinte ligação: Produtos produzidos, vendidos e valor das vendas na índústríagpor tipo de produtos (por CAE Rev.3)
  27. 27. Éíli
  28. 28. T- _ Y à_ i : à _ 1 a i e “ v t V' É d A *à* t t! ! L a: ' w . A › A . ., V V i- i AX, › i v É~ i f_ NOTA METODOLÓGICA E CONCEITOS “ i / › 'v _ 1 p' «
  29. 29. ?t1
  30. 30. « . NOTA METODOLÓGICA Os dados do IAPI 2012 foram revistos tendo em consideração a atualização de respostas por parte das empresas. 1. ENQUADRAMENTO O Inquérito Anual à Produção Industrial traduz uma integração completa da metodologia definida a nível comunitário, para as estatísticas da produção industrial, através do Regulamento (CEE) n9 3924/91, do Conselho, de 91.12.19 (Regulamento PRODCOM) e do Regulamento (CE) n9 912/2004, da Comissão, de 2004.04.29, nomeadamente no que respeita ao nível de cobertura da produção nacional, variáveis inquiridas e tipos de produção realizada. A metodologia constante nestes regulamentos foi adaptada à realidade industrial portuguesa, através da desagregação da lista de produtos da UE, com a adoção de sub-posições nacionais, consideradas indispensáveis para o adequado conhecimento da produção industrial do país. 2. METODOLOGIA O Inquérito Anual à Produção Industrial é um inquérito por amostragem. A amostra foi selecionada de acordo com os seguintes critérios: A. Empresas industriais (empresas classificadas na secção C e ainda as CAE 3511, 35210, 35301, 35302, 3831, 38321 e 38322) Componente exaustiva r VVN > 10Mê (valores do universo); r VVN > lMê, para as CAE 10510, 10611, 10613, 10830, 11021, 16100, 16290 e 17110, 19201, 29100 Componente não exaustiva 1. Ordenando as restantes empresas por ordem decrescente de VVN, selecionar em cada CAE: i. Mínimo de 5 empresas (se possível), sendo que no primeiro ano se considerou como mínimo 6 ou 7 empresas, dependendo do grau de representatividade; ii. Empresas que permitam atingir 15% do VVN, se peso da componente exaustiva 2 80%; iii. Empresas que permitam atingir 35% do VVN, se peso da componente exaustiva 2 60 e < 80%; iv. Empresas que permitam atingir 50% do VVN, se peso da componente exaustiva s 60. 2. Inclusão de empresas importantes ao nível da representatividade por produ- tos a 12 dígitos (análise anual e manual- lista de NPC); 3. Inclusão de empresas com VV do IAPI do ano anterior 2 10Mê. « : i4
  31. 31. B. Empresas não industriais Componente exaustiva 1. Venda de Produtos 2 SME e Custo Matérias Consumidas 2 2,5Mê (valores do universo), comuns com o IAPI do ano anterior; 2. Venda de Produtos 2 SME e Custo Matérias Consumidas 2 2,5Mê (valores do universo), não comuns com o IAPI do ano anterior; 3. Venda de Produtos do IAPI do ano anterior 2 2,5Mê. Os resultados para as restantes empresas, não contidas na amostra, são obtidos através da aplicação da estrutura das respostas por produtos, às empresas do Sistema de Contas Integradas das Empresas. Foram ainda utilizadas, no âmbito deste estudo, as seguintes medidas de concentração do mercado aplicadas às produções industriais. o Indicador discreto de concentração: Corresponde à quota de mercado (P: peso individual de cada empresa no total do agregado) detida pelas m maiores empre- sas: ? Im "' , para i=1,2,. .., m. No estudo utilizou-se m = 10, 50 e 100 o Índice de Herfindhal-Hirschman (HHI): é um dos indicadores clássicos de concen- tração setorial mais utilizados. É calculado a partir da participação das empresas no mercado em %, ou seja é obtido pela soma dos quadrados das quotas de mercado (P) de todas as empresas do sector: x En; 11ml_ 'í' , onde n representa o número de empresas do setor. No caso de um monopólio (em que 1 empresa tem 100% do mercado) o índice será dado por: Éhxlwl: = 10000 No âmbito deste estudo, considera-se que um índice inferior a 1000 indica seto- res pouco concentrados, entre 1000 e 1800, moderadamente concentrados e acima de 1800 altamente concentrados. Faz-se notar ainda que, em virtude dos arredondamentos efetuados, os totais podem não corresponder E exatamente à soma das parcelas. » í Estatísticas da Produção Industrial 2013
  32. 32. « . CONCEITOS EMPRESA - Entidadejurídica (pessoa singular ou coletiva) correspondente a uma unidade organizacional de produção de bens e serviços, usufruindo de uma certa autonomia de decisão, nomeadamente quanto à afetação dos seus recursos correntes. Uma empresa exerce uma ou várias atividades, num ou vários locais. PRODUTOS - A lista de produtos e as respetivas unidades de referência, correspondem à Versão Portuguesa - ajustada - da lista PRODCOM anexa ao Regulamento da UE n9 3924/91 de 19/12. QUANTIDADE PRODUZIDA DE PRODUTOS FABRICADOS -Todos os produtos produzidos, passíveis de serem utilizados na fabricação de outros produtos comercializáveis, embora possam ser vendidos nesse estado, com matérias-primas adquiridas pela própria empresa. Notas: Incluem-se também os produtos produzidos por outras empresas (nacionais ou estrangeiras), com matérias fornecidas pela empresa inquirida. QUANTIDADE DE PRODUTOS VENDIDOS - Todos os produtos acabados, intermédios e/ ou subprodutos e desperdícios vendidos pela unidade de observação económica durante o período de referência, incluindo as vendas de produtos eventualmente em existência e excluindo as transações de mercadorias (produtos comprados para venda sem terem sofrido qualquer transformação). VENDA DE PRODUTOS - Montante resultante da venda de todos os produtos durante o período de referência. Nota: O cálculo é feito com base no preço de venda à saída da fábrica, incluindo todos os impostos e subsídios correntes de exploração e os custos de embalagem e excluindo o IVA e outros impostos de consumo, os custos de transporte faturados à parte ou os descontos concedidos aos clientes. Os produtos vendidos integram os produtos fabricados com matérias-primas adquiridas pela própria empresa e os que tenham sido mandados fabricar a terceiros, com matéria-prima fornecida pela empresa inquirida e excluem os produtos fabricados por conta de terceiros e com matérias- primas fornecidas pelos mesmos. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS INDUSTRIAIS - Montante faturado com os trabalhos de natureza industrial, realizados com matérias-primas pertencentes a terceiros, mediante contrato ou comissão (cf. Conta POC 72). « : I:
  33. 33. u. gl)
  34. 34. Í 1 'à j* É VÕ/ _// [INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO 1 «
  35. 35. « 2013 W I lmwuvuvn N-¡Innnqau n: IuIuHwv-Iza u» um . . Il s. . IAPI - Inquérito Anual à Produção Industrial Rereróncla ooo amoo: 2013 Canna: Dara 'emma e e. : argument u: 3.103:: INE - DEPARTAMENTO DE RECOLHA DE lh= C=MAd0 : err ; o Je Inauertc: panxntcmencn *cria Nuceo a: Ra: : 'a oe ; Luca E Av Amam: .oie ue Ame-zu 1333-04: w. =oA Tel 21544! 42s c : n : asus 35s- ~ em: : Isnlãvnem - JMâDIn InaUaae-rsntee I Iuentmc . - a: unidade eatauatlca *iJrTErDGê oemmwrsca? INIF: | | | | | Homepage Dêslçuçâo soou D : moinho Mui-lapa : rue-aço Locslaaoe T9673"? l : :unção na annaaoe Atuamos ami-once ; nr-upar : CAE Rev. 3: ( | | l Açu-ua II' Iuo oe aim-me Em : :maos AIIHGBOE SLSDEOSE em I' Anwaaoeezessaan f i ownuagmwa-elevnempenmooemmenuaoosdaoas* N' 'P955 OE SÍHIUSÉ FO 920%! ) de TEYQÉFCB . . . .. . Wuqwwa l . .t Iza este maço para nculr : gestões ¡nuncações refeentes a sua resposta c-. I curas observações que ¡ugue aomenertes. N E98 I flãâVâl ! IO ÍÊBHÇIIITIGHÍD *uma matado Telefore Furgão ÂSSÍFJÍLÉ
  36. 36. ![01 Detimação 11s CAE: Produção de areas s gorduras mirmis oruios A0050' CAE: 10411 NPC: ANO: 2013 Pág. : sirrrsçao penme s aiviusos: A0100 Ereroos Não exaciua osnrrrsvorrrsme [j Não exercida isrrrporarisrrrsrns E Observações: 110200 PRODUTO UNID. 1200100 QUANHDADES 91200021013 QUANTIDADES VENDlDAS "nâzzffms Observnçõec PD IM P021!! ?DMD P050) P060!) P07!” P070! srssrrrrs solar, óleo as oarrrra de porco, úleo-eslnaiila, óIeo-rmrgsina s óleo oeseoomâouvulsrmodosnmmsmaoosmemprcparmosdeoimonoao kg 1041111000011 | _] I I I | _] I I [_[ __| (imune e óleos (e suas frações) de names ou oe numiluus marinhos, não qurrnrcsrrrsrrts moamosoos 11g 104111200000 I I I | _] I I __| (X1135 QOTÚIS e Hà IHIIVHIS (e SJSSWQÀLOCS), n30 QUINICMEVÉ rroerrioaoos 11g 1041119110000 promos, n. e. Por favor mmmine os prinapals. nos linhas ssgirrnres em orarioo_ mesmo os rsspsrrvss urrrososs de Inedlda quarroooou prormraos, quarlmaies vsrroross e vab( de . ema, 1041 19900000 | | | I | | | l | I l l I | _J | | | l_l | _l IJ _l VALOR (Emos) VALOR TOTAL DE vaioAs posou 104119110000 ¡ ParuoMenaooNaomal Poeoi 1041191210000 _J PuaaUriãoEuopem 90002 1041191300110 | Para Paim Torneios »caca 1041191400011 | SERVIÇOS INDUSTRIAIS PRESTADOS NAATIVIDADE (cf. SNC coma 72) ? D000 1041191530000 Dosrsrsrszasmrrrsrrusrossuooorrirarsçáorissrrvrosos P000! 1041191 | -ororairsrsroseapsrrosooscoorgosremmsaossmzsro 01050 CAEJMH NPC: ANO: 2013 Pág' MATÉRIASPRIMAS UNID. CÓDIGO ouMmDAoEs 0011501111015 0111111131059 COMPRADAS V^'-°“¡'êf_r$"“^5 Observações M0100 ! M200 MEN M3541) ¡DMX! M3700 M1701 Touonm e outra: 90101100 de suirros_ não mmraos, irssrm, refñgeradm, congeladas, ssigooss. srrr ssirrroura ou macias (inclui ooursnos) 11g 101105040005 Damn e owaa gerar-as (sxs mauro) os suínos, bovinos, (Win09 ou caprinos, emormooururuoas 11g 1011050005105 | |_] | _ | _ 'Miuoezas as minas. sm bruxo, nao oomestvves (mui rimas, bexiga, viramos_ sem comeúdo gásmoo_ ossos, arirss, casam, oeroos_ penas e owns oesperuiaos) 11g 1011060000115 [ | | | _] | _] oorornsossvssaomssuoss 11g 101203000000 | | | Fígsorsovssssansnososrxsmesoosairerrrgsrsoos 11g 1021101200000 Peixes frescos ou refrigemoos. de água 0000 e de 9011001010 kg 03030201005 60360000 e marine messi 11g 1920021100000 | | Água mover m* 3410011100000 | __ | __ outras rrransnss minas n. e. Porrovor asoirrrns a mimos_ nos limas segnmes em branco, .mermo ss rsspsavas midaassosnrsdiasgusrrtrosossmnprsdassvsioroewnpvas 1041199543000 . _____L___I Mmsrussrosrasrias 1041199151000 | Ferrsrrmrmsutsrisiirososmgasrsránuo 1114119962000 | __ Mmenaldemsucnáoeveparaçâo 10411996301!) caixosasoaoeiouomàocaneooos n” 1721113011000 | | | csixss s osnorrsgsre ddxáveis 1111001 smosnsrss), as paper ou carvão, não oonsrooos m 1721214410000 | _J | _ 'Drmaserrbalagem de paper ou m1ao, ne, _ndu capas psraarsons (exoeh caixas os paus¡ ou senão, ansioso s caixas s oatoriagens dohniveis os papsi ou cenouras oamladoluanonagem para ssorirorrosiops s esiabdecimenlr: 11g 1721215110000 Sacos oeauásquerámensões, bolsos e oamuchosoepolhaausoe etileno (indu ssoos as iram kg 22201100000 » |2013
  37. 37. « CAE1M11 NPC: ANO: 2113 MATÉRIAS-PRIME 01110. CÓD| G0 QUANTDADES corisuuiims mmmmes COMPRADAS "N-m Otnuvnções M0100 010200 M0300 010500 140000 M0700 010701 Saoosdequásaiaadmatsões. miusecamnmdeoimnspiásamsiexem deetienol 10¡ 22201200000 | l | | l l | _|_| Outros produce para emñlaaem, de materias plasticas (exe, sacos, caixas. caixas, engarlados, çrrañes, gairaras e 1mm). indu¡ bobinas, narretàs e dsposnivosdesnnaioaatecnurecpanesesartdhules kg 22201900000 | _L_] I I I | _|_| LmanEtsroounçoIigàmsdeupacidnm<5OL n' 2592011111000 | _j_j [_[_[ [_[ | _|_| 000-as errbalagem n. e. 1041191770000 Lu | l | | | | | _|_| roruoscolrnnsneunràtmsmimssuesnimnssnsaauma¡ 140000 1041195100011 LL] Do Mando Nndorni 140001 104119520000 D¡ União Euopein 010002 1041195311000 | _|_| bePaísesTaearoo M303 10411954W00 AMSO CAE: 10411 NPC? ANO: 2013 5 rorrres EIERGÉTICAS 01110. 1300100 QUANTIDADES CONSUMIDAS VAL°RÊÍÊTSUM° F0100 FO200 F0300 FOSM F07 00 FO70| Hulha t 102001000100 | | l | Coque | 101001000000 | | l | Outros combustíveis sólidos, n. e.(residuos industriais sólidos não renováveis) 104110011000 | Fuel-óleo t 1172002000000 | | l | Gasóleo KL 102002000000 | | | | Gasolina KL 102002100000 | | l | Petróleo KL 0191001000000 | | l | Omros oombusüveis líquidos. n. e. (derivados de pekóleos) 104110021000 | Propano e butam ¡quefeitos t 1020011100000 | | l | Aoetileno | 201441100100 | | l | Hidrogénio | 201101150000 | | l | Gás natural m3 1102001000000 I I I I Gás derivado m3 352101000000 Vapor associado á prodição de eletricidade t 1153011100400 _LL J Outros combustíveis gasosos, n. e. (derivados de petróleo) 104110031000 | Elehicidade 10=11wn :151101000000 | | | | Eletricidade, adquirida ã rede 10°i1Vvn 3511010000011 Eletricidade, de produção própria 10°l1Wt1 351101000007 | | l Eletricidade. adquirida a particulares 103m1. 351101000000 | | I | Calor 3530111001100 Fontes de energia renováveis (a) 0120011000000 ____ Carvão vegetal t 201421200000 I I l I Lenha l 022001400000 | | [ | Lenha. de produção própria l 022001400007 _l Briquetes. pellets e aglomerados t 1172001000200 TOTAL DE ENERGIA CONSUIMDA FOGO! ! 1041100411000 I (a) Inclui resumos solidos urbanos, biomassa e outras energias raiovâveis
  38. 38. msTRuooEsEsPEcncAs igmnopnsegiciiiivlawrgoo IAPLINQUERHOANUALA - - o o ~ 4111305111011. 10411 Produçãodeóleosegorúrasalimaisbtmos Devem responder a este inquérito todas as empresas cuja atividade compreende a produção de óleos e de gorduras não comestíveis de peixes, mamíferos mari- nhos e de outros animais. A este inquérito não deva¡ rsspcndsr empresas cuja atividade compreende apenas fusão, refinacao de gorduras animais, assim como a refinação de óleos e gorduras. Pontes energéticas¡ No consumo do gasóleo e da gasolina, deve-se excluir o consumia de veículos de transporte utilizados no âmbito da atividade admi- nistrativa e comercial da empresa. matérias primas¡ são bens que se destinam a serem incorporados diretamen- te no fabrico de um determinado produto. matérias sixbsidiirinsn são bens que sem se incorporar-em diretamente num¡ determinado produto, concorrem direta ou indiretamente para a sua produção. Quantidades coqrmdaa¡ inclui-se nesta rubrica, as campras de matérias primas, subsidiárias e de embalagens efetuadas durante o ano civil a que res- peita o inquérito, pela Unidade de Atividade Económica (UAE) . ou pela surpresa e, que se destinam a serem utilizadas na fabricação de produtos desta ativi- dade. A valorização das compras deve ser feita a preços de aquisição, excluindo o IVA dedutível. » í Estatísticas da Produção | ndustria| |2013
  39. 39. « INSTRU ES GEN RICAS DE PREENCHIMENTO Unidade monetária: - Os mpressos foram elaborados porlorrna a perrn tir o registo informático da Wormação. Inscreva apenas (1) agarlsmo em cada posção: Exemplozlü2943ôâ Inscrever 1 9 2 Q 4 3 5 8 - Os valores ntonetármos devem serexpressos em euros sem ndica' os cêntimos; - Os arredondamentos devem serie tos por excesso uando os cêntimos forem ¡guas ou superiores a 5D e por deFelto quando íorem nfenores Exemplo : 6370.65 euros Inscrever 6 3 7 1 NOTAS EXPLICATNAS Os espaços sombreados des: 'tam-se à dassñcação ou codfcação a efetuar pelos Serviços do INE. Não esaeva nesses espaços, O preenchimento deve ser efetuado em letra bem legível ou à maquina. Para facrlitarcorxtactos posteriores. ou eventua s pedidos de esdarecmento sobre a informação prestada, porfavor guarde uma cópia da sua resposta, EQUNALENCIAS - PRODUTOS. MATÉRIAS PRIMAS E FONTES ENERGÉTDCAS Enoonttam-se disponíveis no endereço mtgJ/ webingjnegt em Downloads. as tabelas de equivaêncsas de produtos. matérias primas e fontes energéticas cujos códigos sofreram alterações para o ano de referência IJTIUZE OS SEGUINTES CONCEITOS E DEFINIÇÕES: EMPRESA - Toda a organização deñnidajuric' camente. com balanço próprio. submetida a uma d -eção que tanto pode ser uma entidade juríd ca como uma entidade flsica. e consumida com o ñm de exercer, num ou em vários locas, uma ou vánas atividades de produção de bens e serwços. PRODUTOS (designações e ur dades de referência) - A lista de produtos apresentada e as respetivas unidades de referência. correspondem à Versão Portuguesa - ajusuda - da lista PRODCOM anexa ao Regulamento comu» tino n' 3924/91. QUANTDADES PRODUZlDAS - Produtos fabricados (todos os produtos produzidos durante o ano de referêncla do inquérto. passíveis de serem utilizados na fabricação de outros produtos ou vendidos nesse esudo) com matérias prmas próprias. Irldu¡ também os produtos produzidos por outras empresas (nacionais ou estrangeiras). com matéria prmas lorneoidas pela V! empresa. _ › _ 1. Ouanbdades produzrdas de oonta-pmpna - so deve Incluir os produtos produzvdos na empresa com matenas pnmas proprias. I) Quant dades produzidas para rntraconsumo - só deve Indunr os produtos produzidos na empresa Integrados noutra fase do processo produtvo da mesma empresa, numa Unidade de Ativdade Económica dferervte ou não daquela em que são produzidas . _) Quantidades produzidas para venda nesse estado - só deve rtcluir os produtos produzidos na empresa durante o ano. destnados a serem tzomercsados, 2. Ouanudades produzidas por coma alheia - só deve nclu ' aqueles produtos que tenham sido produzidos por conta de empresas que entregaram as maténas primas necessánas ã sua produção. QUANTIJADES VENDIDAS - Nas quantidades vend das oonsnderamose todos os produtos acabados e ntermédios e/ ou subprodutos e desperdícios. vendidos durante o ano_ indu indo vendas de produtos eventualmente em existência. mas excà. 'tdo as transações efetuadas sobre produtos comprados para venda sem que tenham sofndo quaquer tmnsfonnação (nneroaoorias). VALOR DAS VEJDAS › Corresponde ao valor de todos os produtos vendidos durante o ano - valor da produção cornerualizada (cf. SNC contas 712, 713. 717 e 71a). A vabnzação dos produtos é eFetuada com base no preço de venda a saída da fábrica. incâuindo todos os impostos e scbsídios correntes de exploração. Este valor abrange também os wstos de embalagem, mesmo que estes sejam faturados à parte. Não deve. contudo, incluir o NA e outros mpostos de consumo faturados. os custos de transporte faturados a pane. nem os descontos concedidos aos dentes. No caso de aluguerde produtos acabados - e também de 'leasing' - (por exemplo, equipamento informâtco e telefónico, máquinas de lavar. ou outros) deve ser indicado o valor estimado da reoeta atngível por esse produto no mercado. Nos produtos vendidos ncâuem-se: - Os fabncados com matérias prmas próprias. - Os que tenham sido mandados fabricar a terceiros. com matéria prima fomecida. para o eteito, pela enlpresa. Nos produtos vendidos excluem-se: - os produtos fataricados. por conta de teroe ros. com matérias prmas por eles fornecidas. TRABALHO POR ENCOMENDA - E todo aquele em que se transforma ou trabaña material lomecâdo (sem faturação) pelo cliente, Este trabalho (em quantidades) deve ser declarado pelo executante nas nbncas 'porcoma alheia'. O valor a reporta' deve ser insano nas rubncas 'serviços industna s prestados' e 'rendimentos de slboontratação' e corresponde ao valor pago pelo dlente. independentemente da sua origem lnaoíona' ou estrangeira), Cliente e exeoutante @m de ser empresas dferentes; não é considerado o trabalho por encomenda entre dferennes UHVÚBÓES da mesma empresa. REN DIMENTOS DE SUBCONTRATAÇÃO- Reno 'nentos da empresa. em contrapart da de bens e serviços ndustriais fomecldos no âmbíto de uma relação de subcontratação. VALOR DOS SERVlÇOS INDUSTRIAIS PRESTADOS A TERCEIROS - Resperta ao montante faturado com os trabaños de nattreza industrial, realmados com maténas primas pertencentes a terceiros, medante contrato ou comissão, na ativ dade inqumda (cf, SNC conta 72). TOTAL DE COMPRAS DE MATÉRIAS PRIMAS. SUBSlDlARIAS E DE EMBMAGENS- indu -se nesta rubrica o valor das compras de matérias primas. strbsudlárías e de embalagens efetuadas durarte o ano ow l a que respeita o inquérito. por cada Unidade de Atmdade Económica da empresa e que se destinam a ser ut Ilzados na fabricação de produtos dessa atvidade. A nbnca embalagens compreende os objetos envolventes ou recipcentes dos produtos, indispensáveis ao seu aoondmimamento e trartsação. que se destinam a ser fatxados embora possam ser suscetíveis de devolução. A valonzação é feita a preços de aquisição, exclu 'tdo o IVA dedutível.

×