Quando eu não te tinha  Amava a Natureza como um monge calmo a Cristo.  QUANDO EU
Agora amo a Natureza  Como um monge calmo à Virgem Maria,  Religiosamente, a meu modo, como dantes,  Mas de outra maneira ...
Vejo melhor os rios quando vou contigo  Pelos campos até à beira dos rios;
Sentado a teu lado reparando nas nuvens  Reparo nelas melhor —
Tu não me tiraste a Natureza ...  Tu mudaste a Natureza ...
Trouxeste-me a Natureza para o pé de mim,  Por tu existires vejo-a melhor, mas a mesma,
Por tu me amares, amo-a do mesmo modo, mas mais,  Por tu me escolheres para te ter e te amar,
Os meus olhos fitaram-na mais demoradamente  Sobre todas as cousas.
Não me arrependo do que fui outrora  Porque ainda o sou.
FORMATAÇÃO: CLAUDIA MADEIRA CLAUDIA’SLIDES:  http://www.corepoesia.com   TEXTO: FERNANDO PESSOA IMAGENS: INTERNET SOM: “CL...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Quando Eu

441 visualizações

Publicada em

DE FERNADO PESSOA

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
441
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Quando Eu

  1. 1. Quando eu não te tinha Amava a Natureza como um monge calmo a Cristo. QUANDO EU
  2. 2. Agora amo a Natureza Como um monge calmo à Virgem Maria, Religiosamente, a meu modo, como dantes, Mas de outra maneira mais comovida e próxima ...
  3. 3. Vejo melhor os rios quando vou contigo Pelos campos até à beira dos rios;
  4. 4. Sentado a teu lado reparando nas nuvens Reparo nelas melhor —
  5. 5. Tu não me tiraste a Natureza ... Tu mudaste a Natureza ...
  6. 6. Trouxeste-me a Natureza para o pé de mim, Por tu existires vejo-a melhor, mas a mesma,
  7. 7. Por tu me amares, amo-a do mesmo modo, mas mais, Por tu me escolheres para te ter e te amar,
  8. 8. Os meus olhos fitaram-na mais demoradamente Sobre todas as cousas.
  9. 9. Não me arrependo do que fui outrora Porque ainda o sou.
  10. 10. FORMATAÇÃO: CLAUDIA MADEIRA CLAUDIA’SLIDES: http://www.corepoesia.com TEXTO: FERNANDO PESSOA IMAGENS: INTERNET SOM: “CLAIR DE LUNE” DE DEBUSSY

×