Mythological A Divina Guerra Do Peloponeso

602 visualizações

Publicada em

Uma história para vencer o Concurso OFF 008!

Publicada em: Educação, Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
602
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mythological A Divina Guerra Do Peloponeso

  1. 1. Mythological A divina guerra do Peloponeso Grécia Antiga – 423 a.C., de manhã. 사람들이 좋은 아이디어를 포기하지 마세요 들어 , 평화 , 그의 삶의 마지막에 될 것입니다 Essas são palavras – ou símbolos – que nunca esquecerei... Hum... Ainda me lembro do primeiro sonho que tive com eles... Numa mescla de fogo e trevas, uma paisagem destruída aparece diante de seus olhos. Um garoto de cabelos castanhos escuros estava correndo assustado com seus olhos refletindo a dor que via. Uma passagem fechada dizeres em símbolos estranhos... 사람들이 좋은 아이디어를 포기하지 마세요 들어 , 평화 , 그의 삶의 마지막에 될 것입니다 Esse primeiro sonho foi mesmo bizarro e assustador... Mas não foi o último... Foram tantos que eu fui conferir o que os profetas diziam, mas não adiantou. Eles só me disseram que eram palavras de uma língua que ainda não existe. Kareinano, Korenianum... Não me lembro ao certo. Mas mesmo entre tantos sonhos, um se destacou... *Ofegando* O mesmo garoto de antes, correndo para algum lugar sem saber por que é notado. Ele está olhando para trás e depois para frente, talvez por que alguém o esteja seguindo. Ele olha mais uma vez para trás, mas quando se volta para a frente é surpreendido por alguém! É uma mulher usando um capuz. O garoto cai para trás e aparecem mais dessas pessoas com capuzes. De repente, é possível ver apenas um mar de mãos tentando agarrá- lo. Repentinamente, uma luz forte, cor de ouro velho, aparece do nada! As pessoas encapuzadas somem sem deixar rastros, mas um imagem aparece à frente: Um homem: Arrghhhhh!!!! A PESTE! A PESTEEEEE!!!!
  2. 2. Garoto: O que? Não! Não morra agora! Nãããão!!! Dessa vez eu tive uma visão de... De me*Interrompido*... O garoto é tirado de seus pensamentos por uma cotovelada forte em seu peito. Atleta escolar: Acorda, Ecleu! Sai da pista! :mad: Ecleu: Me desculpe, Hector, terei mais cuidado da próxima vez... Hector: Espero mesmo! Se eu não ganhar por sua causa, você apanha! Hum... Bem, como eu estava pensando, tive uma visão de... Não gosto de falar no assunto... Meu pai morreu na guerra do Peloponeso há 7 anos... Ainda bem que estamos em paz... Ecleu caminha até a entrada de sua escola, minutos depois, chega em sua sala e se senta, aguardando a chegada do professor. Uma garota: Oi, Ecleu! Ecleu: Oi, Melinda, conseguiu chegar primeiro que eu hoje, né? Melinda: Sim, hahaha! Ecleu: ¬¬ Isso foi só porque o Hector me atrasou, do contrário teria ganhado. Você é muito lerda... Professor: Sentem-se. Melinda – Falando baixo: Veremos isso amanhã, Ecleu! Algumas horas mais tarde, Ecleu já está quase em casa. Sua irmã o vê de longe e o cumprimenta: Irmã de Ecleu: Bom dia, Ecleu. Ecleu: Olá, abnara, mãe está em casa? Abnara: Está sim, por quê? Ecleu: Por nada, é que quero almoçar, depois vou cochilar um pouco... Abnara: Ok, vou chamá-la.
  3. 3. Ecleu: Não, tudo bem, deixa que eu chame... Após almoçar com sua mãe e sua irmã, Ecleu, como prometido, vai para seu quarto para uma sesta. Ecleu – Deitando: *Se espreguiçando* Ahh... É sempre bom cochilar depois do almoço... Minutos depois... Ecleu – Sentando na cama bruscamente: Ahhh! *Ofegante* Droga! Mais um daqueles sonhos... Anos depois, Grécia Antiga – 415 a.C. 사람들이 좋은 아이디어를 포기하지 마세요 들어 , 평화 , 그의 삶의 마지막에 될 것입니다 Eu ainda não consegui me livrar daqueles sonhos... Na verdade, eles estão mais frequentes e piores! Agora envolvem até deuses! Desde que eu me mudei para Atenas participando da guerra do Peloponeso como meu pai, tendo tido até alucinações! Uma vez vi soldados morrendo, soldados de Esparta e de Tebas, minha cidade natal! Como eu queria ter continuado lá... Mas o pior não é isso, o pior é: Nos meus novos sonhos, os deuses me dizem que meus sonhos estão prestes a se realizar. Mas que sonhos? Meus desejos ou meus pesadelos? Bom, adeus, meus pensamentos, tenho que entrar em uma batalha agora, nem sei se volto dela... General: Ecleu, avante, seu soldado estúpido! Ecleu: Me desculpe, General Icário, estou indo! Ecleu então entra numa chuva de flechas, lanças, e tudo mais que se pode imaginar! Espadas por todos os lados, rios de sangue se formando e a dor de ver seus companheiros morrendo diante de seus olhos! Depois de horas no sofrimento de uma sangrenta batalha de uma dolorosa guerra, os Espartanos saem vitoriosos. Ao menos... Dessa batalha... Ecleu, um dos sobreviventes, olha para os lados e vê o número de mortos e feridos. São milhares! Quando olha para trás, vê centenas de feridos e corpos atravessados
  4. 4. por lâminas; ao olhar para a frente, vê milhares de inimigos e até seus companheiros. Todos mortos... Ele decide andar um pouco e sair daquele local. Após minutos de uma silenciosa caminhada por entre as sombras da agonia de uma guerra, ele nota que está sendo seguido. Ecleu – Olhando para trás e ficando totalmente assustado: Ahn? “Deus!”, ele pensa. “É a mulher que vi em um dos meus sonhos... Droga! Bem que falaram que eles iriam se realizar!”. Ecleu larga seu escudo e metade de sua ombreira tombaleante e corre o mais rápido possível. Ele joga seu capacete contra a mulher, que o defende sem problemas! Ele olha para trás e nota que ela não está mais lá, mas ao olhar para frente mais uma vez, vê uma luz ofuscante e azul, que o leva para outro local. Ao olhar onde está, vê uma mulher gigante, com roupas de soldado. Atena: Olá, Ecleu... Ecleu: A-A-Atena? Atena: Exatamente... Você parece saber sobre deuses. Bom, sabe que não estamos satisfeitos? Ecleu: Com o quê? Atena: Com a guerra civil! Ela deve acabar agora! Gregos devem dominar outras terras, não as próprias! Ecleu: E como quer que eu acabe com a guerra? Atena: Simples, Ecleu... Dê-me... Seu corpo! Ecleu: O quê!? Atena se curva para pegá-lo, mas é surpreendida por Prometeu e Apolo, que a fazem cair no chão. Ecleu então nota que não há chão! Ele está numa plataforma e parece que está no nada... Ecleu: O que está acontecendo?
  5. 5. Apolo: Atena quer guerrear contra outros Impérios, mas poderia matar por isso! Ela e mais Ártemis, Hefesto e Afrodite, querem que a guerra termine em desastre, para que as guerras civis sejam evitadas! Ecleu: Mas isso mataria milhares! Prometeu: Exato, por isso, tome *Dá um tipo de luz estranha para Ecleu*, você e seu companheiro podem resolver as coisas agora! Ecleu: O que é isso? E que companheiro? Apolo: Não há tempo para perguntas, vá, agora! *Manda Ecleu de volta para a Terra* Ecleu, ao acordar, vê que um jovem de mais ou menos 23 anos – 3 anos mais jovem que ele – o está esperando. Ecleu: Quem é você: Jovem: Meu nome é Apolodoro, e fui enviado por Apolo. Ecleu: Ah! Sim. Pode me explicar mais as coisas? Apolodoro: Com prazer... Atena, Hefesto e Ártemis colocaram seus poderes em corpos humanos, cujo objetivo é causar destruição como soldados na guerra. Apolo mandou seus poderes a mim e Prometeu a você. Nós devemos impedi-los! Ecleu: E os outros deuses? Apolodoro: Eles... Ártemis, Atena e Hefesto os pegaram de surpresa... Eles estão presos! Ecleu: E como impediremos isso? E como você sabe disso? Apolodoro: Err... Parte dos poderes de Apolo é a clarividência, por isso ele não necessitou explicar. Impediremos isso se conseguirmos pegar esses três em menos de 30 horas. Ecleu: Por que pegar esses três faria isso? E por que 30 horas? Apolodoro: Pegar os três – sem matá-los, apenas prendê-los com nossos poderes – faria com que os poderes de Atena, Ártemis e Hefesto ficassem presos nos corpos, que puxariam o resto da energia deles, assim, fácil para que os outros deuses os vençam e os libertem. Mas cuidado: Temos que aprisioná-los todos juntos, ou não dará certo! E 30 horas é... Bem, o tempo estimado para que o Olimpo seja destruído numa batalha entre os 5, se ele for destruído, acaba com a vida na Grécia!
  6. 6. Ecleu: Então vamos logo, o que estamos esperando? Apolodoro: Você poder se mecher... Ecleu: O quê!? Apolodoro: Aquela mulher o pegou, se eu não a tivesse afugentado, você estaria morto. Um homem: Olá, jovens aventureiros, seu amigo já acordou? Apolodoro: Sim, Praxedes, obrigado pela ajuda. Ecleu: Quem é esse cara? Praxedes: Sou o dono do hotel onde estão, primo de Apolodoro. Ecleu: Mas espera aí! Se eu desmaiei... Quanto tempo ainda temos? Apolodoro: 18 horas... Ecleu – Saltando da cama: Então vamos logo, temos apenas 6 horas para achar e capturar cada um! *Metade do hotel explode* Um jovem: Creio que posso te poupar do primeiro trabalho! Apolodoro – Vendo Praxedes todo ensanguentado e caído no chão: Praxedes, meu primo! Rrrrrr... Vocês pagarão por isso! Uma luz ainda mais forte do que antes re-figura o cenário totalmente! Eles de repente se vêm em meio a uma grande batalha... Grécia Antiga – 430 a.C. Soldado: General Alcídes, as tropas Atenienses estão atacando! Alcídes: Hehe... Ótimo! Tudo conforme meu plano... Ecleu – Ouvindo e pensando: General Alcídes? Mas esse é... Meu pai! Eu voltei no tempo? Apolodoro – Sendo atacado: Ecleu, me ajude! Ecleu: Estou indo!
  7. 7. Soldado Ateniense: Não se eu evitar! Ecleu – Pensando: Droga, eles acham que sou espartano! O jovem de antes: E terá que passar pelo Ifigênio aqui também! Ecleu: Droga! A mulher que perseguira Ecleu: Perséia, segure-o! Perséia – Segurando Apolodoro: Não dá, Ísis, mas espanque esse garoto aqui, Ifigênio cuida do outro! Ísis: Com prazer! Ecleu – Se voltando contra Ísis: Não vai, não! Ecleu, por impulso, acaba lançando seu poder contra Ísis e Perséia. Ele lança uma rajada de fogo concentrada nas duas, assim como Prometeu levou o fogo à humanidade. Ambas caem e são capturadas por soldados espartanos. Ecleu é então atingido por um soco na nuca, e cai desnorteado! Apolodoro: Não, Ecleu!!! Apolodoro faz suas mãos luminosas e atira setas de luz contra os atenienses, assim como o Sol dardeja ao longe seus raios! As setas atingem também Ifigênio, que também cai. Ísis – Jogando sua lança contra Apolodoro: Rrrruargh!!! Apolodoro tem tempo apenas de se virar, sendo atingido no coração pela lâmina! Ecleu – Vendo o ocorrido: Apolodoro! Rrrraaaaargh!!! Ecleu, de alguma forma expele sua raiva contra todos os lados. Tudo que sentira em seus sonhos tornaria realidade, quando sua fúria tomou conta de seu corpo e a dor correu pelas planícies de sangue e ossos! Os poderes de todos se voltaram contra os Deuses. Apolo e Prometeu venceram a batalha, mas diferente do que queriam, deixaram muitas sequelas... Grécia Antiga – 403 a.C.
  8. 8. Finalmente a paz se estabeleceu. Eu sei que matei meu pai... Fui eu que provoquei a Peste do Egito, afinal... Bom, pelo menos a paz retornou... E eu sei o que significam aqueles dizeres, afinal... “Não dê às pessoas uma ‘boa’ idéia para a paz, será o fim de sua vida...”

×