Elgar Rosa, "Desconforto em Relações Públicas"

238 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Elgar Rosa, "Desconforto em Relações Públicas"

  1. 1. DESCONFORTO EMRELAÇÕES PÚBLICAS CCP – 22 de Fevereiro de 2013 elgar.rosa@gmail.com
  2. 2. VIPs +As relações públicas vivem reféns de preconceitos que as categorizam num de doismundos: o da influência, do lobby e do imaginário dos spin doctors; e o dos eventos(festas?) no qual a equação VIPs+Festa parece ser suficiente para se chamar a isso uma“estratégia de relações públicas”.
  3. 3. Na realidade este é apenas um dos desconfortos das relações públicas. Como também o éa crua avaliação de uma notícia com base em tabelas de publicidade ou a eternadependência da interpretação jornalística na perceção do que é uma boa ou má estratégiade relações públicas.São os nossos desconfortos, como todas as áreas os têm.Estes não são, no entanto, os desconfortos que queremos abordar no âmbito das Noitesdo Desconforto do CCP. Servem, isso sim, para relembrar que a nossa área, mais do queproduzir notícias ou envolver VIPs com marcas, gerem sobretudo:
  4. 4. REPUTAÇÃO
  5. 5. Isto quer dizer que tão rapidamente estamos a apoiar o marketing no lançamento de umproduto, como no minuto a seguir a evitar perdas irreparáveis na imagem das empresasque os detêm, por causa de uma crise mal gerida.
  6. 6. Mas, tendo em conta que o convite me foi feito pelo CCP, aproveito para explorar umarelação que, se não é, devia ser motivo de desconforto para a área na qual trabalho:
  7. 7. CRIATIVIDADE EMRELAÇÕES PÚBLICAS
  8. 8. À partida nenhum de nós duvida que as relações públicas são uma atividade criativa. E averdade é que o são. Mas somos péssimos a mostrá-lo. E se passarmos do “à partida”para o “lembra-te lá de uma campanha de relações públicas criativa”, poucos se vãorecordar.Não se trata de uma questão de eficácia ou de credibilidade do trabalho de relaçõespúblicas. Esse é inquestionável. Trata-se de uma questão de afirmação como indústriacriativa, que inequivocamente também somos.Haverá seguramente quem discorde e quem considere que está tudo bem nesta relação.Vamos então analisar os principais eventos que premeiam a criatividade, tanto nacionalcomo internacionalmente.Quem conquistou os prémios na categoria de relações públicas?
  9. 9. Prémios Criatividade Meios e PublicidadeOURO: PT BluestationAgencia: MSTF Partners + WHO
  10. 10. Eurobest 2012 – Grand PrixRomanians are SmartAgencia: BV McCann Erickson, Bucharest
  11. 11. Eurobest 2011 – Grand PrixSwitzerland Tourism: "Holidays without Internet“Agencia: Spillmann Felser Leo Burnett
  12. 12. 2012 PR LionsBanco Popular de Puerto Rico,‘The Most Popular Song’Agency: JWT Puerto Rico2011 PR LionsNational Australia Bank, Break Up‘Agency: CLEMENGER BBDO MELBOURNE,AUSTRALIA
  13. 13. CRIATIVIDADE EM RELAÇÕES PÚBLICASFica para mim clara a pertinência desta discussão, liderada pelo CCP. Se por um lado osprincipais eventos que premeiam a criatividade não hesitam em incluir categorias derelações públicas, por outro estas são arrecadadas por agências… que não são de relaçõespúblicas.
  14. 14. E é isto!Além da afirmação das relações públicas enquanto indústria criativa, pretendemoscontribuir para que surjam mais profissionais desta área nesta orgia criativa que é o CCP.
  15. 15. DESCONFORTO EMRELAÇÕES PÚBLICAS CCP – 22 de Fevereiro de 2013 Elgar Rosa

×