Auto retrato

640 visualizações

Publicada em

Auto retrato com a iluminação de Bert Stern.

Publicada em: Estilo de vida, Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
640
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auto retrato

  1. 2. <ul><li>PROFESSOR FERNANDO PIRES </li></ul><ul><li>ILUMINAÇÃO </li></ul><ul><li>ALUNA: CAROLINE ALMEIDA </li></ul><ul><li>TRABALHO FOTÓGRAFO BERT STERN </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Bertran Stern nasceu no dia 3 de outubro de 1929 no Brooklyn, com 18 anos começou a trabalhar em um banco em Wall Street, mas logo deixou para trabalhar como assitente de diretor de arte Herschel Brasmson. Em 1951 se tornou um diretor de arte da revista, no Mayfair e logo começou a trabalhar com revistas como: Vogue, Squire, Look, Life e Glamour. Entre seus trabalhos dessa época está o retrato de Louis Armstrong em 1959. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Após retornar a NY, se dedicou a fotografar e contribuir para revistas de publicidade. Sua obra mais conhecida é a última sessão de fotografias tiradas de Marilyn Monroe em 1962 no hotel Bel-air em Los Angeles. Este ensaio foi feito seis meses antes de sua morte. Ele também fez trabalhos na área de cinema: Encontro com um anjo em 1987, Mestres americanos em 2006, como diretor do Jazz on a Summer’s Day em 1960 e como protagonista em Becoming Bert Stern em 2009. </li></ul>
  4. 5. Há uma energia nas fotos de Stern que revelam a sensação deliciosa do olhar, que acompanha a luz pelo corpo, sublimando o toque. Os nus clicados por Stern, entre pernas deixadas fora da cama, torsos e seios entrevistos por lenços transparentes, revelam segredos tão íntimos como uma cicatriz horizontal no abdômen, resultado de uma recente operação na vesícula, e as sardas indisfarçáveis sob a pouca maquiagem. Marilyn só havia posado nua antes sobre um lençol de cetim vermelho, em foto de calendário publicada no primeiro número da revista Playboy, no início dos anos 1950. Jamais fez outros nus. Na verdade, houve uma primeira e tímida sessão de fotos topless na suíte 261 do Bel Air antes dos dias e noites tórridos do ensaio final. Para essa première, ela chegou sozinha, com cinco horas de atraso. Sem maquiagem, Marilyn pegou os lenços, sentiu sua textura e transparência e percebeu a intenção do fotógrafo. “Tenho uma cicatriz recente de cirurgia. Vai aparecer?”, ela perguntou. “Depende da luz. Mas pode ser retocada”, disse Stern. Os seios desnudados estavam aceitos. A Vogue imediatamente aprovou a série e pediu mais fotos a cores e muito mais fotos em preto e branco, para uma grande reportagem também sobre moda. Stern estaria feliz com a publicação de uma foto de página inteira, como tivera com Liz Taylor. Um ensaio de oito páginas com fotos a cores e preto e branco estava além da sua pretensão. Mas consultou Marilyn e voltou a Los Angeles para os três dias que marcaram a história da fotografia. Em 1962, Bert Stern era conhecido pela qualidade de sua obra, por uma campanha agressiva de vodca e pelas estrelas que fotografava.Marilyn Monroe era um sonho para ele.
  5. 9. AUTO RETRATO

×