Allankardec e a Codificação

2.431 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.431
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
116
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Allankardec e a Codificação

  1. 1. ALLAN KARDEC E A CODIFICAÇÃO Em 1854, o professor Denizard Rivail encontra seu amigo Fortier que lhe convida para estudar algo extraordinário no fenômeno das mesas girantes. Após se despedir de seu amigo, o professor pensa consigo: _ Nada vira ainda, nem observara; as experiências realizadas, em presença de pessoas honradas e dignas de fé, confirmavam a possibilidade do efeito puramente material, mas a idéia de uma mesa falante ainda não me entrava no cérebro. Depois de alguns dias, o professor Rivail encontra seu velho amigo Sr. Carlotti, que descreve alguns fatos acerca das mesas girantes, os quais causam incredulidade em Rivail. Alguns meses se passaram. O professor Rivail é convidado a comparecer à casa da sonâmbula Sra. Roger, em companhia do magnetizador dela, o Sr. Fortier.
  2. 2. O professor Rivail, no dia, horário e endereço combinados, comparece e presencia os acontecimentos da reunião e, fica realmente impressionado. Naquela reunião, o professor é convidado para comparecer em outras reuniões que se realizavam na casa da Sra. Plainemaisom e aceita o convite.
  3. 3. _ Já que tanta gente se aplica a tais fenômenos e, homens respeitáveis fizeram dele objeto de estudo, deve haver ali alguma coisa de verdade; uma ilusão, uma farsa, seja lá o que for, não pode ter esse caráter de generalidade; seduziria um círculo, uma sociedade, mas não daria volta ao mundo. – Rivail. Foi na casa da Sra. Plainemaisom que o professor Rivail teve a felicidade de conhecer a família Baudin. Convidado por esses, Rivail passa a freqüentar assiduamente a casa Baudin, cuja esposa e as duas filhas, moças muito prendadas, serviam de médiuns. Na casa da família Baudin, o meio utilizado para a comunicação com os espíritos não era a “mesa falante”, mas era o da cestinha, mais prático porque oferecia melhores possibilidades de um estudo mais profundo da matéria em questão. _ Tive o ensejo de ver contínuas respostas a perguntas formuladas, algumas vezes até mentais, que acusavam de modo evidente, a intervenção de uma inteligência estranha. – Rivail.
  4. 4. Foi na casa do Sr. Baudin, que o professor Rivail, fez seus primeiros estudos sérios sobre Espiritismo. Uma noite, Zéfiro, seu Espírito Protetor deu uma comunicação toda pessoal, por meio de um médium, em que lhe dizia, entre outras coisas, tê-lo conhecido numa existência precedente ao tempo dos Druidas, quando viviam juntos na Gália e, que ele Rivail, se chamava Allan Kardec. A partir de 1856, o professor Rivail começou a freqüentar as sessões que se efetuavam na casa do Sr. Roustan. O Sr. Roustan servia como médium de sérias e excelentes comunicações, empregando um meio novo, a cesta de bico. No dia 12 de junho, o professor Rivail, na casa do Sr. C., conversa com o Espírito da Verdade por meio da médium Srta. Aline C. _ Bom Espírito, eu desejaria saber o que pensas da missão de alguns Espíritos me assinaram. – Rivail. _ Confirmo o que já te disseram, mas recomendo-te muita discrição, se queres sair-te bem. Tomarás, mais tarde, conhecimento de coisas que te explicarão. – Espírito da Verdade.
  5. 5. _ Reclamo a tua assistência e a dos bons Espíritos, no sentido de me ajudarem e ampararem na minha tarefa. – Rivail. _ A nossa assistência não te faltará, mas será inútil se, de teu lado, não fizeres o que for necessário. – Espírito da Verdade. _ Espírito da Verdade, agradeço teus sábios conselhos. Aceito tudo, sem distinção e sem idéia preconcebida. – Rivail. (...)Rivail não perde tempo. Investido da missão de patentear aos homens novas luzes para o seu progresso e felicidade, com autoridades, bastante para analisar, confrontar, selecionar, ordenar, sistematizar e comentar as instruções que continuava a receber de diversos médiuns, na sua maior parte escritas sob as próprias vistas, Rivail, o sábio educador lionês, prosseguiu, dia e noite, no acabamento e aperfeiçoamento sucessivo de sua obra… Por fim, em 18 de Abril de 1857, aparece à venda nas livrarias “O Livro dos Espíritos”, com 501 perguntas e respectivas respostas (...) Hippolyte Léon Denizard Rivail Nasceu na França em 3 de outubro de 1804, no seio de antiga família lionesa, de nobres e dignas tradições.
  6. 6. Referência Bibliográfica: WANTUIL,Zeus e THIESEN, Francisco. Allan Kardec. Vol. 1.FEB, 1996. WANTUIL,Zeus. As mesas girantes e o Espiritismo. 4 ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. CAÇA- PALAVRAS Encontre no caça- palavras as respostas que correspondam as seguintes questões, (desconsidere a falta de acentos nas palavras): NA HORIZONTAL: a) Parte do nome do Professor Rivail. b) O Sr. Carlotti, ao descrever fatos acerca das mesas girantes, à Rivail, causa-lhe o sentimento de... c) Na casa da Sra. Baudin, qual o meio utilizado para a comunicação com os espíritos? d) Sobre o quê o professor Rivail fez seus primeiros estudos sérios, na casa da Sra. Baudin? e) Com quem, o professor Rivail conversa a por meio da médium Srta. Aline C., no dia 12 de junho? f) Qual o livro que aparece nas livrarias à venda, em 18 de abril de 1857? NA VERTICAL: a) Qual o nome do Espírito Protetor de Rivail? b) Em que tempo, Zéfiro disse ter vivido com Rivail na Gália? c) Como se chamava, Rivail, no tempo em que viveu na Gália? d) Rivail agradece ao Espírito de Verdade seus sábios... D E N I Z A R * R I V A I L S D F E R G B B B Q A S D E S C R E T D F C A S A A V R Z R D R A A S E A Z I I N C R E D U L I D A D E E D F
  7. 7. L I A S D E I N G A T E I U Y F R A I F S F G L U E C E S T I N H A Q W S A E R T S I R E T A G A E T U I N O M I N I G E S D E E R E C D N D E E R D E S P I R I T I S M O A E O S O D * R E I O K U H R E T F O R T E T Y A S E N D K V A E D E E R O A D R R I T T Y V E E D S G A D E S P I R I T O * D A * V E R D A D E E I R N I D E S G I A E D U I N A E E A C R R L N D B A E U I A E T A E I O V N I O A U U F H G E V A E L I V R O * D O S * E S P I R I T O S C D S * S E E R R S A O B E N A S S I D H S M A S * Q A A S D F R E D I O A S E N U A G B I

×