A minha aldeia é uma pequena freguesia doconcelho de Sátão, que está inserido no distrito  de Viseu. Está localizada mesmo...
A paisagem uma aldeia tipicamente rural,virada para o sector agrícola eflorestal.a floresta predominam opinheiro bravo e o...
Terra de bons aresor aqui, respira-se ainda o arpuro da serra.disfruta-se de belaspaisagens naturais.
O patrimónioo seu património destacam- se:Igreja Matriz, que é um templodo século XIX. Largo do chafariz, outrora opalco d...
Vestígios históricosomo vestígios históricosdestacam-se:forno comunitário.a velha picota árabe,outrora utilizada para tira...
O povoadoutrora, as casas eram todasem pedra, na traça típica daBeira Alta.oje é uma mistura de estilos.e povoamento aglom...
A expansãoaldeia expandiu-se para aperiferia.as, das velhas casas depedra, poucas foramrecuperadas.
A desertificaçãoal como aconteceu namaioria das aldeiasportuguesas, também aminha aldeia foi assoladapelo fenómeno daemigr...
A minha casacasa onde nasci e fui criada,outrora, estava sempre cheiade gente. A porta estavaaberta todo o dia.oje, é mais...
A minha escolaa minha escola primáriahavia mais de cem alunos.Mas, no meu ano, poucosfizeram a 4ª classe.inda não era obri...
A evoluçao escolaroje, dos poucos jovens quepor lá restam, a maioria sãolicenciados.as não têm emprego!té a nova escola pr...
O clima e seus extremosa minha aldeia, recordoainda os verões escaldantesque obrigavam as gentes àtradicional sesta.as rec...
A neve o manto branco de neve, quecobria a aldeia durante váriosdias.aliam-nos as velhas lareiras, àvolta das quais toda a...
As boas águaso chafariz a água jorrava comabundância, dava para satisfazeras necessidades da aldeia.o grande tanque trasei...
O progresso progresso trouxe a redepública. E até um lavadouronovo.as a velhinha fonte quasesecou.
A agriculturaa agricultura de cariz familiar, asfamílias e os vizinhosentreajudavam-se nos trabalhosmais díficeis.oje, ain...
A alegria no trabalho trabalho era árduo, mas feitocom muita alegria, cantando àdesgarrada.sse cântico foi, há muito,subst...
O abandono da agriculturautrora, a aldeia era circundadapor férteis terras de regadio ebelas searas em movimento.oje, ness...
Os pastos é do aproveitamento dessespastos que, ainda hoje, algunscorajosos tentam sobreviverda agricultura.as, essa funçã...
O regressolguns emigrantes aindaregressaram de vêz. Derammuita vida às suas casas e àaldeia.as, a maior parte deles só vêm...
A festa na aldeia é então nas férias, quandomuitos outros regressam àaldeia, que ainda hoje serealiza a tradicional festin...
A procissão procissão vai-se tambémadaptando às novasrealidades.oje, as restantesfestividades centralizam-sena Casa do Pov...
Os cafés progresso trouxe também oscafés, que deram à aldeia umambiente mais citadino.as hoje, alguns já fecharam asportas...
O envelhecimento da população actividade mais marcanteda minha aldeia é hoje a docentro social para idosos.Onde, agora na ...
ConcluindoO retrato da minha aldeia é, afinal, a  imagem real de grande parte do        nosso Portugal Rural.            M...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A minha aldeia, ontem e hoje (1)

512 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
512
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A minha aldeia, ontem e hoje (1)

  1. 1. A minha aldeia é uma pequena freguesia doconcelho de Sátão, que está inserido no distrito de Viseu. Está localizada mesmo no extremonorte do concelho, no planalto da Serra da Lapa. Consta que, da qualidade e riqueza das suas águas, provém o nome: ÁGUAS BOAS
  2. 2. A paisagem uma aldeia tipicamente rural,virada para o sector agrícola eflorestal.a floresta predominam opinheiro bravo e ocastanheiro.
  3. 3. Terra de bons aresor aqui, respira-se ainda o arpuro da serra.disfruta-se de belaspaisagens naturais.
  4. 4. O patrimónioo seu património destacam- se:Igreja Matriz, que é um templodo século XIX. Largo do chafariz, outrora opalco das concentraçõesfestivas.
  5. 5. Vestígios históricosomo vestígios históricosdestacam-se:forno comunitário.a velha picota árabe,outrora utilizada para tirarágua dos poços.
  6. 6. O povoadoutrora, as casas eram todasem pedra, na traça típica daBeira Alta.oje é uma mistura de estilos.e povoamento aglomerado,passou a misto.
  7. 7. A expansãoaldeia expandiu-se para aperiferia.as, das velhas casas depedra, poucas foramrecuperadas.
  8. 8. A desertificaçãoal como aconteceu namaioria das aldeiasportuguesas, também aminha aldeia foi assoladapelo fenómeno daemigração.a minha geração, poucos porlá ficaram.
  9. 9. A minha casacasa onde nasci e fui criada,outrora, estava sempre cheiade gente. A porta estavaaberta todo o dia.oje, é mais uma, das muitas,que na aldeia permanecemquase todo o ano fechadas.
  10. 10. A minha escolaa minha escola primáriahavia mais de cem alunos.Mas, no meu ano, poucosfizeram a 4ª classe.inda não era obrigatório!lém disso, o trabalhinhoinfantil era precioso noorçamento familiar!
  11. 11. A evoluçao escolaroje, dos poucos jovens quepor lá restam, a maioria sãolicenciados.as não têm emprego!té a nova escola primária jáfechou, por falta de alunos.
  12. 12. O clima e seus extremosa minha aldeia, recordoainda os verões escaldantesque obrigavam as gentes àtradicional sesta.as recordo também osinvernos rigorosos, com nevee frio intenso.
  13. 13. A neve o manto branco de neve, quecobria a aldeia durante váriosdias.aliam-nos as velhas lareiras, àvolta das quais toda a famíliase reunia.oje há modernos tipos deaquecimento.
  14. 14. As boas águaso chafariz a água jorrava comabundância, dava para satisfazeras necessidades da aldeia.o grande tanque traseiro lavava-se a roupa.avia ainda um regadiocomunitário.
  15. 15. O progresso progresso trouxe a redepública. E até um lavadouronovo.as a velhinha fonte quasesecou.
  16. 16. A agriculturaa agricultura de cariz familiar, asfamílias e os vizinhosentreajudavam-se nos trabalhosmais díficeis.oje, ainda existe algumaentreajuda, mas acentuou-se oindividualismo.
  17. 17. A alegria no trabalho trabalho era árduo, mas feitocom muita alegria, cantando àdesgarrada.sse cântico foi, há muito,substituído pelo ruído dasmáquinas agrícolas.
  18. 18. O abandono da agriculturautrora, a aldeia era circundadapor férteis terras de regadio ebelas searas em movimento.oje, nesses espaços existemlameiros e mato.
  19. 19. Os pastos é do aproveitamento dessespastos que, ainda hoje, algunscorajosos tentam sobreviverda agricultura.as, essa função está restritaapenas aos mais velhos!
  20. 20. O regressolguns emigrantes aindaregressaram de vêz. Derammuita vida às suas casas e àaldeia.as, a maior parte deles só vêmnas férias.
  21. 21. A festa na aldeia é então nas férias, quandomuitos outros regressam àaldeia, que ainda hoje serealiza a tradicional festinha.nde não faltam a procissãosecular e o animado bailarico.
  22. 22. A procissão procissão vai-se tambémadaptando às novasrealidades.oje, as restantesfestividades centralizam-sena Casa do Povo.ambém ainda se realiza atradicional visita pascal.
  23. 23. Os cafés progresso trouxe também oscafés, que deram à aldeia umambiente mais citadino.as hoje, alguns já fecharam asportas. E a aldeia vai ficandocada vez mais deserta.
  24. 24. O envelhecimento da população actividade mais marcanteda minha aldeia é hoje a docentro social para idosos.Onde, agora na velhice,estes podem disfrutar deuma qualidade de vida bemdiferente da dos seus paise avós.
  25. 25. ConcluindoO retrato da minha aldeia é, afinal, a imagem real de grande parte do nosso Portugal Rural. Maio de 2012 ElviraVideira

×