Mulheres de Bucos: Casada Lã<br />1<br />Isabel Maria Fernandes<br />Museu das Terras de Basto<br />Câmara Municipal de Ca...
2<br />Museu das Terras de Basto (Cabeceiras de Basto)<br />Trata-se de um museu polinucleadoexistindo neste momento três ...
Núcleo Museológico do Baixo Tâmega
Casa da Lã</li></ul>O Museu das Terras de Basto pediu recentemente a adesão <br />à Rede Portuguesa de Museus (Instituto d...
3<br />Mulheres de Bucos<br /><ul><li>Existe há vários anos um grande envolvimento da Junta de Freguesia e do Município na...
Todas as quintas-feiras à tarde, incentivadas pela Dona Ana Brás, um grupo de mulheres de Bucos  reúne-se na sede da Junta...
5<br />Em 1940, o trabalho da lã em Bucos mereceu a atenção de um investigador<br />«O administrador  do concelho, no inte...
6<br />Em 1940, o trabalho da lã em Bucos mereceu a atenção de um investigador<br />«O burel sai do tear pouco espesso e é...
7<br />Em 1940, o trabalho da lã em Bucos mereceu a atenção de um investigador<br />(…) As mantas policromas foram, de fac...
8<br />Casa da Lã: o projecto<br />«se às tecedeiras fornecessem desenhos ou motivos curiosos, essas mantas teriam outras ...
9<br />Casada Lã: o projecto<br />OBJECTIVOS:<br /><ul><li>Inventariar as técnicas utilizadas
Reunir espólio relacionado com o trabalho da lã
Entrevistar as pessoas que estiveram ou ainda estão ligadas ao trabalho da lã
Criar um arquivo documental, fotográfico e fílmico
Promover cursos para ensinar as técnicas relacionadas com o trabalho da lã, de modo a que a arte não morra
Contribuir para a criação e manutenção de postos de trabalho
Promover a qualidade estética dos produtos, criando novos modelos
Promover a  distribuição dos produtos realizados
Criar um núcleo museológico sobre o trabalho da lã em Bucos</li></li></ul><li>10<br />Casada Lã: o que já foi feito<br />T...
11<br />Casada Lã: o que já foi feito<br /><ul><li>Escolha do nome para o grupo  -  Novelo de Lã
Criação do logótipo por Rita Faria e Tiago Couto</li></li></ul><li>12<br />Casada Lã: o que já foi feito<br /><ul><li>Leva...
14<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Ana Francisca Teixeira Pires<br />
15<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Maria Teresa Senra Simões<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mulheres de Bucos

1.943 visualizações

Publicada em

Para conhecer melhor a Casa da Lã, assim como o nome e rosto de cada uma das suas artesãs, assista a esta apresentação.

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.943
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
331
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mulheres de Bucos

  1. 1. Mulheres de Bucos: Casada Lã<br />1<br />Isabel Maria Fernandes<br />Museu das Terras de Basto<br />Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto<br />
  2. 2. 2<br />Museu das Terras de Basto (Cabeceiras de Basto)<br />Trata-se de um museu polinucleadoexistindo neste momento três núcleos:<br /><ul><li>Núcleo Ferroviário de Arco de Baúlhe
  3. 3. Núcleo Museológico do Baixo Tâmega
  4. 4. Casa da Lã</li></ul>O Museu das Terras de Basto pediu recentemente a adesão <br />à Rede Portuguesa de Museus (Instituto dos Museus e da Conservação / Ministério da Cultura)<br />
  5. 5. 3<br />Mulheres de Bucos<br /><ul><li>Existe há vários anos um grande envolvimento da Junta de Freguesia e do Município na preservação do trabalho da lã em Bucos.
  6. 6. Todas as quintas-feiras à tarde, incentivadas pela Dona Ana Brás, um grupo de mulheres de Bucos reúne-se na sede da Junta de Freguesia para trabalhar a lã.</li></li></ul><li>4<br />Mulheres de Bucos<br /><ul><li>Dá gosto ouvi-las falar de outros tempos, enquanto as mãos se movimentam a lavar, a secar, a esguedelhar, a cardar, a emanelar, a fiar, a ensarilhar, a dobar e a tecer. </li></ul>Só que hoje já não levam, como o faziam há muitas dezenas de anos atrás, as mantas e cobertores a pisoar num dos pisões de Bucos, porque os tempos são outros e outros são os aconchegos e as vestes das nossas gentes.<br />
  7. 7. 5<br />Em 1940, o trabalho da lã em Bucos mereceu a atenção de um investigador<br />«O administrador do concelho, no intento justo e bem compreensível de propagandear as «especialidades» da terra, promoveu uma exposição em que figuravam mantas, capuchas, peças de burel, ‘bicas’ de manteiga, etc.<br />O inesperado ou o desconhecimento por parte dos viajantes da maioria dos produtos expostos constituiu um verdadeiro sucesso e redundou em fartos benefícios.<br />As mantas coloridas, ou melhor, as cobertas e as capuchas tiveram uma tal procura que breve se acabaram as expostas e as encomendas sucederam-se, mesmo depois de decorrido algum tempo.<br />
  8. 8. 6<br />Em 1940, o trabalho da lã em Bucos mereceu a atenção de um investigador<br />«O burel sai do tear pouco espesso e é preciso pois apisoá-lo (…). O modelo dos pisões do Barroso é este: - roda hidráulica exterior, com um eixo quadrangular em carvalho ou castanho que termina em uma espeque ou pilar no interior do moinho ou engenho.<br />(…) Lembrarei que, Bucos, – centro desta indústria – , disputou galharda e nobremente «a final» no concurso «galo de prata».<br />Os pisões trabalham durante 3 a 4 meses e pagam de indústria perto de 200$00, o que faz, com que dentro em breve desapareçam, tal o ónus que os sobrecarrega.<br />
  9. 9. 7<br />Em 1940, o trabalho da lã em Bucos mereceu a atenção de um investigador<br />(…) As mantas policromas foram, de facto, o principal chamariz. Tanto podem servir de colcha, coberta de cama, como de tapete. São tecidas em teares manuais, muito rudimentares e gastam 1,5 Kg de lã lavada – ou 3 Kg de lã churra e 500 grs de algodão para «tapar ou encher». Medem geralmente 2 m2 e o preço varia entre 50 e 60 escudos.<br />É muito provável que, se às tecedeiras fornecessem desenhos ou motivos curiosos, essas mantas teriam outras aplicações mais diversas….<br />
  10. 10. 8<br />Casa da Lã: o projecto<br />«se às tecedeiras fornecessem desenhos ou motivos curiosos, essas mantas teriam outras aplicações mais diversas….»<br />É exactamente essa a principal intenção do projecto Casa da Lã de Bucos<br />MISSÃO:<br />A Missão da Casa da Lã de Bucos é «mantendo a tradição no fiar e no tecer, procurar novas funções, modelos e padrões para os trabalhos de lã»<br />
  11. 11. 9<br />Casada Lã: o projecto<br />OBJECTIVOS:<br /><ul><li>Inventariar as técnicas utilizadas
  12. 12. Reunir espólio relacionado com o trabalho da lã
  13. 13. Entrevistar as pessoas que estiveram ou ainda estão ligadas ao trabalho da lã
  14. 14. Criar um arquivo documental, fotográfico e fílmico
  15. 15. Promover cursos para ensinar as técnicas relacionadas com o trabalho da lã, de modo a que a arte não morra
  16. 16. Contribuir para a criação e manutenção de postos de trabalho
  17. 17. Promover a qualidade estética dos produtos, criando novos modelos
  18. 18. Promover a distribuição dos produtos realizados
  19. 19. Criar um núcleo museológico sobre o trabalho da lã em Bucos</li></li></ul><li>10<br />Casada Lã: o que já foi feito<br />Tendo em vista trazer a contemporaneidade a estes trabalhos ancestrais o município convidou a estilista Helena Cardoso a colaborar com estas mulheres ajudando-as a realizar novas peças.<br />Sob a orientação desta estilista cada uma das 10 artesãs executou duas peças que se encontra expostas nesta certame<br />
  20. 20. 11<br />Casada Lã: o que já foi feito<br /><ul><li>Escolha do nome para o grupo - Novelo de Lã
  21. 21. Criação do logótipo por Rita Faria e Tiago Couto</li></li></ul><li>12<br />Casada Lã: o que já foi feito<br /><ul><li>Levantamento fotográfico e realização de um vídeo por alunos da Escola de Belas Artes do Porto</li></li></ul><li>13<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Ilídia Mateus Oliveira<br />
  22. 22. 14<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Ana Francisca Teixeira Pires<br />
  23. 23. 15<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Maria Teresa Senra Simões<br />
  24. 24. 16<br />Casa da Lã: as nossas artistas<br />Elisa da Conceição Gonçalves Brás<br />
  25. 25. 17<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Adelaide Machado Fernandes<br />
  26. 26. 18<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Ana Gomes Brás<br />
  27. 27. 19<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Teresa de Jesus<br />
  28. 28. 20<br />Casa da Lã: as nossas artistas<br />Maria Quintas Simões<br />
  29. 29. 21<br />Casada Lã: as nossas artistas<br />Maria Jorge Gonçalves<br />
  30. 30. 22<br />Casa da Lã: as nossas artistas<br />Maria da Conceição Dias Rodrigues Ramalho<br />
  31. 31. Coordenação<br />Município de Cabeceiras de Basto<br />Pelouro da Cultura<br />Apoio<br />Junta de Freguesia de Bucos<br />Emunibasto, E.M.<br />Responsável técnica<br />Isabel Maria Fernandes (imf.isabel@gmail.com)<br />Estilista<br />Helena Cardoso<br />Vídeo e fotografia<br />João Gigante<br />Miguel Arieira<br />Ana Castro<br />Susana Lage<br />Fábio Santos<br /> <br />Logótipo<br />Elástico Design<br />Técnica de apoio<br />Benta Machado Gonçalves Serra Pacheco<br /> <br /> <br />

×