Letícia g. e Barbara

209 visualizações

Publicada em

Projeto 1° Bimestre - 2015
"O Rio continua lindo ... E por que não?"
Tema: Forte Duque de Caxias

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
209
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
108
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Letícia g. e Barbara

  1. 1. O Forte Duque de Caxias é um raro patrimônio público, erguido por ordem do Marquês do Lavradio, cuja origem remonta ao ano de 1776. Nessa época, o Forte chamava-se da Vigia ou da Espia e destinava-se à alertar as outras fortificações sobre a chegada de navios ao Rio de Janeiro. Em 1789, o Forte do Vigia foi guarnecido pela Companhia dos Dragões de Minas, onde servia o Alferes Joaquim José da Silva Xavier – o Tiradentes – poucos dias antes de sua prisão.
  2. 2. Popularmente conhecido como Forte do Leme, faz parte do roteiro turístico dos que visitam a Cidade do Rio de Janeiro. Patrimônio histórico, preservado pelo Exército, oferece valioso acervo para pesquisadores, historiadores e visitantes que diariamente afluem ao forte para conhecê-lo. A sua história começa no ano de 1776, quando se iniciou a construção do Forte do Vigia, nome que retratava a sua missão – vigiar a barra da Baía de Guanabara contra a ameaça dos navios estrangeiros. Posteriormente, mudou-se o seu nome para Forte do Leme até que, em 1935, passou a se chamar Forte Duque de Caxias, em homenagem ao Patrono do Exército Brasileiro. Foi cenário de episódios históricos, no período do Império e da República, que deixaram marcas indeléveis, como baluarte austero e vitorioso. Ao encerrar as suas atividades operacionais, em 1965, transformou-se no Centro de Estudos de Pessoal (CEP), estabelecimento de ensino que se projetaria numa ascendência vertiginosa e que viria trazer benefícios incalculáveis à Força Terrestre. Esta reportagem tem como objetivo apresentar este monumento histórico e cultural do Exército
  3. 3. Segundo informações bibliográficas (Garrido, 1940), o autor do projeto foi o Coronel Engenheiro Tasso Fragoso e teve a coordenação do Major Arnaldo Paes de Andrade. Aprovado, o projeto foi enviado para a fábrica Krupp, na Alemanha. Segundo o projeto dos alemães, seriam quatro obuseiros de 120mm,
  4. 4.  http://www.cep.ensino.eb.br/forte/histori co
  5. 5. Alunas: Letícia G. e Bárbara Turma : 601 Professora Vania - Informática

×