Quarta-feira                 Diário         Salão Imobiliário de Portugal
9 Setembro 2009              Oficial         17 a...
2 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009



Abertura

Mercado de escritórios do Porto
em retracção
Quebra da...
Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 • 3



Mercados
Algarve com oferta habitacional                        ...
Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 • 5



Empreendimento
Paços de S. João com habitação,
serviços e estaci...
6 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009



Opinião

Apartamento de aeromoça

                   H
         ...
Jardins de Birre




  Apartamentos T2, T3 e T4 com amplas áreas, cozinhas Míele e
  boxes individuais p/ 2/3 carros. Inse...
8 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009



Actualidade
                                                    ...
SEMINÁRIO NACIONAL
               DA APEMIP EM LISBOA
                                                                    ...
10 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009



Resort
                                                        ...
-




o
12 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009



Actualidade

Factores que influenciam compra
de imobiliário tur...
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909

1.999 visualizações

Publicada em

Andrew Coutts, presidente
do Grupo ILM, explicou ao
PÚBLICO Imobiliário o que é
o «10-10-10» e que empresas
constituem este barómetro.
PÚBLICO Imobiliário – O que
é o «10-10-10» e qual é o seu
objectivo?
Andrew Coutts – Durante o
último Verão [2008], fomos
questionados por várias
vezes acerca da maneira
como sentíamos o futuro
deste mercado, ou seja, o que
iria acontecer futuramente.
E o que concluímos foi que
para sentir o mercado era
preciso estar dentro dele.
Portanto, o que decidimos
foi ir buscar esse sentimento
ao mercado e criámos uma
coisa extremamente simples,
um mecanismo que permite
monitorizar a performance do
mercado de turismo residencial.
Foi isso que fizemos! Faltava
apenas encontrar as pessoas
ideais para perceber qual
era o sentimento do mercado.
Elaborámos dez perguntas e
fomos ter com dez promotores
e dez agentes imobiliários,
dos mais reconhecidos do
nosso mercado, e pedimos
que respondessem a essas
perguntas. O que queríamos
era aquilatar da performance
do mercado, bem como o
seu sentimento e níveis de
confiança. Algumas das
questões que colocámos eram
bastante directas, até porque o
objectivo era obter dados claros
sobre a situação actual do
mercado. Os resultados destes
questionários são analisados,
tratados e publicados a
cada quatro meses. Assim
poderemos comparar a
evolução do próprio mercado.
Que empresas estão presentes
neste barómetro?
Os promotores são: Norte Golfe,
Bom Sucesso, Orizon, MSF – Tur.
Im, Newlyn Portugal, Pestana
Imobiliária, Vale do Lobo, grupo
Oceânico, Aquapura e Grupo
Duarte. Os agentes imobiliários
são: Abacus Savills, Atlantic
Estates, Garvetur, IRG, Sadlers
– Knight Frank, Winkworth,
Consultan e Engel & Volkers.

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.999
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Factores que influenciam a compra de imobiliário turistico estão a mudar_público imobiliario_090909

  1. 1. Quarta-feira Diário Salão Imobiliário de Portugal 9 Setembro 2009 Oficial 17 a 20 Setembro Factores que influenciam compra de imobiliário turístico estão a mudar Conclusões de estudo da ILM Advisory dão conta de alterações neste mercado e dizem que Turquia é a principal ameaça para Portugal (Página 12) Empreendimento Imodávila promove Paços de S. João no Porto 2 Porto tem 8 País convidado 10 Longevity 14 Papel mercado de do Salão Wellness tem 87% de parede escritórios em Imobiliário de dos apartamentos com toque retracção Portugal é o Brasil colocados exótico
  2. 2. 2 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 Abertura Mercado de escritórios do Porto em retracção Quebra da procura e dos preços de arrendamento geram novas opções na colocação de activos faz sentido na actual conjuntura”. Marc Barros A promotora Douro Atlântico está O mercado de escritórios do Grande em fase de gestão dos seus activos no Porto atravessa um momento de re- mercado do Grande Porto. Segundo tracção e gestão dos activos, com a Leonel Cunha e Silva, “estamos a pro- conjuntura económica a provocar o curar antever a dinâmica que se ins- arrefecimento da procura, com efei- talará no mercado e adequar a nossa tos sobre os preços de arrendamen- carteira de terrenos” a esse cenário. A to. Segundo Leonel Cunha e Silva, empresa possui em carteira terrenos da Douro Atlântico, responsável pela para uma área de construção de 45 promoção do empreendimento Burgo, mil m² para desenvolver construção localizado na zona prime da Avenida nova no Grande Porto, sendo que a da Boavista, “as condições para avan- cidade Invicta representa 20 por cento çar para novos projectos não são as desse total. melhores”, sendo que o segmento dos escritórios não deverá constar do le- Palacetes requalificados que de opções de novos investimentos Por sua vez, o grupo HN prossegue o daquela empresa promotora, algo que desenvolvimento do projecto Boavista Leonel Cunha e Silva considera que Palace, misto de habitação, comércio não “faria muito sentido pois temos e serviços numa das zonas mais no- activos para colocar nessa vertente”, bres do Porto e com uma ABC de 20 como o caso do empreendimento mil m² acima do solo. No local outrora Burgo. ocupado por uma a empresa têxtil es- O mercado de escritórios do Porto, tão a ser requalificados dois elegantes considera, é “residual comparando palacetes em modernos escritórios. O com Lisboa”, representando cerca projecto contempla ainda uma ofer- de 10 por cento do volume anual das ta de apartamentos de segmento alto transacções registadas na capital, que sobre uma galeria comercial servida ascenderam a 200 mil m² em 2008. por um parque de estacionamento “Não há procura que justifique avançar Empreendimento Burgo público, num investimento global de com novos projectos neste segmento”. localizado na zona prime 30 milhões de euros. Para 2009, analisa aquele promotor, da Avenida da Boavista Na componente de serviços, os dois a tendência é para o abrandamento palacetes darão origem ao Boavista da procura neste, como nos restantes, Curiosamente, são estes que registam objectivo de “criar uma oportunidade dimensão, ou seja, na torre”. Os valo- Palace Offices: o palacete Avenida da segmentos. maior procura. para pequenas empresas e profissio- res de arrendamento praticados osci- Boavista conta com uma área total de Por outro, verifica-se uma “clara nais liberais para estarem dentro de lam entre os 14,5 e 19,5 euros/m² na 1.620 m² para arrendamento, com pressão sobre os preços”, face à qual Preencher lacuna um empreendimento de referência”, Torre Burgo e um valor máximo de áreas desde 220 até 400 m². Já o pa- as empresas podem tomar uma de Concluído em Fevereiro de 2008, o afirmou Leonel Cunha e Silva. 16,5 euros/m² no Centro Burgo, a que lacete da Rua Oliveira Monteiro terá duas opções: manter ou reduzir os projecto Burgo é composto por uma Trata-se, na sua perspectiva, de acrescem custos de condomínio. uma área total de 970 m² para arren- preços, “em função da alavancagem torre com 18 pisos, com uma ABL total “uma lacuna no mercado de escritó- Por outro lado, em outros projectos damento, com áreas desde os 150 m². financeira das empresas e da taxa de de 11 mil m², e o Centro Burgo, com rios do Porto”, que não tem oferta de em gestão no Grande Porto, a empre- A conclusão da obra está prevista para ocupação dos seus empreendimen- três pisos e ABL de 2.800 m² de escri- espaços qualificados “para pequenas sa optou, nas vertentes de escritórios o último trimestre de 2009. tos”, sendo que, em caso de redução tórios, a que se juntam 1.500 m² de empresas e liberais, que são cada vez e comércio, por uma política de ar- Também neste segmento, a empresa de valores, a médio prazo será mais área comercial. Com interiores conce- mais o grosso do tecido empresarial rendamento com opção de compra. prossegue o desenvolvimento da se- difícil recuperar os preços. bidos segundo uma lógica modular, a da cidade”. Aliás, prosseguiu, “senti- “Verificamos que quando tomamos gunda fase do projecto o’Porto Bessa A Douro Atlântico adoptou uma es- torre possui uma ABL de 672 m² por pi- mos que a generalidade das empresas esta opção a colocação disparou – sen- Leite Complex II. Trata-se de um se- tratégia de reformulação dos valores so, com a possibilidade de divisão em continua a procurar espaços desquali- timos que as empresas do Porto estão gundo edifício de escritórios integrado de arrendamento praticados no Burgo, quatro fracções de 168 m² de ABL. Por ficados, com valores de arrendamento mais sensíveis a esta opção, algo que no o’Porto Bessa Leite Complex, que não “por questões relacionadas com a sua vez, o Centro Burgo assegura uma muito baixos, segmento onde não nos representa um investimento de oito conjuntura”, mas no sentido de “au- oferta “para escritórios mais peque- inserimos”. milhões de euros e conta com uma mentar a elasticidade dos valores em nos, com áreas a partir de 43 m²”, no O empreendimento conta actual- ABL de 6342,36 m², disponibilizando função dos pisos e dos objectivos da mente com uma taxa de ocupação de para arrendamento áreas a partir dos procura” – entre “quem precisa ape- 25 por cento, valor “próximo dos nos- 130 m². A sua conclusão está prevista nas de um espaço para trabalhar” sos objectivos”, sendo que “a maior para o primeiro trimestre de 2010. ou uma procura de “cariz mais ins- procura verifica-se nas áreas de maior titucional”, em pisos mais elevados. Todas as obras, todos os negócios! A informação essencial para o imobiliário e construção LOCALIZE TODAS AS OBRAS QUE SURGIRÃO NO MERCADO VEJA FICHEIRO “DEMO” EM WWW.CI-IBERICA.COM Um produto Confidencial Imobiliário Tel.: 222 085 009 · e-mail: ci-iberica@ci-iberica.com
  3. 3. Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 • 3 Mercados Algarve com oferta habitacional Mercado Habitacional: Algarve (Valor Médio/m2 da Oferta) a atingir 1.771 €/m2 A região do Algarve observou em Junho ca de 31 mil fogos em oferta. A forma trimestre de 2009 na região do Algarve A H de 2009, segundo a evolução registada como estão distribuídos estes fogos, foi de 1.771 €/m2. O valor mais elevado I pelo Índice Confidencial Imobiliário, aponta para uma grande concentração ocorreu em Monchique, atingindo 2.222 G uma taxa de valorização de 0,5% idên- da oferta habitacional em Portimão, €/m2, sendo seguido por Albufeira com E C F B tica ao valor registado para Portugal Albufeira e Loulé, ultrapassando 50% 2.162 €/m2 e Loulé com 2.063 €/m2. D continental. Mas no caso da região al- da oferta existente na região algarvia. Todos os restantes concelhos apresen- garvia essa valorização pressupõe uma Os concelhos de Alcoutim, Monchique, tam valores médios abaixo de 2.000 queda face ao mês de Maio, onde a taxa Vila do Bispo e Aljezur têm um peso €/m2, registando-se o valor mais baixo A Monchique 2 222 € de variação tinha sido de 0,9%. A valo- quase nulo na oferta habitacional regio- em Olhão, com 1.296 €/m2, seguido por rização homóloga tem seguido um sen- nal, Castro Marim, São Brás de Alportel, Faro com 1.544 €/m2 e Portimão com B Albufeira 2 162 € tido de forte desvalorização, depois de Lagos e Lagoa, no seu conjunto, não 1.636 €/m2. C Loulé 2 063 € em Agosto de 2008 ter registado 16,6%, ultrapassam 12% da oferta de alojamen- Na região algarvia cerca de 38% do D Vila do Bispo 1 970 € vem a contrair-se chegando em Junho tos. Vila Real de Santo António, Silves stock em oferta do 1º trimestre de 2009 E Lagos 1 882 € último a -4,1%. e Tavira, em cada um dos casos não revelou valores médios superiores F Lagoa 1 740 € › 2 000 € ultrapassam 6% dos imóveis em oferta. a 1.771 €/m2, ou seja, acima do valor Oferta e Valores Faro e Olhão encontram-se numa situa- médio regional, este valor foi influen- G Tavira 1 738 € 2 000 € ‹·› 1 800 € No 1º trimestre de 2009 as estatísticas ção intermédia, contando em conjunto ciado pelo peso relativo que os aloja- H Castro Marim 1 703 € 1 800 € ‹·› 1 500 € Confidencial Imobiliário/LardoceLar. com 21% da oferta de alojamentos da mentos novos têm na oferta imobiliária I Silves 1 675 € ‹ 1 500 € com para o Algarve contavam com cer- região. O valor médio da oferta do 1º algarvia. 2009: 1º Trimestre Infografia Confidencial Imobiliário Fonte Ci/LardoceLar.com Índice Confidencial Imobiliário Índice Confidencial Imobiliário Algarve JFMAMJJASONDJFMAMJJASONDJFMAMJJASONDJFMAMJ JFMAMJJASONDJFMAMJJASONDJFMAMJJASONDJFMAMJ 115 12% 130 130 · · · · · · · · 110 8% 120 120 · · · · · · · · 105 4% 110 110 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA · · · · · · · · E DE RESEARCH, COBRINDO 100 0% 100 100 PORTUGAL E ESPANHA · · · · · · · · 95 -4% 90 90 · > 2006 · > 2007 · > 2008 · > 2009 · > 2006 · > 2007 · > 2008 · > 2009 www.ci-iberica.com — Índice Confidencial Imobiliário (2005 = 100) — Taxa de Variação Homóloga — Índice Confidencial Imobiliário (2005 = 100) --- Média do ICI (2005/2009) PUBLICIDADE aqui é FÁCIL O PORTAL IMOBILIÁRIO DA PROCURA O QUE QUER, COMO QUER, E QUANDO ENCONTRAR SABE QUE EXISTE OFERECEMOS O REAL, DE FORMA FIÁVEL E COM TODA E SEGURANÇA Patrocinadores: ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILÁRIA DE PORTUGAL
  4. 4. Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 • 5 Empreendimento Paços de S. João com habitação, serviços e estacionamento junto ao Hospital de S. João Marc Barros Empreendimento representa investimento de 50 milhões de euros da promotora Imodávila A empresa de promoção imobiliária Imodávila encontra-se a desenvolver o empreendimento Paços de S. João. Estrategicamente localizado em fren- te ao Hospital de S. João, no Porto, o projecto resulta de um investimento de 50 milhões e totaliza uma área de Projecto totaliza uma área de construção de 26.300 metros quadrados construção de 26.300 m². Segundo Vítor Ávila, administrador investidores, cerca de 50 por cento dos 45 escritórios será comercializada da empresa promotora, o projecto é das fracções serão arrendadas”. Por em definitivo. composto por um parque de estacio- sua vez, a Ávila Parques, empresa do Os valores de arrendamento deverão namento público subterrâneo com 600 grupo, ficará com a gestão do parque oscilar dentro dos valores praticados lugares e quatro edifícios, dos quais de estacionamento, que deverá ficar no mercado, entre os 12-13 euros/m². três de cariz habitacional (num total concluído este mês, sendo que a sua Por seu turno, não foram adiantados Selwin Wever Director de Certificação de 16.300 m² de área de construção) e abertura ao público deverá ocorrer valores de venda dos escritórios, uma Home Energy o quarto destinado a escritórios, com ainda em 2009. vez que esta situação está ainda a ser 4.500 m², visando albergar empresas A empresa promotora optou ainda ponderada. No caso da habitação, os com um projecto de arquitectura que pode- e gabinetes na área da saúde. Estes por alocar o edifício de serviços ao sec- valores de venda rondam os 1.850 eu- Arquitectura Bioclimática rá ser excelente a vários níveis (conceptual, edifícios serão ligados por uma praça tor da saúde, englobando laboratórios, ros/m², já incluindo garagem. No caso central, que dará entrada a 36 lojas si- consultórios médicos, diagnóstico e das lojas, a comercialização será feita e Eficiência Energética programático, formal) mas que limita por si só todas as possibilidades de existir um tuadas no piso térreo, direccionadas serviços ligados à saúde, criando siner- sob as mesmas duas lógicas – venda em Edifícios bom desempenho térmico e energético. Pe- quenas preocupações fazem uma enorme para a restauração, sector financeiro gias com o hospital de S. João. Este imó- e arrendamento –, a valores que, no Portugal afirma-se no panorama internacio- diferença: a orientação solar do edifício; a e saúde, “abrangendo as necessidades vel deverá ser colocado no mercado primeiro caso, rondarão os 3.800 eu- disposição e sombreamento dos vãos envi- nal como líder na implementação de ener- do mercado”. de arrendamento, apesar de existirem ros/m². “Trata-se de uma zona muito draçados e até a cor das fachadas e cober- gias renováveis e regulamentação na área A vertente habitacional do projecto solicitações para venda. Por essa razão, valorizada, pela sua localização e pela da térmica e do desempenho energético de turas. A orientação solar correcta (Sul) pode será composta por 194 apartamentos, a Imodávila irá ponderar se uma fatia procura que regista”, sublinhou. edifícios. Estamos actualmente na linha da reduzir as necessidades de aquecimento e frente quanto à implementação da Directiva arrefecimento de um edifício em 40% face numa clara “aposta nas tipologias bai- à situação mais desfavorável. Devemos Europeia 91/2002 (Energy Performance of xas, desde o T0 ao T2, pontualmente assim investir na formação para que, sem Buildings Directive). O Sistema de Certifi- com cinco apartamentos T3”. A es- Imodávila procura mercados menos preenchidos cação Energética (SCE) regulado pelo DL haver necessidade de realizar investimen- tratégia passa por direccionar cada 78/2006 obriga à certificação energética tos extraordinários em equipamentos, a de todos os edifícios novos e de todos os arquitectura possa ser confortável, eficien- um dos três imóveis residenciais para A Imodávila prevê arrancar, urbana no centro do Porto poderá te e sustentável. Devemos voltar a integrar existentes transaccionados após Janeiro de segmentos específicos, visando “atrair em 2010, com um outro ser “um mercado com futuro” para nos processos conceptuais arquitectónicos 2009. Entre Janeiro e Agosto de 2009 fo- público jovem, como estudantes” (com empreendimento de cariz a Imodávila. Este foi “o primeiro ram emitidos mais de 100.000 certificados, conhecimentos de física, percurso solar, T0 evolutivos e T1), mas igualmente residencial. Ainda em fase em que actuámos, há cerca de 13 o que denota uma excelente capacidade climatologia e biologia. A qualidade da Ar- de resposta do SCE e dos Peritos Qualifi- quitectura Portuguesa é hoje reconhecida habitação própria, atraindo “jovens embrionária, este projecto será anos, com a recuperação de um internacionalmente através do prestígio cados Portugueses. Os edifícios novos em licenciados, jovens casais, médicos” direccionado para famílias imóvel na rua de Cedofeita, com mundial de Arquitectos como Álvaro Siza Portugal são equipados, na sua grande (T1, T1 evolutivos e T2 “clássicos”) e um do segmento médio/alto com 4 T1 e 2 T2 duplex e uma loja, que maioria, já com colectores solares térmicos Vieira, pelo que existem as condições para terceiro bloco, este já com T1, T2 e T3. tipologias altas, na futura alameda ainda pertence à empresa”. “Uma para aquecimento de água (o que evita o que a mesma se destaque igualmente no consumo de milhares de toneladas de domínio da Arquitectura Bioclimática. É A conclusão dos blocos A e B deverá da Prelada, em Requesende, junto boa experiência” para a empresa, apenas necessário acelerar o diálogo en- combustíveis fósseis importados), sistemas ocorrer em Agosto de 2010, enquanto ao antigo Parque de Campismo da que inclusivamente colocou tre os diversos intervenientes e disseminar de climatização eficientes (o que reduz os o bloco de serviços deverá estar fina- Prelada. “O nosso objectivo passa algumas fracções “acima dos consumos) e níveis de isolamento térmico o conhecimento que existe em Portugal lizado no final de 2010 e o bloco C em por diversificar a oferta dentro preços de mercado”. adequados ao clima de cada localidade nestes domínios. Pretende-se que o prémio (aumentando o conforto térmico e redu- Arquitectar ‘09 cujo tema é a integração de Junho de 2011, dando por concluída a do nosso portefólio e da oferta A empresa possui vários imóveis Energias Renováveis e estratégias Bioclimá- zindo as necessidades de climatização). construção do empreendimento. global. No segmento de habitação na Baixa do Porto e pretende No entanto muito ainda há a fazer no que ticas em Arquitectura, venha contribuir para o mercado está saturado, com avançar, depois de concluídos respeita a formar e sensibilizar projectistas esse diálogo e para a evolução da Arquitec- Venda e arrendamento um problema acrescido de quem os investimentos em curso, para para a Arquitectura Bioclimática. Demasia- tura Bioclimática em Portugal. Visando “o cliente final mas também tem uma habitação para vender. aquela zona da cidade. Vítor das vezes o Perito Qualificado depara-se www.square.pt/arquitectar investidores”, o empreendimento ve- Pretendemos assim entrar em Ávila aguarda ainda a resolução rá uma parcela colocada em regime mercados com níveis de oferta de alguns entraves, como “o de arrendamento. Vítor Ávila estima menos preenchidos”. estacionamento, ou a oferta de que, “entre o conjunto de fogos que Nesse sentido, a reabilitação escolas e espaços comerciais”. ficará sob gestão da Imodávila e dos
  5. 5. 6 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 Opinião Apartamento de aeromoça H á 40 anos, quando o Mundo ficou preso à chegada do Homem à lua, um cantor português exilado em Paris, de nome Luís Cilia, divulgava na televisão francesa uma amargurada canção de exílio, cujos versos escritos pelo poeta que viria a ser o primeiro Nobel da literatura em língua portuguesa, falam de um lugar longe do Sol, onde, cansados e conformados, adormecemos. “Aqui longe do Sol que mais farei // senão cantar o Luís Lima bafo que me aquece? // Como um prazer cansado que adormece // Ou preso conformado pela lei”, escrevia então José Saramago marcando a diferença que existia entre o viver em Portugal ou na Europa para lá dos Pirinéus, que a Espanha não seria melhor que este rectângulo à beira-mar. Sem a “promessa de pão que vem das mós”, na beleza de um dos versos desse “contracanto” amargurado, vivíamos, há 40 anos, tão longe do Sol que, aberto, gera a vida, a riqueza, a harmonia, as cores e a luz, que hoje quando voltamos a compararmo-nos com o resto da Europa e verificamos idêntica distância, só podemos ficar, de novo, tristes e angustiados, embora agora mais dispostos a resistir. No Reino Unido, o número de créditos aprovados para a compra de casa subiu pelo quinto mês consecutivo. Na Zona Euro, os bancos comerciais preparam-se para facilitar as condições de acesso ao crédito às empresas e aos particulares que querem adquirir casa, de acordo com um inquérito feito a 118 bancos pelo Banco Central Europeu (BCE), entre 15 de Junho e 3 de Julho. Pela Europa, e digo Europa para excluir Portugal onde esta realidade ainda vive em “contracanto”, na Europa, o Sol que ilumina os negócios começa a brilhar tendo diminuído significativamente, segundo o inquérito já citado, o número de bancos que adoptaram, na ressaca da crise, critérios restritivos para a concessão de créditos oferta, bem como o acesso dos bancos ao financiamento Quem o diz é o Banco de Portugal, que refere, a empresas e a particulares. e a respectiva liquidez. Os bancos que voltam a abrir as entre os sinais de maior aperto nas restrições, “um Para esta melhoria – dizem as notícias a que a respectivas portas reconhecem agora que o risco em aumento dos “spreads” aplicados nos empréstimos sublinham - terão contribuído os factores do lado da relação à actividade económica em geral e ao mercado concedidos”, sobretudo nos de maior risco, além de imobiliário é, de novo, muito menor. outras condições. Valha-nos a Santa Euribor, em baixa, Isto na Europa que, tal como há 40 anos, volta a para não perdermos, de uma vez, a vontade de reagir, de ouvir os acordes portugueses dos lamentos surdos de recuperar, de competir, de voltar a garantir um lugar ao quem não se conforma, nem compreende, que em Sol. Para bem da nossa Economia. Portugal, país que nem sofreu tanto assim com a crise Presidente da Direcção Nacional da APEMIP financeira mundial, a situação seja a oposta, isto é, no luislima@apemip.pt sentido do agravamento das restrições à concessão de empréstimos, tanto às famílias como às empresas. Registo predial online e certidão permanente O s prédios, em si mesmos considerados, assumem Os cidadãos e as empresas podem agora, nas suas A par deste serviço, é ainda possível, nas sociedades modernas um papel preponde- relações com os serviços de registo predial, escolher independentemente de qualquer certificado digital, rante, de tal forma que o progresso económico aquele que mais lhe convenha, seja por ser mais rápido, solicitar e obter online, mediante a atribuição de um e social de qualquer país se encontra, cada vez por lhe ficar mais próximo ou lhe prestar um melhor código de acesso, uma certidão permanente do registo mais, associado à maior ou menor facilidade com que se atendimento. predial, certidão essa que é, também, disponibilizada, desenvolvem os negócios jurídicos sobre imóveis. Por outro lado, num aproximar cada vez maior gratuitamente, pelas conservatórias na sequência de Torna-se, assim, essencial assegurar mecanismos dos diversos serviços da administração, torna-se qualquer acto de registo que nelas venha a ser pedido. que, sem pôr em causa a certeza e segurança jurídicas, desnecessário carrear para os processos documentos Esta certidão, evitando a necessidade de obtenção de António permitam que aqueles negócios se efectuem de modo que possam ser obtidos por acesso directo às diversas certidões em suporte de papel, traduz-se, ainda, numa Figueiredo célere, facilitando e optimizando o desenvolvimento do bases de dados ou que se encontrem arquivados em mais valia, na medida em que encerra uma informação mercado imobiliário. serviços da administração pública. predial de qualidade que, mediante a certificação dos É neste quadro que se tem assistido, por um lado, à A par da simplificação de procedimentos e com ela registos em vigor e das apresentações pendentes sobre simplificação dos actos registrais, mediante a eliminação intimamente relacionado, criaram-se, ainda, condições prédio descrito, se apresenta como uma informação de formalidades, simplificação de procedimentos e legais para possibilitar a promoção de actos de registo segura, completa e permanentemente actualizada. criação de balcões únicos, como o “Casa Pronta” e o predial pela Internet. Por outro lado, apresenta custos reduzidos – em “Balcão das Heranças e Divórcio com Partilha” e, por O registo predial online permite, a quem seja portador 80% - face aos custos da certidão em suporte de papel, outro lado, ao desenvolvimento das novas tecnologias de um certificado digital e através do endereço www. podendo, inclusivamente ser gratuita se, durante o de informação na justiça, mediante a disponibilização de predialonline.mj.pt, que, de uma forma mais cómoda prazo de validade do acesso à certidão - 1 ano, renovável novos serviços através da Internet. e simples, mas ao mesmo tempo, célere, segura e por períodos de igual duração - vier a ser requerido, Com a eliminação da competência territorial das transparente, se promovam através da Internet actos de através da Internet, um pedido de registo predial sobre conservatórias do registo predial simplificou-se e registo predial. o prédio a que a mesma respeita. Presidente do Instituto facilitou-se a relação dos cidadãos e das empresas com Evitam-se, deste modo, e para aqueles que a ele dos Registos e do Notariado, I.P. os serviços de registo, tornando-se possível a prática pretendam recorrer, deslocações às conservatórias. de actos de registo predial em qualquer conservatória, Por outro lado, concedem-se benefícios a nível independentemente do lugar da situação do prédio. emolumentar, mediante a consagração, para os actos que sejam promovidos por esta via, de uma redução em 20% dos custos associados ao registo.
  6. 6. Jardins de Birre Apartamentos T2, T3 e T4 com amplas áreas, cozinhas Míele e boxes individuais p/ 2/3 carros. Inseridos num dos condomínios mais completos de Cascais, com amplos jardins, 2 piscinas, uma delas infantil, sauna, banho turco e ginásio equipado. Comprove a qualidade de vida que espera por si, marque já uma visita ao local. Cabo da Roca T2 Ter r eno S a nt a E ngr a c i a Espectacular terreno com vista Apartamento com vista de rio, em magnífica sobre o mar, projecto prédio antigo, apenas com 3 aprovado e licença a pagamento pisos. Totalmente remodelados. para uma moradia de 490 m2 e Acabamentos cuidados, man- uma piscina com 54 m2, do tendo a traça antiga. Sala com cRQceituado arquitecto Raul acesso a varanda com vista de rio, cozinha totalmente remode- Vieira. lada e equipada ID: 11997 ID: 11984 Moradi a T4 Santa Catarina - T1 C a scai s - Gui a Apartamento Pombalino com vista Moradia contemporânea com total de rio, bem situado e bem vista de mar, inserida num servido de transportes. Sala prestigiado condomínio privado (28m2), quarto (17m2), cozinha junto j Quinta da Marinha, a dois (13m2),,WC (9m2) completa. passos do passeio marítimo. Exposição solar Sul Poente. Segurança, privacidade, piscina Estacionamento privado no Largo e jardins Privativos. com segurança ID: 12012 ID: 11983 T3 Cascai s P a r que N a t ur a l da OPORTUNIDADE Arrábida Espectacular Moradia com Excelente apartamento T3 Duplex, com vista deslumbrante 1.500 m2, propriedade com do terraço sobre a baía de 23.000 m2, lago, mini-zoo, Cascais. Excelentes acaba- horta e pomar, piscina interior e mentos, cozinha Equipada exterior, sauna, campos de Míele, condomínio com piscina, ténis e futebol e uma vista sauna, ginásio e segurança 24h. deslumbrante sobre a serra da ID: 11896 Arrábida. ID: 11873 T2 Cascai s M or a di a T4 Óptimo apartamento T2, Azeitão inserido num dos condomínios Aconchegante moradia T4 com mais exclusivos de Cascais, jardim e piscina, próximo aos trans- com vista soberba da piscina. portes, zona comercial e campo de Amplos Jardins, Salão de golfe. A moradia possui cozinha Festas, Salão de Jogos, Parque Infantil, Sauna, Ginásio e Sala equipada, alarme, aquecimento cen- de Massagem. tral, aspiração central e um poço. ID: 12055 ID: 11769 Lisboa : 21 317 38 80 AMI 804 Cascais : 21 460 40 80 clientes@consultan.com www.consultan.com
  7. 7. 8 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 Actualidade Brasil é o país convidado do SIL – Salão Imobiliário de Portugal Maio negociou 2500 m2 Rui Pedro Lopes de escritórios Certame arranca no O Lisbon Prime Index registou durante Lisboa quer no corredor Miraflores próximo dia 17 de o mês de Maio, cerca de, 2500 m2 de – Porto Salvo. No interior da capital, Setembro e deverá área de escritórios negociados no mer- houve apenas o registo de um negó- contar com cerca de 300 cado monitorizado pelo índice. Este cio de 123 m2 no Parque das Nações, valor revela uma descida da absorção contra quase dois mil m2 no mês ante- expositores. SIL Meeting em relação ao mês de Abril em termos rior, enquanto que na zona Oeste não Point é uma das novidades de volume, embora no número total houve nenhum negócio, quando no de negócios o segundo mês deste tri- mês de Abril a absorção ultrapassou os O Brasil será o país convidado da 12.ª mestre apenas tenha registado menos mil m2. A menor absorção, suportada edição do SIL – Salão Imobiliário de cinco contratos. Apesar de ter havido por uma redução em menor escala do Portugal, que se inicia no próximo dia uma redução durante este mês, a mé- total de negócios, é resultado da nego- 17 de Setembro e que decorre até 20 do dia dos períodos homólogos dos anos ciação de espaços de menor dimen- mesmo mês. Este certame conta com anteriores situava-se num patamar a são, neste mês a área média arrendada um “vasto conjunto de novidades”, no- rondar os dez mil m2, o valor alcança- situou-se nos 174 m2. Este pormenor meadamente o “maior leilão imobiliá- do supera o mês de Janeiro que conti- tem influência nos valores médios de rio realizado em Portugal”, a 1.ª edição nua a ser o mês com menos absorção arrendamento, porque à medida que dos Prémios Nacionais do Imobiliário, do corrente ano. as empresas tentam optimizar os espa- a Bolsa de Arrendamento e o Espaço O segmento mais afectado pelo pou- ços ocupados, estão a contribuir para de Reabilitação e Requalificação co movimento mensal foi a absorção o aumento dos preços uma vez que os Urbana. nos espaços em edifícios de primeira pequenos espaços são normalmente Segundo Jorge Oliveira, director de ocupação, quer dentro da cidade de mais onerosos. Área de Feiras da FIL, em entrevista ao PÚBLICO Imobiliário, a escolha Esperados 40 mil visitantes Lisboa Novo LN do Brasil mantém a tradição do SIL de ter anualmente um país convidado. guma vez realizado em Portugal, nos sector imobiliário”, “o sector imobili- Depois de Angola (2006), Cabo Verde dias 19 e 20 de Setembro”. “O SIL pre- ário e o turismo residencial no espaço 2.500 m2 20 €/m2 (2007) e Moçambique (2008) chegou tende passar a mensagem de que tem da lusofonia” ou “reabilitação, requali- agora a vez do Brasil “estar em des- boas oportunidades de negócio para ficação urbana e eficiência energética 2.000 m2 taque neste certame”, que “contou os mais diversos tipos de visitantes”, em edifícios”. sempre com uma forte presença de acrescenta o director de Área de Feiras Jorge Oliveira destaca ainda a re- empresários daquele país”. Além dis- da FIL. alização, pela primeira vez, do SIL 1.500 m2 so, “o Salão Imobiliário de Portugal A primeira edição dos Prémios Meeting Point, que “será um pon- 15 €/m2 aposta claramente em ser o epicentro Nacionais do Imobiliário é uma das to de encontro de representantes de debate e de negócios imobiliários novidades deste ano. O objectivo é de vários países com as nossas em- 1.000 m2 entre os países do espaço da lusofo- “distinguir a qualidade e criar uma presas que tem empreendimentos nia”, frisou. marca que se traduza num factor de di- e projectos para este mercado”, e a 500 m2 A organização aposta forte na edi- ferenciação do evento”, garante Jorge criação do Espaço de Reabilitação e ção deste ano, Para já, as expectativas Oliveira, informando que os prémios Requalificação Urbana. estão bem altas, como o atestam o nú- estarão divididos por dez categorias. Questionado sobre a antecipação 0 m2 10 €/m2 JAN 09 FEV 09 MAR 09 ABR 09 MAI 09 JUN 09 mero de expositores (cerca de 300) e Outra das novidades será a Bolsa do Salão Imobiliário de Portugal para de visitantes (mais de 40 mil) espera- de Arrendamento. “O apoio do salão o mês de Setembro, o director de Área Área Renda Média Renda Máximo dos nos quatro dias de feira. ao desenvolvimento do mercado de de Feiras da FIL esclareceu que essa O reforço das iniciativas a realizar arrendamento prende-se com o con- decisão ficou a dever-se a duas razões: durante o evento é também reflexo senso geral de que é neste momento “Por um lado, articularmos o evento dessa aposta. Para Jorge Oliveira, um importante para o mercado imobili- em função do calendário eleitoral para dos grandes destaques será a realiza- ário aumentar significativamente os não haver sobreposição e, por outro, Visite www.imometrica.com para saber mais sobre ção do “maior leilão imobiliário al- novos contratos de arrendamento”, pelo facto de em Outubro estarmos o Lisbon Prime Índex. Proibida a reprodução. informa o responsável. pela primeira vez na feira Constrói O já tradicional Ciclo de Conferências, Angola, em Luanda, com empresas a decorrer nos dias 17 e 18 de Setembro, do sector imobiliário”. promete ser um “lugar de discussão Participantes de todos os grandes temas da actua- lidade relacionados com o mercado imobiliário”. Entre os temas a abordar contam-se “o mercado financeiro e o Guedes Pinto reforça internacionalização com aposta na Croácia e Bósnia A Guedes Pinto está a iniciar a sua ex- As operações da empresa na Croácia “Em 2008, efectuámos estudos de pansão para os Balcãs. A decisão surge e Bósnia incidirão nos projectos de re- potencial de mercado nestes países e no ano em que a empresa especializa- talho e serviços. A empresa terá como detectámos oportunidades de negócio da em mediação, gestão, consultoria parceiros investidores portugueses e na área de retalho e serviços. A Croácia e marketing imobiliário comemora 25 operadores locais. e a Bósnia estão em clara expansão, anos de existência e após a internacio- Na Croácia, a Guedes Pinto pretende estando o mercado do retalho ainda nalização para Espanha, em 2006. explorar projectos em cinco cidades: em crescimento, pelo que estamos cer- Numa primeira fase, as grandes Zagreb, Dubrovnik, Rijeka, Varaždin e tos de que seremos bem sucedidos”, apostas serão os mercados da Croácia Split. Já na Bósnia, a empresa portu- sublinhou Sérgio Pinto, director-geral e da Bósnia, sendo que a Guedes Pinto guesa está a desenvolver operações em da Guedes Pinto. P.F. admite poder avançar para outros pa- Sarajevo – onde actualmente já estão íses na mesma zona no futuro. identificados dois projectos para espa- ços comerciais – e Banja Luka.
  8. 8. SEMINÁRIO NACIONAL DA APEMIP EM LISBOA FIL 18 DE SETEMBRO SALÃO “IMOBILIÁRIO PERSPECTIVA IMOBILIÁRIO A RECUPERAÇÃO” DE PORTUGAL PROGRAMA 14:15 SIMPLIFICAR PARA SERVIR MELHOR RECEPÇÃO DOS PARTICIPANTES JOÃO TIAGO SILVEIRA, Secretário de Estado da Justiça 15:00 INTERVENÇÃO DE ABERTURA DESENVOLVIMENTO SUSTENTADO LUÍS CARVALHO LIMA, ALEXANDRE FERNANDES, Presidente da Direcção Nacional da APEMIP Director Geral da Agência para a Energia REABILITAÇÃO E REGENERAÇÃO URBANAS IMÓVEIS DA BANCA - Consequência da Crise e FERNANDO SANTO, Oportunidade de Negócio Bastonário da Ordem dos Engenheiros ERIC KLESTA, Subdirector Geral Internacional da UCI A MAIORIDADE DA AUTO-REGULAÇÃO ROGÉRIO ALVES, 18:00 Bastonário da Ordem dos Advogados (2005/2007) ENCERRAMENTO FERNANDO TEIXEIRA DOS SANTOS, * NOVOS PARADIGMAS, NOVAS EXIGÊNCIAS Ministro de Estado e das Finanças e Ministro da PAULO CAMPOS, Economia e da Inovação Secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações * a confirmar PAUSA PARA CAFÉ Para mais informações: DIRECÇÃO NACIONAL Rua D. Luís de Noronha, Nº 4, 2º Piso 1069-165 Lisboa Tel 217 928 770 - Fax 217 958 815 Email: geral.dn@apemip.pt Direcções Regionais: Norte_Tel: 225 089 163 Centro_Tel: 239 814 111 Sul_Tel: 289 388 728 Patrocinador Apoio: ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA DE PORTUGAL Oficial:
  9. 9. 10 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 Resort The Residences at Victoria Club equipadas com elevadores da Schmitt+Sohn A Schmitt-Elevadores foi a responsá- vel pela instalação dos elevadores no empreendimento de turismo residen- cial The Residences at Victoria Club de Golfe, em Vilamoura. A empresa por- tuguesa, que está integrada na multi- nacional alemã Schmitt+Sohn, insta- lou 10 ascensores eléctricos ISI2040, equipamentos com capacidade para o transporte de 630 kg/8 pessoas e sem casa de máquinas. “Os produtos instalados no The Residences, ao não incorporarem casa de máquinas, exi- gem uma reduzida necessidade de es- paço, permitindo reduzir o consumo de energia e de operação, numa clara aposta na sustentabilidade”. Miguel Franco, um dos administra- dores da Schmitt-Elevadores, afirmou que “os produtos instalados neste em- preendimento conjugam poupança de recursos energéticos, design, moderni- dade e conforto, e um elevado nível de segurança. Foram uma solução total- mente adequada a este projecto, que Projecto representa investimento de 40 milhões de euros partilha destes valores e que procura proporcionar uma experiência de lu- xo aos seus utilizadores e cliente, em Longevity Wellness Resort tem 87% todas as componentes do empreendi- mento, começando desde logo pelos materiais e equipamentos utilizados. dos apartamentos colocados O The Residences at Victoria Clube de Golfe é uma das componentes do cluster Jardins Victoria, promovido pe- lo Grupo André Jordan, em Vilamoura, Depois de 18 meses de comerciali- gerados pela exploração turística do sos equipamentos de lazer (Longevity e que integra, numa área total de 125 Pedro Farinha zação, os responsáveis pela empresa resort durante todo o ano”. Assim, o Spa by La Clinique de Paris, Longevity hectares, um campo de golfe, um Portugueses são os que promotora fazem um balanço “muito grupo garante uma rentabilidade anu- Cuisine by Olivier, ginásio, piscinas ex- hotel Tivoli de 5 estrelas e outro em- positivo” das vendas registadas até ao al de 5 por cento nos primeiros três teriores e interiores; driving range e preendimento residencial, o Victoria mais têm procurado este momento. Recorde-se que foram colo- anos e prevê uma rentabilidade entre putting green, biblioteca, internet café Boulevard, entre outros. P.F. projecto localizado na cados à venda 120 dos 195 apartamen- 6,5 e 7,5 por cento nos anos seguintes, e deck de meditação), assumindo-se serra de Monchique tos que o empreendimento compreen- com base numa taxa de ocupação tu- como “o primeiro resort no Algarve derá aquando da sua conclusão. rística de 50 por cento. com uma abordagem única e integrada Os portugueses são quem mais tem em bem-estar, anti-envelhecimento e Cristina Jorge O Longevity Wellness Resort já conta procurado este resort (53 por cento Projecto pioneiro rejuvenescimento”. com 87 por cento da sua componente das vendas), seguindo-se os espanhóis Estendendo-se por uma área de 36 O projecto integra também 195 apar- de Carvalho e habitacional colocada, avançou o gru- (15 por cento), canadianos (10 por cen- mil metros quadrados, o Longevity tamentos T1 com três pisos e áreas en- po Longevity. O projecto, localizado to), angolanos (nove por cento) e islan- Wellness Resort inclui um Hotel tre os 60 e os 90 metros quadrados. As IRG estabelecem na serra de Monchique, deverá estar deses (cinco por cento). Apartamentos de cinco estrelas e diver- habitações estão “totalmente mobila- concluído até ao final do ano e repre- De acordo com o grupo Longevity, das e equipadas” e dispõem de sala, parceria senta um investimento de 40 milhões este projecto permite que o “proprie- suite, terraço, kitchenette e duas casas de euros. tário seja também um investidor ho- de banho. teleiro, beneficiando de dividendos O atelier CJC – Interior Design anunciou ter estabelecido uma parceria com a International Realty Group (IRG). Esta iniciativa visa criar sinergias entre as duas empresas e permite à IRG “ofere- ADIT cria universidade para o sector imobiliário cer aos seus clientes um serviço com- pleto de aconselhamento em decoração e arquitectura de interiores”. Liselore te direccionados para profissionais e para captação de investimentos inter- Ligtermoet, directora de Marketing da Rui Pedro Lopes empresas brasileiras, estando pre- nacionais”. IRG, afirmou que “é importante para a A Associação para o Desenvolvimento vista, para uma fase posterior, a sua “Queremos colocar as empresas bra- IRG estabelecer este tipo de ‘alianças’ Imobiliário e Turístico do Nordeste abertura a profissionais e empresas sileiras e estrangeiras em sintonia. A com empresas que têm, como nós, um Brasileiro (ADIT Nordeste) vai criar estrangeiras. Em aberto está também realização desse projecto ajudará os target de luxo. Temos a certeza que uma universidade especificamente possibilidade da realização de parce- empresários do Brasil a se prepararem será um sucesso pois partilhamos os dedicada ao sector imobiliário. rias com entidades e instituições de melhor para negociar com investidores mesmos valores e uma visão que se en- “Promover o aperfeiçoamento de ensino internacionais. estrangeiros, como irá facilitar a cap- quadra na perspectiva estratégica da empresas e profissionais do mercado Até ao momento, a ADIT Nordeste tação de investimentos para o Brasil”, IRG”. Já Cristina frisou que “esta parce- imobiliário e turístico é um dos princi- já estabeleceu contactos com diversas explicou Peiaxoto Accyoli, director ria é um desafio que não pude deixar pais objectivos da Universidade ADIT”, instituições de ensino no Rio de Janeiro executivo da ADIT (na foto). de aceitar pois permitirá, por um lado, revelam os promotores da iniciativa. e São Paulo e realizou reuniões com a que o CJC – Interior Design coloque o O início de actividade está previsto Fundação Getúlio Vargas, o Instituto seu know-how ao serviço de uma pres- para o segundo semestre deste ano, Brasileiro de Mercado e Capitais e a tigiada empresa e, por outro, que a IRG sendo que os cursos serão inicialmen- Universidade de São Paulo. possa oferecer aos seus clientes uma O primeiro curso a ser leccionado mais valia que a diferenciará e valoriza- será o de “Como preparar projectos rá no mercado imobiliário”. P.F.
  10. 10. - o
  11. 11. 12 • Público Imobiliário • Quarta-feira 9 Setembro 2009 Actualidade Factores que influenciam compra de imobiliário turístico estão a mudar ILM Advisory divulga estudo que chama a atenção para mudanças no mercado. Identificada subida ligeira das vendas e dos pedidos de contactos Rui Pedro Lopes 10-10-10 Confiança no mercado; preço do pro- duto; variações cambiais; segurança e “Monitorizar a clima. Estes são, segundo um estudo da ILM Advisory, os cinco factores de- performance do terminantes na decisão de quem com- mercado de turismo pra imobiliário turístico em Portugal. residencial” O mesmo estudo identifica a Turquia como o principal concorrente do nos- so país neste mercado. Andrew Coutts, presidente A actual crise económica e financei- do Grupo ILM, explicou ao ra continua a deixar marcas no mer- PÚBLICO Imobiliário o que é cado imobiliário, sobretudo na sua o «10-10-10» e que empresas vertente turística. Há quem defenda constituem este barómetro. que o paradigma está a mudar e que nada será como dantes. PÚBLICO Imobiliário – O que Para já, os factores que influenciam é o «10-10-10» e qual é o seu a compra deste tipo de activos alte- objectivo? raram-se. “Destinos turísticos mais Andrew Coutts – Durante o consolidados, onde a oferta é mais último Verão [2008], fomos vasta, tendem a denunciar um inte- questionados por várias resse mais fraco do mercado, isto num vezes acerca da maneira período em que o factor preço assu- como sentíamos o futuro me particular relevância por parte de deste mercado, ou seja, o que quem procura e compra uma unida- iria acontecer futuramente. de de imobiliário, assumindo o ‘value E o que concluímos foi que for money’ e a confiança no mercado para sentir o mercado era posições determinantes na decisão de preciso estar dentro dele. compra”, pode ler-se naquele estudo, Portanto, o que decidimos que resulta da análise das conclusões foi ir buscar esse sentimento do barómetro trimestral «10-10-10» ao mercado e criámos uma (ver caixa), produzido a partir das coisa extremamente simples, opiniões de promotores/investidores Arrendamento para férias um mecanismo que permite e agentes imobiliários a operar em cresceu nos primeiros meses monitorizar a performance do Portugal. deste ano mercado de turismo residencial. O que também está a mudar são os Foi isso que fizemos! Faltava principais concorrentes do nosso país Vendas aumentam “Tanto para os promotores como nível dos apartamentos e villas sendo apenas encontrar as pessoas no mercado de turismo residencial. Um dado positivo apontado por este agentes imobiliários consultados os que o arrendamento de villas assumiu ideais para perceber qual A Turquia ultrapassou a Espanha no estudo prende-se com a subida ligeira apartamentos e villas são as proprie- maior relevância no volume de activi- era o sentimento do mercado. rol das principais ameaças com que das vendas e dos pedidos de contac- dades com maior peso na actividade dade dos agentes imobiliários. A ten- Elaborámos dez perguntas e Portugal terá de se confrontar num tos no mercado de turismo residen- global reportada, variando os preços dência do arrendamento para férias fomos ter com dez promotores futuro próximo. O estudo diz que es- cial, durante o primeiro trimestre médios por m² entre os 2.800 euros e em apartamentos ou villas será para e dez agentes imobiliários, te fenómeno é resultado do “impacte deste ano, face aos últimos três me- os 3.296 euros para os agentes imobili- manter ou mesmo aumentar. Portugal, dos mais reconhecidos do catastrófico que a actual crise eco- ses de 2008. Este crescimento ficou ários, e os 3.196 euros e os 3.296 euros Inglaterra, Espanha e Alemanha veri- nosso mercado, e pedimos nómica provocou no destino vizinho a dever-se sobretudo ao “aumento da para os promotores. De concluir que ficam um interesse de mercado entre que respondessem a essas tanto a nível da deterioração dos pre- confiança” neste segmento, sendo que a diferença entre os valores de venda o similar e o forte com tendência para perguntas. O que queríamos ços como do produto em venda e em o Algarve foi a região “onde se verifi- por m² apontados resultam, por certo, aumentar”, assinala o estudo. era aquilatar da performance construção. A posição da Turquia é caram maiores indícios de aumento do facto de a carteira de imóveis de um do mercado, bem como o por certo resultante do esforço comer- de actividade, explicados talvez com agente imobiliário ser mais diversifica- seu sentimento e níveis de cial e promocional que tem feito para os sinais de regresso do mercado bri- da do que a do promotor”, acrescenta confiança. Algumas das se afirmar como destino de turismo tânico”, nota o estudo. o documento da ILM Advisory. questões que colocámos eram residencial”. O arrendamento para férias foi outra bastante directas, até porque o Ainda assim, a Espanha ocupa a se- das áreas que cresceu nos primeiros objectivo era obter dados claros gunda posição na lista dos mercados meses deste ano, sobretudo devido ao sobre a situação actual do que representam uma ameaça com- factor sazonalidade. “Em termos de mercado. Os resultados destes petitiva para Portugal, seguindo-se a mix de oferta a procura verifica-se ao questionários são analisados, Grécia, Chipre, Itália e os países do tratados e publicados a Norte de África. cada quatro meses. Assim poderemos comparar a evolução do próprio mercado. Que empresas estão presentes neste barómetro? Os promotores são: Norte Golfe, Bom Sucesso, Orizon, MSF – Tur. Im, Newlyn Portugal, Pestana Imobiliária, Vale do Lobo, grupo Oceânico, Aquapura e Grupo Duarte. Os agentes imobiliários são: Abacus Savills, Atlantic Estates, Garvetur, IRG, Sadlers – Knight Frank, Winkworth, Consultan e Engel Volkers.

×