CURSO BÁSICO DE FOTOGRAFIA                                                             01 de Agosto de 2004INTRODUÇÃO – HI...
Foto em forma de quadrado                 Tipos:                     • SLR (Single-lens Reflex)                     • TLR ...
•   Sem modos pré-definidos                 All-in-Ones                     • Lentes não intercambiáveis                  ...
Formato APS      •   Advanced Photo System      •   Criada a partir de um consórcio de empresas:                 Kodak, Fu...
•      Comparativo dos Formatos                               Vantagens                                   DesvantagensPoin...
COMPONENTES DE UMA CÂMERA SLR:     •   Corpo     •   Visor     •   Lente     •   Diafragma     •   Obturador     •   Dispa...
•   Câmeras “Pinhole” (furo de alfinete)    A maneira mais simples de formar uma imagem é através de um furo de    alfinet...
•   Distância Focal:       •   Comparativo do tamanho do filme x lente normal               Tamanho do Negativo           ...
•   Objetivas Macro      •   Objetivas capazes de fazer um foco à distâncias muito curtas (menos          de 30 cm)      •...
•   Situações variadas e suas opções de lentes:                              Objetiva      Situação                       ...
•     Obturador           Dispositivo instalado atrás do diafragma que abre por frações de segundo,           deixando a l...
•   Modos Programados             •      P (Program)                           Semelhante aos modos automáticos, porém com...
•   Velocidade (“Shutter Speed”):      A velocidade do obturador é controlada por um marcador que assinala as      frações...
FILMES  •   Nomenclatura            •    ISO – International Organization for Standardization            •    ASA – Americ...
•   Slide x Cópias coloridas em Papel                   Diapositivos                                    Negativos    O cus...
FILTROS  •   Estrela de Cores:                             A Estrela de Cores ajuda a prever o efeito que os filtros      ...
•   Filtros muito utilizados:         o   Neutral Density (ND): +2 ou +4 – Serve para diminuir a quantidade             de...
•   Cálculo de Exposição - Modo I:       Em muitas máquinas o modo B (Bulb) não possui controle de medição de luz.       P...
•   Prédios à noite       Equipamento necessário:       •   Câmera SLR 35mm com lentes 28-70mm ou uma grande angular      ...
•   Silhuetas (contra-luz):       Equipamento necessário:       •   Câmera SLR 35mm com B (Bulb)       •   Lentes padrões ...
•   Zoológico - Padrões Naturais:       Equipamento necessário:       •   Camera SLR 35mm       •   Lentes padrões ou com ...
BIBLIOGRAFIA1. Guia Completo de Fotografia – John Hedgecoe, Livraria Martins Fontes   Editora Ltda – 19982. Guia Prático d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Curso basicofoto

5.322 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
60
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
463
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso basicofoto

  1. 1. CURSO BÁSICO DE FOTOGRAFIA 01 de Agosto de 2004INTRODUÇÃO – HISTÓRIA DA FOTOGRAFIA Início dos anos 1800 • Joseph Nicephore Niépce o 1822 - Primeiro a produzir imagens negativas em papel sensível à luz • Henry Fox Talbot o 1839 - Criou o processo negativo-positivo • Louis-Jacques-Mandé Daguerre o 1839 - Criou o primeiro processo fotográfico, chamado daguerreotype • George Eastman o 1884 - Criou o filme flexivel o 1888 - Criou a Kodak o 1906 - Criação do filme pancromático (sensível a todas as cores) • Irmãos Lumiere o 1907 - Primeiro processo comercial de fotografia colorida • Leopold Godowsky e Leopold Mannes o 1935 - Criou o filme cromo (slide) em parceria com a Kodak • Dr. Edwin Land o 1947 - Criou a Camera Polaroid instantânea • 20 de Julho de 1969 o Neil Armstrong usa uma Hasselblad com filme Kodak para fotografar Buzz Aldrin andando na LuaTIPOS DE CÂMERAS: • Formato Grande o 4 x 5, 8 x 10 pol., … o Divididas em dois modelos: • Studio • Campo o Filmes vem em forma de cartucho o Marcas Famosas: • Toyo, • Canham, • ... • Formato Médio o 645 Imagens produzidas em filmes 120/220 são de aproximadamente 6x4.5 cm 2.7X maior que 35mm 120 - 15 exposições 220 - 30 exposições o 6 x 6 cm Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 1 de 22
  2. 2. Foto em forma de quadrado Tipos: • SLR (Single-lens Reflex) • TLR (Twin-lens Reflex) 3.6X maior que 35mm 120 - 12 exposições 220 - 24 exposições o 6 x 7 cm Chamado originalmente de “Filme Ideal”, proporcional ao filme 35mm 4.5x maior que 35mm 120 - 10 exposições 220 - 20 exposições o Outros Formatos: 6 x 8 cm • Único modelo: Fujifilm GX680III • 120 - 8 exposições • 220 - 16 exposições Formato panorâmico: • 6 x 12 cm • 6 x 17 cm o Marcas Famosas: Mamiya Rolleiflex Hasselblad Pentax Contax Bronica Fujifilm ...• Formato 35 mm o Possuem mais de 200 tipos de câmeras o Possuem mais de 120 tipos de filmes o Preços variam de R$ 20,00 (câmeras descartáveis) até R$ 10.000 (câmeras profissionais) o Tipos de câmeras 35 mm: AF SLRs • WYSIWYG • Lentes intercambiáveis • Câmeras amadoras e profissionais • Controles automáticos e manuais • Modos pré-definidos: o Auto o Retrato o Paisagem o Fotos Noturnas (longa exposição) o Macro o ... MF SLRs • Semelhantes as AF SLRs • Foco sempre manual Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 2 de 22
  3. 3. • Sem modos pré-definidos All-in-Ones • Lentes não intercambiáveis • Olympus’s IS-series ZLRs (Zoom-Lens Reflexes) Rangefinder • Sem o espelho das câmeras SLRs • Mais silenciosa e menor vibração • A visão não é pelas lentes (Parallax) • Leica M6, Contax G2, … Single-lens Reflex (SLR) • Nikon F60, Canon EOS 3, Pentax MZ7, etc… Compactas• Comparativo por Tipo de Filme 35 mm 6 x 4.5 cm 6 x 7 cm 6 x 6 cm Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 3 de 22
  4. 4. Formato APS • Advanced Photo System • Criada a partir de um consórcio de empresas: Kodak, Fuji, Nikon, Canon e Minolta • Filmes para: 15, 25 ou 40 fotos • O negativo é aproximadamente 60% do tamanho das 35mm • Estrutura de grão avançada, garantindo a qualidade de impressão • Tipos de impressão: C-print (Clássico 10x15cm) H-print (HDTV 10x18cm) P-print (Panorâmica 10x25) • Permite trocar de filme na metade. • Pouca variedade de filmes e já está obsoleto. • Tipos de câmeras: Descartáveis Automáticas fixas Automáticas com zoom SLRs • Equivalência de Distância Focal: Formato 35mm Formato APS 22 mm 28 mm 28 mm 35 mm 50 mm 60 mm 80 mm 100 mm 120 mm 150 mm 170 mm 210 mm 240 mm 300 mm• Formato Digital • 4 Megapixel ~ 6 Megapixel US$ 300.00 ~ 600.00 Exemplos: • Canon S60 5MP • Nikon Coolpix 5200 5.1MP • Nikon Coolpix 5400 5.1MP • Fuji FinePix E550 6MP • 8.2 Megapixel ~ 11.1 Megapixel (profissional) US$ 5,000 ~ 8,000 (+/- R$ 25,000) Exemplos: • Canon 1D Mark II 8.2MP • Canon 1Ds 11.1MP • Kodak DCS Pro SLR 13.8MP • Nikon D1x 5.47MP • Requisitos: Computador Impressora Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 4 de 22
  5. 5. • Comparativo dos Formatos Vantagens DesvantagensPoint & Shoot • Facilidade no uso. Não existem muitos • Indisponibilidade ou inexistência de controles para se preocupar. acessórios. • Facilidade de carregar. Muitas cabem • A idéia de apontar e tirar a foto é facilmente em bolsos de casacos. uma ilusão. Você precisa ser praticar e levar a sério a fotografia para tirar boas fotos.Rangefinder • Imagem no visor bem clara. • Problema com Paralaxe em fotos onde • Você pode trocar as lentes. seu objeto esta muito próximo • Câmera muito silenciosa. Twin-lens • A imagem no visor é do mesmo • Problema com Paralaxe em fotos ondeReflex (TLR) tamanho que a imagem real. seu objeto esta muito próximo. • Não existe o bloqueio da imagem no • A imagem no visor aparece de cabeça momento da exposição para baixo. • A grande maioria não permite mudar as lentes (com exceção da série C da Mamiya). • Podem ser relativamente grandes e pesadas. Single-lens • Uma grande variedade de lentes e • A imagem no visor é mais escura Reflex acessórios. devido às lentes e ao prisma. O que (SLR) • Imagem na posição correta. pode ser um problema quando há falta de luz. • Bloqueio da imagem no momento da exposição. Algumas ainda mantêm a imagem bloqueada até o transporte do filme. • Movimento do espelho e do diafragma contribui para tremer a câmera. • Operação relativamente barulhenta.Panorâmica • Fotos com ângulos extrema-mente • Uso limitado abertos. (visão de 100 à 150 graus) • Com o grande tamanho dos negativos, pode ser difícil revelar e ampliar as fotos. • A câmera é muito cara. Digital • As imagens ficam disponíveis • Equipamentos para atingir grandes imediatamente para visualização e resoluções são muito caros e deleção. Isto pode ser muito útil para requerem muita capacidade dos grandes organizações de seguros, computadores. Hoje para atingir a registros e etc… qualidade de uma foto de médio • As imagens poder ser facilmente formato, você ainda irá gastar muito editadas com softwares de última dinheiro. geração. • A qualidade da foto esta diretamente • Não existe a necessidade de salas relacionada a capacidade do sensor escuras e produtos químicos. de sua máquina digital. Quanto • Imagens armazenadas em CD se melhor o sensor mais cara a máquina. tornam fácil de ser arquivadas. Quanto melhor a qualidade da foto, mas máquina (computador) será necessário • Imagens armazenadas em meios magnéticos são sensíveis a campos eletromagnéticos. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 5 de 22
  6. 6. COMPONENTES DE UMA CÂMERA SLR: • Corpo • Visor • Lente • Diafragma • Obturador • Disparador • Fotômetro • Corpo Hermeticamente vedado à luz, acondiciona o filme fotográfico, um material fotossensível, e acomoda os demais mecanismos de funcionamento da câmara. O corpo pode ser de plástico, metal ou a combinação de ambos, dependendo da marca e modelo. • Visor Permite compor a imagem antes de fotografar. Existem dois tipos: o direto, usado nas câmaras de amador, e o reflex, que utiliza penta-prisma enxergando através da lente exatamente o mesmo que será fotografado. • Lente É o olho da máquina fotográfica. Transfere a imagem para o plano da câmara, reduzindo-a no formato do filme. Nas máquinas reflex é intercambiável, o que permite variações no nível de aproximação, ângulos de visão. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 6 de 22
  7. 7. • Câmeras “Pinhole” (furo de alfinete) A maneira mais simples de formar uma imagem é através de um furo de alfinete(“Pinhole”). A luz refletida, de qualquer fonte, sobre um objeto irá passar sobre este buraco, produzindo uma imagem (chamada de image- circle) deste objeto. O acumulo destas imagens sobrepostas compõe a imagem total. As imagens geradas por estes pinholes são geralmente difusas e sem muita definição. Quando os raios de luz atingem a uma superfície arredondada de vidro, como uma lente, eles mudam de direção. Controlando o formato dos vidros, é possível redirecionar os raios de luz, fazendo com que os raios criem uma imagem mais nítida. Esta é a razão para o uso das lentes, ajustar a nitidez das imagens. Os princípios óticos básicos do pinhole são comentados em textos chineses do quinto século AC. Os escritores chineses tinham descoberto por experiências que a luz viaja em linhas retas. O filósofo Mo Ti (depois Mo Tsu) foi o primeiro a gravar a formação de uma imagem invertida com um pinhole ou uma tela. O Mo Ti estava ciente que os objetos refletem a luz em todos os sentidos, e que os raios do alto de um objeto, ao passar através por um furo, produzirão a parte mais inferior de uma imagem.• Distância Focal: Calculando a diagonal do fotograma (tamanho da janela do obturador) e transportarmos essa medida para a distância focal teremos uma objetiva normal, ou seja, uma objetiva na qual as relações de distância e perspectiva não se alterem. A diagonal do fotograma das câmeras que usam filmes 35 mm é de aproximadamente 43 mm, mas 50mm é tida como normal. Então para câmeras de 35mm, as lentes acima de 50mm são consideradas teles e abaixo grande-angulares. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 7 de 22
  8. 8. • Distância Focal: • Comparativo do tamanho do filme x lente normal Tamanho do Negativo Lente Normal 35 mm 50 mm 4.5 x 6 cm 75 mm 6 x 6 cm 80 mm 6 x 7 cm 90 mm 6 x 9 cm 110 mm 4 x 5 pol 150 mm 5 x 7 pol 210 mm 8 x 10 pol 300 mm• Efeito da lente na fotografia Grande-Angular Normal Teleobjetiva 06 a 40 mm 45 a 55 mm 60 a 2000 mm Distorção de Bastante Pouca Pouca Borda Profundidade de Bastante Normal Pouca Campo Bastante Luminosidade Média Pouca (até f/1.0) Distante Foco Mínimo Perto ~ 20 cm > 4.5 m Relação de Distancia Não altera Aproxima Planos• Objetivas ZOOM • Não possuem distância focal fixa; • Alguns fotógrafos profissionais (de estúdio) não gostam destas objetivas, pois acreditam ter menor qualidade ótica; • Mas para jornalismo e fotos de eventos, estas objetivas tornam a vida muito mais simples, pois você pode dar mais ênfase ao seu assunto o aproximando com o Zoom da lente, sem ter que estar se aproximando fisicamente do seu assunto (você achará isto muito útil em um safári ☺) – ver quadro seguinte para saber qual lente deves escolher por situação; • A grande maioria destas objetivas não possuem a mesma luminosidade que as objetivas fixas; Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 8 de 22
  9. 9. • Objetivas Macro • Objetivas capazes de fazer um foco à distâncias muito curtas (menos de 30 cm) • As lentes podem variar em seu nível de ampliação, podendo ir de 0,5 para 1, ou até de 1 para 1; • Profundidade de campo muito limitada; • Muito utilizada para fotos de natureza e insetos; • Para fotos de insetos, os fotógrafos utilizam ainda um tubo extensor;• Informações que devem ser cuidadas ao comprar uma objetiva: • Luminosidade Quanto maior for a abertura melhor. Existem vários lugares públicos que não permitem o uso de tripé, e se você não tiver uma lente bem luminosa, suas fotos sairão tremidas; • Tamanho do filtro Procure ter um padrão de tamanho de filtro para não ter que comprar vários filtros ou comprar adaptadores; • Qualidade das lentes Algumas marcas possuem classificações distintas para suas lentes com melhor qualidade ótica, mas isto garantirá uma diminuição dos flares, terás mais contrastes e nitidez em suas fotos; • Velocidade do foco Procure ter um padrão de tamanho de filtro para não teres que comprar vários filtros ou comprar adaptadores; Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 9 de 22
  10. 10. • Situações variadas e suas opções de lentes: Objetiva Situação Opção 2 Opção 3 Recomendada Pequenos insetos e Zoom com opção de Tubo extensor ou filtros Macro flores macro close-up Teleconverter 1.4x ou Esportes distantes e Zoom chegando à 2x em uma tele mais Tele 400mm ou maior corridas 300mm curta e um tripé obrigatório Lentes especiais de Grandes angulares Edifícios ou árvores controle de convencionais ou teles – muito altas perspectivas (24mm ou mais curtas 35mm) Tele espelho de 500mm Tubo extensor numa Pássaro ou pequeno Tele 500mm a f/8 ou Zoom tele 200mm ou 300mm animal distante chegando à 400mm e tripé obrigatório 300mm ou zoom até 400mm ou zoom até Tubo extensor numaVida selvagem em geral 300mm 400mm tele 300mm e um tripé Ultragrande angular 15 Talvez seja necessário Grande angular 20 até Espaços apertados até 20mm (distorção um tripé ou filme 28mm será aparente) rápidoInteriores onde não se Objetivas claras 50mm Mini-tripé ou um filme Qualquer lente 2.8permite flash ou tripé a f/1.4 ou f/1.8 muito rápido ISO 800 Paisagem rural ou Zoom 28-80mm ou 80- Grande angular de 20urbana a partir de um 200mm para comprimir – até 35mm ponto fixo perspectivas Zoom 70-210mm ou Extensor 1.4x numa Retratos de Busto 85mm até 135mm similar objetiva mais curta 28mm ou zoom 24mm ou distância Grupos grandes e chegando a grande- focal mais curta se – reuniões de família angular espaço for apertado • Diafragma Íris variável que abre e fecha de acordo com a quantidade de luz incidente. Graduados em unidades f-stop, que correspondem às áreas de diafragmas, sua função é, em conjunto com obturador, controlar a exposição. Opera numa relação inversa: quanto maior o número, menor será a luz que passará pela íris. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 10 de 22
  11. 11. • Obturador Dispositivo instalado atrás do diafragma que abre por frações de segundo, deixando a luz incidir sobre o filme. É comandado por um cronômetro de altíssima precisão que, em conjunto com o diafragma, controla a exposição fotográfica. • Disparador Um gatilho que faz o disparo do obturador para expor o filme à luz e dar início a exposição fotográfica. • Fotômetro Instrumento para leitura da luz. Existem vários, dependendo do tipo de equipamento. O fotômetro serve como guia para se achar a correta exposição fotográfica. Podem ser de agulhas, leds ou programáveis • Modos de MediçãoModos de Spot/Parcial Center-weigthed Multi-zone/MatrixMedição Este modo limita a área É uma média sobre a A exposição é calculada de medição para o imagem completa, dando a partir dos elementos centro do visor. O modo Dados uma ênfase maior para a de uma matriz. Esta Spot representa de 1 àTécnicos área central. matriz é dividida de 3 à 3.5% da área da 75% da área central e 16 pontos (tipicamente imagem. Parcial cobre 25% da restante. de 6 pontos). uma área de 9.5%. Quando houver muita diferença na Quando o objeto Para fotos em geral semUtilização luminosidade ou o objeto principal ocupar uma grandes sombras ou necessitar de uma grande parte da foto. grandes luminosidades. medição precisa. Modo de medição Controle preciso da Confortável e muitoVantagens utilizado para cenas em medição. confiável. geral. Não existe controle Risco de superexposição sobre objetosDesvanta- Variações pesadas no quando a foto possuir específicos. Não se sabe gens resultado. um céu muito claro. como a câmera calcula a luz dos objetos Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 11 de 22
  12. 12. • Modos Programados • P (Program) Semelhante aos modos automáticos, porém com a possibilidade de alteração no obturador e no diafragma. • Av/A (Aperture value) Prioridade para Diafragma A velocidade do obturador é definida automaticamente • Tv/S (Time value, Shutter Speed) Prioridade para o Obturador A abertura do diafragma é definida automaticamente • M (Manual) Completamente manual.EXPOSIÇÃO • A exposição fotográfica possui dois controles básicos: Diafragma e Obturador • Diafragma (“f/stop”): controla a intensidade da luz sobre o filme • Obturador (“Shutter speed”): controla a duração da exposição sobre o filme • A exposição é a combinação da intensidade e a duração: E = Av x Tv (ou E = A x S) • A combinação de Diafragma e Obturador (E= Av x Tv) é determinada pelas condições de luz, velocidade do filme e o assunto do fotógrafo. Cada um destes fatores pode influenciar no resultado de sua exposição. • Abertura (Diafragma) Os “f/stops” são valores incrementais que resultam no dobro ou metade da intensidade de luz sobre o filme para cada número. Quanto maior for este número, menor será a abertura e menos luz incidirá sobre o filme, e vice- versa. Maior Abertura Menor Abertura f/1.4 1.8 2.8 4 5.6 8 11 16 22 Mais Luz Menos Luz São estes números que se utiliza para classificar se a lente é muito luminosa ou não. Quanto menor for este número, mais luminosa é considerada a lente (as lentes mais luminosas usualmente possuem números abaixo de f/2.8) Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 12 de 22
  13. 13. • Velocidade (“Shutter Speed”): A velocidade do obturador é controlada por um marcador que assinala as frações de segundo. Algumas câmeras têm a opção de velocidade de abertura sem graduação, permitindo uma gama maior de frações de velocidades. Menor Velocidade Maior Velocidade 1 2 4 8 15 30 60 125 250 500 1000 Menor Congelamento Maior Congelamento Quando se move o marcador de 125 para 250, por exemplo, isso significa que o obturador vai ficar aberto, permitindo que a luz proveniente da abertura do diafragma atinja o filme por 1/250 s em vez de 1/125 s.• Combinação de Abertura e Velocidade Coloque as duas medições lado a lado e você encontrará várias combinações para a mesma exposição: Abertura f/1.4 1.8 2.8 4 5.6 8 11 16 22 Velocidade 1000 500 250 125 60 30 15 8 4 Se a exposição correta é determinada por 1/60 s e f/5.6, então qualquer combinação acima ou abaixo, também estará correta. Pois 1/125 seg é a metade do tempo de exposição e f/4 é o dobro de luz, o resultado da exposição se mantém o mesmo. Repetindo somente que, quanto mais rápida for a exposição, mais a imagem ficará congelada.• Profundidade de Campo Alterar a abertura das lentes é provavelmente o controle mais utilizado na fotografia (depois do foco, claro), e isto tem dois propósitos: • Restringir a quantidade de luz que incidirá sobre o filme, provendo mais controle sobre a exposição; e • Controlar o grau de definição de todos os objetos da foto. Esta região de Definição de Foco, na fotografia, é chamado de “Profundidade de Campo”. Quando se esta compondo uma imagem, geralmente as câmeras operam em seu modo de abertura no máximo. Quando se aperta o botão do obturador, a lente se fecha imediatamente para a abertura configurada em sua câmera. Algumas câmeras permitem que você visualize a imagem com a profundidade de campo configurada, este dispositivo se chama previsão de profundidade de campo (Depth-Of-Field Preview). Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 13 de 22
  14. 14. FILMES • Nomenclatura • ISO – International Organization for Standardization • ASA – American Standards Association • DIN – Deutsche Industrie Norme Os números para ISO e ASA são idênticos, DIN possui uma numeração distinta (ISO 100 equivale à DIN 21o) • Formato Tamanho do Formato Código Fotograma Pequeno 35 mm 24 mm x 36 mm 6 x 4.5 cm 6 x 6 cm Médio 120 mm 6 x 7 cm 6 x 9 cm 4 x 5” Grande Filme tipo chapa 8 x 10” Foto panorâmica utiliza o formato médio com fotograma de 6 x 7 cm. • Negativo • Papel • Processo de revelação (film process): CN-16 (Processo Fuji) C-41 (Processo Kodak) • Processo de ampliação (paper process): CP-40FA (Processo Fuji) RA-4/RA-4RT (Processo Kodak) • Diapositivo • Slides/Cromo • Processo de revelação (film process): CR-56 (Processo Fuji) E-6 (Processo Kodak) • Processo de ampliação (paper process): RP-305 (Processo Fuji) R-3 (Processo Kodak) O filme para slides exige uma exposição correta para evitar imagens muito escuras ou com pontos muito brilhantes. Exige uma câmera com método de cálculo de exposição sofisticado e em alguns casos o recurso para o modo manual. Poucas câmeras automáticas foram concebidas para dar resultados excelentes com filme de slides. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 14 de 22
  15. 15. • Slide x Cópias coloridas em Papel Diapositivos Negativos O custo da revelação em geral é menor. Cópias em papel são mais baratas se obtidas a partir de negativos. Os slides projetados ficam mais bonitos É mais fácil obter cópias excelentes a porque são vistos através de luz partir de negativos. Não há a necessidade transmitida (e não de luz refletida). de projetor e telas. Depois de digital, os slides e cromos são Poucos batem suas fotos tendo em mente os preferidos pelas publicações e publicá-las. Os que vendem cópias em empresas que compram fotos. papel em geral fotografam com filme negativos. Excelente qualidade da imagem em ISO Excelente qualidade de imagem até ISO 50 a 100. 400. Laboratórios aceitam “puxar” a revelação Maior tolerância para erros de exposição, cobrando extra. mesmo se sobre-exposto ou subexposto em 1 ou 2 pontos.• Velocidade/Sensibilidade Para um Cristal de Haleto de Prata ser classificado como exposto, e uma imagem latente ser criada, deve haver um certo nível de exposição de luz. Cristais que receberam uma exposição suficiente serão convertidos para prata durante o processo de revelação, os cristais que não sofreram a exposição não serão afetados. A velocidade do filme é que irá definir este nível de exposição de luz necessária. Filmes colorido-negativos são mais complexos que filmes pretos e brancos (uma camada somente), pois eles possuem três camadas de emulsão, uma camada sensível a luz azul, uma camada sensível a luz verde e outra para luz vermelha. Alguns filmes mais novos possuem uma quarta camada sensível à luz cian. Sempre que se duplicar o número de ISO/ASA, a velocidade do filme é duplicada, reduzindo então a exposição necessária de uma cena em particular pela metade, correspondendo em uma parada (f-stop). Exemplo: Se o seu fotômetro indicar que a exposição apropriada para um filme ISO 50 é de 1/60 seg. à f/8, isto significa que para um filme ISO 100 será de 1/60 seg. à f/11, ou 1/125 seg. á f/8 . Para um filme ISO 400 as configurações serão 1/60 seg à f/22, 1/125 seg à f/16, 1/250 seg à f/11, ou 1/500 seg à f/8. Contraste/ Filmes Sensibilidade Definição Latitude Saturação Lentos (25, 50, 64, 100, - + + - 125, 160 e 200) Rápidos (400, 800, 1000, + - - + 1600 e 3200) Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 15 de 22
  16. 16. FILTROS • Estrela de Cores: A Estrela de Cores ajuda a prever o efeito que os filtros coloridos terão sobre os objetos coloridos na fotografia. Todas as cores do mesmo lado da cor do filtro, ficarão mais claras, e as cores que estiverem do lado oposto, ficarão mais escuras. Quanto mais longe as cores estiverem, mais dramático será o efeito. Esta estrela de cores também é muito utilizada para correção de cores em fotografias digitais. • Efeito dos filtros coloridos em filme “Preto e Branco”: Filtro Comentário São filtros amarelos que deixam um pouco mais escuros o céu azul e as #6 sombras formadas pelo luz do céu. Os filtros #8 são considerados filtros #8 de correções para filmes pancromáticos. Amarelos Escuros possuem um efeito maior que os #6 e #8. O filtro #12 #12 é um menos azul, que significa a absorção quase total da luz azul. #15 O filtro #15 absorve alguma luz verde, assim como toda a luz azul. #11 O #11 é um filtro amarelo-esverdeado utilizado para correção de luz de #13 tungstênio; o #13 é semelhante mas um pouco mais escuro. São filtros #58 que escurecem o céu e sombras. São filtros vermelhos utilizados para escurecer drasticamente o céu e as #23a sombras geradas por ele, criando um contraste muito forte. O filtro #23 #25 é um vermelho alaranjado e o #25 e #29 são filtros vermelhos muito #29 utilizados para fotos panorâmicas. Filtro azul é usado para clarear o céu e escurecer vegetações verdes. #47 Usado também para filtrar os efeitos atmosféricos exagerados. Filtros cyan que não transmitem a luz vermelha e quando utilizado com #44 filmes pancromáticos simulam o efeito de filmes orthocromaticos, enfatizando as cores azuis e verdes. Eliminam reflexos em superfícies não metálicas e superfícies aquáticas. Polariz. • Filtros para filme coloridos: Tipo Efeito Comp. Absorve a luz ultravioleta e corta a neblina. Utilizado como UV-Haze N protetor de lente. Semelhante ao UV. Reduz o excesso de luz azul. Aumenta a Skylight N impressão de calor na foto Elimina ou reduz reflexos em superfícies não metálicas. Polarizador S Aumenta a saturação das cores. Diminui a quantidade de luz sem afetar as cores. Permite Neutral-Density uma velocidade mais lenta ou maiores aberturas. S Star-Burst Transforma todos os pontos de luz em estrelas N Soft-Focus Cria uma sensação de neblina. N Multiple-Image Cria imagens repetidas N 80A Reduz a luz amarela de lampadas encandecentes. S FL Reduz a luz esverdeada das lampadas fluorecentes. S Macro Diminue a distancia focal N Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 16 de 22
  17. 17. • Filtros muito utilizados: o Neutral Density (ND): +2 ou +4 – Serve para diminuir a quantidade de luz, dando mais versatilidade à fotografia. o Polarizador – Satura mais as cores e controla a luz refletida em superfícies. o Warm Up (81B) – Dá mais vida às cores na fotografia que estão muito frias e azuis o Diffuser – Deixa a foto com um ar de mais mistério. Quanto maior for a abertura, maior será o efeito. o UV ou Skylight – Filtros obrigatórios para proteção de sua lente. o Gradual Neutro – Para trazer detalhes as nuvens que estão muito claras e não escurecer a parte inferior da foto.TÉCNICAS AVANÇADAS • Como obter o máximo de profundidade de campo? Configurando a distância hiperfocal de sua lente dará profundidade de campo máxima à sua cena e uma nitidez perfeita. É uma técnica simples se sua lente possui escala hiperfocal. Para utilizar a profundidade de campo de uma maneira eficiente você deve primeiro configurar a sua cena para o infinito e, então analisar a informação (distância) que se encontra em sua lente. Abaixo (ou acima) da marca 22 possui um valor que é de aproximadamente 3 metros, significando que qualquer objeto entre 3 metros e o infinito estará nítido. Algumas lentes não possuem estas informações, então você deverá fazer uma estimativa. Divida a distância em três partes e focalize sempre à 1/3 da imagem para obter uma profundidade de campo máxima. • Como evitar que a foto saia tremida no uso de tele-objetivas: Siga o guia abaixo para evitar que a foto saia tremida, utilize sempre uma distancia focal aproximada aos valores abaixo: Distância Velocidade Focal Recomendada 100 mm 1/125s 135 mm 1/125s 200 mm 1/250s 300 mm 1/250s 500 mm 1/500s Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 17 de 22
  18. 18. • Cálculo de Exposição - Modo I: Em muitas máquinas o modo B (Bulb) não possui controle de medição de luz. Para calcular o tempo correto em segundos, siga os seguintes passos: • Coloque no modo de Abertura (A/Av) e configure para a maior abertura de sua lente; • Utilize a tabela abaixo para achar o valor equivalente da exposição: Abertura Segundos f/2.8 1 2 4 8 15 30 f/4 2 4 8 15 30 60 f/5.6 4 8 15 30 60 120 f/8 8 15 30 60 120 240 f/11 15 30 60 120 240 480 f/16 30 60 120 240 480 960 f/22 60 120 240 480 960 1920 f/32 120 240 480 960 1920 3840 • Por exemplo, se tempo especificado para uma abertura f/4 for 15 segundos, isto significa que para uma abertura f/32 o tempo correto é de 960 segundos.• Cálculo de Exposição - Modo II: Você pode fazer o mesmo cálculo para velocidade de filme: • Configure a velocidade do filme para 3200 e analise o resultado dado pelo fotômetro: Velocidade Exposição 1s @ 2s @ 4s @ 8s @ 15s @ 30s @ 3200 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 2s @ 4@ 8@ 15 @ 30 @ 60 @ 1600 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 4s @ 8@ 15 @ 30 @ 60 @ 120 @ 800 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 8s @ 15 @ 30 @ 60 @ 120 @ 240 @ 400 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 15s @ 30 @ 60 @ 120 @ 240 @ 480 @ 200 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 30s @ 60 @ 120 @ 240 @ 480 @ 960 @ 100 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 60s @ 120 @ 240 @ 480 @ 960 @ 1920 @ 50 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 f/2.8 Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 18 de 22
  19. 19. • Prédios à noite Equipamento necessário: • Câmera SLR 35mm com lentes 28-70mm ou uma grande angular • Tripé • Filme ISO 400 Procure um prédio com muito cuidado. Evite lugares que contenham luzes artificiais perto da câmera, para evitar que se criem clarões ao redor da foto. Para uma fotografia com grande qualidade, você deveria utilizar um filme ISO 100, mas acarretaria em exposições muito prolongadas, por isto um filme ISO 400 é um bom início. Um pequeno aumento no grão dará uma impressão mais sombria à fotografia. Utilize a exposição de sua câmera. A maioria das câmeras informará a exposição necessária para sua fotografia. Faça um “bracket” por segurança.• Interiores Equipamento necessário: • Câmera SLR 35mm com lentes 28-70mm ou uma grande angular • Tripé • Filme com Tungstênio balanceado ou um filtro 80A tons alaranjados gerados pelas luzes artificiais das casas. Primeiro se preocupe com a composição, depois pense na luz. Cuide para não aparecer em reflexos gerados por espelhos e vidros. Procure retirar qualquer objeto que possa distrair o assunto principal de sua fotografia. Os três planos são importante. Cuide com a exposição, pois contendo luzes artificiais, pode criar clarões não esperados. Utilize também “bracket” de um ou dois pontos.• Trilhas de Luz: Equipamento necessário: • Câmera SLR 35mm com B (Bulb) • Lentes padrões ou com zoom • Filme ISO 100 • Tripé e um disparador remoto Procure um ponto onde você possa visualizar carros nos dois sentidos, para pegar os faróis dianteiros e traseiros. Uma ponte geralmente é o lugar mais seguro. Utilize um tripé e configure o obturador no modo B e o diafragma para f/22. Abra o obturador por 30 segundos quando estiver passando uma boa quantidade de carros. Depois repita com 60, 90 e 120 segundos. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 19 de 22
  20. 20. • Silhuetas (contra-luz): Equipamento necessário: • Câmera SLR 35mm com B (Bulb) • Lentes padrões ou com zoom • Filme ISO 100 • Um assunto com contornos fortes e uma luz forte por traz. Fique na mesma altura ou um pouco abaixo do seu assunto, para que ele fique completamente à frente da fonte de luz. Tome a leitura do fundo, onde esta a fonte luminosa. E guarde a leitura. Agora faça o foco no seu assunto, para que fique bem definido. Volte à exposição para a leitura armazenada anteriormente.• Zoológico - Através de grades: Equipamento necessário: • Câmera SLR 35mm • Tele-objetiva ou Tele-Zoom • Monopé Utilizar sempre a maior abertura possível de sua lente, fazendo com que qualquer coisa que não seja o seu objetivo na foto fique fora de foco. O foco é super importante, e quanto maior for a Tele-objetiva, menor será a profundidade de campo. Sempre focalize os olhos do animal. Espere que o animal esteja o mais longe possível da grade. Quanto mais próximo, mais a grade irá aparecer.• Zoológico - Através de vidros: Equipamento necessário: • Câmera SLR 35mm • Parasol de borracha • Filtro Polarizador • Tripé Fotografe de frente, para minimizar a distorção ao máximo. Utilize anéis de borracha para evitar que a lente bata no vidro. Verifique se não existe nenhum objeto atrás que criar reflexos distrativos. Utilize o polarizador para reduzir ao máximo os reflexos e também quebrar o espelho produzido por superfícies aquáticas. Utilizando este filtro aumenta o tempo de exposição, então tenha sempre um filme rápido (400 e/ou 800). Uma abertura pequena ajudará a reduzir a distorção causada pelo vidro. Use um tripé. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 20 de 22
  21. 21. • Zoológico - Padrões Naturais: Equipamento necessário: • Camera SLR 35mm • Lentes padrões ou com zoom • Tripé • Flash simples ou um pedaço de cartão branco O mais complicado é montar a composição Sempre que possível se aproxime. Corte com precisão e utilize a regra dos terços para compor a fotografia. Utilize uma abertura de f/8 ou f/11 para assegurar que tudo esta em foco preciso. Utilize um tripé para ajudar a manter um ângulo. Navegue com câmera para garantir que o angulo escolhido é o mais adequado. Utilize um pequeno refletor para iluminar algumas áreas escuras. Um papel A4 branco ajudara neste ponto.• Utilização de Bracketing Muitos profissionais da fotografia usam o bracketing para assegurá-los que estão utilizando a exposição correta em suas fotos, especialmente em situações onde a luz é muito complexa. Quando você faz a exposição para uma cena, seu fotometro selecionará uma combinação da Velocidade do Obturador x Abertura que acredite dê uma fotografia corretamente exposta. Fazer um bracketing significa sacar mais duas exposições da mesma cena: Uma ligeiramente sub-exposta (-1/3EV), e Uma segunda ligeiramente sobre-exposta (+1/3EV). A razão que você faz isto é porque o fotometro da câmera pode ter sido enganado (muito ou pouco) pela luz disponível em seu assunto principal. Fazendo estes três disparos, você está certificando-se de possíveis erros de medição e garantindo sua foto. Bracketing é muito utilizado em slide, pois neste tipo de filme, não se permite erro, que geralmente são corrigidos na hora da ampliação nos laboratórios de revelação. Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 21 de 22
  22. 22. BIBLIOGRAFIA1. Guia Completo de Fotografia – John Hedgecoe, Livraria Martins Fontes Editora Ltda – 19982. Guia Prático de Fotografia – Peter K. Burian & Robert Caputo – National Geographic3. The Ansel Adams Guide Book I – Basic Techniques of Photography – John P. Schaefer – 1999 (Revised Edition)4. The Ansel Adams Photography Series 2 – The Negative – 1999 (7th Edition)5. The Zone System for 35mm Photographers – Carson Graves – 1997 (2nd Edition)6. Photo.Net – http://www.photo.net/ Curso Básico de Fotografia, de Leandro Meinhardt (v1.1) Março de 2005 – Página 22 de 22

×