Brasil 2014
GUIA CH3
COPA DO MUNDO
- A copa das copas
- o craque dos craques
- o fuleco dos fulecos
- A tática das táticas...
Página 2 GUIA CH3
Editorial
A COPA CONTINUA
SENDO NOSSA
Se você leu o nosso Guia da Copa do
Mundo de 2010, já deve ter per...
Copa 2010
O que você deve saber
Algumas coisas que você precisa saber, para não se perder durante a Copa.
Página 3
Jérôme
...
Página 4 GUIA CH3
GRUPO A
Após uma série de resultados inconsistentes, a
Confederação Brasileira de Futebol apostou na
vol...
Copa 2010 Página 5
GRUPO A
Se há uma certeza na Copa do Mundo, essa
certeza é que os mexicanos vão ser eliminados
nas oita...
Página 6 GUIA CH3
GRUPO B
A seleção espanhola chegará ao Brasil desafia-
da. Atuais campeões mundiais e bicampeões
europeu...
Copa 2010 Página 7
GRUPO B
Se há alguém que deve lamentar o sorteio da
Copa do Mundo, esse alguém é o povo chileno.
Nunca ...
Página 8 GUIA CH3
GRUPO C
Depois de 16 anos assistindo a Copa pela tele-
visão, a seleção colombiana conseguiu voltar
ao p...
Copa 2010 Página 9
GRUPO C
Essa é a hora da Costa do Marfim. A alguns a-
nos a equipe é apontada como a mais forte se-
leç...
Página 10 GUIA CH3
GRUPO D
Depois de 40 anos sem nenhum brilho futebo-
lístico, os uruguaios renasceram na Copa de
2010. C...
Copa 2010 Página 11
GRUPO D
Eterna favorita que não ganha nada, há tempos
que a Inglaterra não chega tão desacredita a
uma...
Página 12 GUIA CH3
GRUPO E
Defesa, defesa, defesa. Se para muitos a mági-
ca do futebol está no gol, para os suíços ela
es...
Copa 2010 Página 13
GRUPO E
Os franceses não podem negar que sentiram
medo durante as eliminatórias para Copa de
2014. Cer...
Página 14 GUIA CH3
GRUPO F
Se a Argentina tivesse apenas Lionel Messi em
seu elenco, já seria o suficiente para que a e-
q...
Copa 2010 Página 15
GRUPO F
Se o Irã tem um papel importante no cenário
geopolítico internacional, o mesmo não se pode
fal...
Página 16 GUIA CH3
GRUPO G
Nos últimos 15 anos, os alemães tem mudado
sua filosofia futebolística. Se antes eles eram
famo...
Copa 2010 Página 17
GRUPO G
Melhor representante africana nas últimas duas
copas, a seleção ganense terá dificuldades no
B...
Página 18 GUIA CH3
GRUPO H
Se você acompanha o futebol com alguma fre-
quência e olha a escalação da seleção belga,
vai pe...
Copa 2010 Página 19
GRUPO H
A Rússia receberá a próxima Copa, em 2018.
No Brasil, eles poderão aprender um pouco so-
bre p...
In fuleco
We trust
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Guia CH3 da Copa do Mundo 2014

806 visualizações

Publicada em

O CH3 preparou este guia especial para que você fique por dentro de tudo o que acontece na Copa do Mundo de 2014, que é do Brasil. A Copa das Copas, merece este guia dos guias. Façam bom proveito. (Aproveitem que a leitura é rápida, dá pra vocês lerem tudo antes do jogo entre Brasil e Croácia, desde, é claro, que vocês não estejam vendo isso em algum ano futuro)

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
806
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
396
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Guia CH3 da Copa do Mundo 2014

  1. 1. Brasil 2014 GUIA CH3 COPA DO MUNDO - A copa das copas - o craque dos craques - o fuleco dos fulecos - A tática das táticas - O sangue, o suor e as lágrimas - O favorito dos favoritos - mulheres em posições ousadas
  2. 2. Página 2 GUIA CH3 Editorial A COPA CONTINUA SENDO NOSSA Se você leu o nosso Guia da Copa do Mundo de 2010, já deve ter percebido que es- se texto continua sendo praticamente o mes- mo que foi publicado naquela vez. O que pos- so fazer. Durante a Copa do Mundo é difícil fugir dos clichês. Mas de qualquer forma, vol- tamos a repetir que você pode imprimir esse especial, se assim quiser. Assim, como se as- sim quiser, você pode depositar dinheiro em nossas contas correntes. Mande um e-mail para chtres@gmail.com para mais informa- ções. A questão é: é muito time. São 32 se- leções, é time pra burro. Algumas são conhe- cidas, como a Espanha. Outras não. O que dizer sobre a capacidade técnica da seleção do Irã? Ou até mesmo sobre a Grécia? Poucas pessoas acompanharam jogos dessas seleções para conseguir firmar uma opinião consistente sobre o assunto. Esta é, portanto, uma época cheia de achismos. Opiniões baseadas no senso- comum ou em coisas antepassadas. Se a sele- ção de Camarões foi forte em 1990, eles con- tinuarão a ser fortes hoje, mesmo que na rea- lidade o time seja uma porcaria. Para tentar fugir disso, o CH3 fez uma análise minuciosa. Analisou fichas de partidas, relatos, vídeos de jogos de todas as seleções do torneio. Não falamos com ninguém sobre as seleções, para não nos influenciarmos por opiniões alheias. Os erros e acertos dessa edi- ção são de nossa responsabilidade. Mas, não se preocupe. Também dare- mos nossas opiniões baseadas no senso co- mum. Também daremos sugestões de trocadi- lho, para que você impressione qualquer pes- soa. Nosso Guia não se baseia apenas no fute- bol. Este é, antes de qualquer coisa, um guia para que você consiga sobreviver durante o mês em que apenas um assunto dominará o planeta: futebol. Repetir uma publicação já publica anteriormente é complicado. Fazer isso duas vezes é ainda pior Expediente CH3 NEWS é uma publicação experi- mental do Blog CH3 na internet. Redação: Guilherme. Edição: Guilherme. Diagramação: Guilherme. Pesquisa histórica: Guilherme. Apoio moral: Gressana. Presidência: Tackleberry. Revisão: Cão Leproso. Palpiteiro: Guilerme Original. Fotografias: Internet. Estagiário: Garoto Fabinho. Mecenas: Jorginho de Ogum. Repórter especial: Hanz. Mestre Gourmet: Marcão http://chtres.blogspot.com CH3: mais que um blog, um estilo de vida. Cada grupo está ordenado em ordem alfabética a partir da próxima página, que no caso é a página 3. Como o texto ainda não está pronto, e aqui nós fazemos cada página de cada vez, não temos cer- teza de como a disposição dos textos ficará. Mas ninguém sabe ler sem um índice. Índice
  3. 3. Copa 2010 O que você deve saber Algumas coisas que você precisa saber, para não se perder durante a Copa. Página 3 Jérôme Valcke O secretário-geral da Fifa se transformou em uma espécie de ombudsman do Brasil, recomen- dando chutes no traseiro e outras coisas. Apesar das aparências, não é irmão do Pedro Bial. A bola da Copa se chama brazuca e tentará em vão repetir o enorme sucesso da inesquecível Jabulani. Achei que esse preto e laranja não combinaram muito não. A apresentadora gaúcha se transformou no maior destaque do sorteio da Copa do Mundo e automaticamente foi alçada ao posto de musa nacional, quiçá internacional. Maracanã Reformado por um preço módico, o tradicional estádio carioca será palco de uma final de Copa do Mundo pela segunda vez. Bebida nacional que irá alcoolizar estrangeiros e acabar com a campanha de muitas seleções. Fernanda Lima Caipirinha
  4. 4. Página 4 GUIA CH3 GRUPO A Após uma série de resultados inconsistentes, a Confederação Brasileira de Futebol apostou na volta do técnico Luiz Felipe Scolari ao comando da seleção brasileira. Felipão tentará conquistar sua segunda Copa do Mundo repetindo as mes- mas estratégias do título de 2002: um grupo unido, clima de guerra contra inimigos imagi- nários, o talento individual de um jogador, nes- se caso o Neymar. O hino nacional gritado pe- los torcedores deve ajudar a equipe a partir para cima dos adversários no começo da parti- da. A defesa é forte, apesar das dúvidas sobre a forma do goleiro Júlio César, que assim como a Luíza, está no Canadá. Paulinho e Oscar vão jogar bola? Fred não vai se machucar? As dúvi- das para não repetir 1950. Time Base: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo e Paulinho; Hulk, Oscar e Neymar; Fred. Destaque: Neymar. Aos 22 anos ele é a refe- rência técnica da equipe e a principal esperança de vitória. Em 1998, os croatas surpreenderam o mundo quando conquistaram a terceira colocação do mundial, logo em sua estreia. Desde então, o país nunca mais correspondeu as expectativas e sempre que chegou a Copa, acabou caindo na primeira fase. Dessa vez pode ser diferente. Os croatas chegam com um time forte, com uma defesa experiente e entrosada e um meio de campo talentoso, onde todo mundo sabe tratar bem a bola. Para completar, um bom centroa- vante para afundar as redes adversárias. Deve- rão dar trabalho ao Brasil na estreia e podem pegar outra pedreira logo no primeiro mata- mata: Espanha ou Holanda. A chave para a classificação está no jogo contra o México, que deve ser o principal rival pela vaga. Time Base: Pletikosa; Srna, Corluka, Lovren e Pranjic; Vukojevic, Kovacic, Modric e Rakitic; Perisic e Mandzukic. Destaque: Luka Modric. Meio-campo de apa- rência franzina, ele conduz o time com seus passes precisos. BRASIL CROÁCIA
  5. 5. Copa 2010 Página 5 GRUPO A Se há uma certeza na Copa do Mundo, essa certeza é que os mexicanos vão ser eliminados nas oitavas de final. Esse é o único resultado que se repetiu nas últimas cinco edições do tor- neio. Veja bem: além dos mexicanos, apenas os alemães e os brasileiros sempre avançaram além da primeira fase. Dessa vez pode ser dife- rente. Mas, para pior. O México penou como um condenado nas eliminatórias e quase foi eliminado pelo pífio Panamá. Técnicos eram trocados dia após dia e diversas formações fo- ram testadas. O time se tornou uma bagunça, mas pelo menos parece chegar ao mundial um pouco mais organizado. Parece que dessa vez a escrita vai ser quebrada e os mexicanos vão embora na primeira fase. Time Base: Ochoa; Layún, Rafa Márquez, Francisco Rodríguez e Salcido; Héctor Herrera, Carlos Peña, Guardado e Giovanni dos Santos; Chicharito Hernández e Peralta. Destaque: Chicharito. Em um time bagunçado, a ervilhinha segue sendo a esperança de gol. Ano após ano, Copa após Copa, a seleção ca- maronesa continua despertando simpatia em vários torcedores. Culpa de Roger Milla e suas danças folclóricas na distante Copa de 1990. Naquele ano os camaroneses encantaram o mundo e chegaram às quartas de final. Desde então, a imensa maioria da torcida e da im- prensa continua achando que Camarões tem um time bom, mas eles nunca mais passaram da primeira fase e só ganharam um jogo em quatro participações. Nesse ano não deve ser diferente. Os africanos se destacam por terem uma boa quantidade de volantes e poucos jo- gadores de criação. Para piorar os jogadores quase entraram em greve por conta de uma premiação por vitórias que não vão acontecer. Time Base: Itandje; N’Kolou, Nounkeu, Ched- jou e Bedimo; Eyong Enoh, Matip, Song e Ma- koun; Webó e Eto’o. Destaque: Samuel Eto’o. Interminável, o ca- misa 9 segue sendo o dono do time. No entan- to, falam que ninguém mais gosta dele por lá. MÉXICO CAMARÕES PROGNÓSTICO O Brasil tem a obrigação e deve avançar com o primeiro lugar. México e Croácia brigarão pela segunda vaga, com leve favoritismo para os croatas. Para os camaroneses, só restará a luta por uma derrota digna e para que nenhum re- pórter engraçadinho resolva compará-los com aqueles camarões vendidos na beira da praia.
  6. 6. Página 6 GUIA CH3 GRUPO B A seleção espanhola chegará ao Brasil desafia- da. Atuais campeões mundiais e bicampeões europeus, os espanhóis parecem nunca superar a desconfiança alheia e dão a impressão de que no final vão amarelar. Impressão ampliada no Brasil depois que a Fúria foi atropelada na final da Copa das Confederações. Parece que o time está velho, que o Xavi não joga mais nada, que o Piqué só está pensando na Shakira rebolando e enfim. O fato é que, sim, a seleção espanhola está envelhecida e alguns dos seus principais jogadores não estão em sua melhor fase. Por outro lado, eles continuam tendo um elenco farto e equilibrado, com boas peças em todas as posições. E ainda tem o reforço de Diego Costa, o sergipano-espanhol. Time Base: Casillas; Juanfran, Sergio Ramos, Piqué e Alba; Busquets, Xavi, Iniesta e David Silva; Pedro e Diego Costa. Destaque: Andrés Iniesta. Careca e cerebral, o camisa 6 distribui o jogo espanhol em todas as direções possíveis. Não dá para desprezar a Holanda. A Laranja Mecânica sempre realiza boas campanhas nas Copas do Mundo e não dá mole para nenhuma seleção tradicional. No entanto, dessa vez os holandeses não parecem vir com o melhor dos times. No ataque, seus principais jogadores a- inda são os mesmos de quatro anos atrás. Sneijder, Robben e Van Persie vão para a sua terceira Copa do Mundo e parecem que já vive- ram momentos melhores. Por outro lado, a de- fesa está completamente renovada. O goleiro Jasper Cillessen chega a Copa com apenas oito jogos disputados pela seleção e a impressão de que vai entregar o ouro. O grupo é difícil e se a Holanda não abrir o olho, pode acabar caindo logo na primeira fase. Time Base: Cillessen; Vlaar, de Vrij, Martins Indi e Blind; De Jong, De Guzmán e Sneijder; Lens, Robben e Van Persie. Destaque: Arjen Robben. Outro craque careca que parece ter deixado de lado a fama de ama- relão. Seu pé esquerdo é muito perigoso. ESPANHA HOLANDA
  7. 7. Copa 2010 Página 7 GRUPO B Se há alguém que deve lamentar o sorteio da Copa do Mundo, esse alguém é o povo chileno. Nunca antes na história do universo o Chile conseguiu montar uma seleção tão coerente e capaz de fazer frente as principais seleções do mundo. No entanto, quis o sorteio que a Roja pegasse os dois finalistas da última Copa do Mundo logo de cara. Se conseguir avançar, eles podem vislumbrar um confronto com o Brasil nas oitavas de final. Sim, o Chile não terá vida fácil por aqui. O plantel chileno conta com ata- cantes de velocidade, meias criativos, o Valdí- via machucada e uma série de zagueiros bai- xos. É incrível mas nenhum jogador alto nasce praqueles lados dos Andes. Uma dificuldade a mais para eles. Time Base: Bravo; Isla, Rojas, Medel e Mena; Vidal, Aránguiz, Díaz e Valdívia; Sánchez e Var- gas. Destaque: Arturo Vidal. Volante que ataca, meia que joga pelos lados, ala que finaliza. Um multi-homem que conduz o time à frente. No dia 7 de setembro de 2013 a seleção aus- traliana enfrentou o Brasil, em um amistoso em Brasília. Acabaram derrotados por estrondosos 6x0 e o resultado provocou um cenário de terra arrasada no país dos cangurus. O goleiro Sch- warzer resolveu se aposentar da seleção, o téc- nico foi demitido e a equipe que havia feito boa campanha nas eliminatórias asiáticas foi com- pletamente reformulado. O resultado é que o time chega ao Brasil com um elenco cheio de jogadores inexperientes e sem destaque no fu- tebol mundial. Um time bem ruim, pra ser sin- cero. Assim, a evolução australiana com boas campanhas nas últimas copas deve ser breca- da. O time é candidato ao posto de saco de pancadas da competição. Time Base: Ryan; Franjic, Davidson, Spirano- vic e Wilkinson; Milligan e Jedinak; Bresciano, Oar e Vidosic; Cahill Destaque: Tim Cahill. Entra ano e sai ano, o centroavante aborígene continua sendo o único australiano que joga alguma coisa de bola. CHILE AUSTRÁLIA PROGNÓSTICO Espanha e Holanda podem fazer um jogo de vida ou morte logo no segundo dia do mundial. Apostamos que os espanhóis irão avançar ao lado dos Chilenos, enquanto que os Holandeses vão sucumbir. A Austrália é a grande favorita para ser o saco de pancadas da Copa do Mun- do. Marcar um gol já será o lucro.
  8. 8. Página 8 GUIA CH3 GRUPO C Depois de 16 anos assistindo a Copa pela tele- visão, a seleção colombiana conseguiu voltar ao principal evento do planeta. Os conterrâneos Pablo Escobar chegaram com moral, no posto de cabeça de chave. No entanto, um azar inter- minável se abateu sobre a Colômbia. Nada me- nos do que quatro jogadores acabaram corta- dos do elenco que disputa a Copa do Mundo, incluindo aquele que seria o principal nome da equipe. Radamel Falcao, um dos jogadores mais caros do mundo, e um dos melhores ata- cantes do mundo machucou o joelho e se transformou numa das principais ausências da Copa. Assim, os colombianos ainda contam com bons jogadores em seu elenco, mas o principal destaque é mesmo a Shakira. Time Base: Ospina; Zapata, Yepes, Zúñiga e Armero; Sánchez e Aguillar; Cuadrado, Rodrí- guez e Martínez; Gutiérrez. Destaque: Jackson Martínez. Com aparência de melhor jogador do colégio, o colombiano é o rei das assistências. O agora coordenador técnico da seleção brasi- leira, Carlos Alberto Parreira, eternizou a frase “o gol é apenas um detalhe”. Com essa frase, ele queria dizer que as pequenas coisas é que ocasionam ou não os gols. Mas a interpretação popular leva para o lado de que o gol não é im- portante. Mesma interpretação é feita na Gré- cia. Não importa o adversário, não importa a ocasião, os gregos armam a mais democrática das retrancas e protegem o seu gol como se fossem comandados pelo Rei Leônidas. Aqui no Brasil não deve ser diferente. Nas grandes competições, o sentimento retranqueiro da Grécia costuma a ser reforçado e se fosse pos- sível, os 11 jogadores ficariam plantados em cima da linha do gol. Time Base: Karnezis; Maniatis, Torosidis, So- kratis e Holebas; Tziolis, Katsouranis e Kara- gounis; Salpingidis, Samaras e Mitroglou. Destaque: Kostas Mitroglou. Apesar de pare- cer ser um figurante de filme sobre múmias, o centroavante é o grego mais perigoso. COLÔMBIA GRÉCIA
  9. 9. Copa 2010 Página 9 GRUPO C Essa é a hora da Costa do Marfim. A alguns a- nos a equipe é apontada como a mais forte se- leção do continente africano, mas não conse- gue corresponder esse status nas grandes com- petições. Nas últimas duas copas a equipe foi eliminada logo na primeira fase, mas pelo me- nos tinha a desculpa de que o grupo era muito forte. Dessa vez não. Os elefantes estão em um grupo equilibrado, mas amplamente acessí- vel. A má notícia é que o seu principal nome, o centroavante Didier Drogba já está na fase de- cadente de sua carreira e dificilmente poderá ser tão decisivo. A expectativa fica sobre Yayá Touré, que atualmente é um dos melhores jo- gadores do mundo e que pode levar os marfi- nenses até a vitória. Time Base: Barry; Aurier, Kolo Touré, Bamba e Boka; Zokora, Tioté e Yaya Touré; Kalou, Gervinho e Drogba. Destaque: Yaya Touré. Um gigante de 1,91 que mistura habilidade e carisma na mesma quantidade. Joga muito. Os japoneses demonstraram uma enorme evo- lução futebolística nos últimos anos. Ok, 30 a- nos atrás eles seriam capazes de aplicar golpes de judô na bola, então, não teriam como eles piorarem. Mesmo assim, os nipônicos chegarão ao Brasil com alguns jogadores que se desta- cam no cenário internacional. Ano passado, du- rante a Copa das Confederações eles surpreen- deram todo mundo, quando fizeram uma parti- da disputada com a Itália. Mais do que isso, colocaram os italianos na roda, finalizaram mais e jogaram um futebol bonito aos olhos. Mas perderam. O desafio agora é repetir o bom futebol na Copa. O grupo é equilibrado, mas não tem nenhum bicho papão. O Japão, quem diria, tem condições de ir adiante. Time Base: Kawashima; Uchida, Yoshida, Kon- no e Nagatomo; Endo e Hasebe; Kiyotake, Ka- gawa e Honda; Okazaki. Destaque: Shinji Kagawa. Melhor jogador de futebol jamais nascido no Japão, Kagawa co- manda o meio-campo nipônico. COSTA DO MARFIM JAPÃO PROGNÓSTICO O grupo mais equilibrado do mundial pode ren- der qualquer combinação de classificados. Qualquer resultado do bolão é válido e ninguém pode ter sua insanidade mental declarada por qualquer palpite. Portanto, ficamos com a a- posta de que Colômbia e Costa do Marfim a- vançam, mas não descartamos os japoneses.
  10. 10. Página 10 GUIA CH3 GRUPO D Depois de 40 anos sem nenhum brilho futebo- lístico, os uruguaios renasceram na Copa de 2010. Comandada por Diego Forlán, a Celeste avançou até as semifinais da competição e logo depois conseguiu o título da Copa América. Pa- ra melhorar, o presidente uruguaio Pepe Mujica se transformou em uma figura mundial, o pre- sidente que todo mundo queria ter em seu pa- ís. O Uruguai virou uma espécie de país mais legal do mundo. Pois bem, os jogadores uru- guaios não são legais. Eles são maus e capazes de matar por uma vitória. A equipe del sur será uma das mais experientes no Brasil, com al- guns jogadores que já estão virando o ponto na carreira, como o próprio Forlán e o zagueiro Lugano. Por outro lado, o ataque é forte. Time Base: Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Godín e Cáceres; Arévalo Rios, Diego Pérez, C. Rodríguez e Stuani; Cavani e Luis Suárez. Destaque: Luis Suárez. Uma força sobre- humana. É praticamente impossível pará-lo, quando ele parte para o gol. Quando o grupo D foi sorteado, o mundo se espantou com o fato de que três campeões mundiais iriam se enfrentar logo na primeira fase. De fato, é incrível, este é o GRUPO DA MORTE com todas as letras maiúsculas. O que dizer então da Costa Rica? A única equipe que jamais foi campeã e aliás, sempre passou longe disso? Para eles esse é o grupo do estupro co- letivo seguido de uma morte lenta e dolorosa. Não, os costarriquenhos não formam a pior e- quipe do mundo. Já demonstraram alguma e- volução e até poderiam dar algum trabalho se estivessem em algum mais tranquilo. Mas, ago- ra, não há muito o que fazer, além de lutar pe- la honra. Ou, como diria aquela ministra: rela- xa e goza. Time Base: Navas; Gamboa, Umaña, Acosta, González e Díaz; Borges e Tejeda; Bolaños; Bryan Ruiz e Campbell. Destaque: Keylor Navas. O bom goleiro cos- tarriquenho vai ter um trabalho danado jogan- do no grupo da morte. URUGUAI COSTA RICA
  11. 11. Copa 2010 Página 11 GRUPO D Eterna favorita que não ganha nada, há tempos que a Inglaterra não chega tão desacredita a uma Copa do Mundo. Pudera, os astros midiáti- cos de outrora como Owen e Beckham se apo- sentaram, os tradicionais Lampard e Gerrard estão envelhecidos. Para piorar, eles caíram no grupo da morte e olhando time por time nin- guém tem dúvidas em apontar que os ingleses são aqueles que tem menos colhões. E esse é um fator muito importante para definir quem passa num grupo tão difícil assim. No entanto, a imagem decadente dos britânicos foi ameni- zada nos últimos tempos. O surgimento de jo- vens talentos como Wilshere, Sterling e Stur- ridge deram um novo ânimo para os ingleses que já enxergam um futuro melhor. Time Base: Joe Hart; Johnson, Cahill, Jagielka e Baines; Gerrard, Henderson e Wilshere; Ster- ling e Rooney; Sturridge. Destaque: Wayne Rooney. Jogando agora mais recuado, o camisa 10 terá a função de criar as jogadas. Depois da humilhação sofrida em 2010, quando a foi eliminada na primeira fase da competição, a Itália resolveu mudar. O técnico Cesare Pran- delli assumiu o comando com a missão de re- novar o futebol italiano. De fato, ele tem con- seguido isso. Contrariando a secular retranca italiana, Prandelli armou um equipe que gosta de ter a bola e gosta de atacar. Na Copa das Confederações do ano passado os italianos con- seguiram marcar 10 gols e sofrer 10 gols em cinco partidas. Um ataque sensacional e uma defesa pífia. Claro que isso irritou os mais tra- dicionalistas. A imprensa italiana está com sau- dade daquele bom e velho 0x0, aquele 1x0 a- marrado com gol no contra-ataque. Se perder atacando, essa seleção será enterrada viva. Time Base: Buffon; Darmian, Chiellini, Bonucci e De Sciglio; De Rossi, Pirlo, Verratti, Marchisio e Candreva; Balotelli. Destaque: Andrea Pirlo. Balotelli a parte, o camisa 21 é o craque desse time. Pensa o jogo e bate na bola como ninguém. INGLATERRA ITÁLIA PROGNÓSTICO Qualquer amante do futebol sente uma ponta- da no peito ao tentar apostar um resultado nesse grupo. Três seleções tradicionais e uma delas vai embora logo na primeira fase. Uru- guai e Itália passam, Inglaterra fica de fora por ter menos colhões. Costa Rica não deveria nem vir, para não atrapalhar os outros.
  12. 12. Página 12 GUIA CH3 GRUPO E Defesa, defesa, defesa. Se para muitos a mági- ca do futebol está no gol, para os suíços ela está na ausência deles. O país mais neutro do mundo não esconde sua torcida por um 0x0. Eles até tem tentado mudar esse cenário com a naturalização de descendentes de refugiados de guerra que tentaram reconstruir a vida no país. Esses gringos formam o time a partir do meio de campo, enquanto que os suíços de ori- gem ocupam as posições de defesa. Sacrossan- ta defesa quase instransponível. Se você for apostar no bolão da Copa, aposte em vários 0x0. E se você participar de algum bolão ex- cêntrico que aposta no jogo mais chato da co- pa, tenha certeza que a Suíça vai estar envolvi- da nele. Time Base: Benaglio; Lichtsteiner, Von Ber- gen, Schär e Rodríguez; Inler e Behrami; Sha- qiri, Xhaka e Stocker; Seferovic. Destaque: Stephan Lichtsteiner. Lateral-direito que representa a força defensiva da suíça. Quando pisa no chão, a terra treme. Após oito anos, os equatorianos voltam a uma Copa do Mundo e dessa vez tem a vantagem de não enfrentar uma viagem muito longa. O problema é que aqui no Brasil o Equador não poderá contar com o seu principal jogador: a altitude. Sim, o futebol equatoriano evoluiu nos últimos anos e deixou de ser o risível saco de pancadas que era até o anos 90. Hoje em dia eles podem bater de frente com qualquer um sem ter medo de entrar para a história com alguma humilhação. Mas, se você comparar os resultados equatorianos na altitude de Quito e os resultados na baixitude de qualquer lugar, a discrepância é enorme. Assim sendo, esse time recheado de Valencias não deve ir muito longe na competição. Ele Caicedo. Time Base: Domínguez; Paredes, Guagua, E- razo e Walter Ayoví; Noboa e Saritama; Antoni- o Valencia, Montero e Enner Valencia; Caicedo. Destaque: Antonio Valencia. O capitão é o jo- gador de maior projeção internacional. Será a principal arma equatoriana. SUÍÇA EQUADOR
  13. 13. Copa 2010 Página 13 GRUPO E Os franceses não podem negar que sentiram medo durante as eliminatórias para Copa de 2014. Certo que eles caíram no grupo junto com a Espanha, mas, na repescagem contra a Ucrânia, a vaga ficou bem longe depois de uma derrota por 2x0 em Kiev. A equipe ainda conse- guiu se reinventar para garantir sua vinda ao Brasil, mas a participação tem tudo para ser turbulenta. Se agora os azuis não são mais diri- gidos por um técnico doentio que consulta o horóscopo para escalar o time, a equipe sofreu com problemas disciplinares e a contusão de seu principal jogador, Franck Ribéry. Ao que tudo indica, o treinador Didier Deschamps não irá conquistar sua segunda Copa do Mundo. Ele levantou a taça na fatídica edição de 98. Time Base: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Matuidi, Cabaye e Pogba; Valbuena; Giroud e Benzema. Destaque: Karim Benzema. Sem Ribéry, Ben- zema deve assumir a liderança técnica na equi- pe. Olho também no Pogba. Se em 2010 a seleção hondurenha teve uma participação pífia na Copa do Mundo, sendo eli- minada na primeira fase sem vencer nenhum jogo e sem fazer nenhum gol, em 2014 eles podem se redimir. Não, Honduras não tem ne- nhum grande jogador e seus principais nomes são volantes e zagueiros truculentos. No entan- to, na última rodada do grupo, Honduras e Suí- ça jogarão em Manaus. Às 17h, logo após a ho- ra da chuva. Com um calor infernal e úmido, os hondurenhos, acostumados com o clima, tem boas chances de conseguir superar os suíços que já estarão caindo desfalecidos em campo. Fora isso, não dá para espera muita coisa. Ape- nas jogadas ríspidas, expulsões, enfim, cenas grotescas. Time Base: Valladares; Beckeles, Bernárdez; Maynor Figueroa e Izaguirre; Palacios, Garrido e Espinoza; García, Najar e Costly. Destaque: Carlos Costly. Não que isso signifi- que muita coisa,vai lá. Qualquer jogador da Luverdense brigaria por vaga em Honduras. FRANÇA HONDURAS PROGNÓSTICO O Grupo E tem tudo para ser o grupo mais cha- to da competição. Suíça e Honduras irão bata- lhar para conseguir marcar um gol e a França não empolga nem as mães dos jogadores. E- quador é uma zebra. Se você quiser dormir, durma nos dias de jogo desse grupo. De qual- quer forma, França e Suíça irão passar.
  14. 14. Página 14 GUIA CH3 GRUPO F Se a Argentina tivesse apenas Lionel Messi em seu elenco, já seria o suficiente para que a e- quipe chegasse ao Brasil com expectativa. O atacante quatro vezes melhor do mundo tem capacidade de desequilibrar qualquer jogo. Mas a Argentina não é apenas Messi (até porque ele viveu a pior temporada da sua vida ao longo do último ano). Higuaín é um centroavante com- petente, Agüero é um atacante decisivo e peri- goso e Di María vem de ótima temporada pelo Real Madrid. O problema é a defesa. Há alguns anos que os hermanos vem sofrendo com za- gueiros bem ruins e o time de 2010 não é uma exceção. Para estragar a festa brasileira, os argentinos vão precisar marcar muito gols. Por que eles também vão sofrer. Time Base: Romero; Zabaleta, F. Fernández, Garay e Rojo; Mascherano e Biglia; Di María, Messi e Agüero; Higuaín. Destaque: Lionel Messi. Um dos maiores joga- dores de todos os tempos tentará finalmente brilhar na seleção argentina. Se você achava que a Bósnia era um país que tinha apenas guerras civis sanguinolentas, você está enganado. O confronto seguido de massa- cre étnico ocorreu há 20 anos e hoje a Bósnia é um país em reconstrução. Sua seleção de fute- bol tem bons valores individuais e já vem a al- gum tempo ganhando destaque no cenário in- ternacional. O quarteto ofensivo, formado por Pjanic, Misimovic, Ibisevic e Dzeko é um dos mais competentes da Copa. O problema é que a defesa não é lá essas coisas. O bom goleiro Begovic deverá ter um trabalho danado, porque os adversários devem chegar bastante até a sua meta. Aliás, pela característica das equi- pes, o jogo entre bósnios e argentinos tem tu- do para ser uma chuva de gols. Time Base: Begovic; Vrsajevic, Bicakcic, Spa- hic e Lulic; Salihovic, Medunjanin, Pjanic e Mis- movic; Ibisevic e Dzeko. Destaque: Edin Dzeko. Centroavante matador que também faz bem a função de pivô. Desta- que do bom ataque bósnio. ARGENTINA BÓSNIA E HERZEGOVINA
  15. 15. Copa 2010 Página 15 GRUPO F Se o Irã tem um papel importante no cenário geopolítico internacional, o mesmo não se pode falar sobre o futebol. Se o mundo discute se o Irã está enriquecendo urânio com ideais bélicos ou não, ninguém dá a mínima para a escalação do selecionado iraniano. O Irã está na Copa apenas porque, enfim, existem quatro vagas para as seleções asiáticas na Copa do Mundo. Se não fosse o Irã que estivesse aqui, seria a Arábia Saudita, o Uzbequistão, o Kuwait, enfim, alguma seleção que não joga nada. Assim sen- do, não dá pra esperar muita estratégia do Irã nos gramados brasileiros. Eles ficarão naquela de ver o que é que vai acontecer, dando o tem- po ao tempo e torcendo para que um gol caía do céu, como uma bomba. Time Base: Ahmadi; Heydari, Hosseini, Sade- ghi, Montazeri e Beikzadeh; Teymouran, Ne- kounam e Shojaei; Dejagah e Ghoochannejhad Destaque: Reza Ghoochannejhad. Com seu nome praticamente impronunciável, é o princi- pal nome do ataque iraniano. O torcedor nigeriano deve olhar para essa foto acima e se lembrar da época dourada do fute- bol local. Kanu, Okocha, Babayaro, Amokachi e tantos jogadores de nomes sonoros que desfi- lavam habilidade pelos gramados do mundo. O time atual não tem essa habilidade toda. O principal jogador é um volante de marcação, Mikel, que devido a deficiência criativa do res- tante do elenco, precisa assumir a armação das jogadas. O habilidoso Sunday Mba, que poderia dividir as responsabilidades ofensivas acabou cortado do elenco que vem ao Brasil, por indis- ciplina. Parece que ele resolveu não treinar, ou algo assim. Os nigerianos não devem brilhar, mas tenha certeza: eles vão ter a Musa dessa copa. Tutunts. Time Base: Enyeama; Ambrose, Omeruo, O- boabona e Oshaniwa; Uzoenyi, Onazi e Mikel; Moses, Musa e Emenike. Destaque: John Obi Mikel. Volante de origem que precisa armar as jogadas nigerianas. É quem pensa na equipe. IRÃ NIGÉRIA PROGNÓSTICO Pela segunda vez consecutiva, a Argentina caiu em um grupo que é uma mamata. Os herma- nos deverão se classificar com um pé nas cos- tas e a Bósnia deve ficar com a segunda vaga, com alguma segurança. Irã e Nigéria deverão fazer um dos piores jogos da história da Copa do Mundo em todos os tempos.
  16. 16. Página 16 GUIA CH3 GRUPO G Nos últimos 15 anos, os alemães tem mudado sua filosofia futebolística. Se antes eles eram famosos pelo futebol mecânico e pela aposta na força física, agora os alemães chamam a atenção pela velocidade, qualidade da troca de bola e intensidade no jogo. A Alemanha vem ao Brasil com uma quantidade incrível de jogado- res habilidosos e ofensivos, contrastando com a quantidade limitada de zagueiros. No entanto, os alemães estão sofrendo com as contusões, que limaram seu melhor jogador na última temporada, o atacante Marco Reus. O grupo também é difícil, com três times que tem algu- ma pretensão no torneio. Outro adversário: o calor. O sorteio colocou a Alemanha para jogar sempre no nordeste e sempre a tarde. Time Base: Neuer; Lahm, Mertesacker, Hum- mels e Durm; Khedira e Schweinsteiger; Po- dolski, Özil e Müller; Götze. Destaque: Philipp Lahm. Coloquem Lahm em qualquer posição do campo e ele jogará bem em todas elas. As leis da física serão o principal problema da seleção portuguesa na Copa do Mundo. Uma dessas leis diz que dois corpos não podem es- tar em dois lugares diferentes ao mesmo tem- po. Por isso, Cristiano Ronaldo será incapaz de tabelar com ele mesmo, passar para ele mes- mo finalizar. Se isso fosse possível, Portugal brigaria pelo título. O time não é totalmente desprezível. O meio de campo é competente, a defesa é acertada e, bem, para por aí. Daria para ganhar o Campeonato Brasileiro, mas não uma Copa do Mundo. Um problema português é que Cristiano Ronaldo sofreu uma contusão no final da temporada e pode sofrer na Copa. Outro problema português, será conseguir su- perar as piadinhas. Time Base: Rui Patrício; João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Miguel Veloso, Raul Meireles e João Moutinho; Cristiano Ronal- do, Nani e Hélder Postiga. Destaque: Cristiano Ronaldo. O melhor do mundo precisará carregar Portugal nas costas. ALEMANHA PORTUGAL
  17. 17. Copa 2010 Página 17 GRUPO G Melhor representante africana nas últimas duas copas, a seleção ganense terá dificuldades no Brasil. O elenco continua qualificado e é o mais equilibrado das equipes da África. O problema é que esse grupo é bem difícil. Gana também en- frentou grupos difíceis em 2006 e 2010, mas esse aqui vai um pouco além. Mas não dá para descartar os africanos. Se eles conseguirem parar Cristiano Ronaldo, nem que seja na base da violência, eles podem sonhar em conquistar a segunda vaga no grupo. E porque não o pri- meiro lugar? O futebol já demonstrou diversas vezes que é uma caixinha de surpresa, que não existe mais bobo no futebol e que o futebol a- fricano é alegre e festivo. Ah, os bons e velhos clichês futebolísticos. Time Base: Dauda; Opare, Jonathan Mensah, Afful e Kojo Asamoah; Rabiu; André Ayew, Muntari, Boateng e Waris; Asamoah Gyan. Destaque: Kevin-Prince Boateng. Representa aquele jogador que não é craque, mas cumpre todas as funções bem. Hoje podemos dizer que o norte-americano te- nha alguma noção do que é o futebol de verda- de, que não é aquela chatice que eles jogam com a mão e uma bola oval. Na Copa de 2010 a equipe chamou a atenção por sua batalha em campo, que incluiu uma classificação emocio- nante, no último minuto. Parecia até basquete. A evolução poderia continuar no Brasil, mas além de um grupo difícil, parece que os EUA desandaram no futebol. O técnico Jürgen Klins- mann fez uma série de experimentações no e- lenco e de última hora acabou optando por ex- cluir o mito Landon Donovan, melhor jogador norte-americano da história. Um erro que pode ser imperdoável. A Copa do Mundo não é feita só de homens, mas de mitos. Time Base: Howard; F. Johnson, González, Besler e Beasley; Jones e Bradley; Bedoya, Zu- si e Dempsey; Altidore. Destaque: Clint Dempsey. Sem o mito Dono- van, o jogador de olhos esbugalhados sobra tecnicamente na equipe. GANA ESTADOS UNIDOS PROGNÓSTICO Esse grupo meu amigo, esse grupo é bem equi- librado. Mas, dentro do seu equilíbrio, Alema- nha e Portugal devem se classificar. Gana e Es- tados Unidos deverão ficar pelo caminho, mas não deixa de ser um azar: se eles estivessem no grupo C ou no grupo F, teriam boas chances de se classificar.
  18. 18. Página 18 GUIA CH3 GRUPO H Se você acompanha o futebol com alguma fre- quência e olha a escalação da seleção belga, vai perceber que conhece quase todos os no- mes. Ah, esse aqui joga no Atlético de Madrid, esse outro no Tottenham, aquele ai no Everton. Bons jogadores, grandes coadjuvantes de equi- pes médias do futebol europeu. Juntos, eles formam uma equipe, acertada, e... Coadjuvan- te. O grande craque é o meia Eden Hazard, es- se sim uma estrela no Chelsea. Ele terá a mis- são de conduzir um time de baixistas e Robins para uma posição digna na Copa. O grupo é fácil, aliás, diria que é ridiculamente fácil e a vaga tem que vir sem dificuldade. Depois, a coisa se complica e aí sim é que veremos se os coadjuvantes nasceram para o estrelato. Time Base: Courtois; Alderweireld, Vermaelen, Kompany e Vertonghen; Witsel e Fellaini; De Bruyne, Hazard e Mirallas; Lukaku. Destaque: Eden Hazard. Em um time repleto de coadjuvantes, Hazard é o verdadeiro cra- que. Velocidade e chute potente. A Argélia é aquele típico time que nos faz ter penas dos comentaristas que irão trabalhar em seus jogos. Além de ser um time monótono, ele é formado em sua maioria por jogadores des- conhecidos, franceses descendentes de argeli- nos que, incapazes de defender a França, aca- bam retornando a terra dos seus antepassados. Então, o que falar do atacante Slimani? Ele é bom? É ruim? Ninguém sabe. Até o treinador não deve ter muita certeza sobre isso. O lateral avança, o volante chuta bem? Questões sem resposta. O único jogador minimamente conhe- cido é Feghouli, que joga no Valencia. Não a toa, o camisa 10 do time é provavelmente o único bom jogador. Não conhecemos os outros, mas eles não devem merecer o conhecimento. Time Base: M’Bolhi; Belkalem, Bougherra, Medjani e Mesbah; Mostefa e Yebda; Taider, Feghouli e Soudani; Slimani. Destaque: Sofiane Feghouli. Dá pra dizer, sem medo, que é o único jogador da Argélia que sabe jogar futebol. BÉLGICA ARGÉLIA
  19. 19. Copa 2010 Página 19 GRUPO H A Rússia receberá a próxima Copa, em 2018. No Brasil, eles poderão aprender um pouco so- bre preparação e logística para a organização da Copa do Mundo e realizar um belo trabalho, igual ao que foi feito nas Olimpíadas de Inverno desse ano. O legado das privadas duplas ainda precisa ser melhor debatido nos meios acadê- micos. A seleção russa irá confundir narradores e comentaristas com seus nomes confusos e cheio de consoantes. Como o grupo é ridicula- mente fácil, os russos deverão avançar as oita- vas de final, mas acho difícil que eles passem daí. Agora, se caírem na primeira fase, o time formado por jogadores que se parecem com vilões de filme do 007 vão ter que se ver com o Putin, o presidente atlético. Time Base: Akinfeev; Kozlov, Ignashevich, Vasili Berezutski e Kombarov; Denisov e Glu- shakov; Faizulin, Kokorin e Samedov; Kerzha- kov. Destaque: Aleksandr Kerzhakov. Bom finaliza- dor, vai comandar a artilharia soviética. Mais uma dessas equipes outrora pífias e que evoluíram nos últimos anos, a Coreia do Sul estagnou. Quase não se classificaram para a Copa do Mundo, mudaram o treinador, muda- ram os jogadores e se bobear mudaram até o presidente do país. O técnico Hong Myung-Bo tem a expectativa de revolucionar o futebol lo- cal, mas, por enquanto a principal tática da e- quipe será a de confundir o adversário. O meia Park deverá cair pela lateral, trocando de posi- ção com o zagueiro Lee, aproveitando as infil- trações do volante Chong, recuando para o go- leiro Yong, com o Jung e o Lee e outro Park participando bastante. No final, você não vai saber se eles não são todos o mesmo jogador, fruto das modernas técnicas de clonagem. Time Base: Jung Sung-Ryong; Lee Yong, Kwak Tae-Hwi, Kim Young-Won e Park Joo-Ho; Koo Ja-Cheol e Park Jong-Woo; Lee Chung-Yong, Son Heung-Min e Lee Keun-Ho; Kim Shin-Wook Destaque: Tanto faz. Eles são todos parecidos, inclusive no nome. Você não vai diferenciar. RÚSSIA COREIA DO SUL PROGNÓSTICO No grupo mais óbvio do mundial, Bélgica e Rússia devem se classificar para as oitavas de final. A Argélia e a Coreia do Sul ficarão pelo meio do caminho. Isso é tão certo quanto al- gum desses provérbios chineses e tão óbvio que eu tenho que ficar enrolando aqui para en- cher todo o espaço.
  20. 20. In fuleco We trust

×