SlideShare uma empresa Scribd logo

Modelo+laudo+vistoria spda

O relatório avalia os sistemas de proteção contra raios das edificações de um cliente e fornece recomendações para adequá-los à norma técnica. Os sistemas existentes apresentam falhas como malhas abertas demais e número insuficiente de descidas. Recomenda-se fechar as malhas, adicionar novas descidas e melhorar os aterramentos do escritório/galpão, portaria/subestação e caixa d'água.

1 de 6
Baixar para ler offline
CLIENTE: xxxxxxxxxxxxxxxxx
LOCAL: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
MUNICÍPIO: x x-xx
ASSUNTO: Avaliação técnica dos sistemas de Proteção contra descargas
Atmosféricas SPDA(Para-Raios).
DATA DA VISITA TÉCNICA: 15/01/03 DAS 12:00 ÁS 13:30
1)INTRODUÇÃO
1.1-Este trabalho tem como objetivo fazer uma avaliação detalhada dos
SPDA´s existentes nas edificações, verificar o estado de conservação das peças e
acessórios e checar a sua conformidade com a norma técnica NBR5419/2201 da
ABNT em vigência.
1.2-Serão apresentadas as sugestões técnicas necessárias para
conformidade á norma e apresentados desenhos e/ou detalhes caso seja
necessário.
2)DICIONÁRIO E ABREVIATURAS USADAS NESTE DOCUMENTO
EXPOSIÇÃO EXTREMA: Local com muita incidência de Raios e vulnerável
aos efeitos secundários dos raios que caiem na vizinhança.
DG - Distribuição Geral de telefonia
BLINDAGEM
ELETROSTÁTICA:
Proteção
contra
as
ondas
eletromagnéticas provocadas pelos raios que viajam pelo ar.
NBR5419/2001 – Norma Brasileira que regulamenta o projeto e instalação
de Pára-raios
ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas
SPDA – Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas ( Pára-raios)
“As Built” – Projeto final da instalação com as modificações ocorridas
durante a instalação (como executado;como construído).
ART – Anotação de Responsabilidade Técnica emitida no CREA,
(responsabilidade pela execução).
CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia
Mesh – Fechamento=Grid=Malha=Quadriculado.
3)ESCRITÓRIO/GALPÃO
3.1-CARACTERÍSTICAS DO LOCAL
Edificação de uso Industrial/Comercial com presença de muitas pessoas e
equipamentos eletrônicos e presença de salas “limpas” para a fabricação de
cartões de teste sanguíneo e similares.
As edificações estão localizadas numa área de EXPOSIÇÃO EXTREMA a
descargas atmosféricas e seus efeitos indiretos.
3.2-DADOS TÉCNICOS DA EDIFICAÇÃO
3.2.1-Edificação enquadrada na norma NBR5419/2001 da ABNT, como
Nível II de proteção
3.2.2-Necessidade de proteção evidenciada por se tratar de edificação de
Nível II, com presença de pessoas e equipamentos.
3.3.3-Mesh máximo da Gaiola de Faraday : 10m X 20 m
3.3.4-Espaçamento máximo das descidas: a cada 15 metros de perímetro.
-Perímetro= xx metros/15 = xx descidas
-Como existem apenas xx descidas, deverão ser i
instaladas mais xx
descidas para totalizar as xx descidas exigidas pela
norma.
3.3.5-Aterramento: 1 eletrodo vertical tipo “Copperweld” 5/8” x 2,40m (alta
camada) para cada descida e um eletrodo horizontal com cabo de cobre nu
#50mm2 a 50 cm de profundidade, circundando a edificação e interligando
todas as descidas.
4)HISTÓRICO DE PROBLEMAS
4.1-Apesar da localização do cliente ser de extrema exposição não existem
problemas freqüentes de paradas ou queima de equipamentos essenciais ao
processo produtivo .
4.2-A baixa ocorrência de problemas com equipamentos se deve ao fato da
estrutura metálica que envolve as edificações funcionar como blindagem
eletrostática , absorvendo a maioria das interferências eletromagnéticas
provenientes dos raios que caiem na vizinhança, a presença da supressores de
surtos instalados na rede elétrica, aos supressores de surtos de telefonia
instalados no DG e também ao fato da maioria da comunicação ser via rádio
(EMBRATEL), eliminando os surtos comuns induzidos nas redes telefônicas com
fio metálico, aéreas.
5)DOCUMENTAÇÃO EXISTENTE
5.1-Existe um projeto de SPDA dimensionado pelo método Gaiola de
Faraday que não está em conformidade com a norma NBR5419/2001 da ABNT
(Associação Brasileira de Normas Técnicas) nem com a sua antecessora
NBR5419/1993.
5.2-Não existe relatório técnico, “As Built” nem ART da instalação
existente , não havendo portanto documentação que garanta que tudo que está no
projeto tenha sido corretamente executado. Por isso não é possível afirmar nada
sobre as descidas e sobre o aterramento. Uma vez que não são facilmente
acessíveis.
6)PRINCIPAIS FALHAS DO PROJETO
6.1-Mesh´s da Gaiola muito abertos (deverão ser fechados).
6.2-Espaçamento entre descidas muito grande (aumentar o numero de
descidas)
6.3-Aterramento das descidas separados (deverão ser interligados)
6.4-Não foi dimensionado proteção para a portaria/subestação
NOTA:Veja mais detalhes no item “Sugestões para adequação do SPDA á norma”
7)VISTORIA “IN LOCO” DOS SPDA´s EXISTENTES
7.1-ESCRITÓRIO/GALPÃO
7.1.1-Em vistoria realizada no local, foi constatado que mesmo projeto estando
fora das normas ele não foi totalmente executado, uma vez que as Interligações
da Gaiola de Faraday entre o escritório e o galpão não foram executadas.
7.1.2-Com relação ás descidas estas foram instaladas por baixo das fachadas
metálicas e mesmo estando com numero insuficiente seu estado de conservação
não pode ser comprovado visualmente.
7.1.3-Os aterramentos também não foram todos identificados uma vez que
estão debaixo do solo e somente alguns pontos foram identificados.
7.1.4-Foram realizadas medições de resistência dos aterramentos existentes e
os resultados constam no anexo deste documento. Convém lembrar que esses
valores obtidos servem apenas para dar uma idéia aproximada da qualidade do
solo e não definem a eficiência do aterramento uma vez que o raio é um fenômeno
de alta freqüência e quase não enxerga a resistência ôhmica, sendo muito mais
importante a impedância de aterramento que o valor de resistência isoladamente.
. 7.1.5-Por estes motivos o valor de resistência não será usado como parâmetro
para definir a eficiência e qualidade do aterramento.
7.1.6-As estruturas metálicas dos Shiller´s existentes nos fundos do galpão
deverão ser aterrados na malha periférica sugerida no item XXXXXXXXXX.
7.2-PORTARIA/SUBESTAÇÃO
7.2.1-A portaria apresenta poucas pessoas e sem equipamentos eletrônicos
sensíveis por isso poderia ser dispensada a sua proteção, porém como está
fisicamente ligada com a Subestação, que é uma edificação vital para o
funcionamento da empresa, recomendamos a instalação de um SPDA tipo Gaiola
de Faraday.
7.3-CAIXA D´ÁGUA
7.3.1- Na caixa d´água existe instalado um sistema tipo Franklim, porém
este é tecnicamente desnecessário uma vez que a estrutura da edificação é
totalmente metálica funcionando como um SPDA natural (prescrito na norma),
capaz de captar o raio e conduzi-lo até o solo. No entanto é necessário que seja
executado um aterramento circundando a estrutura e conectado em no mínimo 2
pontos diametralmente opostos.
7.3.2-Quanto ao Para-Raios Franklim e descidas existentes poderão ser
mantidas , uma vez que apesar não estarem contribuindo para melhorar a
proteção natural da estrutura metálica, também não estão atrapalhando,
dispensando assim os custos com a sua remoção.
8)CONCLUSÃO FINAL DESTE RELATÓRIO
8.1-Os SPDA´s existentes não estão em conformidade com a norma
NBR5419/2001 da ABNT e a portaria/subestação não possuem nenhum tipo de
proteção. Recomendamos a execução dos serviços descriminados no item
seguinte.
9)RECOMENDAÇÕES PARA PROTEÇÃO DAS EDIFICAÇÕES
9.1-As recomendações para adequação das edificações ás normas, são:
9.2-ESCRITÓRIO/GALPÃO
9.2.1-Fechamento dos mesh´s da Gaiola de Faraday existente de
modo que seu fechamento não ultrapasse 10m X 20m.
9.2.2-Execução das interligações dos sistemas do escritório com o
do galpão, conforme mostrado no projeto existente, fazendo mais um
fechamento na região onde se encontram as antenas.
9.2.3-Instalação de uma mastro com captor Franklim com 6 metros
de altura, fixado em porta bandeira, na laterla da parede de alvenaria
existente para diminuir os riscos das antenas (Embratel e Parabólica)
serem atingidas diretamente por uma descarga direta.
9.2.4-Instalação de mais XX descidas com barra chata de Alumínio,
fixado diretamente nas fachadas sem prejuízo estético para a
edificação.
9.2.5-Cravação de 1 haste de aterramento tipo copperweld 5/8” x
2,40m (alta camada) para cada uma das descidas novas e conexão
com solda exotérmica.
9.2.6-Instalação de uma malha de aterramento horizontal com cabo
de cobre nu#50mm2 a 50 cm de profundidade no solo, interligando
todas as descidas (existentes e novas) formando um anel ao redor
da edificação.
9.2.7- Equalização de potenciais entre a malha de aterramento nova
com a caixa de aterramento existente na frente do escritório.
9.2.3- Instalação de um barramento de cobre dentro da caixa de
aterramento existente, de acordo com as medidas normalizadas.
NOTA: Para mais detalhes consultar os desenhos anexos
9.3-PORTARIA E SUBESTAÇÃO
9.3.1-Instalação de uma Gaiola de Faraday, com mesh´s de no
máximo 10m X 20m, com cabos de conre nu#35mm2..
9.3.2-Instalação de xx descidas distribuídas ao longo do perímetro
das edificações, com cabo de cobre nu #35mm2, fixados por
presilhas de latão, parafusos inox e buchas de nylon. As descidas
serão protegidas contra danos mecânicos através de tubos de PVC
rígido e abraçadeiras adequadas.
9.3.3-Para cada descida será instalada 1 haste copperweld 5/8” x
2,40m (alta camada).
9.3.4-Instalação de uma malha com cabo de cobre nu #50mm2,
circundando as edificações e interligando todas as descidas, a 50 cm
de profundidade no solo com soldas exotérmicas.
9.3.5-Instalação de uma caixa de equalização de potenciais dentro
da subestação para vinculação da malha do SPDA com a malha da
subestação .
9.4-CAIXA D´ÁGUA METÁLICA
9.4.1-Cravação de 2 hastes de aterramento copperweld 5/8” x 2,40m
em posições diametralmente opostas e conexão com a estrutura
metálica da caixa.
9.4.2-Instalação de uma malha de aterramento com cabo de cobre
nu #50mm2, circundando a caixa d´água e interligando as 2 hastes
cravadas, a 50 cm de profundidade no solo e conectadas com soldas
exotérmicas.
10-DOCUMENTAÇÃO E INSTALAÇÃO
10.1-Os serviços acima mencionados deverão ser documentados através
de um projeto “As Built” , relatório técnico da execução, medição de resistência
das malhas de aterramento do escritório/galpão , portaria/subestação e caixa d
´água separadamente e ART junto ao CREA-MG.
10.2-A execução dos serviços mencionados deverá ser realizada por
empresa especializada e que esteja cadastrada no CREA-MG.
10.3-Os materiais empregados deverão ser de boa qualidade, tais como
ferragens galvanizadas a fogo, cobre, latão, Inox, Bronze e Alumínio. É proibido o
uso de galvanização eletrolítica, inclusive de porcas, parafusos e arruela, os quais
deverão se inox e as hastes de aterramento deverão ser de alta camada.
11-DADOS ADICIONAIS
11.1-Este trabalho foi elaborado com base nos projetos do SPDA fornecidos
pela DIAMED e levantados no local, acompanhado pelo Eng. Lucélio da DIAMED.

TERMOTÉCNICA PROTEÇÃO ATMOSFÉRICA
Eng. Normando Virgílio Borges Alves-Diretor Técnico-CREA nº
Relator da norma NBR5419/2001 da ABNT
serão protegidas contra danos mecânicos através de tubos de PVC
rígido e abraçadeiras adequadas.
9.3.3-Para cada descida será instalada 1 haste copperweld 5/8” x
2,40m (alta camada).
9.3.4-Instalação de uma malha com cabo de cobre nu #50mm2,
circundando as edificações e interligando todas as descidas, a 50 cm
de profundidade no solo com soldas exotérmicas.
9.3.5-Instalação de uma caixa de equalização de potenciais dentro
da subestação para vinculação da malha do SPDA com a malha da
subestação .
9.4-CAIXA D´ÁGUA METÁLICA
9.4.1-Cravação de 2 hastes de aterramento copperweld 5/8” x 2,40m
em posições diametralmente opostas e conexão com a estrutura
metálica da caixa.
9.4.2-Instalação de uma malha de aterramento com cabo de cobre
nu #50mm2, circundando a caixa d´água e interligando as 2 hastes
cravadas, a 50 cm de profundidade no solo e conectadas com soldas
exotérmicas.
10-DOCUMENTAÇÃO E INSTALAÇÃO
10.1-Os serviços acima mencionados deverão ser documentados através
de um projeto “As Built” , relatório técnico da execução, medição de resistência
das malhas de aterramento do escritório/galpão , portaria/subestação e caixa d
´água separadamente e ART junto ao CREA-MG.
10.2-A execução dos serviços mencionados deverá ser realizada por
empresa especializada e que esteja cadastrada no CREA-MG.
10.3-Os materiais empregados deverão ser de boa qualidade, tais como
ferragens galvanizadas a fogo, cobre, latão, Inox, Bronze e Alumínio. É proibido o
uso de galvanização eletrolítica, inclusive de porcas, parafusos e arruela, os quais
deverão se inox e as hastes de aterramento deverão ser de alta camada.
11-DADOS ADICIONAIS
11.1-Este trabalho foi elaborado com base nos projetos do SPDA fornecidos
pela DIAMED e levantados no local, acompanhado pelo Eng. Lucélio da DIAMED.

TERMOTÉCNICA PROTEÇÃO ATMOSFÉRICA
Eng. Normando Virgílio Borges Alves-Diretor Técnico-CREA nº
Relator da norma NBR5419/2001 da ABNT

Recomendados

Modelo laudo tec spda_exemplo
Modelo laudo tec spda_exemploModelo laudo tec spda_exemplo
Modelo laudo tec spda_exemploPaulo H Bueno
 
Laudo spda -_residencial_novo_capivari
Laudo spda -_residencial_novo_capivariLaudo spda -_residencial_novo_capivari
Laudo spda -_residencial_novo_capivariFabiane Santos
 
memorial-de-calculo-spda-5419
memorial-de-calculo-spda-5419memorial-de-calculo-spda-5419
memorial-de-calculo-spda-5419Paulo H Bueno
 
Para raio restaurante
Para raio restaurantePara raio restaurante
Para raio restaurantePaulo H Bueno
 
Memorial descritivo spda ifal
Memorial descritivo spda  ifalMemorial descritivo spda  ifal
Memorial descritivo spda ifalPaulo H Bueno
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatorio dos equipamentos eletricos
Relatorio dos equipamentos eletricosRelatorio dos equipamentos eletricos
Relatorio dos equipamentos eletricosEdson da Silva
 
Memorial descritivo spda tipo b
Memorial descritivo spda tipo bMemorial descritivo spda tipo b
Memorial descritivo spda tipo bPaulo H Bueno
 
Memorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demandaMemorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demandaPaulo H Bueno
 
Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...
Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...
Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...Paulo H Bueno
 
Nbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcip
Nbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcipNbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcip
Nbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcipLaerte Bessa
 
Anexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletrica
Anexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletricaAnexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletrica
Anexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletricaMarcelo Gandra Falcone
 
Vistoria moradias(versão 2003)
Vistoria moradias(versão 2003)Vistoria moradias(versão 2003)
Vistoria moradias(versão 2003)Construsites
 
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldadorLaudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldadorPaulo H Bueno
 
Projetos elétricos residenciais - Completo
Projetos elétricos residenciais  - CompletoProjetos elétricos residenciais  - Completo
Projetos elétricos residenciais - CompletoSala da Elétrica
 
Memória de cálculo de linha de vida
Memória de cálculo de linha de vida  Memória de cálculo de linha de vida
Memória de cálculo de linha de vida gbozz832
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoJonatas Ramos
 
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vidaNbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vidaPaulo H Bueno
 
E cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitosE cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitosAndré Felipe
 
Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1
Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1
Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1Graciele Soares
 

Mais procurados (20)

Relatorio dos equipamentos eletricos
Relatorio dos equipamentos eletricosRelatorio dos equipamentos eletricos
Relatorio dos equipamentos eletricos
 
Memorial descritivo spda tipo b
Memorial descritivo spda tipo bMemorial descritivo spda tipo b
Memorial descritivo spda tipo b
 
Check list NR 10
Check list NR 10Check list NR 10
Check list NR 10
 
Memorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demandaMemorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demanda
 
Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...
Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...
Nbr 5419-1-2015-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-1-principios-ger...
 
Aula pratica spda
Aula pratica spdaAula pratica spda
Aula pratica spda
 
NR 10 Comentada
NR 10 ComentadaNR 10 Comentada
NR 10 Comentada
 
Nbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcip
Nbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcipNbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcip
Nbr 17240-substituindo-nbr-9441 manutenção spcip
 
Anexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletrica
Anexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletricaAnexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletrica
Anexo r atestado_conformidade_da_instalacao_eletrica
 
Vistoria moradias(versão 2003)
Vistoria moradias(versão 2003)Vistoria moradias(versão 2003)
Vistoria moradias(versão 2003)
 
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldadorLaudo pericial insalubridade periculosidade soldador
Laudo pericial insalubridade periculosidade soldador
 
Projetos elétricos residenciais - Completo
Projetos elétricos residenciais  - CompletoProjetos elétricos residenciais  - Completo
Projetos elétricos residenciais - Completo
 
Memória de cálculo de linha de vida
Memória de cálculo de linha de vida  Memória de cálculo de linha de vida
Memória de cálculo de linha de vida
 
Laudo spda
Laudo spdaLaudo spda
Laudo spda
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
 
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vidaNbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
Nbr 5419-3-2015-danos-fisicos-a-estrutura-e-perigo-a-vida
 
E cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitosE cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitos
 
Terrometro
TerrometroTerrometro
Terrometro
 
Cpfl normas
Cpfl normasCpfl normas
Cpfl normas
 
Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1
Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1
Pr 0015-procedimento para fabricação e montagem de tubulações-revisão1
 

Destaque

Laudo e Parecer Técnico
Laudo e Parecer TécnicoLaudo e Parecer Técnico
Laudo e Parecer TécnicoRobson Santos
 
Modelo de laudo tecnico residencial
Modelo de laudo tecnico residencialModelo de laudo tecnico residencial
Modelo de laudo tecnico residencialSara Cardoso
 
Nbr5419 1 proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios gerais
Nbr5419 1  proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios geraisNbr5419 1  proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios gerais
Nbr5419 1 proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios geraisElkjaer Braz
 
Laudo insalub peric univ fed am
Laudo insalub peric univ fed amLaudo insalub peric univ fed am
Laudo insalub peric univ fed amPaulo H Bueno
 
Laudo instalacoes-eletricas
Laudo instalacoes-eletricasLaudo instalacoes-eletricas
Laudo instalacoes-eletricasCibele Delgado
 
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdfNbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdfPaulo H Bueno
 
Nbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-risco
Nbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-riscoNbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-risco
Nbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-riscoPaulo H Bueno
 
Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria
Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria
Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria Paulo H Bueno
 
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civilModelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civilHebert Mayco
 
Guia de manutencao predial
Guia de manutencao predialGuia de manutencao predial
Guia de manutencao predialmjmcreatore
 
Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26
Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26
Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26Prefeitura de Olinda
 
Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen 2000
Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen   2000Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen   2000
Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen 2000Paulo H Bueno
 
Apostila projetistas spda
Apostila projetistas spdaApostila projetistas spda
Apostila projetistas spdaDaniel Morais
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSDaiane Daine
 
Relatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnicaRelatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnicaPortal NE10
 
Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz
Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz
Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz Paulo H Bueno
 

Destaque (20)

Laudo e Parecer Técnico
Laudo e Parecer TécnicoLaudo e Parecer Técnico
Laudo e Parecer Técnico
 
Modelo de laudo tecnico residencial
Modelo de laudo tecnico residencialModelo de laudo tecnico residencial
Modelo de laudo tecnico residencial
 
Nbr5419 1 proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios gerais
Nbr5419 1  proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios geraisNbr5419 1  proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios gerais
Nbr5419 1 proteção contra descargas atmosféricas - parte 1- princípios gerais
 
Laudo insalub peric univ fed am
Laudo insalub peric univ fed amLaudo insalub peric univ fed am
Laudo insalub peric univ fed am
 
Laudo instalacoes-eletricas
Laudo instalacoes-eletricasLaudo instalacoes-eletricas
Laudo instalacoes-eletricas
 
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdfNbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
Nbr5419 4-sistema eletronicos.pdf
 
Nbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-risco
Nbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-riscoNbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-risco
Nbr5419 2-protecao-contra-descargas-atmosfericas-parte-2-gerenciamento-de-risco
 
Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria
Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria
Modelo laudo tecnico individual para aposentadoria
 
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civilModelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
Modelo de laudo_tecnico_de_engenharia_civil
 
Guia de manutencao predial
Guia de manutencao predialGuia de manutencao predial
Guia de manutencao predial
 
Laudo de técnico de vistoria predial
Laudo de técnico de vistoria predialLaudo de técnico de vistoria predial
Laudo de técnico de vistoria predial
 
Laudo técnico
Laudo técnicoLaudo técnico
Laudo técnico
 
Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26
Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26
Relatório de Vistoria - Casa na Rua de São Francisco, 26
 
Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen 2000
Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen   2000Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen   2000
Laudo técnico pericial metalúrgica siemsen 2000
 
Apostila projetistas spda
Apostila projetistas spdaApostila projetistas spda
Apostila projetistas spda
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOS
 
Relatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnicaRelatório de vistoria técnica
Relatório de vistoria técnica
 
Tutorial aterramento
Tutorial aterramentoTutorial aterramento
Tutorial aterramento
 
Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz
Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz
Laudo técnico pericial panificadora anibal bartz
 
Proposta spda v2 0
Proposta spda v2 0Proposta spda v2 0
Proposta spda v2 0
 

Semelhante a Modelo+laudo+vistoria spda

Memorial descritivo spda_-_18
Memorial descritivo spda_-_18Memorial descritivo spda_-_18
Memorial descritivo spda_-_18Paulo H Bueno
 
81014especeletrico
81014especeletrico81014especeletrico
81014especeletricoegues
 
Aterramento
AterramentoAterramento
AterramentoEMSNEWS
 
Pinturas Intumescentes em cabos MT
Pinturas Intumescentes em cabos MTPinturas Intumescentes em cabos MT
Pinturas Intumescentes em cabos MTAlexandre Grossi
 
Aterramento eletrico joao gilberto cunha
Aterramento eletrico   joao gilberto cunhaAterramento eletrico   joao gilberto cunha
Aterramento eletrico joao gilberto cunhaMARCELO DOS OLIVEIRA
 
Aterramento
AterramentoAterramento
AterramentoTiago
 
MEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docx
MEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docxMEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docx
MEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docxCarlosHenriquedaSilv64
 
Ed 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&d
Ed 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&dEd 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&d
Ed 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&dCarlos Roberto Gonçalves
 
Sistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas
Sistemas de Proteção Contra Descargas AtmosféricasSistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas
Sistemas de Proteção Contra Descargas AtmosféricasEdhy Torres
 
ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.
ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.
ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.Jean Paulo Mendes Alves
 
Ntc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dps
Ntc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dpsNtc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dps
Ntc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dpsMarcelo Godoy
 
Mit manual infraestruturacliente
Mit manual infraestruturaclienteMit manual infraestruturacliente
Mit manual infraestruturaclientesidicleibrito
 

Semelhante a Modelo+laudo+vistoria spda (20)

Spda
SpdaSpda
Spda
 
Apostila spda
Apostila spdaApostila spda
Apostila spda
 
Memorial descritivo spda_-_18
Memorial descritivo spda_-_18Memorial descritivo spda_-_18
Memorial descritivo spda_-_18
 
Abv11 5110
Abv11 5110Abv11 5110
Abv11 5110
 
81014especeletrico
81014especeletrico81014especeletrico
81014especeletrico
 
Aterramento
AterramentoAterramento
Aterramento
 
Spda2
Spda2Spda2
Spda2
 
Aterramento
AterramentoAterramento
Aterramento
 
Pinturas Intumescentes em cabos MT
Pinturas Intumescentes em cabos MTPinturas Intumescentes em cabos MT
Pinturas Intumescentes em cabos MT
 
Aterramento
AterramentoAterramento
Aterramento
 
Aterramento eletrico joao gilberto cunha
Aterramento eletrico   joao gilberto cunhaAterramento eletrico   joao gilberto cunha
Aterramento eletrico joao gilberto cunha
 
Aterramento
AterramentoAterramento
Aterramento
 
Aterramento
AterramentoAterramento
Aterramento
 
MEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docx
MEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docxMEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docx
MEMORIAL DESCRITIVO SPDA_Vestiário masculino e feminino_Faz Monte Verde.docx
 
Ed 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&d
Ed 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&dEd 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&d
Ed 114 fasciculo-cap-vii-equipamentos-para-subestacoes-de-t&d
 
Sistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas
Sistemas de Proteção Contra Descargas AtmosféricasSistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas
Sistemas de Proteção Contra Descargas Atmosféricas
 
ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.
ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.
ATERRAMENTO & SPDA - Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas.
 
Aterramento
AterramentoAterramento
Aterramento
 
Ntc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dps
Ntc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dpsNtc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dps
Ntc 910910 2012 - dispositivos de proteção contra surtos – dps
 
Mit manual infraestruturacliente
Mit manual infraestruturaclienteMit manual infraestruturacliente
Mit manual infraestruturacliente
 

Mais de Paulo H Bueno

livro_os_cem_quilos_spinelli.pdf
livro_os_cem_quilos_spinelli.pdflivro_os_cem_quilos_spinelli.pdf
livro_os_cem_quilos_spinelli.pdfPaulo H Bueno
 
Manual do Vestuario 1.pdf
Manual do Vestuario 1.pdfManual do Vestuario 1.pdf
Manual do Vestuario 1.pdfPaulo H Bueno
 
Manual do Vestuario 2.pdf
Manual do Vestuario 2.pdfManual do Vestuario 2.pdf
Manual do Vestuario 2.pdfPaulo H Bueno
 
Manual do Vestuario 3.pdf
Manual do Vestuario 3.pdfManual do Vestuario 3.pdf
Manual do Vestuario 3.pdfPaulo H Bueno
 
Manual do Vestuario 4.pdf
Manual do Vestuario 4.pdfManual do Vestuario 4.pdf
Manual do Vestuario 4.pdfPaulo H Bueno
 
Memorial descritivo Corpo de Bombeiros
Memorial descritivo Corpo de BombeirosMemorial descritivo Corpo de Bombeiros
Memorial descritivo Corpo de BombeirosPaulo H Bueno
 
313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao
313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao
313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacaoPaulo H Bueno
 
anexo-i-memorial-descritivo-tabelado
 anexo-i-memorial-descritivo-tabelado anexo-i-memorial-descritivo-tabelado
anexo-i-memorial-descritivo-tabeladoPaulo H Bueno
 
aula-sobre-nova-nbr-5419-2015
 aula-sobre-nova-nbr-5419-2015 aula-sobre-nova-nbr-5419-2015
aula-sobre-nova-nbr-5419-2015Paulo H Bueno
 
291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015
291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015
291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015Paulo H Bueno
 
memorial-de-calculo-spda-5419-2015
memorial-de-calculo-spda-5419-2015memorial-de-calculo-spda-5419-2015
memorial-de-calculo-spda-5419-2015Paulo H Bueno
 
NR-20-treinamento-00176-e-7
NR-20-treinamento-00176-e-7NR-20-treinamento-00176-e-7
NR-20-treinamento-00176-e-7Paulo H Bueno
 
Destinação final de resíduos cemitérios
Destinação final de resíduos   cemitériosDestinação final de resíduos   cemitérios
Destinação final de resíduos cemitériosPaulo H Bueno
 
Servi os esmerilhadeira
Servi os esmerilhadeiraServi os esmerilhadeira
Servi os esmerilhadeiraPaulo H Bueno
 
Orientações de sms cozinha revisto
Orientações de sms cozinha revistoOrientações de sms cozinha revisto
Orientações de sms cozinha revistoPaulo H Bueno
 
Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]Paulo H Bueno
 
Trabalho com roçadeira costal
Trabalho com roçadeira costalTrabalho com roçadeira costal
Trabalho com roçadeira costalPaulo H Bueno
 

Mais de Paulo H Bueno (20)

livro_os_cem_quilos_spinelli.pdf
livro_os_cem_quilos_spinelli.pdflivro_os_cem_quilos_spinelli.pdf
livro_os_cem_quilos_spinelli.pdf
 
Manual do Vestuario 1.pdf
Manual do Vestuario 1.pdfManual do Vestuario 1.pdf
Manual do Vestuario 1.pdf
 
Manual do Vestuario 2.pdf
Manual do Vestuario 2.pdfManual do Vestuario 2.pdf
Manual do Vestuario 2.pdf
 
Manual do Vestuario 3.pdf
Manual do Vestuario 3.pdfManual do Vestuario 3.pdf
Manual do Vestuario 3.pdf
 
Manual do Vestuario 4.pdf
Manual do Vestuario 4.pdfManual do Vestuario 4.pdf
Manual do Vestuario 4.pdf
 
Memorial descritivo Corpo de Bombeiros
Memorial descritivo Corpo de BombeirosMemorial descritivo Corpo de Bombeiros
Memorial descritivo Corpo de Bombeiros
 
313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao
313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao
313788546 autopower-2016-spda-nbr-5419-2015-documentacao
 
anexo-i-memorial-descritivo-tabelado
 anexo-i-memorial-descritivo-tabelado anexo-i-memorial-descritivo-tabelado
anexo-i-memorial-descritivo-tabelado
 
aula-sobre-nova-nbr-5419-2015
 aula-sobre-nova-nbr-5419-2015 aula-sobre-nova-nbr-5419-2015
aula-sobre-nova-nbr-5419-2015
 
291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015
291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015
291270020 memorial-de-calculo-spda-5419-2015
 
memorial-de-calculo-spda-5419-2015
memorial-de-calculo-spda-5419-2015memorial-de-calculo-spda-5419-2015
memorial-de-calculo-spda-5419-2015
 
Calculo spda 2015
Calculo spda 2015Calculo spda 2015
Calculo spda 2015
 
NR-20-treinamento-00176-e-7
NR-20-treinamento-00176-e-7NR-20-treinamento-00176-e-7
NR-20-treinamento-00176-e-7
 
Destinação final de resíduos cemitérios
Destinação final de resíduos   cemitériosDestinação final de resíduos   cemitérios
Destinação final de resíduos cemitérios
 
Servi os esmerilhadeira
Servi os esmerilhadeiraServi os esmerilhadeira
Servi os esmerilhadeira
 
Orientações de sms cozinha revisto
Orientações de sms cozinha revistoOrientações de sms cozinha revisto
Orientações de sms cozinha revisto
 
Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]
 
Sst practica
Sst practicaSst practica
Sst practica
 
Trabalho com roçadeira costal
Trabalho com roçadeira costalTrabalho com roçadeira costal
Trabalho com roçadeira costal
 
Vicios ao volante
Vicios ao volanteVicios ao volante
Vicios ao volante
 

Último

Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...dl assessoria9
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024AssessoriaDl1
 
ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...
ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...
ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...mariaclarinhaa2723
 
As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...
As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...
As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...mariaclarinhaa2723
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...DL assessoria 31
 
ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...
ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...
ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...Dl assessoria S3
 
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024DL assessoria 30
 
MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024
MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024
MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024DassessoriaAa
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...DL assessoria 31
 
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...dl assessoria9
 
MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024
MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024
MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024DL assessoria 31
 
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...DL assessoria 29
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...sdl192405
 
ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024Dl assessoria S3
 
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...Raislane Santos
 
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.brBolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.brPatriciagomes889620
 
ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024Dl assessoria S3
 
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Henry Quaresma
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...dl assessoria9
 
apresentação............................
apresentação............................apresentação............................
apresentação............................Judite Silva
 

Último (20)

Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
Para melhor compreendermos as relações em sociedade e suas formas de organiza...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...
ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...
ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (ORT) A Organização Racional do Trabalho (OR...
 
As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...
As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...
As plataformas digitais, como o Book Creator e o Canva, abrem novas possibili...
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
 
ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...
ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...
ATIVIDADE 1 - MKT - GESTÃO DE CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - 51/2024ESTÃO DE CANAIS...
 
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
 
MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024
MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024
MAPA – SAUDE - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51/2024
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
 
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
 
MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024
MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024
MAPA - BEDU - MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA - 51/2024
 
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
 
ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - PED - TEORIA E PRÁTICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - 51/2024
 
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
 
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.brBolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
Bolsa de Valores Simples - www.bolsadevaloressimples.com.br
 
ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - HISTÓRIA DA AMÉRICA - 51/2024
 
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
 
apresentação............................
apresentação............................apresentação............................
apresentação............................
 

Modelo+laudo+vistoria spda

  • 1. CLIENTE: xxxxxxxxxxxxxxxxx LOCAL: xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx MUNICÍPIO: x x-xx ASSUNTO: Avaliação técnica dos sistemas de Proteção contra descargas Atmosféricas SPDA(Para-Raios). DATA DA VISITA TÉCNICA: 15/01/03 DAS 12:00 ÁS 13:30 1)INTRODUÇÃO 1.1-Este trabalho tem como objetivo fazer uma avaliação detalhada dos SPDA´s existentes nas edificações, verificar o estado de conservação das peças e acessórios e checar a sua conformidade com a norma técnica NBR5419/2201 da ABNT em vigência. 1.2-Serão apresentadas as sugestões técnicas necessárias para conformidade á norma e apresentados desenhos e/ou detalhes caso seja necessário. 2)DICIONÁRIO E ABREVIATURAS USADAS NESTE DOCUMENTO EXPOSIÇÃO EXTREMA: Local com muita incidência de Raios e vulnerável aos efeitos secundários dos raios que caiem na vizinhança. DG - Distribuição Geral de telefonia BLINDAGEM ELETROSTÁTICA: Proteção contra as ondas eletromagnéticas provocadas pelos raios que viajam pelo ar. NBR5419/2001 – Norma Brasileira que regulamenta o projeto e instalação de Pára-raios ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas SPDA – Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas ( Pára-raios) “As Built” – Projeto final da instalação com as modificações ocorridas durante a instalação (como executado;como construído). ART – Anotação de Responsabilidade Técnica emitida no CREA, (responsabilidade pela execução). CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia Mesh – Fechamento=Grid=Malha=Quadriculado. 3)ESCRITÓRIO/GALPÃO 3.1-CARACTERÍSTICAS DO LOCAL Edificação de uso Industrial/Comercial com presença de muitas pessoas e equipamentos eletrônicos e presença de salas “limpas” para a fabricação de cartões de teste sanguíneo e similares. As edificações estão localizadas numa área de EXPOSIÇÃO EXTREMA a descargas atmosféricas e seus efeitos indiretos.
  • 2. 3.2-DADOS TÉCNICOS DA EDIFICAÇÃO 3.2.1-Edificação enquadrada na norma NBR5419/2001 da ABNT, como Nível II de proteção 3.2.2-Necessidade de proteção evidenciada por se tratar de edificação de Nível II, com presença de pessoas e equipamentos. 3.3.3-Mesh máximo da Gaiola de Faraday : 10m X 20 m 3.3.4-Espaçamento máximo das descidas: a cada 15 metros de perímetro. -Perímetro= xx metros/15 = xx descidas -Como existem apenas xx descidas, deverão ser i instaladas mais xx descidas para totalizar as xx descidas exigidas pela norma. 3.3.5-Aterramento: 1 eletrodo vertical tipo “Copperweld” 5/8” x 2,40m (alta camada) para cada descida e um eletrodo horizontal com cabo de cobre nu #50mm2 a 50 cm de profundidade, circundando a edificação e interligando todas as descidas. 4)HISTÓRICO DE PROBLEMAS 4.1-Apesar da localização do cliente ser de extrema exposição não existem problemas freqüentes de paradas ou queima de equipamentos essenciais ao processo produtivo . 4.2-A baixa ocorrência de problemas com equipamentos se deve ao fato da estrutura metálica que envolve as edificações funcionar como blindagem eletrostática , absorvendo a maioria das interferências eletromagnéticas provenientes dos raios que caiem na vizinhança, a presença da supressores de surtos instalados na rede elétrica, aos supressores de surtos de telefonia instalados no DG e também ao fato da maioria da comunicação ser via rádio (EMBRATEL), eliminando os surtos comuns induzidos nas redes telefônicas com fio metálico, aéreas. 5)DOCUMENTAÇÃO EXISTENTE 5.1-Existe um projeto de SPDA dimensionado pelo método Gaiola de Faraday que não está em conformidade com a norma NBR5419/2001 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) nem com a sua antecessora NBR5419/1993. 5.2-Não existe relatório técnico, “As Built” nem ART da instalação existente , não havendo portanto documentação que garanta que tudo que está no projeto tenha sido corretamente executado. Por isso não é possível afirmar nada sobre as descidas e sobre o aterramento. Uma vez que não são facilmente acessíveis. 6)PRINCIPAIS FALHAS DO PROJETO 6.1-Mesh´s da Gaiola muito abertos (deverão ser fechados). 6.2-Espaçamento entre descidas muito grande (aumentar o numero de descidas) 6.3-Aterramento das descidas separados (deverão ser interligados) 6.4-Não foi dimensionado proteção para a portaria/subestação
  • 3. NOTA:Veja mais detalhes no item “Sugestões para adequação do SPDA á norma” 7)VISTORIA “IN LOCO” DOS SPDA´s EXISTENTES 7.1-ESCRITÓRIO/GALPÃO 7.1.1-Em vistoria realizada no local, foi constatado que mesmo projeto estando fora das normas ele não foi totalmente executado, uma vez que as Interligações da Gaiola de Faraday entre o escritório e o galpão não foram executadas. 7.1.2-Com relação ás descidas estas foram instaladas por baixo das fachadas metálicas e mesmo estando com numero insuficiente seu estado de conservação não pode ser comprovado visualmente. 7.1.3-Os aterramentos também não foram todos identificados uma vez que estão debaixo do solo e somente alguns pontos foram identificados. 7.1.4-Foram realizadas medições de resistência dos aterramentos existentes e os resultados constam no anexo deste documento. Convém lembrar que esses valores obtidos servem apenas para dar uma idéia aproximada da qualidade do solo e não definem a eficiência do aterramento uma vez que o raio é um fenômeno de alta freqüência e quase não enxerga a resistência ôhmica, sendo muito mais importante a impedância de aterramento que o valor de resistência isoladamente. . 7.1.5-Por estes motivos o valor de resistência não será usado como parâmetro para definir a eficiência e qualidade do aterramento. 7.1.6-As estruturas metálicas dos Shiller´s existentes nos fundos do galpão deverão ser aterrados na malha periférica sugerida no item XXXXXXXXXX. 7.2-PORTARIA/SUBESTAÇÃO 7.2.1-A portaria apresenta poucas pessoas e sem equipamentos eletrônicos sensíveis por isso poderia ser dispensada a sua proteção, porém como está fisicamente ligada com a Subestação, que é uma edificação vital para o funcionamento da empresa, recomendamos a instalação de um SPDA tipo Gaiola de Faraday. 7.3-CAIXA D´ÁGUA 7.3.1- Na caixa d´água existe instalado um sistema tipo Franklim, porém este é tecnicamente desnecessário uma vez que a estrutura da edificação é totalmente metálica funcionando como um SPDA natural (prescrito na norma), capaz de captar o raio e conduzi-lo até o solo. No entanto é necessário que seja executado um aterramento circundando a estrutura e conectado em no mínimo 2 pontos diametralmente opostos. 7.3.2-Quanto ao Para-Raios Franklim e descidas existentes poderão ser mantidas , uma vez que apesar não estarem contribuindo para melhorar a proteção natural da estrutura metálica, também não estão atrapalhando, dispensando assim os custos com a sua remoção.
  • 4. 8)CONCLUSÃO FINAL DESTE RELATÓRIO 8.1-Os SPDA´s existentes não estão em conformidade com a norma NBR5419/2001 da ABNT e a portaria/subestação não possuem nenhum tipo de proteção. Recomendamos a execução dos serviços descriminados no item seguinte. 9)RECOMENDAÇÕES PARA PROTEÇÃO DAS EDIFICAÇÕES 9.1-As recomendações para adequação das edificações ás normas, são: 9.2-ESCRITÓRIO/GALPÃO 9.2.1-Fechamento dos mesh´s da Gaiola de Faraday existente de modo que seu fechamento não ultrapasse 10m X 20m. 9.2.2-Execução das interligações dos sistemas do escritório com o do galpão, conforme mostrado no projeto existente, fazendo mais um fechamento na região onde se encontram as antenas. 9.2.3-Instalação de uma mastro com captor Franklim com 6 metros de altura, fixado em porta bandeira, na laterla da parede de alvenaria existente para diminuir os riscos das antenas (Embratel e Parabólica) serem atingidas diretamente por uma descarga direta. 9.2.4-Instalação de mais XX descidas com barra chata de Alumínio, fixado diretamente nas fachadas sem prejuízo estético para a edificação. 9.2.5-Cravação de 1 haste de aterramento tipo copperweld 5/8” x 2,40m (alta camada) para cada uma das descidas novas e conexão com solda exotérmica. 9.2.6-Instalação de uma malha de aterramento horizontal com cabo de cobre nu#50mm2 a 50 cm de profundidade no solo, interligando todas as descidas (existentes e novas) formando um anel ao redor da edificação. 9.2.7- Equalização de potenciais entre a malha de aterramento nova com a caixa de aterramento existente na frente do escritório. 9.2.3- Instalação de um barramento de cobre dentro da caixa de aterramento existente, de acordo com as medidas normalizadas. NOTA: Para mais detalhes consultar os desenhos anexos 9.3-PORTARIA E SUBESTAÇÃO 9.3.1-Instalação de uma Gaiola de Faraday, com mesh´s de no máximo 10m X 20m, com cabos de conre nu#35mm2.. 9.3.2-Instalação de xx descidas distribuídas ao longo do perímetro das edificações, com cabo de cobre nu #35mm2, fixados por presilhas de latão, parafusos inox e buchas de nylon. As descidas
  • 5. serão protegidas contra danos mecânicos através de tubos de PVC rígido e abraçadeiras adequadas. 9.3.3-Para cada descida será instalada 1 haste copperweld 5/8” x 2,40m (alta camada). 9.3.4-Instalação de uma malha com cabo de cobre nu #50mm2, circundando as edificações e interligando todas as descidas, a 50 cm de profundidade no solo com soldas exotérmicas. 9.3.5-Instalação de uma caixa de equalização de potenciais dentro da subestação para vinculação da malha do SPDA com a malha da subestação . 9.4-CAIXA D´ÁGUA METÁLICA 9.4.1-Cravação de 2 hastes de aterramento copperweld 5/8” x 2,40m em posições diametralmente opostas e conexão com a estrutura metálica da caixa. 9.4.2-Instalação de uma malha de aterramento com cabo de cobre nu #50mm2, circundando a caixa d´água e interligando as 2 hastes cravadas, a 50 cm de profundidade no solo e conectadas com soldas exotérmicas. 10-DOCUMENTAÇÃO E INSTALAÇÃO 10.1-Os serviços acima mencionados deverão ser documentados através de um projeto “As Built” , relatório técnico da execução, medição de resistência das malhas de aterramento do escritório/galpão , portaria/subestação e caixa d ´água separadamente e ART junto ao CREA-MG. 10.2-A execução dos serviços mencionados deverá ser realizada por empresa especializada e que esteja cadastrada no CREA-MG. 10.3-Os materiais empregados deverão ser de boa qualidade, tais como ferragens galvanizadas a fogo, cobre, latão, Inox, Bronze e Alumínio. É proibido o uso de galvanização eletrolítica, inclusive de porcas, parafusos e arruela, os quais deverão se inox e as hastes de aterramento deverão ser de alta camada. 11-DADOS ADICIONAIS 11.1-Este trabalho foi elaborado com base nos projetos do SPDA fornecidos pela DIAMED e levantados no local, acompanhado pelo Eng. Lucélio da DIAMED. TERMOTÉCNICA PROTEÇÃO ATMOSFÉRICA Eng. Normando Virgílio Borges Alves-Diretor Técnico-CREA nº Relator da norma NBR5419/2001 da ABNT
  • 6. serão protegidas contra danos mecânicos através de tubos de PVC rígido e abraçadeiras adequadas. 9.3.3-Para cada descida será instalada 1 haste copperweld 5/8” x 2,40m (alta camada). 9.3.4-Instalação de uma malha com cabo de cobre nu #50mm2, circundando as edificações e interligando todas as descidas, a 50 cm de profundidade no solo com soldas exotérmicas. 9.3.5-Instalação de uma caixa de equalização de potenciais dentro da subestação para vinculação da malha do SPDA com a malha da subestação . 9.4-CAIXA D´ÁGUA METÁLICA 9.4.1-Cravação de 2 hastes de aterramento copperweld 5/8” x 2,40m em posições diametralmente opostas e conexão com a estrutura metálica da caixa. 9.4.2-Instalação de uma malha de aterramento com cabo de cobre nu #50mm2, circundando a caixa d´água e interligando as 2 hastes cravadas, a 50 cm de profundidade no solo e conectadas com soldas exotérmicas. 10-DOCUMENTAÇÃO E INSTALAÇÃO 10.1-Os serviços acima mencionados deverão ser documentados através de um projeto “As Built” , relatório técnico da execução, medição de resistência das malhas de aterramento do escritório/galpão , portaria/subestação e caixa d ´água separadamente e ART junto ao CREA-MG. 10.2-A execução dos serviços mencionados deverá ser realizada por empresa especializada e que esteja cadastrada no CREA-MG. 10.3-Os materiais empregados deverão ser de boa qualidade, tais como ferragens galvanizadas a fogo, cobre, latão, Inox, Bronze e Alumínio. É proibido o uso de galvanização eletrolítica, inclusive de porcas, parafusos e arruela, os quais deverão se inox e as hastes de aterramento deverão ser de alta camada. 11-DADOS ADICIONAIS 11.1-Este trabalho foi elaborado com base nos projetos do SPDA fornecidos pela DIAMED e levantados no local, acompanhado pelo Eng. Lucélio da DIAMED. TERMOTÉCNICA PROTEÇÃO ATMOSFÉRICA Eng. Normando Virgílio Borges Alves-Diretor Técnico-CREA nº Relator da norma NBR5419/2001 da ABNT