Apresentacao Bullying E Cyberbullying Final

775 visualizações

Publicada em

“Bullying and Cyberbullying in Higher Education Students: psychological correlates”
1st Developmental Psychology International Congress
ISPA (Instituto Superior de Psicologia Aplicada), Lisbon, Portugal
(2-5 February, 2011)

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
775
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao Bullying E Cyberbullying Final

  1. 1. Virgínia Teixeira*, Isabel Correia*, Ana Almeida** & Joana Lourenço**•*CIS, Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, •Instituto Universitário de Lisboa ** Escola de Psicologia da Universidade de Minho 1
  2. 2.  A relação entre bullying e cyberbullying tem sido verificada em vários estudos : 2
  3. 3.  Almeida, A ., Marinho, S., Esteves, S., Gomes, C., & Correia, I. (2008). Virtual but not less real: a study of cyberbullying and its relations with moral disengagement and empathy. Poster presented at the XX Biennial Meeting of the International Society for the Study of Behavioral Development, Wurzburg. Amostra: 934 alunos do 7º ao 9º ano 11% de experiências de cyberbullying por telemóvel e 10% pela Internet Maior vitimização e agressão-vitimização no sexo feminino, e agressão no sexo masculino. Almeida, A., Correia, I., Garcia, D. Marinho, S., Gomes, S. & Esteves, C. (2009). Are moral disengagement and empathy related to cyberbullying practises? Poster presented at the XIVth European Conference on Developmental Psychology, Vilnius. Amostra: 800 alunos do 10º ao 12º ano Maior prevalência de utilização da internet e experiências de cyberbullying pela Internet em indivíduos mais velhos O cyberbullying pelo telemóvel também aumentou, quando comparado com a amostra do estudo anterior Maior agressão e vitimização-agressão no sexo masculino e vitimização no sexo feminino. 3
  4. 4.  Existem associações entre o bullying e o cyberbullying Existem associações entre os tipos de bullying e a agressividade Existem associações entre os tipos de bullying e a ansiedade e depressão Existem diferenças estatisticamente significativas a nível de sexo nos vários tipos de bullying Existem diferenças estatisticamente significativas entre grupos na agressividade nos vários tipos de bullying Existem diferenças estatisticamente significativas entre grupos na ansiedade e depressão nos vários tipos de bullying A agressividade tem poder explicativo relativamente às experiências de bullying e cyberbullying A ansiedade e depressão tem poder explicativo relativamente às experiências de bullying e cyberbullying 4
  5. 5.  Investigar as experiências de bullying e cyberbullying em estudantes de diversas Universidades portuguesas, considerando: Bullying Bullying Bullying global Cyberbullying Cyberbullying directo indirecto por telemóvel pela Internet 5
  6. 6.  Considerando quatro papéis nas experiências de bullying: Espectadores/ Não Vítimas Agressores Agressores- envolvidos Vítimas - Não vitimizados - Não vitimizados - Não agressores + Agressores + Vitimizados + Vitimizados - Não agressores + Agressores 6
  7. 7. 7
  8. 8. • 302 estudantes de diversas Universidades portuguesas, com idades entre os 18-47 anos (M=23.30; DP=4.96) • 32.1% do sexo masculino e 67.9% do sexo feminino. 23.2% 48% Grupo Masculino Feminino Total % noEspectador/ Bullying 32.6% 67,4% 100% não total envolvido % Total 23.2% 48% 71.2% % no Bullying 27% 73% 100% Vítimas total % Total 3.3% 8.9% 12.3% % no 3.3% Bullying 31.8% 68.2% 100% 8.9% 2.3% 3.3%Agressores 6% total 5% % Total 2.3% 5% 7.3% % noAgressores- Bullying 35.7% 64.3% 100% Vítima total % Total 3.3% 6% 9.3% Espectador / Vítimas Agressores Agressores- Não envolvido Vítima Total 32.1% 67.9% 100% 8
  9. 9. 27.1% 58.5% 24.5% 50.7% 2.6% 10.1% 1.6% 2% 2.3% 2.3% 1.6% 3.3% 3.9% 3.6% 2.3% 3.6% Espectador / Vítimas Agressores Agressores-Espectador / Vítimas Agressores Agressores- Não envolvido VítimaNão envolvido Vítima 9
  10. 10. 27.5% 29.6% 63.6% 59.9% 2.6% 2.3% 4.9% 0% 0% 0.3% 2% 1% 2.3% 2% 1.3% 0.7% Espectador / Vítimas Agressores Agressores-Espectador / Vítimas Agressores Agressores- Não envolvido VítimaNão envolvido Vítima 10
  11. 11. 11
  12. 12.  24 itens, distribuídos segundo o tipo de bullying, sendo incluído um esclarecimento sobre os conceitos utilizados nas questões. 5 itens sobre o maltrato directo, como vítima e/ou agressor e espectador/não envolvido:5 itens sobre o maltrato indirecto, como vitima e/ou agressor eespectador/não envolvido: 12
  13. 13.  5 itens sobre cyberbullying pelo telemóvel:5 itens sobre cyberbullying pela internet:Um item refere-se a situações de cyberbullying em geral:3 itens procuram uma comparação entre o bullying e o cyberbullying, namedida em que afecta a vítima, na probabilidade do agressor serdescoberto e na forma como os agressores são visto a nível deinteligência. 13
  14. 14.  Versão portuguesa do Aggression Questionnaire (Buss & Perry, 1992), obtida por tradução/retroversão 29 itens, dois deles invertidos Cotação em escala tipo Likert de 5 pontos Quatro subescalas: 14
  15. 15.  Adaptação portuguesa (Novo, 2005) do inventário original C.E.C.A. (I) (Lozano, García-Cueto e Lozano, 2004). 50 itens cotados em escala de Likert de 5 pontos (“Nunca” a “Sempre”) A escala inicial considera 5 escalas:No presente estudo utilizou-se apenaso valor global da escala. 15
  16. 16. 16
  17. 17. 17
  18. 18. 18
  19. 19. 19
  20. 20. 20
  21. 21. 21
  22. 22. 22
  23. 23. Bullying total (3 grupos) Agressores- Vítimas Agressores F p VítimasAgressividade global M=72,09 M=76,2 M=81,62 3,24 p<0.05 Hostilidade M=17,17 M=18.52 M=20.26 3,85 p<0.05 23
  24. 24. Bullying directo (3 grupos) Agressores- Vítimas Agressores F p VítimasAgressividade global M=72,6 M= 79,15 M= 88, 13 14,76 p< 0,001Agressividade verbal M=14.17 M=15.29 M=17.29 4.6 p< 0,01 Raiva M=15.75 M=18.23 M=20.82 6.48 p< 0,001 24
  25. 25. 25
  26. 26. 26
  27. 27. 27
  28. 28. 28
  29. 29. 29
  30. 30.  Os resultados corroboram a existência de uma relação entre o bullying e o cyberbullying Verificou-se 12.3% de “Vitimas”, 7.3% de “Agressores” e 9.3% de “Agressores-Vitimas”, valores que confirmam a tendência para a diminuição das experiências de bullying com a idade. Associações positivas entre Depressão e Ansiedade e todos os tipos de bullying Associações positivas entre Agressividade e todos os tipos de bullying Agressividade física prevalente no sexo masculino e raiva prevalente no feminino. 30
  31. 31.  No bullying global e no bullying directo a agressividade global é prevalente no grupo de “Agressores-Vítima” A agressividade global explica o bullying total em 11% e em conjunto com a ansiedade e depressão o poder de explicação aumenta para 13% As subescalas da agressividade explicam em 13.2% o bullying directo e a agressividade em geral 13.7% Modelo que engloba os vários tipos de bullying explicam em 11.3% a raiva. Modelo que engloba os vários tipos de bullying explicam em 16.2% a agressividade na globalidade. 31
  32. 32.  Modelo que engloba os vários tipos de bullying explicam em 12.5% a ansiedade e depressão. As regressões apontam para a necessidade de considerar outros factores e modelos associados aos diversos tipos de bullying. Tal como nos estudos epidemiológicos referidos (Almeida, Marinho, Esteves, Gomes & Correia, 2008; Almeida, Correia, Garcia, Marinho, Gomes & Esteves, 2009) o cyberbullying quer pela internet quer pelo telemóvel apresenta baixa prevalência em Portugal. O cyberbullying é ainda um fenómeno que necessita ser aprofundado. 32
  33. 33. 33

×