Tre pr-214 2012

6.324 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.324
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.489
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tre pr-214 2012

  1. 1. DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ Ano IV - Número 214 Disponibilização: domingo, 7 de outubro de 2012 Publicação: segunda-feira, 8 de outubro de 2012 FECHAMENTO DESTA EDIÇÃO: 6/10/2012 16:29 Tribunal Regional Eleitoral do Paraná Des. Rogério Luís Nielsen Kanayama Presidente Des. Rogério Coelho Vice-Presidente e Corregedor Dra. Adriana Aparecida Storoz Mathias dos Santos Procuradora Regional Eleitoral Dra. Ana Flora França e Silva Diretora-Geral COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Fone/Fax: (41) 3333-0824 ascom@tre-pr.jus.brSumárioPRESIDÊNCIA .......................................................................................................................................................................................................... 2 Atos da Presidência............................................................................................................................................................................................... 2 Portarias............................................................................................................................................................................................................. 2CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL ............................................................................................................................................................ 6PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL ............................................................................................................................................................ 6DIRETORIA-GERAL ................................................................................................................................................................................................. 6 Atos do Diretor-Geral............................................................................................................................................................................................. 6 Portarias............................................................................................................................................................................................................. 6SECRETARIA JUDICIÁRIA ...................................................................................................................................................................................... 8 Coordenadoria de Sessões ................................................................................................................................................................................... 8 Pautas de Julgamento ....................................................................................................................................................................................... 8 Seção de Acórdãos ............................................................................................................................................................................................... 9 Acórdãos, Decisões e Resoluções .................................................................................................................................................................... 9 Coordenadoria Processual - Seção de Autuação e Distribuição......................................................................................................................... 22 Resenha de Distribuição.................................................................................................................................................................................. 22SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO .................................................................................................................................................................... 41SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ESTRATÉGIA E GESTÃO ......................................................................................................................... 41SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA ..................................................................................................................................... 41ZONAS ELEITORAIS.............................................................................................................................................................................................. 41 1ª Zona Eleitoral .................................................................................................................................................................................................. 41 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 41 10ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 43 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 43 23ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 43 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 43 32ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 44 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 44 39ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 46 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 46Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  2. 2. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 2 80ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 47 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 47 89ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 47 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 47 90ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 48 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 48 92ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 49 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 49 93ª Zona Eleitoral ................................................................................................................................................................................................ 49 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 49 104ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 50 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 50 110ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 51 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 51 114ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 52 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 52 117ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 57 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 57 133ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 58 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 58 152ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 58 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 58 179ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 58 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 58 189ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 60 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 60 190ª Zona Eleitoral .............................................................................................................................................................................................. 60 Atos do juiz eleitoral ......................................................................................................................................................................................... 60PRESIDÊNCIA Atos da PresidênciaPortariasMovimentação Funcional de Setembro 2012P O R T A R I A Nº 524/2012O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXVII, do Regimento Interno deste Tribunal e considerando as disposiçõesdas Resoluções TSE nº 22.582/2007 e TRE/PR nº 524 e 525/2008,RESOLVEC O N C E D E R progressão funcional aos servidores ocupantes dos cargos de Analista Judiciário, Área de Atividade Judiciária, conformeabaixo:Da Classe B, Padrão 9, para a Classe B, Padrão 10 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE TELMA AMOAY CESAR 25/09/2008 a 24/09/2012 25/09/2012Da Classe A, Padrão 4, para a Classe A, Padrão 5 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE AYDIL LUCIANE SYDNEY FONSECA TURRA 26/09/2011 a 25/09/2012 26/09/2012 CESAR AUGUSTO BRYKSAAG 18/09/2011 a 17/09/2012 18/09/2012 CLAUDIA DENISE SCHMID WEBER 11/09/2011 a 10/09/2012 11/09/2012 FRANCISCO GONÇALVES SIMÕES 29/09/2011 a 28/09/2012 29/09/2012 LUCIANNA MARIA DE ARAUJO SAMPAIO 19/09/2011 a 18/09/2012 19/09/2012 MARIANA CARVALHO BARBOSA NOGUEIRA 09/09/2011 a 08/09/2012 09/09/2012 WILTON ANTONIO DA SILVA 15/09/2011 a 14/09/2012 15/09/2012Da Classe A, Padrão 3, para a Classe A, Padrão 4 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DEDiário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  3. 3. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 3 SUZANA JUSTUS DE BRITO 04/09/2011 a 03/09/2012 04/09/2012Da Classe A, Padrão 2, para a Classe A, Padrão 3 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE JOÃO PAULO MORRETTI DE SOUZA 20/09/2011 a 19/09/2012 20/09/2012C O N C E D E R progressão funcional aos servidores ocupantes dos cargos de Analista Judiciário, Área de Atividade Administrativa,conforme abaixo:Da Classe C, Padrão 12, para a Classe C, Padrão 13 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE LUIZ AUGUSTO GABARDO 14/09/2011 a 13/09/2012 14/09/2012Da Classe B, Padrão 9, para a Classe B, Padrão 10 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE JOSIANE CARLA ZANOTTO MALHADAS 01/09/2011 a 31/08/2012 01/09/2012Da Classe A, Padrão 4, para a Classe A, Padrão 5 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE PATRÍCIA DE FÁTIMA ESTRADIOTO PRECOMA 21/01/2011 a 20/01/2012 21/01/2012Da Classe A, Padrão 2, para a Classe A, Padrão 3 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE HELCIO SABATELLA RODRIGUEZ 06/09/2011 a 05/09/2012 06/09/2012Da Classe A, Padrão 1, para a Classe A, Padrão 2 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE LUCIANA CAMPANHOLI 23/09/2011 a 22/09/2012 23/09/2012C O N C E D E R progressão funcional ao servidor ocupante do cargo de Analista Judiciário, Área de Apoio Especializado – Análise deSistemas, conforme abaixo:Da Classe C, Padrão 11, para a Classe C, Padrão 12 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE JOSÉ ROBERTO APOLONIO DOS SANTOS 14/09/2011 a 13/09/2012 14/09/2012C O N C E D E R progressão funcional aos servidores ocupantes dos cargos de Técnico Judiciário, Área de Atividade Administrativa,conforme abaixo:Da Classe C, Padrão 12, para a Classe C, Padrão 13 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE ANAY DE SOUZA FERNANDES BOROCHOK 16/09/2011 a 15/09/2012 16/09/2012 MELISSA MYUKI ITO 12/09/2011 a 11/09/2012 12/09/2012Da Classe B, Padrão 9, para a Classe B, Padrão 10 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE MAURO SERGIO CARVALHO PRIZIBELA 26/09/2011 a 25/09/2012 26/09/2012Da Classe A, Padrão 4, para a Classe A, Padrão 5 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE ANA MARIA DE MARIO 24/09/2011 a 23/09/2012 24/09/2012 ANA PAULA CHIMBIDA DE OLIVEIRA 23/09/2011 a 22/09/2012 23/09/2012 CARLOS ROGERIO DA SILVA CARARO 16/09/2011 a 15/09/2012 16/09/2012 CLAUDINEI ZDANSKI 02/09/2011 a 01/09/2012 02/09/2012 ISABEL CRISTINA STABEN 01/09/2011 a 31/08/2012 01/09/2012 LEIZA CRISTIANE LEPREVOST 13/09/2011 a 12/09/2012 13/09/2012 LUCIANE ALICE GUSSO 26/09/2011 a 25/09/2012 26/09/2012 MARIA ALMERINDA VENTURA 12/09/2011 a 11/09/2012 12/09/2012 MARNIE FAVALI DA SILVA BRITO 27/09/2011 a 26/09/2012 27/09/2012Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  4. 4. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 4 MICHELE DE ALMEIDA 26/09/2011 a 25/09/2012 26/09/2012 NILTON LUIZ DRABESKI DUDZIAK 05/09/2011 a 04/09/2012 05/09/2012 PATRICIA BEATRIZ ZAPPE JUSTUS 24/09/2011 a 23/09/2012 24/09/2012 ROSE MAGELA DE SOUZA 29/10/2010 A 28/10/2011 29/10/2011 ROSELI CRISTINA GRANDE GARCIA 03/09/2011 a 02/09/2012 03/09/2012 SIMONE VIEIRA 29/09/2011 a 28/09/2012 29/09/2012 VALÉRIA APARECIDA DA SILVA 13/09/2011 a 12/09/2012 13/09/2012 VIVIAN WOLFF DE LIZ 22/09/2011 a 21/09/2012 22/09/2012Da Classe A, Padrão 3, para a Classe A, Padrão 4 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE GERALDO BARANOSKI 04/09/2011 a 03/09/2012 04/09/2012Da Classe A, Padrão 2, para a Classe A, Padrão 3 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE FABIO RODRIGUES VEIGA 09/09/2011 a 08/09/2012 09/09/2012 MARCOS ALEXANDRE SALES FURTADO 09/09/2011 a 08/09/2012 09/09/2012Da Classe A, Padrão 1, para a Classe A, Padrão 2 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE ISABEL ANACLETO PLACIDO 23/09/2011 a 22/09/2012 23/09/2012C O N C E D E R progressão funcional aos servidores ocupantes dos cargos de Técnico Judiciário, Área de Atividade Apoio Especializado– Operação de Computadores, conforme abaixo:Da Classe C, Padrão 14, para a Classe C, Padrão 15 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE DESIREE HERNANDEZ MAUSBACH RICCO 12/09/2011 a 11/09/2012 12/09/2012Da Classe A, Padrão 2, para a Classe A, Padrão 3 PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE JUAREZ DE OLIVEIRA 01/09/2011 a 31/08/2012 01/09/2012C O N C E D E R promoção funcional aos servidores ocupantes dos cargos de Técnico Judiciário, Área de Atividade Administrativa,conforme abaixo:Da Classe B, Padrão 10, para a Classe C, Padrão 11 SERVIDOR PERÍODO DE AVALIAÇÃO A CONTAR DE ELCIO DE LYRA DA CRUZ 10/09/2011 a 09/09/2012 10/09/2012TORNAR SEM EFEITO EM PARTE a portaria 486/2012 de 31/08/2012, publicada no Diário da Justiça do Estado do Paraná nº 190 de14/09/2012, no que se refere à servidora TELMA AMOAY CESAR.PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, em 01 de outubro de 2012.Des. ROGÉRIO KANAYAMAPresidentePORTARIA Nº 535/2012O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXI, do Regimento Interno deste Tribunal, de conformidade com odisposto na Resolução nº 480/2006-TRE, de 18.01.2006, considerando o contido no PAD nº 7368/2012-TRE,RESOLVEDESIGNAR, a partir desta data, a Doutora THAYS BACKES ARRUDA, Juíza Substituta da 33ª Seção Judiciária, com sede na Comarca deIRATI, para, sem prejuízo de suas demais atribuições, atuar nos AUTOS nº 312.2012, de REPRESENTAÇÃO ELEITORAL, que tramitamperante a 62ª Zona Eleitoral da Comarca de REBOUÇAS, em virtude de suspeição do Juiz de Direito Titular, Doutor JAMES BYRONWESCHENFELDER BORDIGNON.Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  5. 5. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 5PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, aos 05 de outubro de 2012.Des. ROGÉRIO KANAYAMA PresidentePORTARIA Nº 533/2012O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXI, do Regimento Interno deste Tribunal, de conformidade com odisposto na Resolução nº 480/2006-TRE, de 18.01.2006 e considerando o contido no PAD nº 5039/2012-TRE,RESOLVEI – REVOGAR, a contar de 29.08.2012, a Portaria nº 445/2012-GP, de 24.07.2012;II - DESIGNAR “pro tempore” a Doutora THAYS BACKES ARRUDA, Juíza Substituta da 33ª Seção Judiciária, com sede na Comarca deIRATI, para atender os serviços da 53ª Zona Eleitoral da Comarca de TEIXEIRA SOARES, a contar de 29 de agosto de 2012, até adiplomação dos eleitos 2012, em virtude da vacância do cargo de Juiz de Direito Titular.PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, aos 04 de outubro de 2012.Des. ROGÉRIO KANAYAMA PresidentePORTARIA Nº 532/2012O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXI, do Regimento Interno deste Tribunal, de conformidade com odisposto na Resolução nº 480/2006-TRE, de 18.01.2006, considerando o contido no PAD nº 7339/2012-TRE,RESOLVEDESIGNAR os Senhores Magistrados a seguir nominados para, sem prejuízo de suas demais atribuições, atenderem os serviços das ZonasEleitorais das Comarcas indicadas, nos períodos discriminados, em virtude de licença para tratamento de saúde dos Juízes de DireitoTitulares: ITEM MAGISTRADO TITULARIDADE DESIGNAÇÃO PERÍODO PARA ATENDER a Danielle Guimarães da V. Cível e Anexos de 194ª Zona Eleitoral de 06 dias, a partir de Costa Matinhos Matinhos 23.08.2012 b Joana Tonetti Biazus V. Cível e Anexos de 22ª Zona Eleitoral 01 dia, em 13.08.2012 Santo Antônio da Platina de Santo Antônio da Platina c João Angelo Bueno 47ª Zona Eleitoral de 162ª Zona Eleitoral de Salto 01 dia, em 23.08.2012 Clevelândia do Lontra d Leonardo Delfino Cesar 123ª Zona Eleitoral de 86ª Zona Eleitoral de Cruzeiro 01 dia, em 24.08.2012 Altônia do OestePUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, aos 03 de outubro de 2012.Des. ROGÉRIO KANAYAMA PresidentePORTARIA Nº 534/2012O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  6. 6. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 6Usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXI, do Regimento Interno deste Tribunal, de conformidade com odisposto na Resolução nº 467/2005-TRE, de 04.04.2005 e considerando o contido no PAD nº 7365/2012-TRE,RESOLVEDESIGNAR o Doutor PHELLIPE MULLER, Juiz Substituto da 57ª Seção Judiciária, com sede na Comarca de RIO BRANCO DO SUL, paraatuar como JUIZ AUXILIAR nas Eleições Municipais de 2012, junto à 156ª Zona Eleitoral da referida Comarca, nos dias 06 e 07.10.2012(véspera e dia da eleição).PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, aos 05 de outubro de 2012.Des. ROGÉRIO KANAYAMA PresidentePORTARIA Nº 536/2012O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXI, do Regimento Interno deste Tribunal, de conformidade com odisposto na Resolução nº 467/2005-TRE, de 04.04.2005 e considerando o contido no PAD nº 7371/2012-TRE,RESOLVEDESIGNAR a Doutora EVELINE SOARES DOS SANTOS, Juíza Substituta da 44ª Seção Judiciária, com sede na Comarca de PITANGA, paraatuar como JUÍZA AUXILIAR nas Eleições Municipais de 2012, junto à 38ª Zona Eleitoral da referida Comarca, nos dias 06 e 07.10.2012(véspera e dia da eleição).PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, aos 05 de outubro de 2012.Des. ROGÉRIO KANAYAMA PresidenteCORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)DIRETORIA-GERAL Atos do Diretor-GeralPortariasP O R T A R I A N.º 264/ 2012A BACHARELA ANA FLORA FRANÇA E SILVA, DIRETORA-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DOPARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 25, inciso VIII, do Regimento Interno da Secretaria deste Tribunal, econsiderando o contido no PAD nº 7202/2012,RESOLVEI – REVOGAR, a partir da publicação, a Portaria nº 36, de 03/02/2012, publicada no DJE nº 22 de 09/02/2012;II – DESIGNAR, a partir dadata da publicação, a servidora VERA LUCIA KOBAYASHI ISHIBARO, ocupante do cargo de Técnico Judiciário, Área de AtividadeAdministrativa, Classe C, Padrão 15, e, em comissão, Chefe da Seção de Acompanhamento de Magistrados e Requisitados, do Quadro dePessoal deste Tribunal, para substituir o servidor REINALDO ANTONIO DA SILVA DEMETERCO, como Coordenadora de Pessoal, CJ-02,durante suas férias, faltas, impedimentos e afastamentos.PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.SECRETARIA DO TRIBUNALREGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, em 1º de outubro de 2012.ANA FLORA FRANÇA E SILVADiretora-GeralDiário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  7. 7. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 7PORTARIA N.º 265 / 2012A BACHARELA ANA FLORA FRANÇA E SILVA, DIRETORA-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DOPARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 25, inciso VIII, do Regimento Interno da Secretaria deste Tribunal, e considerando ocontido no PAD nº 7201/2012,RESOLVEI – DESIGNAR a servidora GABRIELLE ANA SELIG, ocupante do cargo de Técnico Judiciário, Área de Atividade Administrativa, Classe C,Padrão 11, do Quadro de Pessoal deste Tribunal, para exercer a função comissionada de Chefe da Seção de Aposentadorias e Pensões, FC-06, a partir da data da publicação;II - DESIGNAR a servidora ANA PAULA KOZIKOSKI OLIVEIRA BARRETO, ocupante do cargo de Analista Judiciário, Área de AtividadeJudiciária, Classe A, Padrão 4, do Quadro de Pessoal deste Tribunal, para substituir a servidora GABRIELLE ANA SELIG como Chefe daSeção de Aposentadorias e Pensões, FC-06, durante suas férias, faltas, impedimentos e afastamentos, a partir da data da publicação.PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, em 01 de outubro de 2012.ANA FLORA FRANÇA E SILVADiretora-GeralPORTARIA Nº 267/2012A BACHARELA ANA FLORA FRANÇA E SILVA, DIRETORA-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁusando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 25, inciso VIII, do Regimento Interno da Secretaria deste Tribunal e conforme PAD nº4159/2012RESOLVEDESIGNARCINTIA YUKARI SHIBUKAWA MIHARA, servidora ocupante do cargo de Analista Judiciário, Área de Atividade: Administrativa, Classe “A”,Padrão 5, do Quadro de Pessoal deste Tribunal, para auxiliar o Cartório da 189ª Zona Eleitoral de Londrina, nas atividades referentes aopleito de 2012, no período de 05 a 07 de outubro de 2012.DEJAIR DE CARVALHO GONÇALVES, servidor ocupante do cargo de Técnico Judiciário, Área de Atividade: Administrativa, Classe “C”,Padrão 15, do Quadro de Pessoal deste Tribunal, para auxiliar o Cartório da 32ª Zona Eleitoral de Palmas, nas atividades referentes ao pleitode 2012, no período de 05 a 07 de outubro de 2012.HELCIO ANGELO DE ARAUJO, servidor ocupante do cargo de Analista Judiciário, Área de Atividade: Administrativa, Classe “B”, Padrão 6, doQuadro de Pessoal deste Tribunal, para auxiliar o Cartório da 8ª Zona Eleitoral de São José dos Pinhais, nas atividades referentes ao pleitode 2012, nos dias 22, 23, 26, 28 e 29 de agosto; 01 a 04, 7 a 10, 18 a 21, 23 a 30 de setembro; e 01 a 07 de outubro de 2012.PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, em 03 de outubro de 2012.ANA FLORA FRANÇA E SILVADiretora-GeralHomologação de Estágio Probatório SETEMBRO / 2012P O R T A R I A Nº 263/2012A BACHARELA ANA FLORA FRANÇA E SILVA, DIRETORA GERAL DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 25, inciso VIII, do Regimento Interno da Secretaria deste Tribunal e considerando asdisposições dos parágrafos 1º e 2º do art. 1º e parágrafo 3º do art. 19, ambos da Resolução nº 524/2008 TRE/PR,RESOLVEH O M O L O G A R a aprovação da avaliação de desempenho no estágio probatório, dos servidores abaixo:I – Cargo de Analista Judiciário, Área de Atividade Judiciária: SERVIDOR PERÍODO DO ESTÁGIO ESTABILIDADE A PROBATÓRIO PARTIR DE SUZANA JUSTUS DE BRITO 04/09/2009 a 03/09/2012 04/09/2012II - Cargo de Técnico Judiciário, Área de Atividade Administrativa: SERVIDOR PERÍODO DO ESTÁGIO ESTABILIDADE A PROBATÓRIO PARTIR DE GERALDO BARANOSKI 04/09/2009 a 03/09/2012 04/09/2012PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  8. 8. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 8TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, em 01 de outubro de 2012.ANA FLORA FRANÇA E SILVADiretora GeralP O R T A R I A N.º 268 / 2012A BACHARELA ANA FLORA FRANÇA E SILVA, DIRETORA-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DOPARANÁ,usando das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 25, inciso XV, do Regimento Interno da Secretaria deste Tribunal, e tendo em vista ocontido no PAD nº 7293/2012,RESOLVESOBRESTAR por 10 (dez) dias, a partir da data da publicação, o prazo de que trata o artigo 152 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,referente à conclusão dos trabalhos da Comissão de Processo Administrativo Disciplinar constituída pela Portaria nº 204/2012, de 20 de julhode 2012, publicada no DJE nº 140, de 26 de julho de 2012, com a finalidade de apurar os fatos narrados no PAD nº 5623/2011.PUBLIQUE-SE, ANOTE-SE E CUMPRA-SE.SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ, em 04 de outubro de 2012ANA FLORA FRANÇA E SILVADiretora-GeralSECRETARIA JUDICIÁRIA Coordenadoria de SessõesPautas de JulgamentoRelação nº 247/2012Publicação de Pauta para julgamento a partir da próxima sessão, respeitado o prazo de 24 horas, contado da publicação, dos processosabaixo relacionados:RECURSO ELEITORAL Nº 416-41.2012.6.16.0115PROCEDÊNCIA: DOIS VIZINHOS-PR (115ª ZONA ELEITORAL - DOIS VIZINHOS)RELATOR: DR. FERNANDO FERREIRA DE MORAESRECORRENTE(S) : JOSÉ LUIZ RAMUSKIRECORRENTE(S) : PAULO SÉRGIO RIBAS SANTIAGORECORRENTE(S) : COLIGAÇÃO PRA FAZER AINDA MAIS (PP/PTB/PSL/DEM/PHS/PV/PSDB/PSD)Advogado : Adão Fernandes da SilvaRECORRENTE(S) : COLIGAÇÃO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E HONESTIDADE (PDT/PT/PMDB/PSC/PR/PPS/PC do B)Advogado : Jair Frederico Galvan FilhoAdvogado : Vagner Andrei BrunnAdvogado : Wilson Redondo ÁvilaAdvogado : Gorgon NobregaAdvogada : Patrícia Spencieri de Avelar BandiniAdvogada : Silvana de Mello GuzzoRECORRIDO(S) : OS MESMOSRelação nº 248/2012Publicação de Pauta para julgamento a partir da próxima sessão, respeitado o prazo de 24 horas, contado da publicação, dos processosabaixo relacionados:RECURSO ELEITORAL Nº 880-75.2012.6.16.0144PROCEDÊNCIA: FAZENDA RIO GRANDE-PR (144ª ZONA ELEITORAL - FAZENDA RIO GRANDE)RELATOR: DES. ROGÉRIO COELHORECORRENTE(S) : COLIGAÇÃO FAZENDA EM AÇÃO (PSDB/PHS)Advogado : Geraldo Ribeiro Nogueira de Carvalho NetoAdvogada : Grasielle Markus CeregattiRECORRENTE(S) : NATALÍCIO SOARESRECORRENTE(S) : INSTITUTO NATAL - GAZETA DA FAZENDAAdvogado : Daniele Nunes da Cruz BacelarRECORRIDO(S) : ALISSON ANTHONY WANDSCHEERRECORRIDO(S) : RICARDO EDENILSON MIRANDAAdvogada : Ana Paula DuarteRECORRIDO(S) : NATALÍCIO SOARESRECORRIDO(S) : INSTITUTO NATAL - GAZETA DA FAZENDAAdvogado : Daniele Nunes da Cruz BacelarDiário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  9. 9. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 9RECORRIDO(S) : COLIGAÇÃO FAZENDA EM AÇÃO (PSDB/PHS)Advogado : Geraldo Ribeiro Nogueira de Carvalho NetoAdvogada : Grasielle Markus CeregattiRelação nº 249/2012Publicação de Pauta para julgamento a partir da próxima sessão, respeitado o prazo de 24 horas, contado da publicação, dos processosabaixo relacionados:RECURSO ELEITORAL Nº 239-55.2012.6.16.0090PROCEDÊNCIA: GUAÍRA-PR (90ª ZONA ELEITORAL - GUAÍRA)RELATOR: DR. JEAN CARLO LEECKRECORRENTE(S) : COLIGAÇÃO GUAÍRA PARA TODOS (PR/PMDB/PC DO B/ PSB/PSC/PSD/PDT/PPS/DEM/PRB/PT)Advogado : Wilson da Costa LopesAdvogado : Eduardo SuptitzAdvogada : Mariana de Oliveira CandidoAdvogado : João Fernando Pinto GrecilloRECORRIDO(S) : MANOEL KUBAAdvogado : Hugo Miranda Mendes da SilvaRECORRIDO(S) : GUILHERME VANIN RODRIGUESRECORRIDO(S) : INTERATIVA MERCOSUL LTDA., (Rádio Interativa FM)Advogado : Hasan Vais AzaraAdvogado : Lourenço Cesca Seção de AcórdãosAcórdãos, Decisões e ResoluçõesRELAÇÃO 161/2012PUBLICAÇÃO DE ACÓRDÃOSSESSÃO DE 28/09/2012ACÓRDÃO Nº 44720RECURSO ELEITORAL Nº 83-91.2012.6.16.0179PROCEDÊNCIA: APUCARANA–PR (179ª ZONA ELEITORAL – APUCARANA)RECORRENTE: JOÃO CARLOS DE OLIVEIRARECORRENTE: PARTIDO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO – PMDB (Diretório Municipal de Apucarana)ADVOGADO: HENRIQUE GERMANO DELBENADVOGADO: DOUGLAS NOBORU NIEKAWAADVOGADO: FABIO ABEL MANFRIN NONATOADVOGADO: LEANDRO PANASOLOADVOGADO: LUCIANO TADAU YAMAGUTI SATOADVOGADO: ORLANDO MOISÉS FISCHER PESSUTIRECORRENTE: PARTIDO TRABALHISTA DO BRASIL – PT do B (Diretório Municipal de Apucarana)ADVOGADO: PAULO SÉRGIO VITALADVOGADO: LEANDRO SOUZA ROSAADVOGADO: MARCOS KAZUHIRO KISHINOADVOGADO: PETRONIO CARDOSORECORRIDO: OS MESMOSRELATOR: DR. LUCIANO CARRASCOEMENTA – RECURSO ELEITORAL – REPRESENTAÇÃO ESPECÍFICA – CONDUTA VEDADA AOS AGENTES PÚBLICOS – ART. 73, VII,LEI Nº 9.504/97 – DESPESAS COM GASTOS SUPERIORES À MEDIA DOS ÚLTIMOS TRÊS ANOS – COMPROVAÇÃO – SENTENÇAMANTIDA.1. A análise de infração ao disposto no art. 73, inciso VII, da Lei das Eleições é objetiva: praticou-se a publicidade a maior, incide a multa.2. Demonstrada que a média dos gastos realizados em publicidade no ano de 2012 excedeu a média dos últimos três anos, tendo o recorrentegastado em todo o ano de 2011 quase o montante daquilo que foi gasto nos primeiros meses de 2012, impõe-se a aplicação de multa.3. Recurso conhecidos e não providos.Vistos, relatados e discutidos os autos citados, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade de votos, emconhecer dos recursos para, no mérito, negar-lhes provimento, nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.________________________________Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  10. 10. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 10SESSÃO DE 03/10/2012SEGREDO DE JUSTIÇAACÓRDÃO Nº 44812RECURSO ELEITORAL Nº 448-03.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: CURITIBA – PR (178ª ZONA ELEITORAL)RECORRENTES: SIGILOSOSADVOGADO: THIAGO LAURO DE CARLIRECORRIDO: SIGILOSORELATORA: DRA. ANDREA SABBAGA DE MELOVistos, relatados e discutidos os autos citados, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, (...), em afastar a decadência ea alegação de prova ilícita; e no mérito, (...), em dar parcial provimento ao recurso, para afastar (...) a proibição de participar de licitações econtratar com o poder público, prevista no art. 81, § 3º da Lei nº 9.504/97, mantendo a multa em seu mínimo legal, na forma definida na r.sentença, nos termos do voto da Relatora, que integra esta decisão.________________________________ACÓRDÃO Nº 44813RECURSO ELEITORAL Nº. 600-51.2012.6.16.0000 (AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO NOS AUTOS DE AÇÃO INVETIGAÇÃOJUDICIAL ELEITORAL Nº. 514-27.2012)PROCEDÊNCIA: ARAUCÁRIA – PR - 50ª Z.E.AGRAVANTE: COLIGAÇÃO SEGURANÇA PARA MUDAR (PT/PMDB/PSL/PSC/PSDC/PHS/PSB/PRP/PPL/PC do B)ADVOGADO: GUILHERME DE SALLES GONÇALVESADVOGADO: FERNANDO MATHEUS DA SILVAADVOGADA: FABIANA CRISTINA ORTEGAADVOGADO: CASSIO PRUDENTE VIEIRA LEITEADVOGADO: LUIZ EDUARDO PECCININADVOGADA: CAROLINA PUGLIA FREOADVOGADO: CARLOS EMILIANO FERREIRA DELAZARIADVOGADO: PEDRO HENRIQUE VAL FEITOSAADVOGADA: ANA CAROLINA DE CAMARGO CLÈVEAGRAVADO: ALBANOR JOSÉ FERREIRA GOMESAGRAVADO: ISAC JOSE EFRAIM FIALLAAGRAVADO: COLIGAÇÃO PRA FRENTE ARAUCÁRIA (PSDB/PSD/PP/PDT/PTB/PTN/DEM/PMN/PTC/PT DO B)ADVOGADO: GENÉSIO FELIPE DE NATIVIDADEADVOGADO: MARCELO BUZATORELATOR: DR. MARCOS ROBERTO ARAÚJO DOS SANTOSEMENTA – AGRAVO DE INSTRUMENTO – REPRESENTAÇÃO ELEITORAL – AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL – PEDIDODE ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS DA TUTELA PARCIALMENTE CONCEDIDA – AUSÊNCIA DE PROVA INEQUÍVOCA DAVEROSSIMILHANÇA DA ALEGAÇÃO A SUSTENTAR A PRETENSÃO DE ANTECIPAÇÃO – PERICULUM IN MORA REVERSOCARACTERIZADO – MANUTENÇÃO DA DECISÃO – AGRAVO DESPROVIDO.Vistos, relatados e discutidos os autos citados, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade de votos, emconhecer do agravo de instrumento e, no mérito, em negar-lhe provimento, nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.________________________________ACÓRDÃO Nº 44814RECURSO ELEITORAL N. 301-84.2012.6.16.0029PROCEDÊNCIA: IMBITUVA-PR – 296ª ZONA ELEITORALRECORRENTE: JOSÉ ANTÔNIO PONTAROLORECORRENTE: RENATO JOSÉ SCHWABADVOGADO: PATRICK ROBERTO GASPARETTOADVOGADO: LUIZ FERNANDO CASAGRANDE PEREIRAADVOGADO: GUSTAVO BONINI GUEDESRECORRENTE: RUBENS SANDER PONTAROLOADVOGADO: LUIZ FERNANDO CASAGRANDE PEREIRAADVOGADO: GUSTAVO BONINI GUEDESRECORRIDO: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORALRELATOR: DR. FERNANDO FERREIRA DE MORAESELEIÇÕES 2012. RECURSO ELEITORAL. AIJE. PUBLICIDADE INSTITUCIONAL DE 2009 A 2012. SÍMBOLO COM FIGURA DE TRÊSCASAS DE “DUAS ÁGUAS” SOBRE A INSCRIÇÃO “DE VOLTA PARA O POVO” EM REFERÊNCIA AO EXERCÍCIO ANTERIOR DO CARGODE PREFEITO ENTRE 1997-2004. VINCULAÇÃO COM O USO DA FIGURA DE UMA CASA DE “DUAS ÁGUAS” NA CAMPANHAELEITORAL DE 2008. AUSÊNCIA DE VÍNCULO DO LOGOTIPO USADO NA PUBLICIDADE INSTITUCIONAL COM A ELEIÇÃO ATUAL.CUMPRIMENTO DE DETERMINAÇÃO DE RETIRADA DE LOGOTIPO EM AÇÃO CIVIL PÚBLICA EM JULHO DE 2012. FALTA DE VÍNCULOCOM O ALEGADO ABUSO DE PODER POLÍTICO E DE AUTORIDADE NA CAMPANHA DE 2012. RECURSO PROVIDO.Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os Juízes integrantes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade devotos, em conhecer e dar provimento ao recurso, nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  11. 11. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 11________________________________PUBLICAÇÃO DE INTIMAÇÕESIntimação, na forma da lei, dos doutores FRANCISCO LUÍS HIPÓLITO GALLI e outros, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. LUCIANOCARRASCO, d. Relator dos autos abaixo discriminados:AÇÃO CAUTELAR Nº 666-31.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: LONDRINA – PR – 42ª Z. E.AUTOR: PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO - PMDB, ( Comissão Executiva Municipal de Londrina/Pr.)AUTOR: LUIZ EDUARDO CHEIDAADVOGADO: FRANCISCO LUÍS HIPÓLITO GALLIADVOGADA: MYRIAM ROSSI SLEIMAN GHOLLMIEADVOGADO: LUCIANO TADAU YAMAGUTI SATOADVOGADO: ORLANDO MOISÉS FISCHER PESSUTIADVOGADO: LEANDRO PANASOLOADVOGADO: FÁBIO ABEL MANFRIN NONATOADVOGADO: DOUGLAS NOBORU NIEKAWAREU: COLIGAÇÃO LONDRINA UNIDA (PP/PSDB/PSC/PSB/PMN/PSL/DEM/PRP/PRTB/PT DO B/PHS/PR/PTB/PRB)REU: MARCELO BELINATI MARTINSRELATOR: DR. LUCIANO CARRASCODECISÃO:“Não há, no direito brasileiro, à figura do pedido de reconsideração (STJ, Agss nº 416-BA, rel. Min. Américo Luz, DJU 27.05.1996, pág. 17796,Aga nº 454439-SP, rel. Min. Vicente Leal, DJU 17.02.2003, pág. 416; Aga nº 423504-RS, rel. Min. Cesar Asfor Rocha, 20.05.2002, pág. 163), àexceção da regra legal específica (art. 527, parágrafo único, CPC).Contra a decisão de fls. 67/68 deveriam os autores ter manejado o recurso cabível, não se prestando a petição de fls. 74/88 para revogar odespacho hostilizado e retornar-se ao status quo ante.Além do mais, não havia recurso juntado na inicial; logo, não há que se falar em reconsiderar o que não poderia ter sido considerado.Exige-se a demonstração, de plano, da ocorrência dos fatos embasadores do pedido, o que não ocorreu.Por tais razões, indefiro o pedido de reconsideração.Publique-se. Intimem-se.Curitiba, 02 de outubro de 2012(a) DR. LUCIANO CARRASCO – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, da doutora ALINE FERNANDA PEREIRA KFOURI, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. LUCIANO CARRASCO,d. Relator dos autos abaixo discriminados:AÇÃO CAUTELAR Nº 751-17.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: CERRO AZUL – PR – 7ª Z. E.AUTOR: DALTON LUIZ DE MOURA E COSTAADVOGADA: ALINE FERNANDA PEREIRA KFOURIREU: COLIGAÇÃO CERRO AZUL PARA TODOS (PSB/PT/PMDB/PRTB/PV)RELATOR: DR. LUCIANO CARRASCODECISÃO:“Recurso contra decisão que com base no artigo 73, VI, alínea “b” da lei 9.504/97 aplica multa e reconhece inelegibilidade é recebido somenteem efeito devolutivo. Executa-se desde logo, conforme já está assente e é de lei (art. 257, CE).A cautelar busca atribuir efeito suspensivo ao recurso que interpôs.De modo que diante da imprescindível pena de grave subversão à ordem jurídica, devem existir alegações e provas contundentes, aptas a,desde logo, infundir no espírito do leitor fundada dúvida acerca do acerto da decisão recorrida.A bem escrita petição inicial lançada ao longo de 17 laudas não trouxe elementos de convencimento tendentes a fazer concluir que, agora, oseu direito é plausível, apto a possibilitar a identificação de pontos na sentença que recomendassem a sua não execução imediata, comomanda a lei.A razão é simples: condenou-se o autor ao pagamento de multa e se reconheceu inelegibilidade, os quais não se cumprem imediatamente porquestões lógicas. Não se averba a inelegibilidade desde já e a multa depende de transito em julgado para execução neste tipo de demanda.E pelo MS 578-90 se afastou qualquer proibição de que o autor participasse da campanha.Por mais forte a técnica jurídica que agora se vê no pedido, nada mudou diante daquela decisão que já existe.No exame possível de se fazer agora, com todas as limitações que decorrem da fase, considero não existir nada a se suspender.Não se vai, aqui, desde logo, dizer que o recurso interposto não será provido; muito menos que o que decidiu o juízo monocrático seráreformado, eis que dissociado do que se discutiu, porque tudo é discussão sobre cautela.Forte em tais razões e considerando que a presente medida serve para tão somente conceder efeito suspensivo ao recurso, esgotando-senesta providência, indefiro liminarmente a medida e julgo extinto o processo sem resolução de mérito, nos termos do art. 267, I e VI, do CPC,conforme consignado.Publique-se.Curitiba, 02 de outubro de 2012.(a) DR. LUCIANO CARRASCO – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, do doutor HEBER SUTILI, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. LUCIANO CARRASCO, d. Relator dos autosabaixo discriminados:Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  12. 12. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 12MANDADO DE SEGURANÇA Nº 761-61.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: PATO BRANCO – PR – 73ª Z. E.IMPETRANTE: ALÔ BRASIL PESQUISAS CONSULTORIA E MARKETING LTDA.ADVOGADO: HEBER SUTILIIMPETRADO: EDUARDO FAORO, (Juiz da 73ª Zona Eleitoral de Pato Branco/Pr)RELATOR: DR. LUCIANO CARRASCODECISÃO:“1. ALÔ BRASIL PESQUISAS CONSULTOIRA E MARKETING LTDA ajuíza o presente mandado de segurança para o fim de suspenderliminar concedida pelo juiz eleitoral de Pato Branco que indeferiu a divulgação da pesquisa eleitoral registrada sob o n.º 00515/2012, sob oargumento de que não consta o número do registro do estatística responsável.Argúi, no que importa, que a empresa e o seu estatístico possuem registro no CONRE da 4º região, fundamentando o seu direito líquido ecerto no fato de que o exercício da profissão de estatístico é livre em todo o território nacional, não importando em qual região o estatístico estáregistrado.2. O feito merece espancamento imediato, ante a própria essência da matéria que fundamenta o seu direito líquido e certo.Com efeito, determina o art. 1º, inciso IX, da Resolução TSE n.º 23.364 que a pesquisa deve vir acompanhada com o “nome do estatísticoresponsável pela pesquisa e o número do seu registro no competente Conselho Regional de Estatística (Decreto n.º 62497/68, art. 11)”.E, como se vê do dispositivo, o registro do estatístico deve se dar no órgão competente, o que não é o caso, cujo estatístico está registrado noCONRE da 4ª região, sendo que a jurisdição do Paraná se refere à 3ª Região.Dessa forma, não há que se falar em direito líquido e certo, pois a decisão monocrática se baseou em norma cujo conteúdo é expresso emdizer que o estatístico deve estar registrado em órgão competente.3. Ademais, o bom senso aduzido na inicial é questão subjetiva, de interpretação, não servindo a embasar o direito líquido e certo, fundamentalpar a concessão do mandamus.4. Forte em tais fundamentos, indefiro a petição inicial e, consequentemente, julgo extinto o processo sem resolução de mérito, nos termos doart. 267, I e VI, do CPC, conforme consignado.Publique-se. Intimem-se.Curitiba, 03 de outubro de 2012(a) DR. LUCIANO CARRASCO – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, do doutor MARCELO WILLIAN MARCENGO, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. JEAN CARLO LEECK, d.Relator dos autos abaixo discriminados:AÇÃO CAUTELAR Nº 756-39.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: CURITIBA-PR (3ª ZONA ELEITORAL – CURITIBA)AUTOR: RAFAEL VALDOMIRO GRECA DE MACEDOAUTOR: PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO - PMDB, (Diretório Municipal de Curitiba/pr)ADVOGADO: MARCELO WILLIAN MARCENGOREU: COLIGAÇÃO CURITIBA SEMPRE NA FRENTE (PSB/PPS/PSDB/PRB/PP/PSL/PTN/DEM/PSDC/PHS/PMN/PTC/PRP /PSD/PTB)RELATOR: DR. JEAN CARLO LEECKDECISÃO:“1. O Diretório Municipal do Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB de Curitiba e Rafael Valdomiro Greca de Macedo interpõemação cautelar, com pedido de liminar para conferir efeito suspensivo à sentença proferida nos autos de Representação nº 559-75.2012.6.16.0003, na qual foi deferido direito de resposta em favor da ré, no tempo de 2min no período da tarde da propaganda em bloco dosautores na televisão (folha 119).Assentam que não há conteúdo ofensivo na dita propaganda, pois “todo o alio contestado não passa de reprodução de imagens já exibidas portelejornais, sítios da internet com ampla credibilidade e de periódicos de circulação nacional” (folha 13). Dizem que a alegação sobre a multa einvestigação da SANEPAR é pública e notória e que esses fatos estão sob investigação, não sendo por isso uma informação sabidamenteinverídica. Alegam ainda que no 1’40’’ do vídeo censurado foi exibida uma página do jornal Folha de São Paulo, com a manchete “MinistérioPúblico Eleitoral questiona o uso da máquina pública”, a qual apenas foi lida pelo candidato Greca. Argumenta que a obra do metrô está tãoatrasada que veiculou no referido vídeo uma notícia do jornal Gazeta do Povo de 22 de dezembro de 2001, na qual se dizia que a referida obraestaria pronta em 2003. Aduzem que as afirmações sobre a Ponte Estaiada foram baseadas em tabelas do CREA e no acervo do Instituto deEngenharia do Paraná – IEP, não se vendo nada sabidamente inverídico nas informações veiculadas. Acrescentam, por fim, que “a prefeiturade Curitiba tem contrato com a Sanepar para a exploração de serviço de água e esgoto da Bacia Hídrica do Iguaçu, não existindo qualquerincongruência em mencionar a responsabilidade do Prefeito de Curitiba no que tange a Sanepar/Rio Iguaçu” (folha 18).2. A regra geral é que o recurso eleitoral possui efeito somente devolutivo (artigo 257, CE).Excepcionalmente, porém, é facultada a concessão de efeito suspensivo, desde que demonstrados o fumus boni iuris e o periculum in mora.Contudo, a cautela aqui pleiteada já pereceu.A presente ação foi protocolada hoje, 03/10/2012, às 12:06h (folha 2). O caderno processual veio desprovido da essencial cópia integral dosautos principais, tendo trazido apenas cópia da sentença extraída do sistema SADP-PUSH (folhas 25/31).Veio aos autos uma petição de emenda à inicial, protocolada às 14:04h (folha 34), trazendo a referida cópia integral.Contudo, o direito de resposta que se buscava a suspensão cautelar já foi exercido no programa eleitoral gratuito dos autores, blocovespertino, tornando inócua qualquer decisão que aqui viesse a ser proferida.3. Por tudo, JULGO EXTINTA a presente ação cautelar, sem julgamento de mérito, ante a perda do objeto, nos termos do artigo 267, inciso VI,do Código de Processo Civil.Comunique-se ao Juízo Eleitoral da 3ª Zona Eleitoral, pelo meio mais célere.Autorizo a Secretaria a assinar os respectivos expedientes.Publique-se.Curitiba, 3 de outubro de 2012, às 17:00h.(a) DR. JEAN CARLO LEECK – RELATOR”________________________________Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  13. 13. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 13Intimação, na forma da lei, dos doutores ELAINE VALÉRIA CALIMAN FERREIRA e ALUISIO HENRIQUE FERREIRA, da r. decisão, proferidapela Exma. DRA. ANDREA SABBAGA DE MELO, d. Relatora dos autos abaixo discriminados:EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NO MANDADO DE SEGURANÇA Nº 726-04.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: FAXINAL– PR (110ª ZONA ELEITORAL)IMPETRANTE: ADILSON JOSÉ SILVA LINOIMPETRANTE: COLIGAÇÃO FÉ, TRABALHO E CONTINUIDADE DO PROGRESSO (PRB/PP/PDT/PT/PTB/PMDB/PTN/PSC/PR/DEM/PMN/PSB/PSDB/PSD)ADVOGADO: ELAINE VALÉRIA CALIMAN FERREIRAADVOGADO: ALUISIO HENRIQUE FERREIRAIMPETRADO: LEANDRO LEITE CARVALHO CAMPOS ( Juiz da 110ª Zona Eleitoral de Faxinal/PR)RELATORA: DRA. ANDREA SABBAGA DE MELODECISÃO:“1. Trata-se de embargos de declaração opostos Adilson José Silva Lino e pela Coligação “Fé, trabalho e continuidade do progresso” contradecisão monocrática que indeferiu a petição inicial do mandamus.Sustenta, em breve síntese, que a decisão padece de omissão porque não foram analisadas a fumaça de seu bom direito, o perigo na demora,tampouco o princípio da proporcionalidade, de modo a permitir a veiculação de parte da pesquisa.Requer o aclaramento das omissões, com caráter infringente e o conseqüente deferimento da liminar anteriormente pleiteada.É o breve relatório. Decido.DECISÃOConheço dos embargos, porque tempestivos.No mérito, trata-se de simples rediscussão do mérito, o que não é admitido na via estreita dos embargos de declaração.Ademais, para que fosse possível a análise dos pontos sobre os quais os embargantes aduzem pairar omissão, seria necessário oconhecimento do mandamus, o que não é possível no caso diante das razões já expostas na decisão embargada.2. Feitas as considerações necessárias, conheço dos embargos de declaração mas os rejeito.Publique-se. Intimem-se.Curitiba, 03 de outubro de 2012.(a) DRA. ANDREA SABBAGA DE MELO – RELATORA”________________________________Intimação, na forma da lei, dos doutores GUILHERME DE SALLES GONÇALVES e HEBER SUTILI, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR.FERNANDO FERREIRA DE MORAES, d. Relator dos autos abaixo discriminados:MANDADO DE SEGURANÇA Nº 766-83.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: PATO BRANCO - PR (73ª ZONA ELEITORAL)IMPETRANTE: COLIGAÇÃO JUNTOS CONSTRUINDO O FUTUROIMPETRANTE: COLIGAÇÃO DEM/PP/PSDIMPETRANTE: COLIGAÇÃO PDT/PSDBIMPETRANTE: COLIGAÇÃO PV/PSC/PR/PPS/PSBADVOGADO: GUILHERME DE SALLES GONÇALVESADVOGADO: HEBER SUTILIIMPETRADO: EDUARDO FAORO, (Juiz da 73ª Zona Eleitoral de Pato Branco/PR)RELATOR: DR. FERNANDO FERREIRA DE MORAESDECISÃO:“Coligação “Juntos Construindo o Futuro”, Coligação DEM/PP/PSD, Coligação PDT/PSDB e Coligação PV/PSC/PR/PPS/PSB impetrammandado de segurança preventivo, com pedido liminar, em face do juízo eleitoral da 73ª Zona Eleitoral, sustentando que o impetrado, aindaque tenha decidido baseado na legislação eleitoral pela intempestividade do pedido de apresentação da lista dos fiscais eleitorais, nãodestacou em sua decisão qualquer prejuízo ao pleito ou à Justiça Eleitoral e, por outro lado, sendo que atuação de tais pessoas serve para aprópria manutenção da igualdade e lisura do pleito.Da análise do presente, verifica-se que as impetrantes protocolaram na Justiça Eleitoral a lista de seus fiscais eleitorais tão somente em26/09/2012 (protocolo de nº 232838/2012 - fl. 19), quando na Resolução TSE nº 23.341/2011, que fixou o Calendário Eleitoral para as eleições2012, tem-se expresso que o dia 22/09/2012 – sábado (15 dias do pleito) é “o último dia para os partidos políticos e coligações indicarem,perante os Juízos Eleitorais, o nome dos fiscais que estará habilitados a fiscalizar os trabalhos de votação durante o pleito municipal(Resolução nº 22.895/2008)”.Portanto, não foram apenas 02 (dois) dias de atraso, como querem sustentar as autoras, mas sim 04 (quatro) dias, em total desrespeito alegislação eleitoral, cujos prazos são exíguos e exigem a observância de todos que atuam nesta seara do direito. E, ainda que fossem somentedois dias, mesmo assim o pedido estaria nitidamente fora do prazo, considerando que os prazos correm em cartório e estes se encontramabertos todos os dias, inclusive nos feriados e finais de semana. Aliás, é sabido da importância dos fiscais eleitorais e é necessário tempo parasua organização/credenciamento e, por esses motivos, deveriam as autoras ter tomado a cautela necessária para a apresentação de sualistagem em tempo oportuno.Por fim, diante da não concordância com referida decisão monocrática, caberia as impetrantes manejar o recurso eleitoral cabível, não sendo ocaso do presente writ, pois este não serve como supedâneo recursal.Assim sendo, indefiro a petição inicial, na forma do disposto no art. 10, da Lei n. 12.016/09, pela falta dos requisitos necessários para este writ.Publique-se. Registre-se. Intime-se.Curitiba, 03 de outubro de 2012.(a) DR. FERNANDO FERREIRA DE MORAES - RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, da doutora FERNANDA CAROLINA ADAM AIDAR, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. JEAN CARLO LEECK,d. Relator dos autos abaixo discriminados:Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  14. 14. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 14EMBAGOS DE DECLARAÇÃO OPOSTOS À DECISÃO MONOCRÁTICAPROFERIDA NAAÇÃO CAUTELAR Nº 677-60.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: IMBAÚ-PR (111ª ZONA ELEITORAL – TELÊMACO BORBA)EMBARGANTE: ARBEIT PESQUISAS DE MERCADO E OPINIÃO PÚBLICA LTDAEMBARGANTE: DEMOCRATAS - DEM (Diretório Regional do Paraná)ADVOGADA: FERNANDA CAROLINA ADAM AIDAREMBARGADO: COLIGAÇÃO IMBAÚ SEGUINDO COM O PROGRESSO (PDT/PT/PSB)RELATOR: DR. JEAN CARLO LEECKDECISÃO:“1. A ARBEIT Pesquisas de Mercado e Opinião Pública Ltda e o Diretório Regional do Democratas – DEM opõem embargos de declaração àdecisão monocrática de extinção do feito proferida por esta Relatoria.Sustenta que pelo “fato de no processo eleitoral não ser possível manejo do Agravo de Instrumento objetivando a reforma de decisãointerlocutória prolatada pelo juízo de primeiro grau, e, elevando o poder geral de cautela conferido ao juízo, que não pode se suprimir apossibilidade de apreciar o controle sobre atos que possam vir a afetar o processo eleitoral, que é o exato caso em questão, este E. Tribunaltem admitido a possibilidade de propositura de Medida Cautelar em face de decisão liminar prolatada por juízo de primeiro grau que suspendea divulgação de pesquisas eleitorais” (folha 388).Contudo, na sequência, os embargantes peticionaram comunicando: “em 02/10/2012 o M.D. Juízo da 111ª Zona Eleitoral (TelêmacoBorba/PR) proferiu sentença de improcedência nos autos de origem (Representação nº 45987.2012.6.16.0111 – segue arquivo anexo) razãopela qual não resta alternativa senão reconhecer a perda superveniente do objeto julgando extinto este feito sem resolução de mérito comfundamento no art. 267, VI, do CPC” (folha 402).Essa é a mesma informação que veio do Juízo da 111ª ZE por meio do Ofício nº 354/2012 (protocolo nº 241.086/2012): “a matéria emdiscussão (divulgação de pesquisa eleitoral) foi julgada em seu mérito nos autos 459-87.2012.6.16.0111, publicada em 02/10/2012 às 17:00 nasede deste Juízo, revogando a liminar outrora concedida, para autorizar a divulgação da pesquisa combatida”.2. Logo, diante da decisão do Juízo a quo e do expresso reconhecimento dos embargantes, ocorreu a perda superveniente do objeto dapresente ação cautelar e, por isso, a EXTINGO sem julgamento de mérito, na forma do artigo 267, VI, do CPC.Curitiba, 4 de outubro de 2012.(a) DR. JEAN CARLO LEECK – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, dos doutores RIVELINO SKURA e JOEL MARTINS RIBEIRO, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. FERNANDOFERREIRA DE MORAES, d. Relator dos autos abaixo discriminados:MANDADO DE SEGURANÇA N. 773-75.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: CAFELÂNDIA-PR (126ª ZE - CORBÉLIA)IMPETRANTE: COLIGAÇÃO CAFELÂNDIA CONTINUA NO RUMO CERTOIMPETRANTE: ROZANE MARIA DAL MOLIN PITOLADVOGADO: RIVELINO SKURAADVOGADO: JOEL MARTINS RIBEIROIMPETRADO: ROGÉRIO COELHO, (Juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná)RELATOR: DR. FERNANDO FERREIRA DE MORAESDECISÃO:“Coligação “Cafelândia Continua no Rumo Certo” e Rozane Maria Dal Molin Pitol impetram mandado de segurança, com pedido liminar, emface do Des. Rogério Coelho, membro deste Tribunal, sustentando que o impetrado, na data de ontem, nos autos de Ação Cautelar nº 769-38,deferiu liminar possibilitando a divulgação da pesquisa impugnada nos autos de Representação nº 513-18, do Juízo Eleitoral da 126ª Zona -Cafeilândia, sendo que esta eivada de graves vícios.Da análise do presente, verifica-se que em face da referida decisão há recurso cabível, no caso, o agravo regimental, nos termos do art. 106,do RITRE, pois “Caberá agravo regimental, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, de decisão do Presidente do Tribunal, do relator e doCorregedor, que cause prejuízo ao direito da parte.” Aliás, seria muito mais apropriado, pois a pesquisa questionada passaria pelo crivo docolegiado, em sessão de julgamento, possivelmente na data de hoje, caso tivesse sido interposto o referido recurso ao invés deste mandadode segurança. Assim, não servindo este remédio constitucional como supedâneo recursal, inviável seu manejo ao caso em questão.Ademais, ainda que fosse possível a impetração do mandado de segurança, as impetrantes não juntaram nenhum documento referente àpesquisa impugnada e, portanto, não há prova de seu direito líquido e certo.Assim sendo, indefiro a petição inicial, na forma do disposto no art. 10, da Lei n. 12.016/09, pela falta dos requisitos necessários para este writ.Publique-se. Registre-se. Intime-se.Curitiba, 04 de outubro de 2012.(a) Fernando Ferreira de Moraes – Relator”________________________________RELAÇÃO 162/2012PUBLICAÇÃO DE ACÓRDÃOSSESSÃO DE 04/10/2012ACÓRDÃO Nº 44852RECURSO ELEITORAL Nº 40-09.2012.6.16.0195PROCEDÊNCIA: CAMPINA GRANDE DO SUL - PR (195ª ZONA ELEITORAL – CAMPINA GRANDE DO SUL)RECORRENTE: PARTIDO PROGRESSISTA – PP (Comissão Provisória Municipal de Campina Grande do Sul/PR)Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  15. 15. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 15ADVOGADO: MYKAEL RODRIGUES DE OLIVEIRARECORRIDO: JUIZO ELEITORAL DA 195ª ZONARELATOR: DR. LUCIANO CARRASCOEMENTA – RECURSO ELEITORAL – PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PARTIDO POLÍTICO – EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2011 – NÃOABERTURA DE CONTAS BANCÁRIAS – DESAPROVAÇÃO.RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO.1. A ausência de abertura de contas bancária específicas para movimentação de recursos financeiros e para recebimento do fundo partidáriosão irregularidades que comprometem a veracidade das informações constantes da prestação de contas, pois impede a fiscalização dascontas da agremiação e inviabiliza a aprovação da prestação de contas, afrontando os arts. 4º e 14, inciso II, 24, III, a e c, todos da ResoluçãoTSE nº 21.841/2004.2. Recurso conhecido e desprovido.Vistos, relatados e discutidos os autos citados, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade de votos, emconhecer do recurso, para no mérito, negar-lhe provimento, nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.________________________________ACÓRDÃO Nº 44853RECURSO ELEITORAL Nº 41-91.2012.6.16.0195PROCEDÊNCIA: CAMPINA GRANDE DO SUL - PR (195ª ZONA ELEITORAL)RECORRENTE: PARTIDO TRABALHISTA BRASILEITO – PTB (Comissão Provisória Municipal de Campina Grande do Sul/PR)ADVOGADO: MYKAEL RODRIGUES DE OLIVEIRARECORRIDO: JUIZO ELEITORAL DA 195ª ZONARELATOR: DR. LUCIANO CARRASCOEMENTA – RECURSO ELEITORAL – PRESTAÇÃO DE CONTAS DE PARTIDO POLÍTICO – EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2011 – NÃOABERTURA DE CONTAS BANCÁRIAS – DESAPROVAÇÃO.RECURSO CONHECIDO E PROVIDO.1. A ausência de abertura de contas bancária específicas para movimentação de recursos financeiros e para recebimento do fundo partidáriosão irregularidades que comprometem a veracidade das informações constantes da prestação de contas, pois impede a fiscalização dascontas da agremiação e inviabiliza a aprovação da prestação de contas, afrontando os arts. 4º e 14, inciso II, 24, III, a e c, todos da ResoluçãoTSE nº 21.841/2004.2. Recurso conhecido e desprovido.Vistos, relatados e discutidos os autos citados, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade de votos, emconhecer do recurso, para no mérito, negar-lhe provimento, nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.________________________________ACÓRDÃO Nº 44854RECURSO ELEITORAL Nº. 311-28.2012.6.16.0030PROCEDÊNCIA: PRUDENTÓPOLIS – 30ª ZONA ELEITORALRECORRENTE: GILVAN PIZZANO AGIBERTRECORRENTE: ADELMO LUIZ KLOSOWSKIADVOGADO: LUIZ FERNANDO CASAGRANDE PEREIRAADVOGADO: FERNANDO VERNALHA GUIMARÃESADVOGADO: GUSTAVO BONINI GUEDESADVOGADA: CARLA CRISTINE KARPSTEINADVOGADO: JOSE AUGUSTO PEDROSOADVOGADA: JULIANA COELHO MARTINSADVOGADO: PAULO MANUEL DE SOUSA BAPTISTA VALÉRIOADVOGADA: WYVIANNE RECHADVOGADO: ERITON AUGUSTO POPIURECORRIDO: HELIO ZAIAS COSECHEN JUNIORADVOGADO: DURVANIR ORTIZ JUNIORRELATOR: DR. MARCOS ROBERTO ARAÚJO DOS SANTOSEMENTA – RECURSO ELEITORAL – REPRESENTAÇÃO ELEITORAL – CONDUTAS VEDADAS AOS AGENTES PÚBLICOS EMCAMPANHA ELEITORAL NÃO CONFIGURADAS – PROPAGANDA EM BEM PÚBLICO – AUSÊNCIA DE NOTIFICAÇÃO PARAREGULARIZAÇÃO – AUSÊNCIA DE PROVA DE CONHECIMENTO PRÉVIO DO CANDIDATO – NÃO INCIDÊNCIA DE MULTA – RECURSOPROVIDO.1. Conforme previsto no artigo 37, §1º, da Lei nº. 9.504/97, nos bens pertencentes ao poder público é vedada a veiculação de propaganda dequalquer natureza, sujeitando o responsável ao pagamento de multa, caso não promova a retirada e restauração do bem, após notificação.2. Recurso provido.Vistos, relatados e discutidos os autos citados, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade de votos, emconhecer do recurso interposto e, no mérito em dar-lhe provimento, nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.________________________________ACÓRDÃO Nº 44877HABEAS CORPUS Nº 678-45.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: PALMITAL-PR (134ª ZONA ELEITORAL – PALMITAL)IMPETRANTE: FÁBIO VINÍCIO MENDESDiário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  16. 16. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 16IMPETRANTE: ARACELI DAIANA AGUIAR BONASSOLI KUZNHARSKIIMPETRANTE: GILBERTO ANTÔNIO CLAZERIMPETRANTE: EDSON ZBIERSKI ROCHAIMPETRADO: MAX PASKIN NETO ( Juiz Eleitoral da 134ª Zona Eleitoral de Palmital/PR)RELATOR: DR. JEAN CARLO LEECKEMENTA – Habeas corpus. Rumores de busca e apreensão. Revogado o salvo-conduto e denegada a ordem.Não evidenciados requisitos de ilegalidade ou abusividade de poder pela autoridade tida como coatora, nem tampouco a ameaça ao direito deir e vir dos pacientes, é de se revogar o salvo-conduto e denegar a ordem.ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, por unanimidade de votos, em revogar o salvo-conduto e denegar a ordem,nos termos do voto do Relator, que integra esta decisão.________________________________PUBLICAÇÃO DE INTIMAÇÕESIntimação, na forma da lei, dos doutores CELSO ANDREY ABREU e outros, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. MARCOS ROBERTOARAÚJO DOS SANTOS, d. Relator dos autos abaixo discriminados:MANDADO DE SEGURANÇA Nº 710-50.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: IPORÂ – PRIMPETRANTE: COLIGAÇÃO IPORÃ PARA TODOS - UMA NOVA HISTÓRIA - (PRB/PTB/PMDB/PSL/PSC/PSDC/PRTB/PSB/PRP/PSDB/PSD)ADVOGADO: CELSO ANDREY ABREUADVOGADA: ROSANA FLORES DOS SANTOS WADAADVOGADO: ANDERSON HATAQUEIAMAADVOGADO: AFONSO CELSO BARREIROSIMPETRADO: MARCELO MARCOS CARDOSO, (Juiz Eleitoral da 97ª Zona Eleitoral de Iporã/PR)RELATOR: DR. MARCOS ROBERTO ARAÚJO DOS SANTOSDECISÃO:“Trata-se de embargos de declaração opostos por Coligação “Iporã para todos – uma nova história”, contra a decisão que deferiu parcialmentea medida liminar pleiteada, suspendendo o debate marcado para o dia 30.09.2012 e determinando que a rádio impetrada desse ciência dasregras ao impetrante com pelo menos 12 (doze) horas de antecedência da nova data a ser marcada.O embargante alega que a decisão é contraditória uma vez que reconhece que os debates devem seguir a regra disposta no artigo 28 daResolução TSE 23.370, mas determina em sua parte final que se proceda em desconformidade com a mencionada regra.Requer o provimento dos embargos para que se extirpe a contradição apontada.É o relatório.Os embargos são tempestivos, devendo, pois, serem conhecidos.No mérito, entretanto, não merecem acolhimento.A decisão não padece da contradição apontada, eis que fundamentou na impossibilidade de se frustrar a realização do debate, em virtude daexigüidade do tempo, a mitigação das regras previstas no artigo 28 da Resolução TSE 23.370, preservando o direito do embargante àisonomia e à informação.Ante o exposto, não havendo a alegada contradição, conheço dos embargos de declaração e rejeito-os.Curitiba, 04 de Outubro de 2012.(a) DR. MARCOS ROBERTO ARAÚJO DOS SANTOS – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, do doutor CHRISTIANO SOUTO PUPPI, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. LUCIANO CARRASCO, d. Relatordos autos abaixo discriminados:MANDADO DE SEGURANÇA Nº 775-45.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: CAMPO LARGO – PR- 9ª Z. E.IMPETRANTE: COLIGAÇÃO CAMPO LARGO: UM TEMPO NOVO (DEM/PSDB/PPS/PSDC/PT DO B/PHS)ADVOGADO: CHRISTIANO SOUTO PUPPIIMPETRADO: EDUARDO NOVACKI, (Juiz Eleitoral da 9ª Zona Eleitoral de Campo Largo/PR)RELATOR: DR. LUCIANO CARRASCODECISÃO:“O caso é de mandado de segurança contra ato do juízo eleitoral de Campo Largo que não concedeu liminar para proibir pesquisa eleitoral queseria, segundo a impetração, fraudulenta.Relatei.É manso, pacífico e remansoso o entendimento de que cabe mandado de segurança contra decisão teratológica. Cito, por todos, o seguinteprecedente:AGRAVO REGIMENTAL. MANDADO DE SEGURANÇA. DECISÃO JUDICIAL. HIPÓTESES EXCEPCIONAIS. NÃO DEMONSTRADAS. 1. A impetração de mandado de segurança contra ato judicial somente é admitida em hipóteses excepcionais, como decisões de naturezateratológica, de manifesta ilegalidade ou abuso de poder, capazes de produzir danos irreparáveis ou de difícil reparação ao Impetrante. 2. In casu, o acórdão contra o qual se volta a impetração está devidamente fundamentado na Res.-TSE nº 22.142/2006 e na jurisprudênciadesta Corte, traduzindo-se o mandamus em mero inconformismo quanto ao que decidido. Direito líquido e certo não demonstrado. 3. Ademais, o presente writ se volta contra decisão judicial recorrível, o que, mais uma vez, afasta o cabimento da medida, a teor doEnunciado nº 267 do STF. 4. Agravo regimental desprovido.Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  17. 17. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 17(Agravo Regimental em Mandado de Segurança nº 169597, Acórdão de 29/11/2011, Relator(a) Min. MARCELO HENRIQUES RIBEIRO DEOLIVEIRA, Publicação: DJE - Diário de justiça eletrônico, Tomo 237, Data 16/12/2011, Página 61 )A decisão atacada, malgrada as ponderações de mérito acerca da pesquisa, não é teratológica, o que afasta a possibilidade de mandado desegurança. Fez análise do que entendeu, seguindo-se menção das alegações da parte autora, razão pela qual nada há de manifestamenteilegal a ser aferido.Além do mais, a impugnação deve ser dirigida contra a empresa de pesquisa, e não a coligação que a contratou.Por isso, indefiro a petição inicial e julgo extinto o feito (art. 10, cabeça, Lei 12.016/2009).Publique-se.Curitiba, 04 de outubro de 2012(a) DR. LUCIANO CARRASCO – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, do doutor JOÃO LUIZ FERNANDES JUNIOR, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. LUCIANO CARRASCO, d.Relator dos autos abaixo discriminados:MANDADO DE SEGURANÇA Nº 705-28.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: GUARATUBA – PR – 161ª Z. E.IMPETRANTE: COLIGAÇÃO POR AMOR A GUARATUBA (PRB/PP/PT/PTB/PTN/PSC/PR/DEM/PSDC/PTC/PSB/PSDB/PSD/PT DO B)ADVOGADO: JOÃO LUIZ FERNANDES JUNIORIMPETRADO: GIOVANNA DE SÁ RECHIA, (Juíza Eleitoral da 161ª Zona de Guaratuba/Pr)RELATOR: DR. LUCIANO CARRASCODECISÃO:“I – RELATÓRIOTrata-se de mandado de segurança impetrado pela Coligação “Por amor a Guaratuba” contra decisão do Excelentíssimo Juiz da 161ª ZonaEleitoral, prolatada nos autos de Representação nº. 267-04.2012.6.16.0161, que indeferiu a medida liminar por requerida na impugnação depesquisa realizada pela Glauco Vital da Silva – Instituto de Pesquisa Visão.Em suas razões (fls. 02/09), a impetrante sustenta que a pesquisa eleitoral foi realizada sem observância dos requisitos legais para divulgação.Aduz que a metodologia aplicada é irregular, o que influenciara nos resultados apurados. Por fim, sustenta estarem presentes os requisitosnecessários para tanto, requer a concessão de medida liminar para o fim de suspender os efeitos da decisão atacada até final julgamento domandamus.É o relatório.II – DECISÃOPasso a decidir, o que faço com fundamento na Lei n.º 12.016/09, aplicável subsidiariamente aos mandados de segurança de competênciaoriginária deste Tribunal, conforme prevê o artigo 62 do Regimento Interno desta Corte.Este Mandado de Segurança tem como objeto a decisão judicial proferida nos autos de Representação Eleitoral nº. 267-04.2010.6.16.0196,contra a qual, nos termos do artigo 33, §2º, da Resolução TSE 23.367, não é cabível recurso.Em que pesem os argumentos trazidos pelo impetrante, o simples não cabimento do agravo de instrumento na espécie não traz comoconsequência imediata o cabimento do Mandado de Segurança.Segundo a jurisprudência pacífica do Superior Tribunal de Justiça o cabimento do mandado de segurança contra decisões judiciais se dá tãosomente nos casos em que tal decisão se demonstra teratológica, senão vejamos:PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. MANDADO DE SEGURANÇA CONTRA DECISÃO JUDICIAL. TERATOLOGIA DA DECISÃO.AUSÊNCIA. INDEFERIMENTO DA LIMINAR.1. O mandado de segurança foi impetrado contra decisão da Corte Especial que inadmitiu recurso extraordinário com base em precedente daSTF que afastou a repercussão geral em casos que versarem sobre cabimento recursal.2. A impetração do writ contra ato judicial é medida excepcional, fazendo com que sua admissão encontre-se condicionada à naturezateratológica da decisão combatida, seja por manifesta ilegalidade, seja por abuso de poder.3. No caso dos autos, não se revela a teratologia da decisão, porquanto o ato apontado como coator está calcado no entendimento daSuprema Corte exarado no Recurso Extraordinário nº 598.365/MG.Petição inicial indeferida liminarmente. Segurança denegada.4. Agravo regimental não provido.(AgRg no MS 16.686/MG, Rel. Ministro CASTRO MEIRA, CORTE ESPECIAL, julgado em 02/05/2012, DJe 15/05/2012)AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA.DECISÃO JUDICIAL. INEXISTÊNCIA DE TERATOLOGIA OU MANIFESTA ILEGALIDADE. NÃO CABIMENTO. JUNTADA POSTERIOR DEDOCUMENTOS. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO.1. Em mandado de segurança, onde se exige prova pré-constituída do direito alegado, inviável a juntada posterior de documentos a comprová-lo.2. Mandado de segurança contra ato judicial somente tem cabimento quando eivado o ato de manifesta ilegalidade ou teratologia, o que não éo caso dos autos.3. Agravo regimental a que se nega provimento.(AgRg no RMS 21.560/MG, Rel. Ministra MARIA ISABEL GALLOTTI, QUARTA TURMA, julgado em 06/12/2011, DJe 14/12/2011)Outro não é o entendimento do E. Tribunal Superior Eleitoral:Agravo regimental. Mandado de segurança. Recurso contra expedição de diploma. Extinção.1. A jurisprudência deste Tribunal é firme no sentido da não admissão de mandado de segurança contra atos judiciais, salvo situaçõesteratológicas ou de manifesta ilegalidade. (...)Agravo regimental a que se nega provimento."(Agravo Regimental em Mandado de Segurança nº 131948, Acórdão de 19/08/2010, Relator(a) Min. ARNALDO VERSIANI LEITE SOARES,Publicação: DJE - Diário da Justiça Eletrônico, Data 06/10/2010, Página 59-60).Por decisão teratológica entende-se aquela decisão absurda, completamente dissociada do ordenamento jurídico, desarrazoada ouevidentemente ilegal. Não é este o caso dos autos. Com efeito, a decisão ora guerreada está bem fundamentada e conferiu interpretação àsdisposições legais existentes, não se demonstrando absurda e se perfilando ao entendimento deste E. Tribunal no sentido de que a análise doDiário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br
  18. 18. Ano IV - Número 214 Curitiba, segunda-feira, 8 de outubro de 2012 Página 18Poder Judiciário deve se limitar ao cumprimento dos requisitos previstos no artigo 33 da Lei n.º 9.504/97, não sendo possível presumir-se afraude ou a distorção dos dados quando isto não vier cabalmente comprovado nos autos.Por estes motivos entendo que o writ não é cabível no caso em tela, e que interpretação diversa seria fazer letra morta do artigo 33, §2º, daResolução TSE 23.367, substituindo-se a figura do agravo de instrumento pelo mandado de segurança.III – DISPOSITIVOAnte o exposto, tendo em vista o descabimento do Mandado de Segurança eis que a decisão combatida não se mostra teratológica, indefiro apetição inicial, extinguindo o processo sem julgamento de mérito, com fundamento no artigo 267, inciso I, conjugado com o artigo 295, inciso V,ambos do Código de Processo Civil.Publique-se. Registre-se. Intime-se.Curitiba, 04 de Outubro de 2012.(a) DR. LUCIANO CARRASCO – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, dos doutores LUIZ FERNANDO ZORNIG FILHO e outros, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. MARCOSROBERTO ARAPUJO DOS SANTOS, d. Relator dos autos abaixo discriminados:AÇÃO CAUTELAR Nº 639-48.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: PARANAGUÁ – PR – 158ª Z. E.AUTOR: PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO - PMDB, (Diretório Municipal de Paranaguá)AUTOR: MÁRIO MANOEL DAS DORES ROQUEADVOGADO: LUIZ FERNANDO ZORNIG FILHOADVOGADO: LUIZ GUSTAVO DE ANDRADEADVOGADA: LUCIANA SANTOS COSTAADVOGADO: LEANDRO SOUZA ROSAADVOGADA: ANA PAULA PAVELSKIADVOGADO: VALMOR ANTONIO PADILHA FILHOADVOGADO: GONÇALO MARINS FARFUDREU: COLIGAÇÃO PARANAGUÁ LEVADA A SÉRIO (PRB/PP/PT/PR/DEM/PV/PPL)REU: ANDRÉ LUIZ PIOLI BERNASCKIRELATOR: DR. MARCOS ROBERTO ARAPUJO DOS SANTOSDECISÃO:“I – RELATÓRIOTrata-se de ação cautelar ajuizada pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB e por Mário Manoel das Dores Roquerequerendo a concessão de efeito suspensivo ativo ao recurso interposto da decisão que julgou improcedente a representação n.º 189-19.2012.6.16.0158, entendendo que a propaganda impugnada não traz qualquer inverdade.O pedido de medida liminar foi deferido pela decisão de fls. 248/251.Após devidamente citados, os réus não apresentaram defesa (fl. 259).A d. Procuradoria Regional Eleitoral apresentou parecer às fls. 260/262, opinando pela procedência do feito.É o relatório.II – DECISÃOA presente ação cautelar tem por objeto impedir a divulgação de propaganda em horário eleitoral gratuito.Nos termos do artigo 34, I, da Resolução TSE 23.370, o horário eleitoral gratuito destinado ao cargo de prefeito terminou no dia de ontem, nãosubsistindo interesse de agir que justifique o prosseguimento desta demanda.III – DISPOSITIVOAnte o exposto, e tendo em vista a perda superveniente do interesse de agir, julgo extinta a presente ação cautelar, sem resolução do mérito,com fulcro no artigo 267, VI, do Código de Processo Civil.Publique-se. Intimem-se.Curitiba, 04 de Outubro de 2012.(a) DR. MARCOS ROBERTO ARAPUJO DOS SANTOS – RELATOR”________________________________Intimação, na forma da lei, da doutora FERNANDA GARBIN, da r. decisão, proferida pelo Exmo. DR. JEAN CARLO LEECK, d. Relator dosautos abaixo discriminados:AÇÃO CAUTELAR Nº 641-18.2012.6.16.0000PROCEDÊNCIA: CORBÉLIA – PR – 126ª Z. E.AUTOR: COLIGAÇÃO CORBÉLIA PARA TODOS (PMDB/PP/PSDB/PT/PSB/PSL/PPS/PSC)ADVOGADA: FERNANDA GARBINREU: COLIGAÇÃO UNIÃO, FORÇA E MUDANÇA (PSD/PDT/DEM/PR/PTB)RELATOR: DR. JEAN CARLO LEECKDECISÃO:“1. A Coligação “Corbélia Para Todos” interpôs ação cautelar, com pedido liminar, pleiteando a concessão de efeito suspensivo ao RecursoEleitoral na Representação nº 494-02.2012.6.16.0126, na qual fora condenada à suspensão do horário eleitoral gratuito na rádio pelo tempo de24 horas.A liminar foi concedida pela Exmo. Dr. Luciano Carrasco, Juiz em plantão, nestes termos: “Por tudo isso e limitado ao que me é dado conhecernesta fase processual, defiro o pedido liminar para o fim de conceder efeito suspensivo ao recurso interposto contra a sentença proferida nosautos nº 494-02.2012.6.16.0126 até o julgamento de mérito do recurso interposto nesta Corte” (folha 16).Devidamente intimada, a ré deixou de apresentar contrarrazões (folha 22).A douta Procuradoria Regional Eleitoral manifesta-se pela procedência da Cautelar com a confirmação da liminar concedida.Diário da Justiça Eleitoral - Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tse.jus.br

×