Eu dou-te umbeijinho!Eu dou-te umabraço!Trabalho elaborado por Vaz Nunes (Setembro de 2008)
Numa das pontas,Piquinhos, o porco-espinho,era tão eriçado como umaescova de esfregar. Na outra,era tão espinhoso como uma...
Ele via muitosabraços na cidade.“Por favor, tambémposso receber um?”,perguntava ele.“Xô! Sai daqui! Ésdemasiado espinho-so...
Ele via muitos abraçosno parque.“Também posso ter um,só um pequenino?”,perguntava ele sempremuito simpático.“Claro que não...
Ele via muitos abraçosno jogo de futebol."Também posso terum?", pedia ele.Os jogadores limita-vam-se a rir dele.“Oh, por f...
Ele via muitos abraçosna estação decomboios.“Posso, por favor,receber um abraçopequenino?” , pediaele.“Oooooooh não!”, di-...
O pobre Piquinhos já nãosabia o que fazer…Agarrou-se à perna deuma pessoa.“Oh, por favor, não podedar-me um abracinhopeque...
O Piquinhos sentia-semuito triste einterrogava-se se algumavez conseguiria receberum abraço.Nesse momento, ouviu acoisa ma...
Era o crocodiloBocarra a pedir umbeijinho a toda agente.“Oh, não, ésdemasiado feio!”,diziam as pessoas.E ninguém lhe davau...
“Eu dou-te um beijinho!”,disse o Piquinhos.O Bocarra nem podiaacreditar.
“Oh, eu podia abraçar-tesó por esse beijinho!”,gritou o Bocarra muitoexcitado.Então, agarrou oPiquinhos nos seusbraços e d...
“Oh, obrigado!”, gritouo Piquinhos, muitofeliz.E em troca, deu umgrande beijinho aoBocarra!Compra aqui.Publicado por:http:...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conto dá-me um abraço

1.516 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.516
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
94
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conto dá-me um abraço

  1. 1. Eu dou-te umbeijinho!Eu dou-te umabraço!Trabalho elaborado por Vaz Nunes (Setembro de 2008)
  2. 2. Numa das pontas,Piquinhos, o porco-espinho,era tão eriçado como umaescova de esfregar. Na outra,era tão espinhoso como umaagulha.O que o Piquinhos maisqueria no mundo era serabraçado. Mas, mesmoquando pedia de formadelicada, ninguém lhe davaum abraço."Não, és demasiadoespinhoso.", respondiam aspessoas.
  3. 3. Ele via muitosabraços na cidade.“Por favor, tambémposso receber um?”,perguntava ele.“Xô! Sai daqui! Ésdemasiado espinho-so!”, diziam todos.
  4. 4. Ele via muitos abraçosno parque.“Também posso ter um,só um pequenino?”,perguntava ele sempremuito simpático.“Claro que não!”, res-pondiam todos. “Ésdemasiado espinhoso!”
  5. 5. Ele via muitos abraçosno jogo de futebol."Também posso terum?", pedia ele.Os jogadores limita-vam-se a rir dele.“Oh, por favor, porfavor, por favor, queroum abraço!», choravaele.Mas ninguém lhe davaum abraço, por causados seus espinhos.
  6. 6. Ele via muitos abraçosna estação decomboios.“Posso, por favor,receber um abraçopequenino?” , pediaele.“Oooooooh não!”, di-ziam todos. “Não comesses espinhos!”.
  7. 7. O pobre Piquinhos já nãosabia o que fazer…Agarrou-se à perna deuma pessoa.“Oh, por favor, não podedar-me um abracinhopequenino?”, pedia ele.“Não, não, não! Os teusespinhos são demasiadoespinhosos!” respondeuo homem. “Por favor,larga a minha perna.”
  8. 8. O Piquinhos sentia-semuito triste einterrogava-se se algumavez conseguiria receberum abraço.Nesse momento, ouviu acoisa mais estranha…“Oh, ninguém me dá umbeijinho? Só um beijinhopequenino! Não peçomais nada.”.
  9. 9. Era o crocodiloBocarra a pedir umbeijinho a toda agente.“Oh, não, ésdemasiado feio!”,diziam as pessoas.E ninguém lhe davaum beijinho.
  10. 10. “Eu dou-te um beijinho!”,disse o Piquinhos.O Bocarra nem podiaacreditar.
  11. 11. “Oh, eu podia abraçar-tesó por esse beijinho!”,gritou o Bocarra muitoexcitado.Então, agarrou oPiquinhos nos seusbraços e deu-lhe o maiorabraço de sempre.
  12. 12. “Oh, obrigado!”, gritouo Piquinhos, muitofeliz.E em troca, deu umgrande beijinho aoBocarra!Compra aqui.Publicado por:http://www.escolovar.org

×