Desenvolvendo Produtos Com Java EE

1.173 visualizações

Publicada em

Técnicas e padrões de arquitetura

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvendo Produtos Com Java EE

  1. 1. Desenvolvendo produtos com Java EE Técnicas e padrões de arquitetura Fábio Ramon Senac-SP
  2. 2. Objetivos e conteúdo <ul><li>Apresentar padrões de arquitetura para o desenvolvimento de produtos na plataforma JEE </li></ul><ul><li>Conteúdo </li></ul><ul><ul><li>Produto X Sistema </li></ul></ul><ul><ul><li>Requisitos Gerais </li></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de arquitetura </li></ul></ul><ul><ul><li>Frameworks </li></ul></ul><ul><ul><li>Conclusão </li></ul></ul>
  3. 3. Produtos versus Sistemas <ul><li>Clientes heterogêneos X Cliente específico </li></ul><ul><ul><li>Independente do ambiente operacional </li></ul></ul><ul><ul><li>Independente da plataforma </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Servidor de aplicação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Banco de dados </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Independente da topologia </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>DMZ </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cluster / Load Balance </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Look & feel plugável </li></ul></ul>
  4. 4. Produtos versus Sistemas <ul><li>Clientes heterogêneos X Cliente específico </li></ul><ul><ul><li>Flexível quanto às soluções de terceiros </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Frameworks </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Softwares de integração </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Softwares de comunicação </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Flexível e conciso quanto às questões de segurança </li></ul></ul><ul><ul><li>Maior independência possível com relação a padrões de arquitetura </li></ul></ul>
  5. 5. Produtos versus Sistemas <ul><li>Pontos chaves </li></ul><ul><ul><li>Se um produto deve ser: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Flexível </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Independente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Eficiente </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Então o produto necessita: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>De uma arquitetura robusta </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ser extremamente modularizável </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ser facilmente extensível </li></ul></ul></ul>
  6. 6. Requisitos gerais de um produto <ul><li>Multiplataforma </li></ul><ul><li>Escalável </li></ul><ul><li>Independente do servidor de aplicação e do banco de dados </li></ul><ul><li>Independente de frameworks </li></ul><ul><li>Não ser construído sobre outro produto específico </li></ul><ul><li>Sua homologação não dependa da homologação de outros produtos ou bibliotecas </li></ul>
  7. 7. Requisitos gerais de um produto <ul><li>Padrões fortes de segurança (autenticação, autorização e auditoria) </li></ul><ul><li>Mecanismo flexível e amigável de log </li></ul><ul><li>Fácil usabilidade </li></ul><ul><li>Interface gráfica totalmente customizável </li></ul>
  8. 8. Conseqüências dos requisitos gerais <ul><li>Versão da linguagem Java: 1 ou 2 anterior à versão corrente </li></ul><ul><li>Utilizar somente SQL ANSI </li></ul><ul><li>Não se apoiar em características específicas de nenhum servidor de aplicação ou web container </li></ul><ul><li>Trabalhar com os principais frameworks MVC, de inversão de controle e de persistência </li></ul>
  9. 9. Conseqüências dos requisitos gerais <ul><li>Implementar mecanismos eficientes de configuração </li></ul><ul><li>Implementar log e traces finos </li></ul><ul><li>Em resumo: </li></ul><ul><ul><li>Mais código </li></ul></ul><ul><ul><li>Mais controle </li></ul></ul><ul><ul><li>Menos recursos de programação disponíveis </li></ul></ul>
  10. 10. Padrões de arquitetura <ul><li>Emprego extensivo de interfaces </li></ul><ul><li>Todas as instanciações por fábricas abstratas </li></ul><ul><li>Wrappers, proxies e/ou adaptadores para os serviços de todos os frameworks empregados </li></ul><ul><li>Desacoplamento entre módulos </li></ul>
  11. 11. Padrões de arquitetura <ul><li>Camadas de software bem definidas </li></ul><ul><ul><li>Apresentação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Visualização </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Controle </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Databind </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Negócio </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Serviços </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Entidades </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Persistência </li></ul></ul>
  12. 12. Um modelo de arquitetura de produto
  13. 13. Características do modelo <ul><li>Classes em azul: superclasses de infra-estrutura da aplicação </li></ul><ul><li>Classes em amarelo: fábricas da infra-estrutura </li></ul><ul><li>Classes em branco: templates de classes da aplicação </li></ul>
  14. 14. Características do modelo <ul><li>Camadas da aplicação: </li></ul><ul><ul><li>MODELO (MVC) </li></ul></ul><ul><ul><li>CONTROLE (MVC) </li></ul></ul><ul><ul><li>VISUAL (MVC) </li></ul></ul><ul><ul><li>FACHADA (Adaptador ou Wrapper do negócio) </li></ul></ul><ul><ul><li>SERVIÇO (lógica de negócio) </li></ul></ul><ul><ul><li>ACESSO DADOS (objetos de negócio e utilitários de acesso a dados) </li></ul></ul>
  15. 15. Emprego de interfaces Classe da aplicação Interface da aplicação
  16. 16. Emprego de interfaces <ul><li>Possibilita desacoplar componentes </li></ul><ul><li>Permite trocar implementação para solução específica do cliente </li></ul><ul><li>Permite introduzir um proxy para um serviço externo ou remoto como implementação </li></ul><ul><li>Facilita desenvolvimento em paralelo dos diferentes módulos </li></ul>
  17. 17. Fábricas abstratas
  18. 18. Fábricas abstratas <ul><li>HomeFactory gera as implementações das fábricas </li></ul><ul><ul><li>Configurado por XML </li></ul></ul><ul><li>Implementações podem ser quaisquer: </li></ul><ul><ul><li>Instanciadores comuns </li></ul></ul><ul><ul><li>Fábricas de frameworks (Spring, etc.) </li></ul></ul><ul><ul><li>Homes de EJBs </li></ul></ul><ul><li>Implementações podem fazer a injeção de dependência </li></ul>
  19. 19. Desacoplamento entre módulos Dados Intranet Web Internet XML Repositório de dados Acesso aos dados Componentes de negócio Regras de apresentação Conteúdo estático Cliente magro App SOAP
  20. 20. Desacoplamento entre módulos <ul><li>Dois tipos de módulos: </li></ul><ul><ul><li>Módulos do produto </li></ul></ul><ul><ul><li>Módulos específicos da instalação </li></ul></ul><ul><li>Módulos específicos podem ser incorporados ao produto </li></ul><ul><li>Montar uma instalação específica consiste em configurar quais módulos pertencem a ela </li></ul>
  21. 21. Conclusão (parte 1) <ul><li>Desenvolver um produto com Java EE implica atender uma série de requerimentos de arquitetura que não costumam surgir no desenvolvimento de um sistema dedicado. Além das implicações básicas tais como independência do banco de dados e de plataforma, surgem outras necessidades que vão desde a maior flexibilidade nas integrações com outros sistemas, até oferecer um leque maior de tecnologias e frameworks dos quais o produto possa depender. </li></ul>
  22. 22. Conclusão (parte 2) <ul><li>Adotar padrões de arquitetura que permitam, por exemplo, intercambiar frameworks de persistência de dados, garante que o produto possa atingir um mercado maior, sem esbarrar em questões de padrões e políticas permitidos ou não no ambiento do cliente. </li></ul>
  23. 23. Dúvidas <ul><li>Obrigado </li></ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul>

×