Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente
Faculdade de Ciências e Tecnologia
Universidade Nova...
Sumário da apresentação
Objetivos
Definição do problema
Metodologia
Resultados - Áreas de produção e modelo populacional
C...
Objetivos
Determinar capacidade de produção a nível nacional;
Perceber se o lagostim pode ser aproveitado em Portugal como...
Definição do problema
Crustáceo de água doce originário do sul
dos EUA.
Introduzido em várias regiões do mundo
para produç...
Impactos
Problemas económicos e ambientais.
Alterações significativas em vários ecossistemas.
5
Atividade escavadora.
Dano...
Situação atual
Classificada como espécie invasora de elevado risco
ecológico pelo DL 565/99.
Proíbe atividades relacionada...
Práticas de cultura
Produzido em aquacultura integrada
com arrozais nos EUA, China e
Espanha.
Não resultam danos para os a...
Produção
8
Negocio rentável, considerável valor comercial. Alimento muito
apreciado.
Exportação para outras regiões do mun...
Metodologia
Seleção dos melhores locais para produção em Portugal -
Sistema de informação geográfica
Criação de um modelo ...
Metodologia – Seleção de áreas
10
Restrição de áreas de acordo com as características da espécie.
Bacias hidrográficasArro...
Metodologia – Seleção de áreas
11
Temperaturas médias do ar Precipitação
Metodologia – Seleção de áreas
12
Fonte: IPMA (adaptado)
Temperaturas mínimas Temperaturas máximas Temperaturas médias
Metodologia – Modelo populacional
13
Simular uma população de lagostins num hectare de arrozal.
5 classes de peso. Crescim...
Metodologia – Modelo populacional
14
Um modelo pretende simular a realidade de forma simples.
Não pode considerar todas as...
Metodologia - Temperatura e crescimento
15
Relacionar crescimento e temperatura.
Estudo efetuado na Louisiana em ambiente ...
Metodologia - Modelo para a temperatura
16
Fonte: IPMA (adaptado)
Temperaturas
Coimbra
Santarém
Setúbal
Fonte: IPMA (adapt...
Resultados - Áreas de produção
17
Área final de 23000 hectares.
Melhores zonas localizadas
nos arrozais do litoral.
Bacias...
Resultados - Temperatura e crescimento
18
Equação relaciona o aumento do peso em
função da temperatura.
Resultados - Modelo para a temperatura
19
Modelo único de variação da temperatura em Portugal ao longo do
ano para todos o...
Resultados - Temperatura e crescimento em Portugal
20
Crescimento do lagostim ao longo do ano função da
variação da temper...
Resultados - Crescimento individual
21
Permite comparar o crescimento
individual no modelo com outros
estudos.
g
Resultados - Modelo populacional
22
Permite separar a
população por classes,
número de indivíduos e
biomassa.
Retirar a me...
Resultados - Modelo populacional
23
Início do modelo - introdução de 45 kg de
lagostins dia 1 de Junho.
Resultados - Modelo populacional
24
Apanha decorre entre 1 de Dezembro e 31 de Março.
Modelo sugere que é possível produzi...
Resultados - Benefícios
25
Benefícios ambientais:
•Remoção de 1000 toneladas
ano-1 de populações selvagens
•Controlo de um...
Resultados - Benefícios
26
Benefícios ambientais:
•Remoção de 1000 toneladas
ano-1 de populações selvagens
•Controlo de um...
Conclusões
27
• Período de problemas económicos. Interessa potenciar os
recursos. Lagostim pode ser uma espécie útil. Já s...
Conclusões – Cumprimento de objetivos
28
• Capacidade de produção a nível nacional 20000 toneladas ano-1.
• A cultura do a...
Desenvolvimentos futuros
29
• Importante estudar crescimento e mortalidade das populações
portuguesas atualmente. Dados de...
30
Obrigado pela atenção !
Fonte:colourbox.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação tese finalissima

116 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
116
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Através apenas do método de produção integrada com arrozais.
    Que permita concluir acerca do potencial de controlo da mesma enquanto espécie invasora.
  • Tentou-se combater a espécie usando produtos químicos mas estes revelaram-se ineficazes. Acabaram por passar para o meio ambiente e matar outras espécies, causando danos ecológicos graves.


  • (exploração económica, transporte, reintrodução na natureza, comércio, venda, reprodução).
    No entanto o lagostim está presente em todo o lado e não há forma do erradicar a não ser a remoção manual.
    È um contrassenso limitar a remoção de algo que se quer eliminar.


  • Descrever método cultura arroz e lagostim.
    Quando acaba a colheita de arroz os campos são inundados artificialmente e as fêmeas saem das tocas com os bebés.
    O crescimento rápido da espécie faz com que no Inverno já tenham tamanho suficiente para serem apanhados para consumo.
  • ArcMap, Google Earth e Corine Land Cover 2006.
    Estado da arte e características da espécie levam à seleção dos melhores locais e à criação de um modelo para simulação num arrozal.
    Modelo permite concluir acerca de quantidades diretamente utilizáveis pelo Homem
  • A cultura do arroz é importante em Portugal, com uma área de cerca de 27000 hectares.
    Áreas pequenas levam a problemas de mortalidade e crescimento nas populações de lagostins. Arrozais > 100 hectares
    Áreas protegidas são mais sensíveis e possuem mais valores naturais pelo que ficaram de fora
    BH maiores rios mais água escoada e maior disponibilidade de água, essencial para o ciclo de vida e aquacultura dos lagostins.
  • Mais agua disponível com maior precipitação
  • afetam o crescimento do lagostim e relacionam-se com a taxa de mortalidade.
    De forma geral litoral temperaturas mais amenas

  • Falar na mortalidade igual de cada classe
    2 períodos de apanha diferentes, apanha apenas nas classes mais pesadas
    Reprodução simples, todas as fêmeas se reproduzem no outono com 200 ovos
    um modelo pretende simular a realidade de forma simples, não pode considerar todas as variáveis

  • Base do modelo é constituído por stocks, variáveis, equações e passagens entre classes tudo em valores diários
  • Depois de aplicadas as restrições referidas na metodologia
  • Nível de ajuste aceitavel (R^2 > 0.8) – regressão linear
    Aceita-se a equação para relacionar o crescimento com a temperatura
  • Variação da temperatura média pode ser descrita por uma função trigonométrica.
    Diferenças mínimas entre a temperatura nas 3 cidades em relação à simulação das quantidades de lagostins.
    Aglutinou-se o modelo de temperaturas num só.

  • Como se pode ver cresce mais no verão quando as temperaturas são mais quentes e menos quando são mais frias
  • Crescimento individual sugerido pelo modelo para Portugal.
    Aumento de peso do lagostim é constante ao longo da vida como sugerem outros autores.
  • reprodução a coincidir com a forma de vida da espécie em Portugal (Outubro – Novembro)
    Os valores reais de biomassa são menores, porque esta considera sempre o peso médio. Muitos lagostins que acabam de entrar numa classe têm um peso muito mais baixo do que o peso médio dessa classe
  • Passagem de lagostins para a classe de peso superior e aumento do peso
    Biomassa é o numero de lagostins vezes o peso medio
    Do dia 150 para o dia 151 passaram para a classe 3 2076 gramas de lagostim de peso médio 25 gramas. Ou seja passam 83 lagostins
    Embora o aumento seja 0,3 gramas dia no máximo, na classe existem lagostins de peso 19,8 gramas. Basta um dia para passarem para a classe seguinte.
    Os valores reais de biomassa são menores, porque esta considera sempre o peso médio. Muitos lagostins que acabam de entrar numa classe têm um peso muito mais baixo do que o peso médio dessa classe
  • Quantidades finais de lagostim são colocadas no stock harvested crayfish.
    Quantidades máximas encontradas sem que os stocks atingissem valores negativos.
  • O modelo sugere
    A nível nacional e nos 23000 hectares seleccionados
  • O modelo sugere
    A nível nacional e nos 23000 hectares selecionados
  • Aproveitar um recurso por explorar que já se encontra em solo nacional e contribuiria para gerar riqueza.
    Um modelo simplifica a realidade, pelo que podem existir variáveis que afetem as populações de lagostim em solo português, como a alimentação ou os predadores, que resultariam numa mortalidade mais elevada.
    Pode ter sobrevalorizado o modelo e quantidades para Portugal.


  • Os impactos são minimizados porque a produção localiza-se apenas nos arrozais
  • A taxa de mortalidade e de crescimento são fundamentais para a calibração do modelo.
    Uma redução do crescimento no modelo e aumento da mortalidade podem levar a dados mais aproximados a realidade portuguesa
    Apostar no lagostim como é feito noutros países com condições climatéricas e de cultura de arroz idênticas.

  • Apresentação tese finalissima

    1. 1. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa Avaliação do potencial de exploração do lagostim vermelho da Louisiana (Procambarus clarkii) em Portugal Paulo Ricardo Correia Mota de Almeida Orientador: Prof. Dr. João Gomes Ferreira 4 de Dezembro de 2013 Fonte:flickriver.comFonte:portugalfotografiaaerea.blogspot.pt
    2. 2. Sumário da apresentação Objetivos Definição do problema Metodologia Resultados - Áreas de produção e modelo populacional Conclusões e desenvolvimentos futuros 2
    3. 3. Objetivos Determinar capacidade de produção a nível nacional; Perceber se o lagostim pode ser aproveitado em Portugal como nos EUA; Propôr uma estratégia de gestão entre produção, valor económico e conservação da natureza. 3
    4. 4. Definição do problema Crustáceo de água doce originário do sul dos EUA. Introduzido em várias regiões do mundo para produção alimentar. Invadiu a Península Ibérica a partir do sul de Espanha em 1973. Temperaturas quentes levam a um crescimento rápido e grandes populações. Fonte:southernfood.org Fonte:cryptobranchidae.tripod.com Características ecológicas particulares: Dieta variada Grandes taxas reprodutivas Tolera condições ambientais variadas Ciclo de vida curto 4 Fonte:Ministerio de Agricultura Alimentación e Medio Ambiente
    5. 5. Impactos Problemas económicos e ambientais. Alterações significativas em vários ecossistemas. 5 Atividade escavadora. Danos nas culturas de arroz. Resistente a produtos químicos. Problemas para espécies nativas. Benefícios para espécies que fazem dele dieta principal (lontra, cegonha). Fonte:bordadocampo.org Fonte:bordadocampo.org Fonte:panoramio.comFonte:biogeoze.blogspot.pt
    6. 6. Situação atual Classificada como espécie invasora de elevado risco ecológico pelo DL 565/99. Proíbe atividades relacionadas com a mesma. 6 Existência de pesca por todo o País. Meio de subsistência para populações pobres. Exportado para Espanha. Festival gastronómico em Ferreira do Zêzere. Fonte:FAO Fonte:guiadacidade.pt
    7. 7. Práticas de cultura Produzido em aquacultura integrada com arrozais nos EUA, China e Espanha. Não resultam danos para os arrozais. 7 Fonte: FAO
    8. 8. Produção 8 Negocio rentável, considerável valor comercial. Alimento muito apreciado. Exportação para outras regiões do mundo. Fonte: FAO
    9. 9. Metodologia Seleção dos melhores locais para produção em Portugal - Sistema de informação geográfica Criação de um modelo populacional - Insightmaker 9
    10. 10. Metodologia – Seleção de áreas 10 Restrição de áreas de acordo com as características da espécie. Bacias hidrográficasArrozais Áreas protegidas
    11. 11. Metodologia – Seleção de áreas 11 Temperaturas médias do ar Precipitação
    12. 12. Metodologia – Seleção de áreas 12 Fonte: IPMA (adaptado) Temperaturas mínimas Temperaturas máximas Temperaturas médias
    13. 13. Metodologia – Modelo populacional 13 Simular uma população de lagostins num hectare de arrozal. 5 classes de peso. Crescimento depende apenas da temperatura.
    14. 14. Metodologia – Modelo populacional 14 Um modelo pretende simular a realidade de forma simples. Não pode considerar todas as variáveis.
    15. 15. Metodologia - Temperatura e crescimento 15 Relacionar crescimento e temperatura. Estudo efetuado na Louisiana em ambiente natural. Fonte:McClain, 2010(adaptado)
    16. 16. Metodologia - Modelo para a temperatura 16 Fonte: IPMA (adaptado) Temperaturas Coimbra Santarém Setúbal Fonte: IPMA (adaptado) Fonte: IPMA (adaptado)
    17. 17. Resultados - Áreas de produção 17 Área final de 23000 hectares. Melhores zonas localizadas nos arrozais do litoral. Bacias dos rios Mondego, Tejo, Sorraia e Sado.
    18. 18. Resultados - Temperatura e crescimento 18 Equação relaciona o aumento do peso em função da temperatura.
    19. 19. Resultados - Modelo para a temperatura 19 Modelo único de variação da temperatura em Portugal ao longo do ano para todos os arrozais. Temperatura máxima da cidade mais quente. Temperatura mínima da cidade mais fria. Função trigonométrica. ºC
    20. 20. Resultados - Temperatura e crescimento em Portugal 20 Crescimento do lagostim ao longo do ano função da variação da temperatura. Aplicação da equação ao modelo de temperatura para Portugal. gdia-1
    21. 21. Resultados - Crescimento individual 21 Permite comparar o crescimento individual no modelo com outros estudos. g
    22. 22. Resultados - Modelo populacional 22 Permite separar a população por classes, número de indivíduos e biomassa. Retirar a melhor forma de aproveitamento pelo homem
    23. 23. Resultados - Modelo populacional 23 Início do modelo - introdução de 45 kg de lagostins dia 1 de Junho.
    24. 24. Resultados - Modelo populacional 24 Apanha decorre entre 1 de Dezembro e 31 de Março. Modelo sugere que é possível produzir até 870 kg ha-1 ano-1.
    25. 25. Resultados - Benefícios 25 Benefícios ambientais: •Remoção de 1000 toneladas ano-1 de populações selvagens •Controlo de uma espécie invasora •Melhoria dos ecossistemas
    26. 26. Resultados - Benefícios 26 Benefícios ambientais: •Remoção de 1000 toneladas ano-1 de populações selvagens •Controlo de uma espécie invasora •Melhoria dos ecossistemas Benefícios económicos: •Redução de importações •Aumento de exportações e consequente aumento das receitas •Aumento de produção nacional de bens alimentares •Criação de empregos (cerca de 56 na pesca, transformação e transporte) •Lucros de 35 milhões euro ano-1
    27. 27. Conclusões 27 • Período de problemas económicos. Interessa potenciar os recursos. Lagostim pode ser uma espécie útil. Já se encontra disperso por todo o território. • Segunda cultura anual viável. Campos em pousio entre Novembro e Abril. Lucro extra para os produtores de arroz. • Dados provêm dos EUA. As condições portuguesas podem ser diferentes. Resultados coincidem com quantidades produzidas nos EUA e Espanha.
    28. 28. Conclusões – Cumprimento de objetivos 28 • Capacidade de produção a nível nacional 20000 toneladas ano-1. • A cultura do arroz é semelhante em Portugal e nos EUA. A espécie pode ser aproveitada com o mesmo método de cultura como é feito em Espanha. • A estratégia de gestão e produção da espécie traz benefícios económicos e ambientais. A simulação sugere lucros de 35 milhões de euros e criação de 56 empregos diretos.
    29. 29. Desenvolvimentos futuros 29 • Importante estudar crescimento e mortalidade das populações portuguesas atualmente. Dados de campo reais permitirão uma simulação mais realista e facilitarão o processo de aquacultura. •O lagostim é um problema relevante que pode ser aproveitado em Portugal. A alteração da legislação seria benéfica para o aproveitamento da espécie como é feito em Espanha, onde existem medidas de controlo mas a legislação permite a cultura em certas zonas.
    30. 30. 30 Obrigado pela atenção ! Fonte:colourbox.com

    ×