Inspecção Visual

455 visualizações

Publicada em

3Chaminés-Salvaterra de Magos
Trabalho de Grupo

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
455
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inspecção Visual

  1. 1. Inspecção VisualChaminés – Salvaterra de Magos<br />Reforço e Reabilitação de Estruturas<br />4 de Julho de 2008<br />1<br />
  2. 2. Objectivos <br />Enquadramento histórico-cultural;<br />Descrição da Estrutura;<br />Identificação das anomalias ;<br />Relação acção/anomalia;<br />Conclusões e recomendações de reparação e reforço.<br />2<br />
  3. 3. Enquadramento Histórico-Cultural<br />De início (≈400 anos)as chaminés serviam a cozinha do Paço Real ;<br />Mais tarde passou a ser estabelecimento de café, a que lhe deram o nome de Café Ribatejano;<br />Uma Pensão com dormidas enriqueceu a estrutura empresarial ;<br />Pouco depois um novo empreendimento foi <br />construído, o Restaurante Típico Ribatejano. <br />As salas foram instaladas,<br /> nos espaços das chaminés das antigas cozinhas do <br />Paço Real de Salvaterra;<br />Em 2004 começaram as obras de um edifício<br /> de 4 pisos e caves nos terrenos dos antigos lagares<br /> de vinho que ficavam contíguos com o restaurante <br />Ribatejano.<br />3<br />
  4. 4. Descrição da Estrutura<br />Paredes de alvenaria mista (pedra, tijolo cerâmico e ligante de argamassa) assentes numa laje de pedra <br />As paredes são escoradas horizontalmente com barras de ferro. Estas são reforçadas no seu interior com uma estrutura de ferro e têm uma espessura considerável, de forma cónica, com aproximadamente 6 m;<br />Duas das chaminés são adjacentes e a terceira dista de cerca de 14m das outras; <br />O espaço entre as chaminés é constituído também por paredes de alvenaria e uma cobertura em madeira;<br />4<br />
  5. 5. Descrição da Estrutura<br />5<br />Vista de uma parede da Chaminé<br />Vista sobre a sala central<br />
  6. 6. Descrição da Estrutura<br />6<br />Esboço da geometria do edifício <br />
  7. 7. Causa->Efeito->Anomalia<br />7<br />
  8. 8. Causa->Efeito->Anomalia<br />8<br />
  9. 9. Causa->Efeito->Anomalia<br />9<br />
  10. 10. Causa->Efeito->Anomalia<br />10<br />
  11. 11. Causa->Efeito->Anomalia<br />11<br />
  12. 12. Causa->Efeito->Anomalia<br />12<br />
  13. 13. Causa->Efeito->Anomalia<br />13<br />
  14. 14. Conclusões<br />14<br />A rotação e o assentamento são causadores da generalidade dos problemas estruturais;<br /> Estes fenómenos ocorreram devido à escavação adjacente, não só pela abertura de frentes de escavação exageradas tendo em conta o solo arenoso, como também pelo método construtivo que não salvaguardou a integridade do edifício adjacente;<br />A execução de escavações provocou descompressão dos solos o que causou o descalçamento das fundações<br />Provocando na estrutura uma enorme quantidade de fissuras, visto a estrutura ser de características frágeis.<br />
  15. 15. Recomendações<br />15<br />Intervenção nas fendas das chaminés por forma a não se verificar um aumento da largura;<br />Isolar os pontos de entrada de água no edifício e encaminha-la de forma adequada para fora do perímetro da estrutura;<br />Reforçar a zona de contacto das escoras com as paredes para evitar a perfuração da alvenaria;<br />Escorar as aberturas em arco, principalmente as que se encontram nas paredes ortogonais ao edifício construído e os mais próximos deste.<br />

×