SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
O novo ITED e as suas implicações



A adequação às normas europeias do regime ITED
(Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios) é,
entre outros, um contributo fundamental para o desenvolvimento
de uma sociedade que se quer altamente competitiva e produtiva.




É neste contexto, que a modernização e a evolução
das infra-estruturas de telecomunicações em
edifícios se insurge como um poderoso incentivo à
sociedade do conhecimento.

Constituindo-se assim, como suporte para o
fornecimento de avançados serviços tecnológicos,
as Redes de Nova Geração (RNG) vão permitir
uma maior aproximação das operadoras ao
utilizador final.

A 2.ª edição das Prescrições e Especificações Técnicas, do manual ITED, aplicam-se aos edifícios
novos, a reconstruir ou que possam estar sujeitos a alterações conforme os termos previstos no
Decreto-Lei nº 123 / 2009, de 21 de Maio (com a redacção dada pelo Decreto-lei n.º 258/ 2009 de 25
de Setembro).
A caracterização dos tipos de edifícios é feita de uma forma clara e simples: residenciais, escritórios,
comerciais, industriais e especiais, nestes incluem-se os edifícios históricos, armazéns, escolas,
hospitais,etc.
Neste artigo destacamos alguns dos pontos mais relevantes do novo regulamento.




AS GRANDES NOVIDADES DESTA 2ª EDIÇÃO SÃO:




- Obrigatoriedade da utilização de fibra óptica monomodo em todos os edifícios (carácter opcional, na
1.ª edição).
- Redes de pares de cobre categoria 6 como mínimo (categoria 5 - rede individual e categoria 3- rede
colectiva, na 1.ª edição).
O novo ited e as suas implicações

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Processo de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo ópticoProcesso de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo ópticoWELLINGTON MARTINS
 
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas   instalações elétricas prediais - residenciaisDicas   instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas instalações elétricas prediais - residenciaisFermi Xalegre
 
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas ElétricosCurso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas ElétricosSala da Elétrica
 

Destaque (6)

FORMAÇÃO FIBRA
FORMAÇÃO FIBRAFORMAÇÃO FIBRA
FORMAÇÃO FIBRA
 
12 ITED - ITUR - ICT2 - JSL-Material electrico
12 ITED - ITUR - ICT2 - JSL-Material electrico12 ITED - ITUR - ICT2 - JSL-Material electrico
12 ITED - ITUR - ICT2 - JSL-Material electrico
 
Processo de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo ópticoProcesso de fusão de cabo óptico
Processo de fusão de cabo óptico
 
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas   instalações elétricas prediais - residenciaisDicas   instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
 
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas ElétricosCurso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
 
Guia do eletricista
Guia do eletricistaGuia do eletricista
Guia do eletricista
 

Semelhante a O novo ited e as suas implicações

NBR 14565
NBR 14565NBR 14565
NBR 14565Pessoal
 
Nbr 14565 procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...
Nbr 14565   procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...Nbr 14565   procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...
Nbr 14565 procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...Giulia Seronato
 
Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...
Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...
Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...Eduardo Santana
 
nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...
nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...
nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...wrsconsultoria1
 
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASILREDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASILMarcos
 
Tcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742f
Tcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742fTcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742f
Tcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742fJoão Bispo
 
Curso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptx
Curso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptxCurso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptx
Curso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptxMiguelitoGem
 
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113Rui Franco
 
CONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MEC
CONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MECCONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MEC
CONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MECJúlio César Magro
 
Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica
Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica
Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica Telefónica IoT
 

Semelhante a O novo ited e as suas implicações (20)

ITUR
ITURITUR
ITUR
 
NBR 14565
NBR 14565NBR 14565
NBR 14565
 
Smart Energy Magazine #18 July Pages 38-39
Smart Energy Magazine #18 July Pages 38-39Smart Energy Magazine #18 July Pages 38-39
Smart Energy Magazine #18 July Pages 38-39
 
De sousa
De sousaDe sousa
De sousa
 
Nbr 14565 07 2000
Nbr 14565 07 2000Nbr 14565 07 2000
Nbr 14565 07 2000
 
Nbr 14565 procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...
Nbr 14565   procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...Nbr 14565   procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...
Nbr 14565 procedimento basico para elaboracao de projetos de cabeamento de ...
 
Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...
Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...
Normas da ABNT NBR 14565 - Procedimento Básico Para Elaboração de projetos de...
 
nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...
nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...
nbr-14565-procedimento-basico-para-elaboracao-de-projetos-de-cabeamento-de-te...
 
Dl 118 2013
Dl 118 2013Dl 118 2013
Dl 118 2013
 
Exec 1 resenha
Exec 1 resenhaExec 1 resenha
Exec 1 resenha
 
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASILREDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
REDES INTELIGENTES E A SUA IMPLANTAÇÃO NO BRASIL
 
Convergencia art02
Convergencia art02Convergencia art02
Convergencia art02
 
Cd l8 072
Cd l8 072Cd l8 072
Cd l8 072
 
Tcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742f
Tcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742fTcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742f
Tcc 9119960cabea7ff604ee3bf8588d742f
 
Curso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptx
Curso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptxCurso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptx
Curso de Norma Regulamentadora nr 10 sep.pptx
 
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
 
Gte0011
Gte0011Gte0011
Gte0011
 
CONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MEC
CONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MECCONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MEC
CONCEITOS E APLICAÇÕES DE REDES MEC
 
Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica
Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica
Focando no SmartGrid: Visão e Atuação da Telefonica
 
Cd l7 082
Cd l7 082Cd l7 082
Cd l7 082
 

Mais de Pimenta de Sousa Carlos

Mais de Pimenta de Sousa Carlos (6)

Td3 loi générale de l'électricité
Td3 loi générale de l'électricitéTd3 loi générale de l'électricité
Td3 loi générale de l'électricité
 
Si Sisstema internacional de medidas
Si Sisstema internacional de medidasSi Sisstema internacional de medidas
Si Sisstema internacional de medidas
 
Apuntes de-neumatica-e-hidraulica
Apuntes de-neumatica-e-hidraulicaApuntes de-neumatica-e-hidraulica
Apuntes de-neumatica-e-hidraulica
 
Corrente de curto
Corrente de curtoCorrente de curto
Corrente de curto
 
Conceptos basicos
Conceptos basicosConceptos basicos
Conceptos basicos
 
Folha relatório tipo
Folha relatório tipoFolha relatório tipo
Folha relatório tipo
 

Último

Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...E-Commerce Brasil
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxEduardoRodriguesOliv2
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.E-Commerce Brasil
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfReinerModro
 

Último (7)

Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 

O novo ited e as suas implicações

  • 1.
  • 2. O novo ITED e as suas implicações A adequação às normas europeias do regime ITED (Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios) é, entre outros, um contributo fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade que se quer altamente competitiva e produtiva. É neste contexto, que a modernização e a evolução das infra-estruturas de telecomunicações em edifícios se insurge como um poderoso incentivo à sociedade do conhecimento. Constituindo-se assim, como suporte para o fornecimento de avançados serviços tecnológicos, as Redes de Nova Geração (RNG) vão permitir uma maior aproximação das operadoras ao utilizador final. A 2.ª edição das Prescrições e Especificações Técnicas, do manual ITED, aplicam-se aos edifícios novos, a reconstruir ou que possam estar sujeitos a alterações conforme os termos previstos no Decreto-Lei nº 123 / 2009, de 21 de Maio (com a redacção dada pelo Decreto-lei n.º 258/ 2009 de 25 de Setembro). A caracterização dos tipos de edifícios é feita de uma forma clara e simples: residenciais, escritórios, comerciais, industriais e especiais, nestes incluem-se os edifícios históricos, armazéns, escolas, hospitais,etc. Neste artigo destacamos alguns dos pontos mais relevantes do novo regulamento. AS GRANDES NOVIDADES DESTA 2ª EDIÇÃO SÃO: - Obrigatoriedade da utilização de fibra óptica monomodo em todos os edifícios (carácter opcional, na 1.ª edição). - Redes de pares de cobre categoria 6 como mínimo (categoria 5 - rede individual e categoria 3- rede colectiva, na 1.ª edição).