SlideShare uma empresa Scribd logo
A História do Bondinho do Pão de Açúcar




Música: Samba do Avião   Homenagem aos 100 anos do bondinho   By Ney Deluiz
Cantam: Os Cariocas      27/Out/1912          27/Out/2012      Ligue o Som
Pães de açúcar, muito comuns nos engenhos de cana da época

  Há 2 teorias para a origem do nome Pão de Açúcar. Uma, a de que os portugueses o batizaram assim pela
semelhança com um pão de açúcar, recipiente usado para transportar torrões de açúcar da Ilha da Madeira
 para a Europa. A outra, a de que o nome vem de pau-nh-açuquã, que em tupi significa morro alto e pontudo.
Pavilhão das Indústrias na Exposição Nacional de 1908

A ideia de se construir um teleférico até o topo do Pão de Açúcar surgiu durante a Exposição que
comemorou o centenário da abertura dos portos em 1908, sendo que as obras começaram em 1910.
ho                                 Via do
                                                           bondin                                          Costão
                                                   Cabo do                      Estação do
                                                                               Pão de Açúcar



                                  Estação do
                                 Morro da Urca
                                                                                     inho
                                                                      láud   io Cout
                                                               Pista C


                                                                                               A escalada original foi pela
                                                                                                 Via do Costão, na parte
                                                                                                de trás do Pão de Açúcar
                                  Praia Vermelha




Quem primeiro escalou o Pão de Açúcar foi a inglesa Henrietta Carstairs, que fincou ali a bandeira inglesa
em 1817, um feito para a época. Nisto, um militar português do quartel colonial da Urca, que nem alpinista
era, indignado com a ousadia subiu lá no dia seguinte e trocou a bandeira inglesa pela bandeira portuguesa.
Encosta do Morro da Urca e, ao fundo, o Pão de Açúcar

Subir até o topo podia não ser problema, mas transportar toneladas de equipamentos pelos penhascos, sim.
   Por isto mesmo a tarefa foi dividida em 2 etapas distintas: 1) o Morro da Urca e 2) o Pão de Açúcar.
100 operários-alpinistas fincaram pinos na pedra e foram levando cordas e as peças de um guincho manual
desmontado de 4 toneladas. Outra equipe foi pela floresta até a base do morro, arrastando um cabo de aço.
Antigamente, Pão de Açúcar se escrevia com 2 Ss


Eis uma parte do guincho manual desmontável de 4 toneladas que os operários-alpinistas subiram no braço.
Pa
                                                                                        vil
                                                                                            hã
                                                                                                 o
                                                                                                     da
                                                                                                          sI
                                                                                                             nd
                                                                                                               ús
                                                                                                                    tr
                                                                                                                      ias




 Já no topo, os alpinistas montaram o guincho manual e, com as cordas que levaram, içaram o pesado cabo
de aço que estava na base do morro. Daí, construíram um elevador de carga para subir o resto do material.
Casa de Máquinas na Praia Vermelha

A seguir, foram então erguidas as estações do Morro da Urca e a Casa de Máquinas na Praia Vermelha.
Esta são as engrenagens alemães originais que foram usadas em 1912.
Após os cabos e as engrenagens, foi a vez de acoplar os 2 bondinhos feitos na Alemanha em madeira maciça.
Em 27/Out/1912 foi inaugurada a estação do Morro da Urca, dia em que 577 pessoas subiram lá.
Naquele dia mesmo, o pomposo nome de Camarote Carril foi substituído simplesmente por ”bondinho”.
@ Marc Ferrez


O passo seguinte foi a construção da estação do Pão de Açúcar, a 395 m de altura e usando a mesma
@ E.A.Mortiner




O trecho Morro da Urca–Pão de Açúcar foi inaugurado em 18/Jan/1913, 18 anos antes do Corcovado.
A partir daí, ir até o Pão de Açúcar para ver a vista deslumbrante passou a ser o objeto de desejo de todos.
Quando o teleférico do Pão de Açúcar foi construído, só existiam 2 outros deste porte no mundo:
um no Monte Ulia, na Espanha (1907), com 280 m, e outro em Wetterhorn, na Suíça (1908), com 560 m.
As duas linhas do teleférico carioca somam 1.325 m, mais de uma vez e meia a soma dos teleféricos
  espanhol e suíço juntos, o que dá a dimensão da competência da engenharia brasileira da época.
Homens fazendo manutenção nos cabos

Os cabos do trecho Praia Vermelha-Morro da Urca têm 575 m e os do Morro da Urca-Pão de Açúcar, 750
Bondinho nos anos 60

Desde 1912, o bondinho já transportou mais de 31 milhões de turistas.
Em 100 anos, houve apenas 3 acidentes sem vítimas: 1) na revolução comunista de 1935, uma bala de canhão
atingiu a estação da Praia Vermelha, que teve de ser fechada; 2) em 1951, um cabo se rompeu e as pessoas
foram retiradas durante a noite; 3) em 2000, um cabo não resistiu e todos foram retirados de helicóptero.
007 Contra o Foguete da Morte
 A Esposa do Solteiro (o 1º filme da Carmen Miranda, onde ela aos 16 anos atuou como figurante)

O bondinho foi cenário em 1925 do filme brasileiro mudo A Esposa do Solteiro, onde um ator se pendura
  nos cabos. Em 1979 foi a vez das aventuras do James Bond no filme 007 Contra o Foguete da Morte.
Bondinho novo em fase de testes

Em 1972, como os bondinhos antigos não mais atendiam ao volume crescente de turistas, foi inaugurada uma
 2ª linha com 2 carros novos para passageiros em cada trecho, com capacidade para 75 pessoas cada um.
2 linhas para passageiros e 2 para cargas                                         Bondinho de carga




Com os 4 novos bondinhos e os carros de carga, hoje o sistema transporta em média 3.000 turistas/dia.
Fim

Com vista panorâmica de 360º e um cenário destes, não há como a viagem de bondinho não ser inesquecível…

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatorio Morro Do Cruzeiro
Relatorio Morro Do CruzeiroRelatorio Morro Do Cruzeiro
Relatorio Morro Do Cruzeiro
Chico Macena
 
Capri y anacapri
Capri y anacapriCapri y anacapri
Capri y anacapri
Jorge Llosa
 
Capri..
Capri..Capri..
Capri..
Font Ioan
 
ItáLia
ItáLiaItáLia
Capri E Anacapri
Capri E AnacapriCapri E Anacapri
Capri E Anacapri
Henry Chinaglia Filho
 
Capri
CapriCapri
Capri
shvax
 

Mais procurados (6)

Relatorio Morro Do Cruzeiro
Relatorio Morro Do CruzeiroRelatorio Morro Do Cruzeiro
Relatorio Morro Do Cruzeiro
 
Capri y anacapri
Capri y anacapriCapri y anacapri
Capri y anacapri
 
Capri..
Capri..Capri..
Capri..
 
ItáLia
ItáLiaItáLia
ItáLia
 
Capri E Anacapri
Capri E AnacapriCapri E Anacapri
Capri E Anacapri
 
Capri
CapriCapri
Capri
 

Destaque

Ciencia, ..
Ciencia, ..Ciencia, ..
Ciencia, ..
Cecy Martinez
 
Unidad 1. el método científico
Unidad 1. el método científicoUnidad 1. el método científico
Unidad 1. el método científico
José Antonio Salamero Garuz
 
Modelos Didácticos
Modelos DidácticosModelos Didácticos
Modelos Didácticos
mariagloria123
 
Geiccs 2013 Presentacion proyecto de investigacion
Geiccs 2013   Presentacion proyecto de investigacionGeiccs 2013   Presentacion proyecto de investigacion
Geiccs 2013 Presentacion proyecto de investigacion
Comunidad de Pensamiento Complejo
 
Proceso y metodología de investigación
Proceso y metodología de investigaciónProceso y metodología de investigación
Proceso y metodología de investigación
ruizstvn07
 
Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)
Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)
Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)
felipeantillano
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
lauriteacher
 
Metodo Cientifico- FabCen SantFeo
Metodo Cientifico- FabCen SantFeoMetodo Cientifico- FabCen SantFeo
Metodo Cientifico- FabCen SantFeo
Fabrizio Centrone
 
Metodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULS
Metodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULSMetodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULS
Metodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULS
Nimrod Quintanilla
 
Presentación Proyecto
Presentación ProyectoPresentación Proyecto
Presentación Proyecto
Valentina Aballay
 
Sem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducción
Sem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducciónSem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducción
Sem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducción
Any Multirubro
 
Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91
Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91 Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91
Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91
dececece
 
Clasifciacion de
Clasifciacion de Clasifciacion de
Clasifciacion de
jesushumbertolopez
 
Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4
Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4
Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4
Marcelo Luis Barbosa dos Santos
 
Tipos y niveles de investigacion
Tipos y niveles de investigacionTipos y niveles de investigacion
Tipos y niveles de investigacion
Ana lucia More Davis
 
Tipos y niveles de investigación
Tipos y niveles de investigaciónTipos y niveles de investigación
Tipos y niveles de investigación
Cristhiam Montalvan Coronel
 
Modelos didácticos y competencias
Modelos didácticos y competenciasModelos didácticos y competencias
Modelos didácticos y competencias
Didáctica práctica, Macarena Blando
 
MODELOS DIDÁCTICOS PARA LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIAS NATURALES
MODELOS   DIDÁCTICOS   PARA  LA   ENSEÑANZA  DE  LAS  CIENCIAS   NATURALESMODELOS   DIDÁCTICOS   PARA  LA   ENSEÑANZA  DE  LAS  CIENCIAS   NATURALES
MODELOS DIDÁCTICOS PARA LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIAS NATURALES
Álvaro Clavijo Rodríguez
 
Tipos de-ciencias
Tipos de-cienciasTipos de-ciencias
Tipos de-ciencias
Andres Felipe Enriquez
 
Niveles de investigacion
Niveles de investigacionNiveles de investigacion
Niveles de investigacion
monicaacostallano
 

Destaque (20)

Ciencia, ..
Ciencia, ..Ciencia, ..
Ciencia, ..
 
Unidad 1. el método científico
Unidad 1. el método científicoUnidad 1. el método científico
Unidad 1. el método científico
 
Modelos Didácticos
Modelos DidácticosModelos Didácticos
Modelos Didácticos
 
Geiccs 2013 Presentacion proyecto de investigacion
Geiccs 2013   Presentacion proyecto de investigacionGeiccs 2013   Presentacion proyecto de investigacion
Geiccs 2013 Presentacion proyecto de investigacion
 
Proceso y metodología de investigación
Proceso y metodología de investigaciónProceso y metodología de investigación
Proceso y metodología de investigación
 
Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)
Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)
Metodologías empleadas en el estudio de las ciencias (4)
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 
Metodo Cientifico- FabCen SantFeo
Metodo Cientifico- FabCen SantFeoMetodo Cientifico- FabCen SantFeo
Metodo Cientifico- FabCen SantFeo
 
Metodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULS
Metodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULSMetodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULS
Metodología de la investigación (Métodos y Técnicas de Investigación) - ULS
 
Presentación Proyecto
Presentación ProyectoPresentación Proyecto
Presentación Proyecto
 
Sem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducción
Sem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducciónSem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducción
Sem.investigac.encuentro 4. parte1.metodos cualitativos.introducción
 
Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91
Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91 Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91
Cuadro descriptivo- investigación Experimental y Semi-experimental MI-91
 
Clasifciacion de
Clasifciacion de Clasifciacion de
Clasifciacion de
 
Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4
Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4
Métodos de Evaluación en Ambientes Digitales - Conceptos Basicos - Clase 1/4
 
Tipos y niveles de investigacion
Tipos y niveles de investigacionTipos y niveles de investigacion
Tipos y niveles de investigacion
 
Tipos y niveles de investigación
Tipos y niveles de investigaciónTipos y niveles de investigación
Tipos y niveles de investigación
 
Modelos didácticos y competencias
Modelos didácticos y competenciasModelos didácticos y competencias
Modelos didácticos y competencias
 
MODELOS DIDÁCTICOS PARA LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIAS NATURALES
MODELOS   DIDÁCTICOS   PARA  LA   ENSEÑANZA  DE  LAS  CIENCIAS   NATURALESMODELOS   DIDÁCTICOS   PARA  LA   ENSEÑANZA  DE  LAS  CIENCIAS   NATURALES
MODELOS DIDÁCTICOS PARA LA ENSEÑANZA DE LAS CIENCIAS NATURALES
 
Tipos de-ciencias
Tipos de-cienciasTipos de-ciencias
Tipos de-ciencias
 
Niveles de investigacion
Niveles de investigacionNiveles de investigacion
Niveles de investigacion
 

Semelhante a A história do bondinho do Pão de Açucar

A história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de Janeiro
A história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de JaneiroA história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de Janeiro
A história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de Janeiro
Oracy Filho
 
A história do bondinho do pão de açúcar
A história do bondinho do pão de açúcarA história do bondinho do pão de açúcar
A história do bondinho do pão de açúcar
Phellipecd
 
A historia do bondinho do pao de acucar
A historia do bondinho do pao de acucarA historia do bondinho do pao de acucar
A historia do bondinho do pao de acucar
Carlos Alexandre Rodrigues
 
A história do_bondinho_do_pão_de _açúcar
A história do_bondinho_do_pão_de _açúcarA história do_bondinho_do_pão_de _açúcar
A história do_bondinho_do_pão_de _açúcar
Ariana Martins
 
Maria clara e Nathalia
Maria clara e NathaliaMaria clara e Nathalia
Maria clara e Nathalia
CerFreguesia
 
Lucas e Anna
Lucas e AnnaLucas e Anna
Lucas e Anna
CerFreguesia
 
Comboio linhaestoril
Comboio linhaestorilComboio linhaestoril
Comboio linhaestoril
cab3032
 
Viagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao PassadoViagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao Passado
BiaEsteves
 
Viagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao PassadoViagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao Passado
BiaEsteves
 
Stella
Stella Stella
Stella
CerFreguesia
 
Engenheiros Rg
Engenheiros RgEngenheiros Rg
Engenheiros Rg
marronei
 
Roteiro+1000+milhas+revisado+1
Roteiro+1000+milhas+revisado+1Roteiro+1000+milhas+revisado+1
Roteiro+1000+milhas+revisado+1
luiscezar
 
Combóio linhaestoril
Combóio linhaestorilCombóio linhaestoril
Combóio linhaestoril
Nuno Coelho
 
Transportes porto 100_anos[2]
Transportes porto 100_anos[2]Transportes porto 100_anos[2]
Transportes porto 100_anos[2]
António Luís Catarino
 
Trem Campos
Trem CamposTrem Campos
Trem Campos
Renato Cardoso
 
Vouguinha
VouguinhaVouguinha
Vouguinha
NoemiaBrogueira
 
Património Cultural Português - Moinhos de Portugal - Artur Filipe dos Santos
Património Cultural Português - Moinhos de Portugal -  Artur Filipe dos SantosPatrimónio Cultural Português - Moinhos de Portugal -  Artur Filipe dos Santos
Património Cultural Português - Moinhos de Portugal - Artur Filipe dos Santos
Artur Filipe dos Santos
 
Trabalho do rio tua
Trabalho do rio tuaTrabalho do rio tua
Trabalho do rio tua
PedroGil100
 

Semelhante a A história do bondinho do Pão de Açucar (18)

A história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de Janeiro
A história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de JaneiroA história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de Janeiro
A história do bondinho do Pão de Açúcar - Rio de Janeiro
 
A história do bondinho do pão de açúcar
A história do bondinho do pão de açúcarA história do bondinho do pão de açúcar
A história do bondinho do pão de açúcar
 
A historia do bondinho do pao de acucar
A historia do bondinho do pao de acucarA historia do bondinho do pao de acucar
A historia do bondinho do pao de acucar
 
A história do_bondinho_do_pão_de _açúcar
A história do_bondinho_do_pão_de _açúcarA história do_bondinho_do_pão_de _açúcar
A história do_bondinho_do_pão_de _açúcar
 
Maria clara e Nathalia
Maria clara e NathaliaMaria clara e Nathalia
Maria clara e Nathalia
 
Lucas e Anna
Lucas e AnnaLucas e Anna
Lucas e Anna
 
Comboio linhaestoril
Comboio linhaestorilComboio linhaestoril
Comboio linhaestoril
 
Viagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao PassadoViagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao Passado
 
Viagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao PassadoViagem Ilustrada ao Passado
Viagem Ilustrada ao Passado
 
Stella
Stella Stella
Stella
 
Engenheiros Rg
Engenheiros RgEngenheiros Rg
Engenheiros Rg
 
Roteiro+1000+milhas+revisado+1
Roteiro+1000+milhas+revisado+1Roteiro+1000+milhas+revisado+1
Roteiro+1000+milhas+revisado+1
 
Combóio linhaestoril
Combóio linhaestorilCombóio linhaestoril
Combóio linhaestoril
 
Transportes porto 100_anos[2]
Transportes porto 100_anos[2]Transportes porto 100_anos[2]
Transportes porto 100_anos[2]
 
Trem Campos
Trem CamposTrem Campos
Trem Campos
 
Vouguinha
VouguinhaVouguinha
Vouguinha
 
Património Cultural Português - Moinhos de Portugal - Artur Filipe dos Santos
Património Cultural Português - Moinhos de Portugal -  Artur Filipe dos SantosPatrimónio Cultural Português - Moinhos de Portugal -  Artur Filipe dos Santos
Património Cultural Português - Moinhos de Portugal - Artur Filipe dos Santos
 
Trabalho do rio tua
Trabalho do rio tuaTrabalho do rio tua
Trabalho do rio tua
 

Mais de José Antonio Cardoso

O quadrado magico de Durero
O quadrado magico de DureroO quadrado magico de Durero
O quadrado magico de Durero
José Antonio Cardoso
 
El puente de_vidrio
El puente de_vidrioEl puente de_vidrio
El puente de_vidrio
José Antonio Cardoso
 
As Pedras do Rio de Janeiro - Brasil
As Pedras do Rio de Janeiro - BrasilAs Pedras do Rio de Janeiro - Brasil
As Pedras do Rio de Janeiro - Brasil
José Antonio Cardoso
 
Igreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - Portugal
Igreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - PortugalIgreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - Portugal
Igreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - Portugal
José Antonio Cardoso
 
Bacalhau
BacalhauBacalhau
Palacio Foz - Lisboa
Palacio Foz - LisboaPalacio Foz - Lisboa
Palacio Foz - Lisboa
José Antonio Cardoso
 
Navegar ( fenando pessoa)
Navegar ( fenando pessoa)Navegar ( fenando pessoa)
Navegar ( fenando pessoa)
José Antonio Cardoso
 
Porto - Feitoria Inglesa
Porto - Feitoria InglesaPorto - Feitoria Inglesa
Porto - Feitoria Inglesa
José Antonio Cardoso
 
Viver numa igreja ( Living in a church )
Viver numa igreja ( Living in a church )Viver numa igreja ( Living in a church )
Viver numa igreja ( Living in a church )
José Antonio Cardoso
 
Metro Lisboa
Metro LisboaMetro Lisboa
Metro Lisboa
José Antonio Cardoso
 
Brasil rio visto do ceu nilo lima
Brasil rio visto do ceu  nilo limaBrasil rio visto do ceu  nilo lima
Brasil rio visto do ceu nilo lima
José Antonio Cardoso
 
Sul da Bahia - Brasil
Sul da Bahia - BrasilSul da Bahia - Brasil
Sul da Bahia - Brasil
José Antonio Cardoso
 
La luna1
La luna1La luna1
Maiakovski1
Maiakovski1Maiakovski1
Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)
Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)
Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)
José Antonio Cardoso
 
Foz do Iguaçu - Brasil
Foz do Iguaçu - BrasilFoz do Iguaçu - Brasil
Foz do Iguaçu - Brasil
José Antonio Cardoso
 

Mais de José Antonio Cardoso (20)

O quadrado magico de Durero
O quadrado magico de DureroO quadrado magico de Durero
O quadrado magico de Durero
 
El puente de_vidrio
El puente de_vidrioEl puente de_vidrio
El puente de_vidrio
 
As Pedras do Rio de Janeiro - Brasil
As Pedras do Rio de Janeiro - BrasilAs Pedras do Rio de Janeiro - Brasil
As Pedras do Rio de Janeiro - Brasil
 
Igreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - Portugal
Igreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - PortugalIgreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - Portugal
Igreja Serra do Pilar - Vila Nova de Gaia - Portugal
 
Cemiterio de Sapantza - Romenia
Cemiterio de Sapantza - RomeniaCemiterio de Sapantza - Romenia
Cemiterio de Sapantza - Romenia
 
Bacalhau
BacalhauBacalhau
Bacalhau
 
Palacio Foz - Lisboa
Palacio Foz - LisboaPalacio Foz - Lisboa
Palacio Foz - Lisboa
 
Navegar ( fenando pessoa)
Navegar ( fenando pessoa)Navegar ( fenando pessoa)
Navegar ( fenando pessoa)
 
Porto - Feitoria Inglesa
Porto - Feitoria InglesaPorto - Feitoria Inglesa
Porto - Feitoria Inglesa
 
Viver numa igreja ( Living in a church )
Viver numa igreja ( Living in a church )Viver numa igreja ( Living in a church )
Viver numa igreja ( Living in a church )
 
Italia ! mamma mia
Italia ! mamma mia Italia ! mamma mia
Italia ! mamma mia
 
Metro Lisboa
Metro LisboaMetro Lisboa
Metro Lisboa
 
Brasil rio visto do ceu nilo lima
Brasil rio visto do ceu  nilo limaBrasil rio visto do ceu  nilo lima
Brasil rio visto do ceu nilo lima
 
Sul da Bahia - Brasil
Sul da Bahia - BrasilSul da Bahia - Brasil
Sul da Bahia - Brasil
 
La luna1
La luna1La luna1
La luna1
 
Maiakovski1
Maiakovski1Maiakovski1
Maiakovski1
 
Voyages voyages -_vu
Voyages voyages -_vuVoyages voyages -_vu
Voyages voyages -_vu
 
Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)
Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)
Pantanal (Mato Grosso Brasil)(com som) (1)
 
Foz do Iguaçu - Brasil
Foz do Iguaçu - BrasilFoz do Iguaçu - Brasil
Foz do Iguaçu - Brasil
 
Monastere Portugais Jeronimo
Monastere Portugais JeronimoMonastere Portugais Jeronimo
Monastere Portugais Jeronimo
 

A história do bondinho do Pão de Açucar

  • 1. A História do Bondinho do Pão de Açúcar Música: Samba do Avião Homenagem aos 100 anos do bondinho By Ney Deluiz Cantam: Os Cariocas 27/Out/1912 27/Out/2012 Ligue o Som
  • 2. Pães de açúcar, muito comuns nos engenhos de cana da época Há 2 teorias para a origem do nome Pão de Açúcar. Uma, a de que os portugueses o batizaram assim pela semelhança com um pão de açúcar, recipiente usado para transportar torrões de açúcar da Ilha da Madeira para a Europa. A outra, a de que o nome vem de pau-nh-açuquã, que em tupi significa morro alto e pontudo.
  • 3. Pavilhão das Indústrias na Exposição Nacional de 1908 A ideia de se construir um teleférico até o topo do Pão de Açúcar surgiu durante a Exposição que comemorou o centenário da abertura dos portos em 1908, sendo que as obras começaram em 1910.
  • 4. ho Via do bondin Costão Cabo do Estação do Pão de Açúcar Estação do Morro da Urca inho láud io Cout Pista C A escalada original foi pela Via do Costão, na parte de trás do Pão de Açúcar Praia Vermelha Quem primeiro escalou o Pão de Açúcar foi a inglesa Henrietta Carstairs, que fincou ali a bandeira inglesa em 1817, um feito para a época. Nisto, um militar português do quartel colonial da Urca, que nem alpinista era, indignado com a ousadia subiu lá no dia seguinte e trocou a bandeira inglesa pela bandeira portuguesa.
  • 5. Encosta do Morro da Urca e, ao fundo, o Pão de Açúcar Subir até o topo podia não ser problema, mas transportar toneladas de equipamentos pelos penhascos, sim. Por isto mesmo a tarefa foi dividida em 2 etapas distintas: 1) o Morro da Urca e 2) o Pão de Açúcar.
  • 6. 100 operários-alpinistas fincaram pinos na pedra e foram levando cordas e as peças de um guincho manual desmontado de 4 toneladas. Outra equipe foi pela floresta até a base do morro, arrastando um cabo de aço.
  • 7. Antigamente, Pão de Açúcar se escrevia com 2 Ss Eis uma parte do guincho manual desmontável de 4 toneladas que os operários-alpinistas subiram no braço.
  • 8. Pa vil hã o da sI nd ús tr ias Já no topo, os alpinistas montaram o guincho manual e, com as cordas que levaram, içaram o pesado cabo de aço que estava na base do morro. Daí, construíram um elevador de carga para subir o resto do material.
  • 9. Casa de Máquinas na Praia Vermelha A seguir, foram então erguidas as estações do Morro da Urca e a Casa de Máquinas na Praia Vermelha.
  • 10. Esta são as engrenagens alemães originais que foram usadas em 1912.
  • 11. Após os cabos e as engrenagens, foi a vez de acoplar os 2 bondinhos feitos na Alemanha em madeira maciça.
  • 12. Em 27/Out/1912 foi inaugurada a estação do Morro da Urca, dia em que 577 pessoas subiram lá.
  • 13. Naquele dia mesmo, o pomposo nome de Camarote Carril foi substituído simplesmente por ”bondinho”.
  • 14. @ Marc Ferrez O passo seguinte foi a construção da estação do Pão de Açúcar, a 395 m de altura e usando a mesma
  • 15. @ E.A.Mortiner O trecho Morro da Urca–Pão de Açúcar foi inaugurado em 18/Jan/1913, 18 anos antes do Corcovado.
  • 16. A partir daí, ir até o Pão de Açúcar para ver a vista deslumbrante passou a ser o objeto de desejo de todos.
  • 17. Quando o teleférico do Pão de Açúcar foi construído, só existiam 2 outros deste porte no mundo: um no Monte Ulia, na Espanha (1907), com 280 m, e outro em Wetterhorn, na Suíça (1908), com 560 m.
  • 18. As duas linhas do teleférico carioca somam 1.325 m, mais de uma vez e meia a soma dos teleféricos espanhol e suíço juntos, o que dá a dimensão da competência da engenharia brasileira da época.
  • 19. Homens fazendo manutenção nos cabos Os cabos do trecho Praia Vermelha-Morro da Urca têm 575 m e os do Morro da Urca-Pão de Açúcar, 750
  • 20. Bondinho nos anos 60 Desde 1912, o bondinho já transportou mais de 31 milhões de turistas.
  • 21. Em 100 anos, houve apenas 3 acidentes sem vítimas: 1) na revolução comunista de 1935, uma bala de canhão atingiu a estação da Praia Vermelha, que teve de ser fechada; 2) em 1951, um cabo se rompeu e as pessoas foram retiradas durante a noite; 3) em 2000, um cabo não resistiu e todos foram retirados de helicóptero.
  • 22. 007 Contra o Foguete da Morte A Esposa do Solteiro (o 1º filme da Carmen Miranda, onde ela aos 16 anos atuou como figurante) O bondinho foi cenário em 1925 do filme brasileiro mudo A Esposa do Solteiro, onde um ator se pendura nos cabos. Em 1979 foi a vez das aventuras do James Bond no filme 007 Contra o Foguete da Morte.
  • 23. Bondinho novo em fase de testes Em 1972, como os bondinhos antigos não mais atendiam ao volume crescente de turistas, foi inaugurada uma 2ª linha com 2 carros novos para passageiros em cada trecho, com capacidade para 75 pessoas cada um.
  • 24. 2 linhas para passageiros e 2 para cargas Bondinho de carga Com os 4 novos bondinhos e os carros de carga, hoje o sistema transporta em média 3.000 turistas/dia.
  • 25. Fim Com vista panorâmica de 360º e um cenário destes, não há como a viagem de bondinho não ser inesquecível…