Ansible - Automacao de Infraestrutura de TI

646 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada em 28/11/2015 no evento Tchelinux Ed. Porto Alegre/RS
na Faculdade de Tecnologia do Senac/RS

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
646
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ansible - Automacao de Infraestrutura de TI

  1. 1. Automação de Infraestrutura com Ansible Marcos Vieira @minemonics TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  2. 2. About me ● Envolvido com software livre desde 2001 ● Fundador do GentooBR ● Fedora Ambassador - LATAM ● Membro do TcheLinux ● Entusiasta da cultura Devops ● Analista de Suporte Sênior at Espectra Tecnologia TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  3. 3. Automação de TI ● Automatizar TI é focar em eliminar as interações manuais de trabalho rotineiro e intensivo, liberando a equipe de TI para executar as tarefas que geram valor ao negócio ● Atualmente o departamento de TI é o menos automatizado em muitas organizações ● Acabamos por dispender nosso tempo escasso (e tempo é dinheiro!) em tarefas comuns e repetitivas ● Quando ela funciona, é pouco visível / quando falha, é catastrófica TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  4. 4. Opções para Automação de Infra ● PUPPET (2005) ● O mais conhecido e utilizado atualmente ● Complexidade de implementação: média ● Desenvolvido em Ruby ● Utiliza agentes de configuração (client side) TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  5. 5. Opções para Automação de Infra ● CHEF (2009) ● Vem aumentando sua presença no mercado de TI ● Complexidade de implementação: alta ● Desenvolvido em Ruby ● Utiliza agentes (clientes) de configuração TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  6. 6. Opções para Automação de Infra ● ANSIBLE (2012) ● Mais novo e menos conhecido até agora, até agora ;-) ● Complexidade de implementação: baixa ● Desenvolvido em Python ● Não utiliza agentes de configuração (SSH | PwShell) TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  7. 7. Comparativo: Puppet x Chef x Ansible TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015 Feature Puppet Chef Ansible Linguagem: DSL DSL Ruby YAML Declaração das Configurações: Manifests CookBooks PlayBooks Itens de configuração: Resources Resources Modules Blocos de configurações: Classes Cookboks Blocs Ruby Blocs Tasks Pacotes de Declarações Modules Generic CookBooks Generic PlayBooks
  8. 8. Outras opções... ● SALTSTACK ● CFENGINE ● COBBLER ● MS PowerShell DSC ( Argh! ) TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  9. 9. Mais sobre Ansible... ● Instalação, configuração e gerenciamento from 127.0.0.1 ● Adquirido pela Red Hat em 16/08/2015 ● Se integra com Docker, Vagrant, AWS, Openstack ● Possui uma versão Enterprise: Ansible Tower ● Utilizado e apoiado por Cisco, Nasa, Red Hat, Twitter... TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  10. 10. Por que usar Ansible e não outro? ● Simplicidade: Automatize em horas e não em semanas ● Sem agentes: usa SSH. ● Velocidade: SSH já está instalado quase que por default ● E se for Windows? Ele utiliza Powershell ● Em um único sistema: deploy, configuração e gerenciamento TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  11. 11. Arquitetura Ansible ● Ansible conecta ao host a ser gerenciado ● Executa os “Ansible Modules” ● Ansible modules são escritos para executar tarefas ● Após executar estes módulos via ssh o ansible remove ● Porém sua biblioteca de módulos é mantida em 127.0.0.1 TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  12. 12. Arquitetura Ansible TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  13. 13. Instalação ● Ubuntu/Debian: # apt-get install ansible ● Red Hat/Fedora: # yum install ansible ● Archlinux: # pacman -Sy ansible ● Gentoo: # emerge -av ansible TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  14. 14. Configuração = Playbook TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  15. 15. Configuração = Playbook TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  16. 16. Conclusão ● Automatizar deixa de ser uma opção para se tornar uma saída clara, afim de deixarmos nossas operações mais inteligentes. ● Ninguém gosta de esperar e quanto mais ágil formos aos olhos do usuário, mais aumentaremos seu grau de satisfação. ● Com Ansible o o sysadmin terá mais tempo livre ;-) TcheLinux – Porto Alegre – 28/11/2015
  17. 17. Automação de Infraestrutura com Ansible Obrigado a todos aqui! Esta palestra é dedica ao meu Avô Sr. Wilson (Je suis Pauniqui (1928-))
  18. 18. Automação de Infraestrutura com Ansible Marcos Vieira @minemonics marcosvieira@opmbx.org Alguem quer saber mais?

×