SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Marcelo vivia fazendo perguntas a todo mundo:
— Papai, por que é que a chuva cai?
— Mamãe, por que é que o mar não derrama?
— Vovó, por que é que o cachorro tem quatro pernas?
As pessoas grandes às vezes respondiam.
Às vezes, não sabiam como responder.
— Ah, Marcelo, sei lá...
Uma vez, Marcelo cismou com o nome das coisas:
— Mamãe, por que é que eu me chamo Marcelo?
— Ora, Marcelo foi o nome que eu e seu pai escolhemos.
— E por que é que não escolheram martelo?
— Ah, meu filho, martelo não é nome de gente! É nome de
ferramenta...
— Por que é que não escolheram marmelo?
— Porque marmelo é nome de fruta, menino!
— E a fruta não podia chamar Marcelo, e eu chamar marmelo?
No dia seguinte, lá vinha ele outra vez:
— Papai, por que é que mesa chama mesa?
— Ah, Marcelo, vem do latim.
— Puxa, papai, do latim? E latim é língua de cachorro?
— Não, Marcelo, latim é uma língua muito antiga.
— E por que é que esse tal de latim não botou na mesa nome de
cadeira, na cadeira nome de parede, e na parede nome de
bacalhau?
— Ai, meu Deus, este menino me deixa louco!
Daí a alguns dias, Marcelo estava jogando futebol com o pai:
— Sabe, papai, eu acho que o tal de latim botou nome errado
nas
coisas. Por exemplo: por que é que bola chama bola?
— Não sei, Marcelo, acho que bola lembra uma coisa redonda,
não lembra?
— Lembra, sim, mas... e bolo?
— Bolo também é redondo, não é?
— Ah, essa não! Mamãe vive fazendo bolo quadrado...
O pai de Marcelo ficou atrapalhado.
E Marcelo continuou pensando:
"Pois é, está tudo errado! Bola é bola, porque é redonda. Mas bolo
nem sempre é redondo. E por que será que a bola não é a mulher
do bolo? E bule? E belo? E bala? Eu acho que as coisas deviam
ter nome mais apropriado. Cadeira, por exemplo. Devia chamar
sentador, não cadeira, que não quer dizer nada. E travesseiro?
Devia chamar cabeceiro, lógico! Também, agora, eu só vou falar
assim".
Logo de manhã, Marcelo começou a falar sua nova língua:
— Mamãe, quer me passar o mexedor?
— Mexedor? Que é isso?
— Mexedorzinho, de mexer café.
— Ah... colherinha, você quer dizer.
— Papai, me dá o suco de vaca?
— Que é isso, menino!
— Suco de vaca, ora! Que está no suco-da-vaqueira.
— Isso é leite, Marcelo. Quem é que entende este menino?
O pai de Marcelo resolveu conversar com ele:
— Marcelo, todas as coisas têm um nome. E todo mundo tem que
chamar pelo mesmo nome porque, senão, ninguém se entende...
— Não acho, papai. Por que é que eu não posso inventar o nome
das coisas?




— Deixe de dizer bobagens, menino! Que coisa mais feia!
— Está vendo como você entendeu, papai? Como é que você sabe
que eu disse um nome feio?
O pai de Marcelo suspirou:
— Vá brincar, filho, tenho muito que fazer...
Mas Marcelo continuava não entendendo a história dos nomes. E
resolveu continuar a falar, à sua moda. Chegava em casa e dizia:
— Bom solário pra todos...
O pai e a mãe de Marcelo se olhavam e não diziam nada. E
Marcelo continuava inventando:
— Sabem o que eu vi na rua? Um puxadeiro puxando uma
carregadeira. Depois, o puxadeiro fugiu e o possuidor ficou
danado.
A mãe de Marcelo já estava ficando preocupada. Conversou com
o pai:
— Sabe, João, eu estou muito preocupada com o Marcelo, com
essa mania de inventar nomes para as coisas... Você já pensou,
quando começarem as aulas? Esse menino vai dar trabalho...
— Que nada, Laura! Isso é uma fase que passa. Coisa de criança...
Mas estava custando a passar... Quando vinham
visitas, era um
caso sério. Marcelo só cumprimentava dizendo:
— Bom solário, bom lunário... — que era como ele
chamava o
dia e a noite.
E os pais de Marcelo morriam de vergonha das visitas.
Até que um dia...
O cachorro do Marcelo, o Godofredo, tinha uma linda casinha
de
madeira que Seu João tinha feito para ele. E Marcelo só
chamava
a casinha de moradeira, e o cachorro de Latildo.
E aconteceu que a casa do Godofredo pegou fogo. Alguém
jogou
uma ponta de cigarro pela grade, e foi aquele desastre!
Marcelo entrou em casa correndo:
— Papai, papai, embrasou a moradeira do Latildo!
— O quê, menino? Não estou entendendo nada!
— A moradeira, papai, embrasou...
— Eu não sei o que é isso, Marcelo. Fala direito!
— Embrasou tudo, papai, está uma branqueira danada!
Seu João percebia a aflição do filho, mas não entendia nada...
Quando Seu João chegou a entender do que Marcelo estava
falando, já era tarde.
A casinha estava toda queimada. Era um montão de brasas.
O Godofredo gania baixinho...
E Marcelo, desapontadíssimo, disse para o pai:
— Gente grande não entende nada de nada, mesmo!
Então a mãe do Marcelo olhou pro pai do Marcelo.
E o pai do Marcelo olhou pra mãe do Marcelo.
E o pai do Marcelo falou:
— Não fique triste, meu filho. A gente faz uma moradeira nova
pro Latildo.
E a mãe do Marcelo disse:
— É sim! Toda branquinha, com a entradeira na frente e um
cobridor bem vermelhinho...
E agora, naquela família, todo mundo se entende muito bem.
O pai e a mãe do Marcelo não aprenderam a falar como ele,
mas
fazem força pra entender o que ele fala.
E nem estão se incomodando com o que as visitas pensam...
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesDia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentes
Teresa Ramos
 
O carnaval-na-floresta
O carnaval-na-florestaO carnaval-na-floresta
O carnaval-na-floresta
Guiomar Silva
 
Marcelo Marmelo Martelo Ruth Rocha
Marcelo Marmelo Martelo Ruth RochaMarcelo Marmelo Martelo Ruth Rocha
Marcelo Marmelo Martelo Ruth Rocha
Nadia Gal Stabile
 
Minha família é colorida
Minha família é colorida  Minha família é colorida
Minha família é colorida
Adriana Pereira
 
7 a menina que esquecia de levar a fala para a escola
7  a menina que esquecia de levar a fala para a escola7  a menina que esquecia de levar a fala para a escola
7 a menina que esquecia de levar a fala para a escola
tlfleite
 
História infantil- A Amizade
História infantil- A AmizadeHistória infantil- A Amizade
História infantil- A Amizade
fprc
 

Mais procurados (20)

A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues PintoA gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
 
Dia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesDia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentes
 
O Menino Marrom
O Menino MarromO Menino Marrom
O Menino Marrom
 
A escolinha do mar, ruth rocha
A escolinha do mar, ruth rochaA escolinha do mar, ruth rocha
A escolinha do mar, ruth rocha
 
O carnaval-na-floresta
O carnaval-na-florestaO carnaval-na-floresta
O carnaval-na-floresta
 
O caracol livro em pdf
O caracol   livro em pdfO caracol   livro em pdf
O caracol livro em pdf
 
O mundinho
O mundinhoO mundinho
O mundinho
 
A lagarta comilona
A lagarta comilonaA lagarta comilona
A lagarta comilona
 
O TUPI QUE VOCÊ FALA
O TUPI QUE VOCÊ FALAO TUPI QUE VOCÊ FALA
O TUPI QUE VOCÊ FALA
 
Chapeuzinho amarelo
Chapeuzinho amareloChapeuzinho amarelo
Chapeuzinho amarelo
 
Marcelo Marmelo Martelo Ruth Rocha
Marcelo Marmelo Martelo Ruth RochaMarcelo Marmelo Martelo Ruth Rocha
Marcelo Marmelo Martelo Ruth Rocha
 
O monstro das cores
O monstro das coresO monstro das cores
O monstro das cores
 
Minha família é colorida
Minha família é colorida  Minha família é colorida
Minha família é colorida
 
7 a menina que esquecia de levar a fala para a escola
7  a menina que esquecia de levar a fala para a escola7  a menina que esquecia de levar a fala para a escola
7 a menina que esquecia de levar a fala para a escola
 
Um amor de família
Um amor de famíliaUm amor de família
Um amor de família
 
A joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhasA joaninha que perdeu as pintinhas
A joaninha que perdeu as pintinhas
 
A casa dos animais
A casa dos animais A casa dos animais
A casa dos animais
 
História infantil- A Amizade
História infantil- A AmizadeHistória infantil- A Amizade
História infantil- A Amizade
 
De hora em hora de "Ruth Rocha"
De hora em hora de "Ruth Rocha"De hora em hora de "Ruth Rocha"
De hora em hora de "Ruth Rocha"
 
Livro - Uma história de páscoa - Ana Maria Machado
Livro - Uma história de páscoa - Ana Maria MachadoLivro - Uma história de páscoa - Ana Maria Machado
Livro - Uma história de páscoa - Ana Maria Machado
 

Destaque (16)

2. voce troca livro. (1)
2. voce troca livro. (1)2. voce troca livro. (1)
2. voce troca livro. (1)
 
Marcelo marmelo 2
Marcelo marmelo 2Marcelo marmelo 2
Marcelo marmelo 2
 
A Operação do Tio Onofre
A Operação do Tio OnofreA Operação do Tio Onofre
A Operação do Tio Onofre
 
O meu primeiro livro
O meu primeiro livroO meu primeiro livro
O meu primeiro livro
 
Apresentação do Livro Truks
Apresentação do Livro TruksApresentação do Livro Truks
Apresentação do Livro Truks
 
Eva furnari - Não confunda
Eva furnari  - Não confundaEva furnari  - Não confunda
Eva furnari - Não confunda
 
Livro: Você troca
Livro: Você trocaLivro: Você troca
Livro: Você troca
 
Infantilruthrocha marcelomarmelomartelo
Infantilruthrocha marcelomarmelomarteloInfantilruthrocha marcelomarmelomartelo
Infantilruthrocha marcelomarmelomartelo
 
A internet segura do menino maluquinho
A internet segura do menino maluquinhoA internet segura do menino maluquinho
A internet segura do menino maluquinho
 
O elefante sem tromba
O elefante sem trombaO elefante sem tromba
O elefante sem tromba
 
Formigadinha
FormigadinhaFormigadinha
Formigadinha
 
Atras da Porta - Ruth Rocha
Atras da Porta - Ruth RochaAtras da Porta - Ruth Rocha
Atras da Porta - Ruth Rocha
 
O CASO DO BOLINHO
O CASO DO BOLINHOO CASO DO BOLINHO
O CASO DO BOLINHO
 
Até as Princesas Soltam Pum
Até as Princesas Soltam PumAté as Princesas Soltam Pum
Até as Princesas Soltam Pum
 
O menino que aprendeu a ver
O menino que aprendeu a verO menino que aprendeu a ver
O menino que aprendeu a ver
 
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
 

Semelhante a marcelo , marmelo, martelo

Marcelo,marmelo,martelo
Marcelo,marmelo,marteloMarcelo,marmelo,martelo
Marcelo,marmelo,martelo
Yvana Costa
 
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
Roseli Aparecida Tavares
 
[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo
[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo
[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo
Roseli Aparecida Tavares
 
Infantilruthrocha marcelo-
Infantilruthrocha marcelo-Infantilruthrocha marcelo-
Infantilruthrocha marcelo-
Colégio Cerp
 
Marcelo marmelo martelo livro
Marcelo marmelo martelo livroMarcelo marmelo martelo livro
Marcelo marmelo martelo livro
Andréa Silveira
 
Livro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxccccccc
Livro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxcccccccLivro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxccccccc
Livro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxccccccc
LetciaSousa100
 
[Infantil] ruth rocha marcelo marmelo martelo
[Infantil] ruth rocha   marcelo marmelo martelo[Infantil] ruth rocha   marcelo marmelo martelo
[Infantil] ruth rocha marcelo marmelo martelo
Vanessa Reis
 

Semelhante a marcelo , marmelo, martelo (20)

Marcelo, marmelo e martelo
Marcelo, marmelo e marteloMarcelo, marmelo e martelo
Marcelo, marmelo e martelo
 
Marcelo,marmelo,martelo
Marcelo,marmelo,marteloMarcelo,marmelo,martelo
Marcelo,marmelo,martelo
 
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
 
Ruth rocha marcelo marmelo martelo
Ruth rocha   marcelo marmelo marteloRuth rocha   marcelo marmelo martelo
Ruth rocha marcelo marmelo martelo
 
Ruth Rocha _ Marcelo, Marmelo, Martelo
Ruth Rocha _ Marcelo, Marmelo, MarteloRuth Rocha _ Marcelo, Marmelo, Martelo
Ruth Rocha _ Marcelo, Marmelo, Martelo
 
[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo
[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo
[Infantil]_Ruth_Rocha_-_Marcelo_Marmelo_Martelo
 
Infantilruthrocha marcelo-
Infantilruthrocha marcelo-Infantilruthrocha marcelo-
Infantilruthrocha marcelo-
 
Marcelo, marmelo, martelo e outras histórias
Marcelo, marmelo, martelo e outras históriasMarcelo, marmelo, martelo e outras histórias
Marcelo, marmelo, martelo e outras histórias
 
5308703 marcelo-marmelo-martelo-ruth-rocha-091118215625-phpapp02
5308703 marcelo-marmelo-martelo-ruth-rocha-091118215625-phpapp025308703 marcelo-marmelo-martelo-ruth-rocha-091118215625-phpapp02
5308703 marcelo-marmelo-martelo-ruth-rocha-091118215625-phpapp02
 
Marcelo marmelo martelo livro
Marcelo marmelo martelo livroMarcelo marmelo martelo livro
Marcelo marmelo martelo livro
 
MARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS DE RUTH ROCHA
MARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS DE RUTH ROCHAMARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS DE RUTH ROCHA
MARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS DE RUTH ROCHA
 
Documento de josy lima(5)
Documento de josy lima(5)Documento de josy lima(5)
Documento de josy lima(5)
 
Marcelo marmelo martelo
Marcelo marmelo marteloMarcelo marmelo martelo
Marcelo marmelo martelo
 
Livro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxccccccc
Livro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxcccccccLivro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxccccccc
Livro, marcelo o marmelo.pdfxcxcxccccccc
 
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
 
[Infantil] ruth rocha marcelo marmelo martelo
[Infantil] ruth rocha   marcelo marmelo martelo[Infantil] ruth rocha   marcelo marmelo martelo
[Infantil] ruth rocha marcelo marmelo martelo
 
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
 
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
[Infantil] ruth rocha_-_marcelo_marmelo_martelo
 
Marcelo marmelo martelo
Marcelo marmelo marteloMarcelo marmelo martelo
Marcelo marmelo martelo
 
Marcelo marmelo martelo
Marcelo marmelo marteloMarcelo marmelo martelo
Marcelo marmelo martelo
 

Mais de mariaelidias

Livro a botija de ouro
Livro  a botija de ouroLivro  a botija de ouro
Livro a botija de ouro
mariaelidias
 
Uma historinha sem 1 sentido
Uma historinha sem 1 sentidoUma historinha sem 1 sentido
Uma historinha sem 1 sentido
mariaelidias
 
Direitos de aprendizagem análise linguistica sea
Direitos de aprendizagem análise linguistica seaDireitos de aprendizagem análise linguistica sea
Direitos de aprendizagem análise linguistica sea
mariaelidias
 
Direitos de aprendizagem produção de textos
Direitos de aprendizagem   produção de textosDireitos de aprendizagem   produção de textos
Direitos de aprendizagem produção de textos
mariaelidias
 
Direitos de aprendizagem leitura
Direitos de aprendizagem   leituraDireitos de aprendizagem   leitura
Direitos de aprendizagem leitura
mariaelidias
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
mariaelidias
 
Direitos de aprendizagem leitura
Direitos de aprendizagem   leituraDireitos de aprendizagem   leitura
Direitos de aprendizagem leitura
mariaelidias
 
O MENINO QUE APRENDEU A VER
O MENINO QUE APRENDEU A VERO MENINO QUE APRENDEU A VER
O MENINO QUE APRENDEU A VER
mariaelidias
 

Mais de mariaelidias (11)

Livro a botija de ouro
Livro  a botija de ouroLivro  a botija de ouro
Livro a botija de ouro
 
De Letra em Letra
De Letra em LetraDe Letra em Letra
De Letra em Letra
 
Galileu leu
Galileu leuGalileu leu
Galileu leu
 
Uma historinha sem 1 sentido
Uma historinha sem 1 sentidoUma historinha sem 1 sentido
Uma historinha sem 1 sentido
 
Abracadabra
AbracadabraAbracadabra
Abracadabra
 
Direitos de aprendizagem análise linguistica sea
Direitos de aprendizagem análise linguistica seaDireitos de aprendizagem análise linguistica sea
Direitos de aprendizagem análise linguistica sea
 
Direitos de aprendizagem produção de textos
Direitos de aprendizagem   produção de textosDireitos de aprendizagem   produção de textos
Direitos de aprendizagem produção de textos
 
Direitos de aprendizagem leitura
Direitos de aprendizagem   leituraDireitos de aprendizagem   leitura
Direitos de aprendizagem leitura
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
 
Direitos de aprendizagem leitura
Direitos de aprendizagem   leituraDireitos de aprendizagem   leitura
Direitos de aprendizagem leitura
 
O MENINO QUE APRENDEU A VER
O MENINO QUE APRENDEU A VERO MENINO QUE APRENDEU A VER
O MENINO QUE APRENDEU A VER
 

marcelo , marmelo, martelo

  • 1.
  • 2. Marcelo vivia fazendo perguntas a todo mundo: — Papai, por que é que a chuva cai? — Mamãe, por que é que o mar não derrama? — Vovó, por que é que o cachorro tem quatro pernas? As pessoas grandes às vezes respondiam. Às vezes, não sabiam como responder. — Ah, Marcelo, sei lá...
  • 3. Uma vez, Marcelo cismou com o nome das coisas: — Mamãe, por que é que eu me chamo Marcelo? — Ora, Marcelo foi o nome que eu e seu pai escolhemos. — E por que é que não escolheram martelo? — Ah, meu filho, martelo não é nome de gente! É nome de ferramenta... — Por que é que não escolheram marmelo? — Porque marmelo é nome de fruta, menino! — E a fruta não podia chamar Marcelo, e eu chamar marmelo?
  • 4. No dia seguinte, lá vinha ele outra vez: — Papai, por que é que mesa chama mesa? — Ah, Marcelo, vem do latim. — Puxa, papai, do latim? E latim é língua de cachorro? — Não, Marcelo, latim é uma língua muito antiga. — E por que é que esse tal de latim não botou na mesa nome de cadeira, na cadeira nome de parede, e na parede nome de bacalhau? — Ai, meu Deus, este menino me deixa louco!
  • 5. Daí a alguns dias, Marcelo estava jogando futebol com o pai: — Sabe, papai, eu acho que o tal de latim botou nome errado nas coisas. Por exemplo: por que é que bola chama bola?
  • 6. — Não sei, Marcelo, acho que bola lembra uma coisa redonda, não lembra? — Lembra, sim, mas... e bolo? — Bolo também é redondo, não é? — Ah, essa não! Mamãe vive fazendo bolo quadrado... O pai de Marcelo ficou atrapalhado.
  • 7. E Marcelo continuou pensando: "Pois é, está tudo errado! Bola é bola, porque é redonda. Mas bolo nem sempre é redondo. E por que será que a bola não é a mulher do bolo? E bule? E belo? E bala? Eu acho que as coisas deviam ter nome mais apropriado. Cadeira, por exemplo. Devia chamar sentador, não cadeira, que não quer dizer nada. E travesseiro? Devia chamar cabeceiro, lógico! Também, agora, eu só vou falar assim".
  • 8. Logo de manhã, Marcelo começou a falar sua nova língua: — Mamãe, quer me passar o mexedor? — Mexedor? Que é isso? — Mexedorzinho, de mexer café. — Ah... colherinha, você quer dizer. — Papai, me dá o suco de vaca? — Que é isso, menino! — Suco de vaca, ora! Que está no suco-da-vaqueira. — Isso é leite, Marcelo. Quem é que entende este menino?
  • 9. O pai de Marcelo resolveu conversar com ele: — Marcelo, todas as coisas têm um nome. E todo mundo tem que chamar pelo mesmo nome porque, senão, ninguém se entende... — Não acho, papai. Por que é que eu não posso inventar o nome das coisas? — Deixe de dizer bobagens, menino! Que coisa mais feia! — Está vendo como você entendeu, papai? Como é que você sabe que eu disse um nome feio? O pai de Marcelo suspirou: — Vá brincar, filho, tenho muito que fazer...
  • 10. Mas Marcelo continuava não entendendo a história dos nomes. E resolveu continuar a falar, à sua moda. Chegava em casa e dizia: — Bom solário pra todos... O pai e a mãe de Marcelo se olhavam e não diziam nada. E Marcelo continuava inventando: — Sabem o que eu vi na rua? Um puxadeiro puxando uma carregadeira. Depois, o puxadeiro fugiu e o possuidor ficou danado.
  • 11. A mãe de Marcelo já estava ficando preocupada. Conversou com o pai: — Sabe, João, eu estou muito preocupada com o Marcelo, com essa mania de inventar nomes para as coisas... Você já pensou, quando começarem as aulas? Esse menino vai dar trabalho... — Que nada, Laura! Isso é uma fase que passa. Coisa de criança...
  • 12. Mas estava custando a passar... Quando vinham visitas, era um caso sério. Marcelo só cumprimentava dizendo: — Bom solário, bom lunário... — que era como ele chamava o dia e a noite. E os pais de Marcelo morriam de vergonha das visitas.
  • 13. Até que um dia... O cachorro do Marcelo, o Godofredo, tinha uma linda casinha de madeira que Seu João tinha feito para ele. E Marcelo só chamava a casinha de moradeira, e o cachorro de Latildo. E aconteceu que a casa do Godofredo pegou fogo. Alguém jogou uma ponta de cigarro pela grade, e foi aquele desastre!
  • 14. Marcelo entrou em casa correndo: — Papai, papai, embrasou a moradeira do Latildo! — O quê, menino? Não estou entendendo nada! — A moradeira, papai, embrasou... — Eu não sei o que é isso, Marcelo. Fala direito! — Embrasou tudo, papai, está uma branqueira danada! Seu João percebia a aflição do filho, mas não entendia nada...
  • 15. Quando Seu João chegou a entender do que Marcelo estava falando, já era tarde. A casinha estava toda queimada. Era um montão de brasas. O Godofredo gania baixinho... E Marcelo, desapontadíssimo, disse para o pai: — Gente grande não entende nada de nada, mesmo!
  • 16. Então a mãe do Marcelo olhou pro pai do Marcelo. E o pai do Marcelo olhou pra mãe do Marcelo. E o pai do Marcelo falou: — Não fique triste, meu filho. A gente faz uma moradeira nova pro Latildo. E a mãe do Marcelo disse: — É sim! Toda branquinha, com a entradeira na frente e um cobridor bem vermelhinho...
  • 17. E agora, naquela família, todo mundo se entende muito bem. O pai e a mãe do Marcelo não aprenderam a falar como ele, mas fazem força pra entender o que ele fala. E nem estão se incomodando com o que as visitas pensam...
  • 18. FIM