Um frade andava ao peditório   Chegou à porta de um lavrador.
Não lhe quiseram aí dar nada                             O frade estava a cair com fome, e disse:




– Vou ver se faço um...
Depois de ter lavado a pedra, disse:                         Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e
– Se me...
Também lhe deram o sal. Temperou, provou, e disse:            A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras.
...
O caldo cheirava que era um regalo. Comeu e lambeu o beiço.               A gente da casa, que estava com os olhos nele, p...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Caldo Pedra Turma 19

1.044 visualizações

Publicada em

Exploração do Conto Tradicional - O Caldo de Pedra e ilustração dos alunos do 2 ano.

Publicada em: Aperfeiçoamento pessoal
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.044
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
209
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caldo Pedra Turma 19

  1. 1. Um frade andava ao peditório Chegou à porta de um lavrador.
  2. 2. Não lhe quiseram aí dar nada O frade estava a cair com fome, e disse: – Vou ver se faço um caldinho de pedra. E pegou numa – Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que pedra do chão. A gente da casa pôs-se a rir Diz o frade: é uma coisa muito boa. – Sempre queremos ver isso.
  3. 3. Depois de ter lavado a pedra, disse: Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e – Se me emprestassem aí um pucarinho. deitou-lhe a pedra dentro. – Com um bocadinho de unto é que o caldo ficava de primor. Diz o frade, provando o caldo: Foram-lhe buscar um pedaço de unto. – Está um bocadinho insosso; precisa de sal.
  4. 4. Também lhe deram o sal. Temperou, provou, e disse: A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras. - Com uns olhinhos de couve ficava que os anjos o comeriam. O frade limpou-as e ripou-as deitando as folhas na panela. – Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça... Enquanto cozia, tirou do alforge pão, e arranjou-se para Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. comer com vagar.
  5. 5. O caldo cheirava que era um regalo. Comeu e lambeu o beiço. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou-lhe: Depois de despejada a panela ficou a pedra no fundo. – Ó senhor frade, então a pedra? Trabalho realizado por: Turma 19 - 2.º Ano EB1 de Carvalhal . – A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez. Respondeu o frade. E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.

×