Web Services

951 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada para a disciplina Sistemas Distribuídos do curso Bacharelado em Sistemas de Informação, Campus IV UFPB

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
951
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Web Services

  1. 1. Web ServicesPaulo Neto, Kawe Ramon
  2. 2. Web ServicesMotivação.• Integração entre serviços distintos.• Padronização no retorno de cada requisição de serviços.(WSDL)• Independência de tecnologia de desenvolvimento e plataformas.
  3. 3. Web ServicesMotivação• Os Web Services estão acima de plataformas, bancos de dados, e linguagens de programação, livrando completamente os desenvolvedores das limitações previamente encontradas na interface entre aplicativos.
  4. 4. Web ServicesO Que é um Web Service? Segundo a W3C(World Wide Web Consortium),podemos defini-lo como: um sistema de software projetado para suportar a interoperabilidade entre máquinas sobre rede. Um serviço web é um serviço que está publicado na web e disponível para qualquer pessoa/sistema possa interagir com ele.
  5. 5. Web ServicesIntegração e Reuso• Web Services permitem o compartilhamento de Dados entre sistemas distintos (implementações diferentes).• Antes dos Web Services já existia interação entre aplicações, a vantagem de se utilizar WS é o Reuso.
  6. 6. Web ServicesDescritores de Serviço• WSDL - Web Services Description Language. Linguagem baseada em XML recomendada peloW3C que tem por objetivo descrever web services através dos métodos de requisição HTTP, passagem de valores e formas de retorno.
  7. 7. Web ServicesPáginas Amarelas de Serviços• Universal Description, Discovery and Integration (UDDI) O UDDI atua como um diretório de arquivos descritores de serviços.
  8. 8. Web Services Implementação• A implementação de web services promoveu não só mudanças na interação entre sistemas, mas na própria arquitetura de tais sistemas; SOA (Arquitetura orientada a Serviço) é a prova concreta disso.• SOAP: Protocolo especificado para a troca de mensagens baseadas em XML em redes TCP/IP. SOAP é um acrônimo de Simple Object Access Protocol e é fundamentalmente usado por web services, para a transmissão de mensagens e requisição remota de processos.
  9. 9. Web Services Implementação• É importante saber que as idéias fundamentais que construíram os web services provêm de tecnologias e produtos anteriores, entre eles estão CORBA, DCOM e RPC/RMI. Além dessas iniciativas prévias, existem iniciativas atuais que também possibilitam o uso de serviços pela Internet com eficiência. A principal dessas iniciativas é denominada REST (Representational State Transfer).
  10. 10. Arquitetura REST• REST é uma abreviação de Representation State Transfer, ou traduzindo, Transferência de Estado Representacional• Principais características arquiteturais incorporadas:• Separação de responsabilidade entre as camadas cliente servidor• Comunicações independentes (stateless)• Uso de cache (para eliminar algumas interações desnecessárias entre cliente e servidor)• Utilização de uma interface uniforme entre os componentes
  11. 11. Arquitetura REST• Essas características quando aplicadas à um web service melhora o desempenho do sistema em geral• Se comparar com o protocolo SOAP, diminui o tempo de resposta das aplicações e seu uso gera uma maior flexibilidade e simplicidade• REST é composto por um conjunto de elementos arquiteturais, as três classes de elementos: Elementos de Dados, Conectores e Componentes
  12. 12. REST - Elementos de Dados• São os elementos que contém a informação a ser usada e transformada• Recursos: Conceito-chave da arquitetura REST, é qualquer informação que possa receber um nome• Identificadores: Identifica um recurso específico envolvido em uma interação entre clientes e servidores. REST usa o URI (Unified Resourse Identifier) como identificador de recursos• Representações: São usadas para capturar o estado atual e o estado desejado de um recurso solicitado. Na prática são sequências de bytes acrescidas de meta-dados
  13. 13. REST - Componentes• São elementos que usam ou transformam a informação, são caracterizados de acordo com o papel que exercem• Servidor de Origem (trata de requisições de um cliente)• Proxy e Gateway, utilizados para permitir o encaminhamento das requisições e respostas.• Agente do usuário, inicia a requisição e, logo em seguida, se torna o destino final de uma resposta
  14. 14. REST - Conectores• São elementos que interligam outros elementos. Rest usa conectores para encapsular a atividade de acesso aos recursos e para transferir as suas representações• Cliente e Servidor, são responsáveis pelo acesso aos recursos• Cache, armazena as respostas passíveis de cache• Resolver é responsável pela conversão de um URI em um endereço de rede• Túnel cria um caminho virtual para o tráfego dos recursos
  15. 15. REST - Métodos Nativos HTTP• Para padronizar o formato das representações de um recurso, REST utiliza uma interface uniforme de componentes que é aplicada através da utilização dos métodos nativos do protocolo HTTP• Principais métodos HTTP utilizados em aplicações RESTFul:
  16. 16. JSON (JavaScript Object Notation)• Modelo para armazenamento e transmissão de informações no formato texto• Tem a capacidade de estruturar informações de uma forma bem mais compacta do que XML, tornando mais rápido o parsing dessas informações• É um formato texto e completamente independente de linguagem, pois usa convenções que são familiares às linguagens C e familiares.• Dividido em duas estruturas:• Uma coleção de pares nome/valor• Lista ordenada de valores: array
  17. 17. JSON• Um Objeto com estrutura complexa possui arrays, hierarquias e Informações opcionais• Fornece a capacidade de atribuir métodos de execução (funções) que estarão diretamente ligadas ao objeto criado.• Sua forma de aplicação assemelha-se a um objeto abstraído do mundo real o qual trabalhamos em POO
  18. 18. JSON x XML• Vantagens o Leitura mais simples o Analisador (parsing) mais fácil o Suporta objetos o Velocidade maior na execução e transporte de dados o Arquivo com tamanho reduzido• Desvantagens o As informações representadas em JSON não podem ser validadas por um esquema, Já em XML, é possível validar através por DTD e XML Schema
  19. 19. JSON x XML - SintaxeSintaxe XML: <?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?> <id>1id> <nome>Alexandre Gamanome> <endereco>R. Qualquerendereco>Sintaxe JSON:{"id":1,"nome":"Alexandre Gama", "endereco":"R.Qualquer"}

×