SlideShare uma empresa Scribd logo
SEXTA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2009
D14 CADERNO 2                         O ESTADO DE S.PAULO



                                                                                                             q                q                q                q               q                  q                  q

Ignácio de                                                                                                   segunda-feira
                                                                                                             MATTHEW
                                                                                                             SHIRTS
                                                                                                                              terça-feira
                                                                                                                              ARNALDO
                                                                                                                              JABOR
                                                                                                                                               quarta-feira
                                                                                                                                               ROBERTO
                                                                                                                                               DAMATTA
                                                                                                                                                                quinta-feira
                                                                                                                                                                LUIS
                                                                                                                                                                FERNANDO
                                                                                                                                                                                sexta-feira
                                                                                                                                                                                IGNÁCIO DE
                                                                                                                                                                                LOYOLA
                                                                                                                                                                                                   sábado
                                                                                                                                                                                                   MARCELO
                                                                                                                                                                                                   RUBENS
                                                                                                                                                                                                                      domingo
                                                                                                                                                                                                                      VERISSIMO



Loyola Brandão                                                                                               LÚCIA
                                                                                                             GUIMARÃES
                                                                                                                                                                VERISSIMO       BRANDÃO

                                                                                                                                                                                MILTON
                                                                                                                                                                                HATOUM
                                                                                                                                                                                                   PAIVA

                                                                                                                                                                                                   ADRIANA
                                                                                                                                                                                                   FALCÃO
                                                                                                                                                                                                                      JOÃO UBALDO
                                                                                                                                                                                                                      RIBEIRO

                                                                                                                                                                                                                      DANIEL PIZA




FusiliàmodadaLapanoreencontro                                                                                                        CIDO GONÇALVES

FOZ DO IGUAÇU
                                      deste grande e diverso país há                                                                                   Vai ver, é esta minha cara bra-        ções da época com encenações
                                      usos e costumes cotidianos, tão                                                                                  va. Resultado: à noite, o públi-       inesquecíveis, entre elas O In-
Estava almoçando com Sueli            diferentes dos nossos. Para a                                                                                    co dobrou. A coisa funcionou           terrogatório. Eram diários os
Brandão,organizadorado2ºSa-           gente de Foz do Iguaçu, por                                                                                      ao contrário. Em vez de pais es-       meus encontros com Celso,
lão Internacional de Livros, e        exemplo,sair para jantar na Ar-                                                                                  timularem os filhos, estes é que       nossos filhos nasceram e cres-
com Rogério Bonatto, editor do        gentina é coisa corriqueira.                                                                                     incentivaram os pais.                  ceram juntos. Um dia, ele me
jornal A Gazeta do Iguaçu. Eu             Assim como corriqueiro, e                                                                                       Fui levado ao hotel Carimã,         contou de sua infância na La-
brincava com Rogério, que tan-        cada vez mais movimentado,                                                                                       o dono queria que eu autogra-          pa, falou de seus pais, dona
to tinha louvado as cataratas.        tem sido o Salão Internacional                                                                                   fasse um livro e estava feliz por      Afra e seu Julio, pessoas humil-
“Elas não existem, meu amigo.         de Livros, este ano aberto por                                                                                   me oferecer um almoço. Na ho-          des que fizeram tudo para o fi-
Estivelá e vi. Aliás, não vi.” Seca   Cristovão Tezza e que teve Ali-                                                                                  ra das apresentações, um no-           lho estudar e trabalhar. O que
tenaz no Sul, as águas das cata-      ce Ruiz, Pedro Bandeira, Mar-                                                                                    me aqui, outro ali, não guardei        mais emocionava Celso era um
ratas caem quase aos pingos, as       cos Sá Corrêa, Fabrício Carpi-                                                                                   o nome do homem. No escritó-           homem chamado Erminio Gat-
rochas parecem a cratera de           nejar, Tão Gomes Pinto, Euge-                                                                                    rio dele, vi uma foto do José          ti, um dos donos da Gato Preto,
um vulcão extinto. Mesmo as-          nio Bucci, Lira Neto, Carlos Lo-                                                                                 Mauro de Vasconcelos. Inda-            que lhe deu o primeiro empre-
sim, impressionam. Foi quando         pes, além de contadores de his-                                                                                  guei, e o homem, com uma ex-           go aos 12 anos, e terminou sen-
minha garganta se manifestou          tórias, oficinas literárias, sho-                                                                                pressão plácida, respondeu.            do seu padrinho. Ao longo dos
dolorida. Como à noite eu faria       ws,microaula-show,corais,lan-                                                                                    “Zé era nosso amigo lá na Lapa,        anos, Celso e eu temos mantido
uma palestra e como fantasmas         çamento de livros. No Salão foi                                                                                  em São Paulo. Na Viação Gato           essa ligação. Agora, ele mora
de uma gripe rondavam a at-           anunciada pelo deputado Mar-                                                                                     Preto, da nossa família, os ôni-       em Florianópolis. E de vez em
mosfera, perguntei se havia           celo Almeida, presidente da                                                                                      bus eram batizados com títulos         quando ele se lembra daquele
uma farmácia perto, queria            Frente Parlamentar Mista de                                                                                      dos livros de Zé Mauro, e com          padrinho perdido de vista.
comprar própolis e aspirina           Leitura, a criação do Fundo Se-                                                                                  nomes de mulheres.” Então me               Quando terminei, o dono do
com vitamina C. Automedica-           torialdoLivroquedisponibiliza-                                                                                   lembrei de uns ônibus de cor           Carimã estava de pé e havia lá-
ção caseira, que o meu médico         rá, anualmente, R$ 40 milhões                                                                                    laranja que ostentavam nomes           grimas em seus olhos. “Sou Er-
não condenaria. “Vitamina C?          para projetos literários no Bra-                                                                                 como Meu Pé de Laranja Lima,           minio Gatti”, ele me disse. “Cel-
Aspirina? Serve uma Bayer ale-        sil, entre eles a implantação de                                                                                 Rosinha, Minha Canoa, Confis-          so era afilhado meu e de minha
mã?”, perguntou Rogério. Res-         bibliotecas e o patrocínio de pe-   com um equipamento cultural            go cultural e intelectual) estão      sões de Frei Abóbora, Arara            irmã Anita. Há anos não o ve-
pondi que sim e, quando o vi, es-     quenoscontadores dehistórias.       que promova a democratiza-             agindo, movimentando, fazen-          Vermelha (que foi filme com            mos, perdemos contato. Ago-
tava ao celular, pedindo que o        Marcelo tem percorrido o inte-      ção do conhecimento. Espaços           do. E eu que sempre reclamo           Ana Maria Nabuco, uma loira            ra, nos ligamos outra vez. Coi-
motoboy do jornal viesse ao res-      riorparanaenseprocurandoes-         de 184 metros quadrados rece-          da literatura esquecida!              sensualíssima. Onde estará?)           sa curiosa esta vida. Como ela
taurante. Cinco minutos de-           timular os prefeitos a criarem      bem uma biblioteca com 2 mil               O 2º Salão esteve lotado to-         Súbito, me vieram imagens           arma suas teias?” Em homena-
pois, o jovem estava à nossa          Planos Municipais de Leitura.       livros inicialmente, aparelhos         dos os dias. Fiquei emocionado        familiares dos anos 70. Eu casa-       gem ao reencontro, Erminio li-
frenteerecebeu aincumbência:              Por outro lado, num jantar,     de áudio, vídeo e informática          ao saber que, depois de ter fala-     do com Bia, irmã de Regina             gou para a cozinha e pediu car-
“Vá ao Paraguai e me traga um         a secretária de Cultura Vera        para acessos à internet. Nada          do para as crianças de manhã,         Braga (essa mesma, a atriz de          neiro com fusili. Um fusili feito
frasco grande daquela aspirina        Mussi, uma daquelas pessoas         menosde 110municípios já abri-         muitas levaram seus pais à noi-       teatro e televisão, hoje mulher        à velha maneira da Lapa, bair-
alemãquemecomprounasema-              com quem dá prazer conver-          gam o projeto e até 2010 se che-       te, para ouvir e perguntar. Vá-       de Drauzio Varella), que por           ro tradicional de italianos.
na passada.” Virando-se para          sar, revelou-me o projeto da Bi-    gará ao número 200. Quer di-           rias, por timidez, não tinham         sua vez na época era casada            Massa que dona Afra e seu Ju-
mim, Rogério acrescentou: “É          bliotecaCidadã, destinado a do-     zer, apesar de tudo, aqui e ali,       tido coragem de levantar a            com o diretor teatral Celso Nu-        lio aprovariam, tão delicada e
tiro e queda!” Em cada lugar          tar regiões carentes do Estado      secretários de grande porte (di-       mão. E queriam ouvir de novo.         nes, uma das grandes revela-           tenra estava. ●



Música Choro:



A felicidade inédita de ser artista
O violonista alagoano Zé Barbeiro lança o primeiro CD – Segura A Bucha! – em apresentação única no Sesc Pompeia
                                                                                                                                                                                                               LEO GOLA/DIVULGAÇÃO

Francisco Quinteiro Pires             ele está lançando o primeiro dis-   do ainda menino em Carapicuí-          lhou por mais de 30 anos na pro-
                                      co – Segura A Bucha! – hoje, no     ba,umacidadepaulista,JoséAu-           fissão. Faz 12 anos abandonou o
Zé Barbeiro está “passado”. Pe-       Sesc Pompeia. É o resultado do      gusto Roberto da Silva conhe-          ofício para dedicar-se à música.
laprimeiravez,sente “a felicida-      mergulhona músicainstrumen-         ceu o violão com a febre da Jo-            Em 1971, num festival em
de de ser um artista”. Um dos         tal realizado no início dos anos    vem Guarda. O contato com o            Osasco, Zé Barbeiro recebeu
violonistas mais importantes do       1970, quando largou o iê-iê-iê.     samba e o choro se deu na bar-         um conselho do violonista 7 cor-
choro de São Paulo, ao 57 anos           NascidoemAlagoaseradica-         beariadopai.ZéBarbeirotraba-           das João Macacão, que está lan-
                                                                                                                 çandooCDSerestando.“Ele per-
                                                                                                                 cebeu minha pegada rítmica
                                                                                                                 boa para o choro e mandou se-
                                                                                                                 guir esse caminho.” Autodidata,
                                                                                                                 Zé Barbeiro comprou todos os
                                                                                                                 discos em que Horondino José
                                                                                                                 da Silva– o Dino 7 Cordas – toca-
        Transforme                                                                                               va. “O Dino me ensinou a impor-
                                                                                                                 tância da firmeza rítmica, a dar
                                                                                                                 o pé no chão para o cantor ou o
        a sua idéia em                                                                                           solista atuar”, diz. “Era dono de
                                                                                                                 impressionante segurança no
                                                                                                                 ritmo, as notas graves saíam to-
        uma grande notícia                                                                                       das precisas.” Além de apren-
                                                                                                                 der de ouvido, comprou livros
                                                                                                                 que o ensinaram a ler partitura.
                                                                                                                     Arranjador do disco Divino
                                                                                                                 Samba Meu, com o qual Dona
                                                                                                                 Inah ganhou o prêmio TIM de
                                                                                                                 Revelaçãoem2006,ZéBarbeiro
                                                                                                                 diz que seu estilo é “bonachão”.
                                                                                                                 “Adoro fazer presepada com o          ZÉ BARBEIRO – Ele é autodidata e autor de mais de 110 composições
                                                                                                                 ritmo.” Só contém a vontade de
                                                                                                                 brincar, quando percebe que o         gura A Bucha! reúne 14 dos mais        ção com parceiro – o violonista
                                                                                                                 cantor ou solista é tradicional.      de 110 choros compostos por Zé         Alessandro Penezzi – é Bafo de
                                                                                                                     Resultado de premiação do         Barbeiro, responsável pelos ar-        Bode. Para gravar, chamou seus
                                                                                                                 ProjetoPixinguinhade2008,Se-          ranjos. No CD, a única composi-        companheiros de “palhaçadas
                                                                                                                                                                                              nos botecos”, que tocam com ele
                                                                                                                                                                                              no Bar do Cidão e no Ó do Boro-
                                                                                                                                                                                              godó, ambos na Vila Madalena.
                                                                                                                                                                                                 Para compor e arranjar, ele
                                                                                                                                                                                              recorre às tecnologias. “Não sei
                                                                                                                                                                                              escrever de uma vez os arran-
                                                                                                                                                                                              jos.” Primeiro, ele cantarola a
                                                                                                                                                                                              melodia e depois a registra no
                                                                                                                                                                                              Encore, software para traba-
                                                                                                                                                                                              lhar com partituras. Os floreios
                                                                                                                                                                                              e harmonias, inventa no compu-
                                                                                                                                                                                              tador. “E sempre para facilitar o
                                  Não perca o prazo. Inscrições até 29 de Junho.                                                                                                              trabalho dos músicos.” Zé Bar-
                                                                                                                                                                                              beiroacompanhaaevoluçãodos
                                  Tenha no seu currículo o nome da CNN International.                                                                                                         violonistas 7 cordas – os contra-
                                  Participe do Concurso Universitário de Jornalismo com o                                                                                                     pontistas de ontem vêm se tor-
                                  tema “O uso da tecnologia no desenvolvimento social”. Você                                                                                                  nando os harmonizadores e ar-
                                  pode ter a sua matéria exibida na CNN International, além de                                                                                                ranjadores dos dias atuais. ●
                                  conhecer os estúdios do canal em Atlanta, Estados Unidos                                                                                                    Serviço
                                  www.concursocnn.com.br                                                                                                                                      ● Zé Barbeiro. Sesc Pompeia.
                                                                                                                                                                                              Teatro (358 lug.). Rua Clélia,
                                                                                                                                                                                              93, tel. 3871-7700. Hoje, 21 h.
                                                                                                                                                                                              De R$ 3 a R$ 12




                                                                                                                                                                                                    Ouça trecho de Segura A Bucha em

                                                                                                                                                                                                   www.estadao.com.br/e/d14

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Zé Barbeiro - Segura a bucha
Zé Barbeiro - Segura a buchaZé Barbeiro - Segura a bucha
Zé Barbeiro - Segura a buchabarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Ponto de tripa
Zé Barbeiro - Ponto de tripaZé Barbeiro - Ponto de tripa
Zé Barbeiro - Ponto de tripabarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Isabela
Zé Barbeiro - IsabelaZé Barbeiro - Isabela
Zé Barbeiro - Isabelabarbeiroze
 
Osso duro
Osso duroOsso duro
Osso duro
Karina Poli
 
Cesar o que não é de cesar
Cesar o que não é de cesarCesar o que não é de cesar
Cesar o que não é de cesar
Karina Poli
 
è Tudo ilusão
è Tudo ilusãoè Tudo ilusão
è Tudo ilusão
Karina Poli
 
Zé Barbeiro - O do borogodo
Zé Barbeiro - O do borogodoZé Barbeiro - O do borogodo
Zé Barbeiro - O do borogodobarbeiroze
 
Cala de dromedário
Cala de dromedárioCala de dromedário
Cala de dromedário
Karina Poli
 
O inicio
O inicioO inicio
O inicio
Karina Poli
 
Conversa reta não faz curva
Conversa reta não faz curvaConversa reta não faz curva
Conversa reta não faz curva
Karina Poli
 
Chora na rampa
Chora na rampaChora na rampa
Chora na rampa
Karina Poli
 
Zé Barbeiro - Nao perca o rebolado
Zé Barbeiro - Nao perca o reboladoZé Barbeiro - Nao perca o rebolado
Zé Barbeiro - Nao perca o reboladobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Chorando as pitangas
Zé Barbeiro - Chorando as pitangasZé Barbeiro - Chorando as pitangas
Zé Barbeiro - Chorando as pitangasbarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Dr platileonas
Zé Barbeiro - Dr platileonasZé Barbeiro - Dr platileonas
Zé Barbeiro - Dr platileonasbarbeiroze
 
Simplismente você
Simplismente vocêSimplismente você
Simplismente você
Karina Poli
 
Zé Barbeiro - Juntando os cacos
Zé Barbeiro - Juntando os cacosZé Barbeiro - Juntando os cacos
Zé Barbeiro - Juntando os cacosbarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Endividado
Zé Barbeiro - EndividadoZé Barbeiro - Endividado
Zé Barbeiro - Endividadobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Comendo bacuri
Zé Barbeiro - Comendo bacuriZé Barbeiro - Comendo bacuri
Zé Barbeiro - Comendo bacuribarbeiroze
 

Destaque (20)

Zé Barbeiro - Segura a bucha
Zé Barbeiro - Segura a buchaZé Barbeiro - Segura a bucha
Zé Barbeiro - Segura a bucha
 
Zé Barbeiro - Ponto de tripa
Zé Barbeiro - Ponto de tripaZé Barbeiro - Ponto de tripa
Zé Barbeiro - Ponto de tripa
 
Engasga gato
Engasga gatoEngasga gato
Engasga gato
 
Não me siga
Não me sigaNão me siga
Não me siga
 
Zé Barbeiro - Isabela
Zé Barbeiro - IsabelaZé Barbeiro - Isabela
Zé Barbeiro - Isabela
 
Osso duro
Osso duroOsso duro
Osso duro
 
Cesar o que não é de cesar
Cesar o que não é de cesarCesar o que não é de cesar
Cesar o que não é de cesar
 
è Tudo ilusão
è Tudo ilusãoè Tudo ilusão
è Tudo ilusão
 
Zé Barbeiro - O do borogodo
Zé Barbeiro - O do borogodoZé Barbeiro - O do borogodo
Zé Barbeiro - O do borogodo
 
Cala de dromedário
Cala de dromedárioCala de dromedário
Cala de dromedário
 
O inicio
O inicioO inicio
O inicio
 
Conversa reta não faz curva
Conversa reta não faz curvaConversa reta não faz curva
Conversa reta não faz curva
 
Chora na rampa
Chora na rampaChora na rampa
Chora na rampa
 
Zé Barbeiro - Nao perca o rebolado
Zé Barbeiro - Nao perca o reboladoZé Barbeiro - Nao perca o rebolado
Zé Barbeiro - Nao perca o rebolado
 
Zé Barbeiro - Chorando as pitangas
Zé Barbeiro - Chorando as pitangasZé Barbeiro - Chorando as pitangas
Zé Barbeiro - Chorando as pitangas
 
Zé Barbeiro - Dr platileonas
Zé Barbeiro - Dr platileonasZé Barbeiro - Dr platileonas
Zé Barbeiro - Dr platileonas
 
Simplismente você
Simplismente vocêSimplismente você
Simplismente você
 
Zé Barbeiro - Juntando os cacos
Zé Barbeiro - Juntando os cacosZé Barbeiro - Juntando os cacos
Zé Barbeiro - Juntando os cacos
 
Zé Barbeiro - Endividado
Zé Barbeiro - EndividadoZé Barbeiro - Endividado
Zé Barbeiro - Endividado
 
Zé Barbeiro - Comendo bacuri
Zé Barbeiro - Comendo bacuriZé Barbeiro - Comendo bacuri
Zé Barbeiro - Comendo bacuri
 

Mais de barbeiroze

Grade mera coincidencia
Grade  mera coincidenciaGrade  mera coincidencia
Grade mera coincidencia
barbeiroze
 
Zé Barbeiro - Ve se nao erra a nota
Zé Barbeiro - Ve se nao erra a notaZé Barbeiro - Ve se nao erra a nota
Zé Barbeiro - Ve se nao erra a notabarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Trinca ferro
Zé Barbeiro - Trinca ferroZé Barbeiro - Trinca ferro
Zé Barbeiro - Trinca ferrobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Tome tento
Zé Barbeiro - Tome tentoZé Barbeiro - Tome tento
Zé Barbeiro - Tome tentobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Tens coragem
Zé Barbeiro - Tens coragemZé Barbeiro - Tens coragem
Zé Barbeiro - Tens coragembarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Roberta olha o breck
Zé Barbeiro - Roberta olha o breckZé Barbeiro - Roberta olha o breck
Zé Barbeiro - Roberta olha o breckbarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Respira fundo
Zé Barbeiro - Respira fundoZé Barbeiro - Respira fundo
Zé Barbeiro - Respira fundobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Rasgueira
Zé Barbeiro - RasgueiraZé Barbeiro - Rasgueira
Zé Barbeiro - Rasgueirabarbeiroze
 
Zé Barbeiro - No baixo da minha modestia
Zé Barbeiro - No baixo da minha modestiaZé Barbeiro - No baixo da minha modestia
Zé Barbeiro - No baixo da minha modestiabarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Nao tem chororo
Zé Barbeiro - Nao tem chororoZé Barbeiro - Nao tem chororo
Zé Barbeiro - Nao tem chororobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Minha primeira vez
Zé Barbeiro - Minha primeira vezZé Barbeiro - Minha primeira vez
Zé Barbeiro - Minha primeira vezbarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Koolongo
Zé Barbeiro - KoolongoZé Barbeiro - Koolongo
Zé Barbeiro - Koolongobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Domingo eu vou la
Zé Barbeiro - Domingo eu vou laZé Barbeiro - Domingo eu vou la
Zé Barbeiro - Domingo eu vou labarbeiroze
 
Zé Barbeiro - De traz para frente
Zé Barbeiro - De traz para frenteZé Barbeiro - De traz para frente
Zé Barbeiro - De traz para frentebarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Choro vesgo
Zé Barbeiro - Choro vesgoZé Barbeiro - Choro vesgo
Zé Barbeiro - Choro vesgobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Chorando a tempo
Zé Barbeiro - Chorando a tempoZé Barbeiro - Chorando a tempo
Zé Barbeiro - Chorando a tempobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Chorambulo
Zé Barbeiro - ChorambuloZé Barbeiro - Chorambulo
Zé Barbeiro - Chorambulobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Cha de macaco
Zé Barbeiro - Cha de macacoZé Barbeiro - Cha de macaco
Zé Barbeiro - Cha de macacobarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Carmen
Zé Barbeiro - CarmenZé Barbeiro - Carmen
Zé Barbeiro - Carmenbarbeiroze
 
Zé Barbeiro - Bafo de bode
Zé Barbeiro - Bafo de bodeZé Barbeiro - Bafo de bode
Zé Barbeiro - Bafo de bodebarbeiroze
 

Mais de barbeiroze (20)

Grade mera coincidencia
Grade  mera coincidenciaGrade  mera coincidencia
Grade mera coincidencia
 
Zé Barbeiro - Ve se nao erra a nota
Zé Barbeiro - Ve se nao erra a notaZé Barbeiro - Ve se nao erra a nota
Zé Barbeiro - Ve se nao erra a nota
 
Zé Barbeiro - Trinca ferro
Zé Barbeiro - Trinca ferroZé Barbeiro - Trinca ferro
Zé Barbeiro - Trinca ferro
 
Zé Barbeiro - Tome tento
Zé Barbeiro - Tome tentoZé Barbeiro - Tome tento
Zé Barbeiro - Tome tento
 
Zé Barbeiro - Tens coragem
Zé Barbeiro - Tens coragemZé Barbeiro - Tens coragem
Zé Barbeiro - Tens coragem
 
Zé Barbeiro - Roberta olha o breck
Zé Barbeiro - Roberta olha o breckZé Barbeiro - Roberta olha o breck
Zé Barbeiro - Roberta olha o breck
 
Zé Barbeiro - Respira fundo
Zé Barbeiro - Respira fundoZé Barbeiro - Respira fundo
Zé Barbeiro - Respira fundo
 
Zé Barbeiro - Rasgueira
Zé Barbeiro - RasgueiraZé Barbeiro - Rasgueira
Zé Barbeiro - Rasgueira
 
Zé Barbeiro - No baixo da minha modestia
Zé Barbeiro - No baixo da minha modestiaZé Barbeiro - No baixo da minha modestia
Zé Barbeiro - No baixo da minha modestia
 
Zé Barbeiro - Nao tem chororo
Zé Barbeiro - Nao tem chororoZé Barbeiro - Nao tem chororo
Zé Barbeiro - Nao tem chororo
 
Zé Barbeiro - Minha primeira vez
Zé Barbeiro - Minha primeira vezZé Barbeiro - Minha primeira vez
Zé Barbeiro - Minha primeira vez
 
Zé Barbeiro - Koolongo
Zé Barbeiro - KoolongoZé Barbeiro - Koolongo
Zé Barbeiro - Koolongo
 
Zé Barbeiro - Domingo eu vou la
Zé Barbeiro - Domingo eu vou laZé Barbeiro - Domingo eu vou la
Zé Barbeiro - Domingo eu vou la
 
Zé Barbeiro - De traz para frente
Zé Barbeiro - De traz para frenteZé Barbeiro - De traz para frente
Zé Barbeiro - De traz para frente
 
Zé Barbeiro - Choro vesgo
Zé Barbeiro - Choro vesgoZé Barbeiro - Choro vesgo
Zé Barbeiro - Choro vesgo
 
Zé Barbeiro - Chorando a tempo
Zé Barbeiro - Chorando a tempoZé Barbeiro - Chorando a tempo
Zé Barbeiro - Chorando a tempo
 
Zé Barbeiro - Chorambulo
Zé Barbeiro - ChorambuloZé Barbeiro - Chorambulo
Zé Barbeiro - Chorambulo
 
Zé Barbeiro - Cha de macaco
Zé Barbeiro - Cha de macacoZé Barbeiro - Cha de macaco
Zé Barbeiro - Cha de macaco
 
Zé Barbeiro - Carmen
Zé Barbeiro - CarmenZé Barbeiro - Carmen
Zé Barbeiro - Carmen
 
Zé Barbeiro - Bafo de bode
Zé Barbeiro - Bafo de bodeZé Barbeiro - Bafo de bode
Zé Barbeiro - Bafo de bode
 

Zé Barbeiro. A felicidade inédita de ser artista. Estadão

  • 1. SEXTA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2009 D14 CADERNO 2 O ESTADO DE S.PAULO q q q q q q q Ignácio de segunda-feira MATTHEW SHIRTS terça-feira ARNALDO JABOR quarta-feira ROBERTO DAMATTA quinta-feira LUIS FERNANDO sexta-feira IGNÁCIO DE LOYOLA sábado MARCELO RUBENS domingo VERISSIMO Loyola Brandão LÚCIA GUIMARÃES VERISSIMO BRANDÃO MILTON HATOUM PAIVA ADRIANA FALCÃO JOÃO UBALDO RIBEIRO DANIEL PIZA FusiliàmodadaLapanoreencontro CIDO GONÇALVES FOZ DO IGUAÇU deste grande e diverso país há Vai ver, é esta minha cara bra- ções da época com encenações usos e costumes cotidianos, tão va. Resultado: à noite, o públi- inesquecíveis, entre elas O In- Estava almoçando com Sueli diferentes dos nossos. Para a co dobrou. A coisa funcionou terrogatório. Eram diários os Brandão,organizadorado2ºSa- gente de Foz do Iguaçu, por ao contrário. Em vez de pais es- meus encontros com Celso, lão Internacional de Livros, e exemplo,sair para jantar na Ar- timularem os filhos, estes é que nossos filhos nasceram e cres- com Rogério Bonatto, editor do gentina é coisa corriqueira. incentivaram os pais. ceram juntos. Um dia, ele me jornal A Gazeta do Iguaçu. Eu Assim como corriqueiro, e Fui levado ao hotel Carimã, contou de sua infância na La- brincava com Rogério, que tan- cada vez mais movimentado, o dono queria que eu autogra- pa, falou de seus pais, dona to tinha louvado as cataratas. tem sido o Salão Internacional fasse um livro e estava feliz por Afra e seu Julio, pessoas humil- “Elas não existem, meu amigo. de Livros, este ano aberto por me oferecer um almoço. Na ho- des que fizeram tudo para o fi- Estivelá e vi. Aliás, não vi.” Seca Cristovão Tezza e que teve Ali- ra das apresentações, um no- lho estudar e trabalhar. O que tenaz no Sul, as águas das cata- ce Ruiz, Pedro Bandeira, Mar- me aqui, outro ali, não guardei mais emocionava Celso era um ratas caem quase aos pingos, as cos Sá Corrêa, Fabrício Carpi- o nome do homem. No escritó- homem chamado Erminio Gat- rochas parecem a cratera de nejar, Tão Gomes Pinto, Euge- rio dele, vi uma foto do José ti, um dos donos da Gato Preto, um vulcão extinto. Mesmo as- nio Bucci, Lira Neto, Carlos Lo- Mauro de Vasconcelos. Inda- que lhe deu o primeiro empre- sim, impressionam. Foi quando pes, além de contadores de his- guei, e o homem, com uma ex- go aos 12 anos, e terminou sen- minha garganta se manifestou tórias, oficinas literárias, sho- pressão plácida, respondeu. do seu padrinho. Ao longo dos dolorida. Como à noite eu faria ws,microaula-show,corais,lan- “Zé era nosso amigo lá na Lapa, anos, Celso e eu temos mantido uma palestra e como fantasmas çamento de livros. No Salão foi em São Paulo. Na Viação Gato essa ligação. Agora, ele mora de uma gripe rondavam a at- anunciada pelo deputado Mar- Preto, da nossa família, os ôni- em Florianópolis. E de vez em mosfera, perguntei se havia celo Almeida, presidente da bus eram batizados com títulos quando ele se lembra daquele uma farmácia perto, queria Frente Parlamentar Mista de dos livros de Zé Mauro, e com padrinho perdido de vista. comprar própolis e aspirina Leitura, a criação do Fundo Se- nomes de mulheres.” Então me Quando terminei, o dono do com vitamina C. Automedica- torialdoLivroquedisponibiliza- lembrei de uns ônibus de cor Carimã estava de pé e havia lá- ção caseira, que o meu médico rá, anualmente, R$ 40 milhões laranja que ostentavam nomes grimas em seus olhos. “Sou Er- não condenaria. “Vitamina C? para projetos literários no Bra- como Meu Pé de Laranja Lima, minio Gatti”, ele me disse. “Cel- Aspirina? Serve uma Bayer ale- sil, entre eles a implantação de Rosinha, Minha Canoa, Confis- so era afilhado meu e de minha mã?”, perguntou Rogério. Res- bibliotecas e o patrocínio de pe- com um equipamento cultural go cultural e intelectual) estão sões de Frei Abóbora, Arara irmã Anita. Há anos não o ve- pondi que sim e, quando o vi, es- quenoscontadores dehistórias. que promova a democratiza- agindo, movimentando, fazen- Vermelha (que foi filme com mos, perdemos contato. Ago- tava ao celular, pedindo que o Marcelo tem percorrido o inte- ção do conhecimento. Espaços do. E eu que sempre reclamo Ana Maria Nabuco, uma loira ra, nos ligamos outra vez. Coi- motoboy do jornal viesse ao res- riorparanaenseprocurandoes- de 184 metros quadrados rece- da literatura esquecida! sensualíssima. Onde estará?) sa curiosa esta vida. Como ela taurante. Cinco minutos de- timular os prefeitos a criarem bem uma biblioteca com 2 mil O 2º Salão esteve lotado to- Súbito, me vieram imagens arma suas teias?” Em homena- pois, o jovem estava à nossa Planos Municipais de Leitura. livros inicialmente, aparelhos dos os dias. Fiquei emocionado familiares dos anos 70. Eu casa- gem ao reencontro, Erminio li- frenteerecebeu aincumbência: Por outro lado, num jantar, de áudio, vídeo e informática ao saber que, depois de ter fala- do com Bia, irmã de Regina gou para a cozinha e pediu car- “Vá ao Paraguai e me traga um a secretária de Cultura Vera para acessos à internet. Nada do para as crianças de manhã, Braga (essa mesma, a atriz de neiro com fusili. Um fusili feito frasco grande daquela aspirina Mussi, uma daquelas pessoas menosde 110municípios já abri- muitas levaram seus pais à noi- teatro e televisão, hoje mulher à velha maneira da Lapa, bair- alemãquemecomprounasema- com quem dá prazer conver- gam o projeto e até 2010 se che- te, para ouvir e perguntar. Vá- de Drauzio Varella), que por ro tradicional de italianos. na passada.” Virando-se para sar, revelou-me o projeto da Bi- gará ao número 200. Quer di- rias, por timidez, não tinham sua vez na época era casada Massa que dona Afra e seu Ju- mim, Rogério acrescentou: “É bliotecaCidadã, destinado a do- zer, apesar de tudo, aqui e ali, tido coragem de levantar a com o diretor teatral Celso Nu- lio aprovariam, tão delicada e tiro e queda!” Em cada lugar tar regiões carentes do Estado secretários de grande porte (di- mão. E queriam ouvir de novo. nes, uma das grandes revela- tenra estava. ● Música Choro: A felicidade inédita de ser artista O violonista alagoano Zé Barbeiro lança o primeiro CD – Segura A Bucha! – em apresentação única no Sesc Pompeia LEO GOLA/DIVULGAÇÃO Francisco Quinteiro Pires ele está lançando o primeiro dis- do ainda menino em Carapicuí- lhou por mais de 30 anos na pro- co – Segura A Bucha! – hoje, no ba,umacidadepaulista,JoséAu- fissão. Faz 12 anos abandonou o Zé Barbeiro está “passado”. Pe- Sesc Pompeia. É o resultado do gusto Roberto da Silva conhe- ofício para dedicar-se à música. laprimeiravez,sente “a felicida- mergulhona músicainstrumen- ceu o violão com a febre da Jo- Em 1971, num festival em de de ser um artista”. Um dos tal realizado no início dos anos vem Guarda. O contato com o Osasco, Zé Barbeiro recebeu violonistas mais importantes do 1970, quando largou o iê-iê-iê. samba e o choro se deu na bar- um conselho do violonista 7 cor- choro de São Paulo, ao 57 anos NascidoemAlagoaseradica- beariadopai.ZéBarbeirotraba- das João Macacão, que está lan- çandooCDSerestando.“Ele per- cebeu minha pegada rítmica boa para o choro e mandou se- guir esse caminho.” Autodidata, Zé Barbeiro comprou todos os discos em que Horondino José da Silva– o Dino 7 Cordas – toca- Transforme va. “O Dino me ensinou a impor- tância da firmeza rítmica, a dar o pé no chão para o cantor ou o a sua idéia em solista atuar”, diz. “Era dono de impressionante segurança no ritmo, as notas graves saíam to- uma grande notícia das precisas.” Além de apren- der de ouvido, comprou livros que o ensinaram a ler partitura. Arranjador do disco Divino Samba Meu, com o qual Dona Inah ganhou o prêmio TIM de Revelaçãoem2006,ZéBarbeiro diz que seu estilo é “bonachão”. “Adoro fazer presepada com o ZÉ BARBEIRO – Ele é autodidata e autor de mais de 110 composições ritmo.” Só contém a vontade de brincar, quando percebe que o gura A Bucha! reúne 14 dos mais ção com parceiro – o violonista cantor ou solista é tradicional. de 110 choros compostos por Zé Alessandro Penezzi – é Bafo de Resultado de premiação do Barbeiro, responsável pelos ar- Bode. Para gravar, chamou seus ProjetoPixinguinhade2008,Se- ranjos. No CD, a única composi- companheiros de “palhaçadas nos botecos”, que tocam com ele no Bar do Cidão e no Ó do Boro- godó, ambos na Vila Madalena. Para compor e arranjar, ele recorre às tecnologias. “Não sei escrever de uma vez os arran- jos.” Primeiro, ele cantarola a melodia e depois a registra no Encore, software para traba- lhar com partituras. Os floreios e harmonias, inventa no compu- tador. “E sempre para facilitar o Não perca o prazo. Inscrições até 29 de Junho. trabalho dos músicos.” Zé Bar- beiroacompanhaaevoluçãodos Tenha no seu currículo o nome da CNN International. violonistas 7 cordas – os contra- Participe do Concurso Universitário de Jornalismo com o pontistas de ontem vêm se tor- tema “O uso da tecnologia no desenvolvimento social”. Você nando os harmonizadores e ar- pode ter a sua matéria exibida na CNN International, além de ranjadores dos dias atuais. ● conhecer os estúdios do canal em Atlanta, Estados Unidos Serviço www.concursocnn.com.br ● Zé Barbeiro. Sesc Pompeia. Teatro (358 lug.). Rua Clélia, 93, tel. 3871-7700. Hoje, 21 h. De R$ 3 a R$ 12 Ouça trecho de Segura A Bucha em www.estadao.com.br/e/d14