By J.T. Moura Neto
8/4/2014
Para cada um de nós, seguramente
(estejamos preparados ou não), algum
dia, em algum momento, tudo chegará
ao fim...
Não haverá mais auroras, dias, horas, minutos e
segundos...
E todas as coisas que
juntamos, quer seja em
bens ou objetos, serão
armazenados, jogados
fora, esquecidos ou
repassados pa...
Nossa “riqueza”, “fama” e “poder” temporal vão
encolher até a irrelevância.
E nesse dia, não
importará o que
possuímos ou ...
As vitórias e derrotas, os ganhos e perdas que
uma vez pareceram tão importantes, irão
desaparecer... Sumir.
Nossos
rancor...
Não importa de
onde viemos
ou em que
“lado” da trilha
se viveu no
final.
Não importa se somos bonitos ou
feios, inteligentes ou estultos, brilhantes ou
ignotos, notáveis ou medíocres.
Até mesmo
sua
religião, cor
de
pele, estado
civil, condiçã
o
social, orient
ação sexual
ou
identidade
de
gênero, serã
Então, o que irá importar?
O que nos faz tão inolvidável diante do
ocaso?
O que nos impeli a não ser tão somente
apenas “m...
Será o que nós compramos (ou o que nós construímos?
Será o que conquistamos (ou a nossa disposição
em dar/se dar)?
Será nosso
sucesso (ou
o significado
deste)?
Será o que
aprendemos
(ou o que
ensinamos)?
Será a nossa competência (ou o nosso caráter)?
Será a quantidade de parentes, amigos e
pessoas que conhecemos (ou quantos ...
“São tantas emoções”... Mas creio que, o que deveria realmente
importar seria cada ato de compaixão, integridade, coragem ...
Afinal de contas, uma vida vivida de forma
significativa não deveria ser apenas uma
circunstância tanto quanto é a dedicaç...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sobre verdades absolutas

198 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sobre verdades absolutas

  1. 1. By J.T. Moura Neto 8/4/2014
  2. 2. Para cada um de nós, seguramente (estejamos preparados ou não), algum dia, em algum momento, tudo chegará ao fim...
  3. 3. Não haverá mais auroras, dias, horas, minutos e segundos...
  4. 4. E todas as coisas que juntamos, quer seja em bens ou objetos, serão armazenados, jogados fora, esquecidos ou repassados para outras...
  5. 5. Nossa “riqueza”, “fama” e “poder” temporal vão encolher até a irrelevância. E nesse dia, não importará o que possuímos ou o que devíamos;
  6. 6. As vitórias e derrotas, os ganhos e perdas que uma vez pareceram tão importantes, irão desaparecer... Sumir. Nossos rancores, mágoas, ressentimentos, frustrações, ciúmes e invejas, finalmente desaparecerão. Assim como nossas esperanças, ambições, planos e agendas irão literalmente expirar.
  7. 7. Não importa de onde viemos ou em que “lado” da trilha se viveu no final.
  8. 8. Não importa se somos bonitos ou feios, inteligentes ou estultos, brilhantes ou ignotos, notáveis ou medíocres.
  9. 9. Até mesmo sua religião, cor de pele, estado civil, condiçã o social, orient ação sexual ou identidade de gênero, serã
  10. 10. Então, o que irá importar? O que nos faz tão inolvidável diante do ocaso? O que nos impeli a não ser tão somente apenas “mais um na grande multidão”? Como será medido o “valor” de nossos dias? O que realmente (nos) importa nessa vida?
  11. 11. Será o que nós compramos (ou o que nós construímos? Será o que conquistamos (ou a nossa disposição em dar/se dar)?
  12. 12. Será nosso sucesso (ou o significado deste)? Será o que aprendemos (ou o que ensinamos)?
  13. 13. Será a nossa competência (ou o nosso caráter)? Será a quantidade de parentes, amigos e pessoas que conhecemos (ou quantos sentirão uma perda duradoura quando nos formos)?
  14. 14. “São tantas emoções”... Mas creio que, o que deveria realmente importar seria cada ato de compaixão, integridade, coragem e sacrifício que enriquecem, fortalecem e incentivam outras pessoas a seguir um bom exemplo.
  15. 15. Afinal de contas, uma vida vivida de forma significativa não deveria ser apenas uma circunstância tanto quanto é a dedicação “infalível” (?) de nossas escolhas. By Moura Neto

×