Geografia do brasil populacao

410 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
410
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geografia do brasil populacao

  1. 1. Geografia do Brasil População Brasileira
  2. 2. Distribuição da População no Território Dados Gerais • População Absoluta: 186; • População Relativa: 20 hab/km²;
  3. 3. A população brasileira ocupa o território de modobastante irregular. A regra geral, no Brasil, é a diminuiçãoprogressiva da população absoluta e da densidadedemográfica, no sentido litoral-interior, isso ocorre por duasrazões fundamentais: • A condição do país como ex-colônia de exploração e a conseqüente dependência econômica criaram a necessidade de contato com o mundo exterior; • A concentração das principais atividades econômicas (agricultura, indústria) e da urbanização no setor oriental do país. • EX: Enquanto a densidade demográfica do Estado do Rio de Janeiro é de 314,4 hab/km², a de Roraima não atinge 1 hab./km².
  4. 4. Indicadores Demográficos
  5. 5. Indicadores Sociais
  6. 6. Outros Indicadores Brasileiros• IDH: o Índice de Desenvolvimento Humano é uma medida comparativa de riqueza, alfabetização, educação, esperança de vida, natalidade e outros fatores para os diversos países do mundo. É uma maneira padronizada de avaliação e medida do bem-estar de uma população, especialmente bem- estar infantil. Ex: Brasil. 0.800 (elevado desenvolvimento humano) High Medium Low ██ 0.950 and ██ 0.750– ██ 0.450– over 0.799 0.499 ██ 0.900–0.949 ██ 0.700– ██ 0.400– ██ 0.850–0.899 0.749 0.449 ██ 0.800–0.849 ██ 0.650– ██ 0.350– 0.699 0.399 ██ 0.600– ██ under 0.649 0.350 ██ 0.550– ██ not 0.599 available ██ 0.500– 0.549
  7. 7. Coeficiente de Gini• Coeficiente de Gini: é comumente utilizada para calcular a desigualdade de distribuição de renda, mas pode ser usada para qualquer distribuição. Ele consiste em um número entre 0 e 1, onde 0 corresponde à completa igualdade de renda e 1 corresponde à completa desigualdade. Ex: Brasil. 0,528
  8. 8. Distribuição por Gênero Causas Principais:∙Expectativa de vida da Mulher é maior;∙Os homens sofrem mais com as mortes não naturais, especialmente, dos 15aos 30 anos;
  9. 9. Composição Etária Principais causas:∙Redução da Taxa de Natalidade;∙Aumento da Expectativa de vida.
  10. 10. Distribuição Urbana/Rural
  11. 11. Pirâmides Etárias1980 1990
  12. 12. 2000 2010
  13. 13. 2050
  14. 14. Transição Demográfica Brasileira• Primeira Fase: caracterizada por elevadas taxas de natalidade, mas com taxas mortalidade ainda mais altas, originando baixo crescimento populacional, Brasil saiu dessa fase no inicio do século XX;• Segunda Fase: caracterizada por elevadas taxas de natalidade e declínio das taxas de mortalidade, gerando elevado crescimento populacional, seu auge foi na década de 50;• Terceira Fase: caracterizada por baixas taxas de natalidade e de mortalidade, gerando baixíssimo crescimento populacional, estagnação e até mesmo taxas negativas de crescimento.
  15. 15. População Economicamente Ativa - PEA• Para o IBGE, a população em idade ativa é composta de uma parte economicamente ativa e de outra inativa. A PEA, compreende todas as pessoas com 10 ano ou mais de idade, abrangendo os empregados e empregadores, os trabalhadores autônomos, os que estão temporariamente desempregados e os que estão procurando emprego.• População ocupada é a parcela que exerce atividade remunerada;• A PEI – População Economicamente Inativa – é formada, principalmente, por aposentados, donas de casa, estudantes, inválidos e crianças
  16. 16. População Ocupada Fenômenos Associados∙Terciarização e Terceirização;∙Subemprego.
  17. 17. Bibliografia• Ross, Jurandyr; Geografia do Brasil, Ed. Edusp, 2000;• Vestibulando Digital; Cultura.• Coelho, Marcos de Amorim, Geografia do Brasil;Ed Moderna, 1998.

×