Trabalhoapresentado a disciplina de LiteraturaSob orientação das professorasMarilzaNunes A. Nascimentoe Maria AparecidaCri...
Fernando Pessoa e Heterônimos<br />
Fernando Pessoa  foi o principal destaque do movimento Modernista em Portugal, que teve inicio no comesso do século XX, nu...
Alberto Caeiro<br />Com umaformaçãoeducacional simples (apenas o primário), esteheterônimofaziapoesias de forma simples, d...
O meuolharazulcomo o céu<br />
O meu olhar azul como o céu<br />É calmo como a água ao sol.<br />É assim, azul e calmo,<br />Porque não interroga nem se ...
Se eu interrogasse e me espantasse<br />Não nasciam flores novas nos prados<br />Nem mudaria qualquer cousa no sol de modo...
Mesmo se nascessem flores novas no pradoE se o sol mudasse para mais belo,Eu sentiria menos flores no pradoE achava mais f...
O meu olhar sobre as coisas<br />Baseado na obra O meu olhar azul comoo céu, de Alberto Caeiro.  <br />
O meu o olhar sobre as coisas<br />não interroga nem se espanta<br />Pois sei que as coisas são como são independente de c...
A unica coisa que temo<br />é que elas deixem de ser assim<br />Por isso mesmo procuro não pensar assim.<br />
Produzido pelos alunos Flávio Barros e Iarado 3ºEnsino Médio da Escola Estadual Dr.Martinho Marques<br />Taquarussu-2011<b...
“Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa:‘Navegar é preciso; viver não é preciso.’Quero para mim o espírito dessa fr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Flavio,iara (2)

318 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
318
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Flavio,iara (2)

  1. 1. Trabalhoapresentado a disciplina de LiteraturaSob orientação das professorasMarilzaNunes A. Nascimentoe Maria AparecidaCrivele<br />
  2. 2. Fernando Pessoa e Heterônimos<br />
  3. 3. Fernando Pessoa foi o principal destaque do movimento Modernista em Portugal, que teve inicio no comesso do século XX, num momento histórico marcado pela revolução industrial, e pela Primeira Guerra Mundial.<br />Em sua obra Fernando pessoa assumiu vários Heterônimos entre os quais os principais foram:Alvares de Campo,Bernado Reis e Alberto Caeiro, do qual iremos comentar.<br />
  4. 4. Alberto Caeiro<br />Com umaformaçãoeducacional simples (apenas o primário), esteheterônimofaziapoesias de forma simples, direta e concreta. SuasobrasestãoreunidasemPoemasCompletos de Alberto Caeiro. Veremos a seguiruma de suasobras.<br />
  5. 5. O meuolharazulcomo o céu<br />
  6. 6. O meu olhar azul como o céu<br />É calmo como a água ao sol.<br />É assim, azul e calmo,<br />Porque não interroga nem se espanta...<br />
  7. 7. Se eu interrogasse e me espantasse<br />Não nasciam flores novas nos prados<br />Nem mudaria qualquer cousa no sol de modo a ele ficar mais belo.<br />
  8. 8. Mesmo se nascessem flores novas no pradoE se o sol mudasse para mais belo,Eu sentiria menos flores no pradoE achava mais feio o sol...Porque tudo é como é e assim é que é,E eu aceito, e nem agradeço.Para não parecer que penso nisso...<br />
  9. 9. O meu olhar sobre as coisas<br />Baseado na obra O meu olhar azul comoo céu, de Alberto Caeiro. <br />
  10. 10. O meu o olhar sobre as coisas<br />não interroga nem se espanta<br />Pois sei que as coisas são como são independente de como as vejo.<br />
  11. 11. A unica coisa que temo<br />é que elas deixem de ser assim<br />Por isso mesmo procuro não pensar assim.<br />
  12. 12. Produzido pelos alunos Flávio Barros e Iarado 3ºEnsino Médio da Escola Estadual Dr.Martinho Marques<br />Taquarussu-2011<br />
  13. 13. “Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa:‘Navegar é preciso; viver não é preciso.’Quero para mim o espírito dessa frase, transformada a forma de casar com o que sou:Viver não é necessário; o que é necessário é criar.”Palavras de Pórticos, Fernando Pessoa<br />

×