Fec

265 visualizações

Publicada em

Slide da disciplina FEC

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
265
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fec

  1. 1. GT3 – Big Data, Estrutura de Dados e Algoritmos. Henrik Cruz Maicson Gabriel João Pedro
  2. 2. Aplicações que usam Big Data e Estrutura de Dados Maicson Gabriel
  3. 3. Porque usar Big Data? Não existem redes homogêneas e informações podem definir o futuro de uma empresa, pesquisas para definir que publico tende a comprar seus serviços e acionistas podendo especular que ações vão se valorizar, ter a possibilidade de retirar informações uteis em grandes volumes de dados .
  4. 4. Quem usa Big Data ?  Facebook.  IBM.  Governos.  Acionistas.  Marketing.
  5. 5. Aplicações que usam Big Data.  Power System. Se trata de uma aplicação criada pela IBM para coletar e processar dados heterogêneos capturados.  Microsoft Azure. Aplicação da MS para computação em nuvem, oferece suporte a Big Data  Porto Seguro. Aplicação para oferecer descontos aos segurados durante a renovação do seguro, verificado se o condutor respeita regras de transito.  Chef Watson with Bon Appetit.  Aplicação gastronômica que consulta seu banco de dados para criar novas receitas.
  6. 6. Estrutura de dados e Big Data. Para efetuar otimização e verificação de grande volume de dados, é necessário armazenar e capturar informações desse modo, para estruturas genéricas que podem ter qualquer tipo ou mesmos tipo usamos conceitos de estrutura de dados.
  7. 7. Estrutura de dados.  Ponteiros  Listas  Fila/Pilha  Arvores
  8. 8. Ponteiros.  Ponteiros : Se trata de uma estrutura que aponta para um espaço de memoria, ou seja aponta para um endereço e não para seu conteúdo, ponteiros podem ser tipados ou não.
  9. 9. Listas.  Encadeadas : Listas encadeadas são listas sequenciais onde existe somente o conceito de inicio da lista e cada registro aponta para o próximo registro.  Duplamente encadeada : Mesmo conceito que a anterior, porem existe um ponteiro a mais que aponta para seu antecessor.
  10. 10. Fila e Pilha.  Pilha : Se trata de uma lista encadeada que possui restrições de como são inseridos os item, em uma pilha os registros só podem ser retirados e inseridos por meio do topo(LIFO).  Fila: Adota o mesmo conceito que a pilha em termos de ser uma lista encadeada, porem possui o conteito de inicio e fim, onde os intens só podem ser retirados no inicio da fila e só podem ser inseridos no fim(FIFO).
  11. 11. Arvores.  Arvore: Estrutura de dados que possui hierarquia, como uma arvore genealógica, onde os dados são armazenados de modo que possa facilitar a pesquisa de dados e seu armazenamento, amplamente usado em arquivos como o ‘EXPLORER’ do Windows.  Arvore Binária: Conceito Similar a anterior, porem possui restrições quanto ao número de filhos que podem ser no máximo de dois.
  12. 12. Recursividade
  13. 13.  Método de programação no qual a função pode chamar a si mesma;  Serve para simplificar o código;  Um método comum de simplificação é dividir o problema em subproblemas do mesmo tipo  Dividir pra conquistar;
  14. 14.  Exemplo:
  15. 15. Sintaxe de algoritmos
  16. 16. Variáveis  As variáveis não precisam ser declaradas, vão aparecendo ao longo do código;  Ponteiros:  Ponteiros receberão uma declaração diferenciada, para destacar das demais:  ^pt - variável do tipo ponteiro (armazena um endereço de memória);  [^pt] - acesso ao conteúdo no endereço que ^pt armazena;  $var - endereço da variável var.
  17. 17. Operadores  Matemáticos:
  18. 18. Operadores  Lógicos:
  19. 19. Operadores  Relacionais:
  20. 20. Métodos de ordenação
  21. 21. Bubble Sort (Método da Bolha)  Bubble sort (ou método da bolha) é o algoritmo mais simples, mas o menos eficientes. Neste algoritmo cada elemento da posição i será comparado com o elemento da posição i + 1, ou seja, um elemento da posição 2 será comparado com o elemento da posição 3. Caso o elemento da posição 2 for maior que o da posição 3, eles trocam de lugar e assim sucessivamente. Por causa dessa forma de execução, o vetor terá que ser percorrido quantas vezes que for necessária, tornando o algoritmo ineficiente para listas muito grandes.
  22. 22.  Exemplo:
  23. 23. Insertion Sort  O Insertion sort é um algoritmo simples e eficiente quando aplicado em pequenas listas. Neste algoritmo a lista é percorrida da esquerda para a direita, à medida que avança vai deixando os elementos mais à esquerda ordenados.
  24. 24.  Exemplo:
  25. 25. Quick Sort  O Quicksort é o algoritmo mais eficiente na ordenação por comparação. Nele se escolhe um elemento chamado de pivô, a partir disto é organizada a lista para que todos os números anteriores a ele sejam menores que ele, e todos os números posteriores a ele sejam maiores que ele. Ao final desse processo o número pivô já está em sua posição final. Os dois grupos desordenados recursivamente sofreram o mesmo processo até que a lista esteja ordenada.
  26. 26.  Exemplo:
  27. 27. 3 V’s  Velocidade  Volume  Variedade
  28. 28. Dados Implícitos
  29. 29. Dados Explícitos Pesquisas de opinião/satisfação
  30. 30. Curtidas em publicações ou perfis Formulários de sugestão
  31. 31. Coleta de Informações Coleta automática
  32. 32. Saída: Publicidade
  33. 33. Clientes que compraram este produto também compraram este. Sugestão de preenchimento automático

×