The Walking Dead Historia em Quadrinhos 02

647 visualizações

Publicada em

Em um futuro nada distante, o policial Rick, após ser baleado durante uma abordagem, acorda do coma em um hospital.
Não leva muito tempo para Rick descobrir que tem algo errado, o hospital estava deserto, depois de vagar um pouco, nota que, o hospital NÃO estava deserto, e sim cheio de ZUMBIS.

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
647
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
173
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

The Walking Dead Historia em Quadrinhos 02

  1. 1. image 2 | §| 55?. ? IATURE READERS
  2. 2. Â v1 w# " ' E À ln ? uz Ri, lí_ É [É nas: : A " r“”w* #RJNET E E "h"wr= E.ÍE«-s . . »' a _à l m ii _Hff , lll «i 9 . I» f: V' u_ V' E E f' À ~ ' I' *af H an¡ 'Hanna-Q l 21m_ "V" , I' II_ E ' N : aq: LE" __ n: ;à ". _,. ^*: .__ _Çj_ #JL 'n34' _ __ ROBERT HRKMAN ; mr Criador e escritor g1 s: : u¡ n *E BTEãPçEoÊLaSUQN E? TONY MOÔRÉ ALLYONORAARDAYS E E Artista l . 'ti FoR A BRETT EVANS A II : L'Ç, ^U§QELFFN““° ART DIRECTOR 'É ' ÍÍ a ERIC STEPHENSON ALLEN HUI E . III #ü DIRECTOR OF MARKETING WEB DEVELOPEFI n ” BRENT BRUAN Â DIRECTOR OF PRODUCTION 'WM HEG^RTY o ¡ soon TRADE COORDINATOR "I x: zãcTcFtlOELAElR/ ÉOREIGN LICENSING n '› CINDIE ESPINOZA Farsa-EW- ACCOLNTING ASSISTANT »ml . "_ H *É* JoN MAuN E T ' l, [f r 'I 'F3 n _a . PRODUCTION ASSITANT . A " . . tanga-s. _ rs_ D a í p ¡ rf u l T, _r$g›. ¡. e » . T T Í ruin - , .à J” _ EM à: : ¡ IL n «Tíavxq I - IE. . .; ñ [Wu ' '1 E' 'ü'- ¡ '- ' - ~ -' ' "-~'--" a p-_; g-w' THE WALKING DEAD VOL. l 552. NOVEMBER 2003. FIRST PRINTING. PUBUSHED BY IMAGE COMICS. OFFICE OF PUBLICATION: ¡O7! N. BATAVIA ST. , SUITE A. ORANGE, CA 92867. IMAGE AND ITS LOGOS ARE ® AND © 2003, IMAGE COMICS, INC. ALI. RIGHTS RESERVED. THE WALKING DEAD, ITS LOGOS AND ALL RELATED CHARAC- TERS ARE "^ AND © 2003, ROBERT KIRKMAN. ALL RIGHTS RESERVED. THE CHARACTERS AND EVENTS PRESENTED IN THIS PUBLICATION ARE FICTIONAL. ANY SINILARITIES TO EVENTS OR PERSONS LIVING OR DEAD IS PLBELY COIN- CIDENTAL. NITH THE EXCBVTION OF ARTWORK USED FOR REVIEW PLRPOSES, NO PORTION OF THIS PUBLICATION MAY BE REPRODUCED BY ANY MEANS WITHOUT THE EXPRESSED WRITTEN PERMISSION OF THE COPYRIGHT HOI_DER. PRINTED IN USA.
  3. 3. rain/ QM” ' . ._. _ = = . . «u t. ml/ %wz%T~. _T _ J _ . vqvvu', .. r b' t. ; ; . _ ~ g_ 7
  4. 4. ._ '_. .~^ - dçtçplfaxl_ 4-¡ _, - J Y gr~: r~_. __Í'j 13H ' . fl '
  5. 5. LEÉQET_ . .tz T T _ , 'T , l __. 'JT I . .' ' ' . g ' . - " t v , A u_ . _-. ..~: =¡'r"¡. '.; ›,. == - 1-_ , T_ , I T_ , ctá_d~ , í . E ›_T^: .-__«Í « I E 7 V _ . , I T r , _T _ V* T_ . 'v v v. , ; t¡ A . . T a_ > T¡ 1 EL ' 6'¡ ' z . ê : v b › Í É . *L É? _z É T: T 1 I - T T' TJ _k _ , . _ m › . . . T _V V_ T '. T. r t . ' . ' _» T** _ . ,. . .LT ' I “ 5 , Ã . A e: T_ . n . ' r . I .9- L1*
  6. 6. UBAR. só QUERO GASOLINA. .. . .m m m m m m NÂO ESTOU AQUI
  7. 7. _; $."/ _ W: 4'_ V ~ T e 3.. , L'›~'-›“ › 71/¡ b"" 44W” t". ' - ' ^ 'Ã "J »- , , - 4 . ' T
  8. 8. C LA RO QUE POSSO ACEITAR SUA AJUDA. .. SE QUISER ME DAR ES- TOU TENTANDO CHE- w! I CAR EM AnANTA. PARA VER MINHA 4 DEIXARAM VOCE AQUI, ESTEVE EM_ o AJIANTA. ? NAO E TAO LONGE IMPORTA SE EU PEGAR ISSO? ACHO_ QUE PÇDERA PRONTA, GAROTA?
  9. 9. CALMA, GAROTA! sEI QUE EsTEvE EN FURNADA POR UM BOM TEMPO, MAS ASSIM IRA SE ESGOTAR LOGO. 1'¡ i! . k ' S'. _ ú : mrúxftí _ , _. E_ 1 . JJ" . .. . Il O XÉW/ mm” ' I“' a T SEU NOME? AssIM E ME_ LHOR. . NAO QUERO OUE
  10. 10. SABE, E UMA BOA IDEIA. FA- LAR SOBRE O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA CERTAMEN- TE IRA AFASTARA MINHA MENTE DESSA MERDA TO- , , DA POR QUE TO PAS- 7 SANDO. . A LEVEI PRO HOSPITAL SEM EMPECI- LHOS. UMA DAS POUCAS VEZES QUE USEI A SIRENE. .. ERA UMA PEQUENA CIDADE, A QUE VIVIAMOS. T ERA A MINHA ESPOSA O T LORI, SUA BOLSA-DAGUA HAVIA ROMPIDO DEZ MINUTOS DEPOIS QUE SAI. PEGUEI O CASACO E CORRI PARA CASA. PE- DI AO GILROY CHAMAR O DR. STEVENS PARA . O . T QUE NOS ENCON_ _~__ T “ _ SEGUREI A MAO DELA O TEM_ PO TODO. HOwE COM_ PLICACOES. .. E TIVERAM QUE FAZER UMA CESA_ RIA. FIQUEI BASTANTE PREOCUPADO. .. MAS OCORREU TUDO TINHA ACABADO DE CHEGAR No TRABA; LHO NAQUELA MANHA. ESTAVA RELAxANDO BEBEN_ DO MEU SEGUNDO COPO DE CAFE DO DIA. GILROY ESTAyA ME CONTANDO SOBRE O BE- o BADO QUE HAVIA PRENDIDO T T NA NOITE ANTERIOR. .. T -T AI, RECEBI A CHAMADA. A PRIMEIRA VEZ QUE OLH EI PENSANDO MELHOR. . SOBREOSBONS - TEMPOSAPENAS E' T. FEZTUDOISSO PARECERMUITO ~ T T
  11. 11. 'Q3373' lah). 'u'
  12. 12. VAMOS. GAROTA. .. . VAMOS SAIR DESSE INFERNO! ' a MERDA. 'P ' E MERDA. l .
  13. 13. OV a . m. « . ai. a s. a V . _. . . . ,.. +.. .r En.
  14. 14. S . 4 . . _. . x . .. , p. . z . . . , . e f . v: . ( L f. . . . t. : à. . 4 . f . . _rfxrf . . ás. , < lili Êuí. . 7 -. ;x44 _¡. ~.¡-›
  15. 15. DE usAR ESSA 5 ” ARMA! - " TEREMOS TODAA q- DADE AIRAS . DENOS! .
  16. 16. NÃO SE PREOCUPE coM ELES. ESTAREMOS . * BEM LONGE ANTES DELES ÇHEGAREM : À *7 - TENTANDO - ; SALvARA »PEV SUAVIDA! '/ !na OOuETA T- ESPERAN- ; Rã DO? 'A v' TANTOS )UN TOS.
  17. 17. NAOHA NADA IA A EMBAIXO. .. VOCE DEU UM POUCO MAIS DE CINQUENTA ~- PASSOS NA CIDADE - ANTES DELES TE ATACAREAI. .. NAO DEvIA ESTAR ' VEN HA. DEVEMOS CORRER. TEM DE V OUÇA. .. E FACIL. . FAÇO ISSO pL/ LAR_ O TEMPO TODO. QUANDO_ UBIMOS NO TELHADO DOJÉDIFICIO, AQUEIAS COISAS ESTAR/ XO NOS ESPERANDO NQTERREO DESSE AI MESMO, E NAO HA SALDA. TODOS OS EDIFICIOS ESTAO - . CHEIO DE ZUMBIS. SEM CHANCE.
  18. 18. DEVERIA TER ARREMES- SADO A INIOCHl- IA PRIMEIRO! TEMOS DE NAO ESTAMOSSEOUROS AINDA. .. NOS APRESSAR MAS ESSES EDIFICIOS SAO OS MAIS ANTES OUE ELES PERTOS DA FLORESTA DA CIDADE SE DISPERSEM DE NOVO. TEMOS DE CORRER UM OUARTEIRAO ANTES DE CHEGARA ELA. , E IREMOS TRATAR COM ALGUMAS DAOUELAS COISAS NO CAMINHO. SE CONH- NUARMOS NOS_ MOVEN DO. .. ELES NAO SERAO CAPAZES DE NOS CERCAR OUAN DO DESCERMOS, PRE- PARE-SE PARA CORRER. NAO SE PREOCUPE. NAO IREMOS MUITO AGORA QUE ME DIZ ISSO? AOUELAS COISAS SAO LENTAS CQMO O DIABO, ENTAO PODE-SE LOCOMOvER ENTRE ELES. NAQ USA A ARMA. .. E NAO OS DEIXE TOCA~LO. UMA MORDIDA E ACABOU-SE
  19. 19. V A PARTIR DESSE PONTO PRECISAMOS TER MAxIMO CUIDADO. l ESTAMOS PERTO. MANTER OS OLHOS ABERTOS, CARA. ON DE _ESTEVE NQ ULTIMO MES? Ç. _SÍ___. _. 'I I I ã: i; t. O E.
  20. 20. I TENTAvAM NOS COMER. ACORDEI NO HOSPITAL NAO PODE-SE MAIS ENTRAR NAS CIDADES. .. TODOS_OUE LA VIVEM ESTAO MORTOS. O GOVERNO _ TENTOUJUNTAR '- TODO MUNDO NAS CIDA- DES, POIS SERIA MAIS FACIL PROTEG E-IAS. TUDO O QUE FIZERAM FOI POR TODA A COMIDA NUM UNICO LUGAR. TODA vEz OUE AOUEIAS COISAS MATA UM DE NOS, ELA SE TORNA IISêII IB' IIIIII DEPOJS _ DISSO. .. NAO SA_- BEMOS. NINGUEM ENTRA OU SAI. TEM FAMILIA AQUI. ? UM DELES. LEVOU APENAS UMA , . SEMANA PARA QUE TODOS . NA CIDADE FOSSEM MORTOS. b" O OUE DISSE MAIS CEDO SOBRE A, CIDADE. .. OUE E PERIGOSA. ONDE ESTAO AS PESSOAS OUE v_IvIAM IMI
  21. 21. CARA. .. PENA QUE TENHA DE OUVIR DESSA W', r f z ' . I u 1'. ; N Í ' JV' fa* '= _ _ : - ç A ~ ' SINTO MUITO, NOS. .. NOS SOMOS DE KENTUCKY. .. MAS QUANDO ME DISSERAM QUE AS PESSOAS FORAM MANDADAS PARA AS CIDADES GRANDES, EU ACHEI QUE MINHA ESPOSA TERIA TRAGO MEU FILHO PARA A CA- SA DOS PAIS DELA. .. AQUI EM ATTANTA. .. TALvEz NAO vIERAM. .. MAS EU NAO SEI ONDE MAIS ELES PODEM ESTAR. NÃO PERCA AS ESPERAN- CAS, CARA. .. JA vI TODO O TIPO DE PESSOAS OUE SO- 5m BREVIVERAM A ALGUMA ' MERDA. qgçNMTgy IEâSVEÉMFIãÍÀIS , x v -. ^ PESSOAS IA. TEMOS UM CARA NO ACAM- PAM EN TO QUE SAIU DE ATLAN- TA MESMO. ..
  22. 22. .›. __ , _.›. _._ - F _ 11?") -çv --r. C,. .“_ , .. _¡. <'_ç-› m, SIM. .. TEMOS ALGUNS CARROS COMO à? õ^frím“cêà^? ê°ifrfá OSORIO VIL-. TÃÊESSRIEãâêãüisããñããíãâmas ENTRAR EM ÔMNTAT ESTAO APENAS OUE SE FICARMOS PERTO DA CIDADE COMO VOCE' N^° PV' ACAM PAN DO PODEREMOS SER FACILMENTE ENCON- DEMOS ENTRAR, ENTAO LEVANTAMOS ACAMPA- AQUI? E SE- TRADOS OUAN DO O GOVERNO í . A . q. .I -a > (I . I / Í › ” . l. F ' fíxII um' _MÚMII ! Mm/ fm . I' ' ' , I IWILI' “LEI, 'ÍIí. I_'Í, ~/Í< ' I HI . .í I II/ /I II "Ill. É; f . j
  23. 23. à ; LIT/ I 7 ° l 'I-sI/ «r ' l. *f- ã_ m', _ J . II. Ê . E Í
  24. 24. aq. ? . giga _. __ v . É . D iv' '7 í _. A ? MENQQÊM-ãgãnãlf . m . um à: :

×