Maio 2016 - Integração e Validação Contínua

39 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada no encontro de maio pelo Rafael Alves

Publicada em: Software
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Maio 2016 - Integração e Validação Contínua

  1. 1. Ajudamos empresas a criar produtos digitais de sucesso
  2. 2. Integração e Validação Contínuas Grupo de Testers Carioca - 10/5
  3. 3. Quem sou eu? Rafael Alves: - Engenharia da Computação pelo IME - Cansado da teoria, quer ver a prática - QA da Concrete Solutions.
  4. 4. Introdução Problema: “Só falta integrar”
  5. 5. Introdução “Você quebrou o build!”
  6. 6. Integração Contínua
  7. 7. Integração Contínua - o que é? “Prática de desenvolvimento de software na qual os membros de um time integram seu trabalho frequentemente. Cada pessoa integra pelo menos diariamente, podendo haver múltiplas integrações em um dia” - Martin Fowler
  8. 8. Integração Contínua: Visão Geral
  9. 9. Considerações - Build a cada mudança no versionamento - Peça chave de qualidade - Automação de processos - Esforço maior no começo - Menor esforço com o tempo - Menos dor de cabeça com integração no futuro
  10. 10. Por que fazer? - Reduzir riscos - Defeitos encontrados mais cedo - Saúde do software mensurado - Evita o “funcionava na minha máquina" - Reduzir processos manuais repetitivos - Diminui desgaste - Permite foco em atividades de maior valor
  11. 11. Por que fazer? - Gerar deploy a qualquer hora/lugar - Build completo e deploy a qualquer momento - Mais benefício para o cliente - Aumenta a visibilidade do projeto pelo time - Informações gerenciais (métricas) - Tomadas de decisões efetivas - Aumento da confiança do time - Compilações, testes e integrações a cada mudança.
  12. 12. O que precisa? - Conexão com um repositório de controle de versão; - Script de build; - Mecanismo de feedback; - Processo para integrar as mudanças no código fonte (CI server)
  13. 13. Fonte: Continuous Integration Integração Contínua: esquema
  14. 14. Como o CI pode ajudar? A resposta é... E a especificação por exemplo?
  15. 15. Validação Contínua + Especificação por Exemplo
  16. 16. Validação contínua: O que é? “Certificação de que o sistema atende às necessidades e expectativas do cliente, continuamente”
  17. 17. Especificação por exemplo: o que é? "Abordagem colaborativa de definição de requisistos e testes funcionais por meio de exemplos realistas ao invés de declarações abstratas."
  18. 18. Ferramentas “Soluções Concretas”
  19. 19. Servidor de CI: Jenkins
  20. 20. Servidor de CI: Jenkins - Antigo Hudson - Fácil de instalar - java -jar jenkins.war - Fácil de configurar – Web GUI amigável - Sistema de plugins flexível - Plugin fácil de extender - Builds distribuídos
  21. 21. Servidor de CI: outros
  22. 22. Feedback: CC Menu
  23. 23. Ferramentas: CC Menu
  24. 24. Sugestão de Leitura - Continous Integration (Paul Duvall)
  25. 25. Feedback: outros CCTray (Windows) BuildNotify
  26. 26. Sugestão de Leitura - Specification by Example (Gojko Adzic)
  27. 27. Fim!
  28. 28. Agradecimentos - Grupo de Testes Carioca - Wagner Guimarães (UX da Concrete) - Time de QA da Concrete - Carol Almeida (Comunicação da Concrete)
  29. 29. www.concretesolutions.com.br blog.concretesolutions.com.br Rio de Janeiro – Rua São José, 90 – cj. 2121 Centro – (21) 2240-2030 São Paulo - Rua Sansão Alves dos Santos, 433 4º andar - Brooklin - (11) 4119-0449

×