Emigrar na meia idade é aconselhável

280 visualizações

Publicada em

Existe Uma Idade Própria Ou Mais Aconselhável Para Emigrar?
Muito se fala dos jovens que todos os dias, deixam o seu pais em busca de novos horizontes além fronteiras. Ao mesmo tempo que muito se tem esquecido de outros, que embora sendo menos jovens, sentem também a necessidade de fazerem o mesmo. Talvez os números sejam menores, mais o drama é o mesmo.

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Emigrar na meia idade é aconselhável

  1. 1. PARA EMIGRAR
  2. 2. • Na avaliação dos prós e contras, tenha em atenção que a emigração de hoje, é bem diferente da que emigração acontecia nos anos 60, 70, 80 e até da mais recente década dos 90. • Actualmente, graças as circunstâncias de um mundo mais globalizado e com grande parte dele em crise, o cenário do fenómeno emigração mudou e muito. Hoje existem, novos riscos bem como se estão formando novas ameaças. • Não digo isso para o assustar ou desmotivar. Mas como emigrante de meia idade que sou, vivendo e estando atento a realidade da emigração actual, digo isso no sentido de se preparar a vários níveis e evitar que tome esta decisão de animo leve. Pois hoje não basta arrumar as malas e tentar a sorte. Há que se preparar devidamente. Mas como em tudo na vida – principalmente nas grandes decisões que envolvem outras pessoas nomeadamente a família – terá que medir os prós e os contra de uma mudança quase radical. E se no final das contas concluir que os prós são em maior número que os contra, esqueça a idade e foque-se na prespetiva de futuro.
  3. 3. Emigrar hoje em dia requer preparação e, acima de tudo, muitos cuidados
  4. 4. Mas a minha opinião tem como base a minha condição emigrante e é que: pondere muito bem se já equacionou todas as soluções possíveis para o seu problema no seu próprio país. Pois o meu conselho não é: se puder emigre! Mas sim: se puder não emigre!

×