Censos2011 r definitivos

787 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
787
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Censos2011 r definitivos

  1. 1. « Resultados definitivos « Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 «
  2. 2. Temas em Análise«  População  Família  Parque Habitacional « « 1
  3. 3. População «« 2
  4. 4. População ResidenteÀ data do momento censitário – 21 de Março de 2011 10 562 178 Pessoas 5 046 600 homens 5 515 578 mulheres « « 3
  5. 5. O crescimento da população verificado na última década foi suportado principalmente pelo saldo migratórioCrescimento populacional de 2% (206 061pessoas) saldo migratório 188 652 pessoas saldo natural de 17 409 pessoas « « 4
  6. 6. Algarve é a região do país que registou o maior crescimento populacional Variação da População residente em Portugal e NUTS II, 2001- 2011CresceAlgarve + 14% RAM 9,3Lisboa + 6% RAA 2,1RA Madeira + 9% Algarve 14,1RA Açores + 2% Alentejo -2,5Manteve Lisboa 6,0Norte Centro -0,9 Norte 0,1DiminuiAlentejo - 2.5% PT 2,0Centro - 1% -10 0 10 20 (%) « 5
  7. 7. Variação da população residente, por município, 2001-2011Risco dedesertificaçãono interior do paísaumentou na últimadécada 50% da população Frequências concentra-se em 33 NU TS III municípios Em 2011, 198 municípios perderam 14 51 52 72 59 60 população (171 em 2001) P er ce n ta g e m [18 ; 4 5 ] [5 ; 1 8 [ [0 ; 5 [ [-6 ; 0 [ [-1 1 ; -6 [ 0 70 Km [-2 3 ; -1 1 [ NU TS III « 6
  8. 8. Municípios de Santa Cruz, Mafra, Alcochete, Sesimbra e Montijo crescem mais de 30% Variação da população residente 2001-2011 por município: os 10 mais e os 10 menos Porto Santo 22,6 Portimão 24,1 Benavente 24,8 Arruda dos Vinhos 29,4 Albufeira 29,4 Montijo 30,8 Sesimbra 31,8 Alcochete 35,0 Mafra 41,1 Santa Cruz 44,7 Figueiró dos Vinhos -16,1 Manteigas -16,2 Mértola -16,5Carrazeda de Ansiães -16,6 Alijó -16,6 Meda -16,6 Idanha-a-Nova -16,7 Montalegre -17,4 Mourão -17,6 Alcoutim -22,6 -30 -20 -10 0 10 20 30 40 50 (%) 7
  9. 9. Na última década, o ranking dos 10 municípios mais populosos alterou-se ligeiramente População residente nos 10 municípios mais populosos, 2011 Lisboa 547 733 Os municípios de Cascais (35 796 Sintra 377 835 pessoas), Braga (17 V.N.Gaia 302 295 302) e Sintra (14 086) registaram os maiores Porto 237 591 crescimentos Cascais absolutos 206 479 Loures 205 054 Porto (25 540 Braga 181 494 pessoas), Lisboa (16 924) e Amadora (736) Matosinhos 175 478 perderam população face a 2001 Amadora 175 136 Almada 174 030 0 100000 200000 300000 400000 500000 600000 Indivíduos « 8
  10. 10. Acentuaram-se os desequilíbrios da estrutura etária da população Jovens (0-14anos) 1 572 329 Idosos (65 ou mais) 2 010 064 Estrutura etária da população residente, por sexo, 2001 e 2011 Entre 2001 e 2011, a (anos) 100 ou + percentagem de Homens Mulheres 95 -99 jovens recuou de 16% 90 -94 para 15%. A de idosos 85 -89 cresceu de 16% para 80 -84 75 -79 19% 70 -74 65 -69 Portugal perdeu 60 -64 população em todos os 55 -59 50 -54 grupos etários 2011 45 -49 quinquenais entre os 40 -44 2011:40,3 2011:43,2 2001 0-29 anos 35 -39 2001:38,1 2001:40,9 30 -34 Para idades de 70 ou 25 -29 20 -24 mais anos o 15 -19 crescimento foi da 10 -14 ordem dos 26% 5 -9 0 -4 15 12 9 6 3 0 3 6 9 12 15 (%) « 9
  11. 11. Idade média da população aumentou 3 anos numa década Idade média da população residente, por NUTS II, 2001 e 2011 (anos) Em 2011 a idade 45 44,6 média da população 43,8 44 é de 41,8 anos 43 42,1 A idade média das 42 41,8 mulheres é superior 41,0 41,2 à dos homens, 43,2 41 versus 40,3 anos 40 39,2 39 39,0 2011 38 PT 2011 37,3 PT2001 37 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 10
  12. 12. Índice de envelhecimento da população agravou-se Índice de Envelhecimento, por NUTS II, 2001 e 2011 Nos últimos 10 anos o 200 Índice de 180 178,0 envelhecimento da 163,4 160 população passou de 102 para 128 140 131,0 117,3 127,8 120 113,3 Alentejo é a região 102,2 mais envelhecida com 100 90,7 um índice de 178 80 73,3 60 As regiões autónomas 2011 são as únicas que 40 PT 2011 apresentam mais 20 PT2001 jovens que idosos 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 11
  13. 13. Nos últimos 10 anos diminuiu o índice de sustentabilidade potencial Índice de sustentabilidade potencial, por NUTS II, 2001 e 2011 6 5,3 Numa década, o número 5 4,6 de indivíduos em idade ativa, por cada individuo 4,0 4,1 4 idoso, diminuiu de 4,1 em 3,6 3,4 2001, para 3,5 em 2011 3,5 3 2,8 2,6 Alentejo, Centro e Algarve apresentam um 2 2011 índice abaixo da média PT 2011 nacional PT2001 1 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 12
  14. 14. População de nacionalidade estrangeira cresce quase 70% Nº de Estrangeiros 394 496 Principais nacionalidades da população estrangeira residente em Portugal, 2011 e 2001 Estrangeiros representavam cerca 31 869 Brasil de 3,7% da população 109 787 33 145 Cabo Verde 38 895 Na última década, a Ucrânia 10 793 33 790 população estrangeira Angola 26 954 37 014 cresceu cerca de 70% Roménia 2 661 24 356 Guiné-Bissau 16 994 Maiores comunidades: 8 227 16 360 Reino Unido 15 774 Brasileira (28%) França 15 359 Cabo-verdiana (10%) 2 176 14 360 China 11 458 Ucraniana (9%) Espanha 9 047 10 486 0 20000 40000 60000 80000 100000 120000 2001 2011 Nº de indivíduos « 13
  15. 15. População de nacionalidade estrangeira bastante mais jovem que a portuguesa População portuguesa e estrangeira por grupo etário, 2011 100 5,0 19,6 A idade média 80 população de nacionalidade estrangeira de 34,2 60 anos, contra 42,1 82,4 >=65 anos da portuguesa 65,5 15-64 anos 0-14 anos 40 20 15,0 12,7 0 População portuguesa População estrangeira « 14
  16. 16. Região de Lisboa concentra mais de metade da dos estrangeiros a viver em Portugal População estrangeira residente em Portugal, por NUTS II, 2011 (%) 60 51,6 51,6% da população 50 estrangeira reside na região de Lisboa 40 Em termos relativos 30 12% da população residente no Algarve 20 é estrangeira 13,9 13,1 13,2 10 6,0 0,8 1,4 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 15
  17. 17. Mais de 1,4 milhões de portugueses/as que vivem em Portugal já residiram no estrangeiro População de nacionalidade portuguesa que já residiu no estrangeiro, por último país onde residiu, 2011 França 26,3 Os principais Angola 15,2 países de última Moçambique 7,8 residência dos Alemanha 7,6 portugueses que residiram no Suiça 7,2 estrangeiro são Venezuela 4,5 França e Angola Brasil 4,5 Espanha 3,5 Reino Unido 3,3 0 5 10 15 20 25 30 35 (%) % Em relação ao total da população portuguesa que já residiu no estrangeiro « 16
  18. 18. Quase metade da população residente tem o estado civil casado Estado civil legal da população residente, 2011 Viúvos 7% Divorciados 6% Os homens são: 44% Solteiros; 48% casados; Solteiros 40% 5% divorciados; 3% viúvos As mulheres são: 45% Casadas; 38% solteiras; 6% divorciadas; 11% viúvas Casados 47% « 17
  19. 19. A formalização das uniões conjugais alterou-se na última década Proporção da população que vive em união de facto, por NUTS II, 2001 e 2011 (%) As uniões de facto, 25 face ao total de uniões conjugais, cresceram 20,8 19,5 entre 2001 e 2011 de 20 6,9% para 12,9% 15 14,3 2011 13,3 12,4 Algarve é a região que 11,7 12,9 2001 10,5 10,4 PT 2011 apresenta o valor mais 10 PT 2001 8,6 8,4 elevado: 20,8 6,9 5,0 5,7 5 3,9 4,0 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 18
  20. 20. Dificuldade em andar é a principal limitação na realização das tarefas diárias Tipo de dificuldade na realização das atividades diárias, em 2011 Compreender/fazer-se entender 10% Ver 23% 18% da população tem Tomar banho/vestir-se pelo menos uma 12% dificuldade na realização das atividades diárias Andar ou subir degraus é a principal dificuldade para 25% das pessoas Ouvir 13% Memória/concentração com pelo menos uma 17% dificuldade Andar 25% « 19
  21. 21. População com 23 ou mais anos com ensino superior quase duplica, na última década. População com 23 ou mais anos que completou o Ensino Superior, Em 2011, 15% 2001-2011 (1 244 742) da (%) população com 23 25 ou + anos possui 21,4 ensino superior 20 completo. Em 2001 eram 15,1 2001 apenas 9% 15 13,1 13,1 13,8 2011 13,2 13,0 11,3 A região de 10,9 PT 2001 10 PT 2011 Lisboa apresenta 8,8 7,3 7,0 7,4 a maior proporção 5,8 6,4 6,7 de diplomados do 5 ensino superior: 21,4% 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 20
  22. 22. Cursos das áreas Comércio/administração, Saúde e Formação de professores aumentam na última década. População com ensino superior, por áreas de estudo, 2001-2011 Serviços de segurança Protecção do ambienteMais de 50% dos Serviços de transportediplomados estão Serviços aos particulares Serviços sociaisconcentrados em 4 Saúdegrandes áreas de Ciências veterináriasestudo: Agricultura, silvicultura e pescas Arquitectura e engenharia da construção Comércio e Indústria de transformação e de tratamento Administração 14,5% Engenharia e técnicas afins 2011 Ciências informáticas Formação de Matemática e estatística 2001 professores 13,6% Ciências físicas Ciências da Vida Saúde 13,4% Direito Ciências Sociais 10% Comércio e administração Jornalismo e informação Ciências socias e do comportamento Letras e ciências religiosoas Artes Formação de professores e ciências da… (%) 0 5 10 15 20 « 21
  23. 23. Metade da população com 15 ou mais anos tem, pelo menos, o 9º ano de escolaridade População com 15 ou mais anos, com pelo menos o 9º ano, por NUTS II, 2001 e 2011 Aumento de 12 p.p., (%) entre 2001 e 2011, na população com 15 ou 70 + anos que completou 60,4 60 pelo menos o 9º ano 52,7 de escolaridade (3º 50 49,6 ciclo do Ensino Básico) 45,3 45,9 44,3 42,4 44,6 40 2011 38,0 Lisboa e Algarve PT2001 PT2011 apresentam valores 30 acima da média 20 nacional 10 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 22
  24. 24. A taxa de analfabetismo recuou na última década Taxa de analfabetismo, por NUTS II, 2001 e 2011 A taxa de analfabetismo baixou 18 de 9,0% para 5,2%, 15,86 entre 2001 e 2011 16 Mulheres com taxa 14 12,71 de analfabetismo 12 10,91 10,43 superior à dos 10 9,57 9,45 2001 9,03 2011 homens: 6,8% contra 8,34 8 PT2001 3,8% 6,39 6,99 5,73 PT2011 6 5,01 5,36 4,68 População analfabeta 5,23 4 3,23 é principalmente idosa, cerca de 79% 2 tem 65 anos ou mais 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM anos « 23
  25. 25. Maior parte da população é inativa economicamente Condição perante a atividade económica da população residente, em 2011 Outros População ativa 5%  Empregada 42%  Desempregada 6% Reformados 22% Reformados representam 22% do Empregada 42% total da população População com menos de 15 anos e Domésticos 4% estudantes (com 15 ou + anos) representam Estudantes 16% e 6% 6% < 15 anos Desempregada 15% 6% « 24
  26. 26. Rendimento do trabalho é o principal meio de vida Principal meio de vida da população com 15 ou mais anos, em 2011 47,9% da população (com Rendimento da Apoio social Outros 0,8% 15 ou + anos) vive dos propriedade 0,4% 0,4% rendimentos do trabalho Outros RSI subsidios Familia 1,2% 0,8% 18,1% 27,1% da população vive das pensões e reformas Subsidio desemprego Trabalho 47,9% 3,3% 18,1% vive a cargo da família Reforma 27,1% « 25
  27. 27. Vendedor/a em loja é a profissão mais representada na população empregada Principais subgrupos de profissões da população empregada, em 2011 Os 5 principais subgrupos Vendedores em lojas 7,7 de profissões representam 25% da população Empregado de escritório em geral 5,8 empregada:  Vendedores/as em lojas Trabalhadores de limpeza em casas particulares, hotéis e escritórios 5,0  Empregados/as de escritório Trabalhadores qualificados da construção das estruturas 3,9 básicas e similares  Trabalhadores/as de limpeza Professor dos ensinos básico (2º e 3º ciclos) e 2,9 secundário  Trabalhadores/as da construção civil Trabalhadores não qualificados da indústria 2,7 transformadora  Professores/as do ensino 0 2 4 6 8 10 (%) básico e secundário « 26
  28. 28. Empregados nas atividades dos serviços reforça posição Principais grupos de atividade da população empregada, em 2011 29,0 Outras de serviços Cerca de 70% do 25,5 emprego está afeto às 11,5 atividades dos serviços Ativ.Financ.Imobilia… 7,9 “Comércio, alojamento, Comercio …. 26,5 30,0 transporte e comunicações” Construção 8,5 12,3 2011 representa 30% 2001 17,9 Indústria “Outros serviços (saúde, 22,8 educação, justiça, etc.)” 3,1 Agricultura… representa 29% 5,0 0 5 10 15 20 25 30 35 (%) « 27
  29. 29. Cerca de 600 mil pessoas entram nos municípios de Lisboa e Porto por motivo de estudo ou trabalho Municípios População Nº de pessoas % de Nº de pessoas % de residente que entraram Entradas que saíram Saídas No município de Lisboa entram 425 737 pessoas, Lisboa 547 733 425 747 77,73 47 521 8,68 o equivalente a 77,7% da Porto 237 591 171 738 72,28 28 899 12,16 sua população residente Matosinhos 175 478 34 785 19,82 43 893 25,01 Amadora 175 136 30 432 17,38 57 484 32,82 No Porto entram 171 738 Almada 174 030 29 081 16,71 42 090 24,19 pessoas correspondendo Loures 205 054 33 839 16,50 62 627 30,54 a 72,3% da sua Braga 181 494 28 347 15,62 20 309 11,19 população residente Cascais 206 479 24 401 11,82 50 528 24,47 V.N.Gaia 302 295 27 186 8,99 62 050 20,53 Sintra 377 835 31 825 8,42 110 107 29,14 « 28
  30. 30. Os municípios da Amadora, Loures, Sintra, Matosinhos registam as maiores saídas Movimentos pendulares: entradas e saídas em % da população residente, nos 10 municípios com mais população, em 2011 Sintra 29,1 8,4 25% ou mais da Vila Nova Gaia 9,0 20,5 população dos Cascais 24,5 11,8 municípios da Braga 11,2 Amadora, Loures, 15,6 Sintra e Matosinhos Loures 16,5 30,5 sai para trabalhar ou Almada 24,2 Saídas 16,7 Entradas estudar Amadora 32,8 17,4 25,0 Matosinhos 19,8 12,2 Porto 72,3 8,7 Lisboa 77,7 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 (%) « 29
  31. 31. A maioria da população utiliza o automóvel nas suas deslocações pendulares Principal meio de transporte utilizado nos movimentos pendulares, 2001 e 2011 0,5 Cerca de 62% da Outro 1,1 população desloca-se Motociclo ou bicicleta 1,7 3,2 de automóvel para o 2,9 local de trabalho ou Comboio 3,2 estudo Metropolitano 1,8 0,6 2011 3,2 Apesar de perder Transporte coletivo empresa/escola 5,2 2001 importância o Autocarro 11,8 15,9 autocarro continua a 17,9 Automóvel ligeiro como passageiro ser o transporte 10,8 público mais utilizado Automóvel ligeiro como condutor 34,9 43,7 16,4 A pé 25,1 0 10 20 30 40 50% « 30
  32. 32. O tempo médio para chegar ao local de trabalho ou estudo é de 20 minutos População por tempo médio de deslocação, 2001 e 2011 (minutos) Mais de metade da 1,2 população demora Mais de 90 1,7 menos de 15 minutos a chegar ao local de De 61 a 90 2,8 3,8 trabalho ou estudo 2011 12,7 De 31 a 60 2001 Os tempos médios de 13,5 deslocação são 28,8 maiores nas áreas De 16 a 30 28,9 metropolitanas de 54,6 Lisboa e Porto, 26,4 Até 15 52,0 e 19,9 minutos % 0 10 20 30 40 50 60 « 31
  33. 33. Família «« 32
  34. 34. As famílias são hoje mais pequenas Dimensão médias das famílias, em 2001 e 2011 Dimensão média das famílias é de 2,6 (era 1 pessoa % 35 de 2,8 em 2001) 30 25 20 As R.A. dos Açores e 15 da Madeira e a região 5 ou mais pessoas 10 2 pessoas 5 Norte, apresentam os 0 valores mais elevados, 3,0 pessoas por família Lisboa, Alentejo e 4 pessoas 3 pessoas Algarve têm as famílias menos numerosas, 2,4 2001 2011 « 33
  35. 35. A estrutura familiar predominante continua a ser a de casal com filhos, apesar de perderem importância relativa Núcleos familiares segundo o Tipo de Núcleo 2001 2011 12% 15% Casais com filhos Casais sem filhos Casais com filhos Monoparentais 50% Casais sem filhos31% Monoparentais 57% 35%  A proporção de casais com filhos diminuiu cerca 7 p.p. entre 2001 e 2011 « 34
  36. 36. Núcleos familiares monoparentais aumentam significativamente Núcleos monoparentais 480 443 Proporção de núcleos monoparentais no total de núcleos, por NUTS II, em 2011 (%) 22 19,7 20 Núcleos monoparentais 18 18,2 representam 14,9% do 16 16,3 15,1 total de núcleos 13,8 14,9 14 13,2 12,5 2011 Crescimento de 36% 12 PT2011 face a 2001 10 8 6 4 2 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 35
  37. 37. Núcleos familiares reconstituídos (famílias recompostas) mais que duplicam Núcleos reconstituídos 105 764 Núcleos reconstituídos, por NUTS II, em 2011 (%) Aumento muito significativo do número 12 de núcleos 10 10,3 10,2 Os núcleos familiares 7,7 8 reconstituídos 7,1 6,2 representam 6,6% do 6 5,7 6,6 2011 total de casais com 4,1 PT2011 filhos 4 2 0 Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 36
  38. 38. « Parque Habitacional « 37
  39. 39. Na última década continuou a expansão do parque habitacional Edifícios 3 544 389 Alojamentos 5 878 756 Edifícios e alojamentos, por NUTS II, variação 2001-2011 (%) 40 Crescimento de 12% 36 36 de edifícios e de 35 16% de alojamentos 30 24 Algarve e R.A. da 25 23 Edificios Madeira registaram 20 17 Alojamentos 16 os maiores 15 15 15 15 14 13 crescimentos 12 12 11 10 10 10 5 0 Portugal Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM « 38
  40. 40. Alojamentos de residência secundária e vagos reforçam importância Residências habituais 3 991 112 Residências secundárias 1 133 300 Vagos 735 128 As residências habituais Distribuição da forma de ocupação dos alojamentos clássicos, representam 68,2%; as por NUTS II, 2011 residências secundárias 19,3% e os alojamentos RAM 71,3 15,0 13,6 vagos 12,5% RAA 73,6 14,1 12,3 Lisboa é a região do país Algarve 47,3 39,5 13,2 com a maior Alentejo 63,7 21,5 14,9 percentagem de Lisboa 76,0 11,5 12,5 residências habituais Centro 61,9 24,5 13,6 40% dos alojamentos no Norte 71,5 17,6 11,0 Algarve são residências Portugal 68,1 19,3 12,5 secundárias 0 20 40 60 80 100 (%) Residência habitual Residência secundária Vagos « 39
  41. 41. Lisboa é a região onde os alojamentos arrendados tem maior importância Distribuição da condição de ocupação dos alojamentos, por NUTS II, 2011 RAM 78,0 15,5 6,5 73% dos alojamentos clássicos de residência RAA 79,6 13,0 7,4 habitual é ocupada pelo Algarve 70,6 20,3 9,1 proprietário Alentejo 76,4 14,9 8,7 Os alojamentos Lisboa 66,8 27,3 5,9 arrendados representam Centro 81,3 12,5 6,1 20% dos alojamentos de Norte 72,2 20,4 7,4 residência habitual Portugal 73,2 19,9 6,8 0 20 40 60 80 100 (%) Proprietários Arrendatários Outras situações « 40
  42. 42. Aumenta o número de proprietários com encargos por compra de habitação Distribuição dos proprietários com e sem encargos por compra, 2001 e 2011 (%) 100 31,5 Os Proprietários 80 42,9 com encargos por compra crescem 60 11 p.p. face a 2001 40 68,5 57,1 20 0 2001 2011 Sem encargos Com encargos « 41
  43. 43. Valores dos encargos por compra superiores aos valores das rendas Valor médio mensal dos encargos por compra e das rendas, 2011 (euros) O valor médio dos 500 455 dos encargos por 450 425 440 compra é de 395 412 395 400 euros 374 378 350 352 As renda média 291 situa-se nos 235 300 269 246 euros 250 235 229 217 197 201 Os valores médios 200 dos encargos por 150 compra são 100 superiores em 160 euros aos valores 50 das rendas 0 Portugal Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve RAA RAM Encargos por compra Encargos com renda « 42
  44. 44. Inquérito de QualidadeInquérito de Qualidade dos Censos 2011 realizado de formaautónoma e independenteO nível de qualidade dos resultados está em linha com o de outrospaíses com sistemas estatísticos desenvolvidos, designadamente oCanadá e o Reino Unido. Indicadores de cobertura  Edifícios +1,3%  Alojamentos familiares +1,4%  Famílias -3,6%  Indivíduos -2,5% « 43
  45. 45. «Obrigado pela vossa atenção «E-mail: anabela.delgado@ine.pt 20 de novembro 2012 « 44

×