Ata audiência pública seara

839 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
839
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
763
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ata audiência pública seara

  1. 1. ATA DE REUNIÃOInquérito Civil Público nº 06.2012.00004732-0Em 29 de maio de 2013, às 18h30min, na residência de Loreni SaleteFontana, compareceram o Promotor de Justiça titular da 2ª Promotoria de Justiça daComarca de Xanxerê, Eduardo Sens dos Santos, o Coordenador da Fábrica de Raçõesde Seara Alimentos Ltda. de Xanxerê, Leodacir Fassina, e os moradores vizinhos daempresa, para tratar das reclamações acerca do pó da ração e da poeira do trânsito decaminhões, causadas pelas atividades de citada empresa.Aberta a reunião...A sra. Adriana relata que o que incomoda é o pó ração (casquinhas demilho), e o cheiro da ração (cheiro da milho). Não dá para estender a roupa fora de casa,pois enche de pó. O fato ocorre todos os dias durante o ano todo.A sra. Páscoa (75 anos) relata que é uma das primeiras moradoras do local,e sempre sofreu com a poeira (casquinhas de milho). As casquinhas ficam sobre asjanelas. Ocorre todo o ano.A sra. Sandra relata que a poeira da ração é gordurosa e “gruda” nos móveisparedes, difícil de limpar (corrói). O cheiro é forte. Também a poeira do barro da empresa.A cor da poeira é esbranquiçada.
  2. 2. A sra. Loreni relata que o que lhe incomoda é a poeira da ração, e o pó dobarro que os caminhões carregam para fora do pátio da empresa. Tal problema ocorredurante dia e noite. As casquinhas do milho acumulam nas janelas. O cheiro também éforte no início da noite (a partir das 18h30), duas semanas por mês. O filho dela temimplante coclear e sofre com tais problemas. A cor da poeira é preto e marrom.A sra. Elenice relata que mora no local há 40 anos, e a situação édesumana. Acima do foro de PVC da casa está cheio de casquinhas. As carretas, quandochegam na empresa, vazias, perdem poeira e jogam milho, das lonas, na rua. A poeiragruda nas janelas. A poeira da rua é da terra, pois o calçamento da empresa não éregular, e os caminhões carregam para fora do pátio.A sra. Mônica relata que sua família nora no local há 40 anos, e que suafamília sofre com a fumaça da chaminé da caldeira, principalmente no inverno. Existemdias que lava a roupa e depois que seca precisa lavar de novo. Sente cheiro deestimulante alimentar (chicle), que sai de dutos laterais. Tem cheiro de pena queimada,peixe podre, carniça, material orgânico em decomposição. O cheiro é o ano inteiro, afumaça é o ano inteiro, e as casquinhas de milho às vezes. A casa de piscina e não éutilizada em virtude do pó e casquinhas. Trabalhou por 12 anos na Ceval (hoje Seara), nosetor administrativo. À época em que era proprietária de uma metalúrgica próxima àempresa tiveram problemas devido à corrosão que dá no ferro pelo acúmulo dascasquinhas do milho. O mesmo fenômeno ocorre com as calhas. Também informa que ascaldeiras emitem muito barulho do vapor, que é constante enquanto a caldeira estáfuncionando.
  3. 3. A sra. Fábia relata que o problema é a poeira (das casquinhas), nascalçadas, nos móveis, nas janelas. A poeira ocorre todos os dias. Outro problema é avelocidade dos caminhões que saem em alta velocidade da empresa. O cheiro é deazedo.A sra. Janete reclama da poeira (branquinha, parece casquinhas) e dobarulho dos caminhões. Cuida de uma pessoa deficiente.A sra. Silvania reclama da ração, e que o sal da ração corrói. Tambémreclama da caldeira, pois diz que emite um barulho como de panela de pressão. Próximoà lombada cai milho dos caminhões que saem da empresa, o que atrai ratos. Também,neste local, o milho acumulado é recolhido por pessoas para tratar galinhas davizinhança. Que a lombada tem um problema devido a uma tubulação feita pela Seara.O sr. Juvenal relata que mora no local há 30 anos. Diz que o acúmulo demilho e barro na ciclovia acaba exalando cheiro de fermentação. O problema ocorredevido à má drenagem. As casquinhas de milho acumulam embaixo do brasilite, no foroda casa, e a cada seis meses precisa fazer a limpeza com um aspirador de pó. Trabalhoupor 9 anos na Seara.O sr. Eduardo relata que a sua casa também é atingida pelo pó de ração.Também reclama do barulho dos caminhões (buzina, descarga aberta), a partir das 3horas da madrugada.O sr. Vanderlei relata que as grades da cerca, e aberturas da casa corroem
  4. 4. com a poeira. A casa fica fechada durante o dia, mas mesmo assim a área fica cheia depó. O pó é branco, e gorduroso. Os caminhões buzinam durante a noite (madrugada),quando um encontra o outro. Não coloca roupa no varal devido ao pó, pois este gruda naroupa. Que se um carro ficar na rua enfrenta à empresa fica impregnado de poeira.O sr. Carlos reclama das buzinas dos caminhões (última vez que ouviu foisegunda), e frenagem exagerada. A poeira da casquinha de milho (cor branca) acumulano seu carro, que fica na garagem que é apenas coberta.A sra. Loreni, presidente da associação de bairro do Vista Alegre, e diz quehá muito tempo houve reclamações dos moradores acerca dos problemas ora relatados.No bairro Vista Alegre os moradores reclamam do pó (branco). O bairro Vista Alegre fica àleste da rua Rui Barbosa, e a bairro Santos Dias a oeste.O sr. Fassina informa que fica impressionado com o volume de pó que osmoradores informam ser emitido pela empresa, pois o secador de milho, que emitia muitopó, foi desativado há 4 anos. Sobre o cheiro, diz que a empresa não processa peixe enem pena. Não sabe informar a origem do pó branco das reclamações, que precisa seridentificado pela empresa. A empresa mói o farelo de soja, para fabricação da ração. Oproblema da lombada (onde ocorre acúmulo de milho e barro) deve ser resolvido pelaPrefeitura, que deve abrir a drenagem. Quanto ao acúmulo de cascas e barro, a empresaSeara contratou a empresa Certa para varrer os resíduos. Os batedores estão ajudando adiminuir a poeira. Também informa que a empresa está fazendo ajustes na drenagem docalçamento da empresa para evitar o barro. Sobre o barulho das buzinas, informa que
  5. 5. pensava que a situação estava resolvida, pois já fez a orientação aos motoristas. Informaque o barulho tipo “panela de pressão” que a sra. Mônica reclamou é do “fim de linha daatividade da caldeira” (ela abre quando ultrapassa o limite da caldeira).Ficou convencionado que a empresa Seara irá, em 30 dias, pesquisar aorigem do pó branco, que deverá ser coletado na casa de Juvenal, Loreni, Janete. Nomesmo prazo a empresa irá verificar a questão da caldeira e da chaminé. Também, aempresa deverá providenciar soluções efetivas para o problema do carreamento de barroe cascas de soja/milho pelos caminhões para a via pública.Na data de 29/6/2013, a oficial de diligência do MP fará o registro da poeiraque há nas residências. Depois de 29/6/2013 os moradores farão a limpeza dasresidências, e será feito o acompanhamento, pela oficial, a cada 30 dias, da poeira.Por fim, ouvidas todas as partes, e não havendo outras manifestações,encerra-se a presente reunião, que foi lavrada nesta ata, lido este instrumento assinam.
  6. 6. pensava que a situação estava resolvida, pois já fez a orientação aos motoristas. Informaque o barulho tipo “panela de pressão” que a sra. Mônica reclamou é do “fim de linha daatividade da caldeira” (ela abre quando ultrapassa o limite da caldeira).Ficou convencionado que a empresa Seara irá, em 30 dias, pesquisar aorigem do pó branco, que deverá ser coletado na casa de Juvenal, Loreni, Janete. Nomesmo prazo a empresa irá verificar a questão da caldeira e da chaminé. Também, aempresa deverá providenciar soluções efetivas para o problema do carreamento de barroe cascas de soja/milho pelos caminhões para a via pública.Na data de 29/6/2013, a oficial de diligência do MP fará o registro da poeiraque há nas residências. Depois de 29/6/2013 os moradores farão a limpeza dasresidências, e será feito o acompanhamento, pela oficial, a cada 30 dias, da poeira.Por fim, ouvidas todas as partes, e não havendo outras manifestações,encerra-se a presente reunião, que foi lavrada nesta ata, lido este instrumento assinam.

×