Relatório situacional do hospital municipal 4 parte

3.289 visualizações

Publicada em

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.289
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório situacional do hospital municipal 4 parte

  1. 1. Secretaria Municipal de Saúde Relatório situacional do Hospital Municipal Dr. Arquimedes Vieira de Brito, Posse - GO Posse /2013
  2. 2. Secretaria Municipal de Saúde Posse – GO, 24 de Setembro de 2013. Relatório situacional do Hospital Municipal Dr. Arquimedes Vieira de Brito, Posse - GO Hoje um dos maiores problemas enfrentados pelo SUS é a resolutividade, a capacidade de dar uma solução aos problemas do usuário do serviço de saúde de forma adequada no local mais próximo de sua residência ou encaminhando-o aonde suas necessidades possam ser atendidas conforme o nível de complexidade. A NOAS 2002 pressupõe que estados e municípios organizem suas estruturas de controle, regulação e avaliação para garantir o acesso de seus cidadãos a todas as ações e serviços necessários para a resolução de seus problemas de saúde, otimizando recursos disponíveis e reorganizando a assistência, buscando a melhor alternativa em termos de impacto na saúde da população. A premissa básica para esta reorganização está na coerência entre planejamento, programação e alocação dos recursos. O Hospital Municipal de Posse, Dr. Arquimedes Vieira de Brito, recebe diariamente os pacientes do município e das adjacências inclusive do estado da Bahia, impactando ainda mais sua situação já precária, por essa razão, vem passando por mudanças administrativas e funcionais, no sentido de melhorar a atenção dispensada ao usuário e a sua forma de trabalho interno prezando pela eficiência e pelo bom uso dos recursos públicos a ele dispensado. Desta maneira, a Unidade atualmente conta com sistema de Triagem e Capacitação de Risco, que em coordenação com as Unidades de Saúde da Família, vêm desobstruindo o fluxo intenso de pacientes no Pronto Socorro Hospitalar, paulatinamente vem-se implementando os Protocolos de Normas e Rotinas da Unidade seguido de um processo de re-educação da comunidade no intuito de resgatar a ordem e a moral daquele Serviço, item fundamental para o seu bom funcionamento.
  3. 3. Secretaria Municipal de Saúde Algumas reformas estão sendo realizadas e outras estão previstas a fim de suprir a carência de infra-estrutura que existe atualmente. As equipes de trabalho são constantemente observadas, orientadas, supervisionadas e oportunamente advertidas, através de reuniões regulares, quanto à praxe adequada dentro da Unidade; prezando-se pelo profissionalismo corrigindo-se vícios históricos e pouco a pouco dando outra tonalidade à maneira como cada profissional e cada categoria desempenha as suas funções. Cabe ressaltar que atualmente o Hospital Municipal Dr. Arquimedes Vieira de Brito está parcial e temporariamente interditado pela ANVISA- Agencia Nacional de Vigilância Sanitária, e opera apenas com atendimento de urgências e internações clinicas, causando grande impacto negativo ao atendimento da população já mencionada, que são encaminhadas a outros centros de atendimento complicando outros setores como o do transporte ( ambulâncias mal conservadas),e aumentando ainda as filas nos centros referenciados ( Brasília e Goiânia) O prefeito Gouveia encomendou um projeto de reforma de acordo com a nossa realidade e fez uma verdadeira romaria a Goiânia foi várias viagens e visitas a SUVISA (Superintendência de Vigilância Sanitária) e conseguiu a aprovação da planta por este órgão para iniciar as obras de reforma do Hospital. Estamos reformando toda a unidade hospitalar com recursos próprios, o cronograma como pode ser observado no anexo deste documento é bastante extenso, ainda cabe ressaltar que os equipamentos estão sucateados e o município não tem perspectivas de recursos no momento para suprir tal demanda ainda, os recursos para custeio já escasso ainda sofreu corte no corrente ano, passando de 183.00,00 para 141.000,00, acentuando ainda mais o problema do município. A reforma teve seu inicio pela recepção e está sendo estruturada com acessibilidade e ampliada com mais um consultório médico e sala de nebulização, logo iniciamos também a reforma do Centro Cirúrgico este interditado, está sendo adequado às normas da ANVISA, o mesmo ganhou sala de pós-operatório, DML
  4. 4. Secretaria Municipal de Saúde (depósito de material de limpeza), sala de atendimento ao recém-nascido, sala de guardar material esterilizado, sala de medicamentos e equipamentos para uso cirúrgico, sala de esterilização e sala de expurgo e vestuário para médicos e enfermeiros. O oxigênio canalizado tanto no centro cirúrgico como em toda a unidade hospitalar. O piso será em porcelanato. Está prevista a reforma da lavanderia, esta também interditada, nesse setor adquirimos material de limpeza próprio para uso hospitalar, novo local para acondicionar o gerador de eletricidade, pois este ficava adjacente ao Laboratório, totalmente inadequado, e também um local para ser depósito de resíduos sólidos, sendo um depósito para lixo comum e outro para lixo infectante adequando aos Planos de Gestão de Resíduos Sólidos e dos Planos de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde.

×