Mosteiro da Santa Cruz, de monges ortodoxos, edificado num 
bosque onde se diz que tiravam a madeira para as cruzes, 
tamb...
Basílica do S.to Sepulcro (Jerusalém) 
consagrada em 14 de Setembro
Na origem da festa há a dedicação das duas basílicas (do Túmulo e 
da Cruz) construídas por Constantino, em 335 
Diante a ...
Cripta 
Basílicas de Constantino
Jo 3,13-17 
Naquele tempo, disse Jesus a 
Nicodemos: «Niguém subiu ao 
Céu senão aquele que desceu do 
Céu: o Filho do hom...
O Filho baixa até ao 
coração da terra 
Só sobe, 
se primeiro 
se baixar 
Escada que desce para a cripta (antiga 
cisterna...
Assim como Moisés elevou a 
serpente no deserto, também o 
Filho do homem será eleva-do, 
para que todo aquele que 
acredi...
A morte na Cruz 
foi a sua grande 
elevação 
Crer que a 
morte 
diária nos 
eleva, 
transforma 
o viver 
Grafitis em forma...
Deus amou de tal modo o 
mundo que entregou o seu 
Filho Unigénito, para que 
todo o homem que acredita 
n’Ele não pereça,...
A CRUZ é um absurdo 
para os hombres, mas 
é poder para Deus 
Aquilo que parece débil na 
obra de Deus, é mais forte 
que ...
Porque Deus não enviou o 
seu Filho ao mundo para 
condenar o mundo, mas 
para que o mundo seja 
salvo por Ele».
Na hora 
das trevas, 
Deus é 
SALVAÇÃO 
Por Ele, na 
esperança, já 
estamos SALVOS 
Tecto 
da 
Cripta 
(cis-terna)
Senhor Jesus, 
adoramos a tua 
Cruz, que redimiu 
o mundo.
Monjas de St. Benet de Montserrat 
www.benedictinescat.com/montserrat
FIZERAM-ME CARREGAR A CRUZ 
NA QUAL ME CRUCIFICARIAM.
CHICOTEARAM-ME. 
RIRAM-SE DE MIM.
COLOCARAM-ME 
UMA DOLOROSA 
COROA DE ESPINHOS NA CABEÇA.
TIVE SEDE, 
DERAM-ME VINAGRE.
MAS NÃO O TOMEI.
MESMO JÁ CRUCIFICADO, 
FERIRAM-ME COM UMA LANÇA.
MEU PAI, 
QUE ASSISTIA A TUDO,
PEDIU-ME 
QUE NÃO CHORASSE 
E EU NÃO CHOREI.
EU MORRI, SIM.
POR TEU AMOR .
RESSUSCITEI, SIM,
PREPARANDO, DESTE MODO, 
O CAMINHO,
PARA TI 
JUNTO DO PAI,
QUE ME ENVIOU 
POR TEU AMOR.
Que fazes, ó Cristo, 
pregado nessa 
Cruz?
Que fazes tu aí, ó Cristo antigo, 
Pregado nessa Cruz, eternamente? 
Liberta a tua mão, omnipotente, 
Desprega esses teus ...
Não sabes que, sem ti, nada consigo? 
Não vês que fazes falta a tanta gente? 
Oh! Vem de novo, como antigamente, 
Viver co...
Não vens? 
Não queres ouvir a humilde prece 
Num Mundo que, sem ti, desaparece, 
Vencido pela morte e pela dor?
Não vens? 
Não pode a Cruz ficar sozinha? 
Pois, bem: 
Permite, então, que seja minha! 
Eu fico nela… e desce Tu, Senhor! ...
Jardineiros 
.
Gosto de flores, 
de todas as cores, 
de tantos perfumes 
. 
. 
.
Flores que simbolizam 
Ramalhetes que manifestam 
nossos amores . 
. 
. 
nossas dores 
.
Cultivamos flores como se 
cultivam sentimentos . 
. 
.
Flores simples que celebram 
nossos nascimentos 
E alegram nossas famílias . 
. 
. .
Semeamos flores como se 
semeia bondade. 
. 
.
Flores singelas que unificam 
E animam nossos 
companheiros . 
. 
. 
nossa amizade 
.
Plantamos flores como se 
plantam esperanças 
. 
. 
.
Flores delicadas que 
renovam a bonança 
. 
. 
. 
E amparam nossas 
tristezas .
Enterramos raízes de 
conquistas futuras 
. 
. 
.
Retiramos espinhos das 
. 
tristezas e dores 
. 
.
Projectamos jardins de 
. 
flores coloridas 
. 
.
Somos jardineiros e 
. 
cultivamos flores de . 
vida 
.
Nas cores da alegria e 
da dor, 
mas sempre coloridas 
. 
. 
. 
pelo amor.
Certa vez um homem foi visitado por um certo 
anjo do Senhor. Disse-lhe o anjo: 
. 
A CRUZ E A PONTE 
“- Eu vim trazer a t...
Quando já estava bem 
adiante da sua jornada, 
encontrou um homem que 
lhe disse o seguinte: 
"- Como vai? Tudo bem? O 
qu...
E o outro respondeu: 
"- Não estou maluco não. Cada um deve 
carregar a sua cruz. Mas ela é realmente 
pesada!" 
"- então ...
"- Eu não posso fazer isso, é a minha 
cruz, eu tenho que a carregar." 
"- Que palermice! Isso é uma palermice. 
Corte só ...
"- Viu? Não ficou mais leve?" 
"- É, você tinha razão, só 
um pouco não vai fazer mal." 
E ele continuou seguindo 
. 
. a ...
"- Sim, eu continuo a carregar a minha 
cruz." 
. 
. 
Bem mais lá na frente, na sua longa 
caminhada, eis que ele encontra...
"- É, pode ser, não doeu 
nada da outra vez." 
. 
. 
"- Mas ela deve estar muito pesada. 
Por que é que você não corta mai...
. 
. 
"- Vamos cortar. Só que vamos 
cortar um pouco mais para ela 
ficar bem mais leve. Pode ser?" 
Ele concordou em cort...
Muito tempo depois ele avista a 
cidade maravilhosa, cheia de ouro, 
pedras preciosas, prata. Era a visão 
mais maravilhos...
Quando, sem esperar, ele se depara com um 
abismo e não entendeu o porquê do abismo. 
E, tamanho era o desespero, que ele ...
Cansado de tanto gritar, ele vê do outro 
lado do abismo o anjo, aquele que lhe 
entregou a cruz. E o anjo pergunta-lhe: 
...
. 
. 
"- Sim, vejo", respondeu o anjo. 
"- Então, como é que eu vou atravessar?" 
"- Onde está a ponte que eu te entreguei...
" - Então coloca-a no meio do 
abismo, porque o tamanho dela 
é o exacto para que tu possas 
atravessar." 
. 
. 
E o anjo ...
Se a tua cruz está pesada demais, 
. 
. talvez tu estejas a carregá-la sozinho...
Onde está a felicidade? 
.
Era uma vez uma menina que vivia 
numa quinta com a família, mas 
que se sentia muito infeliz. 
Na verdade a vida nem semp...
Tinha ouvido contar uma lenda 
que dizia que a felicidade seria 
alcançada por quem conseguisse 
encontrar o seu símbolo: ...
Resolveu então partir à 
sua procura. 
.
Foram vários os caminhos que 
percorreu, encontrou-se nas 
mais variadas situações, conviveu 
com diferentes pessoas, 
.
recebeu diversas informações 
quanto à localização do famoso 
pássaro, mas nada de o encontrar. 
.
O cansaço e o desanimo 
começaram a invadi-la. 
. 
Resolveu então voltar para casa. 
.
Foi longo o percurso mas, as 
saudades que já lhe faziam doer 
o seu coraçãozinho ajudaram-na 
a vencer a distância. 
.
Quando finalmente avistou, 
ao longe, a quinta sentiu-se 
reviver. 
.
Quantos abraços e beijos! 
. 
. 
É enorme a alegria dos pais 
depois de tão longa separação.
No dia seguinte, ao acordar, vê, 
na janela do seu quarto, um 
pássaro azul. 
Entretanto, ouve a 
voz da mãe que chama. 
....
Num momento, 
relembra o 
sonho, medita e 
compreende a 
lição: 
.
Procurara 
tão longe a 
felicidade e 
ela estava 
tão perto 
de si. 
.
Não há razão para termos medo 
das sombras. 
Apenas indicam que em algum 
lugar próximo brilha a luz. 
. 
.
A paz vem 
de dentro de 
ti próprio, 
não a procures 
à tua volta. 
. 
.
A paz tem sua raiz 
na verdade. 
. 
.
Não existe um caminho para a 
paz; 
a paz é o caminho. 
. 
.
Viver em paz com 
Deus, consigo e 
com os outros é o 
segredo da alegria 
e da felicidade. 
. 
.
Gotas de Vida 
. 
. 
.
“A dádiva espontânea e generosa 
é o elemento essencial do amor.” 
. 
. 
.
. 
. 
“A paz só cresce na justiça, 
na liberdade e no amor.” 
.
“A alegria é uma flor 
rara que só cresce no 
jardim onde se 
semeia e se cultiva o 
. 
. 
amor.” 
.
. 
. 
“Praticar o bem é a mais 
prática forma de devolver 
ao mundo os benefícios que 
dele recebemos.” 
.
“O mar é traiçoeiro como a 
vida; a cada onda, uma 
surpresa, e a cada passo 
uma ilusão que se desfaz.” 
. 
. 
.
. 
. 
“O maior ganho material 
não compensa o menor 
passo dado fora do 
caminho do bem.” 
.
“Cavalheiro é o homem 
constantemente 
. 
. 
atencioso.” 
.
. 
. 
“O homem é dotado de 
razão para dominar o 
instinto e controlar os 
impulsos da natureza.” 
.
“O requinte externo muitas vezes 
. 
. 
revela o vazio do interior.” 
.
. 
. 
“Os grandes sábios, os grandes 
santos e as grandes verdades 
são sempre simples e 
humildes.” 
.
“A humildade eleva a sabedoria 
e a simplicidade aumenta a 
. 
. 
beleza.” 
.
. 
. 
“No falar e no agir não 
basta pensar em si; é 
indispensável lembrar-se 
da presença dos 
outros.” 
.
“Viver e agir sem amor é cavar 
. 
. 
a sepultura da própria 
felicidade.” 
.
“O egoísmo é uma visão 
solitária da vida, cheia 
. 
. 
de melancolia.” 
.
. 
. 
“A pobreza intelectual impede 
sempre a largueza de visão.” 
.
“Na vida mais vale semear para 
os outros do que colher o que 
. 
. 
os outros plantaram.” 
.
Conheço barcos... 
Conheço barcos que 
ficam no porto 
com medo de que as 
correntes os arrastem 
violentamente. 
. 
.
Conheço barcos que 
enferrujam no porto 
para não arriscarem nunca 
uma vela ao largo. 
. 
.
Conheço barcos que se esquecem de zarpar. 
Têm medo do mar por estarem a envelhecer; 
E as vagas nunca os separaram. 
A su...
Conheço barcos 
tão amarrados 
que desaprenderam 
de se olhar. 
. 
.
Conheço barcos que ficam a marulhar 
para estarem realmente seguros de 
jamais se deixar. . 
.
Conheço barcos que vão, 
aos pares, 
afrontar o temporal quando 
o furacão está sobre eles. 
. 
.
Conheço barcos que se 
arranham um pouco 
nas rotas oceânicas aonde 
os levam os seus manejos. 
. 
.
Conheço barcos que 
regressam ao porto, 
todos amassados, 
mas mais dignos e 
mais fortes. 
. 
.
Conheço barcos 
estranhamente iguais 
quando partilharam 
anos e anos de sol. 
. 
.
Conheço barcos que transbordam de amor 
quando navegaram até ao seu último dia, 
sem nunca recolher suas asas de gigantes,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exaltação stacruz14a

636 visualizações

Publicada em

FESTA DA EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ
A CRUZ, FONTE DE VIDA

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exaltação stacruz14a

  1. 1. Mosteiro da Santa Cruz, de monges ortodoxos, edificado num bosque onde se diz que tiravam a madeira para as cruzes, também a de Jesus (Jerusalém)
  2. 2. Basílica do S.to Sepulcro (Jerusalém) consagrada em 14 de Setembro
  3. 3. Na origem da festa há a dedicação das duas basílicas (do Túmulo e da Cruz) construídas por Constantino, em 335 Diante a Capela de S.ta Helena, mãe de Constantino (de quem se diz que encontrou a Cruz) adoremos a CRUZ de Jesus
  4. 4. Cripta Basílicas de Constantino
  5. 5. Jo 3,13-17 Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Niguém subiu ao Céu senão aquele que desceu do Céu: o Filho do homem. Imagens da capela e da cripta de S.ta Helena (S.to Sepulcro)
  6. 6. O Filho baixa até ao coração da terra Só sobe, se primeiro se baixar Escada que desce para a cripta (antiga cisterna do séc. I, onde os romanos lançavam as cruzes dos crucificados)
  7. 7. Assim como Moisés elevou a serpente no deserto, também o Filho do homem será eleva-do, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida e-terna.
  8. 8. A morte na Cruz foi a sua grande elevação Crer que a morte diária nos eleva, transforma o viver Grafitis em forma de Cruzes, nas paredes da escada da cripta, feitas pelos peregrinos medievais
  9. 9. Deus amou de tal modo o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna.
  10. 10. A CRUZ é um absurdo para os hombres, mas é poder para Deus Aquilo que parece débil na obra de Deus, é mais forte que a sabedoria dos homens, por isso a nossa FÉ não se funda na sabedoria dos homens mas na loucura da Cruz (1Cor 1) S.ta Helena Cripta
  11. 11. Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele».
  12. 12. Na hora das trevas, Deus é SALVAÇÃO Por Ele, na esperança, já estamos SALVOS Tecto da Cripta (cis-terna)
  13. 13. Senhor Jesus, adoramos a tua Cruz, que redimiu o mundo.
  14. 14. Monjas de St. Benet de Montserrat www.benedictinescat.com/montserrat
  15. 15. FIZERAM-ME CARREGAR A CRUZ NA QUAL ME CRUCIFICARIAM.
  16. 16. CHICOTEARAM-ME. RIRAM-SE DE MIM.
  17. 17. COLOCARAM-ME UMA DOLOROSA COROA DE ESPINHOS NA CABEÇA.
  18. 18. TIVE SEDE, DERAM-ME VINAGRE.
  19. 19. MAS NÃO O TOMEI.
  20. 20. MESMO JÁ CRUCIFICADO, FERIRAM-ME COM UMA LANÇA.
  21. 21. MEU PAI, QUE ASSISTIA A TUDO,
  22. 22. PEDIU-ME QUE NÃO CHORASSE E EU NÃO CHOREI.
  23. 23. EU MORRI, SIM.
  24. 24. POR TEU AMOR .
  25. 25. RESSUSCITEI, SIM,
  26. 26. PREPARANDO, DESTE MODO, O CAMINHO,
  27. 27. PARA TI JUNTO DO PAI,
  28. 28. QUE ME ENVIOU POR TEU AMOR.
  29. 29. Que fazes, ó Cristo, pregado nessa Cruz?
  30. 30. Que fazes tu aí, ó Cristo antigo, Pregado nessa Cruz, eternamente? Liberta a tua mão, omnipotente, Desprega esses teus pés… e vem comigo!
  31. 31. Não sabes que, sem ti, nada consigo? Não vês que fazes falta a tanta gente? Oh! Vem de novo, como antigamente, Viver connosco e nós contigo!
  32. 32. Não vens? Não queres ouvir a humilde prece Num Mundo que, sem ti, desaparece, Vencido pela morte e pela dor?
  33. 33. Não vens? Não pode a Cruz ficar sozinha? Pois, bem: Permite, então, que seja minha! Eu fico nela… e desce Tu, Senhor! P.e Abel Varzim
  34. 34. Jardineiros .
  35. 35. Gosto de flores, de todas as cores, de tantos perfumes . . .
  36. 36. Flores que simbolizam Ramalhetes que manifestam nossos amores . . . nossas dores .
  37. 37. Cultivamos flores como se cultivam sentimentos . . .
  38. 38. Flores simples que celebram nossos nascimentos E alegram nossas famílias . . . .
  39. 39. Semeamos flores como se semeia bondade. . .
  40. 40. Flores singelas que unificam E animam nossos companheiros . . . nossa amizade .
  41. 41. Plantamos flores como se plantam esperanças . . .
  42. 42. Flores delicadas que renovam a bonança . . . E amparam nossas tristezas .
  43. 43. Enterramos raízes de conquistas futuras . . .
  44. 44. Retiramos espinhos das . tristezas e dores . .
  45. 45. Projectamos jardins de . flores coloridas . .
  46. 46. Somos jardineiros e . cultivamos flores de . vida .
  47. 47. Nas cores da alegria e da dor, mas sempre coloridas . . . pelo amor.
  48. 48. Certa vez um homem foi visitado por um certo anjo do Senhor. Disse-lhe o anjo: . A CRUZ E A PONTE “- Eu vim trazer a tua cruz para que tu a possas carregar na tua jornada.” Ele pegou a cruz e seguiu. . .
  49. 49. Quando já estava bem adiante da sua jornada, encontrou um homem que lhe disse o seguinte: "- Como vai? Tudo bem? O que você está a fazer com essa cruz? Está maluco? Ela deve ser muito pesada” . .
  50. 50. E o outro respondeu: "- Não estou maluco não. Cada um deve carregar a sua cruz. Mas ela é realmente pesada!" "- então por que você não corta um pedaço . . do pé da cruz? Vai ficar mais leve."
  51. 51. "- Eu não posso fazer isso, é a minha cruz, eu tenho que a carregar." "- Que palermice! Isso é uma palermice. Corte só um pedacinho, ninguém vai saber. Assim vai ficar mais leve para você carregar." . . E o homem convenceu-o a cortar um pedaço. .
  52. 52. "- Viu? Não ficou mais leve?" "- É, você tinha razão, só um pouco não vai fazer mal." E ele continuou seguindo . . a sua jornada. .
  53. 53. "- Sim, eu continuo a carregar a minha cruz." . . Bem mais lá na frente, na sua longa caminhada, eis que ele encontra novamente o tal homem. "- Como vai? Você continua a carregar isso? Achei que tivesse desistido." .
  54. 54. "- É, pode ser, não doeu nada da outra vez." . . "- Mas ela deve estar muito pesada. Por que é que você não corta mais um pouco? Vai ficar mais leve."
  55. 55. . . "- Vamos cortar. Só que vamos cortar um pouco mais para ela ficar bem mais leve. Pode ser?" Ele concordou em cortar e depois seguiu a sua jornada.
  56. 56. Muito tempo depois ele avista a cidade maravilhosa, cheia de ouro, pedras preciosas, prata. Era a visão mais maravilhosa que ele já teve em toda a sua vida. Era tão iluminada que não precisava do sol. Brilhava tanto... . .
  57. 57. Quando, sem esperar, ele se depara com um abismo e não entendeu o porquê do abismo. E, tamanho era o desespero, que ele começa a gritar e a gritar: "- Socorro, ajudem-me, quero atravessar! Socorro! Alguém que me ajude, por favor. . Quero entrar na cidade!!!" .
  58. 58. Cansado de tanto gritar, ele vê do outro lado do abismo o anjo, aquele que lhe entregou a cruz. E o anjo pergunta-lhe: "- O que tu estás a fazer aí do outro lado? Por que é que tu ainda não atravessaste?" "- Como? Não vês o abismo que . . . nos separa?"
  59. 59. . . "- Sim, vejo", respondeu o anjo. "- Então, como é que eu vou atravessar?" "- Onde está a ponte que eu te entreguei?" "- Que ponte? Tu me entregaste uma cruz e ela está comigo."
  60. 60. " - Então coloca-a no meio do abismo, porque o tamanho dela é o exacto para que tu possas atravessar." . . E o anjo disse:
  61. 61. Se a tua cruz está pesada demais, . . talvez tu estejas a carregá-la sozinho...
  62. 62. Onde está a felicidade? .
  63. 63. Era uma vez uma menina que vivia numa quinta com a família, mas que se sentia muito infeliz. Na verdade a vida nem sempre lhe era fácil. .
  64. 64. Tinha ouvido contar uma lenda que dizia que a felicidade seria alcançada por quem conseguisse encontrar o seu símbolo: um pássaro azul! . .
  65. 65. Resolveu então partir à sua procura. .
  66. 66. Foram vários os caminhos que percorreu, encontrou-se nas mais variadas situações, conviveu com diferentes pessoas, .
  67. 67. recebeu diversas informações quanto à localização do famoso pássaro, mas nada de o encontrar. .
  68. 68. O cansaço e o desanimo começaram a invadi-la. . Resolveu então voltar para casa. .
  69. 69. Foi longo o percurso mas, as saudades que já lhe faziam doer o seu coraçãozinho ajudaram-na a vencer a distância. .
  70. 70. Quando finalmente avistou, ao longe, a quinta sentiu-se reviver. .
  71. 71. Quantos abraços e beijos! . . É enorme a alegria dos pais depois de tão longa separação.
  72. 72. No dia seguinte, ao acordar, vê, na janela do seu quarto, um pássaro azul. Entretanto, ouve a voz da mãe que chama. . .
  73. 73. Num momento, relembra o sonho, medita e compreende a lição: .
  74. 74. Procurara tão longe a felicidade e ela estava tão perto de si. .
  75. 75. Não há razão para termos medo das sombras. Apenas indicam que em algum lugar próximo brilha a luz. . .
  76. 76. A paz vem de dentro de ti próprio, não a procures à tua volta. . .
  77. 77. A paz tem sua raiz na verdade. . .
  78. 78. Não existe um caminho para a paz; a paz é o caminho. . .
  79. 79. Viver em paz com Deus, consigo e com os outros é o segredo da alegria e da felicidade. . .
  80. 80. Gotas de Vida . . .
  81. 81. “A dádiva espontânea e generosa é o elemento essencial do amor.” . . .
  82. 82. . . “A paz só cresce na justiça, na liberdade e no amor.” .
  83. 83. “A alegria é uma flor rara que só cresce no jardim onde se semeia e se cultiva o . . amor.” .
  84. 84. . . “Praticar o bem é a mais prática forma de devolver ao mundo os benefícios que dele recebemos.” .
  85. 85. “O mar é traiçoeiro como a vida; a cada onda, uma surpresa, e a cada passo uma ilusão que se desfaz.” . . .
  86. 86. . . “O maior ganho material não compensa o menor passo dado fora do caminho do bem.” .
  87. 87. “Cavalheiro é o homem constantemente . . atencioso.” .
  88. 88. . . “O homem é dotado de razão para dominar o instinto e controlar os impulsos da natureza.” .
  89. 89. “O requinte externo muitas vezes . . revela o vazio do interior.” .
  90. 90. . . “Os grandes sábios, os grandes santos e as grandes verdades são sempre simples e humildes.” .
  91. 91. “A humildade eleva a sabedoria e a simplicidade aumenta a . . beleza.” .
  92. 92. . . “No falar e no agir não basta pensar em si; é indispensável lembrar-se da presença dos outros.” .
  93. 93. “Viver e agir sem amor é cavar . . a sepultura da própria felicidade.” .
  94. 94. “O egoísmo é uma visão solitária da vida, cheia . . de melancolia.” .
  95. 95. . . “A pobreza intelectual impede sempre a largueza de visão.” .
  96. 96. “Na vida mais vale semear para os outros do que colher o que . . os outros plantaram.” .
  97. 97. Conheço barcos... Conheço barcos que ficam no porto com medo de que as correntes os arrastem violentamente. . .
  98. 98. Conheço barcos que enferrujam no porto para não arriscarem nunca uma vela ao largo. . .
  99. 99. Conheço barcos que se esquecem de zarpar. Têm medo do mar por estarem a envelhecer; E as vagas nunca os separaram. A sua viagem terminou antes de começar. . .
  100. 100. Conheço barcos tão amarrados que desaprenderam de se olhar. . .
  101. 101. Conheço barcos que ficam a marulhar para estarem realmente seguros de jamais se deixar. . .
  102. 102. Conheço barcos que vão, aos pares, afrontar o temporal quando o furacão está sobre eles. . .
  103. 103. Conheço barcos que se arranham um pouco nas rotas oceânicas aonde os levam os seus manejos. . .
  104. 104. Conheço barcos que regressam ao porto, todos amassados, mas mais dignos e mais fortes. . .
  105. 105. Conheço barcos estranhamente iguais quando partilharam anos e anos de sol. . .
  106. 106. Conheço barcos que transbordam de amor quando navegaram até ao seu último dia, sem nunca recolher suas asas de gigantes, porque têm o coração à medida do oceano. . . Marie-Annick Rétif

×