SlideShare uma empresa Scribd logo

Apostila iv margem de contribuicao

1 de 6
Baixar para ler offline
Análise da Margem de Contribuição
1. CONCEITO DE MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO
        As empresas incorrem em gastos variáveis e fixos na execução de suas inúmeras atividades
operacionais, comerciais e administrativas.
        Os gastos fixos normalmente representam aquelas parcelas de despesas e custos sobre as
quais os gerentes responsáveis pelos diversos departamentos não têm autonomia de gestão, ou seja,
os executivos não podem ser responsabilizados por tais gastos, visto que foram decisões tomadas
pela alta direção quando da implantação da empresa ou criação de uma infra-estrutura operacional.
        Ao contrário, os gastos variáveis, por sua vez, representam parcelas de despesas e custos
sobre as quais os gerentes podem ser responsabilizados.
        Portanto, para a adequada atribuição de responsabilidades na avaliação de desempenho
torna-se, para a administração de uma empresa, de fundamental importância a segregação dos
gastos entre variáveis e fixos.
        A correta identificação e segregação dos gastos permitirá a obtenção e a análise da margem
de contribuição dos produtos e/ou dos departamentos, que é uma das mais importantes ferramentas
da contabilidade gerencial, para as tomadas de decisões nas organizações.
          Entende-se por margem de contribuição a diferença entre o preço de venda e a soma das
 despesas e custos variáveis de um produto ou serviço.
        A margem de contribuição é, em outras palavras, a “sobra financeira” de cada produto ou
divisão de uma empresa para a recuperação – ou amortização – das despesas e dos custos fixos de
uma entidade e para a obtenção do lucro esperado pelos empresários, como demonstrado a seguir:

Quadro 1 Exemplo de margem de contribuição global.

    Demonstração da Margem de Contribuição e do Resultado do Período                  $
    Receita total (preço de venda, liquido dos impostos, de cada produto
                                                                                    40.000
    multiplicado pela quantidade vendida)
    Total das despesas variáveis de cada produto, multiplicado pelas quantidades
                                                                                   (5.000)
    vendidas
    Total dos custos variáveis de cada produto, multiplicado pelas quantidades
                                                                                   (17.000)
    vendidas
    = Margem de contribuição                                                        18.000
    Despesas fixas                                                                  (2.000)
    Custos fixos                                                                   (11.000)
    = Lucro da empresa                                                              5.000

      A margem de contribuição pode ser apurada para cada produto manufaturado e vendido pela
empresa, ou por departamento, divisão, filial de vendas etc.

2 ANÁLISE DA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR PRODUTO
     Essa análise permitirá a obtenção de importantes informações para a tomada de decisão.
Exemplos:
     a. Quais são os produtos mais lucrativos?
     b. Qual é o produto produzido ou serviço prestado que mais contribui para a recuperação
          das despesas e custos fixos e para o lucro da empresa?
     c. Quais são os produtos deficitários?


                                                                                                1
Conseqüentemente, dará subsídios para importantes tomadas de decisões relacionadas
quanto ao mix de produção e venda tais como:
           • qual o produto cuja produção e venda devem ser incrementadas;
           • quais os produtos que menos contribuem e devem ser eliminados;
           • é vantagem fazer parte do processo fora da empresa?
           • qual o valor dos descontos de podem ser concedidos sobre o preço de venda sem
              prejudicar sensivelmente a apuração da margem de contribuição?
       Exemplo de calculo da margem de contribuição por produto: a Indústria de Instrumentos
Hospitalares Saúde Ltda. produz três modelos de aparelhos para exames clínicos: Maxlux, MédCare
e Pop.
       Seguem as informações relativas aos preços de vendas, despesas e custos variáveis de cada
produto.

Quadro 2 Margem de contribuição por produto.

                                                               MaxLux MédCare         Pop
   Modelo do aparelho
                                                                 $       $             $
   Preço de venda por unidade                                    900        600       400
   Menos
   Despesas variáveis de cada unidade vendida
     Comissão dos vendedores                                      50         30        20
      Impostos                                                   100         50        30
      Assistência técnica                                         30         10         5
   Custos variáveis de produção
      Materiais e matérias-primas                                290        130       115
      Materiais de embalagem                                      30         10        10
      Mão-de-obra direta                                         220        170       160
   Total das despesas e custos variáveis                         720        400       340
   Margem de contribuição em $                                   180        200        60
   Margem de contribuição em %                                  20,0%      33,3%     15,0%

        Como demonstrado no quadro anterior, o produto com a maior margem de contribuição
unitária é o modelo MédCare, com margem de $ 200 para cada unidade, ou 33,3% do preço de
venda, enquanto o modelo Pop é o que menos contribui, com $ 60 para cada unidade vendida, ou
15% do seu preço de venda.

3 ANÁLISE DA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR DEPARTAMENTO PRODUTIVO
OU DIVISÃO DE NEGOCIOS
       A análise da margem de contribuição também pode ser feita por departamentos, por filial,
agencia, fabrica, ou divisão comercial de uma empresa.
       Exemplo:
       a. Uma transportadora com três grandes “divisões de negócios”.
               • divisão transporte terrestre, utilizando carretas e vagões ferroviários;
               • divisão transporte marítimo de petróleo, utilizando petroleiros e embarcações
                   especiais; e
               • divisão transporte aéreo de cargas e malotes, utilizando pequenas aeronaves.



                                                                                              2
Provavelmente, os gestores dessa empresa precisam conhecer a margem de contribuição de
cada divisão de negócios, para, entre outras coisas, avaliar o desempenho divisional.
       Cada uma dessas atividades específicas contribuirá de alguma maneira para a recuperação
das despesas e custos fixos comuns as três divisões. Por exemplo, podem existir oficinas para a
manutenção dos bens e equipamentos de transportes que prestam serviços às três divisões.

       b. Um hospital pode ser dividido nos seguintes centros de lucros, entre outros, para efeito
          de apuração das margens de contribuição de cada divisão: pediatria, maternidade,
          cardiologia, urologia, ortopedia, neurologia etc.
       c. Uma universidade oferece cursos em nove áreas de conhecimento e especialização.

        A apuração dos resultados pode ser feita para cada uma das áreas, interessando, no caso, a
margem de contribuição de cada área de ensino para a recuperação das despesas e custos fixos
comuns. Por exemplo, os gastos com a segurança e limpeza normalmente são comuns a todos os
cursos.

       d. Uma indústria de bebidas produz, em uma única fábrica, três linhas           de produtos:
          refrigerantes, cervejas e vinhos. Com certeza a diretoria precisará apurar   a margem de
          contribuição e a lucratividade de cada uma dessas divisões, visto que        cada divisão
          contribui para a recuperação das despesas e custos fixos e para o            lucro, como
          demonstrado no Quadro 14.3:

Quadro 3 Resumo do resultado divisional do exercício de janeiro a dezembro.

     DIVISÃO DE NEGÓCIOS                               MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO
                                                                $                    %
     Refrigerantes                                          5.000.000               29,4
     Cervejas                                              10.000.000               58,8
     Vinhos                                                 2.000.000               11,8
     Total da margem de contribuição                       17.000.000              100,0

Quadro 4 Resumo do lucro final da fábrica de bebidas do exercício de janeiro a dezembro.

                                                                          $
            Margem de contribuição – quadro anterior                 17.000.000
            Menos: despesas e custos fixos                           (9.000.000)
            = Resultado antes do imposto de renda e
                                                                     8.000.000
            contribuição social
            Menos: provisão para o imposto de renda e
                                                                     (2.400.00)
            contribuição social (alíquota hipotética de 30%)
            = Lucro após os tributos                                 5.600.000

4 MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO E O FATOR LIMITATIVO DA PRODUÇÃO
       A preocupação principal do empresário é, quase sempre, maximizar o lucro da empresa.
       Nas indústrias que fabricam simultaneamente diversos produtos, uma das formas de
maximizar o resultado é encontrar o melhor mix de produção, ou seja, determinar o conjunto de
produtos para a produção e venda que permitirá a obtenção do lucro máximo.
       Essa tarefa pode ser simplesmente efetuada com base na análise das diversas margens de
contribuição de cada produto.

                                                                                                 3
Por exemplo, na Indústria de Instrumentos Hospitalares Saúde Ltda. citada anteriormente, o
produto com a melhor margem de contribuição é o aparelho modelo MédCare. Claro está que, em
caso de maior procura pelos clientes, a venda desse modelo deve ser incentivada, se não houver
restrições para a produção.
        No entanto, se houver restrições nos processos de produção – ou qualquer fator limitativo da
produção – o analista de custos e demais responsáveis por estabelecer o mix de produção deve
analisar com cuidado uma possível nova composição dos produtos fabricados e vendidos.
        Em outras palavras, não será mais suficiente a análise pura e simples da margem de
contribuição de todo o produto, da maneira que foi efetuada anteriormente.
           Há necessidade de analisar a chamada margem de contribuição por fator limitativo da
 produção, quando houver qualquer restrição ao uso dos fatores produtivos.
        Exemplo:
        Utilizando a margem de contribuição demonstrada no Quadro 2 e as informações a seguir, o
lucro do mês será apurado:
        a. Quantidade de produção e vendas no mês, em unidade (não haveria estoque inicial de
            produtos acabados):
            Modelo Maxlux:               1.000
            Modelo MédCare:              2.500
            Pop:                 4.800

       b. Total das despesas e custos fixos no mês: $ 400.000.
       c. A empresa utilizou a capacidade máxima mensal de produção de suas máquinas e
          equipamentos. Como o mercado consumidor estava muito aquecido na época, não
          conseguiu atender a toda a procura para o aparelho Maxlux, que foi de 1.800 unidades
          no mês, de acordo com as projeções da divisão de vendas. Portanto, poderiam ter sido
          fabricadas e vendidas mais 800 unidades desse modelo de aparelho.
       d. Os modelos Maxlux e Médcare são produzidos com as mesmas máquinas, enquanto o
          modelo Pop é produzido em outras máquinas. Não é possível utilizar as máquinas do
          modelo Pop para a fabricação dos outros modelos.
       e. Como as máquinas não eram suficientes para a produção de toda a procura pelos
          modelos Maxlux e Médcare, a empresa decidiu priorizar a produção deste último
          modelo, visto sua margem de contribuição ser maior em relação ao Maxlux.

Quadro 5 Apuração do lucro do mês, priorizando a produção do modelo Médcare, visto sua
margem de contribuição ser maior do que a do modelo Maxlux.
                                                             MaxLux       Médcare        Pop
   Modelo do aparelho
                                                               $            $             $
                                                               $ 180       $ 200         $ 60
   Margem de contribuição – preço de venda menos total
   das despesas e custos variáveis
                                                               20,0%       33,3%        15,0%
   Quantidade produzida e vendida no mês                       1.000       2.500        4.800
   Total da margem de contribuição de cada produto ($)        180.000     500.000      288.000
   Total da margem de contribuição de todos os
                                                            968.000
   produtos da empresa ($)
   Menos: Total das despesas e custos fixos no mês          (400.000)
   Lucro do mês                                             568.000

       f. Analisando os detalhes da produção, constatou-se que a capacidade máxima das
          máquinas utilizadas nos modelos Maxlux e Médcare corresponde a 19.000 horas
          mensais.

                                                                                                  4
g. Cada unidade do modelo Maxlux gasta quatro horas-máquinas, enquanto o modelo
         Médcare gasta seis horas. Dessa maneira, o total de 19.000 horas-máquinas foi utilizado
         demonstrado no Quadro 6

Quadro 6 Demonstrativo da utilização das 19.000 horas-máquinas disponível priorizando a
produção do produto com a melhor margem de contribuição por unidade.

       Modelo do aparelho                                     Maxlux        Médcare
       Quantidade produzida no mês                              1.000         2.500
       Quantidade de horas-máquinas para a produção de
                                                               4 horas       6 horas
       cada unidade
       Total de horas-máquinas gasta em cada produto no
                                                             4.000 horas   15.000 horas
       mês
       Total da capacidade das máquinas                            19.000 horas

      h. Analisando novamente a margem de contribuição de cada produto, mas levando em
         consideração a margem de contribuição para cada hora-máquina, constata-se que:
            • o modelo Maxlux oferece margem de contribuição unitária de $ 180, o que
                representa margem de contribuição de $ 45 ($ 180 dividido por 4 horas) para
                cada hora-máquina gasta; e
            • o modelo Médcare oferece margem de contribuição unitária de $ 200, o que
                representa margem de contribuição de $ 33,33 ($ 200 dividido por 6 horas) para
                cada hora-máquina utilizada.

      i. Refazendo o Quadro 6, que prioriza o produto com a melhor margem de contribuição
         para cada hora-máquina gasta, tem-se o seguinte mix de produção, demonstrado no
         Quadro 7.

Quadro 7 Demonstrativo da utilização das 19.000 horas-máquinas disponíveis priorizando a
produção do produto com a melhor margem de contribuição por hora-máquina (fator limitativo da
produção).

          Modelo do aparelho                                Maxlux         Médcare
          Quantidade produzida no mês                       1.801          1.966
          Quantidade de horas-máquinas para a produção
                                                           4 horas       6 horas
          de cada unidade
          Total de horas-máquinas gastas em cada produto
                                                         7.204 horas      11.796
          no mês
          Total da capacidade das máquinas                      19.000 horas

        Foi dada a prioridade para a fabricação do modelo Maxlux, devido a sua melhor margem de
contribuição para cada hora-máquina. Como havia mercado para a venda de aproximadamente
1.801 aparelhos, foi produzida essa quantidade, sendo gastas 7.204 horas-máquinas. As demais
horas-máquinas disponíveis foram utilizadas para produzir o modelo Médcare, sendo gastas as
restantes 11.796 horas.
        j. O resultado do mês, por sua vez, com base nesse novo mix de produtos fabricados e
            vendidos, seria apurado da seguinte maneira:




                                                                                              5
Quadro 8 Apuração do lucro do mês, priorizando a produção do modelo Maxlux, visto sua margem
de contribuição para cada hora-máquina utilizada ser maior do que a do modelo Médcare.

                                                          Maxlux     Médcare       Pop
    Modelo do aparelho
                                                             $          $            $
    Margem de contribuição – preço de venda menos          $ 180      $ 200        $ 60
    total das despesas e custos variáveis                  20%        33,3%       15%
    Quantidade produzida e vendida no mês                  1.801      1.966       4.800
    Total da margem de contribuição de cada produto - $
                                                          324.180    393.200     288.000
    (sem os centavos)
    Total da margem de contribuição de todos os
                                                                    1.005.380
    produtos da empresa - $
    Menos: Total das despesas e custos fixos no mês                 (400.000)
    Lucro do mês                                                     605.380

       Comparando este atual lucro ($ 605.380) com o lucro anterior (Quadro 14.5 - $ 568.000)
constata-se um acréscimo de $ 37.380, equivalente a 6,58%. Portanto, o segundo mix de produção,
efetuado com base na melhor margem de contribuição pelo fator limitativo da produção, permite,
sem dúvidas, maximizar o lucro da empresa.




                                                                                             6

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ponto de equilíbrio
Ponto de equilíbrioPonto de equilíbrio
Ponto de equilíbrioritims
 
Contabilidade de Custos - Conceitos Básicos
Contabilidade de Custos - Conceitos BásicosContabilidade de Custos - Conceitos Básicos
Contabilidade de Custos - Conceitos BásicosDiego Lopes
 
Apostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custosApostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custosNéia Salomão
 
Apostila v ponto de equilibrio
Apostila v   ponto de equilibrioApostila v   ponto de equilibrio
Apostila v ponto de equilibriozeramento contabil
 
Contabilidade de custos
Contabilidade de custosContabilidade de custos
Contabilidade de custosLuis Roberto
 
Aula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - Markup
Aula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - MarkupAula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - Markup
Aula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - MarkupMestredaContabilidade
 
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional MestredaContabilidade
 
Formação de Preços: Critérios Básicos por Roberto Assef
Formação de Preços: Critérios Básicos por Roberto AssefFormação de Preços: Critérios Básicos por Roberto Assef
Formação de Preços: Critérios Básicos por Roberto AssefRoberto Assef
 
Analise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioAnalise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioFilipe Mello
 
Apostila gestao de_custos_administracao
Apostila gestao de_custos_administracaoApostila gestao de_custos_administracao
Apostila gestao de_custos_administracaozeramento contabil
 
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Capitulo 2   conceitos básicos de custosCapitulo 2   conceitos básicos de custos
Capitulo 2 conceitos básicos de custosDaniel Moura
 
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroCap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroPROFESSORA_LIVIA
 
Aulas de custos (CIF)
Aulas de custos (CIF)Aulas de custos (CIF)
Aulas de custos (CIF)Adriano Bruni
 

Mais procurados (20)

Ponto de equilíbrio
Ponto de equilíbrioPonto de equilíbrio
Ponto de equilíbrio
 
Contabilidade de Custos - Conceitos Básicos
Contabilidade de Custos - Conceitos BásicosContabilidade de Custos - Conceitos Básicos
Contabilidade de Custos - Conceitos Básicos
 
Apostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custosApostila contabilidade de custos
Apostila contabilidade de custos
 
Acvl
AcvlAcvl
Acvl
 
Contab custos 5o_per_1b_2010
Contab custos 5o_per_1b_2010Contab custos 5o_per_1b_2010
Contab custos 5o_per_1b_2010
 
Apostila v ponto de equilibrio
Apostila v   ponto de equilibrioApostila v   ponto de equilibrio
Apostila v ponto de equilibrio
 
Contabilidade de custos
Contabilidade de custosContabilidade de custos
Contabilidade de custos
 
Contabilidade gerencial
Contabilidade gerencialContabilidade gerencial
Contabilidade gerencial
 
Aula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - Markup
Aula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - MarkupAula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - Markup
Aula 10 - Análise Estratégica de Finanças e Investimentos - Markup
 
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
 
Apuramento do custo de produto (ggf)
Apuramento do custo de produto (ggf)Apuramento do custo de produto (ggf)
Apuramento do custo de produto (ggf)
 
Classificacao dos custos
Classificacao dos custosClassificacao dos custos
Classificacao dos custos
 
Formação de Preços: Critérios Básicos por Roberto Assef
Formação de Preços: Critérios Básicos por Roberto AssefFormação de Preços: Critérios Básicos por Roberto Assef
Formação de Preços: Critérios Básicos por Roberto Assef
 
Analise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de EquilibrioAnalise de Ponto de Equilibrio
Analise de Ponto de Equilibrio
 
Apostila gestao de_custos_administracao
Apostila gestao de_custos_administracaoApostila gestao de_custos_administracao
Apostila gestao de_custos_administracao
 
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
Capitulo 2   conceitos básicos de custosCapitulo 2   conceitos básicos de custos
Capitulo 2 conceitos básicos de custos
 
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucroCap 13 formação do preço de venda e do lucro
Cap 13 formação do preço de venda e do lucro
 
Resumo custos
Resumo custosResumo custos
Resumo custos
 
Classifique os custos 03
Classifique os custos 03Classifique os custos 03
Classifique os custos 03
 
Aulas de custos (CIF)
Aulas de custos (CIF)Aulas de custos (CIF)
Aulas de custos (CIF)
 

Destaque

Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011
Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011
Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011Bruno Vieira
 
Guarda documentostrabalhistasprevidenciarios
Guarda documentostrabalhistasprevidenciariosGuarda documentostrabalhistasprevidenciarios
Guarda documentostrabalhistasprevidenciarioszeramento contabil
 
Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010
Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010
Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010Universia Venezuela
 
Presentacion para web
Presentacion para webPresentacion para web
Presentacion para webalexisgaaras
 
Algebra relacional
Algebra relacionalAlgebra relacional
Algebra relacionalsander07
 
Estrategias de Aprendizaje
Estrategias de AprendizajeEstrategias de Aprendizaje
Estrategias de Aprendizajevescalante
 
Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012
Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012
Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012Bruno Vieira
 
Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3
Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3
Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3Yadira Mangual
 
Presentación del examen
Presentación del examenPresentación del examen
Presentación del examenDiego Cajas
 
Cuentos en la plaza
Cuentos en la plazaCuentos en la plaza
Cuentos en la plazamabel1963
 
The national dissemination center for children with disabilities supartade e
The national dissemination center for children with disabilities supartade eThe national dissemination center for children with disabilities supartade e
The national dissemination center for children with disabilities supartade eYadira Mangual
 
Titulo treinta y tres código penal subtítulo 5 par
Titulo treinta y tres código penal subtítulo 5 parTitulo treinta y tres código penal subtítulo 5 par
Titulo treinta y tres código penal subtítulo 5 parYadira Mangual
 
Jornal 1º edição
Jornal 1º ediçãoJornal 1º edição
Jornal 1º ediçãoAlieteFG
 
Nosso Mundinho Aliete
Nosso Mundinho AlieteNosso Mundinho Aliete
Nosso Mundinho AlieteAlieteFG
 

Destaque (20)

Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011
Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011
Encarte Uberaba Supermercados Junho 2011
 
Guarda documentostrabalhistasprevidenciarios
Guarda documentostrabalhistasprevidenciariosGuarda documentostrabalhistasprevidenciarios
Guarda documentostrabalhistasprevidenciarios
 
Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010
Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010
Programa Igualdad de Oportunidades 2000-2010
 
Presentacion para web
Presentacion para webPresentacion para web
Presentacion para web
 
Algebra relacional
Algebra relacionalAlgebra relacional
Algebra relacional
 
Trabajo5
Trabajo5Trabajo5
Trabajo5
 
Estrategias de Aprendizaje
Estrategias de AprendizajeEstrategias de Aprendizaje
Estrategias de Aprendizaje
 
Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012
Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012
Encarte Uberaba Supermercados Novembro 2012
 
Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3
Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3
Titulo dieciocho educación parte i. escuelas publi 3
 
Cap29
Cap29Cap29
Cap29
 
Trabajo2
Trabajo2Trabajo2
Trabajo2
 
Presentación del examen
Presentación del examenPresentación del examen
Presentación del examen
 
Cuentos en la plaza
Cuentos en la plazaCuentos en la plaza
Cuentos en la plaza
 
The national dissemination center for children with disabilities supartade e
The national dissemination center for children with disabilities supartade eThe national dissemination center for children with disabilities supartade e
The national dissemination center for children with disabilities supartade e
 
Titulo treinta y tres código penal subtítulo 5 par
Titulo treinta y tres código penal subtítulo 5 parTitulo treinta y tres código penal subtítulo 5 par
Titulo treinta y tres código penal subtítulo 5 par
 
Circunferência
CircunferênciaCircunferência
Circunferência
 
Slides capitulo 5
Slides capitulo 5Slides capitulo 5
Slides capitulo 5
 
Jornal 1º edição
Jornal 1º ediçãoJornal 1º edição
Jornal 1º edição
 
Primitivas imediatas
Primitivas imediatasPrimitivas imediatas
Primitivas imediatas
 
Nosso Mundinho Aliete
Nosso Mundinho AlieteNosso Mundinho Aliete
Nosso Mundinho Aliete
 

Semelhante a Apostila iv margem de contribuicao

03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresaEliabe Denes
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucroDaniel Moura
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custosalbumina
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioMestredaContabilidade
 
A postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custosA postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custossimuladocontabil
 
Cco aula13 custos
Cco aula13 custosCco aula13 custos
Cco aula13 custosalbumina
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 5
Exercicios contabilidade exercicioscap 5Exercicios contabilidade exercicioscap 5
Exercicios contabilidade exercicioscap 5capitulocontabil
 
Análise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrioAnálise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbriozeramento contabil
 
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de VendaEntendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de VendaWandick Rocha de Aquino
 
Cco aula15 custos
Cco aula15 custosCco aula15 custos
Cco aula15 custosalbumina
 
CAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptx
CAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptxCAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptx
CAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptxNeheSantos
 
Aula 06 custos de produção
Aula 06   custos de produçãoAula 06   custos de produção
Aula 06 custos de produçãopetecoslides
 
Exercicios comentados custeio
Exercicios comentados custeioExercicios comentados custeio
Exercicios comentados custeiosimuladocontabil
 
Teoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.com
Teoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.comTeoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.com
Teoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.comClaudio Parra
 
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)Brígida Oliveira
 

Semelhante a Apostila iv margem de contribuicao (20)

03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
03 como administrar_os_custos_de_sua_empresa
 
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
Capitulo 4   análise de custo  volume _lucroCapitulo 4   análise de custo  volume _lucro
Capitulo 4 análise de custo volume _lucro
 
Cco aula14 custos
Cco aula14 custosCco aula14 custos
Cco aula14 custos
 
Apostila etec pfo
Apostila etec   pfoApostila etec   pfo
Apostila etec pfo
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
 
Exercicios dre
Exercicios dreExercicios dre
Exercicios dre
 
Apostila etec pfo ii
Apostila etec   pfo iiApostila etec   pfo ii
Apostila etec pfo ii
 
A postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custosA postila contabilidade de custos
A postila contabilidade de custos
 
Cco aula13 custos
Cco aula13 custosCco aula13 custos
Cco aula13 custos
 
Exercicios contabilidade exercicioscap 5
Exercicios contabilidade exercicioscap 5Exercicios contabilidade exercicioscap 5
Exercicios contabilidade exercicioscap 5
 
Análise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrioAnálise do ponto de equilíbrio
Análise do ponto de equilíbrio
 
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de VendaEntendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
Entendendo Custos, Despesas e Formação do Preço de Venda
 
Cco aula15 custos
Cco aula15 custosCco aula15 custos
Cco aula15 custos
 
CAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptx
CAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptxCAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptx
CAP 1 - MODELO CLV ( PONTO DE EQUILÍBRIO).pptx
 
Aula 06 custos de produção
Aula 06   custos de produçãoAula 06   custos de produção
Aula 06 custos de produção
 
Exercicios comentados custeio
Exercicios comentados custeioExercicios comentados custeio
Exercicios comentados custeio
 
Aspectos Financeiros Cap2
Aspectos Financeiros Cap2Aspectos Financeiros Cap2
Aspectos Financeiros Cap2
 
Teoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.com
Teoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.comTeoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.com
Teoria mark up .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Classifique os custos 11
Classifique os custos 11Classifique os custos 11
Classifique os custos 11
 
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)
 

Mais de zeramento contabil (20)

Contabilidade 11
Contabilidade 11Contabilidade 11
Contabilidade 11
 
Contabilidade 01
Contabilidade 01Contabilidade 01
Contabilidade 01
 
Contabilidade 02
Contabilidade 02Contabilidade 02
Contabilidade 02
 
Contabilidade 03
Contabilidade 03Contabilidade 03
Contabilidade 03
 
Contabilidade 04
Contabilidade 04Contabilidade 04
Contabilidade 04
 
Contabilidade 05
Contabilidade 05Contabilidade 05
Contabilidade 05
 
Contabilidade 06
Contabilidade 06Contabilidade 06
Contabilidade 06
 
Contabilidade 07
Contabilidade 07Contabilidade 07
Contabilidade 07
 
Contabilidade 08
Contabilidade 08Contabilidade 08
Contabilidade 08
 
Contabilidade 09
Contabilidade 09Contabilidade 09
Contabilidade 09
 
Contabilidade 10
Contabilidade 10Contabilidade 10
Contabilidade 10
 
Contabilidade 12
Contabilidade 12Contabilidade 12
Contabilidade 12
 
Contabilidade 13
Contabilidade 13Contabilidade 13
Contabilidade 13
 
Contabilidade 15
Contabilidade 15Contabilidade 15
Contabilidade 15
 
Razonetes cap i 2015
Razonetes cap i 2015Razonetes cap i 2015
Razonetes cap i 2015
 
Caderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-iiCaderno de-exercicios-contab-ii
Caderno de-exercicios-contab-ii
 
Livro contabilidade intermediaria 2
Livro contabilidade intermediaria 2Livro contabilidade intermediaria 2
Livro contabilidade intermediaria 2
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
 
Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00Contabilidade respostas 00
Contabilidade respostas 00
 
Rosa dos ventos
Rosa dos ventosRosa dos ventos
Rosa dos ventos
 

Apostila iv margem de contribuicao

  • 1. Análise da Margem de Contribuição 1. CONCEITO DE MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO As empresas incorrem em gastos variáveis e fixos na execução de suas inúmeras atividades operacionais, comerciais e administrativas. Os gastos fixos normalmente representam aquelas parcelas de despesas e custos sobre as quais os gerentes responsáveis pelos diversos departamentos não têm autonomia de gestão, ou seja, os executivos não podem ser responsabilizados por tais gastos, visto que foram decisões tomadas pela alta direção quando da implantação da empresa ou criação de uma infra-estrutura operacional. Ao contrário, os gastos variáveis, por sua vez, representam parcelas de despesas e custos sobre as quais os gerentes podem ser responsabilizados. Portanto, para a adequada atribuição de responsabilidades na avaliação de desempenho torna-se, para a administração de uma empresa, de fundamental importância a segregação dos gastos entre variáveis e fixos. A correta identificação e segregação dos gastos permitirá a obtenção e a análise da margem de contribuição dos produtos e/ou dos departamentos, que é uma das mais importantes ferramentas da contabilidade gerencial, para as tomadas de decisões nas organizações. Entende-se por margem de contribuição a diferença entre o preço de venda e a soma das despesas e custos variáveis de um produto ou serviço. A margem de contribuição é, em outras palavras, a “sobra financeira” de cada produto ou divisão de uma empresa para a recuperação – ou amortização – das despesas e dos custos fixos de uma entidade e para a obtenção do lucro esperado pelos empresários, como demonstrado a seguir: Quadro 1 Exemplo de margem de contribuição global. Demonstração da Margem de Contribuição e do Resultado do Período $ Receita total (preço de venda, liquido dos impostos, de cada produto 40.000 multiplicado pela quantidade vendida) Total das despesas variáveis de cada produto, multiplicado pelas quantidades (5.000) vendidas Total dos custos variáveis de cada produto, multiplicado pelas quantidades (17.000) vendidas = Margem de contribuição 18.000 Despesas fixas (2.000) Custos fixos (11.000) = Lucro da empresa 5.000 A margem de contribuição pode ser apurada para cada produto manufaturado e vendido pela empresa, ou por departamento, divisão, filial de vendas etc. 2 ANÁLISE DA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR PRODUTO Essa análise permitirá a obtenção de importantes informações para a tomada de decisão. Exemplos: a. Quais são os produtos mais lucrativos? b. Qual é o produto produzido ou serviço prestado que mais contribui para a recuperação das despesas e custos fixos e para o lucro da empresa? c. Quais são os produtos deficitários? 1
  • 2. Conseqüentemente, dará subsídios para importantes tomadas de decisões relacionadas quanto ao mix de produção e venda tais como: • qual o produto cuja produção e venda devem ser incrementadas; • quais os produtos que menos contribuem e devem ser eliminados; • é vantagem fazer parte do processo fora da empresa? • qual o valor dos descontos de podem ser concedidos sobre o preço de venda sem prejudicar sensivelmente a apuração da margem de contribuição? Exemplo de calculo da margem de contribuição por produto: a Indústria de Instrumentos Hospitalares Saúde Ltda. produz três modelos de aparelhos para exames clínicos: Maxlux, MédCare e Pop. Seguem as informações relativas aos preços de vendas, despesas e custos variáveis de cada produto. Quadro 2 Margem de contribuição por produto. MaxLux MédCare Pop Modelo do aparelho $ $ $ Preço de venda por unidade 900 600 400 Menos Despesas variáveis de cada unidade vendida Comissão dos vendedores 50 30 20 Impostos 100 50 30 Assistência técnica 30 10 5 Custos variáveis de produção Materiais e matérias-primas 290 130 115 Materiais de embalagem 30 10 10 Mão-de-obra direta 220 170 160 Total das despesas e custos variáveis 720 400 340 Margem de contribuição em $ 180 200 60 Margem de contribuição em % 20,0% 33,3% 15,0% Como demonstrado no quadro anterior, o produto com a maior margem de contribuição unitária é o modelo MédCare, com margem de $ 200 para cada unidade, ou 33,3% do preço de venda, enquanto o modelo Pop é o que menos contribui, com $ 60 para cada unidade vendida, ou 15% do seu preço de venda. 3 ANÁLISE DA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO POR DEPARTAMENTO PRODUTIVO OU DIVISÃO DE NEGOCIOS A análise da margem de contribuição também pode ser feita por departamentos, por filial, agencia, fabrica, ou divisão comercial de uma empresa. Exemplo: a. Uma transportadora com três grandes “divisões de negócios”. • divisão transporte terrestre, utilizando carretas e vagões ferroviários; • divisão transporte marítimo de petróleo, utilizando petroleiros e embarcações especiais; e • divisão transporte aéreo de cargas e malotes, utilizando pequenas aeronaves. 2
  • 3. Provavelmente, os gestores dessa empresa precisam conhecer a margem de contribuição de cada divisão de negócios, para, entre outras coisas, avaliar o desempenho divisional. Cada uma dessas atividades específicas contribuirá de alguma maneira para a recuperação das despesas e custos fixos comuns as três divisões. Por exemplo, podem existir oficinas para a manutenção dos bens e equipamentos de transportes que prestam serviços às três divisões. b. Um hospital pode ser dividido nos seguintes centros de lucros, entre outros, para efeito de apuração das margens de contribuição de cada divisão: pediatria, maternidade, cardiologia, urologia, ortopedia, neurologia etc. c. Uma universidade oferece cursos em nove áreas de conhecimento e especialização. A apuração dos resultados pode ser feita para cada uma das áreas, interessando, no caso, a margem de contribuição de cada área de ensino para a recuperação das despesas e custos fixos comuns. Por exemplo, os gastos com a segurança e limpeza normalmente são comuns a todos os cursos. d. Uma indústria de bebidas produz, em uma única fábrica, três linhas de produtos: refrigerantes, cervejas e vinhos. Com certeza a diretoria precisará apurar a margem de contribuição e a lucratividade de cada uma dessas divisões, visto que cada divisão contribui para a recuperação das despesas e custos fixos e para o lucro, como demonstrado no Quadro 14.3: Quadro 3 Resumo do resultado divisional do exercício de janeiro a dezembro. DIVISÃO DE NEGÓCIOS MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO $ % Refrigerantes 5.000.000 29,4 Cervejas 10.000.000 58,8 Vinhos 2.000.000 11,8 Total da margem de contribuição 17.000.000 100,0 Quadro 4 Resumo do lucro final da fábrica de bebidas do exercício de janeiro a dezembro. $ Margem de contribuição – quadro anterior 17.000.000 Menos: despesas e custos fixos (9.000.000) = Resultado antes do imposto de renda e 8.000.000 contribuição social Menos: provisão para o imposto de renda e (2.400.00) contribuição social (alíquota hipotética de 30%) = Lucro após os tributos 5.600.000 4 MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO E O FATOR LIMITATIVO DA PRODUÇÃO A preocupação principal do empresário é, quase sempre, maximizar o lucro da empresa. Nas indústrias que fabricam simultaneamente diversos produtos, uma das formas de maximizar o resultado é encontrar o melhor mix de produção, ou seja, determinar o conjunto de produtos para a produção e venda que permitirá a obtenção do lucro máximo. Essa tarefa pode ser simplesmente efetuada com base na análise das diversas margens de contribuição de cada produto. 3
  • 4. Por exemplo, na Indústria de Instrumentos Hospitalares Saúde Ltda. citada anteriormente, o produto com a melhor margem de contribuição é o aparelho modelo MédCare. Claro está que, em caso de maior procura pelos clientes, a venda desse modelo deve ser incentivada, se não houver restrições para a produção. No entanto, se houver restrições nos processos de produção – ou qualquer fator limitativo da produção – o analista de custos e demais responsáveis por estabelecer o mix de produção deve analisar com cuidado uma possível nova composição dos produtos fabricados e vendidos. Em outras palavras, não será mais suficiente a análise pura e simples da margem de contribuição de todo o produto, da maneira que foi efetuada anteriormente. Há necessidade de analisar a chamada margem de contribuição por fator limitativo da produção, quando houver qualquer restrição ao uso dos fatores produtivos. Exemplo: Utilizando a margem de contribuição demonstrada no Quadro 2 e as informações a seguir, o lucro do mês será apurado: a. Quantidade de produção e vendas no mês, em unidade (não haveria estoque inicial de produtos acabados): Modelo Maxlux: 1.000 Modelo MédCare: 2.500 Pop: 4.800 b. Total das despesas e custos fixos no mês: $ 400.000. c. A empresa utilizou a capacidade máxima mensal de produção de suas máquinas e equipamentos. Como o mercado consumidor estava muito aquecido na época, não conseguiu atender a toda a procura para o aparelho Maxlux, que foi de 1.800 unidades no mês, de acordo com as projeções da divisão de vendas. Portanto, poderiam ter sido fabricadas e vendidas mais 800 unidades desse modelo de aparelho. d. Os modelos Maxlux e Médcare são produzidos com as mesmas máquinas, enquanto o modelo Pop é produzido em outras máquinas. Não é possível utilizar as máquinas do modelo Pop para a fabricação dos outros modelos. e. Como as máquinas não eram suficientes para a produção de toda a procura pelos modelos Maxlux e Médcare, a empresa decidiu priorizar a produção deste último modelo, visto sua margem de contribuição ser maior em relação ao Maxlux. Quadro 5 Apuração do lucro do mês, priorizando a produção do modelo Médcare, visto sua margem de contribuição ser maior do que a do modelo Maxlux. MaxLux Médcare Pop Modelo do aparelho $ $ $ $ 180 $ 200 $ 60 Margem de contribuição – preço de venda menos total das despesas e custos variáveis 20,0% 33,3% 15,0% Quantidade produzida e vendida no mês 1.000 2.500 4.800 Total da margem de contribuição de cada produto ($) 180.000 500.000 288.000 Total da margem de contribuição de todos os 968.000 produtos da empresa ($) Menos: Total das despesas e custos fixos no mês (400.000) Lucro do mês 568.000 f. Analisando os detalhes da produção, constatou-se que a capacidade máxima das máquinas utilizadas nos modelos Maxlux e Médcare corresponde a 19.000 horas mensais. 4
  • 5. g. Cada unidade do modelo Maxlux gasta quatro horas-máquinas, enquanto o modelo Médcare gasta seis horas. Dessa maneira, o total de 19.000 horas-máquinas foi utilizado demonstrado no Quadro 6 Quadro 6 Demonstrativo da utilização das 19.000 horas-máquinas disponível priorizando a produção do produto com a melhor margem de contribuição por unidade. Modelo do aparelho Maxlux Médcare Quantidade produzida no mês 1.000 2.500 Quantidade de horas-máquinas para a produção de 4 horas 6 horas cada unidade Total de horas-máquinas gasta em cada produto no 4.000 horas 15.000 horas mês Total da capacidade das máquinas 19.000 horas h. Analisando novamente a margem de contribuição de cada produto, mas levando em consideração a margem de contribuição para cada hora-máquina, constata-se que: • o modelo Maxlux oferece margem de contribuição unitária de $ 180, o que representa margem de contribuição de $ 45 ($ 180 dividido por 4 horas) para cada hora-máquina gasta; e • o modelo Médcare oferece margem de contribuição unitária de $ 200, o que representa margem de contribuição de $ 33,33 ($ 200 dividido por 6 horas) para cada hora-máquina utilizada. i. Refazendo o Quadro 6, que prioriza o produto com a melhor margem de contribuição para cada hora-máquina gasta, tem-se o seguinte mix de produção, demonstrado no Quadro 7. Quadro 7 Demonstrativo da utilização das 19.000 horas-máquinas disponíveis priorizando a produção do produto com a melhor margem de contribuição por hora-máquina (fator limitativo da produção). Modelo do aparelho Maxlux Médcare Quantidade produzida no mês 1.801 1.966 Quantidade de horas-máquinas para a produção 4 horas 6 horas de cada unidade Total de horas-máquinas gastas em cada produto 7.204 horas 11.796 no mês Total da capacidade das máquinas 19.000 horas Foi dada a prioridade para a fabricação do modelo Maxlux, devido a sua melhor margem de contribuição para cada hora-máquina. Como havia mercado para a venda de aproximadamente 1.801 aparelhos, foi produzida essa quantidade, sendo gastas 7.204 horas-máquinas. As demais horas-máquinas disponíveis foram utilizadas para produzir o modelo Médcare, sendo gastas as restantes 11.796 horas. j. O resultado do mês, por sua vez, com base nesse novo mix de produtos fabricados e vendidos, seria apurado da seguinte maneira: 5
  • 6. Quadro 8 Apuração do lucro do mês, priorizando a produção do modelo Maxlux, visto sua margem de contribuição para cada hora-máquina utilizada ser maior do que a do modelo Médcare. Maxlux Médcare Pop Modelo do aparelho $ $ $ Margem de contribuição – preço de venda menos $ 180 $ 200 $ 60 total das despesas e custos variáveis 20% 33,3% 15% Quantidade produzida e vendida no mês 1.801 1.966 4.800 Total da margem de contribuição de cada produto - $ 324.180 393.200 288.000 (sem os centavos) Total da margem de contribuição de todos os 1.005.380 produtos da empresa - $ Menos: Total das despesas e custos fixos no mês (400.000) Lucro do mês 605.380 Comparando este atual lucro ($ 605.380) com o lucro anterior (Quadro 14.5 - $ 568.000) constata-se um acréscimo de $ 37.380, equivalente a 6,58%. Portanto, o segundo mix de produção, efetuado com base na melhor margem de contribuição pelo fator limitativo da produção, permite, sem dúvidas, maximizar o lucro da empresa. 6