SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
O PLANEAMENTO DA MOBILIDADE
CICLÁVEL DE LAZER EM MUNICÍPIOS DA
RIA DE AVEIRO
(2007-2012)


José Carlos Mota (jcmota@ua.pt)
Artur Rosa Pires (arp@ua.pt)
Departamento de Ciências Sociais,
Políticas e do Território
Universidade de Aveiro
1. A construção de um Projecto
                         1.1. Um ‘contexto original’ local
Murtosa Ciclável




                                         Tradição
                                         Condições naturais favoráveis
                                         Vontade política



                                         …um lugar central enquanto factor
                   Mobilidade            estratégico de desenvolvimento?

                   Sustentável
1. A construção de um Projecto
                   1.1. Um ‘contexto original’ (global, nacional e regional)
Murtosa Ciclável



                                               Modos Suaves de Mobilidade
                                               (emergente)
                                               Vontade política (Projecto Mobilidade
                                               Sustentável - APA)
                                               Universidade ligada à região
                                               envolvente
                                               Uma ‘escola de planeamento do
                                               território’ (ciências sociais aplicadas)
                                               Exercício de liderança colaborativa
                                               (CIRA/UA)
1. A construção de um Projecto
                             1.2. Propósito
Murtosa Ciclável




                                    ‘Mobilidade sustentável’ como
                                    um desafio para o
                                    desenvolvimento local:
                                       valorizando os recursos naturais
                                       e o património;
                                       apoiando cultura e identidade;
                                       promovendo meios de transporte
                                       saudável;
                                       e, no caminho, explorando
                                       oportunidades económicas.
1. A construção de um Projecto
                                    1.3. Quadro teórico de referência
Murtosa Ciclável




                                                                   À MOBILIDADE CICLÁVEL
                   VIAS CICLÁVEIS                                                                                  CRIANÇAS E JOVENS

                                                Dimensão 1                                                         POPULAÇÃO ACTIVA E
                   ESTACIONAMENTO                                                               Dimensão 2         EMPRESAS
                                              Actividades de                                   Actividades de
                   EQUIPAMENTOS DE
                                             Apoio e Prestação                                Dinamização da
                   APOIO                                                                                           TURISTAS
                                               de Serviços à                                 Mobilidade Ciclável
                   SERVIÇOS DE APOIO
                                             Mobilidade Ciclável
                                                                                                                   FAMILIAS E OUTROS
                                        QUADRO INSTITUCIONAL DE APOIO À MOBILIDADE CICLÁVEL




                                                                   QUADRO INSTITUCIONAL DE
                                                                                                Dimensão 4
                   ANIMAÇÃO                     Dimensão 3
                                                                                             Actividades de I&D
                                               Actividades de                                     ligados à
                   SERVIÇOS                     Animação da                                  mobilidade ciclável
                                             Mobilidade Ciclável

                   INFORMAÇÃO                                                                                      CERTIFICAÇÃO


                   ORGANIZAÇÃO                                                                                     INOVAÇÃO
                                             NÍVEL NACIONAL, REGIONAL E LOCAL
1. A construção de um Projecto
                          1.4. Quadro operativo de referência
Murtosa Ciclável

                   Construir sobre dinâmicas e experiências semelhantes –
                   BioRia (perspectiva incrementalista)
                   Inspirados em experiências e redes internacionais
                   Envolver parceiros locais, regionais e nacionais (fortalecer o
                   quadro social e institucional de suporte)
                   Experimentação ‘orientada’ (aprender fazendo, mas com
                   um quadro de referência)
                       NaturRia
                       Fóruns Murtosa Ciclável
1. A construção de um Projecto
                              1.5. Mobilização de recursos financeiros
Murtosa Ciclável / CicloRia



                               Candidatura ao Programa ‘Valorização do Território’ -
                               Acções Inovadoras para a Acessibilidade e Mobilidade
                               Urbana (POVT) - valorização dos modos suaves numa
                               perspectiva inovadora – promover o uso, animando e
                               qualificando a infra-estrutura;
2. Actividades/Resultados
           2.1.Concepção de Percursos cicláveis e sinalética
CicloRia


                                      Rede Projectada tem cerca 175 Km
                                      de extensão;
                                      Dois eixos principais, a Linha Praias e
                                      a Linha Nascente, sendo servida por
                                      eixos de acesso transversais e
                                      complementada por percursos de
                                      âmbito local;
                                      Traçado foi concebida para revelar o
                                      património paisagístico, ambiental
                                      (fauna, flora) e cultural; potenciar o
                                      conhecimento científico disponível;
                                      aproveitar os recursos existentes
                                      nos aglomerados urbanos; articular
                                      com outros modos de transporte,
                                      nomeadamente colectivos;
                                      potenciar a actividade de lazer e
                                      turismo; e incitar à utilização da
                                      bicicleta nas deslocações
                                      quotidianas.
                                      Aproveitar caminhos existentes
2. Actividades/Resultados
                   2.2. Bicicletas e fruição dos percursos cicláveis
Murtosa Ciclável
2. Actividades/Resultados
           2.3. Ligar educação e ambiente/saúde/mobilidade
CicloRia

                                      [Objectivos] instrumento que integre a
                                      temática da bicicleta nos conteúdos
                                      pedagógicos, introduzindo objectos
                                      do quotidiano nos exercícios
                                      curriculares; aumente o interesse e o
                                      envolvimento dos alunos com as
                                      disciplinas e por conseguinte com a
                                      escola e com o meio envolvente;
                                      Experiências de actividades com alunos
                                      do Ensino Básico e Secundário:
                                         Na sala de aula – a bicicleta e a
                                         saúde
                                         No recreio – Os Cientistas da
                                         Bicicleta
                                      Cooperação inter-escolas no âmbito do
                                      projecto pedagógico.
2. Actividades/Resultados
           2.4 Ligar Ambiente, Cultura e Economia (valorização do conhecimento científico)
CicloRia

                                                        Sistematização, organização e
                                                        valorização do conhecimento científico
                                                        produzido sobre vários elementos da Ria
                                                        de Aveiro e sobre o seu potencial para
                                                        qualificação e animação da mobilidade
                                                        ciclável de lazer no seu território

                                                        Como potenciar desenvolvimento
                                                        conhecimento (propostas diferentes);
                                                        Desencontro de opiniões e um novo
                                                        consenso em torno de um caminho
                                                        (construção social – avanços e recuos);
                                                        Encontro de Operadores Turísticos para
                                                        definição de produtos a explorar e
                                                        identificação de necessidades dos
                                                        mesmos. Com a presença de:
                                                        Operadores, Turismos do Centro,
                                                        Municípios, Investigadores, …
                                                        Definição de Formatos para
                                                        Disponibilização de Informação sobre a
                                                        Ria e os percursos Cicláveis. Ex: Guia,
                                                        Panfletos Temáticos,
2. Actividades/Resultados
           2.5. Ligar ciência & tecnologia com território
CicloRia
2. Actividades/Resultados
           2.6. Diversificar a ligação universidade/empresa
CicloRia

                                    Empreendedorismo/incubação no domínio da
                                    mobilidade ciclável/ambiente/lazer &
                                    turismo/saúde

                                       Plataforma para a Valorização Económica
                                       da Bicicleta, que junta os municípios
                                       (administradores do território) e
                                       parceiros ligados à produção industrial da
                                       bicicleta, ao desenvolvimento do sector
                                       das TICE, e ao conhecimento científico
                                       relativo à tecnologia, ao planeamento do
                                       território e da mobilidade e à economia;
                                       Iniciativas de promoção do
                                       empreendedorismo (Outubro 2010), em
                                       colaboração com a Incubadora de
                                       Empresas da Universidade de Aveiro
                                       (UA): passeio de empresários na área de
                                       intervenção e brainstorming de discussão
                                       de ‘ideias de negócio sobre Mobilidade
                                       Ciclável’; eventualmente lançar um
                                       concurso de ideias com a Incubadora de
                                       Empresas da Universidade de Aveiro.
3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida
                                               3.1. Mediático
Murtosa Ciclável / CicloRia
3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida
                                            3.2. Prémio Nacional
Murtosa Ciclável / CicloRia




                                                                   Murtosa -
                                                                   Prémio
                                                                   Nacional
                                                                   ‘Mobilidade em
                                                                   Bicicleta’ 2009
3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida
                                               3.3. Elogio PR
Murtosa Ciclável / CicloRia
3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida
                                          3.4. Dimensão internacional
Murtosa Ciclável / CicloRia


                                X Semana Europeia do Cicloturismo
                               6 a 13 de julho de 2014, na Murtosa
3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida
                                           3.5. Comunidade Local
Murtosa Ciclável / CicloRia
3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida
                                           3.6. Entre os ‘melhores’
Murtosa Ciclável / CicloRia
Murtosa Ciclável / CicloRia   4. Ambição de construir o futuro


                                  O tema da bicicleta/mobilidade ciclável na agenda
                                  europeia e nacional (não pode ser visto isoladamente; há
                                  um contexto favorável)

                                  O tema do ‘bem-estar’ (saúde, lazer, identidade, educação,
                                  recursos locais e desenvolvimento económico)

                                  Massa crítica - Desafios da dinamização económica;
Murtosa Ciclável / CicloRia   4. Ambição de construir o futuro
                                                              Tradição
                                                              Condições naturais favoráveis
                                Murtosa                       Vontade política
                                Ciclável                      Enquanto ‘factor estratégico de
                                                              desenvolvimento’



                                Novas ‘trajectórias de desenvolvimento’ - ‘bem-estar’

Mais conteúdo relacionado

Destaque

5k Training
5k Training5k Training
5k Training
csr0007
 
J.Hettinger Recomendation Letter.PDF
J.Hettinger Recomendation Letter.PDFJ.Hettinger Recomendation Letter.PDF
J.Hettinger Recomendation Letter.PDF
Mark Mankarious
 
The world´s greatest photographs
The world´s greatest photographsThe world´s greatest photographs
The world´s greatest photographs
steffi002
 
Scare maze laberinth
Scare maze laberinthScare maze laberinth
Scare maze laberinth
Adry14
 
Goals 2012
Goals 2012Goals 2012
Goals 2012
pcapon
 
Breicy tarea impress
Breicy tarea impressBreicy tarea impress
Breicy tarea impress
Freddywilson3
 
Lecture 5 design tools
Lecture 5 design toolsLecture 5 design tools
Lecture 5 design tools
Nicola Morelli
 
Reading gm
Reading  gmReading  gm
Reading gm
MalGL
 

Destaque (17)

Portal corporativo - Daniel Mendes - UX Designer - Arquiteto de informação
Portal corporativo - Daniel Mendes - UX Designer - Arquiteto de informaçãoPortal corporativo - Daniel Mendes - UX Designer - Arquiteto de informação
Portal corporativo - Daniel Mendes - UX Designer - Arquiteto de informação
 
5k Training
5k Training5k Training
5k Training
 
J.Hettinger Recomendation Letter.PDF
J.Hettinger Recomendation Letter.PDFJ.Hettinger Recomendation Letter.PDF
J.Hettinger Recomendation Letter.PDF
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 
Cronistas esportivos brasileiros da década de 1920
Cronistas esportivos brasileiros da década de 1920Cronistas esportivos brasileiros da década de 1920
Cronistas esportivos brasileiros da década de 1920
 
Company present 2012
Company present 2012Company present 2012
Company present 2012
 
The world´s greatest photographs
The world´s greatest photographsThe world´s greatest photographs
The world´s greatest photographs
 
O controle remoto está ao nosso alcance
O controle remoto está ao nosso alcanceO controle remoto está ao nosso alcance
O controle remoto está ao nosso alcance
 
Mode consultants
Mode consultantsMode consultants
Mode consultants
 
Scare maze laberinth
Scare maze laberinthScare maze laberinth
Scare maze laberinth
 
471 Midterm Review
471 Midterm Review471 Midterm Review
471 Midterm Review
 
Carmen eraso
Carmen erasoCarmen eraso
Carmen eraso
 
Goals 2012
Goals 2012Goals 2012
Goals 2012
 
Breicy tarea impress
Breicy tarea impressBreicy tarea impress
Breicy tarea impress
 
Lecture 5 design tools
Lecture 5 design toolsLecture 5 design tools
Lecture 5 design tools
 
Reading gm
Reading  gmReading  gm
Reading gm
 
Poesia Epica
Poesia EpicaPoesia Epica
Poesia Epica
 

Semelhante a Murtosa Ciclável 28 abr2012

QuestõEs De ReflexãO Conf Vf
QuestõEs De ReflexãO Conf VfQuestõEs De ReflexãO Conf Vf
QuestõEs De ReflexãO Conf Vf
Jose Carlos Mota
 
Mapeamento No Turismo Acessível
Mapeamento No Turismo AcessívelMapeamento No Turismo Acessível
Mapeamento No Turismo Acessível
Scott Rains
 
Apresentação be in aveiro 13 abr 2013
Apresentação be in aveiro 13 abr 2013Apresentação be in aveiro 13 abr 2013
Apresentação be in aveiro 13 abr 2013
José Carlos Mota
 
Apresentação - Leonor Maia
Apresentação - Leonor MaiaApresentação - Leonor Maia
Apresentação - Leonor Maia
PrefeituraRecife
 
Diretrizes Da Gestão
Diretrizes Da GestãoDiretrizes Da Gestão
Diretrizes Da Gestão
joceanesteio
 

Semelhante a Murtosa Ciclável 28 abr2012 (20)

Planeamento do lazer ciclável na ria de aveiro vf
Planeamento do lazer ciclável na ria de aveiro vfPlaneamento do lazer ciclável na ria de aveiro vf
Planeamento do lazer ciclável na ria de aveiro vf
 
POSTER Cidades e Regiões Bike-friendly
POSTER Cidades e Regiões Bike-friendlyPOSTER Cidades e Regiões Bike-friendly
POSTER Cidades e Regiões Bike-friendly
 
PLATAFORMA TECNOLÓGICA DA BICICLETA 31 julho 2015
PLATAFORMA TECNOLÓGICA DA BICICLETA 31 julho 2015PLATAFORMA TECNOLÓGICA DA BICICLETA 31 julho 2015
PLATAFORMA TECNOLÓGICA DA BICICLETA 31 julho 2015
 
Apresentação do Projeto Recife 500 Anos
Apresentação do Projeto Recife 500 AnosApresentação do Projeto Recife 500 Anos
Apresentação do Projeto Recife 500 Anos
 
Apresentação Futurópolis
Apresentação FuturópolisApresentação Futurópolis
Apresentação Futurópolis
 
20151118 apresentação belfast nov
20151118 apresentação belfast nov20151118 apresentação belfast nov
20151118 apresentação belfast nov
 
QuestõEs De ReflexãO Conf Vf
QuestõEs De ReflexãO Conf VfQuestõEs De ReflexãO Conf Vf
QuestõEs De ReflexãO Conf Vf
 
Adriano Sousa - CM Vila Real 16 Nov 2010 Vila Real
Adriano Sousa - CM Vila Real 16 Nov 2010 Vila RealAdriano Sousa - CM Vila Real 16 Nov 2010 Vila Real
Adriano Sousa - CM Vila Real 16 Nov 2010 Vila Real
 
Lições sobre Mobilidade Urbana – O que é Mobilidade Urbana Sustentável?
Lições sobre Mobilidade Urbana – O que é Mobilidade Urbana Sustentável?Lições sobre Mobilidade Urbana – O que é Mobilidade Urbana Sustentável?
Lições sobre Mobilidade Urbana – O que é Mobilidade Urbana Sustentável?
 
#2 Click Cicloria V1
#2 Click Cicloria V1#2 Click Cicloria V1
#2 Click Cicloria V1
 
Mapeamento No Turismo Acessível
Mapeamento No Turismo AcessívelMapeamento No Turismo Acessível
Mapeamento No Turismo Acessível
 
Apresentação be in aveiro 13 abr 2013
Apresentação be in aveiro 13 abr 2013Apresentação be in aveiro 13 abr 2013
Apresentação be in aveiro 13 abr 2013
 
be Involved - Aveiro - José Carlos Mota
be Involved - Aveiro - José Carlos Motabe Involved - Aveiro - José Carlos Mota
be Involved - Aveiro - José Carlos Mota
 
Frederico Sá Gil Ribeiro Jorge Carvalho JCM
Frederico Sá Gil Ribeiro Jorge Carvalho JCMFrederico Sá Gil Ribeiro Jorge Carvalho JCM
Frederico Sá Gil Ribeiro Jorge Carvalho JCM
 
UA CAMPUS CIDADE BIKE-FRIENDLY
UA CAMPUS CIDADE BIKE-FRIENDLYUA CAMPUS CIDADE BIKE-FRIENDLY
UA CAMPUS CIDADE BIKE-FRIENDLY
 
Abordagem sistemica aplicada a indicadores de desenvolvimento sustentável
Abordagem sistemica aplicada a indicadores de desenvolvimento sustentávelAbordagem sistemica aplicada a indicadores de desenvolvimento sustentável
Abordagem sistemica aplicada a indicadores de desenvolvimento sustentável
 
Uso público nas UC do Rio de Janeiro – Manuela Tambellini
 Uso público nas UC do Rio de Janeiro – Manuela Tambellini Uso público nas UC do Rio de Janeiro – Manuela Tambellini
Uso público nas UC do Rio de Janeiro – Manuela Tambellini
 
Apresentação - Leonor Maia
Apresentação - Leonor MaiaApresentação - Leonor Maia
Apresentação - Leonor Maia
 
Diretrizes Da Gestão
Diretrizes Da GestãoDiretrizes Da Gestão
Diretrizes Da Gestão
 
20181012 DW Debate: A Implementação dos ODSs Urbanos: Desafios e Oportunidades
20181012 DW Debate: A Implementação dos ODSs Urbanos: Desafios e Oportunidades20181012 DW Debate: A Implementação dos ODSs Urbanos: Desafios e Oportunidades
20181012 DW Debate: A Implementação dos ODSs Urbanos: Desafios e Oportunidades
 

Mais de José Carlos Mota

Mais de José Carlos Mota (20)

UAUBIKE Smart Cities Tour 2019
UAUBIKE Smart Cities Tour 2019UAUBIKE Smart Cities Tour 2019
UAUBIKE Smart Cities Tour 2019
 
E se o futuro for um regresso ao passado?
E se o futuro for um regresso ao passado?E se o futuro for um regresso ao passado?
E se o futuro for um regresso ao passado?
 
Em busca de uma solução para o Rossio – 5 temas de reflexão
Em busca de uma solução para o Rossio –  5 temas de reflexãoEm busca de uma solução para o Rossio –  5 temas de reflexão
Em busca de uma solução para o Rossio – 5 temas de reflexão
 
MENOR EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO
MENOR EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO MENOR EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO
MENOR EM ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E URBANISMO
 
Laboratórios Cívicos Urbanos - documento de trabalho
Laboratórios Cívicos Urbanos - documento de trabalhoLaboratórios Cívicos Urbanos - documento de trabalho
Laboratórios Cívicos Urbanos - documento de trabalho
 
Novas ideas e negócios ligados à mobilidade em bicicleta
Novas ideas e negócios ligados à mobilidade em bicicletaNovas ideas e negócios ligados à mobilidade em bicicleta
Novas ideas e negócios ligados à mobilidade em bicicleta
 
Em Aveiro (tudo) é possível!
Em Aveiro (tudo) é possível!Em Aveiro (tudo) é possível!
Em Aveiro (tudo) é possível!
 
Vivó bairro 21 novembro 2016 conferência internacional urbanismo tatico
Vivó bairro 21 novembro 2016 conferência internacional urbanismo taticoVivó bairro 21 novembro 2016 conferência internacional urbanismo tatico
Vivó bairro 21 novembro 2016 conferência internacional urbanismo tatico
 
TURISMO E MOBILIDADE SUAVE Invtur call-for-sessions
TURISMO E MOBILIDADE SUAVE Invtur call-for-sessionsTURISMO E MOBILIDADE SUAVE Invtur call-for-sessions
TURISMO E MOBILIDADE SUAVE Invtur call-for-sessions
 
Os novos líderes urbanos
Os novos líderes urbanosOs novos líderes urbanos
Os novos líderes urbanos
 
Sete mitos mais um sobre a participação
Sete mitos mais um sobre a participaçãoSete mitos mais um sobre a participação
Sete mitos mais um sobre a participação
 
As redes sociais e a participação no planeamento das cidades
As redes sociais e a participação no planeamento das cidadesAs redes sociais e a participação no planeamento das cidades
As redes sociais e a participação no planeamento das cidades
 
THE RELATIONSHIP BETWEEN UNIVERSITY, LOCAL AUTHORITIES, ADVOCAY AND BICYCLE I...
THE RELATIONSHIP BETWEEN UNIVERSITY, LOCAL AUTHORITIES, ADVOCAY AND BICYCLE I...THE RELATIONSHIP BETWEEN UNIVERSITY, LOCAL AUTHORITIES, ADVOCAY AND BICYCLE I...
THE RELATIONSHIP BETWEEN UNIVERSITY, LOCAL AUTHORITIES, ADVOCAY AND BICYCLE I...
 
Do we really need participation in planning?
Do we really need participation in planning?Do we really need participation in planning?
Do we really need participation in planning?
 
A cidade que temos! a cidade que queremos!
A cidade que temos! a cidade que queremos!A cidade que temos! a cidade que queremos!
A cidade que temos! a cidade que queremos!
 
Dia Mundial do Urbanismo
Dia Mundial do UrbanismoDia Mundial do Urbanismo
Dia Mundial do Urbanismo
 
A BUGA NUMA CIDADE BIKE-FRIENDLY
A BUGA NUMA CIDADE BIKE-FRIENDLY A BUGA NUMA CIDADE BIKE-FRIENDLY
A BUGA NUMA CIDADE BIKE-FRIENDLY
 
IMPROVING COLLECTIVE INTELLIGENCE TO PROMOTE BETTER CITIES
IMPROVING COLLECTIVE INTELLIGENCE TO PROMOTE BETTER CITIESIMPROVING COLLECTIVE INTELLIGENCE TO PROMOTE BETTER CITIES
IMPROVING COLLECTIVE INTELLIGENCE TO PROMOTE BETTER CITIES
 
PLANEAR CIDADES SAUDÁVEIS
PLANEAR CIDADES SAUDÁVEISPLANEAR CIDADES SAUDÁVEIS
PLANEAR CIDADES SAUDÁVEIS
 
Cidades participação e futuro noites na pólis mangualde 20 setembro_vf
Cidades participação e futuro noites na pólis mangualde 20 setembro_vfCidades participação e futuro noites na pólis mangualde 20 setembro_vf
Cidades participação e futuro noites na pólis mangualde 20 setembro_vf
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 

Último (20)

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 

Murtosa Ciclável 28 abr2012

  • 1. O PLANEAMENTO DA MOBILIDADE CICLÁVEL DE LAZER EM MUNICÍPIOS DA RIA DE AVEIRO (2007-2012) José Carlos Mota (jcmota@ua.pt) Artur Rosa Pires (arp@ua.pt) Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território Universidade de Aveiro
  • 2. 1. A construção de um Projecto 1.1. Um ‘contexto original’ local Murtosa Ciclável Tradição Condições naturais favoráveis Vontade política …um lugar central enquanto factor Mobilidade estratégico de desenvolvimento? Sustentável
  • 3. 1. A construção de um Projecto 1.1. Um ‘contexto original’ (global, nacional e regional) Murtosa Ciclável Modos Suaves de Mobilidade (emergente) Vontade política (Projecto Mobilidade Sustentável - APA) Universidade ligada à região envolvente Uma ‘escola de planeamento do território’ (ciências sociais aplicadas) Exercício de liderança colaborativa (CIRA/UA)
  • 4. 1. A construção de um Projecto 1.2. Propósito Murtosa Ciclável ‘Mobilidade sustentável’ como um desafio para o desenvolvimento local: valorizando os recursos naturais e o património; apoiando cultura e identidade; promovendo meios de transporte saudável; e, no caminho, explorando oportunidades económicas.
  • 5. 1. A construção de um Projecto 1.3. Quadro teórico de referência Murtosa Ciclável À MOBILIDADE CICLÁVEL VIAS CICLÁVEIS CRIANÇAS E JOVENS Dimensão 1 POPULAÇÃO ACTIVA E ESTACIONAMENTO Dimensão 2 EMPRESAS Actividades de Actividades de EQUIPAMENTOS DE Apoio e Prestação Dinamização da APOIO TURISTAS de Serviços à Mobilidade Ciclável SERVIÇOS DE APOIO Mobilidade Ciclável FAMILIAS E OUTROS QUADRO INSTITUCIONAL DE APOIO À MOBILIDADE CICLÁVEL QUADRO INSTITUCIONAL DE Dimensão 4 ANIMAÇÃO Dimensão 3 Actividades de I&D Actividades de ligados à SERVIÇOS Animação da mobilidade ciclável Mobilidade Ciclável INFORMAÇÃO CERTIFICAÇÃO ORGANIZAÇÃO INOVAÇÃO NÍVEL NACIONAL, REGIONAL E LOCAL
  • 6. 1. A construção de um Projecto 1.4. Quadro operativo de referência Murtosa Ciclável Construir sobre dinâmicas e experiências semelhantes – BioRia (perspectiva incrementalista) Inspirados em experiências e redes internacionais Envolver parceiros locais, regionais e nacionais (fortalecer o quadro social e institucional de suporte) Experimentação ‘orientada’ (aprender fazendo, mas com um quadro de referência) NaturRia Fóruns Murtosa Ciclável
  • 7. 1. A construção de um Projecto 1.5. Mobilização de recursos financeiros Murtosa Ciclável / CicloRia Candidatura ao Programa ‘Valorização do Território’ - Acções Inovadoras para a Acessibilidade e Mobilidade Urbana (POVT) - valorização dos modos suaves numa perspectiva inovadora – promover o uso, animando e qualificando a infra-estrutura;
  • 8. 2. Actividades/Resultados 2.1.Concepção de Percursos cicláveis e sinalética CicloRia Rede Projectada tem cerca 175 Km de extensão; Dois eixos principais, a Linha Praias e a Linha Nascente, sendo servida por eixos de acesso transversais e complementada por percursos de âmbito local; Traçado foi concebida para revelar o património paisagístico, ambiental (fauna, flora) e cultural; potenciar o conhecimento científico disponível; aproveitar os recursos existentes nos aglomerados urbanos; articular com outros modos de transporte, nomeadamente colectivos; potenciar a actividade de lazer e turismo; e incitar à utilização da bicicleta nas deslocações quotidianas. Aproveitar caminhos existentes
  • 9. 2. Actividades/Resultados 2.2. Bicicletas e fruição dos percursos cicláveis Murtosa Ciclável
  • 10. 2. Actividades/Resultados 2.3. Ligar educação e ambiente/saúde/mobilidade CicloRia [Objectivos] instrumento que integre a temática da bicicleta nos conteúdos pedagógicos, introduzindo objectos do quotidiano nos exercícios curriculares; aumente o interesse e o envolvimento dos alunos com as disciplinas e por conseguinte com a escola e com o meio envolvente; Experiências de actividades com alunos do Ensino Básico e Secundário: Na sala de aula – a bicicleta e a saúde No recreio – Os Cientistas da Bicicleta Cooperação inter-escolas no âmbito do projecto pedagógico.
  • 11. 2. Actividades/Resultados 2.4 Ligar Ambiente, Cultura e Economia (valorização do conhecimento científico) CicloRia Sistematização, organização e valorização do conhecimento científico produzido sobre vários elementos da Ria de Aveiro e sobre o seu potencial para qualificação e animação da mobilidade ciclável de lazer no seu território Como potenciar desenvolvimento conhecimento (propostas diferentes); Desencontro de opiniões e um novo consenso em torno de um caminho (construção social – avanços e recuos); Encontro de Operadores Turísticos para definição de produtos a explorar e identificação de necessidades dos mesmos. Com a presença de: Operadores, Turismos do Centro, Municípios, Investigadores, … Definição de Formatos para Disponibilização de Informação sobre a Ria e os percursos Cicláveis. Ex: Guia, Panfletos Temáticos,
  • 12. 2. Actividades/Resultados 2.5. Ligar ciência & tecnologia com território CicloRia
  • 13. 2. Actividades/Resultados 2.6. Diversificar a ligação universidade/empresa CicloRia Empreendedorismo/incubação no domínio da mobilidade ciclável/ambiente/lazer & turismo/saúde Plataforma para a Valorização Económica da Bicicleta, que junta os municípios (administradores do território) e parceiros ligados à produção industrial da bicicleta, ao desenvolvimento do sector das TICE, e ao conhecimento científico relativo à tecnologia, ao planeamento do território e da mobilidade e à economia; Iniciativas de promoção do empreendedorismo (Outubro 2010), em colaboração com a Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro (UA): passeio de empresários na área de intervenção e brainstorming de discussão de ‘ideias de negócio sobre Mobilidade Ciclável’; eventualmente lançar um concurso de ideias com a Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro.
  • 14. 3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida 3.1. Mediático Murtosa Ciclável / CicloRia
  • 15. 3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida 3.2. Prémio Nacional Murtosa Ciclável / CicloRia Murtosa - Prémio Nacional ‘Mobilidade em Bicicleta’ 2009
  • 16. 3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida 3.3. Elogio PR Murtosa Ciclável / CicloRia
  • 17. 3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida 3.4. Dimensão internacional Murtosa Ciclável / CicloRia X Semana Europeia do Cicloturismo 6 a 13 de julho de 2014, na Murtosa
  • 18. 3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida 3.5. Comunidade Local Murtosa Ciclável / CicloRia
  • 19. 3. Percurso de Ambição e Qualidade reconhecida 3.6. Entre os ‘melhores’ Murtosa Ciclável / CicloRia
  • 20. Murtosa Ciclável / CicloRia 4. Ambição de construir o futuro O tema da bicicleta/mobilidade ciclável na agenda europeia e nacional (não pode ser visto isoladamente; há um contexto favorável) O tema do ‘bem-estar’ (saúde, lazer, identidade, educação, recursos locais e desenvolvimento económico) Massa crítica - Desafios da dinamização económica;
  • 21. Murtosa Ciclável / CicloRia 4. Ambição de construir o futuro Tradição Condições naturais favoráveis Murtosa Vontade política Ciclável Enquanto ‘factor estratégico de desenvolvimento’ Novas ‘trajectórias de desenvolvimento’ - ‘bem-estar’