P R O F º J O S É F E R R E I R A J Ú N I O RA CRISTIANIZAÇÃO DEARISTÓTELES
SANTO ALBERTO MAGNO“Mas as doutrinasteológicas nãocoincidem, nos seusprincípios, com as dafilosofia: a teologiafundamenta-...
SANTO ALBERTO MAGNO Santo Alberto representou a primeira grandeexpressão filosófica e científica do impacto deAristóteles...
SANTO ALBERTO MAGNO Estudou na Universidade de Pádua e entroupara a Ordem Dominicana em 1223. Ele foi o mais ilustre cat...
SANTO ALBERTO MAGNO Em 1248, ele foi nomeado para dirigir um importantecentro de estudos (chamado studium generale) da or...
SANTO ALBERTO MAGNO Especulando como atingir o conhecimentoda verdade, procurou demonstrar que sepodia alcançá-la tanto p...
SANTO ALBERTO MAGNO Sua notável compreensão de grandediversidade de textos filosóficos permitiu queele fizesse uma das ma...
SANTO ALBERTO MAGNO Tanto na paráfrase de obras aristotélicas comoem seus escritos originais, Alberto se mostrouum admira...
SANTO ALBERTO MAGNO Sua doutrina teológica aceita as verdades baseadas naautoridade de Deus, que se revela. Por outro la...
SANTO TOMÁS DE AQUINO“Para que a inteligênciahumana possainvestigar a Deus pelasabedoria, é necessárioconhecer muitas outr...
SANTO TOMÁS DE AQUINO Nasceu em Nápoles, sul da Itália, e faleceuno convento Fossanuova, aos 49 anos deidade. Sua filoso...
SANTO TOMÁS DE AQUINO Retomando as idéias de Aristóteles sobre o ser e o saberTomás de Aquino enfatizou a importância da ...
SANTO TOMÁS DE AQUINO PRINCÍPIO DA CAUSA EFICIENTE – todosos seres que captamos pelos sentidos sãoseres contingentes, ist...
SANTO TOMÁS DE AQUINOPRINCÍPIO DA FINALIDADE –todo ser contingente existe emfunção de uma finalidade, de umobjetivo, de u...
SANTO TOMÁS DE AQUINO PRINCÍPIO DO ATO E DA POTÊNCIA –todo ser contingente possui duas dimensões:o ato e a potência.O at...
SANTO TOMÁS DE AQUINO Não se pode dizer que Tomás de Aquino tenhaapenas adaptado a filosofia de Aristóteles aocristianism...
SANTO TOMÁS DE AQUINO Introduziu uma distinção entre SER eESSÊNCIA, dividindo a metafísica em duaspartes:A do ser em ger...
SANTO TOMÁS DE AQUINO Para o filósofo, Deus é ato puro. Nãohá o que se realizar ou se atualizar emDeus, pois ele é comple...
SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de DeusO primeiro motorTudo aquilo que se move é movido poroutro ser.A cau...
SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de Deus Ser necessário e ser contingente Todo ser CONTINGENTE, do mesmo mod...
SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de Deus Os graus de perfeição Em relação à qualidade de todas as coisas exi...
SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de DeusA finalidade do ser Todas as coisas brutas, que não possueminteligên...
SANTO TOMÁS DE AQUINOProclamado pela Igreja Católicacomo o Doutor Angêlico e o Doutorpor Excelência, Tomás de Aquino érev...
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Santo Alberto Magno. Disponível em:<http://educacao.uol.com.br/biografias/santo-alberto-magno.jh...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cap 9 A Cristianização de Aristóteles

2.948 visualizações

Publicada em

Filosofia da Idade Média.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.948
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
638
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cap 9 A Cristianização de Aristóteles

  1. 1. P R O F º J O S É F E R R E I R A J Ú N I O RA CRISTIANIZAÇÃO DEARISTÓTELES
  2. 2. SANTO ALBERTO MAGNO“Mas as doutrinasteológicas nãocoincidem, nos seusprincípios, com as dafilosofia: a teologiafundamenta-se narazão, mas narevelação e nainspiração.”
  3. 3. SANTO ALBERTO MAGNO Santo Alberto representou a primeira grandeexpressão filosófica e científica do impacto deAristóteles sobre a cultura ocidental latina. Ele foi um dos mais universais pensadores daIdade Média. Seus interesses iam das ciênciasnaturais à teologia. Deixou contribuições à lógica, psicologia,metafísica, meteorologia, mineralogia, botânica ezoologia. É considerado o santo padroeiro das ciênciasnaturais.
  4. 4. SANTO ALBERTO MAGNO Estudou na Universidade de Pádua e entroupara a Ordem Dominicana em 1223. Ele foi o mais ilustre catedrático da faculdadede teologia de Paris, onde lecionou de 1245 a1248, e nesse período São Tomás de Aquino setornou seu discípulo. Foi chamado "Magno" porque seu pensamentocientífico, filosófico e teológico teve granderepercussão enquanto ainda vivia.
  5. 5. SANTO ALBERTO MAGNO Em 1248, ele foi nomeado para dirigir um importantecentro de estudos (chamado studium generale) da ordemdominicana em Colônia, para onde foi com Tomás deAquino, o qual retornaria em seguida a Paris para terminaros estudos. Alberto passou grande parte da vida estudando opensamento de Aristóteles. Ele procurou compreendê-lo distanciando-se dosestudiosos árabes, que haviam inserido suas próprias idéiasnos escritos sobre o pensamento aristotélico. No entanto, ele leu os escritos dos mais importantesfilósofos árabes para desenvolver suas próprias idéias emfilosofia.
  6. 6. SANTO ALBERTO MAGNO Especulando como atingir o conhecimentoda verdade, procurou demonstrar que sepodia alcançá-la tanto por meio da revelaçãoe da fé quanto por meio da filosofia e daciência, sem contradições. Embora houvesse mistérios acessíveissomente à fé, alguns aspectos da doutrinacristã, como a imortalidade da alma, podiamser compreendidos também pela razão.
  7. 7. SANTO ALBERTO MAGNO Sua notável compreensão de grandediversidade de textos filosóficos permitiu queele fizesse uma das mais importantes síntesesda cultura medieval. Entre seus principais escritos científicos,podemos citar: "Sobre os Vegetais e as Plantas","Sobre os Minerais" e "Sobre os Animais".Entre os escritos filosóficos: a "Metafísica" esuas paráfrases da "Ética", "Física" e "Política"de Aristóteles.
  8. 8. SANTO ALBERTO MAGNO Tanto na paráfrase de obras aristotélicas comoem seus escritos originais, Alberto se mostrouum admirador da filosofia e da ciência deAristóteles. Um de seus grandes méritos foi ter inserido oaristotelismo no pensamento cristão,orientando assim o caminho de estudos de seuilustre discípulo Tomás de Aquino, que herdoudo mestre o interesse pela metafísica e pelaantropologia.
  9. 9. SANTO ALBERTO MAGNO Sua doutrina teológica aceita as verdades baseadas naautoridade de Deus, que se revela. Por outro lado, a filosofia estabelece as verdadesenquanto conhecidas pela luz natural da razão. Acredita, assim, em vias cognitivas especificamentedistintas, autônomas e capazes de conduzir-seisoladamente dentro de suas esferas; como ciências, sãocorpos distintos, com método e princípios próprios. Admite que a existência de Deus e da alma espiritualpode ser provada por ambos os caminhos, o da razão e oda fé.
  10. 10. SANTO TOMÁS DE AQUINO“Para que a inteligênciahumana possainvestigar a Deus pelasabedoria, é necessárioconhecer muitas outrascoisas antes, poispraticamente todos osconhecimentosfilosóficos se ordenam aesse modo deconhecimento de Deus.”
  11. 11. SANTO TOMÁS DE AQUINO Nasceu em Nápoles, sul da Itália, e faleceuno convento Fossanuova, aos 49 anos deidade. Sua filosofia (Tomismo) nasceu comobjetivos claros: não contrariar a fé. Tomás de Aquino reviveu em grande parte opensamento aristotélico em busca deargumentos que explicassem os principaisaspectos da fé cristã.
  12. 12. SANTO TOMÁS DE AQUINO Retomando as idéias de Aristóteles sobre o ser e o saberTomás de Aquino enfatizou a importância da realidadesensorial. Em relação ao processo de conhecimento dessa realidade,ressaltou uma série de princípios considerados básicos,dentre os quais se destacam: PRINCÍPIO DA NÃO-CONTRADIÇÃO – o ser é ou não é. PRINCÍPIO DA SUBSTÂNCIA – na existência dos serespodemos distinguir a substância (a essência,propriamente dita, de uma coisa, sem a qual ela não seriaaquilo que é) do acidente (a qualidade não-essencial,acessória do ser).
  13. 13. SANTO TOMÁS DE AQUINO PRINCÍPIO DA CAUSA EFICIENTE – todosos seres que captamos pelos sentidos sãoseres contingentes, isto é, não possuem,em si próprios, a causa eficiente de suasexistências. Portanto, para existir, o sercontingente depende de outro ser querepresenta a sua causa eficiente, chamado deser necessário.
  14. 14. SANTO TOMÁS DE AQUINOPRINCÍPIO DA FINALIDADE –todo ser contingente existe emfunção de uma finalidade, de umobjetivo, de uma “razão de ser”.Enfim, todo ser contingente possuiuma causa final.
  15. 15. SANTO TOMÁS DE AQUINO PRINCÍPIO DO ATO E DA POTÊNCIA –todo ser contingente possui duas dimensões:o ato e a potência.O ato representa a existência atual do ser,aquilo que está realizado e determinado.A potência representa a capacidade realdo ser, aquilo que não se realizou mas poderealizar-se. É a passagem da potência parao ato que explica toda e qualquer mudança.
  16. 16. SANTO TOMÁS DE AQUINO Não se pode dizer que Tomás de Aquino tenhaapenas adaptado a filosofia de Aristóteles aocristianismo. O que o filósofo escolástico empreendeu foi umasistematização da doutrina cristã que se apóia emparte na filosofia aristotélica, mas que contémmuitos elementos estranhos ao aristotelismo: o conceito de criação do mundo; a noção de um deus único; a idéia de que o vir-a-ser (a passagem da potência ao ato)não é autodeterminado, mas procede de Deus.
  17. 17. SANTO TOMÁS DE AQUINO Introduziu uma distinção entre SER eESSÊNCIA, dividindo a metafísica em duaspartes:A do ser em geral; ea do ser pleno, que é Deus. De acordo com essa distinção, o único serrealmente pleno, no qual o ser e a essênciase identificam, é Deus.
  18. 18. SANTO TOMÁS DE AQUINO Para o filósofo, Deus é ato puro. Nãohá o que se realizar ou se atualizar emDeus, pois ele é completo. Deus é Ser, e o mundo tem ser. Deus é o SER que existe comofundamento da realidade das outrasessências que, uma vez existentes,participam de seu SER.
  19. 19. SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de DeusO primeiro motorTudo aquilo que se move é movido poroutro ser.A causa eficienteTodas as coisas existentes no mundo nãopossuem em si próprias a causa eficientede suas existências. Devem serconsideradas efeitos de alguma causa.
  20. 20. SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de Deus Ser necessário e ser contingente Todo ser CONTINGENTE, do mesmo modo que existe, podedeixar de existir. Ora, se todas as coisas que existem podem deixar de ser,então, alguma vez, nada existiu. Mas, se assim fosse, também agora nada existiria, poisaquilo que não existe somente começa a existir em função dealgo que já existia. É preciso admitir, então, que há um ser que sempre existiu,um ser absolutamente necessário, que não tenha fora de si acausa da sua existência, mas, ao contrário, que seja a causada necessidade de todos os seres contingentes. Esse ser necessário é Deus.
  21. 21. SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de Deus Os graus de perfeição Em relação à qualidade de todas as coisas existentes,pode-se afirmar a existência de graus diversos deperfeição. Ora, se uma coisa possui “mais” ou “menos” determinadaqualidade positiva, isso supõe que deve existir um sercom o máximo dessa qualidade, no nível da perfeição. Devemos admitir, então, que existe um ser com o máximode bondade, de beleza, de poder, de verdade, sendo,portanto, um SER MÁXIMO E PLENO. Esse ser é DEUS.
  22. 22. SANTO TOMÁS DE AQUINOAs provas da existência de DeusA finalidade do ser Todas as coisas brutas, que não possueminteligência própria, existem na naturezacumprindo uma função, um objetivo, umafinalidade. Devemos admitir, então, que existe algum SERINTELIGENTE que dirige todas as coisas danatureza para que cumpram seu objetivo. Esse ser é Deus.
  23. 23. SANTO TOMÁS DE AQUINOProclamado pela Igreja Católicacomo o Doutor Angêlico e o Doutorpor Excelência, Tomás de Aquino éreverenciado nos meios católicospelos filósofos e professores defilosofia.
  24. 24. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Santo Alberto Magno. Disponível em:<http://educacao.uol.com.br/biografias/santo-alberto-magno.jhtm>. Acessado em 06 de junho de2013. COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia:história e grandes temas. 16 ed. reform. e ampl. SãoPaulo: Saraiva, 2006. CHALITA, Gabriel. Vivendo a Filosofia. SãoPaulo: Ática, 2006.

×