SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
A EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
A EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL ANTECEDENTES HISTÓRICOS   CONJURAÇÃO MINEIRA ; CONJURAÇÃO BAIANA; CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO BRASIL E A ABERTURA DOS PORTOS   MOVIMENTOS EMANCIPATÓRIOS   A CONJURAÇÃO MINEIRA E A BAIANA SÃO MOVIMENTOS QUE PRETENDIAM ROMPER OS LAÇOS COM PORTUGAL.  ESSES MOVIMENTOS FORAM FORTEMENTE INFLUENCIADOS PELA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS E PELAS IDÉIAS ILUMINISTAS.   A FAMÍLIA REAL NO BRASIL D. JOÃO DECIDIU FUGIR PARA O BRASIL CONTRA AS ORDENS DO BLOQUEIO CONTINENTAL IMPOSTO POR NAPOLEÃO. EM JANEIRO DE 1808 D. JOÃO DECRETOU A ABERTURA DOS PORTOS BRASILEIROS AO COMÉRCIO COM TODAS AS NAÇÕES AMIGAS. PARA O BRASIL A ABERTURA DOS PORTOS SIGNIFICOU A LIBERDADE DE COMERCIAR COM OUTROS PAÍSES, PONDO FIM AO MONOPÓLIO COLONIAL.      TRANSFORMAÇÕES IMPORTANTES O TRATADO DE COMÉRCIO  A ADMINISTRAÇÃO JOANINA ELEVAÇÃO DO BRASIL A CONDIÇÃO DE REINO UNIDO  A REVOLUÇÃO DO PORTO OS PORTUGUESES RECLAMAVAM DA POBREZA, DA PERDA DO MONOPÓLIO DO COMÉRCIO BRASILEIRO.      EM 1820, EXPLODIU UMA MOVIMENTO NA CIDADE DO PORTO. OS REVOLUCIONÁRIOS QUERIAM A VOLTA D. JOÃO VI COM SEUS PODERES LIMITADOS.   A CAMINHO DA AUTONOMIA No Brasil um grupo de comerciantes e militares apoiava a volta de D. João VI para Portugal e o fortalecimento do poder em Lisboa. Era chamado de partido português. Outro grupo, composto por grandes fazendeiros, comerciantes e funcionários públicos era favorável à sua permanência. Esse grupo era chamado de partido brasileiro.   D. JOÃO VI: AMAVA O BRASIL  SOB PRESSÃO DAS TROPAS PORTUGUESAS QUE HAVIAM CHEGADO AO BRASIL , DECIDIU VOLTAR PARA PORTUGAL, mas D. JOÃO VI PROCUROU GARANTIR O GOVERNO DO BRASIL DEIXANDO EM NOSSO TERRITÓRIO SEU FILHO PEDRO COMO PRINCÍPE REGENTE DO BRASIL.  
DIA DO FICO   A PRIMEIRA VITÓRIA DO PARTIDO BRASILEIRO CONTRA AS CORTES DE LISBOA FOI O DIA DO FICO. NESSE EPISÓDIO D. PEDRO RECEBEU UM MANIFESTO COM MAIS DE 8 MIL ASSINATURAS PEDINDO QUE ELE DESOBEDECESSE ÀS ORDENS DE PORTUGAL E FICASSE NO BRASIL. A SEGUNDA VITÓRIA DO PARTIDO BRASILEIRO FICOU CONHECIDA COMO O “CUMPRA-SE”. D. PEDRO ASSINOU UM DECRETO DETERMINANDO QUE QUALQUER ORDEM VINDA DE PORTUGAL SÓ SERIA OBEDECIDA NO BRASIL MEDIANTE O “CUMPRA-SE’ DO PRINCÍPE REGENTE. MESES DEPOIS, ÀS MARGENS DO RIO IPIRANGA, EM SÃO PAULO, D PEDRO RECEBEU DUAS IMPORTANTES CARTAS: UMA DAS CORTES PORTUGUESAS que ANULAVA OS ATOS DE D. PEDRO NO BRASIL E EXIGIA SEU REGRESSO IMEDIATO A PORTUGAL.  E OUTRA DE JOSÉ BONIFÁCIO. CONTINHA UM AVISO: “SÓ EXISTIAM DOIS CAMINHOS: OU VOLTAR PARA PORTUGAL, COMO PRISIONEIRO OU PROCLAMAR A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL, TORNANDO-SE IMPERADOR.”   O QUE MUDOU ? POLITICAMENTE:  Existe um consenso entre os historiadores quanto ao fato de que a independência do Brasil foi liderada pelas elites, interessadas em manter a liberdade de comércio e ampliar a autonomia administrativa obtida no tempo de D. João. Dessa forma, a absorção do liberalismo no Brasil limitou-se à liquidação dos laços coloniais. ECONOMICAMENTE: O Brasil continuou sendo um país agrário e voltado para a exportação e importador de produtos manufaturados ingleses.  SOCIALMENTE:  A estrutura social brasileira continuou sendo a mesma, pois não ocorreu o fim da escravidão. Os escravos eram a base de sustentação da produção agro-exportadora brasileira.  EM RESUMO:  Conciliava-se a ruptura do pacto colonial com a preservação do escravismo.     

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
Carolina Medeiros
 
01 colônia - expansão da colonização
01   colônia - expansão da colonização01   colônia - expansão da colonização
01 colônia - expansão da colonização
Portal do Vestibulando
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
Felipe de Souza
 

Mais procurados (20)

A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
Revolução de 1930
Revolução de 1930Revolução de 1930
Revolução de 1930
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Colonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américaColonização portuguesa na américa
Colonização portuguesa na américa
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
A colonização portuguesa
A colonização portuguesaA colonização portuguesa
A colonização portuguesa
 
Descobrimento Do Brasil
Descobrimento Do  BrasilDescobrimento Do  Brasil
Descobrimento Do Brasil
 
O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)
 
América espanhola e inglesa
América espanhola e inglesaAmérica espanhola e inglesa
América espanhola e inglesa
 
01 colônia - expansão da colonização
01   colônia - expansão da colonização01   colônia - expansão da colonização
01 colônia - expansão da colonização
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
 
A mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonialA mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonial
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
Era napoleônica 8 ano
Era napoleônica 8 anoEra napoleônica 8 ano
Era napoleônica 8 ano
 

Semelhante a A emancipação política do Brasil

A alternância no poder entre as oligarquias agrárias
A alternância no poder entre as oligarquias agráriasA alternância no poder entre as oligarquias agrárias
A alternância no poder entre as oligarquias agrárias
John Fjv
 
Independência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da BahiaIndependência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da Bahia
Aulas de História
 
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
André Moraes
 
A independência do Brasil
A independência do BrasilA independência do Brasil
A independência do Brasil
Sylvio Bazote
 

Semelhante a A emancipação política do Brasil (20)

A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL E O PRIMEIRO REINADO: 1822 - 1823
A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL E O PRIMEIRO REINADO: 1822 - 1823A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL E O PRIMEIRO REINADO: 1822 - 1823
A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL E O PRIMEIRO REINADO: 1822 - 1823
 
Aula independencia do brasil cristiane araujo
Aula independencia do brasil cristiane araujoAula independencia do brasil cristiane araujo
Aula independencia do brasil cristiane araujo
 
Primeira republica
Primeira republicaPrimeira republica
Primeira republica
 
A alternância no poder entre as oligarquias agrárias
A alternância no poder entre as oligarquias agráriasA alternância no poder entre as oligarquias agrárias
A alternância no poder entre as oligarquias agrárias
 
Lola
LolaLola
Lola
 
INCONFIDENCIA MINEIRA.pptx
INCONFIDENCIA MINEIRA.pptxINCONFIDENCIA MINEIRA.pptx
INCONFIDENCIA MINEIRA.pptx
 
A Última Cruzada. Produção Original
A Última Cruzada. Produção Original A Última Cruzada. Produção Original
A Última Cruzada. Produção Original
 
Discussão Iconográfica da Independência do Brasil
Discussão Iconográfica da Independência do BrasilDiscussão Iconográfica da Independência do Brasil
Discussão Iconográfica da Independência do Brasil
 
A questão escravista no brasil imperial
A questão escravista no brasil imperialA questão escravista no brasil imperial
A questão escravista no brasil imperial
 
Avaliação história
Avaliação históriaAvaliação história
Avaliação história
 
Maçons na Independência do Brasil
Maçons na Independência do BrasilMaçons na Independência do Brasil
Maçons na Independência do Brasil
 
Independência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da BahiaIndependência do Brasil e da Bahia
Independência do Brasil e da Bahia
 
Proclamação da República e Primeira República
Proclamação da República e Primeira RepúblicaProclamação da República e Primeira República
Proclamação da República e Primeira República
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
BRASIL 05 - ERA VARGAS
BRASIL 05 - ERA VARGASBRASIL 05 - ERA VARGAS
BRASIL 05 - ERA VARGAS
 
Brasil das conjuracoes a independencia
  Brasil das conjuracoes a independencia  Brasil das conjuracoes a independencia
Brasil das conjuracoes a independencia
 
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
 
Aula 4 hist em
Aula 4   hist emAula 4   hist em
Aula 4 hist em
 
A independência do Brasil
A independência do BrasilA independência do Brasil
A independência do Brasil
 
República Velha
República VelhaRepública Velha
República Velha
 

Mais de Carlos Zaranza

O ciclo do ouro durante o período colonial brasileiro
O ciclo do ouro durante o período colonial brasileiroO ciclo do ouro durante o período colonial brasileiro
O ciclo do ouro durante o período colonial brasileiro
Carlos Zaranza
 
História do cinema brasileiro - apostila
História do cinema brasileiro -  apostilaHistória do cinema brasileiro -  apostila
História do cinema brasileiro - apostila
Carlos Zaranza
 
História da Música Brasileira
História da Música BrasileiraHistória da Música Brasileira
História da Música Brasileira
Carlos Zaranza
 

Mais de Carlos Zaranza (20)

O ciclo do ouro durante o período colonial brasileiro
O ciclo do ouro durante o período colonial brasileiroO ciclo do ouro durante o período colonial brasileiro
O ciclo do ouro durante o período colonial brasileiro
 
O movimento abolicionista durante o império brasileiro
O movimento abolicionista durante o império brasileiroO movimento abolicionista durante o império brasileiro
O movimento abolicionista durante o império brasileiro
 
Retrabalho Inove 2018
Retrabalho Inove 2018Retrabalho Inove 2018
Retrabalho Inove 2018
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos
 
Sociedade mineradora
Sociedade mineradoraSociedade mineradora
Sociedade mineradora
 
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
Brasil - a marcha da colonização da América portuguesa 2016
 
Africanos no Brasil - dominação e resistência
Africanos no Brasil - dominação e resistênciaAfricanos no Brasil - dominação e resistência
Africanos no Brasil - dominação e resistência
 
8 ano 2 tri P2 revisaço com gabarito discursivas
8 ano  2 tri P2 revisaço com gabarito discursivas8 ano  2 tri P2 revisaço com gabarito discursivas
8 ano 2 tri P2 revisaço com gabarito discursivas
 
8o ano história 2 trimestre p2 revisaço sem gabarito
8o ano história 2 trimestre p2 revisaço sem gabarito8o ano história 2 trimestre p2 revisaço sem gabarito
8o ano história 2 trimestre p2 revisaço sem gabarito
 
Revolução industrial texto de aprofundamento
Revolução industrial   texto de aprofundamentoRevolução industrial   texto de aprofundamento
Revolução industrial texto de aprofundamento
 
Revolução industrial texto de aprofundamento
Revolução industrial   texto de aprofundamentoRevolução industrial   texto de aprofundamento
Revolução industrial texto de aprofundamento
 
Revolução industrial atividade revisão
Revolução industrial   atividade revisãoRevolução industrial   atividade revisão
Revolução industrial atividade revisão
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
4 bim ativ interventiva - gabarito
4 bim ativ interventiva - gabarito4 bim ativ interventiva - gabarito
4 bim ativ interventiva - gabarito
 
História do cinema brasileiro - apostila
História do cinema brasileiro -  apostilaHistória do cinema brasileiro -  apostila
História do cinema brasileiro - apostila
 
Cinema brasileiro
Cinema brasileiroCinema brasileiro
Cinema brasileiro
 
Desenrolando o Egito
Desenrolando o EgitoDesenrolando o Egito
Desenrolando o Egito
 
História da Música Brasileira
História da Música BrasileiraHistória da Música Brasileira
História da Música Brasileira
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Ariano Suassuna
Ariano SuassunaAriano Suassuna
Ariano Suassuna
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 

Último (20)

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

A emancipação política do Brasil

  • 2. A EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL ANTECEDENTES HISTÓRICOS   CONJURAÇÃO MINEIRA ; CONJURAÇÃO BAIANA; CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO BRASIL E A ABERTURA DOS PORTOS   MOVIMENTOS EMANCIPATÓRIOS   A CONJURAÇÃO MINEIRA E A BAIANA SÃO MOVIMENTOS QUE PRETENDIAM ROMPER OS LAÇOS COM PORTUGAL. ESSES MOVIMENTOS FORAM FORTEMENTE INFLUENCIADOS PELA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS E PELAS IDÉIAS ILUMINISTAS.   A FAMÍLIA REAL NO BRASIL D. JOÃO DECIDIU FUGIR PARA O BRASIL CONTRA AS ORDENS DO BLOQUEIO CONTINENTAL IMPOSTO POR NAPOLEÃO. EM JANEIRO DE 1808 D. JOÃO DECRETOU A ABERTURA DOS PORTOS BRASILEIROS AO COMÉRCIO COM TODAS AS NAÇÕES AMIGAS. PARA O BRASIL A ABERTURA DOS PORTOS SIGNIFICOU A LIBERDADE DE COMERCIAR COM OUTROS PAÍSES, PONDO FIM AO MONOPÓLIO COLONIAL.     TRANSFORMAÇÕES IMPORTANTES O TRATADO DE COMÉRCIO A ADMINISTRAÇÃO JOANINA ELEVAÇÃO DO BRASIL A CONDIÇÃO DE REINO UNIDO A REVOLUÇÃO DO PORTO OS PORTUGUESES RECLAMAVAM DA POBREZA, DA PERDA DO MONOPÓLIO DO COMÉRCIO BRASILEIRO. EM 1820, EXPLODIU UMA MOVIMENTO NA CIDADE DO PORTO. OS REVOLUCIONÁRIOS QUERIAM A VOLTA D. JOÃO VI COM SEUS PODERES LIMITADOS.   A CAMINHO DA AUTONOMIA No Brasil um grupo de comerciantes e militares apoiava a volta de D. João VI para Portugal e o fortalecimento do poder em Lisboa. Era chamado de partido português. Outro grupo, composto por grandes fazendeiros, comerciantes e funcionários públicos era favorável à sua permanência. Esse grupo era chamado de partido brasileiro.   D. JOÃO VI: AMAVA O BRASIL SOB PRESSÃO DAS TROPAS PORTUGUESAS QUE HAVIAM CHEGADO AO BRASIL , DECIDIU VOLTAR PARA PORTUGAL, mas D. JOÃO VI PROCUROU GARANTIR O GOVERNO DO BRASIL DEIXANDO EM NOSSO TERRITÓRIO SEU FILHO PEDRO COMO PRINCÍPE REGENTE DO BRASIL.  
  • 3. DIA DO FICO   A PRIMEIRA VITÓRIA DO PARTIDO BRASILEIRO CONTRA AS CORTES DE LISBOA FOI O DIA DO FICO. NESSE EPISÓDIO D. PEDRO RECEBEU UM MANIFESTO COM MAIS DE 8 MIL ASSINATURAS PEDINDO QUE ELE DESOBEDECESSE ÀS ORDENS DE PORTUGAL E FICASSE NO BRASIL. A SEGUNDA VITÓRIA DO PARTIDO BRASILEIRO FICOU CONHECIDA COMO O “CUMPRA-SE”. D. PEDRO ASSINOU UM DECRETO DETERMINANDO QUE QUALQUER ORDEM VINDA DE PORTUGAL SÓ SERIA OBEDECIDA NO BRASIL MEDIANTE O “CUMPRA-SE’ DO PRINCÍPE REGENTE. MESES DEPOIS, ÀS MARGENS DO RIO IPIRANGA, EM SÃO PAULO, D PEDRO RECEBEU DUAS IMPORTANTES CARTAS: UMA DAS CORTES PORTUGUESAS que ANULAVA OS ATOS DE D. PEDRO NO BRASIL E EXIGIA SEU REGRESSO IMEDIATO A PORTUGAL. E OUTRA DE JOSÉ BONIFÁCIO. CONTINHA UM AVISO: “SÓ EXISTIAM DOIS CAMINHOS: OU VOLTAR PARA PORTUGAL, COMO PRISIONEIRO OU PROCLAMAR A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL, TORNANDO-SE IMPERADOR.”   O QUE MUDOU ? POLITICAMENTE: Existe um consenso entre os historiadores quanto ao fato de que a independência do Brasil foi liderada pelas elites, interessadas em manter a liberdade de comércio e ampliar a autonomia administrativa obtida no tempo de D. João. Dessa forma, a absorção do liberalismo no Brasil limitou-se à liquidação dos laços coloniais. ECONOMICAMENTE: O Brasil continuou sendo um país agrário e voltado para a exportação e importador de produtos manufaturados ingleses. SOCIALMENTE: A estrutura social brasileira continuou sendo a mesma, pois não ocorreu o fim da escravidão. Os escravos eram a base de sustentação da produção agro-exportadora brasileira. EM RESUMO: Conciliava-se a ruptura do pacto colonial com a preservação do escravismo.