Economia Brasileira

819 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
819
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Economia Brasileira

  1. 1. ECONOMIA BRASILEIRA<br /><ul><li>Altas taxas de crescimento do produto interno bruto -PIB, após a Segunda Guerra Mundial, mas perdeu dinamismo na década de 1980.
  2. 2. Pós-guerra, a estrutura produtiva brasileira mudou signativamente, observando-se um processo de industrialização acelerado.
  3. 3. A crise da dívida externa na década de 1980 e o agravamento do processo inflacionário levaram às instabilidades e crises do período.
  4. 4. A gravidade do processo inflacionário tornou o combate à inflação uma prioridade do governo na década de 1980, e o Brasil vivenciou uma série de tentativas de estabilização antes do sucesso do Plano Real no combate a inflação. </li></ul>.<br />
  5. 5. ECONOMIA BRASILEIRA <br /><ul><li>O Plano Real estabilizou a inflação em patamar baixo , o país continuou a registrar taxas de crescimento do PIB significativamente inferiores as verificadas até o início da década de 1980.
  6. 6. O baixo crescimento econômico brasileiro das últimas décadas </li></ul> tem afetado duramente o país de diferentes formas , a taxa de desemprego tem permanecido em patamar elevado.<br /><ul><li>O desafio da retomada do crescimento de modo robusto e sustentável ainda é uma questão em aberto.
  7. 7. A política monetária do Brasil é administrada pelo Banco Central do Brasil, que tem orientado suas decisões no sentido de manter a inflação em patamar baixo.</li></li></ul><li> ECONOMIA BRASILEIRA<br /><ul><li>O regime de metas para inflação foi implementado no Brasil em 1999 e orienta a estratégia adotada pelo Banco Central em suas decisões sobre taxas de juros.
  8. 8. Os elevados níveis das taxas de juros brasileiros (quando comparados internacionalmente) ainda representam um fator de preocupação no âmbito econômico no país.
  9. 9. Desde o início de 1999, o regime cambial brasileiro é o de </li></ul> livre flutuação, embora o governo tenha realizado diversas intervenções no mercado de câmbio ao longo dos últimos anos.<br /><ul><li>A excessiva volatilidade da taxa de câmbio brasileira tem sido um recorrente tema de preocupação.
  10. 10. O ajuste das contas públicas brasileiras processado a partir de 1998 foi caracterizado por aumento de impostos e contribuições.
  11. 11. Apesar do ajuste, a dívida pública brasileira seguiu crescendo em função das despesas de juros do setor público.</li></li></ul><li>ECONOMIA BRASILEIRA<br />1ª Fase : Ajuste Fiscal mínimo <br />1993/1994<br /><ul><li>Programa de Ação Imediata , criação do IPMF, revisão orçamentária , ampliação do Programa Nacional de Desestatização.
  12. 12. Criação do Fundo Social de Emergência desvinculação das receitas da União no biênio 1994/1995</li></li></ul><li>ECONOMIA BRASILEIRA<br /><ul><li> Criada para servir como padrão de valor monetário integrou, em caráter temporário, com o cruzeiro real, O Sistema Monetário Nacional, baseada em estimativas de três índices de presços, seu uso permitiu maior sincronia entre os preços da economia facilitando a transição para nova moeda.</li></ul>2ª Fase : Unidade Real de Valor <br /> 1994<br />
  13. 13. ECONOMIA BRASILEIRA<br /><ul><li>A última fase de implementação do Plano real com a conversão para reais dos preços e contratos expressos em URV. Os preços e contratos remanescentes em cruzeiros reais foram convertidos respeitadas as orientações especificas de cada contrato. A taxa de CR$ 2.750,00 por R$ 1,00 (um real).
  14. 14. Medidas adicionais de desindexação da economia. </li></ul>3ªFase : Implementação da nova moeda e medidas adicionais de desindexação <br /> 1994<br />
  15. 15. Obrigado.<br />Prof. Evandro Barbosa Dias<br />

×