O Crédito e o Sistema Financeiro

3.469 visualizações

Publicada em

Retirado do livro: Economia e Mercados: Introdução à Economia (César Roberto Leite da Silva e Sinclayr Luiz - 19ª Edição 2010)

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Crédito e o Sistema Financeiro

  1. 1. César Roberto Leite da Silva Sinclayr Luiz 19º Edição | 2010 | Economia e mercados: Introdução à economia
  2. 2. Capítulo 9 O Crédito e o Sistema Financeiro
  3. 3. <ul><li>O CRÉDITO E SUAS MODALIDADES </li></ul><ul><li>Crédito: é a troca de um bem, ou a concessão de uma quantia de moeda, pela promessa de pagamento futuro. </li></ul><ul><li>Credor: é quem empresta a quantia em moeda, sob a promessa de recebê-la no futuro. </li></ul><ul><li>Devedor: é quem deve pagar o empréstimo. </li></ul><ul><li>Financiamento: crédito no qual se empresta um objeto por uma promessa de pagamento. </li></ul><ul><li>Empréstimo: troca de dinheiro sob a promessa de pagamento futuro. </li></ul><ul><li>Crédito de produção: é concedido às empresas para que possam arcar com as despesas decorrentes da produção. </li></ul>
  4. 4. Crédito de consumo: é concedido às pessoas para que possam adquirir bens de consumo. Crédito para o Estado: é aquele que o governo utiliza para despesas de investimento ou consumo. Crédito a curto prazo: é aquele cujo prazo para pagamento é igual ou inferior a cinco meses. Crédito a médio prazo: é o crédito cujo prazo para pagamento é superior a cinco meses e inferior a cinco anos. Crédito a longo prazo: é o crédito cujo prazo para pagamento é superior a cinco anos.
  5. 5. 2. O SISTEMA FINANCEIRO Intermediação financeira: é o processo de transferência de recursos dos agentes superavitários para os deficitários, realizado pelo sistema financeiro. Sistema financeiro: é o conjunto de instituições privadas e públicas que transferem recursos dos agentes superavitários para os deficitários.
  6. 6. Qual o interesse dos agentes superavitários em transferir recursos aos agentes deficitários? O interesse está no fato de que o processo de intermediação financeira tem um custo, que é a taxa de juros ou o preço da moeda. Spread: é a diferença entre a taxa de juros cobrada pelo sistema financeiro dos agentes deficitários e a taxa de juros paga aos agentes superavitários. Constitui a remuneração do sistema financeiro. 3. ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL A Lei n o 4.595, de 21 de dezembro de 1964 e, depois, a Lei n o 4.728, de 14 de julho de 1965 organizam o sistema financeiro brasileiro.
  7. 7. Banco comercial: instituição financeira pública ou privada especializada em operações de crédito de curto e médio prazos, com o objetivo de proporcionar crédito. Banco de investimento: instituição financeira privada especializada em operações de crédito de médio e longo prazos, que atendem às empresas que precisam de recursos para arcar com as despesas de investimento. Sociedade financeira: são instituições financeiras privadas especializadas em operações de crédito para financiar a compra de bens e serviços do consumidor. Bancos oficiais: são instituições financeiras cujo objetivo principal é o repasse e a aplicação dos fundos oficiais. Conselho Monetário Nacional: coordena o sistema financeiro brasileiro, tanto as políticas monetárias, creditícia, fiscal e da dívida pública.
  8. 8. <ul><li>Banco Central do Brasil: é a autoridade monetária que fiscaliza e executa as normas baixadas pelo Conselho Monetário Nacional. </li></ul><ul><li>Ele foi criado em 31 de dezembro de 1964, por meio da transformação da antiga SUMOC – Superintendência de Moeda e Crédito -. Algumas de suas atribuições são: </li></ul><ul><li>Emitir papel-moeda; </li></ul><ul><li>Cuidar de tudo aquilo que diz respeito às instituições financeiras; </li></ul><ul><li>Regular o serviço de compensação de cheques; </li></ul><ul><li>Efetuar operações de compra e venda de títulos públicos federais; </li></ul><ul><li>Realizar operações de crédito à federação; </li></ul><ul><li>efetuar o controle dos capitais estrangeiros; </li></ul><ul><li>Cuidar do funcionamento regular do mercado cambial e do equilíbrio do balanço de pagamentos; </li></ul><ul><li>Comprar e vender títulos de sociedade de economia mista e de empresas do Estado. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Banco do Brasil: foi criado em 1808 e, atualmente, tem a função de banco comercial e de agente financeiro do governo federal, influenciando a economia do país. Algumas de suas atribuições são: </li></ul><ul><li>Ser agente do governo federal; </li></ul><ul><li>Adquirir e financiar estoques de produção exportável; </li></ul><ul><li>Executar a política de preços mínimos dos produtos agropastoris; </li></ul><ul><li>Ser agente pagador e recebedor fora do País; </li></ul><ul><li>Executar o serviço de compensação de cheques e de outros papéis; </li></ul><ul><li>Realizar operações de compra e venda de moeda estrangeira; </li></ul><ul><li>Dar execução à política de comércio exterior; </li></ul><ul><li>Financiar as atividades industriais e rurais e difundir e orientar o crédito, inclusive as atividades comerciais, suplementando a ação da rede bancária. </li></ul>
  10. 10. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDE): foi criado em 1952 para financiar a criação e expansão dos investimentos em energia elétrica, portos, transportes, armazéns, frigoríficos e indústrias de base. Atualmente, é chamado de Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Programa de Integração Social (PIS): é de onde vem parte dos recursos do BNDE e é administrado pela Caixa Econômica Federal. Patrimônio do Servidor Público (Pasep): também fornece recursos para o BNDE e é administrado pelo Banco do Brasil. Financiamento de Investimento Social (Finsocial): contribuição feita pelos empresários de produtores de mercadorias, equivalente a 0,5% do faturamento bruto de suas empresas.
  11. 11. Banco Nacional da Habitação (BNH): criado em 1964, compunha o Sistema Financeiro de Habitação junto com as sociedades de crédito imobiliário. O Sistema foi criado para executar a política habitacional do governo federal. Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS): criado em 1966, com ele, o BNH passou a ter recursos para aplicar na construção de moradias. Extinção do BNH: ocorreu em 21 de novembro de 1986 e suas atribuições foram absorvidas pela Caixa Econômica Federal. Banco Nacional de Crédito Cooperativo (BNCC): era originalmente vinculado ao Ministério da Agricultura e foi o principal instrumento de execução da política cooperativista do país. Ele foi extinto em 1990 e o Banco do Brasil assumiu suas atividades.

×