Radioterapia no Cancro da Mama

8.224 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
40
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
167
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radioterapia no Cancro da Mama

  1. 1. A Multidisciplinaridade no Cancro da Mama As Indicações da Radioterapia Rui P Rodrigues Unidade de Radioterapia Hospital CUF Descobertas http://ruirodrigues.pt
  2. 2. A Radioterapia no Cancro da Mama <ul><ul><ul><li>Introdução </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Indicações da radioterapia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Complicações do tratamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Evolução tecnológica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Processo de tratamento </li></ul></ul></ul>
  3. 3. A Radioterapia no Cancro da Mama <ul><li>A radiação pode ser usada para destruir as células neoplásicas residuais na mama ou na parede torácica após uma cirurgia, ou para reduzir o volume de um tumor antes da cirurgia. </li></ul><ul><li>A radiação também exerce a sua acção nas células normais , podendo condicionar efeitos secundários mais ou menos graves. </li></ul><ul><li>A capacidade de administrar radiações ionizantes com precisão aumentou dramaticamente ao longo das últimas décadas, o que condicionou uma redução marcada dos efeitos secundários . </li></ul>
  4. 4. A Radioterapia no Cancro da Mama <ul><li>As estratégias de tratamento do cancro desenvolveram-se de forma sistemática e consistente essencialmente durante os últimos 50 anos. </li></ul><ul><li>A radioterapia é uma das modalidades basilares nesta estratégia, estando incluida no tratamento de mais de dois terços de todos os casos de cancro e mais de metade dos casos tratados com intenção curativa . </li></ul><ul><li>A primeira aplicação terapêutica de radiações foi efectuada em 29 de Janeiro de 1896, em Chicago, no tratamento de um cancro da mama. </li></ul><ul><li>O primeiro caso com comprovação histológica de cura ocorreu em 1899 numa mulher com carcinoma espinocelular do nariz. </li></ul><ul><li>Em meados da década de 30 a radioterapia começou a ser usada como adjuvante da mastectomia radical. </li></ul>
  5. 5. A Radioterapia Adjuvante <ul><li>A radioterapia adjuvante após cirurgia conservadora reduz em 60%+ o risco de recaida local, permitindo sobrevivências idênticas às obtidas com a mastectomia. </li></ul><ul><ul><ul><li>Early Breast Cancer Trialists' Collaborative Group. Effects of radiotherapy and surgery in early breast cancer. An overview of the randomized trials (N Engl J Med 1995; 333(22): 1444-1455) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reanalysis and results after 12 years of follow-up in a randomized clinical trial comparing total mastectomy with lumpectomy with or without irradiation in the treatment of breast cancer. (N Engl J Med 1995;333:1456–61) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Favourable and unfavourable effects on long-term survival of radiotherapy for early breast cancer: an overview of the randomised trials. (Lancet 2000;355:1757–70) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Radiotherapy omission after breast-conserving surgery is associated with reduced breast cancer-specific survival in elderly women with breast cancer . (Am J Surg. 2006 Jun;191(6):749-55) </li></ul></ul></ul>
  6. 7. A Radioterapia Adjuvante <ul><li>A radioterapia também está recomendada em casos seleccionados após mastectomia , reduzindo o risco de recaida local e podendo melhorar a sobrevivência (T>5cm; margem <1mm; +4 gânglios positivos (1-3?); ruptura cápsula) </li></ul><ul><ul><ul><li>Ragaz et al. Locoregional Radiation Therapy in Patients With High-Risk Breast Cancer Receiving Adjuvant Chemotherapy: 20-Year Results of the British Columbia Randomized Trial (J Natl Cancer Inst 2005; 97: 116-126. ) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Danish Breast Cancer Cooperative Group DBCG 82c randomised trial . (Lancet 1999;353:1641–8) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Danish Breast Cancer Cooperative Group 82b Trial (N Engl J Med 1997;337:949–55) </li></ul></ul></ul>
  7. 10. A Radioterapia Paliativa <ul><ul><li>Paliação local </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Hemorragia; ulceração </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Metastização óssea (dor) </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>O alivio da dor ocorre com frequência. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>80-90% de respostas objectivas; 50-60% de remissões completas. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Dos doentes que respondem 80% permanecem sem dor </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Metastização cerebral </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>~40% de respostas objectivas </li></ul></ul></ul></ul>
  8. 11. Complicações da Radioterapia <ul><li>O risco de morte por patologia isquémica cardiaca pode ser aumentado após tratamento com radiações nos casos localizados à esquerda. </li></ul><ul><li>Tal como noutras localizações existe um risco, embora reduzido, de indução de segundas neoplasias (sarcomas; +20 anos) </li></ul><ul><li>A irradiação axilar após celulectomia aumenta o risco de linfedema , que poderá ser minimizado usando técnicas de localização do gânglio sentinela. </li></ul><ul><li>A plexopatia braquial é rara. </li></ul><ul><li>A necrose cutânea é rara. </li></ul><ul><li>A fractura de costela é rara. </li></ul>
  9. 12. Complicações da Radioterapia <ul><li>Os efeitos cosméticos relacionados com a retração dos tecidos irradiados depende também de outros factores: </li></ul><ul><ul><ul><li>Volume relativo mama/tumor </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Orientação e localização da(s) cicatriz(es), </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Complicações locais pós-operatórias </li></ul></ul></ul><ul><li>O utilização frequente de quimioterapia pode igualmente aumentar a incidência de alguns efeitos secundários da radioterapia: </li></ul><ul><ul><ul><li>Reacções cutâneas agudas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Toxicidade pulmonar </li></ul></ul></ul><ul><li>Melhoria da sobrevida c/ QT adjuvante </li></ul><ul><ul><li>< 50 anos / N (+) - 11% </li></ul></ul><ul><ul><li>< 50 anos / N (-) - 7% </li></ul></ul><ul><ul><li>> 50 anos / qq N - 3% </li></ul></ul><ul><li>Breast Ca.Trialists' Collaborative Group 1998 </li></ul>
  10. 13. A Radioterapia e o Risco Cardiaco <ul><li>O risco de morte por doença cardiaca isquémica associada à radioterapia no cancro da mama diminuiu significativamente no últimos anos, o que sugere que os avanços técnicos na administração dos tratamentos se traduziram em beneficios substanciais para os doentes a eles submetidos. </li></ul><ul><li>Estudos recentes não mostraram aumento do risco cardiaco relacionado com o lado irradiado: </li></ul><ul><ul><li>O ensaio do Danish Breast Cancer Cooperative Group 82b and 82c, com 3000 doentes submetidas radioterapia após mastectomia entre 1982 e 1990 , não mostrou qualquer diferença no risco de doença cardiaca isquémica (Lancet 1999;354:1425–30) </li></ul></ul><ul><ul><li>A incidência de enfarte de miocardio em 2128 mulheres tratadas com radioterapia entre 1982 e 1988, após cirurgia conservadora , não difere com o lado tratado(Vallis et al. J Clin Oncol 2002;20:1036–42) </li></ul></ul>
  11. 14. Risk of Cardiac Death After Adjuvant Radiotherapy for Breast Cancer Sharon H. Giordano, Yong-Fang Kuo, Jean L. Freeman, Thomas A. Buchholz, Gabriel N. Hortobagyi, James S. Goodwin Journal of the National Cancer Institute 2005; 97 (6): 419-424 http://jncicancerspectrum.oxfordjournals.org/cgi/content/full/jnci;97/6/419 Dados do National Cancer Institute's Surveillance, Epidemiology, and End Results (SEER). Mulheres diagnosticadas com cancro da mama entre 1973–1989 e submetidas a radioterapia adjuvante (n = 27.283)
  12. 15. Evolução da Radioterapia <ul><li>A redução do risco tem a ver com alterações na tecnologia e técnicas de radioterapia utilizadas com diferenças substanciais entre a década de 70 e 80. </li></ul><ul><li>Técnicas extintas (ou em vias de extinção) : </li></ul><ul><ul><li>Radiação de ortovoltagem ou Cobalto-60 </li></ul></ul><ul><ul><li>Grandes doses por fracção </li></ul></ul><ul><ul><li>Campos tangenciais profundos </li></ul></ul><ul><ul><li>Campos directos anteriores com fotões </li></ul></ul><ul><li>Técnicas implementadas : </li></ul><ul><ul><li>Aceleradores lineares (hemicampos, MLC) </li></ul></ul><ul><ul><li>Planeamento com TAC </li></ul></ul><ul><ul><li>3DCRT / IMRT / IGRT / 4DCRT </li></ul></ul>
  13. 16. Evolução da Radioterapia
  14. 17. Evolução da Radioterapia Passado
  15. 18. Evolução da Radioterapia Presente
  16. 19. Evolução da Radioterapia Aceleradores lineares
  17. 20. Evolução da Radioterapia Colimação de feixes
  18. 21. Evolução da Radioterapia Colimação de feixes - Antes
  19. 22. Evolução da Radioterapia Colimação de feixes - Agora
  20. 23. Processo de planeamento
  21. 24. Processo de planeamento
  22. 25. Imobilização: Dispositivos
  23. 26. TAC de planeamento
  24. 27. Simulação Virtual
  25. 28. Dosimetria
  26. 29. Dosimetria - II
  27. 30. Verificação de tratamento
  28. 31. Verificação do tratamento »»
  29. 32. Verificação do tratamento »»
  30. 33. Verificação do tratamento »»
  31. 34. Colimadores multilâminas e IMRT
  32. 35. Imobilização: Active breath coordination Movimentos respiratórios normais Inspiração forçada – respiratory gating
  33. 36. Conclusões <ul><ul><li>Após excisão local completa é recomendável efectuar radioterapia, pois esta permite uma redução significativa no número de recidivas locais e um aumento da sobrevivência. A radioterapia não deverá ser omitida, mesmo em casos seleccionados. </li></ul></ul><ul><ul><li>Após mastectomia a radioterapia é recomendável nos casos de elevado risco de recidiva loco-regional (T>5cm; +4N+; ruptura capsular). </li></ul></ul><ul><ul><li>Mesmo no contexto de doença disseminada a radioterapia pode contribuir na paliação de sintomas locais ou secundários à metastização cerebral ou óssea. </li></ul></ul><ul><ul><li>As melhorias tecnológicas e alterações na estratégia de administração dos tratamentos permitiram reduzir a incidência de complicações . </li></ul></ul>
  34. 37. A Multidisciplinaridade no Cancro da Mama As Indicações da Radioterapia Rui P Rodrigues Unidade de Radioterapia Hospital CUF Descobertas http://ruirodrigues.pt

×