Preparo do Solo

2.815 visualizações

Publicada em

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.815
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
134
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Preparo do Solo

  1. 1. PREPARO DO SOLO Francisco de Assis de Carvalho Pinto Prof. Chico
  2. 2. Por que mecanizar ?  População 1900 a 2000 (17,4 a 168 milhões)  1943: 68,8% no meio rural  2000: 19% no meio rural DEMANDA DA PRODUTIVIDADE DO HOMEM RURAL
  3. 3. Vídeo MF
  4. 4. Finalidade Visa propiciar condições favoráveis à semeadura, germinação, desenvolvimento e produção das plantas cultivadas
  5. 5. Tipos de Preparo de Solo  Preparo Inicial do Solo  Área vai ser mobilizada pela primeira vez com máquinas (desmatamento, enleiramento, destocamento, sistematização, aração, gradagem, ...)  Preparo periódico do solo
  6. 6. Preparo Inicial  Derrubada  Destocamento  Enleiramento
  7. 7. Derrubada - máquinas  Lâminas  Correntão  Rolo faca  Moto Serra
  8. 8. Derrubada - máquinas  Lâminas  Correntão  Rolo faca  Moto Serra Lâmina KG
  9. 9. Derrubada - máquinas  Lâminas  Correntão  Rolo faca  Moto Serra Lâmina KG
  10. 10. Derrubada - máquinas  Lâminas  Correntão  Rolo faca  Moto Serra
  11. 11. Derrubada - máquinas  Lâminas  Correntão  Rolo faca  Moto Serra Rolo faca IMASA
  12. 12. Derrubada - máquinas  Lâminas  Correntão  Rolo faca  Moto Serra
  13. 13. Destocadores
  14. 14. Enleiramento
  15. 15. Preparo Periódico do Solo - Máquinas  Arados  Grades  Subsoladores  Sulcadores  Enxada rotativa
  16. 16. Aração Corta, eleva, esboroa e inverte a leiva
  17. 17. Arado  Acionamento  Tração animal  Tração mecânica  Acoplamento à fonte de potência  Arrasto  Montado  Semimontado  Movimentação do órgão ativo  Fixo  Reversível  Tipo de órgão ativo  Aiveca  Discos
  18. 18. Qual a classificação ?  Arado de disco  Tração mecânica  Montado  Fixo
  19. 19. Qual a classificação ?  Arado de disco  Tração mecânica  Montado  Reversível
  20. 20. Qual a classificação ?  Arado de 4 aivecas helicoidal  Tração mecânica  Montado  Fixo TATU - Marchesan
  21. 21. Qual a classificação ?  Arado de 7 aivecas cilíndricas  Tração mecânica  Arrasto  Reversível TATU - Marchesan
  22. 22. Constituição – Arado de aiveca  1 – aiveca  2 – relha  3 – rasto  4 – suporte  5 – coluna
  23. 23. Tipos de aivecas  Cilíndrica  Helicoidal  Mista  Recortada Material menos grudento – “plástico”
  24. 24. Sucção Lateral e Vertical (5 a 13 mm) Instabilidade na largura de corte Instabilidade na profundidade de trabalho36
  25. 25. Características Típicas dos Arados de Aiveca  Largura de corte  30, 35, 40 e 45 cm  Profundidade de trabalho  20 - 35 cm  Quanto mais em pé a aiveca – melhor tombamento  Cilíndricas – aração profunda e/ou velocidade menores  Helicoidais – aração mais rasas e/ou velocidades maiores
  26. 26. Constituição – Arado de discos  1 – disco  2 – campânula  3 – eixo da campânula  4 – retentor  5 – rolamento de roletes  6 – base da coluna  7 – porca de fixação  8 – tampa do mancal
  27. 27. Ângulo Horizontal e Vertical Largura e velocidade rotação Profundidade Sentido deslocamento α Linha vertical β
  28. 28. Ângulo Horizontal e Vertical Tipo de Solo Ângulo Vertical Ângulo Horizontal Solos duros, difícil penetração 15 45 Solos normais 18 a 20 45 a 50 Solos macios e/ou úmidos, fácil penetração 22 50 a 60
  29. 29. Arado gradeador – discos interdependentes  Corte mais superficial  Dependendo do solo: não há necessidade da gradagem
  30. 30. Força exigida pelos arados F = a + b. v2  F = força por unidade da secção da leiva (N/cm2 )  a, b = constantes que dependem do solo e do tipo de arado  v = velocidade de deslocamento da máquina, km/h
  31. 31. Constantes a e b - Aivecas a b Argila siltosa 7 0,049 Silt arenoso 3 0,032 Franco arenoso 2,8 0,013 Areia 2 0,013
  32. 32. Constantes a e b - Discos a b Argila 5,2 0,039 Franco 2,4 0,045
  33. 33. Catálogo – Arado disco fixo Especificações Técnicas Modelo Nº de Discos Dimensões dos Discos Espaçamento (mm) Largura de Corte (mm) Peso(Kg) Ø 26" (S/R) Potência (CV) no Motor 02 550-650 314 45-50 03 800-920 408 60-70 04 1020-1230 492 80-95 AF 05 26 " x 4,75 mm ou 28" x 6,0 mm 570 1280-1550 594 105-120
  34. 34. Catálogo – Arado aiveca fixo Especificações Técnicas Modelo Nº de Aivecas Espaçamento(mm) Largura de Corte (mm) Altura Livre (mm) Peso (Kg) Potência (CV) no Motor 02 900 290 75-85 03 1350 396 90-100AAH 04 880 1800 730 544 105-120
  35. 35. Grades  Podem ser utilizadas antes ou depois da aração, ou em substituição a mesma  Desagregar torrões e nivelar superfície  Incorporação de fertilizantes ou defensivos, enterrio de sementes miúdas e eliminação de plantas invasoras
  36. 36. Tipos de grades – quanto ao acoplamento  Montadas (transporte) e arrasto (trabalhando)  Montadas – leves  Arrasto – médias e pesadas
  37. 37. Tipos de grades – quanto ao elemento ativo  Discos  Dentes  Molas
  38. 38. Tipos de grades – quanto ao movimento do solo  Simples ação  Dupla ação  Tandem – em X  Off-set – em V
  39. 39. Tipos de grades – quanto a função  Niveladora (até 50kg/disco)  Niveladora- destorroadora  Aradora (acima de 50kg/disco)
  40. 40. Força exigida pelas grades F = a.M  F = Força de tração (N)  a = constante que depende do solo  M = massa da grade (kg)
  41. 41. Constante a A Argila 14,7 Franco siltoso 11,7 Franco arenoso 7,8
  42. 42. Catálogo – Grade aradora Tandem Especificações Técnicas Peso c/ Discos de: Modelo Nº de discos Diâmetro dos Discos Diâmetro dos Discos Diâmetro do Eixo Largura de Trab.(mm) Espaç. Discos (mm) Profundidade (mm) 26"Kg 28"Kg Potência do trator de Esteira(Cv) GCRTI 62 26"ou 28" 1.5/8" 8505 270 150 a 250 6049 6100 280 a 320 GCRTI 70 26"ou 28" 1.5/8" 9600 270 150 a 250 6830 6900 315 a 340
  43. 43. Catálogo – Grade Niveladora Peso Aprox. com Disco de:Modelo Nº de Discos Diâmetro dos Discos Diâmetro do Eixo ø Largura de Trab. (mm) Espaçamento entre Discos (mm) Profundidade Aprox. (mm) 20" kg 22" kg Potência do Trator (cv) Rodeiro NVCR 28 20" ou 22" 1.1/4" 2350 175 50 a 150 1188 1289 70 a 75 Simples NVCR 32 20" ou 22" 1.1/4" 2700 175 50 a 150 1289 1422 80 a 85 Simples NVCR 36 20" ou 22" 1.1/4" 3000 175 50 a 150 1360 1499 90 a 95 Simples NVCR 40 20" ou 22" 1.1/4" 3420 175 50 a 150 1450 1590 105 a 112 Simples NVCR 42 20" ou 22" 1.1/4" 3600 175 50 a 150 1542 1691 110 a 118 Simples NVCR 44 20" ou 22" 1.1/4" 3760 175 50 a 150 1630 1780 115 a 123 Simples NVCR 48 20" ou 22" 1.1/4" 4100 175 50 a 150 1769 1932 125 a 135 Simples NVCR 52 20" ou 22" 1.1/4" 4450 175 50 a 150 1860 2025 135 a 145 Simples
  44. 44. Catálogo – Grade niveladora- destorroadora Peso Aprox. c/ Discos de: Modelo Nº de Discos Largura de Trab. (mm) Espaç.Discos (mm) 18" (Kg) 20" (Kg) 22" (Kg) Potência do Trator(Cv SPR 20 1700 175 470 500 543 46 - 51 SPR 24 2100 175 540 575 625 55 - 61 SPR 28 2350 175 590 630 690 65 - 70 SPR 32 2700 175 670 720 789 73 - 80 SPR 36 3000 175 710 765 843 85 - 90 SPR 42 3600 175 810 870 961 95 - 105 SPR 20 1900 200 530 566 612 51 - 55 SPR 24 2300 200 587 630 685 61 - 65 SPR 28 2700 200 682 733 797 70 - 75 SPR 32 3100 200 760 818 891 80 - 85 SPR 36 3500 200 842 907 989 90 - 100
  45. 45. Enxadas rotativas LAVRALE NORTHWES T
  46. 46. Subsoladores  Desagregação de camadas compactadas  Profundidades de trabalho podem chegar a 80 cm  Exige muita potência
  47. 47. Constituição - subsoladores  1 – barra porta ferramenta  2 – haste  3 – ponta  4 – rodas de controle de profundidade
  48. 48. Tipos de hastes e opcionais
  49. 49. Subsolador (profundidade acima de 30 cm) ou Escarificador ?
  50. 50. Escarificador
  51. 51. Alguns modelos Subsolador arrasto com desarme e rearme automático Subsolador montado
  52. 52. Alguns modelos Escarificador de arrasto controle remoto Escarificador montado
  53. 53. Alguns modelos Subsolador vibratório CEMAG
  54. 54. Alguns modelos Subsolador com torpedo Subsolador Alado
  55. 55. Força exigida - subsolador F = a . d  F = força de tração por haste (N)  a = constante que depende do solo  d = profundidade (cm)
  56. 56. Constante a a Franco arenoso 120 a 190 Médio ou franco argiloso 175 a 280
  57. 57. Características importantes  Não deve ser realizado com o solo úmido  Uma gradagem após a subsolagem pode anular o trabalho  A semeadura após a subsolagem é o ideal  Danoso quando não necessário: perda de estrutura em cama-das profundas – perda de água e nutrientes  Afastamento: 1 a 1,5 da profundidade
  58. 58. Informação Catálogo Especificações Técnicas Modelo Nº de Hastes Tamanho das Pontas Largura das Hastes(pol) Espac. entre hastes (mm) Largura de Trabalho (mm) Profund.de trabalho(mm) Altura Livre (mm) Peso Aprox. (kg) Potência do Trator (Cv) AETH 7/5 5 16"X 2"X 5/8" 2"X 1.1/4 305 1525 250 a 300 528 528 50 a 60 AETH 7/7 7 16"X 2"X 5/8" 2"X 1.1/4 305 2135 250 a 300 630 630 60 a 75 AETH 11/9 9 16"X 2"X 5/8" 2"X 1.1/4 305 2745 250 a 300 868 868 75 a 90 AETH 11/11 11 16"X 2"X 5/8" 2"X 1.1/4 305 3355 250 a 300 970 970 90 a 110
  59. 59. Sulcadores  Abrir sulcos para plantio, irrigação, controle de erosão, ...
  60. 60. Alguns modelos
  61. 61. Força exigida  F = 21,5 d2  F = força (N)  d = profundidade (cm)  Franco argila siltosa
  62. 62. Terraceador
  63. 63. Taipadora - arroz
  64. 64. Exercício  http://www.ufv.br/poscolheita/colheita/prep
  65. 65. Bibliografia  Máquinas Agrícolas, Luiz Antônio Balastreire, Editora Manole Ltda, 1987.  Preparo de Solo: técnicas e implementos, Gastão Moraes da Silveira, Editora Aprenda Fácil, 2001

×