Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

2.198 visualizações

Publicada em

Slide desenvolvido sobre o tema Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
172
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

  1. 1. MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS
  2. 2. NUTRIÇÃO + SANIDADE = REPRODUÇÃO
  3. 3. Eficiência Reprodutiva = Fertilidade + Prolificidade (TR)= número de crias desmamadas / número de fêmeas expostas x 100).
  4. 4. MANEJO ALIMENTAR  Bom nível nutricional  BOM ESTADO CORPORAL DAS OVELHAS   Maior taxa Maior peso Maior peso de ovulação ao nascer à desmama _____________________ ____________ Maior prolificidade Maior taxa de sobrevivência (Mais cordeiros nascidos/ovelha) (Mais kg de cordeiros desmamados/ovelha)
  5. 5. MANEJO REPRODUTIVO DAS FÊMEAS • Puberdade – 4 a 8 meses Puberdade X Desenvolvimento corporal • Maturidade Sexual – 70 a 75% + ou - 12meses
  6. 6. MANEJO REPRODUTIVO DAS FÊMEAS • Boa produção de leite • Úbere bem inserido • Gestação e partos normais • Aspecto feminino • Aborto • Ausência de doenças infecciosas e parasitárias • Boa fertilidade • Seleção de matrizes
  7. 7. MANEJO REPRODUTIVO DO MACHO • Puberdade – 4 meses • Maturidade Sexual – 6 a 7meses 24 meses adulto {
  8. 8. • Seleção de reprodutores MANEJO REPRODUTIVO DO MACHO • Exame clínico -andrológico • Presença de libido • Aspecto masculino • Ausência de agnatismo e prognatismo • Bons cascos e aprumos • Presença de chifres ou amochados
  9. 9. MORFOLOGIA DO SISTEMA GENITAL  Fêmea
  10. 10. MORFOLOGIA DO SISTEMA GENITAL  Ciclo estral {Cabra 17 a 24 dias Ovelha 14 a 19 dias Fases do ciclo estral   Folicular Progesterônica
  11. 11. MORFOLOGIA DO SISTEMA GENITAL  Estro { Cabra 24 a 48h Ovelha 31,1 h  Identificação do estro • Animal fica inquieto • Monta e deixar ser montado •Presença de corrimento • Urina com freqüência • Presença de vulva inchada, avermelhada e vagina úmida
  12. 12. MORFOLOGIA DO SISTEMA GENITAL  Macho
  13. 13. SISTEMAS DE ACASALAMENTO  Monta natural não controlada  Monta natural controlada  Inseminação artificial { Rufiões Reprodutores
  14. 14. BIOTÉCNICAS APLICADSA NA REPRODUÇÃO INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL SINCRONIZAÇÃO DO ESTRO DIAGNÓSTICO DE GESTAÇÃO TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÕES
  15. 15. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Vantagens • Melhoramento genético do rebanho • Utilização de animais de alto valor zootécnico • Diminui os custos com manutenção de reprodutores • Reduz o número de doenças transmitidas sexualmente
  16. 16. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Vantagens • Utilização de reprodutores incapazes de realizar a monta • Permite o acasalamento de várias fêmeas no mesmo dia • Programação de partos para épocas mais adequadas • Utilização de material genético de animais que já estão mortos
  17. 17. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Limitações • Exige infra-estrutura mínima na propriedade • Adoção de normais de manejo e sanidade • Difusão taras genéticas • Aumento de parentesco no rebanho • Técnicos treinados • Transmissão de doenças • Investimento na compra de equipamentos
  18. 18. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Sincronização do cio  Efeito macho { Efeito macho Tratamento hormonal • Afastar os machos • Suplementação alimentar • Introdução do rufião • Após sete dias acasalamento
  19. 19. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Sincronização do cio  Tratamento hormonal { Efeito macho Tratamento hormonal • Prolongar ou encurtar a fase lútea do ciclo • Implantes vaginais( esponjas e CIDR • Implantes auriculares
  20. 20. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Sincronização do cio  Tratamento hormonal Limpeza da região genital da fêmea com água e sabão   Prostaglandina 0,25mL e eCG 1ml Retirada do implante Caprinos
  21. 21. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Sincronização do cio  Tratamento hormonal 2 DIA 0 Implante + 0,5 prostaglandina   DIA 6 Cio DIA 7 Inseminação Caprinos DIA 5 Retirada do implante +1,5 de eCG
  22. 22. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Sincronização do cio  Tratamento hormonal Limpeza da região genital da fêmea com água e sabão   eCG 200U.I Retirada do implante Ovino
  23. 23. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL Vagina artificial # eletroejaculador  Tecnologia do Sêmen
  24. 24. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Tecnologia do Sêmen Características macroscópicas • Volume – 0,3 a 2,0 mililitros • Cor - Amarelo a branco marfim • Aspecto – Leitoso a cremoso
  25. 25. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Tecnologia do Sêmen Características microscópicas • MIP: 0 – 100% • Vigor: 0 -5 • Concentração
  26. 26. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Tecnologia do Sêmen Tipos de sêmen • Fresco • Refrigerado • Congelado
  27. 27. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Tecnologia do Sêmen Tipos de diluidores • Água de coco • Tris-leite • Tris-gema
  28. 28. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Tecnologia do Sêmen Envazamento • Pallets ou palhetas • 0,25mL • 0,50mL
  29. 29. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Materiais para inseminação • Espéculo vaginal • Aplicador de sêmen • Solução desinfetante • Botijão de criobiológico
  30. 30. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Etapas da inseminação • Preparação do material • Limpeza da região genital da fêmea • Contenção do animal • Inseminação • Fêmea • Anotação dos dados
  31. 31. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL Manuseio do material •Trabalhar na sombra • Retirada das doses de sêmen • Cuidados com o botijão • Nível do nitrogênio • Evitar contato do nitrogênio com a pele
  32. 32. INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL  Ficha de inseminação Proprietario_______________ Propriedade__________________ Cidade______________________________________Estado____ OBSData efetiva do parto Data provável do parto Tipo de I.A Data da cobertura N. do doador N. da fêmea N. de ordem
  33. 33. TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO  Colheita de embrião via transcervical
  34. 34. TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO  Colheita de embrião via transcervical
  35. 35. TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO  Inovulaçao
  36. 36. TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO  Cuidados durante a colheita
  37. 37. GESTAÇÃO  Diagnóstico • Desaparecimento do cio • Palpação abdominal • Dosagem de progesterona • Raio X • Ultra-som
  38. 38. GESTAÇÃO  Cuidados com a gestação e parto • Secagem do úbere • Fornecimento de alimentação adequada para fase • Evitar deslocamentos  Parto
  39. 39. CRIA  Cuidados com a cria • Corta e curar umbigo • Colostro • Acompanhar o desenvolvimento • Correntes de ar • Realizar OPG • Introduzir forragem • Evitar excesso de animais no cabriteiro

×