SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
24/04/2012 1Prolegômenos
Prolegômenos
Introdução
O objetivo deste tema, como o próprio
nome diz, é apresentar, em linhas
gerais, o caráter e o escopo da
Doutrina Espírita.
Prolegômenos
Conceito
24/04/2012 Prolegômenos 2
Do grego prolegomena, coisas que se
dizem antes.
Exposição preliminar dos princípios gerais
de uma ciência ou arte.
Introdução geral de uma obra.
• Prolegômenos
Prolegômenos
Aspectos Gerais
24/04/2012 Prolegômenos 3
Allan Kardec, assessorado pelos Espíritos
superiores, trouxe-nos os subsídios básicos para o
encaminhamento de nosso pensamento às coisas
da alma.
Baseando-se no diálogo socráticodiálogo socrático, de perguntas e
respostas, constrói um saber de caráter universal.
Esforçou-se na captação das mensagens dos
benfeitores espirituais, sem mescla de seu
personalismo ou das suas ideias preconcebidas.
Dizia que a Doutrina não era sua, mas dos
habitantes do outro mundo, o mundo dos Espíritos.
Prolegômenos
Os Fenômenos
24/04/2012 Prolegômenos 4
Quando algo nos foge da percepção sensorialpercepção sensorial, servimo-nos
das explicações extra-sensoriaisextra-sensoriais, tais como, a telepatiatelepatia, a
premoniçãopremonição, a telecinesiatelecinesia etc., longamente testadas por J. B.
Rhine, nos Estados Unidos da América.
Contudo, na época da codificação, os fenômenos mediúnicosfenômenos mediúnicos
eram atribuídos ao magnetismomagnetismo, à bruxariabruxaria, ao possessopossesso.
Como a verdade não admite contestação, essas explicaçõesexplicações
do sobrenaturaldo sobrenatural cederam lugar à Doutrina EspíritaDoutrina Espírita, onde
Allan Kardec procurou estudar pormenorizadamente cada
ocorrência, para lhe dar um cunho universal, baseado nos
fatos e não em opiniões individuais.
• Percepção Sensorial e Extra-Sensorial
Prolegômenos
Os Fenômenos
24/04/2012 Prolegômenos 5
Como se verá ao longo do livro, Allan Kardec
procurou sempre relacionar o efeito à causarelacionar o efeito à causa.
Diz: se o efeito é inteligente a causa também ose o efeito é inteligente a causa também o
seráserá, pois se assim não acontecer, não haverá
coerência no afirmado.
Além do mais, os fenômenos podem ser repetidosrepetidos,
não só em França e nos Estados Unidos, mas em
todos os recantos do Planeta Terra.
Eles devem proceder do mesmo princípiomesmo princípio, sem o
qual haverá contradiçãocontradição.
• Causa e Efeito
Prolegômenos
Os Fenômenos
24/04/2012 Prolegômenos 6
De acordo com o Evangelho de Jesus, quando chegasse o
momento oportuno, a divindade nos enviaria o ConsoladorConsolador
Prometido, o ParácletoPrometido, o Parácleto, em que nos lembrarialembraria dos
ensinamentos do cristianismo primitivo e nos daria
oportunidade de obter novos conhecimentos acerca da vida
presente e da futura.
O Consolador Prometido é o EspiritismoConsolador Prometido é o Espiritismo que, através de
seus pressupostos, faz-nos apreender uma nova ordem de
ideias, que nos darão força para enfrentar destemidamente
todos os obstáculos que a matéria nos proporciona.
• Os Tempos Estão Chegados
Prolegômenos
O Compêndio de seus Ensinamentos
24/04/2012 Prolegômenos 7
Livro PrimeiroLivro Primeiro: as Causas Primárias (Deus, Elementos Gerais do
Universo, Criação, Princípio Vital)
Livro SegundoLivro Segundo: Mundo Espírita ou dos Espíritos (Dos Espíritos,
Encarnação dos Espíritos, Retorno da Vida Corpórea à Vida
Espiritual, Pluralidade das Existências, Considerações sobre a
Pluralidade das Existências, Vida Espírita, Retorno à Vida Corporal,
Emancipação da Alma, Intervenção dos Espíritos no Mundo
Corpóreo, Ocupações e Missões dos Espíritos, Os Três Reinos)
Livro TerceiroLivro Terceiro: As Leis Morais (Lei Divina ou Natural, Lei de
Adoração, Lei do Trabalho, Lei de Conservação, Lei de Destruição,
Lei de Sociedade, Lei de Progresso, Lei de Igualdade, Lei de
Liberdade, Lei de Justiça, Amor e Caridade, Perfeição Moral)
Livro QuartoLivro Quarto: Esperanças e Consolações (Penas e Gozos Terrenos,
Penas e Gozos Futuros)
• O Livro está Dividido em 4 Partes
Prolegômenos
O Compêndio de seus Ensinamentos
24/04/2012 Prolegômenos 8
"Este livro é o compêndio dos seus ensinamentos.
Foi escrito por ordem e sob ditado dos Espíritos superiores para
estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional, livre doslivre dos
prejuízos do espírito de sistemaprejuízos do espírito de sistema.
Nada contém que não seja a expressão do seu pensamento e não
tenha sofrido o seu controle.
A ordem e a distribuição metódica das matérias, assim como as
notas e a forma de algumas partes da redação constituem a única
obra daquele que recebeu a missão de o publicar". (Kardec, 1995,
p. 50)
ObservaçãoObservação: espírito de sistema é ficar preso a um sistema de
ideias, geralmente de um autor, como, por exemplo, Descartes,
Kant, Spinoza etc.
• Livre dos Prejuízos do Espírito de Sistema
Prolegômenos
O Compêndio de seus Ensinamentos
24/04/2012 Prolegômenos 9
"No número dos Espíritosnúmero dos Espíritos que concorreram para a
realização desta obra há muitos que viveram em
diferentes épocas na Terra, onde pregaram e
praticaram a virtude e a sabedoria.
Outros não pertencemnão pertencem, por seus nomes, a nenhum
personagempersonagem de que a História tenha guardado a
memória, mas a sua elevação é atestada pela
pureza de sua doutrina e pela união com os que
trazem nomes venerados". (Kardec, 1995, p. 51)
• Quantidade de Espíritos
Prolegômenos
Missão de Escrever o Livro
24/04/2012 Prolegômenos 10
"Ocupa-te, com zelo e perseverançazelo e perseverança, do trabalho que
empreendeste com o nosso concurso, porque esse trabalhoesse trabalho
é nossoé nosso.
Nele pusemos as bases do novo edifíciobases do novo edifício que se eleva e que
um dia deverá reunir todos os homens num mesmo
sentimento de amor e caridade; mas, antes de o divulgares,
revê-lo-emos juntos, a fim de controlar todos os detalhes.
Estaremos contigo sempre que o pedires, para te ajudar nos
demais trabalhos, porque esta não é mais do que uma parteporque esta não é mais do que uma parte
da missão que te foi confiada e que um de nós já te revelouda missão que te foi confiada e que um de nós já te revelou".
(Kardec, 1995, p. 51)
• Zelo e Perseverança
Prolegômenos
Missão de Escrever o Livro
24/04/2012 Prolegômenos 11
"Porás no cabeçalho do livro o ramo de parreiraramo de parreira que te
desenhamos, porque é ele o emblema do trabalho do
Criador.
Todos os princípios materiais que podem melhor representar
o corpo e o espírito nele se encontram reunidos: o corpo é oo corpo é o
ramoramo; o espírito é a seivaespírito é a seiva; a alma, ou o espírito ligado àespírito ligado à
matéria é o bagomatéria é o bago.
O homem quintessencia o espíritoquintessencia o espírito pelo trabalho e tu sabes
que não é senão pelo trabalho do corpo que o espírito
adquire conhecimentos". (Kardec, 1995, p. 51)
• Parreira
Prolegômenos
Missão de Escrever o Livro
24/04/2012 Prolegômenos 12
São João EvangelistaSão João Evangelista
Santo AgostinhoSanto Agostinho
São Vicente de PauloSão Vicente de Paulo
São LuizSão Luiz
O Espírito da VerdadeO Espírito da Verdade
• Espíritos Auxiliares
SócratesSócrates
PlatãoPlatão
FénelonFénelon
FranklinFranklin
Swedenborg...Swedenborg...
Prolegômenos
Conclusão
24/04/2012 Prolegômenos 13
Essas orientações, que os
Espíritos superiores deram a Allan
Kardec, quando da codificação da
Doutrina, deveria servir como
norma de conduta para todo o
Espírita sinceroEspírita sincero.
Prolegômenos
Bibliografia Consultada
24/04/2012 Prolegômenos 14
KARDEC, A. O Livro dos Espíritos.
8. ed. São Paulo: Feesp, 1995.
Texto em HTMLTexto em HTML
http://www.sergiobiagigregorio.com.br/pa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infânciaBruno Cechinel Filho
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Denise Aguiar
 
Roteiro 1 influência dos espíritos
Roteiro 1   influência dos espíritosRoteiro 1   influência dos espíritos
Roteiro 1 influência dos espíritosBruno Cechinel Filho
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoAnderson Zilli
 
Pluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitadosPluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitadoshome
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hhome
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteDenise Aguiar
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Tiburcio Santos
 
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismoSono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismoDeborah Oliver
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e açãoBruno Cechinel Filho
 
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9contatodoutrina2013
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Leonardo Pereira
 
Centro Espírita - Farol de Luz
Centro Espírita - Farol de LuzCentro Espírita - Farol de Luz
Centro Espírita - Farol de LuzRicardo Azevedo
 
Mediunidade com Jesus
Mediunidade com JesusMediunidade com Jesus
Mediunidade com Jesushome
 

Mais procurados (20)

Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Roteiro 1 influência dos espíritos
Roteiro 1   influência dos espíritosRoteiro 1   influência dos espíritos
Roteiro 1 influência dos espíritos
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
 
Pluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitadosPluralidade dos mundos habitados
Pluralidade dos mundos habitados
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Elementos gerais do universo
Elementos gerais do universoElementos gerais do universo
Elementos gerais do universo
 
Ideoplastia
IdeoplastiaIdeoplastia
Ideoplastia
 
CURSO DE PASSES 2023
CURSO DE PASSES 2023CURSO DE PASSES 2023
CURSO DE PASSES 2023
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
 
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismoSono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
Sono & sonhos ; sonhos; ESDE; espiritismo
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!
 
Centro Espírita - Farol de Luz
Centro Espírita - Farol de LuzCentro Espírita - Farol de Luz
Centro Espírita - Farol de Luz
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
Mediunidade com Jesus
Mediunidade com JesusMediunidade com Jesus
Mediunidade com Jesus
 

Semelhante a Prolegomenos

Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoAntonino Silva
 
Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022
Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022
Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022fabiopereiratv
 
Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?
Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?
Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?free
 
gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos
 gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos
gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultosRe David
 
O que é o espiritismo
O que é o espiritismo O que é o espiritismo
O que é o espiritismo grupodepaisceb
 
Dia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismoDia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismoHelio Cruz
 
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
João nunes maia   miramez - filosofia espirita iJoão nunes maia   miramez - filosofia espirita i
João nunes maia miramez - filosofia espirita ihavatar
 
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-iEWALDO DE SOUZA
 
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismoAula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismocontatodoutrina2013
 
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosAntonino Silva
 

Semelhante a Prolegomenos (20)

Introducao LE parte8
Introducao LE parte8Introducao LE parte8
Introducao LE parte8
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
 
O perispirito
O perispiritoO perispirito
O perispirito
 
Apresentação- René Descartes
Apresentação- René DescartesApresentação- René Descartes
Apresentação- René Descartes
 
Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022
Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022
Aula 002 - Curso Básico de Espiritismo 2022
 
Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?
Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?
Aulas 4 e 5 Espírito e Matéria e Espiritismo é Religião?
 
gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos
 gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos
gareth-knight-praticas-e-exercicios-ocultos
 
O que é o espiritismo
O que é o espiritismo O que é o espiritismo
O que é o espiritismo
 
Dia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismoDia nacional do espiritismo
Dia nacional do espiritismo
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
 
Roteiro 4 obras básicas
Roteiro 4   obras básicasRoteiro 4   obras básicas
Roteiro 4 obras básicas
 
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
João nunes maia   miramez - filosofia espirita iJoão nunes maia   miramez - filosofia espirita i
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
 
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
6772159 joao-nunes-maia-espirito-miramez-filosofia-espirita-i
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
Reforma intima aula 2
Reforma intima aula 2Reforma intima aula 2
Reforma intima aula 2
 
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismoAula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
 
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
 

Mais de Adriano Alves de Souza

Mais de Adriano Alves de Souza (18)

FATO X OPINIÃO.pptx
FATO X OPINIÃO.pptxFATO X OPINIÃO.pptx
FATO X OPINIÃO.pptx
 
Funções da linguagem.ppt
Funções da linguagem.pptFunções da linguagem.ppt
Funções da linguagem.ppt
 
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .pptREVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
 
DISTRIBUIÇÃO DA PONTUAÇÃO DE REDAÇÃO.doc
DISTRIBUIÇÃO DA PONTUAÇÃO DE REDAÇÃO.docDISTRIBUIÇÃO DA PONTUAÇÃO DE REDAÇÃO.doc
DISTRIBUIÇÃO DA PONTUAÇÃO DE REDAÇÃO.doc
 
COESÃO POR PRONOMES.ppt
COESÃO POR PRONOMES.pptCOESÃO POR PRONOMES.ppt
COESÃO POR PRONOMES.ppt
 
Uberização
UberizaçãoUberização
Uberização
 
Apometria
ApometriaApometria
Apometria
 
1906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
1906 texto do artigo-5343-1-10-201606171906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
1906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
 
Figuras de linguagem 2020
Figuras de linguagem 2020 Figuras de linguagem 2020
Figuras de linguagem 2020
 
Arte espirita
Arte espiritaArte espirita
Arte espirita
 
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
Qualidade na pratica mediunica (autores diversos) (1)
 
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
 
Adolescente
AdolescenteAdolescente
Adolescente
 
Aula vírus viroses_exercícios
Aula vírus viroses_exercíciosAula vírus viroses_exercícios
Aula vírus viroses_exercícios
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
 
Doc participante evt_2953_1450092056951_k-comissao-permanente-cdh-20151214_ex...
Doc participante evt_2953_1450092056951_k-comissao-permanente-cdh-20151214_ex...Doc participante evt_2953_1450092056951_k-comissao-permanente-cdh-20151214_ex...
Doc participante evt_2953_1450092056951_k-comissao-permanente-cdh-20151214_ex...
 
Apresentação paraíso
Apresentação paraíso Apresentação paraíso
Apresentação paraíso
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
 

Último

Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 

Último (13)

Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 

Prolegomenos

  • 1. 24/04/2012 1Prolegômenos Prolegômenos Introdução O objetivo deste tema, como o próprio nome diz, é apresentar, em linhas gerais, o caráter e o escopo da Doutrina Espírita.
  • 2. Prolegômenos Conceito 24/04/2012 Prolegômenos 2 Do grego prolegomena, coisas que se dizem antes. Exposição preliminar dos princípios gerais de uma ciência ou arte. Introdução geral de uma obra. • Prolegômenos
  • 3. Prolegômenos Aspectos Gerais 24/04/2012 Prolegômenos 3 Allan Kardec, assessorado pelos Espíritos superiores, trouxe-nos os subsídios básicos para o encaminhamento de nosso pensamento às coisas da alma. Baseando-se no diálogo socráticodiálogo socrático, de perguntas e respostas, constrói um saber de caráter universal. Esforçou-se na captação das mensagens dos benfeitores espirituais, sem mescla de seu personalismo ou das suas ideias preconcebidas. Dizia que a Doutrina não era sua, mas dos habitantes do outro mundo, o mundo dos Espíritos.
  • 4. Prolegômenos Os Fenômenos 24/04/2012 Prolegômenos 4 Quando algo nos foge da percepção sensorialpercepção sensorial, servimo-nos das explicações extra-sensoriaisextra-sensoriais, tais como, a telepatiatelepatia, a premoniçãopremonição, a telecinesiatelecinesia etc., longamente testadas por J. B. Rhine, nos Estados Unidos da América. Contudo, na época da codificação, os fenômenos mediúnicosfenômenos mediúnicos eram atribuídos ao magnetismomagnetismo, à bruxariabruxaria, ao possessopossesso. Como a verdade não admite contestação, essas explicaçõesexplicações do sobrenaturaldo sobrenatural cederam lugar à Doutrina EspíritaDoutrina Espírita, onde Allan Kardec procurou estudar pormenorizadamente cada ocorrência, para lhe dar um cunho universal, baseado nos fatos e não em opiniões individuais. • Percepção Sensorial e Extra-Sensorial
  • 5. Prolegômenos Os Fenômenos 24/04/2012 Prolegômenos 5 Como se verá ao longo do livro, Allan Kardec procurou sempre relacionar o efeito à causarelacionar o efeito à causa. Diz: se o efeito é inteligente a causa também ose o efeito é inteligente a causa também o seráserá, pois se assim não acontecer, não haverá coerência no afirmado. Além do mais, os fenômenos podem ser repetidosrepetidos, não só em França e nos Estados Unidos, mas em todos os recantos do Planeta Terra. Eles devem proceder do mesmo princípiomesmo princípio, sem o qual haverá contradiçãocontradição. • Causa e Efeito
  • 6. Prolegômenos Os Fenômenos 24/04/2012 Prolegômenos 6 De acordo com o Evangelho de Jesus, quando chegasse o momento oportuno, a divindade nos enviaria o ConsoladorConsolador Prometido, o ParácletoPrometido, o Parácleto, em que nos lembrarialembraria dos ensinamentos do cristianismo primitivo e nos daria oportunidade de obter novos conhecimentos acerca da vida presente e da futura. O Consolador Prometido é o EspiritismoConsolador Prometido é o Espiritismo que, através de seus pressupostos, faz-nos apreender uma nova ordem de ideias, que nos darão força para enfrentar destemidamente todos os obstáculos que a matéria nos proporciona. • Os Tempos Estão Chegados
  • 7. Prolegômenos O Compêndio de seus Ensinamentos 24/04/2012 Prolegômenos 7 Livro PrimeiroLivro Primeiro: as Causas Primárias (Deus, Elementos Gerais do Universo, Criação, Princípio Vital) Livro SegundoLivro Segundo: Mundo Espírita ou dos Espíritos (Dos Espíritos, Encarnação dos Espíritos, Retorno da Vida Corpórea à Vida Espiritual, Pluralidade das Existências, Considerações sobre a Pluralidade das Existências, Vida Espírita, Retorno à Vida Corporal, Emancipação da Alma, Intervenção dos Espíritos no Mundo Corpóreo, Ocupações e Missões dos Espíritos, Os Três Reinos) Livro TerceiroLivro Terceiro: As Leis Morais (Lei Divina ou Natural, Lei de Adoração, Lei do Trabalho, Lei de Conservação, Lei de Destruição, Lei de Sociedade, Lei de Progresso, Lei de Igualdade, Lei de Liberdade, Lei de Justiça, Amor e Caridade, Perfeição Moral) Livro QuartoLivro Quarto: Esperanças e Consolações (Penas e Gozos Terrenos, Penas e Gozos Futuros) • O Livro está Dividido em 4 Partes
  • 8. Prolegômenos O Compêndio de seus Ensinamentos 24/04/2012 Prolegômenos 8 "Este livro é o compêndio dos seus ensinamentos. Foi escrito por ordem e sob ditado dos Espíritos superiores para estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional, livre doslivre dos prejuízos do espírito de sistemaprejuízos do espírito de sistema. Nada contém que não seja a expressão do seu pensamento e não tenha sofrido o seu controle. A ordem e a distribuição metódica das matérias, assim como as notas e a forma de algumas partes da redação constituem a única obra daquele que recebeu a missão de o publicar". (Kardec, 1995, p. 50) ObservaçãoObservação: espírito de sistema é ficar preso a um sistema de ideias, geralmente de um autor, como, por exemplo, Descartes, Kant, Spinoza etc. • Livre dos Prejuízos do Espírito de Sistema
  • 9. Prolegômenos O Compêndio de seus Ensinamentos 24/04/2012 Prolegômenos 9 "No número dos Espíritosnúmero dos Espíritos que concorreram para a realização desta obra há muitos que viveram em diferentes épocas na Terra, onde pregaram e praticaram a virtude e a sabedoria. Outros não pertencemnão pertencem, por seus nomes, a nenhum personagempersonagem de que a História tenha guardado a memória, mas a sua elevação é atestada pela pureza de sua doutrina e pela união com os que trazem nomes venerados". (Kardec, 1995, p. 51) • Quantidade de Espíritos
  • 10. Prolegômenos Missão de Escrever o Livro 24/04/2012 Prolegômenos 10 "Ocupa-te, com zelo e perseverançazelo e perseverança, do trabalho que empreendeste com o nosso concurso, porque esse trabalhoesse trabalho é nossoé nosso. Nele pusemos as bases do novo edifíciobases do novo edifício que se eleva e que um dia deverá reunir todos os homens num mesmo sentimento de amor e caridade; mas, antes de o divulgares, revê-lo-emos juntos, a fim de controlar todos os detalhes. Estaremos contigo sempre que o pedires, para te ajudar nos demais trabalhos, porque esta não é mais do que uma parteporque esta não é mais do que uma parte da missão que te foi confiada e que um de nós já te revelouda missão que te foi confiada e que um de nós já te revelou". (Kardec, 1995, p. 51) • Zelo e Perseverança
  • 11. Prolegômenos Missão de Escrever o Livro 24/04/2012 Prolegômenos 11 "Porás no cabeçalho do livro o ramo de parreiraramo de parreira que te desenhamos, porque é ele o emblema do trabalho do Criador. Todos os princípios materiais que podem melhor representar o corpo e o espírito nele se encontram reunidos: o corpo é oo corpo é o ramoramo; o espírito é a seivaespírito é a seiva; a alma, ou o espírito ligado àespírito ligado à matéria é o bagomatéria é o bago. O homem quintessencia o espíritoquintessencia o espírito pelo trabalho e tu sabes que não é senão pelo trabalho do corpo que o espírito adquire conhecimentos". (Kardec, 1995, p. 51) • Parreira
  • 12. Prolegômenos Missão de Escrever o Livro 24/04/2012 Prolegômenos 12 São João EvangelistaSão João Evangelista Santo AgostinhoSanto Agostinho São Vicente de PauloSão Vicente de Paulo São LuizSão Luiz O Espírito da VerdadeO Espírito da Verdade • Espíritos Auxiliares SócratesSócrates PlatãoPlatão FénelonFénelon FranklinFranklin Swedenborg...Swedenborg...
  • 13. Prolegômenos Conclusão 24/04/2012 Prolegômenos 13 Essas orientações, que os Espíritos superiores deram a Allan Kardec, quando da codificação da Doutrina, deveria servir como norma de conduta para todo o Espírita sinceroEspírita sincero.
  • 14. Prolegômenos Bibliografia Consultada 24/04/2012 Prolegômenos 14 KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. 8. ed. São Paulo: Feesp, 1995. Texto em HTMLTexto em HTML http://www.sergiobiagigregorio.com.br/pa