STORYLINE
Tudo começa com uma criança escrevendo uma carta para o Papai Noel e na carta o
garoto conta sua história de vid...
CENA 01
“Tudo começa com uma criança escrevendo uma carta para o Papai Noel e na carta o garoto conta sua
história de vida...
CENA 03
“A carta aparece nas mãos do Papai Noel, de forma mágica, que logo vê que o pedido nela foi feito de
coração e faz...
Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Central de Transplante, Bom dia!
Papai Noel: - Alô..? Bom dia! Aqui quem fal...
CENA 04
“O Papai Noel vai até um paciente em leito de morte e conta a sua história diz que já vive a centena de
anos, mas ...
Narrador: - Papai Noel,
- Sei que o senhor devi ta muito ocupado fazendo um montão de
presente para um montão de crianças ...
ANEXOS
MENSAGEM DE UM DOADOR ANÔNIMO
Não chamem o meu falecimento de leito de morte,
mas de leito de vida.
Dêem minha visã...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cantata natalina-2010-venha cantar a alegria de viver.

326 visualizações

Publicada em

Texto teatral

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cantata natalina-2010-venha cantar a alegria de viver.

  1. 1. STORYLINE Tudo começa com uma criança escrevendo uma carta para o Papai Noel e na carta o garoto conta sua história de vida e diz que tem um irmão mais velho precisa de uma máquina para viver de semana em semana e que seu presente seria que o dia de natal seu irmão esteja bom e pronto para brincar com ele novamente. A sua mãe entra e pergunta se ele já tinha escrito a sua carta para o Papai Noel e ele diz que já e que iria enviar pra ele. No caminho para o correio a carta dele é levada pelo vento e ela entra em chamas e desaparece. A carta aparece nas mãos do Papai Noel, de forma mágica, logo vê que o pedido nela foi feito de coração e faz de tudo pra torná-lo realidade, pede um telefone a um duende e liga para a Central de Transplantes para pedir informações sobre o processo de doação de órgão e como ele faria pra conseguir um transplante antes do natal para uma pessoa em especial. O Papai Noel vai até um paciente em leito de morte e conta a sua história, diz que já vive a centenas de anos, mas nunca esteve nessa situação, e que não seria dessa vez que ele iria desistir. São Nicolau entrega ao paciente a carta que recebeu dessa criança e o paciente a lê em voz alta. Depois de um tempo ele escreve uma carta a sua família deixando todos os seus órgãos em caso de morte para doação. ROTEIRO PERSONAGENS 1. Irmão mais novo (Garoto Jovem entre 8 e 13 anos) 2. Irmão mais velho (Garoto Jovem entre 15 e 20 anos) 3. Mãe aflita (Mulher entre 25 a 40anos) 4. Papai Noel (Garoto Jovem entre 15 e 20 anos) 5. Atendente (Mulher entra 25 a 40anos) 6. Doador Anônimo (Garoto Jovem entre 15 e 20 anos) PERFIL DOS PERSONAGENS 1. Irmão mais novo (Garoto Jovem entre 8 e 13 anos)  Garoto de coração inocente que em uma atitude sem pretensões ou desejos materiais e mundanos. 2. Irmão mais velho (Garoto Jovem entre 15 e 20 anos)  Garoto Magro que está sofrendo tratamento de hemodiálise a muito tempo e tem alguns hematomas nos braços. 3. Mãe aflita (Mulher entre 25 a 40anos)  É uma mãe solteira que cuida de dois filhos e que não tem condições de dar um presente de Natal para nem um deles mas os ama como nem uma outra pessoa amaria 4. Papai Noel (Garoto Jovem entre 15 e 20 anos)  É um jovem ativista e com espírito vanguardista que estava fantasiado de Papai Noel e entra na história como uma pessoa que assume o papel e realiza esse sonho. 5. Atendente (Mulher entra 25 a 40anos)  É uma funcionária da Central de transplante que tem bastante iniciativa e é muito bem informada e atualizada sobre as novidades relacionada à sua profissão. 6. Doador Anônimo (Garoto Jovem entre 15 e 20 anos)  Jovem que esta na UTI já em leito de morte e como último gestos de amor ao próximo decide pela vida.
  2. 2. CENA 01 “Tudo começa com uma criança escrevendo uma carta para o Papai Noel e na carta o garoto conta sua história de vida e diz que tem um irmão mais velho precisa de uma máquina para viver de semana em semana e que seu presente seria que o dia de natal seu irmão esteja bom e pronto para brincar com ele novamente. A sua mãe entra e pergunta se ele já tinha escrito a sua carta para o Papai Noel e ele diz que já e que iria enviar pra ele. No caminho para o correio a carta dele é levada pelo vento e ela entra em chamas e desaparece.” Storyline – cantata natalina 2010. INTER. SALA DA CASA - NOITE Abrimos a cortina com um garoto sentado no meio do palco rodeado de papeis amassados. (Ouve-se o murmúrio de VOZES alegres, e uma voz CANTANDO músicas natalinas acompanhado de um assoar de nariz como se estivesse CHORANDO) Mãe: - Já escreveu a cartinha pro Papai Noel meu filho? (Tenta disfarçar o choro contido) Filho 02: - To terminando mãe. Tenho certeza que ele vai atender meu pedido. Mãe: - Ai meu Deus, será que esse ano vou poder dar um presente para o meu filho? E será como estará o irmão dele... (Pensamento aflito para platéia) Filho 02: - Mãe, terminei, vou deixar aqui em cima da cômoda depois a senhora coloca no correio pra mim. Ta? Mãe: - Ta meu filho, pode deixa ai que depois mãe faz isso pra você. (Um pouco envergonhada por não saber se vai poder dar o presente ao seu filho) CENA 02 A cortina se fecha e abre novamente com a cena do Filho 02 colocando a carta em cima da cômoda, a iluminação cai um pouco para facilitar a visualização do efeito. Antes do Filho 02 sair de cena ele acende com um isqueiro sem a platéia perceber um a ponta a carta a sai depressa de cena sem olha para traz Logo em seguida a carta é puxada por um fio de náilon e some após entrar em chamas. A carta deve ser preparada com antecedência pela produção para entra em chamas rapidamente e se desfazer em cinzas. Ela deve ser coberta com fósforo do meio para o final e com um pouco de álcool ou outro liquido inflamável para entra em combustão mais rápido dando assim um efeito visual mais interessante. O fio de náilon deve está em uma posição vertical de cima para baixo dando assim um efeito de flutuação antes da carta entra em chamas A iluminação sobe novamente e a cortina se fecha.
  3. 3. CENA 03 “A carta aparece nas mãos do Papai Noel, de forma mágica, que logo vê que o pedido nela foi feito de coração e faz de tudo pra torná-lo realidade, pede um telefone a um duende e liga para a Central de Transplantes para pedir informações sobre o processo de doação de órgão e como ele faria pra conseguir um transplante antes do natal para uma pessoa em especial.” Storyline – cantata natalina 2010. INTER. CASA DO PAPAI NOEL - DIA Abrimos a cortina com um garoto que está se fantasiando de Papai Noel para trabalhar em um shopping durante o período de natalino. (Ouvem-se o som de SINOS DE NATAL, vozes CANTANDO músicas natalinas ao fundo) Papai Noel: - Cara, to atrazadão acho q não vai dar tempo deu chegar a tempo, e pior... Vestido de Papai Noel,... (risos)... Só eu mesmo pra pagar esse mico. (Personagem fala sozinho interagindo discretamente com a platéia). A carta que sumiu na CENA 02 reaparece agora no palco flutuando até as mãos Papai Noel. O fio de náilon é usado para puxar a carta que também deve ser preparado anteriormente pela produção e entrará em cena flutuando e cair nas mãos do Papai Noel que irá desamarrá-lo rapidamente e abrir a carta. Papai Noel: - Olha só, uma carta para o Papai Noel...(risos) ... que coincidência é pra mim, vou abrir e ler no caminho. O Papai Noel sai de cena e o Filho 02, entra pensativo, chutando o vento... Filho 02: - Quando voltei a minha carta não tava mais lá em cima da cômoda, será que a Mamãe já enviou para o Papai Noel? Acho que sim, porque ela disse que ia...hum...tomara que ele atenda meu pedido. ...(garoto olha para seu relógio) ... Nossa já ta quase na hora do meu irmão chegar da hemo, sinto tanta falta de quando nós brincávamos juntos. Hoje em dia ele não pode mais aquelas coisa de antes, mas isso vai acabar depois que ele fizer esse transplante. (Personagem fala sozinho interagindo discretamente com a platéia). Só se escuta a voz da Mãe gritando de dentro da casa chamando o garoto. Mãe: - (grita) Menino... entra já pra casa porque ta serenado, teu jantar já tá na mesa, vem logo antes que esfrie. Filho 02: - (grita) Já vai Mamãe... (Personagem fala baixo interagindo com a platéia)... Hora dessas o Papai Noel já leu minha carta e deve ta providenciando meu presente. O Filho 02 sai de cena pensativo, chutando o vento e o Papai Noel novamente após ter lido a carta do garoto... Papai Noel: - É né, ajoelhou tem que rezar,... (risos)... Então ta certo, já que percebei que nessa carta esse garoto fez um pedido de coração e mais ainda demonstrando um imenso amor ao seu próximo, vou fazer o mesmo e ajudar ele a realizar o seu sonho. O Papai Noel olha para o cartaz da Cantata Natalina, tira um celular dentro do bolso e liga para a central de transplantes para se informar sobre a Doação de Órgãos e Tecidos. Papai Noel: - O telefone ta aqui nesse cartaz, ele é 2109.1212,
  4. 4. Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Central de Transplante, Bom dia! Papai Noel: - Alô..? Bom dia! Aqui quem fala é o Nicola, tudu bem? Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Sim, obrigada, mas o que você deseja? Papai Noel: - Bem, é que preciso de informações sobre a Doação de Órgãos, quero sabe como faço para conseguir uma Doação para meu amigo que está muito doente. Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Ele já é cadastrado aqui no nosso Banco de dados? Papai Noel: - Acredito que sim, você pode verificar pra mim? O nome dele é Willian Santos da Silva. O paciente citado não deve mais está na fila, motivo da sua ausência deve ser o óbito antes de realizar o transplante. Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Só um minuto... Sim o Willian Santos da Silva, já esta cadastrado em nosso sistema, mas não temos permissão exceto se for um paciente em urgência. Papai Noel: - Como eu faço para conseguir um transplante para ele? Em que caso o transplante seria antes do Natal?? Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Nesse caso, você teria que ser parente dele e mais, você teria que ser compatível pós a Lei mudou recentemente. Papai Noel: - E se for afilhado, ou parente de criação?? Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Nesse caso, com uma ordem judicial e passando pelo comitê de ética. Papai Noel: - É complicado... né? Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Um pouco. Papai Noel: - Posso visitar o hospital para conhecer os pacientes? Atendente: - (voz abafada com em um telefone) Pode sim, se vier hoje mesmo eu te acompanho. Papai Noel: - Pode deixar, estarei ai mais tarde, já Perdi meu emprego mesmo. A iluminação cai às cortinas se fecham com um Papai Noel falando ao telefone.
  5. 5. CENA 04 “O Papai Noel vai até um paciente em leito de morte e conta a sua história diz que já vive a centena de anos, mas nunca esteve nessa situação, e que não seria dessa vez que ele iria desistir. São Nicolau entrega ao paciente a carta que recebeu dessa criança e o paciente a lê em voz alta. Depois de um tempo ele escreve uma carta a sua família deixando todos os seus órgãos em caso de morte para doação.” Storyline – cantata natalina 2010. INTER. UTI NO LEITO DO PACIENTE - NOITE Abrimos a cortina com o Papai Noel entrando em cena com a Atendente da Central de Transplantes. (Ouve-se o som de máquinas de UTI, de batimento cardíaco) Atendente: - Esta é a UTI do nosso Hospital, e dentro daquela sala estão os paciente, vou deixar você aqui um pouquinho, mas volto já. Papai Noel: - Posso conversar com os pacientes? Atendente: - Pode sim, mas tenha cuidado porque afinal de contas, eles todos são pacientes graves e precisam de cuidados. Papai Noel vai até paciente senta na beira da cama e começa a contar sua história. Papai Noel: - Oi, tudo bem? Meu nome é Nicola, qual é o seu? Paciente deve está deitado em um Leito de Hospital. Paciente: - Me chamo Jesus, sou daqui mesmo de São Luís, e você? Papai Noel: - Eu sou do Norte, mas to aqui nesse mês de dezembro e queria conhecer melhor a cidade dos azulejos,... (risos)... A famosa ilha do amor,... (risos)... Paciente: - Porque você ta vestido de Papai Noel? Papai Noel: - (risos)... Isso é uma longa história, mas como eu vim aqui para conversa acho que devo te contar. Paciente: - Pode ter certeza que daqui eu não vou sair,... (risos)... Papai Noel: - (risos)... É verdade. Bem tudo começou quando hoje de manhã eu tava saindo de casa pra ir fazer um serviço fantasiado de Papai Noel, ai do nada uma cartinha veio voando e esbarrou em mim. - Detalhe, quando eu vi pra quem era eu achei muito engraçado, era para o Papai Noel... E eu tava vestido de Papai Noel... Muita coincidência né? Paciente: - É verdade,... (risos)... Papai Noel: - (risos)... Ai, no caminho para o serviço eu fui lendo a carta, que ta até aqui, você quer lê? Papai Noel tira a carta do seu bolso tira do envelope e entrega ao Paciente e o Filho 02 vira Narrador começa a lê em voz alta a carta da coxia.
  6. 6. Narrador: - Papai Noel, - Sei que o senhor devi ta muito ocupado fazendo um montão de presente para um montão de crianças pelo mundo todinho. Prometo não tomar muito o seu tempo porque esse ano eu não quero nem boneco, nem carrinho, e nem aquela bola, o senhor lembra? Aquela com o nome engraçado. Lembrei... Jabulâne,... (risos)... Esse ano eu quero uma coisa bem diferente, poxa, eu me comportei o ano todinho, não briguei na escola, só tirei nota boa, só em matemática que eu passei arrastando, mas em Ed. Física eu tirei 9.5, aquela professora colocou todo pra correr foi muito, ai como eu gosto de correr eu, eu ganhei uma medalha bonitona na corrida. - Pois é Pai Noel, esse ano eu quero que o senhor cuide do meu irmão porque ele ta dodói, e nunca mais ele pode brinca de correr comigo. Porque quando ele chega em casa cansado da hemo, ele vai logo dormi e eu fico sozinho. - Mãe disse que ele precisa de um transplante de rim mas que nem eu e nem ela podemos doar para ele, mas era pra eu rezar que o Papai do Céu ia dar uma pra ele novinho. - Ai eu aqui pensando com o meu Tíco e com o meu Téco, já pensou si o Pai do Céu se Junta com o Papai Noel e os dois dão um órgão novinho pro meu irmão, hum, hum?? Já pensou?? Já dei a dica. Agora só falta o senhor me dá esse presente. - Ei, si der, eu queria brincar com ele no dia de Natal, Porque vai vim todo mundo aqui pra casa, pra ceia. Ai seria legal si ele pudesse brincar comigo. - Outra coisa,...é ....é ....é ..., nada não, só isso mesmo! - Papai Noel, vou fica esperando viu. Ass. Fé lipe. O Paciente fica emocionado após lê a carta. Paciente: - Você tem um papel e uma caneta pra mim? O Papai Noel também fica emocionado após a leitura da carta. Papai Noel: - (Tenta disfarçar o choro contido) Sim, Tenho uma aqui dentro do saco de Papai Noel, mas o que você vai fazer? Paciente: - Eu quero escrever uma carta para minha família. Papai Noel: - (Tenta disfarçar o choro contido) Então ta, pega ai eu vou bem aqui lavar meu rosto, acho que caiu alguma coisa no meu olho. A iluminação cai às cortinas se fecham com um Papai Noel saindo e o paciente escrevendo a carta que está em anexo com título: Mensagem de um Doador Anônimo. Com as cortinas fechas o paciente vira Narrador começa a lê em voz alta a carta título: Mensagem de um Doador Anônimo, da coxia. Narrador: - No dia de Natal o Fé lipe estava ao lado do seu irmão brincando e feliz por ter recebido seu presente.
  7. 7. ANEXOS MENSAGEM DE UM DOADOR ANÔNIMO Não chamem o meu falecimento de leito de morte, mas de leito de vida. Dêem minha visão ao homem que jamais viu o sol, o rosto de uma criança ou o amor nos olhos de uma mulher. Dêem meu coração a uma pessoa cujo coração apenas experimentou dias infindáveis de dor. Dêem meu sangue ao jovem que foi retirado dos destroços de seu carro, para que ele possa viver para ver seus netos brincarem. Dêem meus rins às pessoas que precisam de uma máquina para viver de semana em semana. Retirem meus ossos, cada músculo, cada fibra e nervo do meu corpo e encontrem um meio para fazer uma criança inválida andar. Explorem cada canto do meu cérebro. Retirem minhas células, se necessário, e deixem-nas crescerem para que, um dia, um menino mudo possa gritar em um momento de felicidade ou uma menina surda possa ouvir o barulho da chuva de encontro à sua janela. Queimem o que restar de mim e espalhem as cinzas ao vento, para ajudarem as flores brotarem. Se tiverem que enterrar algo, que sejam meus erros, minhas fraquezas e todo mal que fiz aos meus semelhantes. Dêem meus pecados ao diabo. Dêem minha alma a Deus. Se, por acaso, desejarem lembrar-se de mim, façam-no com ação ou palavra amiga a alguém que precise de vocês. Se fizerem tudo o que pedi, estarei vivo para sempre...

×