Processos Gâlvanicos

5.725 visualizações

Publicada em

Processos Galvânicos

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.725
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
64
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
200
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processos Gâlvanicos

  1. 1. O que é o Processo Galvânico? A galvanoplastia é um processo químico ou eletroquímico de deposição de uma fina camada de um metal sobre uma superfície, que pode ser metálica ou não. No processo, as reações não são espontâneas. É necessário fornecer energia elétrica para que ocorra a deposição dos elétrons. Trata-se, então, de uma eletrodeposição na qual uma corrente contínua passa pelos eletrodos, fazendo com que o metal que dá o revestimento seja ligado ao polo positivo.
  2. 2. O objetivo O objetivo deste processo é embelezar as peças, e também protegê-las contra a corrosão, aumentar sua durabilidade, melhorar as propriedades superficiais e características de resistência, espessura, condutividade e capacidade de estampar. Utilidade •Proteção; •Melhora na condutividade; •Auxílio na soldagem; •Estética (aparência); •Aglutinação de partículas não condutoras de eletricidade; •Diminuição de atrito; •Aumento da dureza superficial; •Resistência à temperatura
  3. 3. A Aplicação É aplicada em vários ramos da atividade econômica: na indústria automobilística, na indústria de bijuterias, construção civil, indústria de utensílios domésticos, informática, indústria de telefonia e recuperação de objetos decorativos. Para ganhar uma camada externa metálica, as peças são submetidas a um ou mais banhos, que podem ser de cromo, níquel, ouro, prata, cobre, zinco ou estanho.
  4. 4.  O Processo Para o material estar pronto para receber o revestimento eletrolítico, deve estar limpo, isento de graxas, gorduras, óxidos, restos de tintas e outras impurezas quaisquer, e não deverá ter falhas, nem apresentar poros e lacunas, sendo estes últimos os mais perigosos. Nestas lacunas se acumulam sujeiras de massa politriz, ou de outra espécie qualquer, o qual evitará a deposição da camada de revestimento.
  5. 5.  O Processo O pré-tratamento – etapa responsável por retirar as imperfeições e materiais aderidos da superfície das peças. Podendo ser realizada através do processo mecânico (jateamento, esmerilhamento, polimento, processo manual) e pelo processo químico (desengraxamento, decapagem, neutralização).
  6. 6.  O Processo O revestimento - segunda etapa do processo galvânico e refere-se à deposição eletrolítica, também chamada de deposição metálica. Este processo se dá pela aderência do metal que se desprende do ânodo atravessando o banho, a qual se chama eletrólito, pela ação da eletricidade. Neste processo são usados vários tipos de metais, sendo os mais utilizados o zinco, a prata, o ouro, o cobre e o alumínio
  7. 7.  O Processo Em fins decorativos. Após passar por todas essas etapas as peças são encaminhadas para secar. O pós-tratamento consiste em um processo de lavagem com água fria ou quente, secagem em centrífuga, estufa ou jatos de ar, banho de óleo para embalagem, proteção e pintura ou envernizamento.
  8. 8.  Riscos a saúde do trabalhador O Ruído- Para medição instantânea do ruído continuo ou intermitente dos ambientes laborais e para dosar o nível sonoro ao qual os trabalhadores estão expostos durante sua jornada de trabalho. Os resultados foram comparados aos parâmetros estabelecidos pela NR-15 para uma jornada de trabalho de oito horas diárias, limite de tolerância (LT) de 85 dB(A) e nível de ação (NA), dose entre 50% e 100% do LT, equivalente ao o intervalo do nível médio de exposição entre 80 e 85 dB(A).
  9. 9.  Riscos a saúde do trabalhador O Calor- Os trabalhadores estão expostos a niveis de calor excessivos no ambiente de trabalho, estão sujeitos a fontes de calor como fornos com altas temperaturas, estufas e aquecedores de banhos. Agentes Químicos- A exposição dos trabalhadores ao cromo hexavalente, ao níquel e aos solventes orgânicos foi avaliada por determinações das concentrações destes agentes em amostras de ar e dosagens de seus indicadores biológicos em amostras de urina dos trabalhadores
  10. 10.  Riscos a saúde do trabalhador As industrias galvânicas apresentam condições de risco a segurança e a saúde do trabalhador, necessitando de intervenção, e que estão relacionadas a presença de inúmeras substancias químicas, condições ergonômicas de trabalho, ruído, desconforto térmico e de condições de iluminação. As condições de manutenções das maquinas e equipamentos e a organização e limpeza do ambiente industrial são insuficientes, podendo agravar os riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e de acidentes.
  11. 11. Proteção do Trabalhador Sugere-se a instalação de chuveiro de emergência e lava- olhos próximo a área dos banhos, mantendo o acesso fácil e desimpedido.Para equipamentos de pre- tratamento mecânico, lixadeiras, politrizes, esmeris e outros, devem ser instalados sistema de ventilação local exautora, coletor e anteparo contra projeção de partículas e das pecas. E necessário realizar manutenção preventiva das partes moveis das maquinas e equipamentos, polias, engrenagens, rolamentos e mancais, e verificar periodicamente as hélices e demais componentes do sistema de ventilação local exautora.
  12. 12. Proteção do Trabalhador
  13. 13. Proteção do Trabalhador Sugere-se adequar e manter limpa a área para alimentação dos trabalhadores, com instalação de pia para higienização das mãos e adequação da localização dos bebedouros, que devem ser sinalizados, instalados fora da área da produção ou de qualquer área sujeita a contaminação e dispor de copos descartáveis
  14. 14. Proteção do Trabalhador Os EPI apropriados para cada tarefa a ser executada, como protetores auditivos, luvas, aventais, botas, botinas, óculos de segurança e proteção respiratória, o que requer treinamento; mantidos limpos e em plena condição de funcionamento; guardados em locais adequados após o uso, e substituídos periodicamente.
  15. 15. Proteção do Trabalhador O trabalhador deve ser orientado a transportar materiais o mais próximo possível do corpo, utilizando as duas mãos para a distribuição do peso. A empresa, sempre que possível, deve manter dispositivos de transporte mecanico, carrinhos ou talhas, para facilitar o manuseio e o transporte dos materiais
  16. 16. Proteção do Trabalhador Para facilitar a movimentação e reduzir o esforço físico do trabalhador, sugere instalar uma tabua com largura de aproximadamente 15 cm nas bordas dos tanques, como ilustrado na figura, para o deslizamento do cesto de um tanque para outro. BORDAS PARA DESLIZAMENTO DOS CESTOS ENTRE TANQUES
  17. 17. Proteção do Trabalhador A instalação de sistema de regulagem de altura no suporte das gancheiras, possibilita que o trabalhador evite, na tarefa de colocação de pecas, a elevação dos membros superiores acima da altura dos ombros.
  18. 18. Alexandre Miranda Bárbara Nogueira Daniela Neves Eduardo Martins Thayná de Lima

×